Você está na página 1de 2

1.

Diferença de função trabalho: eletrização por atrito por um material ter seus elétrons
menos ligados a ele
Adsorção diferencial: adsorção de bário e hematita por interação específica
Dissolução diferencial: diferença de dissolução de ions Ag+ e I- em solução
Ionização: proteínas em diferentes pHs

2. 31,6 nm e 100 nm. Quanto maior a força iônica, menor o tamanho da dupla camada e
menos estável é o sistema coloidal

3. Região que rodeia cada partícula e é muito diferente do resto o líquido, caracterizada
por duas cargas elétricas (totais) opostas.

4. Composta por duas partes: uma superfície carregada (camada fixa) e um meio em que
se distribuem, de maneira difusa, co-íons e contra-íons (camada difusa)

5. Facilidade com que a solução é desestabilizada e forma duas fases

6. Quando um sistema é estável termodinamicamente, caso deixemos o sistema não


perturbado por tempo indefinido, ele manterá todos seus parâmetros termodinâmicos
constantes, o que implica que não formará duas fases, como sóis liofílicos (ex: amido
em água) . Por outo lado, quando um sistema somente é estável cineticamente, ele
separará fases depois de certo tempo. (ex: negro de fumo).

7. Segundo a teoria DLVO, quando as forças atrativas de van der Waals somadas às forças
coulombicas repulsivas geradas pelas duplas camadas é positiva, há união das
partículas. Em especial, se um sistema coloidal tem estabilidade intermediária (vide
gráfico abaixo), há um mínimo secundário de energia. Quando esse vale de energia é
atingido, há floculação.
8. Caso o somatório das forças seja ainda mais positivo, as partículas se unem mais, vão
para um vale de energia menor, um mínimo primário. Ai acontece a coagulação.

9. Gráfico

10. As forças repulsivas se tornam menores, pois há interação de parte das cargas que
formavam a dupla camada com os novos íons

11. É o potencial elétrico superficial no plano de cisalhamento. Plano de cisalhamento é o


valor do raio da esfera que circunda a molécula em que as cargas que estão dentro se
movem com a mesma velocidade da partícula.
Pensando em uma superfície que circunda a partícula em que, dentro dela os íons se
movem com a mesma veloidade da partícula e ,sdasdasd, essa superfície é a superfície
de cisalhamento, pot

12. pH, eletrólito, concentração, tensoativo, polieletrólito


13. com a diluição, há mudança na força iônica e no ph, o que causa mudança no potencial
zeta. Além disso, há mudança na viscosidade, diminuindo-a, o que faz com que as
partículas possam se mover mais facilmente, contribuindo para a desestabilização
conética do coloide

14. van der Waals

15. força iônica, pH, temperatura, choque térmico

16. Aplica-se uma ddp, a partícula se move em direção ao polo de carga oposta. No início
há resistência devido à viscosidade do meio, mas em algum momento o equilíbrio
entre forças eletrostáticas atrativas e resistência ao fluxo é atingido e a mobilidade
eletroforética passa a ser constante.

Eletroacústica: AC é aplicado, há formação de onda sonora, quanto maior zeta, mais


rápido é o movimento das partículas e mais intenso é o som