Você está na página 1de 2

A fome como problema social, também chamada de desnutrição ou

insegurança alimentar, se caracteriza por indivíduos que continuadamente não


conseguem ter acesso a calorias suficientes para o suprimento de suas
necessidades energéticas diárias.
A entidade responsável pelo monitoramento do acesso adequado de
alimentos pela população é a ONU (Organização das Nações Unidas),
juntamente com seus órgãos acessórios, a FAO (Organização para a
Alimentação e Agricultura), o FIDA (Fundo Internacional de Desenvolvimento
Agrícola) e o PMA(Programa Mundial de Alimentos).

De acordo com o Relatório Global sobre Crises


Alimentares, lançado em 22/03/2018, apoiado pela ONU, em torno de 124
milhões de pessoas enfrentam uma situação de fome severa, exigindo ação
humanitária urgente. Existem informações e indícios de situação de fome
severa também na Venezuela, Eritréia e Coréia do Norte, porém, devido à
dificuldade de pesquisa e obtenção de dados concretos, imposta por seus
governos, estes países não aparecem neste estudo. O Brasil também não
aparece no relatório. Desde 2014 saiu do mapa da fome.
Os países com a situação de insegurança alimentar mais crítica,
identificados em pesquisa no ano de 2017, para o referido relatório são a
Nigéria, Somália, Iêmen e Sudão do Sul, onde 32 milhões de pessoas
necessitam urgentemente de assistência para não morrerem de inanição.
Entre os principais fatores que geram ou agravam a situação de
fome estão os conflitos, causas climáticas e autos preços dos alimentos. De
acordo com XXXXXXX, o desperdício de alimentos também figura como fator
agravante, atingindo a marca de 1/3 da produção mundial e representando
US$750 bilhões por ano à economia mundial.
Os problemas provocados pela fome, geram conseqüências em
nível individual (redução da capacidade física para o trabalho, retardamento do
crescimento infantil, diminuição da capacidade cognitiva, danos à saúde e
morte prematura) comunitário (diminuição de oportunidades futuras e
desenvolvimento da comunidade) e governamental (instabilidade política e
social, dificultando ainda mais os esforços dos Estados em reduzirem a
pobreza).
FOME NO MUNDO: UM HORIZONTE COMPLICADO
As quase 800 milhões de pessoas subnutridas no mundo mostram que a fome
é mais do que uma questão de saúde pública. Suas raízes estão enterradas na
construção da estrutura social, que é extremamente desigual, fazendo com que
fome e pobreza caminhem lado a lado. Como resultado, a nível individual,
vemos complicações na saúde dos afetados, como: doenças, diminuição do
seu rendimento físico e de suas oportunidades futuras. Contudo, as
consequências vão além: a fome pode afetar ainda o desenvolvimento
econômico de um país, sua estabilidade política e social.
Fontes:
FAO – Declaração de Roma sobre a segurança alimentar mundial e plano de
acção da cimeira mundial da alimentação – Roma, 1996; FAO – Save Food:
global initiative on food loss and waste reduction; AGENDA 2030 – Objetivo 2:
fome zero e agricultura sustentável; FAO – Chapter 2: Food security – concepts
and measurement – Trade reforms and food security – Roma, 2003; FAO –
Statistical Pocketbook 2015: world food and agriculture – Rome, 2015.
Você conhecia o panorama sobre a fome no mundo? O que acha disso? Deixe
seu comentário!
Publicado em 06 de setembro de 2017.

http://www.politize.com.br/fome-no-mundo-causas-e-consequencias/

https://www.todamateria.com.br/fome-no-mundo/