Você está na página 1de 3

Como a filosofia pode contribuir para uma sociedade melhor?

Por Abimael Borges

Mais que um conceito, quero adentrar a seara da filosofia como essencial para a humanização
em uma sociedade cada vez mais dividida por anseios e interesses individuais. Quero colocar o
papel da filosofia para a formação da nossa identidade enquanto ser humano, como fator
determinante das nossas interações boas ou más na dinâmica desse organismo chamando
sociedade.

Para muitos a filosofia se apresenta como uma matéria ligada a pessoas que gostam de falar,
devanear ou pensar por pensar qualquer assunto. Mas isso não é filosofia. A genuína filosofia é,
em um primeiro momento, uma atividade de autoconhecimento que nasce do anseio de
compreender o mundo em volta. Tal compreensão se torna inviável se não aceitamos o fato de
que o importante não é o que vemos, mas como o vemos, ou seja, o problema da interpretação
das coisas se encontra no intérprete.

Pensemos, portanto, no que motiva o ser humano a agir de forma natural, honrosa, virtuosa
perante os seus semelhantes e, por outro lado, o que leva um ser humano a burlar as leis, ferir
os outros, agir de forma irresponsável. A nosso ver, o princípio de toda ação humana se encontra
em sua personalidade, em seu caráter, na construção do seu ser consciente.

Esta construção do ser consciente, é um processo que se dá ao longo da vida, desde o


nascimento até a morte, porém, o ser consciente se manifesta na idade adulta de forma
relativamente plena. A constituição dessa personalidade, no entanto, é a soma de todos os
modelos e referenciais que ao longo da experiência infanto-juvenil o indivíduo vai acumulando.
Por isso, pode-se dizer que, o resultado dessa soma poderá explicar que tipo de homem um
determinado indivíduo pode se tornar a partir da experiência de vida da criança que foi.

A filosofia explica o homem, isso implique que o homem consciente deve buscar na filosofia os
meios para melhorar sua atuação na vida e isto por sua vez, contribuirá para a construção de
uma sociedade melhor.

É disso que surge a necessidade da aquisição do conhecimento histórico da filosofia, que é


elemento essencial para a compreensão dos diversos métodos filosóficos que buscam ajudar o
homem a encontrar explicações para os inúmeros problemas que o cerca, ajudando-o na
tomada de decisões.

No entanto, o maior de todos os problemas não é conhecer o mundo à sua volta, é sobretudo
conhecer a si mesmo. Era por isso que a filosofia clássica se dedicava à questão dos valores e
das virtudes. Marcas que um ser constrói ao longo do seu desenvolvimento intelectual e as leva
para toda a vida. Formas de agir, motivadas por escolhas do que há de melhor na realidade
humana e que vai nortear a ação humana por toda sua existência. Isso são valores e virtudes
que humanizam o ser.

A filosofia por si só não melhora o homem. O homem é que é capaz de melhorar a si mesmo no
processo de busca do conhecimento. Os métodos de análise filosófica são apenas instrumentos
que nos auxiliam na sistematização dos estudos, porém, é o autoconhecimento que motiva o
homem a se encontrar com as suas potencialidades e fragilidades interiores, orientando-o a agir
de forma coerente com o que ele anseia.
INTRODUÇÃO À HISTÓRIA DA FILOSOFIA

O conhecimento é o instrumento que potencializa a ação humana, seja ela boa ou má.
Aristóteles dizia que todo homem anseia o conhecimento. A própria filosofia nasce da busca do
homem por entender o mundo à sua volta. É o espanto! Quando você olha para coisas
grandiosas poderá ter várias reações, entre elas, a de tentar compreender sua existência,
fundamentos e etc. Conhecer as coisas, eleva o nosso espírito e nos coloca junto aos gigantes.
O que fazemos com aquele saber, advindo das descobertas que fizermos a partir da nossa
experiencia, é outra história.