Você está na página 1de 142

ÍNDICE

1. INTRODUÇÃO ....................................................................................................................... 3
2. CONDIÇÕES GERAIS DO CURSO ......................................................................................... 4
2.1. Proveniência dos candidatos ................................................................................................ 4
3. DURAÇÃO DO CURSO ........................................................................................................ 5
3.1. Tabela de carga horária ........................................................................................................ 5
3. 2. Organização do curso.......................................................................................................... 5
3.3. Direcção do curso ................................................................................................................ 6
3.4. Docentes do curso ................................................................................................................ 6
4. MÉTODOS E TÉCNICAS DE ENSINO/APRENDIZAGEM ............................................... 7
4.1. No presente currículo o ensino ocorre nos seguintes moldes: ............................................. 8
4.1.1. Aulas teóricas (na sala de aulas) ................................................................................... 8
4.1.2. Aulas práticas (no Laboratório humanístico, multidisciplinar e sala de informática) .. 8
5. ESTÁGIOS ................................................................................................................................. 9
5.1. Estágios Parciais .................................................................................................................. 9
5.2. Seminários de discussão de estágio ..................................................................................... 9
5.3. Estágio rural integrado e seminário pós-estágio rural.......................................................... 9
6. DISCIPLINAS DO CURSO ................................................................................................. 10
7. AVALIAÇÃO ....................................................................................................................... 10
8. CERTIFICAÇÃO ................................................................................................................. 11
9. PERFIL PROFISSIONAL DO TÉCNICO DE MEDICINA PREVENTIVA E
SANEAMENTO DO MEIO ......................................................................................................... 12
ATITUDE (saber ser e saber estar).............................................................................................. 12
CONHECIMENTOS ............................................................................................................... 13
ÁREA: Gestão, planificação, avaliação e formação ..................................................................... 13
HABILIDADES ....................................................................................................................... 14
CONHECIMENTOS ............................................................................................................... 16
ÁREA: Prevenção e monitoria de risco a grupos específicos....................................................... 16
HABILIDADES ....................................................................................................................... 17
CONHECIMENTOS .................................................................................................................... 19
HABILIDADES ............................................................................................................................ 19
ÁREA: Promoção da saúde .......................................................................................................... 19
10. CRONOGRAMAS ............................................................................................................ 21
11. MÓDULOS E PLANOS TEMÁTICOS ............................................................................ 26
12. INTEGRAÇÃO E ORIENTAÇÕES GERAIS .................................................................. 28
13. INFORMÁTICA ................................................................................................................ 33
14. METODOLOGIA DE INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA .................................................. 36
15. ANTROPOLOGIA CULTURAL ...................................................................................... 41
16. ÉTICA E DEONTOLOGIA PROFISSIONAL ................................................................. 44
17. LEGISLAÇÃO DA FUNÇÃO PÚBLICA E POLITICA NACIONAL DE SAÚDE ....... 47
18. ESTATÍSTICA SANITÁRIA E DEMOGRAFIA............................................................. 52
19. DISCIPLINA DE PSICOLOGIA DE DESENVOLVIMENTO ....................................... 57
20. DISCIPLINA DE ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA .......................................... 59
21. DISCIPLINA DE NOÇÕES BÁSICAS DE PATOLOGIA E IMUNOLOGIA ............... 61
22. DISCIPLINA DE NUTRIÇÃO ......................................................................................... 64
23. DISCIPLINA DE MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA ......................................... 69
24. PRIMEIROS SOCORROS E NOÇÕES BÁSICAS DE FUNDAMENTOS DE
ENFERMAGEM........................................................................................................................... 74
25. MEDICAMENTOS ESSENCIAIS .................................................................................... 78
26. RECONHECIMENTO DA ÁREA DE SAÚDE ............................................................... 81
27. PLANIFICAÇÃO E GESTÃO .......................................................................................... 86
28. ENVOLVIMENTO COMUNITÁRIO E EDUCAÇÃO PARA SAÚDE I ....................... 91
29. EPIDEMIOLOGIA ............................................................................................................ 96
30. DISCIPLINA DE HIGIENE AMBIENTAL I ................................................................. 101
31. PROGRAMA ALARGADO DE VACINAÇÃO - I ....................................................... 108
32. ENVOLVIMENTOCOMUNITÁRIO E EDUCAÇÃO PARA SAÚDE II ..................... 113
33. HIGIENE AMBIENTAL II ............................................................................................. 117
34. DISCIPLINA DE PROGRAMA ALARGADO DE VACINAÇÃO II ........................... 120
35. CONTROLO DE DOENÇAS ......................................................................................... 124
36. SAÚDE MATERNA INFANTIL E PLANEAMENTO FAMILIAR ............................. 129
37. SAÚDE ESCOLAR ......................................................................................................... 132
38. METODOLOGIAS DE ENSINO .................................................................................... 135
39. SAÚDE OCUPACIONAL............................................................................................... 139

2
1. INTRODUÇÃO
Um dos desafios da Direcção de Recursos Humanos do MISAU está na necessidade de
formação das carreiras específicas como resposta às exigências de prestação de cuidados de
saúde cada vez mais abragentes e de qualidade. Nesta conformidade estão em curso reformas
curriculares dos diferentes currícula de forma a doptá-los de conteúdos mais contextualizados
às mudanças epidemiológicas, técnico-científicas, assim como a novas estratégias de ensino-
aprendizagem direccionadas a aquisição de competências profissionais essenciais para
responder as necessidades do Sistema Nacional de Saúde.

O desenvolvimento de competências apresenta-se como uma nova perspectiva para a


formação dos profissionais de saúde, não só por incentivar a reflexão crítica, como
também por ser capaz de responder às exigências impostas pelo actual cenário de
mudanças sociais.

O método utilizado para a identificação e definição das competências laborais para o


Técnico de Medicina Preventiva e Saneamento do Meio (TMPSM) foi identificar, a partir
de pequenos grupos de trabalhadores peritos ou experientes, as tarefas que devem ser
realizadas em cada posto de trabalho ou em uma área ocupacional.

O trabalho do TMPSM exige que a formação inicial favoreça o desenvolvimento de


habilidades e competências para realizar um diagnóstico situacional das condições de
vida e de saúde dos grupos sociais de um dado território, assim como planificar
intervenções em saúde capazes de enfrentar os determinantes do processo saúde-
doença, prestar assistência e desenvolver acções educativas estimulando a
responsabilização pela sua própria saúde.

O exercício das actividades do TMPSM evidencia um perfil profissional que concentra


actividades na promoção da saúde, seja pela prevenção de doenças, ou pela
mobilização de recursos e práticas sociais de promoção de saúde ou mesmo pela
orientação de indivíduos, grupos e populações e acompanhamento de famílias.

3
A partir desta análise e considerando as singularidades e especificidades do trabalho
do TMPSM, foram desenhadas as competências que compõem o perfil profissional
deste trabalhador.

Na elaboração deste documento, onde estiveram envolvidos técnicos do Departamento


de Formação, os gestores dos programas de saúde pública do nível central e técnicos
de medicina preventiva em exercício de diferentes níveis de atenção, foi possível
delinear um perfil de competências para os trabalhadores de nível técnico de medicina
preventiva, levando-se em consideração as experiências concretas dos sujeitos, seus
saberes formais já adquiridos, os saberes informais advindos da sua inserção na
sociedade, da sua cultura, assim como dos saberes acumulados nas actividades de
trabalho.

Espera-se que este novo perfil contribua para a planificação curricular da formação
técnica do técnico de medicina preventiva e consequentemente com a reorganização
das práticas desses profissionais no seu campo de actuação.

Com o presente currículo pretende-se formar técnicos de nível médio da carreira de


profissionais de Medicina Preventiva e Saneamento do Meio (TMPSM).

O TMPSM é um profissional de saúde com formação prevalente na área de saúde


pública. É sua actividade primordial prevenir a doença por via de promoção de boas
práticas de higiene e saneamento do meio, actividades que serão desempenhadas em
unidades sanitárias e comunidades e em estreita coordenação com outros profissionais
de saúde como Enfermeiras de Saúde Materna e Infantil

2. CONDIÇÕES GERAIS DO CURSO


2.1. Proveniência dos candidatos
Os candidatos ao curso são indivíduos com habilitações mínimas de 10 classe do
Ensino geral ou equivalente, não estando por isso vedado a ingresso a candidatos que
possuam habilitações literárias mais elevadas, idade compreendida entre 17 a 30 anos,

4
seleccionados por meio de exames de admissão de acordo com as quotas províncias e
o processo de selecção obedecerá as normas vigentes no Ministério de Saúde,
Direcção de Recursos Humanos, Departamento de Formação.

3. DURAÇÃO DO CURSO
O curso terá a duração de dois anos estruturados em 4 semestres com a duração de
22 semanas cada semestre, o equivalente a um total de 88 semanas. O ensino
consistirá em aulas teóricas práticas, aulas no laboratório humanístico, estágios e
sessões de discussão de estágio. Cada semestre dispõe de horas destinadas a
estágios parciais, sendo o último semestre reservado ao estágio rural integrado, para a
consolidação dos conhecimentos teórico-práticos adquiridos durante a fase
instrucional.

Para cada semana lectiva estão previstas 35 horas de aulas, 25 horas para o estágio
parcial e 10 horas para discussão de casos observados durante o estágio.

3.1. Tabela de carga horária


Semestre Aulas Teórico-práticas Estágio Total
I 654 105 759
II 604 240 844
III 505 245 750
IV 105 560 665
Total 1868 1150 3018
Percentagem 62% 38% 100%

3. 2. Organização do curso
Este currículo é baseado em competências previamente definidas pelo perfil
profissional do Técnico de Medicina Preventiva e Saneamento do Meio. Tal implica que
os tópicos incluídos em cada disciplina foram seleccionados e priorizados a partir das

5
tarefas profissionais do TMPSM com maior enforque na aquisição de competências
para a promoção de saúde e também para a administração e gestão.

Os temas e conteúdos do currículo são definidos por objectivos de aprendizagem que


referem aos conhecimentos, atitudes e habilidades técnicas (psicomotores) que os
alunos precisam adquirir para o alcance das competências preconizadas.

Para facilitar a transmissão do conteúdo, o processo de ensino está organizado de


forma a aproximar a sequência em que será aplicado na prática. As disciplinas estão
organizadas por módulos e por áreas especializadas.

3.3. Direcção do curso


A direcção do curso deve ser assegurada por:
 Técnico Superior ou mestre em Saúde pública
 Técnico de Medicina Preventiva Especializado em ensino;
 Técnico de Medicina Preventiva

3.4. Docentes do curso


Exercem actividades de ensino neste curso, profissionais qualificados de nível superior
de saúde e médio especializado. O leccionamento das aulas tem implicações
diferentes em termos de organização de aulas e docentes. Porém, alguns aspectos são
comuns entre elas: aulas teóricas-práticas devem ter uma duração de mínima de 2
horas lectivas e as aulas práticas no laboratório humanístico tem duração que pode
variar de 5 a 8 horas lectivas.

As disciplinas clássicas estão organizadas de maneira que um docente seja capaz de


realizar todas as tarefas ligadas ao ensino da disciplina, por tanto, este sistema não
difere do ensino tradicional utilizado em ouros cursos.

As multidisciplinares ministradas de forma linear podem ser leccionadas por um ou


mais docentes, dependendo do domínio necessário para leccionar os diferentes
6
tópicos. No caso de ser leccionado por um grupo de docentes, um membro do grupo
deve ser designado coordenador. Este, além de leccionar, será responsável por
introduzir o curso, programar a distribuição dos tópicos entre os outros docentes e
outras tarefas ligadas a implementação da disciplina.

As multidisciplinares sequenciais, leccionadas em tempo integral devem ser


leccionadas por um grupo de docentes. O correcto é que cada docente leccione um
máximo de duas horas lectivas por dia para evitar o cansaço do aluno.

A semelhança do anterior, aqui também um membro do grupo deve ser designado


coordenador da disciplina que para além de leccionar será responsável por introduzir a
disciplina, programar e distribuir os tópicos pelo diferente membro do grupo e outras
tarefas relacionadas com a implementação da disciplina.

Também é importante que além de leccionar as disciplinas os docentes estejam


disponíveis para facilitar as discussões de estágio, que acontecerão no período da
tarde após cada dia do estágio parcial.

4. MÉTODOS E TÉCNICAS DE ENSINO/APRENDIZAGEM


A selecção dos métodos de ensino será baseada nos objectivos de aprendizagem,
especificamente pelo domínio dos objectivos a nível psicomotor, cognitivo e afectivos.
De uma forma geral o ensino devera basear-se no método expositivo-participativo
recorrendo as seguintes estratégias:
Palestras/debates
Exercícios individuais ou em grupo
Estudo de caso
Discussão de caso
Simulação
Demonstração
Dramatização

7
4.1. No presente currículo o ensino ocorre nos seguintes moldes:
4.1.1. Aulas teóricas (na sala de aulas)
As aulas têm como princípio o alcance dos objectivos de aprendizagens cognitivas e
afectivas. Neste ambiente de aprendizagem é importante que o docente empregue uma
variedade de metodologias de ensino como expositivos e participativos para assegurar
a aprendizagem de alunos com diferentes estilos de aprendizagem.

4.1.2. Aulas práticas (no Laboratório humanístico, multidisciplinar e sala de


informática)
As aulas realizadas no laboratório humanístico têm como princípio o alcance de
objectivos de aprendizagem psicomotores. Durante as aulas os alunos aprendem a
executar técnicas e procedimentos. Como por exemplo técnicas de enfermagem, saúde
materna e infantil entre outros. Já o laboratório multidisciplinar serve principalmente
para aprendizagem de técnicas de preparação de análises de espécimen e execução
de meios auxiliares diagnósticos.
Alguns princípios fundamentais do laboratório humanístico são:
 Os alunos observam e praticam técnicas e procedimentos com manequim e/ou
com colegas da turma, sob supervisão de docentes;
 Os alunos devem demonstrar um nível de competência pré-determinado, na
execução de técnicas e procedimentos antes de serem permitidos a executar
tais procedimentos em pacientes reais durante o estágio;
 As técnicas e procedimentos são praticados usando material e equipamentos
semelhantes ao utilizado no contexto real do trabalho do TMPSM;
 Durante as aulas todos os alunos devem ter oportunidade de praticar as
técnicas e receber retro-informação do docente;
 O objectivo destas aulas é que os alunos aprendam a conhecer bem o
considerado “normal” ou seja sinais de um corpo saudável e o “anormal” sinais
de patologia por isso a prática com pessoas saudáveis é tão importante quanto
a com pacientes.

8
5. ESTÁGIOS
5.1. Estágios Parciais
Os estágios parciais são importantes para o alcance do domínio das competências
(tarefas profissionais) aprendidas durante as aulas teórico-práticas ao longo do
semestre.

Neste contexto de aprendizagem será privilegiada a demonstrarão como a melhor


metodologia de ensino-apredizagem acompanhada de explicação observação e
retroinformação aos alunos por meio de perguntas dirigidas, resolução de problemas
estudo de casos.

5.2. Seminários de discussão de estágio


O seminário de discussão de estágio é o momento em que o docente e o aluno tem
para discutir o que foi observado/praticado durante o estágio, esclarecer dúvidas,
apresentar e discutir casos observados para os colegas e o docente. Este momento é
importante, pois, muitas vezes no ambiente onde ocorre o estágio não existe
oportunidade para que os alunos esclareçam todas as suas dúvidas, devido ao fluxo de
utentes entre outras restrições.

5.3. Estágio rural integrado e seminário pós-estágio rural


O estágio rural é o momento em que o TMPSM irá colocar em prática todos os
conhecimentos e competências adquiridas durante a sua formação, e adaptá-las aos
constrangimentos do contexto real em que irão trabalhar. O seminário pós estágio rural
é importante para que os futuros profissionais possam esclarecer dúvidas sobre os
desafios encontrados durante o estágio junto aos docentes e colegas, partilhando
informações a cerca dos desafios, ideias, e experiências, promovendo a troca de
experiências e iniciativa para a solução de problemas pelos próprios TMPSM e
adaptados ao contexto real do seu trabalho.

9
6. DISCIPLINAS DO CURSO
O primeiro semestre está dedicado a aprendizagem de princípios e técnicas básicas.
Para esse fim, está organizado por disciplinas temáticas introdutórias e disciplinas
dedicadas a aquisição de competências em técnicas profissionais.

Disciplinas Disciplina Nucleares Disciplinas Não


Introdutórias Nucleares
Integração e Estatística Sanitária e Noções Básicas de
Orientações Gerais Demografia Patologia Imunologia
Metodologia de Nutrição Psicologia de
Investigação Científica Desenvolvimento
Tecnologias de Planificação e Gestão Microbiologia e
Informação e Parasitologia
Comunicação
Ética e Deontologia Envolvimento e Noções Básicas de
Profissional Educação para Saúde Fundamentos de
Enfermagem
Legislação da Função Epidemiologia Noções Básicas de
Pública E Politica Fundamentos de
Nacional De Saúde Enfermagem
Anatomia e Fisiologia Higiene Ambiental Medicamentos Essenciais
Humana
Reconhecimento da
Área de Saúde
PAV Saúde Escolar
Controle de Doenças Metodologias de Ensino
Saúde Materno Infantil Microbiologia/
Parasitologia
Saúde Ocupacional

7. AVALIAÇÃO
Durante a formação, o aluno será submetido ao Regulamento Geral de Ingresso e
Avaliação em uso nas Instituições de Formação em Saúde do MISAU.

Toda a avaliação seja formativa ou sumativa, será baseada em medição dos objectivos
de aprendizagem e das competências descritas em cada módulo/disciplina. As

10
avaliações finais irão avaliar os alunos em um padrão mínimo de competências
necessárias para trabalhar como TMPSM, para o Serviço Nacional de Saúde. Os
alunos que não atingirem o nível das competências mínimas desejada não serão
certificados até que as alcancem.

Cada plano temático apresenta uma secção descrevendo detalhadamente a avaliação


apropriada para a disciplina. Em geral, as avaliações formativas teóricas e práticas
incluem o seguinte:
 Uma avaliação teórica no fim de cada 20 horas lectivas ou menos
 Para cada disciplina com aulas nos laboratórios humanístico,
multidisciplinar ou de informática uma avaliação prática no laboratório em
questão
 Um exame escrito no final da 22ª semana do semestre
 Uma avaliação pratica com pacientes para as disciplinas que se aplica na
última semana do estágio
 Uma apresentação pelo aluno de pelo menos um caso observado no
estágio
 Um exame final (teórico prático) no fim do curso, avaliando o alcance das
competências do curso completo

8. CERTIFICAÇÃO
A emissão do Certificado de habilitações técnico-profissionais para os graduados deste
curso será passado pela Direcção da Instituição de formação respectiva e de
habilitações académicas pelo Ministério da Educação depois do parecer da Direcção
de Recursos Humanos/Departamento de Formação.

11
9. PERFIL PROFISSIONAL DO TÉCNICO DE MEDICINA
PREVENTIVA E SANEAMENTO DO MEIO
Descrição das Competências profissionais do Técnico de medicina Preventiva

Na elaboração deste perfil, o conceito de competência é entendido como o conjunto de


conhecimentos, habilidades e atitudes no processo de formação profissional.

ATITUDE (saber ser e saber estar)

O saber ser e saber estar é considerado transversal a todas


as competências e se expressa por capacidade de crítica,
reflexão e mudança activa em si mesmo e nas suas práticas.

 É organizado, asseado e apresenta-se bem aprumado.


 Respeita a equidade de gênero e diferenças sociais.
 Respeita as semelhanças na diferença.
 Combate a estigmatização e a discriminação
 Valorizar a cultura, desporto e relaciona-as à saúde.
 Demonstra uma atitude positiva no relacionamento com utentes e com a
comunidade em geral.
 Lida com a comunidade de forma humilde, aberta e respeitosa.
 Respeita os direitos do utente.
 Respeita as diferenças culturais no atendimento dos utentes.
 Integra os conhecimentos sobre as crenças e práticas tradicionais para a
prestação de cuidados de saúde efectiva dos utentes e da comunidade.
 Compreende os conceitos dos direitos humanos, atenção humanizada e sua
relação com a qualidade do atendimento e co-participação do utente/família.
 Colabora com outros profissionais do sector de saúde e de outras áreas em
casos de emergência, desastres e calamidades naturais.
12
ÁREA: Gestão, planificação, avaliação e formação

Realiza em conjunto com a equipa, actividades de gestão das


políticas públicas de saCONHECIMENTOS
úde, planificação e avaliação das
acções de saúde no âmbito Distrital, Provincial e Nacional.
Realiza actividades de formação.

CONHECIMENTOS
 Planifica e implementa os cuidados de saúde primários
 Planifica e implementa acções de saneamento do meio
 Compreende os elementos do Sistema Nacional de Saúde
 Compreende a estrutura, organização e hierarquia dos diferentes órgãos do
Sistema Nacional de Saúde.
 Conhece o Estatuto Geral dos Funcionários e Agentes do Aparelho do Estado.
 Conhece o sistema de formação para saúde no País.
 Explica a evolução histórica do sistema nacional de saúde em Moçambique.
 Conhece a dimensão, distribuição e composição da população da sua área de
saúde.
 Conhece as formas de apresentação e interpretação de dados.
 Conhece as funções e responsabilidades de cada um dos níveis de atenção,
identificando os tipos de unidades sanitárias correspondente.
 Compreende a influencia determinantes da saúde no processo de saúde e
doença.
 Compreende o papel dos Praticantes de Medicina Tradicional na advocacia
nas comunidades em relação as doenças endêmicas e hábitos e costumes.
 Reconhecer o papel das comunidades na promoção de saúde e prevenção de
doenças.

13
HABILIDADES

 Traduz os indicadores e metas nacionais (programas do governo) em metas


aplicáveis ao nível local
 Identifica as metas, objectivos e indicadores do desenvolvimento do Milênio.
 Desenha um protocolo de investigação, implementa e elabora o relatório final.
 Utiliza os programas informáticos Word, Power point, Excel e Internet e correio
electrônico.
 Faz o cálculo de estimativas de grupos alvos prioritários.
 Interpreta os elementos básicos sobre indicadores de saúde.
 Faz a descrição física: divisão administrativa, rede sanitária, escolar, comercial,
industrial, infraestrutural de acção social, aspectos sócio-culturais, volume de
actividades de saúde e os utiliza para fazer um diagnóstico da comunidade,
propondo acções para melhorar o estado de saúde.
 Calcula os dados sobre: grupos alvos por faixas etárias, número de alunos em
diferentes níveis, número de trabalhadores por ramos de actividades.
 Implementa o Estatuto Geral de Funcionários e Agentes do Estado.
 Faz planificação de recursos e regista: Recursos humanos, tempo, financeiro,
equipamento.
 Faz propostas de orçamento e gere as receitas provenientes de diferentes
actividades.
 Faz Supervisão, Monitoria e Avaliação dos serviços de saúde de modo a
identificar possíveis necessidades de formação e motivação do pessoal bem
como a adequação e correção das actividades.
 Envolve a comunidade na identificação dos problemas de saúde orientados aos
principais determinantes de saúde e apoia a comunidade no desenho de
estratégias de solução com base nos recursos localmente disponíveis.
 Realiza actividades de educação para a saúde orientada para diversos grupos
alvo.
 Identifica e reconhece as estruturas comunitárias para cooperação nos
programas de saúde.

14
 Envolve outros sectores de actividades na solução dos problemas de saúde
identificados na comunidade.
 Planifica e implementa actividades de brigadas móveis.
 Faz supervisão, monitoria das actividades do PAV.
 Faz avaliação das actividades do PAV (Inquérito à saída, de 75 casas e segundo
outras metodologias da OMS).
 Realiza inspecções sanitárias.
 Aplica a legislação sanitária.
 Emite pareceres sanitários.
 Planifica e gere programas de higiene ambiental.
 Utiliza os instrumentos e normas para o controlo de qualidade e tratamento de
dados de saúde.
 Utiliza os indicadores de: prestação de cuidados de saúde, utilização de serviços
de saúde e globais do estado de saúde para tomar decisões orientadas na
solução de problemas na sua área.
 Colabora na planificação e gestão das actividades de SMI-PF.
 Elabora, analisa e envia os Boletins Epidemiológicos Semanais.
 Elabora e utiliza o canal endêmico da sua área de saúde para interpretar
problemas de saúde.
 Elabora e apresenta dados estatísticos e faz a interpretação epidemiológica.
 Aplica medidas de combate aos focos de doenças.
 Supervisiona o uso de fármacos pelos APE e assegura que as fichas de resumo
mensal sejam endereçadas a NEP distrital ou provincial.
 Colabora com o responsável provincial ou distrital nos programas de Parteira
Tradicional (PTs) o número de kits necessário em função do pessoal treinado e
a frequência durante o ano.
 Coordena com o responsável provincial ou distrital de Agentes Polivalentes
Elementares (APEs) o número de kits necessário em função do pessoal treinado
e a frequência durante o ano.
 Participa/contribui no desenvolvimento e implementação de estratégias para o
controle de ITSs/HIV/SIDA.

15
 Participa/contribui no desenvolvimento e implementação de estratégias para o
controle de doenças não transmissíveis: hipertensão arterial, diabetes, asma,
acidentes e trauma, cancro de mama e do colo.
 Utiliza os indicadores para monitoria das actividades de saúde escolar.
 Colabora em algum programa especial destinado ao adolescente
 Participa como supervisor de estágio.
 Participa como docente eventual nas IdF’s.
 Organiza e facilita sessões de Formação contínua.

ÁREA: Prevenção e monitoria de risco a grupos


específicos
Desenvolver açcões de prevenção e monitoria dirigidos a
grupos específicos e a doenças prevalentes , bem como à
situações de risco para a população.

CONHECIMENTOS

 Conhece o papel de Técnico de Medicina Preventiva na prevenção das


doenças.
 Conhece os princípios éticos e deontológicos na prática profissional.
 Conhece as diferentes fases da história natural da doença.
 Conhece os factores que influenciam no desenvolvimento humano.
 Compreende os conceitos dos direitos humanos, atenção humanizada e sua
relação com a qualidade do atendimento e co-participação do utente/família.
 Conhece os fenômenos fisiológicos normais do corpo humano.
 Conhece a diversidade dos microrganismos, parasitas e sua distribuição na
natureza.
 Conhece o sistema imunitário e o seu funcionamento no organismo

16
 Conhece e identifica as reacções do organismo humano às agressões
externas.
 Conhece as alterações tissulares, orgânicas e as repercussões funcionais de
algumas patologias.
 Conhece as vias de administração de medicamentos e vacinas (oral,
intradérmica, subcutânea, intramuscular).
 Conhece e compreende a influencia dos determinantes de saúde no processo
de saúde e doença.
 Conhece o sistema de vigilância nutricional.
 Conhece os níveis de administração dos fármacos.
 Conhece os objectivos do PAV e importância de vacinação na prevenção das
doenças.
 Conhece os princípios básicos de gestão do PAV.
 Conhece as etapas do desenvolvimento da gravidez normal até ao parto.
 Conhece as complicações mais frequentes do parto e da puérpera.
 Conhece as características do desenvolvimento físico motor normal criança de
0-5 anos e maiores de idade.

HABILIDADES

 Identifica eventuais alterações fisiológicas do corpo humano.


 Identifica as fases do desenvolvimento humano.
 Aplica os princípios e métodos de estudo em epidemiologia
 Implementa a vigilância epidemiológica para o controle de problema de saúde.
 Identifica os principais problemas nutricionais da área de saúde e propõe
acções de intervenção.
 Apoia na implementação do sistema de vigilância nutricional.
 Implementa estratégias de controlo de doenças preveníveis por vacinas.
 Calcula os grupos alvo do PAV de acordo com os indicadores.

17
 Demonstra os conhecimentos de anatomia necessários para a delimitação da
zona de inoculação da vacina.
 Executa correctamente actividades de vacinação.
 Faz gestão adequada de cadeia de frio (desde o nível central ao consumidor).
 Faz manutenção do equipamento de conservação de vacinas (geleira a
petróleo, a gás, solar e eléctrica, etc.).
 Aplica métodos gerais de combate as doenças transmissíveis e não
transmissíveis.
 Implementa estratégias de controlo de doenças transmissíveis e não
transmissíveis, endêmica e epidêmica.
 Implementa estratégias de controlo de artrópodes, roedores e outros vectores.
 Aplica medidas de combate aos focos de doenças.
 Executa correctamente a técnica de recolha, acondicionamento, transporte de
espécimes (incluindo zaragatoa).
 Faz a inspeção de estabelecimentos comerciais e indústrias que manipulam
alimentos e aplica a legislação em vigor.
 Envolve a comunidade na identificação de recursos e problemas de saúde
orientados aos principais determinantes de saúde.
 Apoia a comunidade no desenho e implementação de estratégias de solução
de problemas com base nos recursos localmente disponíveis.
 Faz o Diagnóstico Comunitário participativo.
 Participa nas campanhas de saúde escolar e do adolescente.
 Faz o despiste das doenças e problemas mais frequentes nos alunos.
 Identifica sinais de risco obstétrico e refere os casos com problemas.
 Aplica os primeiros socorros para: picada de abelhas, vespas, mordeduras de
animais incluindo cobra, perfurações e lacerações por várias causas, choque
eléctrico, afogamentos, envenenamento e intoxicações usando o kit de
primeiros socorros.
 Avalia, interpreta e regista correctamente os sinais vitais, peso e altura.
 Administra medicamentos de alívio a dor e febre (Paracetamol e Ácido Acetil
Salicílico).

18
ÁREA: Promoção da saúde

Desenvolver, em equipa, acções de promoção da saúde


visando à melhoria da qualidade de vida da população.

CONHECIMENTOS

 Conhece o papel de Técnico de Medicina Preventiva e Saneamento do Meio


na promoção de saúde.
 Conhece os princípios, valores, crenças e práticas da comunidade e usa-os
para adequar as mensagens educativas e promover as boas práticas de
saúde.

HABILIDADES

 Aplica as técnicas eficazes de comunicação e do relacionamento interpessoal,


na equipa e na comunidade.
 Desenvolve relações de parceria para aprendizagem mútua com grupos
comunitários (ACSs e PMTs), outras organizações sociais e implementa
estratégias localmente definidas na solução de problemas de saúde
identificados.
 Promove encontros com outros sectores de actividades na solução dos
problemas de saúde identificados na comunidade.
 Promove a observância de boas práticas alimentares e nutricionais na
comunidade.

19
 Promove a participação da comunidade na solução dos problemas com
recursos e oportunidades existentes para o benefício e empoderamento da
mesma.
 Promove equidade de gênero nas actividades de saúde comunitária.
 Promove a participação em actividades básicas de saneamento do meio na
sua área de saúde (na unidade sanitária e na comunidade).
 Divulga a importância da Estabulação de animais.
 Promove a divulgação de problemas sanitários resultantes da existência de
animais à solta e descontrolados (ex: raiva).
 Promove a deposição adequada de dejectos Humanos.
 Promove a gestão correcta de lixo.
 Promove o tratamento da água para o consumo humano.
 Promove hábitos alimentares adequados incluindo a importância do
aleitamento materno para o indivíduo e grupos populacionais.
 Sensibiliza as mulheres grávidas para aderirem aos serviços de saúde
materna e infantil.
 Aconselha sobre a importância do acompanhamento pós-parto.
 Promove educação para saúde sobre os problemas mais frequentes na
adolescência.
 Promove acções de vacinação nas escolas e na comunidade.

20
10. CRONOGRAMAS

21
Horas

9
8
7
6
5
4
3
2
1

35
34
33
32
31
30
29
28
27
26
25
24
23
22
21
20
19
18
17
16
15
14
13
12
11
10
1
Integração e Orientações Gerais I 35 h /sem X 2 sem = 70 horas
I Semestre

2 3

Metodologia de Investigação Científica 35h/Sem X 1 Sem = 35 h


Antropologia Cultural 13 h /Sem X Tecnologias de Informação e Comunicação 22 h/ sem X 2
4 5

2 Sem =26 horas Sem = 44 horas


6

Ética e Deontologia Profissional 30 h/Sem X 2 Sem = 60 horas Antropologi


7

a Cultural*
8

Estatística Sanitária e Legislação da Função Pública E Politica Nacional De Saúde 24 h


9

Demografia 11h/ Sem X3 /Sem X 3 Sem


Sem =33horas
10
11

Psicologia de Desenvolvimento 13
h/Sem X 3 Sem = 39 horas Estatística Sanitária e Demografia 22h/ Sem X3 Sem =66horas
12
Semanas
13
14

Noções Básicas Psicologia de

h/Sem X 2 Sem = 24horas; ***** 12h/Sem X 1 Sem=12horas


de Patologia Anatomia e Fisiologia Humana 22h/Sem X 2 Sem = 44 Desenvolvime
15

Imunologia *** nto **


16

Microbiologia/ Nutrição 18h/Sem X 2 Sem =36 horas Noções Básicas de Patologia


Parasitologia Imunologia 11h/ Sem X 2
17

**** Sem = 22horas


18

Noções Básicas de Fundamentos de Enfermagem 24h/Sem X 1 Microbiologia e Parasitologia


Sem=24horas 11 h/Sem X 1 Sem = 11horas
19

Noções Básicas de Fundamentos


de Enfermagem *****

*5 h/ Sem X 2 Sem = 20 h; **6 h/Sem X 2 Sem = 12 h; ***7h/ Sem X 2 Sem = 14 h; ****12


20

Estágio de Microbiologia

22
parasitologia (35horas), Noções
21

básicas de Enfermagem
22

(35horas) e Nutrição
(35horas)Total 105 h
Horas

9
8
7
6
5
4
3
2
1

35
34
33
32
31
30
29
28
27
26
25
24
23
22
21
20
19
18
17
16
15
14
13
12
11
10
1
Reconhecimento da Área de Saúde 20h/Sem X 2 Sem = Medicamentos Essenciais 15 h /sem X
II Semestre

40horas 2sem = 30 horas


3

Planificação e Gestão 33h/Sem X 2 Sem =66 Sem


4
5
6

Epidemiologia 11h/Sem X 5 Envolvimento e educação para saúde I 24h/Sem X 5Sem = 120horas


7

Sem=55horas
8
9
10

Higiene Ambiental I 14h/Sem X 3


11

Sem =42 horas Epidemiologia 21h/Sem X 3 Sem=63horas


12
Semanas
13
14
15

PAV I 14 h/ Sem X 5 Sem = 70 horas Higiene Ambiental I 21h/ Sem X 5 Sem = 118horas
16
17
18
19

Estágio de Medicamentos Essenciais (15 horas); RAS (15 horas); Epidemiologia (35 horas); Higiene
20

Ambiental I (35 horas); Envolvimento Comunitário I (70 horas) e PAV I (70 horas) Total de Horas
do Estágio 240h
21
22

23
Horas

9
8
7
6
5
4
3
2
1

35
34
33
32
31
30
29
28
27
26
25
24
23
22
21
20
19
18
17
16
15
14
13
12
11
10
1
2
Higiene Ambiental II 15/Sem X 4 Sem = 60 horas Envolvimento Comunitário II 20 h/Sem X 4Sem = 80 horas
III Semestre

3
4
5 6

Controle de doenças 15/ h/ Sem X 3 Sem = 45 Programa Alargado de Vacinação II 20 horas X 3 Sem = 60 horas
horas
7
8

Saúde Materno Infantil 10 horas


X 3 Sem = 30 horas Controle de doenças 15/ h/ Sem X 3 Sem = 45 horas
9
10

Saúde Materno Infantil 35 horas X 2 sem = 40 Saúde Materno Infantil 35 horas X 2 sem = 40 horas
horas
Semanas
11 12 13

Metodologias de Ensino 20h/Sem X 2Sem = 40=horas Saúde Escolar 15h/Sem X 2 Sem = 30 horas
14

Metodologias de Ensino 20h/Sem X 1 Sem = 35 = horas


15
16
17

Estágio de Envolvimento Comunitário II (35 horas) Higiene Ambiental II (35horas) e PAV,


18

(35 horas), Controle de Doenças (35 horas Saúde Materno Infantil (35 horas) e Planificação
19

Gestão (35 Semanas) e Saúde Escolar (35 horas) Total de Horas do Estágio 245h
20
21
22

24
Horas

9
8
7
6
5
4
3
2
1

35
34
33
32
31
30
29
28
27
26
25
24
23
22
21
20
19
18
17
16
15
14
13
12
11
10
Saúde Ocupacional 35h/Sem X 2 Sem = 70 horas
1
2
IV Semestre

Estágio de Saúde Ocupacional (70 horas)


4
5

Seminário preparatório do estágio rural e integrado (35 horas)


6
7
8
9
10
11

ESTÁGIO RURAL INTEGRADO (35H/Sem X 12 Sem = 420 horas)


12
Semanas
13
14
15
16
17

Elaboração do relatório final do estágio (35 horas)


18

Apresentação do relatório final no local do estágio (35 horas)


19
20

Exames finais
21
22

25
11. MÓDULOS E PLANOS TEMÁTICOS

26
MÓDULOS I SEMESTRE
(Integração e Orientações Gerais; Tecnologias de Informação
Comunicação e Metodologia de Investigação Cientifica; Ciências
Humanas; Ciências Biológicas.)

27
12. INTEGRAÇÃO E ORIENTAÇÕES GERAIS
MÓDULO I

I SEMESTRE

Carga Horária
Aulas Teórico-Práticas Horas por Duração Total de
semana (Semanas) Horas
Aulas teóricas 66
Aulas práticas -
Avaliação teórica 4
Avaliação prática -
Total das horas do módulo 70
Estágio -
Total geral 70

Docentes:
1. TMPSM - Director do Curso
2. TMPSM - Director de Turma TMPSM
3. Docente efectivo do Curso de TMPSM
4. Licenciado/bacharel em língua portuguesa

Conteúdo Temático:
Tópico Conteúdo Objectivos de Aprendizagem Horas
 Apresentar os docentes e 4
pessoal administrativo da
Boas Vindas à Instituição instituição aos alunos
Apresentação dos Docentes e  Conhecer os dormitórios e a sua
Pessoal Administrativo organização
Instituição de Visita de conhecimento da  Demonstrar a forma de utilização
Formação sua Infra-estrutura Física da casa de banho e da
Dormitórios, Serviços lavandaria
Utilização e
Higiénicos e Lavandaria  Conhecer o refeitório sua
conservação
organização e funcionamento
Conhecer a biblioteca sua
organização e funcionamento
 Conhecer o LH sua organização
e funcionamento do
equipamento nele existente
 Reconhecer a importância da
conservação da Infra-estrutura e
Equipamento da IdF

28
Regulamento de Organização  Conhecer os documentos 8
e Funções das Instituições de normativos da IdF: Regulamento
Formação de Organização e Funções das
Regulamento Geral de Instituições de Formação
Regulamento Ingresso e Avaliação das  Regulamento Geral de Ingresso
s e normas da Instituições de Formação e Avaliação das Instituições de
IdF Regulamento Interno da Formação
Instituição  Regulamento Interno da
Documentação individual e Instituição
 Documentação individual e
procedimentos regulares
procedimentos regulares
 Listar os módulos que compõe o 10
Apresentação e distribuição Currículo
do Programa de Formação e  Descrever da forma geral os
material didáctico procedimentos de avaliação da
aprendizagem dos alunos
Localizar livros, artigos e outros
Métodos de Estudo e materiais bibliográficos através
Currículos de Processo de Investigação de buscas na biblioteca e na
formação e Bibliográfica Internet
metodologia Regras básicas para fazer os  Aplicar técnicas de buscas de
de estudos informação em textos, livros,
apontamentos
manuais de referência, atlas,
relatórios entra outros
 Organizar o tempo, planificar
actividades e definir prioridades
 Utilizar procedimentos para
analisar, relacionar, criticar,
sintetizar informação e
conhecimento
 Aplicar a técnicas de tomada de
notas durante a aula e em outras
situações do PEA
 Elaborar e fazer apresentação e
planaria
 Desenvolver estratégias para
maximizar a capacidade de
realizar avaliações.
Auto estima, aprumo e boas  Reconhecer a importância de 2
maneiras elevar a auto-estima e boas
A Metodologia dos 5S como maneiras
Organização filosofia de vida  Demonstrar a técnica de
individual e Lavagem das mãos e outras lavagem das mãos
colectiva actividades básicas  Constituir equipas/grupos de
(turma) trabalho
Designação, funções e  Eleger os responsáveis da turma

29
periodicidade de rotação das  Atribuir funções aos
Equipas e Responsáveis da responsáveis eleitos
Turma

 Definir iniquidade de género, 4


 Descrever os factores
condicionantes e consequências
Conceitos gerais da iniquidade no
Desenvolvimento e desenvolvimento
Género e  Relacionar a iniquidade de
sociedade empoderamento da Mulher
género e a promoção, prevenção
e recuperação da saúde
 Reflectir sobre o género na
sociedade moçambicana
 Relacionar os Direitos Humanos
e igualdade de género
Direitos Sexuais e  Conhecer os direitos sexuais e 4
Reprodutivos reprodutivos
Temas ITS/HIV/SIDA e medidas  Conhecer as ITS/HIV/SIDA e as
básicos sobre preventivas respectivas medidas preventivas
saúde sexual Comportamento Sexual e  Descrever os diferentes
HIV/SIDA comportamentos Sexuais e a sua
relação com as ITS/HIV/SIDA
Avaliação Teórica 2
 Reflectir sobre a importância do 4
Saúde, artes Desenvolvimento Psicofísico, reconhecimento e respeito dos
culturais e Artes Culturais e Desportos valores sócio-culturais dos
desporto utentes
 Explicar a influência do respeito
dos valores sócio-culturais dos
utentes nas actividades do
TMPSM
 Distinguir as característica de 4
comunicação em geral e da
Comunicação interpessoal
comunicação interpessoal
verbal e oral  Descrever os tipos e
características de comunicação
Habilidades
 Descrever a importância da
básicas de comunicação Interpessoal
 Descrever os cuidados que
comunicação
devem ser tomados para uma
comunicação Interpessoal
Efectiva
 Descrever os elementos que
podem ajudar a melhorar a
comunicação

30
 Produzir um discurso escrito sem 6
erros ortográficos, de
concordância e de pontuação
Língua portuguesa e  Estruturar um argumento escrito
empregando correctamente os
expressão escrita
conectores frásicos
 Resumir textos e/ou produzir
fichas de leitura de capítulos de
livros, artigos destacando pontos
chaves
 Produzir correspondências
oficiais para os vários níveis

Perfil e Funções específicas  Definir o perfil do Técnico de 8


do TMPSM na equipa de Medicina Preventiva
saúde e na Promoção de  Conhecer as funções específicas
Saúde do Técnico de Medicina
Preventiva (na Comunidade,
Unidade Sanitária, SDSMAS,
CHA, CEM, posto fronteiriço e
DPS)
 Reconhecer a sua área de saúde
 Reconhecer o seu papel como
educador e promotor de saúde
 Reconhecer o seu papel no
atendimento as populações da
sua área de saúde
 Compreender a necessidade de
trabalhar maior parte do tempo
na comunidade
 Promover actividades de 8
Principais actividades do TMP envolvimento comunitário; no
fora da Unidade Sanitária controlo
 Promover a organização e
implementação de programas de
O Papel do educação para saúde
TMPSM  Identificar os grupos alvos
prioritários para programas de
saúde específicos
 Identificar e estabelecer
parcerias de trabalho com a
comunidade, organizações
sociais e outros
 Coordenar a organização,
implementação e gestão dos
programas de promoção de

31
saúde das doenças diarreicas e
transmissíveis á médio prazo;
 Promover acções das
intervenções na comunidade (na
área saneamento do meio e
promoção de higiene) e na
mudança de comportamento em
relação a hábitos prejudiciais á
saúde
Bases para Atenção  Explicar a importância de um 4
Humanizada atendimento humanizado e a sua
relação com os Direitos
Humanos
 Conhecer as directrizes do Plano
de Acção para a Humanização
dos Cuidados de Saúde de
Moçambique
 Descrever as Normas da
Cortesia
 Conhecer os Direitos e Deveres
dos Utentes
 Explicar a relação que deve
haver entre utente e trabalhador
de saúde para uma atenção
humanizada
Avaliação Teórica 2

Total das Horas 70

Bibliografia:
1. Ministério da Função Pública; Estatuto Geral do Funcionário e Agentes do Estado.
2008.
2. MISAU; Regulamento Geral de Ingresso e Avaliação. 2012
3. MISAU; Normas de cortesia. 2010.
4. MISAU; Manual de Género e Saúde. 2008.
5. DORTIER, Jean-François; Diccionario de Ciências Humanas. Climepsi Editores.
6. ADLER; Comunicação Interpessoal. Guanabara Koogan.
7. FNUAP; Relatório Mundial da População. 2000: Vivendo Juntos em Mundos
Separados.
8. FIDALGO e BASTOS, Saber redigir. Porto editora.
9. FERNANDO, Afonso, LOPES, Esmeralda.. Aprender a dominar a escrita. Texto
Editora.

32
13. INFORMÁTICA
MÓDULO II
TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO COMUNICAÇÃO E METODOLOGIA DE
INVESTIGAÇÃO CIENTIFICA (TIC E MIC)

I SEMESTRE

Carga Horária
Aulas Teórico-Práticas Horas por Duração Total de
semana (Semanas) Horas
Aulas teóricas 2
Aulas práticas 24
Avaliação teórica -
Avaliação prática 10
Total das horas do módulo 35
Estágio -
Total geral 36

Docentes:
Licenciado em informática
Técnico de Informática

No fim da disciplina o aluno demonstra as seguintes competências:


1. Reconhece a importância da informática no exercício da futura profissão
2. Utiliza os programas informáticos Word, Power point, Excel e Internet e correio
electrónico

33
Conteúdo Temático:
Tópico Conteúdo Objectivos de Aprendizagem Horas
Introdução: computador,  Descrever os componentes 2
Introdução à periféricos, sistemas do computador
Informática operativos:  Caracterizar os pacotes
informáticos
 Ambiente de trabalho (o ABC
do Windows):
a. Operações Básicas no
Windows XP
b. Organização de pastas
ou ficheiros
c. Aceder a um programa
d. Personalizar o ambiente
de trabalho
e. Organização de pastas
ou ficheiros
Processamento de Texto 1. Identificar a barra de 4
Aula Prática (Word) ferramentas e as suas diferentes
componentes
2. Escrever e formatar texto,
3. Configurar página
4. Estruturar, ordenar
documentos
5. Editar e imprimir documento
Aula Prática Processamento de dados 1. Elaborar gráficos. 4
(Excel) 2. A estruturar de uma folha de
A folha de cálculo (MS cálculo
Excel) 3. Barras de ferramentas
a. Funcionalidades básicas
b. Operações básicas
c. Introdução e gestão de
dados
d. Formatação de células
e. Fórmulas
f. Referências
g. Funções
h. Representação gráfica
Aula Prática Apresentando trabalhos (MS 1. Identificar a barra de 4
Power Point) ferramentas e as suas diferentes
componentes
2. Iniciar página em PowerPoint
a. Assistente de Auto
conteúdo
b. Conhecendo o PowerPoint
c. Modos de visualização

34
d. Efeitos de transição e
composição
e. Inserir figuras – auto formas
f. Apresentação em branco
g. Slides com gráficos
h. Slides com figuras do
Clipart
i. Slide mestre
AVALIAÇÃO TEÓRICA 5
Pesquisa na rede mundial de 1. Identificar motor de busca 4
Aula Prática informação (Internet) 2. Descrever as noções sobre http,
www, ftp
3. Principais ferramentas de
navegação (google, yahoo,
altavista)
4. Fazer pesquisa de informação
Criar e configurar uma ligação
Internet
Aula Prática Correio electrónico 1. Criar endereço electrónico 4
2. Enviar e receber mensagem
3. Anexar documentos
4. Activar mecanismos de
segurança
Aula Prática Access 1. Criar base de dados 4
2. Criar interfaces para utilizadores
3. Elaborar relatórios
automatizados
Exame Final do Módulo 5
Total das Horas 36

Bibliografia:
1. CAMPOS, L., Introdução aos Computadores
2. CAMPOS, Luís de, Introdução aos computadores, Editorial Presença
3. SAULANE, M. A. T., O Guia Fácil do Windows 95
4. MAKRON BOOKS, Núcleo Técnico Editorial. Word 97 Passo a Passo. Lite do
Brasil. Editora Lda.
5. MARKON BOOKS ,Excel 97 Série Ramalho,

35
14. METODOLOGIA DE INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA

MÓDULO II
TIC e MIC

I Semestre

Carga Horária
Aulas Teórico-Práticas Horas por Duração Total de
semana (Semanas) Horas
Aulas teóricas 40
Aulas práticas -
Avaliação teórica 4
Avaliação prática -
Total das horas do módulo 44
Estágio -
Total geral 44

Docentes:
Licenciado em Estatística
Psicólogos
Psico-pedagogos
Técnicos de estatística

No fim da disciplina o aluno demonstra as seguintes competências:


1. Define questão/problema de investigação
2. Delimita objectivos de Investigação
3. Aplica as técnicas de pesquisa bibliográfica
4. Desenha um protocolo de investigação,
5. Aplica técnicas de colheita de dados
6. Identifica os tipos de erros passíveis de ocorrer na colheita de dados
7. Descreve as formas de compilação, descrição, tratamento e interpretação de
dados
8. Elabora o relatório final.
9. Apresenta conclusões a partir dos resultados e da análise feito
10. Elabora recomendações

36
Conteúdo Temático:
Tópico Conteúdo Objectivos de Aprendizagem Horas
Características do método  Definir a importância da
científico e sua diferença investigação científica
Introdução a com a observação empírica  Descrever as características do 2
Metodologia Importância da Investigação método de investigação científica
de científica e suas diferenças da
Investigação investigação empírica
Científica  Definir os critérios para a
formulação do problema a
investigar
 Reconhecer a necessidade e
importância de rigor na
investigação científica e de
utilização correcta da MIC
Identificação do problema  Descrever os critérios de
Análise do problema definição de problema de
Definição e (diagrama dos factores pesquisa
análise do contribuintes)  Caracterizar os problemas e/ou 4
problema Delimitação do âmbito da factores adjacentes ao problema
investigação de pesquisa
 Definir critérios de priorização
dos problemas numa pesquisa
 Identificar o problema a
pesquisar
 Delimitar a questão/problema a
estudar
Critérios para procurar  Reconhecer a necessidade e
bibliografia importância de efectuar pesquisa
Metodologia de consulta da bibliográfica na investigação
bibliografia/informação  Descrever os critérios de
Pesquisa necessária pesquisa bibliográfica 4
bibliográfica Formas de citar as  Identificar as formas e
referências bibliográficas metodologias de pesquisa
consultadas (incluir bibliográfica
comunicações orais e  Conhecer as formas correctas de
páginas da Net. citar a bibliografia consultada
 Identificar as diferentes formas
de apresentação da bibliografia
utilizada
Tipo de objectivos  Caracterizar os tipos de
Característicos de um objectivos de um estudo (geral e
objectivo de pesquisa específicos)

37
Definição de Definição de metodologia  Formular objectivos geral e 4
objectivos Definição da população a específicos
estudar e as suas  Definição da metodologia a
características (quem, aplicar
quando e como)  Delimitar a população a estudar
Formulação de hipótese  Relacionar os objectivos
específicos, o geral e o problema
a estudar
 Formular hipótese para um
estudo
Conceito e necessidade ou  Definir amostragem
Aplicação á não de definição de  Definir a necessidade de
investigação amostragem definição ou não de amostra 4
científicas dasNecessidade de  Descrever as condições em que
técnicas de amostragem é necessário definir amostragem
amostragem Representatividade da e suas técnicas
amostra  Caracterizar a amostragem
Técnicas de amostragem e  Calcular o tamanho de
calculo do tamanho de amostragem em função das
amostragem técnicas
Definição de variáveis  Definir variáveis
Natureza das variáveis  Caracterizar as variáveis
(categóricas e numéricas,  Determinar variável a investigar
Condições da dependentes e  Definir parâmetros e critérios a 4
investigação independentes) usar
e varáveis a Variável a investigar,  Descrever as condições e
investigar parâmetros e critérios a usar circunstâncias da realização da
Condições e circunstâncias investigação
de realização da
investigarão
Avaliação Teórica 2
Obrigatoriedade de  Descrever os aspectos éticos a
submissão de todos os observar nua investigação em
Aspectos protocolos de investigação saúde 2
éticos na ao Comité de Bioética  Reconhecer a obrigatoriedade de
investigação Outros aspectos e submissão de protocolo de
em saúde considerações éticas investigação em saúde ao
Comité de Bioética

Planificação Instrumentos e técnicas de  Identificar os instrumentos de


recolha e recolha de dados recolha de dados
tratamento de Recursos necessários para a  Descrever as técnicas de recolha
dados realização da pesquisa de dados
Qualidade de dados  Elaborar instrumentos recolha de 4
Formas de tratamento de dados (Questionários)
dados  Estimar recursos necessários

38
para a realização da pesquisa
 Testar os instrumentos de
colheita de dados
 Prever as formas de tratamento
de dados
 Elabora protocolo de pesquisa
considerando todos os aspectos
anteriores
Recolha de Uso e suas limitações de  Descrever as vantagens e
dados técnicas de colheita de limitações das diferentes
dados técnicas de colheita de dados
Uso combinado de  Aplicar as diferentes técnicas de 4
diferentes técnicas de colheita de dados
colheita de dados e seus  Identificar os tipos de erros
benefícios passíveis de ocorrer na colheita
Fontes e tipos de erros na de dados
colheita de dados e formas  Descrever as diferentes formas
de preveni-las de prevenir os erros que podem
Importância de assegurar as ocorrer na colheita de dados
condições logísticas  Descrever os passos
necessários para que a colheita
de dados seja efectiva
Compilação de dados,  Descrever as formas de
descrição, tratamento e compilação, descrição,
interpretação tratamento e interpretação de
Confirmação ou negação dados
Tratamento de das hipóteses através da  Analisar os dados para confirmar 4
dados análise dos dados recolhidos ou rejeitar as hipóteses
Apresentação dos dados  Apresentar de dados recolhidos
recolhidos e da informação e da informação obtida
obtida (descrição, tabela e gráficos)
Analise e descrição dos  Descrição das circunstâncias em
dados que se usa cada tipo de gráfico
 Analisar e discutir os dados
(medidas de tendência central e
dispersão e significância
estatística)
 Rever a análise estatística da
causalidade
Apuramento e Elaboração do relatório de  Apurar e apresentar os
apresentação investigação e sua resultados do estudo:
de dados publicação ou apresentação  Conclusão a partir dos
de forma audio-visual resultados e da análise feita
Divulgação dos resultados  Elabora recomendações 4
 Apresentar o relatório final do
estudo em sob forma audiovisual

39
 Divulgar os resultados de acordo
com o protocolo de investigação
e com a própria natureza dos
resultados, conclusões e
recomendações.
Exame Final do Módulo 2
Total das Horas 44

Bibliografia:
1. Eva e Col – Fundamentos de Metodologia Científica, editora atlas – São
Paulo; Brasil.
2. Gama, Rui e Col- Manual de Metodologia de Investigação Científica.
Lakatos,
3. Gama Rui & coli Manual de Metodologia de Investigação Científica ,
MISAU, Maputo Moçambique.

40
15. ANTROPOLOGIA CULTURAL

Modulo III
CIÊNCIAS HUMANAS

I SEMESTRE

Carga Horária
Aulas Teórico-Práticas Horas por Duração Total de
semana (Semanas) Horas
Aulas teóricas 14
Aulas práticas 16
Avaliação teórica 4
Avaliação prática -
Total das horas do módulo 34
Estágio -
Total geral 34

Docentes:
 Licenciatura em Antropologia ou Ciências Sociais

No fim da disciplina o aluno demonstra as seguintes competências:


1. Respeita os aspectos socioculturais para garantia de um atendimento
humanizado e de qualidade dos cuidados de saúde
2. Reconhece os aspectos socioculturais das famílias e comunidades como
elementos que interferem na implementação dos programas de saúde

Conteúdo Temático:
Tópico Conteúdo Objectivos de Aprendizagem Horas
Conceitos gerais de  Definir Antropologia
Antropologia  Descrever os objectivos da
antropologia e sua aplicação
 Identificar os ramos da
antropologia e sua
funcionalidade.
Família e Parentesco  Definir parentesco e família
Introdução a Estruturas familiares  Linhagens familiares (Uterina ou
Antropologia moçambicanas agnatica) 2
I. Filiação
II. Descendência

41
 Descrever a estrutura de uma
família moçambicana e tipo de
linhagem

Medicina Medicina Tradicional e  Conhecer a posição social da


Tradicional e Moderna medicina tradicional nas
Medicina comunidades, valores
Moderna  Interpretar os valores da
medicina tradicional nas 2
comunidades
 Comparar o papel da medicina
tradicional com a medicina
moderna
 Definir Cultura, Valores,
Natureza, Símbolos, Saúde
comunitária, Magia o sagrado o
Profano, Crenças, Religião
 Interpretar a forma como as
comunidades concebem a ideia
da saúde e doença
 Explicar a influência das crenças
na construção do conceito de
saúde e doença pelas
comunidades
 Descrever locais e símbolos
Estudo sumário do sagrados que tenham algum
significado da saúde e significado na comunidade
Saúde nas Doença:  Reafirmar o valor das crenças, 6
comunidades Conceito tradicional de do sagrado, profano, magia na
africanas saúde e doença estruturação social das
comunidades
 Descrever as doenças que
localmente são tradicionalmente
interpretadas em relação as
doenças no recém-nascido e
crianças menores (convulsões,
febre, diarreia e doenças
respiratórias)
 Interpretar os hábitos
alimentares na comunidade que
levam a desnutrição nas crianças
e problemas de nutrição nas
mulheres grávidas
Aula prática Seminário 1. Discutir as diferentes crenças em 8
relação a saúde e doença
2. Discutir a percepção das

42
comunidades em relação aos
hábitos alimentares da criança e
da mulher grávida
 Valorizar a influência da 4
Estudo sumário: sexualidade na construção social
Sexualidade e  Sexualidade e puberdade dos indivíduos
Cultura  Ritos tradicionais:  Reconhecer o papel dos ritos de
Circuncisão, iniciação, iniciação para construção social
purificação do indivíduo nas comunidades
(circuncisão, iniciação,
purificação)
 Avaliar os aspectos positivos e
negativos dos ritos na saúde e
desenvolvimento do indivíduo
Aula prática Seminário 1. Reflectir sobre os ritos 8
tradicionais e a sua influência na
saúde
Avaliação Teórica 2
Exame Final do Módulo 2
Total das Horas 34

BIBLIOGRAFIA
1. RADCLIFFE Brown, R. -.(1989). Estrutura e Função nas Sociedades Primitivas.
Lisboa. Edições
2. REVIERE, Claude ( 2001). Introdução Antropologia. Edições 70. Lisboa
3. JUNOD, H.(1996). Usos e Costume dos Bantus. Imprensa Universitária. Maputo.
Tomo. I
4. MESQUITELA, Lima. Introdução à Antropologia Cultural. Maputo. Edições
Paulina
5. RADCLIFFE-Brown, R e FORDES, D (1950). Sistemas Políticos de Africanos de
parentesco e casamento. Lisboa. Fundação Calouste Gulbeik

43
16. ÉTICA E DEONTOLOGIA PROFISSIONAL

MODULO III
CIÊNCIAS HUMANAS

I SEMESTRE

Carga Horária
Aulas Teórico-Práticas Horas por Duração Total de
semana (Semanas) Horas
Aulas teóricas 26
Aulas práticas 24
Avaliação teórica 2
Avaliação prática 8
Total das horas do módulo 60
Estágio -
Total geral 60

Docentes:
 Psicólogos
 Enfermeiro Geral Especializado em Ensino
 Teólogo

No fim da disciplina o aluno demonstra as seguintes competências:


1. Conceitua a ética e a deontologia profissional
2. Reconhece os princípios éticos na prática profissional.
3. Demonstra uma atitude positiva no relacionamento com utentes e com a
comunidade em geral
4. Combate a estigmatização e a descriminação.
5. Respeita os direitos do utente

Conteúdo Temático:
Tópico Conteúdo Objectivos de Aprendizagem Horas
Introdução a Conceito da Ética e  Conceituar a Ética e Deontologia 4
Deontologia, e Deontologia, profissional
Ética Princípios éticos  Descrever os Princípios éticos na
Profissional prática profissional
 Conhecer os valores e limites
morais e higiene mental
O optimismo e Conceito de moral  Conceituar a moral 4
o pessimismo O optimismo e o pessimismo  Conhecer as consequências do
moral moral optimismo e o pessimismo moral

44
A moral e as estruturas  Relacionar a moral com a
fundamentais religião, a ciência e a técnica.
 Conhecer os objectivos de 4
aconselhamento em HIV/SIDA
Aconselhame Objectivos de em casais, individual e colectivo
nto em saúde aconselhamento em  Compreender as razões da
HIV/SIDA realização do teste rápido para a
determinação de anticorpos de
HIV e abordagem diante de
resultados negativos ou positivos
1. Exercício de 8
simulação/dramatização para:
2. Sensibilizar o utente a aderir ao
teste e aceitar o resultado
Aula Pratica Aconselhamento 3. Oferecer o devido
aconselhamento pós teste
independentemente do resultado
Relacioname Conceito de atitude  Conceituar atitudes 4
nto com Atitudes positivas e  Reconhecer as vantagens e
utentes e com negativas no relacionamento desvantagens das atitudes
a comunidade com utentes e com a positivas e negativas no
em geral comunidade em geral relacionamento com utentes,
equipe e com a comunidade em
geral
1. Exercício de 8
Atitudes simulação/dramatização para:
positivas e Aula Pratica 2. Analisar o comportamento
negativas durante o atendimento ao utente
3. Demonstrar as consequências
do atendimento positivo ou
negativo
Conceito de estigmatização  Conceituar estigma e 4
e descriminação descriminação
Estigmatizaçã Serviços de Aconselhamento  Reconhecer os serviços de ATS
oe e Testagem em Saúde como ponto de partida para
Descriminaçã (ATS) prevenção e tratamento
o.

Avaliação Teórica 2
Direitos do Respeito aos direitos do  Aplicar a legislação e regras 6
utente utente profissionais
 Reconhecer os direitos do utente
 Reconhecer a importância da
observância do sigilo profissional
1. Exercício de 8
simulação/dramatização para:

45
2. Explorar as consequências da
Estigmatizaçã Estigmatização e Descriminação
oe Aula prática nos serviços de saúde
Descriminaçã 3. Explorar implicações da quebra
o do sigilo profissional

Avaliação de todas aulas práticas (aleatoriamente distribuir os temas baseados nos 8


objectivos todas as aulas práticas)
Exame Final do Módulo 2
Total das Horas 60

Bibliografia:
LAUREL, A. C., A saúde- doenças como processo social, ed.Global, 1983
GELAIN, I., Deontologia e Enfermagem, Epu ed. São Paulo, 1987
SARANO, J., O relacionamento com o doente, Epu ed. São Paulo 1978
PINTO, J. R. C. Questões de Ética Médica, 3ª ed., Editorial A.O., Braga, 1990
BEAUCHAMP, T. L. e CHILDRESS, J. F. Princípios de Ética Biomédica,
Edições Loyola, 2002

46
17. LEGISLAÇÃO DA FUNÇÃO PÚBLICA E POLITICA
NACIONAL DE SAÚDE

MODULO III
CIÊNCIAS HUMANAS

I SEMESTRE

Carga Horária
Aulas Teórico-Práticas Horas por Duração Total de
semana (Semanas) Horas
Aulas teóricas 52
Aulas práticas 10
Avaliação teórica 6
Avaliação prática -
Total das horas do módulo 72
Estágio -
Total geral 72

Docentes:
 Técnicos de Administração Publica
 Técnicos de Administração das Unidades Sanitárias
 Técnicos de Saúde com experiência em gestão de serviços de saúde

No fim da disciplina o aluno demonstra as seguintes competências:


1. Conhece o Estatuto Geral dos e Agentes Funcionários do Aparelho do Estado.
2. Conhece os órgãos de Aparelho do Estado a todos os níveis
3. Explica as funções e responsabilidades de cada um dos níveis de atenção,
identificando os tipos de unidades sanitárias correspondentes.
4. Compreende a estrutura, organização e hierarquia dos diferentes órgãos do
Sistema Nacional de Saúde.
5. Descreve as metas do desenvolvimento do milénio.
6. Explica a organização e funcionamento do sistema nacional de saúde (SNS) em
Moçambique
7. Reconhece o Papel do PMTSM na advocacia das comunidades em relação à
malária, tuberculose, diarreias, convulsões, sida e cuidados domiciliários e
8. Concepção da comunidade em relação aos ritos de iniciação

47
Conteúdo Temático:
Tópico Conteúdo Objectivos de Aprendizagem Horas
Legislação da Estatuto Geral dos  Conhecer o Estatuto Geral dos
Função Funcionários e Agentes do Agentes e Funcionário do 8
Pública Aparelho do Estado Estado.
Lei 8/2003 de Organização e  Conhecer os princípios de
19 de Maio funcionamento dos órgãos desconcentração e da
locais do Estado descentralização do escalão
central.
 Identificar os órgãos de Aparelho
do Estado a todos os níveis
Politica Nacional de Saúde;  Definir Politica Nacional de 4
Introdução a Conceito de Saúde; Saúde
Politica Determinantes da saúde no  Definir saúde
Nacional de geral e em Moçambique em  Descrever os Determinantes da
Saúde particular saúde.
Evolução Características do sistema  Descrever as características do
histórica da nacional de saúde: sistema nacional de saúde nos
Politica Período colonial; Períodos: colonial, das zonas
Nacional de Período das zonas libertadas libertadas durante a luta de
Saúde em durante a luta de libertação nacional e nos
Moçambique; libertação nacional; primeiros anos após da
Nos primeiros anos após da independência;
independência.  Explicar os Objectivos,
Objectivos, prioridades, prioridades, programas e 8
programas e estratégias. estratégias do SNS após da
independência;

Níveis de Organização, funcionamento  Definir o Sistema Nacional de


atenção do e Níveis de atenção Sistema Saúde; 8
Sistema Nacional de Saúde e tipos  Descrever os níveis de atenção e
Nacional de de unidades sanitárias. tipos de unidades sanitárias;
Saúde (nível de atenção)  Explicar a organização e
funcionamento do sistema
nacional de saúde (SNS) em
Moçambique.
Avaliação Teórica 2
Principais 1978 - Declaração da Alma  Descrever os princípios
conferências Ata – Saúde para Todos: norteadores das principais
internacionais Conferência internacional conferências da OMS desde a
da OMS sobre cuidados de saúde década de 1970. Descrever as

48
desde a primário 1978 principais decisões saídas de
década de 1986- Carta de Otawa- cada conferência
1970 Promoção de saúde nos  Explicar as mudanças que trouxe
países industrializados para a política Nacional de
1988 – Declaração de Saúde em Moçambique com
Adelaide – Promoção de maior destaque para a
saúde e políticas públicas Declaração da Alma Ata: 6
saudáveis  Declaração da Alma Ata – Saúde
1991 – Declaração de para Todos
Sundsval – Promoção da  Carta de Otawa- Promoção de
saúde e ambientes saúde nos países
favoráveis a saúde industrializados
1997 – Declaração Jacarta  Declaração de Adelaide –
Promoção da saúde no Promoção de saúde e políticas
século XXI públicas saudáveis
2000 – Declaração do  Declaração de Sundsval –
México – promoção da Promoção da saúde e ambientes
saúde: rumo a maior favoráveis a saúde
equidade  Declaração Jacarta Promoção da
2005 Carta de Bangkock – saúde no século XXI
promoção da saúde num  Declaração do México –
mundo globalizado promoção da saúde rumo a
maior equidade
 Carta de Bangkock – promoção
da saúde num mundo
globalizado
Política dos Cuidados de saúde primário.  Definir os Cuidados de Saúde
cuidados de Componentes dos cuidados Primário;
saúde de saúde primário:  Descrever os Componentes dos 4
primário em cuidados de saúde primários
Moçambique
Objectivos do  Identificar as metas do
desenvolvime Metas, Objectivos e desenvolvimento do milénio 6
nto do Indicadores do  Descrever os Objectivos e
milénio; desenvolvimento do milénio Indicadores do desenvolvimento
do milénio;
Legislação do  Conhecer a legislação da criação
SNS Legislação da criação do do Sistema Nacional de Saúde 2
Sistema Nacional de Saúde
Carreiras Formação formal  Diferenciar carreira, classe e
profissionais progressão vertical e categoria; 2
de saúde. horizontal nas carreiras.  Distinguir promoção da
progressão nas carreiras
profissionais;
Medicina Medicina tradicional  Definir a Medicina tradicional;
tradicional. moderna, Medicina  Reconhecer a aliança entre

49
tradicional, uma nova aliança Medicina tradicional moderna
(As parteiras tradicionais)  Explicar o Papel dos ACSs e
Papel dos ACSs e PMT na PMT na advocacia das
advocacia das comunidades comunidades em relação as 4
em relação as doenças doenças endémicas e
endémicas e epidémicas epidémicas
AULA Visitar uma sede de 1. Inteirar-se da relação que a
PRÁTICA AMETRAMO associação mantém com os 5
serviços de saúde
Lei n 5/02, Lei 23/07 1. Aplicar a legislação laboral a
Legislação laboral, grupos grupos especiais de
especiais de trabalhadores e trabalhadores e condições
condições especiais especiais de trabalho; 5
2. Aplicar a legislação do trabalho
em vigor na Republica de
Moçambique (Lei n5/02, Lei
23/07);

Programas de Programas de saúde em  Conhecer os programas de


saúde em Moçambique. saúde em Moçambique:PAV;
Moçambique.  Malária
 Saúde Sexual Reprodutiva da
Mulher 4
 Saúde Infantil
 PNCT
 PNCL
 DNT
 ITS - HIV/SIDA
 PTV
 Saúde Oral
 Saúde Escolar e do Adolescente
 Saúde Mental
Avaliação Teórica 2
Exame Final do Módulo 2
Total das Horas 72

Bibliografia:
Decreto n ° 30/2001de 15 Outubro – Normas de Funcionamento dos Serviços da
Administração Publica
Ministério da Função Pública. Estatuto Geral do Agente e funcionários do Estado.
Imprensa Nacional, Maputo: 2009
SCOTNEY, Norman educação para a saúde; 2ª Edição; 1983
Ministério de Saúde. Cuidados de saúde primários em Moçambique; pp. 38 a 42.

50
DAVID Hedges; História de Moçambique: Moçambique no Auge do colonialismo,
1930-1961; Coordenação de volume 2; 2ª Edição; Livraria Universitária,
Universidade Eduardo Mondlane. Maputo 1999; pp; 10 e 102.
Manual dos Praticante de Medicina Tradicional (PMTs).
GULUBE, Lucas Langue: Organização da rede sanitária colonial no sul do save:
(1960-1974); edição promédia, Maputo 2003; pp. 102 a 104.
Ministério da Saúde; Cuidados de Saúde Primários em Moçambique; Maputo: pp.
42 a e 43.

51
18. ESTATÍSTICA SANITÁRIA E DEMOGRAFIA

MODULO III
CIÊNCIAS HUMANAS
I SEMESTRE

Carga Horária
Aulas Teórico-Práticas Horas por Duração Total de
semana (Semanas) Horas
Aulas teóricas 48
Aulas práticas 45
Avaliação teórica 6
Avaliação prática -
Total das horas do módulo 99
Estágio -
Total geral 99

Docentes:
 Técnicos de Medicina Preventiva e Saneamento do Meio
 Especializados em Saúde Publica
 Técnico de Medicina
 Técnicos de Estatística

No fim da disciplina o aluno demonstra as seguintes competências:
1. Conhece a dimensão, distribuição e composição da população
2. Faz o cálculo de estimativas de grupos alvos prioritários
3. Conhece as formas de apresentação e interpretação de dados.
4. Interpreta os elementos básicos sobre indicadores de saúde

Conteúdo Temático:
Tópico Conteúdo Objectivos de Aprendizagem Horas
Dimensão e Estudo sobre a distribuição  Conhecer a distribuição da 6
Composição da população população (Idades, sexo)
da população  Estimar os grupos prioritários
Índice de dependência e de para os programas de saúde
masculinidade  Construir pirâmide das idades
(etária)
 Calcular a taxa de crescimento
da população
 Estimar o crescimento da
população
 Estimar e analisar as taxas de
natalidade e mortalidade geral
 Calcular as taxas de mortalidade
52
infantil e mortalidade materna.
 Calcular índice de dependência e
de masculinidade da população.
1. Calcular os grupos prioritários 5
Dimensão e Distribuição da população para os programas de saúde
Composição 2. Construir pirâmide etária
da população 3. Calcular a taxa de crescimento
da população
4. Estimar o crescimento anual da
população
5. Calcular e analisar as taxas de
natalidade e mortalidade geral
6. Calcular as taxas de mortalidade
infantil e mortalidade materna.
Introdução a Definição e Conceito de  Conceituar: Estatística,
estatística Estatística, Biostatistica, Bioestatística, Estatística
Estatística Sanitária e Sanitária e Hospitalar 2
Hospitalar  Descrever os objectivos e a
aplicação de Estatística
 Descrever a importância da
Estatística
Símbolos Estudo sumário de principais  Conhecer e aplicar razão, 6
algébricos e Símbolos algébricos proporção, percentagem e
Variáveis desvio padrão para situações
concretas de Saúde da
Conceito e tipos de variáveis comunidade
 Conceituar variáveis
 Descrever os tipos de variáveis e
a sua aplicação em situações
concretas de Saúde da
comunidade
Medidas de Estudo de medidas de  Definir medidas de tendência 4
Tendência tendência central central
Central Elementos básicos sobre  Descrever os tipos de medidas
Dados e indicadores de Saúde e (média, moda, mediana)
Indicadores qualidades de um indicador  Definir um indicador
 Identificar os elementos básicos
de um indicador
 Descrever as qualidades de um
indicador de saúde
Aulas Trabalho prático de recolha 1. Recolher dados nas 10
Praticas de dados na US para cálculo consultas externas da US
de percentagem, proporção, 2. Calcular percentagem,
Media, Moda e Mediana proporção, Media, Moda e
Mediana na base de dados
da US

53
Avaliação Teórica 2
Apresentação Tabela de distribuição de  Identificar os componentes de 4
de Dados: frequências simples e uma tabela
construção de cumulada  Construir tabela de distribuição
tabelas de frequências simples e
cumulada na base de dados
disponíveis
Apresentação Estudo sobre Construção de  Definir os diferentes tipos de 4
de Dados: gráficos gráficos
construção de  Construir gráfico linear, Barra,
gráficos sector, rectangular e cumulativo
de controlo de taxa de
coberturas e índice de
cumprimento de metas
 Indicar as circunstâncias de
utilização de cada tipo de gráfico
Tabelas e Trabalho prático sobre 1. Construir tabela de 10
Gráficos construção de tabela de distribuição de frequências
distribuição de frequências simples e cumulada
simples e cumulada e 2. Construir gráfico linear, Barra,
gráficos sector, rectangular e
cumulativo de controlo de
taxa de coberturas e índice
de cumprimento de metas
 Definir indicador 6
 Conhecer os tipos de indicadores
 Caracterizar um indicador
 Identificar as qualidades de um
indicador
 Reconhecer e identificar os
Indicadores de Indicadores: Sócio económicos
Saúde Indicadores relacionado com a saúde,
Politica de Saúde, prestação e
utilização de cuidados de Saúde
e globais de estado de saúde
 Reconhecer os indicadores de
distribuição de recursos em
relação as zonas rurais e
urbanas
 Reconhecer indicadores de
disponibilidade de recursos para
prestação de cuidados de saúde

54
Indicadores de Cálculo de indicadores de  Calcular os indicadores de 4
prestação e prestação e utilização de prestação e utilização de
utilização de cuidados de saúde cuidados de saúde
cuidados de  Interpretar os indicadores de
Saúde prestação e utilização de
cuidados de saúde
 calcular os indicadores de estado
global de saúde
Avaliação Teórica 2
Indicadores de Cálculo de indicadores de 1. Calcular os indicadores de 10
prestação e prestação e utilização de prestação e utilização de
utilização de cuidados de saúde cuidados de saúde (taxas de
cuidados de coberturas do PAV e de
Saúde outros programas)
2. Analisar os indicadores de
prestação e utilização de
cuidados de saúde ao nível
das US do Distrito
Sistema de  Descrever o ciclo de informação 4
Informação Conceitos introdutórios e e a sua importância para gestão
para Saúde ciclo de informação a nível do distrito
(SIS) Colheita de dados  Descrever os objectivos do SIS
explorando as fontes de para a gestão em Saúde e as
dados respectivas actividades
 Descrever e explicar as
limitações e insuficiências mais
comuns do SIS na gestão
sanitária
 Identificar as acções necessárias
para uma correcta recolha de
dados
Utilidade do Processamento de dados-  Reconhecer a importância da 8
SIS para a garantia de qualidade fiabilidade dos dados
planificação e Análise de dados-conversão  Reconhecer a importância de
gestão de de dados em informação padronizar os registos e as
saúde Uso de informação formas de o consegui
 Explicar a importância da
divulgação de informação
estatística e a importância de
retroinformação
 Explicar a importância da
regularidade e da oportunidade
da recolha análise e transmissão
de informação estatística
 Conhecer os instrumentos e
normas do SIS

55
Aula prática Instrumentos e normas do 1. Exercícios simulados de 10
SIS preenchimento de fichas a
vários níveis
Exame Final do Módulo 2
Total das Horas 99

Bibliografia
Impacto Demográfico do HIV/SIDA em Moçambique ,
Actualização Ronda de Vigilância Epidemiológica
Bérquo, ES Souza JMP, GOT Lisboa SLD Bioestatística EPU 1981.
LOPES A. P, Probabilidade e Estatística ; Reichmann & Affonso Editoras 1993
SILVAM N. N . - Amostragem Probabilística EDUSP 1998
VIERA S. Introdução a Bioestatística. Rio de Janeiro. Edições Campus, 1980
LAURENTI R e tal; Estatística de Saúde , São Paulo , EPU/ ED USP. 1985
CARVALHO J. A; Introdução a alguns conceitos básicos de medidas em Demografia
MAGNO J. Carvalho. Crescimento populacional e estrutura demográfica. Belo Horizote.
2004

56
19. PSICOLOGIA DE DESENVOLVIMENTO

MODULO III
Ciências Humanas
I SEMESTRE

Carga Horária
Aulas Teórico-Práticas Horas por Duração Total de
semana (Semanas) Horas
Aulas teóricas 40
Aulas práticas 8
Avaliação teórica 4
Laboratório humanístico -
Total das horas do módulo 52
Estágio -
Total geral 50

Docentes:
 Psicólogos Escolares e Clínicos.
 Psico-pedagogos
 ESMI nível Médio

No fim da disciplina o aluno demonstra as seguintes competências:


1. Competências a serem adquiridas até ao final da disciplina:
2. Identifica as fases do desenvolvimento humano
3. Conhece os factores do desenvolvimento humano
4. Descreve as crises do desenvolvimento humano

57
Conteúdo Temático:
Tópico Conteúdo Objectivos de aprendizagem Horas
Conceitos Definições e conceitos  Definir: a Psicologia, psicologia 4
Gerais Objecticos e objecto de do desenvolvimento,
estudo da psicologia de ontogénese, a filogénese
desenvolvimento  Indicar o objecto de estudo da
psicologia do desenvolvimento
Finalidades e importância da  Descrever a importância do
psicologia de estudo da Psicologia do
desenvolvimento para o desenvolvimento no contexto da
curso de TMPSM medicina em particular a
preventiva.
 Descrever os objectivos da
Psicologia do desenvolvimento.
Processos Sensações,  Caracterizar os processos 12
psicológicos Percepções, memória, psíquicos
ou funções pensamento, atenção e  Relacionar os processos
psíquicas imaginação psíquicos no contexto escolar

Fases do Definição, conceitos e  Definir o desenvolvimento 12


desenvolvime descrições, humano no contexto Psicológico.
nto Humano  Descrever as fases do
desenvolvimento humano
segundo Jean Piaget, Segmund
Freud e Eric Erikson
 Identificar e caracterizar as
actividades dominantes no
desenvolvimento humano

Aula prática 1. Identificar as actividades 8


Visitar uma cresce e na dominantes no desenvolvimento
escola primária da criança
2. Elaborar um relatório
Avaliação Teórica 2
Factores do Actividades no  Categorizar os factores do 12
desenvolvime desenvolvimento Humano. desenvolvimento humano
nto  Descrever os factores do
desenvolvimento humano
 Indicar as influências (internas e
extrenas) positivas e negativas
dos factores do desenvolvimento
humano
 Caracterizar as principais crises
no desenvolvimento humano
 Segundo Eric Erickson

58
Exame Final do Módulo 2
Total das Horas 52

Bibliografia
1. DAVIDDOFF,l. L; Introdução a Psicologia; editora Mahran Books, São Paulo.
2001
2. PETROVISKY, Introdução à Psicologia. Edições progresso. Moscovo: 1989
3. CARDOSO, A. FROIS, António e FECHADA. Rumos da Psicologia 6ª ed. Lisboa
2993.
4. TAVARES, José. Psicologia do Desenvolvimento e da Aprendizagem. 1999
5. GRIFFA, Maria Cristina & MORENO, Eduardo José. Cahes para psicologia do
Desenvolvimento Tomo I& II 2000 (adolescência, vida adulta e velhice)
6. DAVID. G. Mayers, Psicologia Geral, 5ª Edição
7. GLEITMAN, H. Psicologia Fundação Calouste Gulbenkian
8. GRIFFA, MARIA Cristina e MORENO, José Eduardo. Psicologia do
Desenvolvimento
9. PIAGET, J. & INHELDER, B. A psicologia da Criança. Do nascimento a
adolescência. Lisboa

20. ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA

MÓDULO IV
CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

I SEMESTRE

Carga Horária
Aulas Teórico-Práticas Horas por Duração Total de

59
semana (Semanas) Horas
Aulas teóricas 32
Aulas Prática 8
Avaliação teórica 4
Avaliação prática -
Total das horas do módulo 44
Estágio -
Total geral 44

Docentes:
 Médico de Clínica Geral
 Técnico de Medicina especializado em ensino
 Técnico de fisioterapia

No fim da disciplina o aluno demonstra as seguintes competências:


1. Demonstra os conhecimentos de Anatomia necessários para a delimitação da zona
de inoculação da vacina.
2. Interpreta os fenómenos fisiológicos normais do corpo humano e identifica eventuais
alterações.

Conteúdo Temático:
Tópico Conteúdo Objectivos de Aprendizagem Horas
Conceito de anatomia,  Definir Anatomia e Fisiologia 8
fisiologia, Humana
Introdução a Célula, Tecido, Órgão,  Conceituar a célula, tecido, órgão,
Anatomia e Aparelhos, Sistemas e aparelho, Sistemas e Organismo
Fisiologia Organismo  Descrever os quadrantes do corpo
Humana Anatomia topográfica humano
 Listar os órgãos que compõe os 8
aparelhos: locomotor, respiratório,
Órgão, Sistemas e cardiovascular, digestivo, urinário,
Aparelhos reprodutor masculino e feminino.
 Explicar o funcionamento dos
aparelhos corporais e sua inter-
relação.
Sistemas endócrino e  Listar os órgãos que compõe os 8
tegumentar (pele e anexos), sistemas: endócrino, tegumentar
nervoso, imunitário e (pele e anexos), nervoso, imunitário
Estudo linfático. e linfático.
sumário de  Explicar o funcionamento dos
aparelhos e sistemas corporais e sua inter-
sistemas relação.
1. Descrever a anatomia topografia da 8
As zonas de LABORATÓRIO região deltóide, glútea e vasto

60
inoculação HUMANISTICO lateral, faces anteriores e
de vacinas posteriores do antebraço e outras
zonas ricas em tecido celular
subcutâneo
2. Identificar os locais de inoculação de
vacinas
Avaliação Teórica 2
Reacções do organismo  Caracterizar as reacções do 8
Humano a agressões organismo Humano a agressões
externas: externas
Mecanismo de defesa  Descrever o processo e mecanismo
inespecífica de: inflamação; infecção; ulceração;
Noções Reacção de febre; dor; desidratação; reacção de
elementares hipersensibilidade hipersensibilidade (urticária, choque
de fisiologia anafiláctico)
Exame Final do Módulo 2
Total das Horas 44

Bibliografia:
ROVIÉRE e DELMAS, Anatomia Humana, Descritiva, Topográfica Funcional, Vol. 1-
3. 10ª Edição. Editora Masson. 2004.
SABOTTA, Johannes. Atlas de Anatomia Humana, 21ª edição, editora Guanabara
koogan. 2000.
GUYTON, A. C. Tratado de Fisiologia Médica –Guanabara Koogan
JACOB, B.M. & STANLEY, A.- Anatomia e Fisiologia Humana
NETTER- Atlas de Anatomia Humana

21. NOÇÕES BÁSICAS DE PATOLOGIA E IMUNOLOGIA

MÓDULO IV
CIÊNCIAS BIOLÓGICAS
I SEMESTRE

Carga Horária:

61
Aulas Teórico-Práticas Horas por Duração Total de
semana (Semanas) Horas
Aulas teóricas 32
Aulas Prática -
Avaliação teórica 4
Avaliação prática -
Total das horas do módulo 36
Estágio -
Total geral 36

Docentes:
 Técnicos de medicina
 Médico generalista

No fim da disciplina o aluno demonstra as seguintes competências:


1.Descreve o estado patológico em termos de roptura de equilibrio
2.Identifica e classifica os principais agentes externos de doença
2.Identifica as reacções do organismo humano às agressões externas
3. Reconhece as alterações tisulares, orgânicas e as repercussões funcionais de
algumas patologias
4. Identificar os mecanismos de defesa específicos e inespecífico

Conteúdo Temático:
Tópico Conteúdo Objectivos de aprendizagem Horas

Conceitos Definições, conceitos e  Definir a patologia


gerais descrições  Definir a doença
 Definir a saúde 2
 Anatomia patológica
 Etiologia
 Patogênese

Finalidades e importância da  Descrever a importância do 2


patologia para o curso de estudo da patologia no contexto
TMPSM da medicina preventiva
Mecanismos Mecanismo de defesa  Descrever o mecanismo de 6
de defesa humoral e celular defesa humoral
específicos e  Descrever o mecanismo da
inespecíficos defesa imunológica inespecífica
Febre Definição e conceitos  Definir a febre
Mecanismo  Descrever o mecanismo da febre
Consequências co
 Descrever a importância da febre

62
como mecanismo de defesa 8
inespecífica do organismo
 Indicar os principais sinais e
sintomas da febre
 Listar e exemplificar os principais
tipos da febre relacionando com
doenças mais comuns.
 Indicar as principais
complicações da febre em
adultos e crianças
Agentes Generalidades sobre  Descrever os agentes biológicos, 4
externos de agentes internos e externos químicos, físicos no processo da
doença de doença casualidade das doenças
Avaliação Teórica 2
Alterações Definições e conceitos  Definir a inflamação
celulares e mecânismo  Descrever o mecanismo da
teciduais inflamação
 Descrever a importância do
processo de inflamação com
mecanismo de defesa 6
inespecífica do organismo
 Listar os sinais cardinais da
inflamação
 Descrever o significado
fisiopatológico de cada sinal
 Diferenciar a inflamação aguda
da crónica
 Relacionar a inflamação aguda e
crónica evidenciando exemplos
práticos de doenças.
Reparação e Definições e mecanismo  Conceito de Reparo ou
cicatrização cicatrização 4
tisular  Descrever o processo de
reparação tisular
 Descrever a cicatrização por
primeira e segunda intenção

Exame Final do Módulo 2


Total das Horas
6

BIBLIOGRAFIA:
1. MONTENGO, M.R & Franco Processos gerais, Rio de Janeiro Atheneu 3ª ed.
1992

63
2. FARIA, José Lopes de - Patologia Geral, fundamentos das Doenças com
Aplicações Clínicas
3. HARSON, Medicina Interna 16ª edição, 1º vol, 2001
4. ROBBINS, S.L. Fundamentos de Patologia I ed, Nova Guanabara .1992
5. ROBBINS e COTRAN, Patologia Estrutural e Funcional II ed, InterAmericana
1996
6. KUMAR, Patologia Básica, 5ª ed, Nova Guanabara, 1994
7. AMABIS e MARTHO. Biologia das células, 1ª Edição, Editora Moderna, São
Paulo, 1990
8. JANEWWAY, C. A. et al. Imunobiologia – O sistema imune na saúde e na
doença, 5ª Ed., São Paulo, 2001.
9. PEAKMAN e VERGANI. Imunologia Básica e Clínica, Rio de Janeiro 1999.
10. STITES e TERR. Imunologia Básica, Rio de Janeiro, 1992.
11. FERREIRA, A. J. Estudos de Microbiologia Geral e Imunologia, 1ª Ed.,
Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, 1984

22. NUTRIÇÃO

MÓDULO IV
CIÊNCIAS BIOLÓGICAS
I SEMESTRE

Carga Horária
Aulas Teórico-Práticas Horas por Duração Total de
semana (Semanas) Horas
Aulas teóricas 26
Aulas práticas 6
Avaliação teórica 4
Avaliação prática -

64
Total das horas do módulo 35
Estágio 35
Total geral 70

Docentes:
 Nutricionista
 Técnicos de nutrição com experiência de mais de 3 anos.
 Bióloga com experiência na área de nutrição
 Médicos especialistas em Nutrição ou Saúde Pública

No fim da disciplina o aluno demonstra as seguintes competências:


1. Identificar os principais problemas nutricionais da área de saúde e propõe
acções de intervenção.
2. Conhecer e apoiar na implementação do sistema de vigilância nutricional.
3. Realizar educação para a saúde e promover hábitos alimentares e de vida
saudável para o indivíduo e grupos populacionais incluindo a importância do
aleitamento materno

Conteúdo Temático:
Tópico Conteúdo Objectivos de Aprendizagem Horas
Introdução a  Distinguir os conceitos de
Nutrição alimentação e nutrição
Conceitos básicos de  alimentação, alimento, nutrientes,
Nutrição quilocalorias, kilojoule, digestão,
absorçã,utilização, malnutrição,
desnutrição, subnutrição, 4
supernutrição
 Identificar os nutrients
Composição e funções dos  Descrever a composição dos
alimentos e dos nutrientes no principais grupos de nutrientes
organismo Hidratos de carbono (Gorduras ou
lípidos, Proteínas, Vitaminas, Sais
minerais, Água, Fibras)
 Descrever a utilização e funções
65
dos nutrientes no organismo

Conceitos do estado  Definir estado nutricional 4


nutricional  Descrever os processos
Doenças Processos fisiológicos e fisiológicos e nutricionais dos
resultantes da nutricionais dos seres seres humanos e a participação
nutrição e humanos da nutrição no processo saúde-
alimentação Deficiência em Micro- doença
deficitária nutrientes  Identificar os tipos, causas e
consequências das deficiências
Desnutrição e suas de nutricao (deficiência de
manifestações nutrientes na dieta e má-
absorção, perda excessiva,
hipermetabolismo).
 Caracterizar as doenças
nutricionais mais comuns:
Kwashiokor, Marasmo
Conceitos  Definir dieta, alimentação 2
Dietética Grupos de alimentos equilibrada e pirâmide alimentar
alimentar A alimentação equilibrada e  Descrever os diferentes grupos
saudável de alimentos e sua distribuição na
Pirâmide de Alimentos pirâmide alimentar
 Conhecer a importância de uma
alimentação equilibrada e
saudável
 Caracterizar a pirâmide alimentar
 Descrever as necessidades 4
Alimentação Necessidades nutricionais nutricionais durante a gestação.
durante a durante a gestação  Conhecer as recomendações
gestação e nutricionais para a mulher grávida
lactação  Reconhecer a importância
Alimentação Infantil aleitamento materno exclusivo
crianças de 0 até 4-6 para o bom desenvolvimento
Alimentaç meses fisiológico, metabólico e funcional
ão Infantil do aparelho digestivo, renal e
sistema nervoso central da

66
criança .
 Conhecer Características da
Alimentação alimentação e calendário de
complementar dos 7-9 introdução de alimentos segundo
Alimentaç meses até 2 anos os períodos alimentares da
ão criança de 7-9 meses até 2 anos
complem  Relacionar as necessidades
entar nutricionais, e condição sócio-
econômica.
 Descrever as características da
nutrição pré-escolar, escolar, na
adolescência, no adulto e na 3ª
idade
Necessidades nutricionais  Conhecer as necessidades
Padrões para diferentes grupos nutricionais nas diferentes idades
alimentare etários e relacionar com os hábitos e 4
s para condição sócio-econômico
diferentes (Criança em idade escolar,  Identificar os riscos nutricionais
grupos adolescente, adultos e em diferentes idades
etários Idosos).  Conhecer os hábitos e tabús
alimentares na comunidade
 Descrever as mudanças
fisiologicas do envelhecimento
que afectam a alimentação e
nutrição
Deficiências e Conceitos e definições  Reconhecer e caracterizar as 2
doenças - Deficiências e doenças principais deficiências nutricionais
nutricionais em nutricionais em Moçambique (Iodo, vitamina
Moçambique: A, Anemia e Niacina
 Konzo)
Avaliação Teórica 2
 Reconhecer a importância do
SNV
 Conhecer os principais sistemas
de informação de segurança
Vigilância Sistema de Vigilância alimentar e - descrever as formas
Nutricional Nutricional e sua importância de colecta, processamento e 4
análise dos dados
antropométricos
 Conhecer o sistema de referência
das crianças diagnosticadas com
desnutrição
 Colaborar com o Programa de
Suplementação Alimentar das
crianças com desnutrição ligeira

67
1. Fazer as recomendações 6
Aula prática Alimentação na gestação nutricionais para a mulher grávida
e lactação e em período de lactação
(Simular uma palestra de Incluir:
educação nutricional) Grupos de alimentos
Pirâmide de Alimentos,
Antropometria 1. Tipos de desnutrição e as
(Laboratório Humanístico) doenças a elas relacionados
Colher dados antrométricos
2. Realizar cálculos de IMC
3. Propor soluções para casos que
necessitarem de intervenção
Informação de Uso da Informação do  Conhecer as politica Segurança
nutrição e Sistema de Vigilância Alimentar e nutricional no país 2
segurança Nutricional  Aplicar a informação do SVN para
alimentar tomada de decisões que visem
melhorar e garantir a segurança
alimentar e nutricional no país
Exame Final do Módulo 2
Total das Horas 35

Estágio de 35 horas (1 semana)

Bibliografia:
1. CHAVES, N. Nutrição Básica e Aplicada. 2 ed. Rio de Janeiro, Guanabara
Koogan. 1985.
2. MISAU. MOÇAMBIQUE. Tabela Moçambicana de Alimentos.
3. MISAU. Departamento de Nutrição. Orientação para Introdução do Pacote
Nutricional Básico: Manual do Participante. 2007.
4. MOTTA G. G e BOOG MCF. Educação nutricional, 2ª ed. São Paulo: IBRASA;
1987.
5. REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE. Estratégia de Segurança Alimentar e
Nutricional. 1998.
6. República de Moçambique-SETSAN 2007. Estratégia de Segurança Alimentar e
Nutricional 2007-2015.
7. SETSAN 2007. Estratégia de Segurança Alimentar II (ESAN II) e Plano de
Acção.
8. SETSAN-GAV. Relatório da Monitoria da Segurança Alimentar e Nutricional em
Moçambique.Maio. 2008.
9. VASCONCELOS, F.A.G. Avaliação Nutricional de Coletividades. Editora da
UFSC, 2a ed., Florianópolis, 1995.
.

68
23. MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA

MÓDULO IV

69
CIÊNCIAS BIOLÓGICAS
I Semestre

Carga Horária
Aulas Teórico-Práticas Horas por Duração Total de
semana (Semanas) Horas
Aulas teóricas 24
Aulas práticas 6
Avaliação teórica 4
Avaliação prática -
Total das horas do módulo 36
Estágio -
Total geral 36

Docentes:
 Médico especializado em Microbiologia
 Biólogo com experiência em Microbiologia
 Técnico de laboratório de área de Microbiologia

No fim da disciplina o aluno demonstra as seguintes competências:


1. Aplica os conhecimentos de mecanismos de resposta imune do
organismo, caracterizá-lo por meio de exemplos aplicados a
diferentes microrganismos.
2. Reconhece e orienta as comunidades sobre os diferentes parasitas mais
frequentes no país e as suas manifestações clínicas
3. Aplica os conhecimentos do ciclo evolutivo dos parasitas para orientar e educar
as comunidades.

70
Conteúdo Temático:
Tópico Conteúdo Objectivos de Aprendizagem Horas
Introdução a Definição de Microbiologia.  Definir Microbiologia e explicar 2
Microbiologia Estrutura e evolução dos seus benefícios
microrganismos  Descrever a estrutura e evolução
dos diferentes microrganismos
em relação:
a. morfologia e fisiologia
bacteriana
b. classificação e
nomenclatura das
bactérias
c. características gerais e
classificação dos vírus
Introdução a Características gerais dos  Descrever as características 2
Bacteriologia seguintes grupo de gerais dos seguintes grupo de
bactérias:
a. Estafilococos,
Estreptococos e
Pneumococos
b. Neissérias
c. Bactérias intestinais
d. Bacilos esporulados gram-
positivos
e. Corinebactérias e
Micobactérias
f. Espiroquetas
g. Micoplasmas
h. Rickettsias
i. Clamidiáceas
Introdução a  Características gerais de  Descrever as características 4
Virologia diferentes grupos de vírus: gerais dos seguintes grupos de
bactérias:
a. Vírus respiratórios
b. Herpes vírus
c. Vírus da Imunodeficiência
Humana Adquirida (HIV)
d. Paramyxovírus
e. Enterovírus
f. Arbovírus
g. Vírus da raiva humana
h. Papovavírus
i. Vírus oncogénicos

71
Laboratório Multidisciplinar 8
Observação Microscópica 1. Demonstração de lâminas
Aula prática das principais bactérias preparadas de GRAM para
responsáveis de doenças observação das principais
mais frequentes no país bactérias responsáveis pelas
principais doenças no país:
Meningococo, neisseria
gonorrhae, estafilococos,
pneumococos
Introdução a  Definição de parasitismo,
 Definir parasitismo, 4
Parasitologia comensalismo, simbiose e comensalismo, simbiose e
zoonose zoonose
 Acções do parasita sobre
 Descrever acções do parasita
o hospedeiro sobre o hospedeiro e factores
 Hipersensibilidade e
necessários para o parasitismo.
imunidade  Explicar a hipersensibilidade e
imunidade nas doenças
parasitárias e sobre os períodos
clínicos e parasitologias no curso
da infestação parasitária.
 Descrever os períodos clínicos e
parasitológicos no curso da
infecção ou da infestação
parasitária
 Identificar e descrever a
distribuição geográfica das
principais parasitoses a nível
nacional
Estudo dos Aspectos gerais  Descrever as características dos 6
Protozoários Plasmodium; protozoários
mais Toxoplasma;  Descrever a estrutura do
importantes Entamoeba; plasmódium, Toxoplasma e
no país Flagelados parasitas do  Entamoeba nos seguintes
intestino aspectos:
(morfologia, ciclo evolutivo, caracteres
diferenciais, transmissão,
sintomatologia, diagnóstico clínico e
laboratorial)
 Descrever a estrutura da
etamoenba Morfologia, ciclo
evolutivo, caracteres diferenciais,
transmissão, sintomatologia,
diagnóstico clínico e laboratorial
 Descrever flagelados parasitas
do intestino da boca, da vagina e
das vias urinárias (Classificação,

72
morfologia, ciclo biológico,
transmissão e diagnóstico)

Estudo dos Aspectos gerais  Descrever os Helmitos, 6


Helmintos Trematódeos: Schistosoma Schistosoma, Trematódeos,
mais haematobium Heamatobium Nematóides,
importantes Nematóides: Cestóides, Sarcoptes Scabiei
no país e Cestóides: Sarcoptes scabiei (sarna), Capitis (piolhos),
outros (sarna):  Tunga penetrans (matecanha)
capitis (piolhos) quanto a sua morfologia, ciclo
Tunga penetrans evolutivo, transmissão,
(matecanha) sintomatologia, diagnóstico clínico
e laboratorial
Avaliação Teórica 2
Exame Final do Modulo 2
Total das Horas 36

Estágio 70 horas (2 semanas)

Bibliografia
AMABIS e MARTHO. Biologia das células, 1ª Edição, Editora Moderna, São
Paulo, 1990
BROOKS et all– Microbiologia Médica, 21ª Ed., Editora Guanabara Koogan, Rio
de Janeiro, 2000.
BURTON e ENGELKIRK. Microbiologia para as Ciências da Saúde, 5a Edição,
Guanabara Koogan, Rio de Janeiro, 1998.
FERREIRA, A. J. Estudos de Microbiologia Geral e Imunologia, 1ª Ed., Fundação
Calouste Gulbenkian, Lisboa, 1984.
FERREIRA, W. F. C. et al. Microbiologia, Vol I e II. LIDEL, Lisboa, 2000
FOLGOSA, M. H. e A. Martelli. Bacteriologia Médica, Manual de Laboratório,
MISAU, 1985.
WALTERS, ESTRIDES e REXNOLDS. Laboratório Clínico – Técnicas Básicas,
Porto Alegre, 1998.
DUGUID et all. Microbiologia Médica (6ª Ed.). Fundação Calouste Gulbenkian,
Lisboa, 1993
NIQUICE e LAISSE. Parasitologia Intestinal Clínica, ICSM, 1997
Rey, L. Parasitologia, 3ª Ed., Guanabara Koogan, Rio de Janeiro, 2001.

73
24. PRIMEIROS SOCORROS E NOÇÕES BÁSICAS DE
FUNDAMENTOS DE ENFERMAGEM

MÓDULO IV
CIÊNCIAS BIOLÓGICAS
I SEMESTRE

Carga Horária
Aulas Teórico-Práticas Horas por Duração Total de
semana (Semanas) Horas
Aulas teóricas 14
Laboratório 17
Avaliação 4
Total de aulas do Módulo 35
Estágio 35
Total geral 70

Docentes:
Licenciados em Enfermagem
Enfermeiros Especializados em Ensino
Enfermeiros Gerais

No fim da disciplina o aluno demonstra as seguintes competências:


1. Organiza e utiliza o kit de primeiros socorros.
2. Presta os primeiros socorros para: picada de abelhas, vespas, mordeduras de
animais incluindo cobra; Perfurações e lacerações por várias causas, choque
eléctrico, afogamentos, envenenamento e intoxicações.
3. Executa a respiração artificial.
4. Aplica as vacinas nas seguintes vias: oral, intradérmica, subcutânea,
intramuscular.
5. Administra medicamentos de alívio a dor e febre (Paracetamol e Ácido Acetil
Salicílico).
6. Avalia, interpreta e regista os sinais vitais, peso e altura.

Conteúdo Temático:
Tópico Conteúdo Objectivos de Aprendizagem Horas
Introdução aos primeiros  Definir primeiros socorros. 2
socorros, definição,  Descrever a composição do kit de
Kit de primeiros socorros primeiros socorros.
 Descrever a utilização dos

74
componentes do kit.
Primeiros
socorros
Primeiros socorros em  Descrever os cuidados de 4
diferentes situações primeiros socorros a prestar nas
seguintes situações:
a. picada de abelhas e vespas
b. cobra, arranhas
c. perfurações e lacerações
d. choque eléctrico
e. afogamentos
f. envenenamento
g. intoxicações
Métodos da respiração  Descrever os métodos da 2
artificial: respiração artificial
a. Boca-a-boca
b. Boca-nariz
c. Boca-nariz-boca
d. Boca-máscara
Laboratório humanístico Realizar os procedimentos da 4
respiração artificial de cada método.
Avaliação Teórica 2
Noções de Conceito.  Definifir a Enfermagem 2
Fundamentos Vias de administração de  Listar as vias de administração de
de medicamentos e vacinas medicamentos e vacinas: oral,
Enfermagem intradérmica, subcutânea,
intramuscular.
 Descrever os procedimentos a tomar
em cada via.
Laboratório humanístico 1. Aplicar vacinas de acordo com as 8
vias descritas.
2. Administrar medicamentos de
alívio a dor e febre (Paracetamol e
Ácido Acetil Salicílico).
Avaliação, interpretação e  Listar os sinais vitais 4
registo dos sinais vitais,  Listar e explicar os diferentes
peso e altura. métodos de avaliação dos sinais
vitais.
 Interpretar e registar correctamente:
a. Temperatura

75
b. Pulso
c. Respiração
d. Tensão/Pressão Arterial
e. Peso
f. Altura
Laboratório humanístico  Avaliar correctamente: 5
a. Temperatura
b. Pulso
c. Respiração
d. Tensão/Pressão Arterial
e. Peso
f. Altura
Exame Final do Módulo 2
Total das Horas 35

Estágio de 35 horas (1 semana)

BIBLIOGRAFIA
1. MISAU; Guião de Procedimentos de Enfermagem. MISAU.
2. BARBARA, K. Timby, Conceitos e Habilidades Fundamentais no Atendimento de
Enfermagem, Artmed Editora S.A.
3. POTTER & PERRY; Fundamentos de Enfermagem, Elsevier
4. SWEARINGEN, PAMELA e COL.; Atlas Fotográfico de Procedimentos de
Enfermagem, Artmed Editora S.A.
5. HALLOUET, Pascal; Fichas de Cuidados de Enfermagem, Climepsi Editores.
6. CARPENITO, Lynda; Manual de Diagnósticos de Enfermagem, Artmed Editora S.A.
7. GRONDIN, L; Planificação dos Cuidados de Enfermagem, Instituto Piaget.
8. MOURA, Maria; Enfermagem em Centro de Material e Esterilização, SENAC.

76
MÓDULOS II SEMESTRE
(Gestão, Promoção de Saúde e Prevenção de Doenças)

77
25. MEDICAMENTOS ESSENCIAIS

MÓDULO V
GESTÃO, PROMOÇÃO DE SAÚDE E PREVENÇÃO DE DOENÇAS - I

PRÉ – REQUISITOS
Todos os módulos do I semestre

II SEMESTRE

Carga Horária
Aulas Teórico-Práticas Horas por Duração Total de
semana (Semanas) Horas
Aulas teóricas 18
Aulas práticas 8
Avaliação teórica 4
Avaliação prática -
Total das horas do módulo 30
Estágio 35
Total geral 65

Docentes:
 Licenciado em Farmácia
 Técnico de Farmácia

No fim da disciplina o aluno demonstra as seguintes competências:


1. Conhece os níveis de administração dos fármacos
2. Supervisiona o uso de fármacos pelos APE e assegura que as fichas de resumo
mensal sejam endereçadas a NEP distrital ou provincial
3. Coordena com o responsável provincial ou distrital de APEs e do programa de
PTs o número de kits necessário em função do pessoal treinado e a frequência
durante o ano.

78
Conteúdo Temático:
Tópico Conteúdo Objectivos de Aprendizagem Horas
 Conceituar medicamento
Medicamentos Noções básicas sobre o  Conhecer objectivos e estrutura 4
Essenciais Programa de Medicamentos do PME
Essenciais (PME) Tipos de  Conhecer os tipos de kits e os
kits níveis de distribuição

Conceito de adesão e  Conceituar adesão e resistência,


Adesão ao resistência  Conhecer a importância de
medicamento adesão aos medicamentos,
especialmente nas doenças
crónicas
 Explicar as consequências do
mau uso de medicamentos 4
(resistência)
 Conhecer estratégias a ser
utilizadas para melhorar adesão
a toma dos medicamentos
Utilização e gestão do kit C  Identificar as necessidades de
pelos Agentes kits “C” para a sua área de saúde
Gestão do Comunitários de Saúde  Conhecer o número de consultas 4
KIT C por cada kit “C”
 Conhecer o livro de registo das
actividades do APE
Gestão do Aula prática 1. Visita um APE e se inteirar
KIT C dos critérios de requisição e 8
utilização do Kit C
Legislação  Conhecer a legislação vigente
sobre o uso Noções de legislação sobre o uso de medicamentos
de  Conhecer os níveis de prescrição 4
medicamento dos medicamentos
s
Plantas Uso de plantas medicinais  Reconhecer e valorizar o uso de 2
medicinais em Moçambique plantas medicinais no tratamento
de algumas doenças em
Moçambique
Avaliação Teórica 2
Exame Final do Módulo 2
Total das Horas 30

Bibliografia
1. MISAU. Manuais de Kit A, B, e C

79
2. MISAU. Guia Operacional do Programa de Medicamentos Essenciais
3. MISAU. Formulário Nacional de Medicamentos
4. MISAU/DRH-Formação. Manual de Formação de APEs. 2011
5. MISAU/DNSP. Guião Operacional do Programa de APE. 2010

80
26. RECONHECIMENTO DA ÁREA DE SAÚDE

MÓDULO V
GESTÃO, PROMOÇÃO DE SAÚDE E PREVENÇÃO DE DOENÇAS - I
PRÉ – REQUISITOS
Todos os módulos do I semestre

II SEMESTRE

Carga Horária
Aulas Teórico-Práticas Horas por Duração Total de
semana (Semanas) Horas
Aulas teóricas 8
Aulas práticas 24
Avaliação teórica 8
Avaliação prática -
Total das horas do módulo 40
Estágio 14
Total geral 54

Docentes:
 Técnicos de Medicina Preventiva e Saneamento do Meio
 Técnicos de Medicina Preventiva e Saneamento do Meio Especializados em
Saúde Publica
 Técnico de Medicina
 Técnicos de Estatística

No fim da disciplina o aluno demonstra as seguintes competências:


1. Recolhe os dados de base que permite identificar os problemas de saúde de
uma comunidade vivendo numa área de Saúde;
2. Efectua diagnóstico comunitário de saúde no distrito na base dos dados
recolhidos;
3. Identifica os problemas que afectam a saúde da comunidade que vive numa
área de Saúde (doenças e gestão dos serviços de saúde);
4. Faz mapa identificando divisão administrativa, unidades sanitárias, distâncias da
sede para US, aglomerados populacionais diversos e populações isoladas,
hidrografia, vias de comunicações, barreiras naturais, actividades económicas,
escolas, igrejas e outros recursos;
5. Propõe acções para solucionar ou atenuar os problemas detectados
(planificação);

81
6. Faz a descrição física, Divisão administrativa, rede sanitária, escolar, comercial,
industrial, infraestrutural de acção social, aspectos sócio-culturais, volume de
actividades de saúde, utiliza para fazer um diagnóstico comunitário e propõe
acções para melhorar a situação.
7. Calcula os dados sobre:
a. Grupos alvos por faixas etárias
b. Número de alunos em diferentes níveis
c. Número de trabalhadores por ramos de actividades
8. Identifica o padrão epidemiológico dominante no distrito;
9. Descreve a utilização da rede Sanitária (aspectos do PAV, Nutrição, SMI e dos
programas de Tuberculose e Lepra).

Conteúdo temático:
Tópico Conteúdo Objectivos de Aprendizagem Horas
Importância do  Definir o RAS
Reconhecimento da área de  Reconhecer a importância de
Seminário saúde para a planificação fazer o RAS
Preparatório das actividades de Saúde.  Descrever os objectivos do RAS
para o RAS - Descrição física do distrito  Descrever as estratégias
física metodológicas para o RAS
- Descrição da área de  Apresentar e discutir os
Saúde: instrumentos de orientação e de
Tipos de solos recolha de dados 8
Hidrografia
Clima
Vias de Comunicações
Flora e fauna

82
Aula prática Características: 1. Identificar limites geográficos e 24
 Demográficas características particulares do
 RAS  Sociais terreno
 Económicas e culturais 2. Elaborar mapa do distrito
 Meio ambiente 3. Recolher e interpretar dados sobre
tipos de solos, hidrografia, vias de
comunicação, clima, flora e fauna
Descrever a estrutura da população
residente numa área de saúde
4. Estimar os grupos etários
importantes para programas de
saúde Elaborar e analisar pirâmides
das idades da sua área de saúde
5. Identificar o número das escolas e
infra-estruturas de acção social
6. Identificar o número de alunos nas
escolas por nível existente na área
de saúde
7. Recolher e analisar dados sobre
mortalidade e nascimentos
8. Recolher e analisar dados sobre uso,
costumes e crenças positivas
9. Identificar tabus alimentares,
sexuais, bebidas alcoólicas ou
drogas mais frequentes usadas na
sua área de saúde
10. Recolher e analisar dados sobre
principais culturas agrícolas na sua
de saúde
11. Conhecer a rede comercial e tipos
de indústrias existentes na sua área
de saúde
12. Conhecer a estrutura de Medicina
Tradicional na área de saúde
13. Descrever os tipos de habitação
em termos de materiais de
construção, de eliminação de
dejectos humanos
14. Identificar o número e localização
de fonte de abastecimento de
água na sua área de saúde
15. Identificar as condições de
recolha, transporte e destruição
de lixo na sua área de saúde
16. Identificar a existência de
criadores de larvas, mosquitos e

83
outros vectores de doenças na
sua área de saúde
17. Identificar as condições de
higiene dos estabelecimentos,
indústrias e serviços
18. Descrever as condições de
manipulação, confecção e
comercialização dos alimentos.
19. Identificar os riscos de poluição
do meio ambiente na sua área de
saúde.
20. Recolher e analisar dados sobre
recursos sanitários
21. Recolher e tratar e analisar as
actividades sanitárias na sua área
de saúde em relação a:
atendimento externos de adultos
e crianças, atendimento na
Maternidade, PF, controle de
crescimento, vacinação,
internamento de medicina,
Pediatria e
22. Identificar as 5 primeiras causas
de consultas externas e de
internamento
23. Identificar as 3 primeiras causas
de mortalidade nos adultos e
crianças
24. Descrever a utilização da rede
Sanitária (aspectos do PAV,
Nutrição, SMI e dos programa de
Tuberculose e Lepra).
25. Identificar os problemas que
afectam a saúde da comunidade
que vive numa área de Saúde.
26. Elaborar plano de acção de
acordo com os problemas
identificados
27. Elaborar um relatório final
apresentando uma analise critica
sobre os problemas de saúde e
de gestão sanitária encontrados e
propostas de solução
/recomendações.

84
Aula Prática Apresentação e defesa do relatório 8
Exame Final do Módulo 2
Total das Horas 54

BIBLIOGRAFIA

1. MARTINS, Helder. Manual de Supervisão e avaliação para centros de Saúde,


MISAU ( Reeditado)

Durante as aulas práticas, a serem realizadas na área de saúde, cada grupo irá
elaborar um relatório que deverá ser apresentado no último dia do estágio perante os
supervisores e tutores

85
27. PLANIFICAÇÃO E GESTÃO

MÓDULO V
GESTÃO, PROMOÇÃO DE SAÚDE E PREVENÇÃO DE DOENÇAS - I
PRÉ – REQUISITOS
Todos os módulos do I semestre

II SEMESTRE

Carga Horária
Aulas Teórico-Práticas Horas por Duração Total de
semana (Semanas) Horas
Aulas teóricas 52
Aulas práticas 10
Avaliação teórica 4
Avaliação prática -
Total das horas do módulo 66
Estágio 35
Total geral 901

Docentes:
 Técnico Superior em Administração Hospitalar
 Técnico de Administração Hospitalar
 62Técnico de Medicina Preventiva Especializado com Experiência em Gestão
 Técnico de Administração Pública

No fim da disciplina o aluno demonstra as seguintes competências:


1. Faz a planificação e gestão de recursos:
a. Humanos,
b. Tempo,
c. Financeiro,
d. Material e Equipamento
2. Prepara propostas de orçamento de actividades da sua área de acção
3. Faz aplicação correcta dos fundos disponibilizados para implementação de
programas específicos.
4. Realiza Supervisão, Monitoria e Avaliação dos serviços de saúde de modo a
identificar possíveis necessidades de formação e motivação do pessoal bem
como a adequação e correcção das actividades.
5. Implementa os princípios de liderança participativa, trabalho em equipa e das
técnicas de gestão e resolução de conflitos

86
Conteúdo Temático:
Tópico Conteúdo Objectivos de Aprendizagem Horas
Introdução a Planificação da gestão  Definir: Planificação, Gestão,
Planificação e sanitária, Chefia, Direcção.
Gestão  Descrever o ciclo da planificação
e os aspectos em ter em conta
em cada fase.
 Relacionar planificação de saúde
dos diferentes níveis com a
política e estratégias nacionais 8
 Distinguir a planificação de curto,
médio e longo prazo
 Distinguir a planificação
estratégica da planificação
operacional
 Interpretar as funções básicas do
NEP Distrital.
Conflitos Conceito de Gestão,  Mencionar os princípios gerais 4
organizacionai Direcção e Chefia, de gestão.
s Conflitos organizacionais,  Descrever as funções de
Tipos, causas, direcção e chefia.
consequências e formas de  Identificar os princípios e estilos
resolução de conflitos. de liderança Listar os tipos de
conflitos laborais Descrever os
tipos, causas e consequências
de conflitos
 Explicar as diferentes formas de
resolução de conflito
Desenvolvime Critérios para afectação do  Conhecer os critérios de
nto de pessoal, afectação do pessoal
recursos Motivação e o desempenho  Reconhecer os factores
humanos (RH) Plano de actividades (diário, motivacionais do indivíduo que
no processo semanal, mensal e anual) influenciam no desempenho 4
de trabalho como instrumento de  Reconhecer a importância da
avaliação de desempenho formação em trabalho
Formação em trabalho,  Reconhecer a importância de
elaboração e uso de um plano de
actividade
Organograma Organograma, Hierarquia,  Conhecer organigrama e
e Processo de Níveis e processo de hierarquia do SNS.
tomada de tomada de decisão (MISAU,  Explicar os diferentes níveis de 4
decisão DPS, DDS, US). tomada de decisão nos SNS
 Descrever as Etapas do
Processo de tomada de decisão

87
Gestão de Recursos humanos,  Reconhecer a diferença na
recursos materiais e financeiros gestão dos recursos humanos,
Controle de efectividade materiais e financeiros
Pontualidade  Reconhecer a importância do
Assiduidade controle de efectividade
 Elaborar plano orçamental
obedecendo as normas de 4
gestão
 Reconhecer as normas de
gestão e execução do orçamento
do Estado e Fundos Externos.
 Descrever as normas de
aquisição de bens e serviços;
 Organizar um processo de
contas
 Encaminhar devidamente as
receitas provenientes de multas
e outras actividades.
 Fazer a estimativa de recursos
Gestão de necessário e o respectivo custo;
material- Stocks, património,  Fazer inventario e registo de
stocks inventario. recursos existentes (material 6
duradoiro e não duradoiro,
equipamento, mobiliário, artigos
de consumo corrente).
 Determinar o ponto de
encomenda e stock mínimo.
 Descrever a importância da
gestão de tempo.
 Fazer a Planificação das
Gestão de Gestão de tempo e sua actividades, (anuais, mensais, 6
tempo planificação. semanais e diárias).
 Conhecer as normas para
calendarização das actividades.
 Elaborar cronograma de
actividades.
Avaliação Teórica 2
AULA Planificação, cronograma de 1. Preencher instrumentos de
PRÁTICA actividades, registo de inventário;
Inventario, estimativa de 2. Calcular estimativa de recursos 10
custos necessário e o respectivo custo;
3. Elaborar cronograma de
actividades.
4. Elaborar mapa de efectividade
(visita a secretaria)
5. Registar as entradas e saídas

88
dos produtos

 Definir: Supervisão, Monitoria e


Avaliação.
 Descrever os objectivos e
Administração Supervisão, Monitoria e funções da Supervisão, 8
Avaliação.  Conhecer os tipos de supervisão
 Descrever os procedimentos
para uma Monitoria;
 Descrever os componentes da
Avaliação.
 Preparar uma Supervisão,
Trabalho em equipa:  Reconhecer a importância de
Importância trabalho em equipa
Trabalho em Características  Descrever as características de
Equipa Papeis dos membros uma equipe de trabalho 8
 Reconhecer semelhanças na
diferença
 Demonstrar espírito de
cooperação
 Reconhecer os papeis de cada
membro da equipe
Exame Final do Módulo 2
Total das Horas 66

Estágio de 35 horas (1 semana)


Supervisores: (Categoria Profissional):
 Técnico de Administração Hospitalar
 Técnico de Administração Pública
 Técnico de Medicina Preventiva Especializado com Experiência em Gestão
 Técnico Superior em Administração Hospitalar

Bibliografia
1. BNEADMORE G.R; Organização e Métodos; Editora Presença, Lda; Lisboa;
1992;
2. CHIAVENATO, Idalberto. Recursos Humanos: Capital Humano das
Organizações. 8. ed. São Paulo: Atlas S.A, 2008;

89
3. CHILUNDO et all, Curso Integrado de Planificação, Monitoria, Avaliação e SIS, 1
Edição, 2009;
4. República de Moçambique. Estatuto Geral do Funcionário do Estado (EGFE),
Maputo, 1997;
5. EGFE – Manual de Procedimentos, Maputo, 1987;
6. MISAU. Ficha de Inventario (A-G) MISAU-DA;
7. GIL, Carlos António. Gestão de Pessoas: Enfoque nos Papeis Profissionais. São
Paulo: Atlas S.A, 2008;
8. MISAU- DNS. Guião de Supervisão do PAV, MISAU- DNS, 1996;
9. LEVIEQUE, Agostinho. Gerir Recursos Humanos é Gerir Mudanças. Maputo:
Ngira. 2007;
10. PERETTI, Marie Jean; Silabo Gestão – Recursos Humanos; 3 ed. Edições
Silabo Lda, Lisboa; 2004;
11. SUCCATO, COSTA e MENDES. Guião Para Supervisão de Centros de Saúde -
Manual De Utilização Ministério da Saúde – DRH- DF, Maputo 1997.

90
28. ENVOLVIMENTO COMUNITÁRIO E EDUCAÇÃO
PARA SAÚDE I

MÓDULO V
GESTÃO, PROMOÇÃO DE SAÚDE E PREVENÇÃO DE DOENÇAS - I
PRÉ – REQUISITOS
Todos os módulos do I semestre

II SEMESTRE

Carga Horária
Aulas Teórico-Práticas Horas por Duração Total de
semana (Semanas) Horas
Aulas teóricas 64
Aulas práticas 40
Avaliação teórica 8
Avaliação prática 8
Total das horas do módulo 120
Estágio 35
Total geral 159

Docentes:
 Licenciado em Saúde Publica ou com experiência em Envolvimento
Comunitário;
 Técnico de Medicina Preventiva Especializado em Ensino ou Saúde Publica;
 Técnico de Medicina Especializado em Ensino ou Saúde Publica ou em Saúde
Comunitária;
 Técnicos de Medicina Preventiva com experiência em Saúde Comunitária.

No fim da disciplina o aluno demonstra as seguintes competências:


1. Identifica e reconhece as estruturas comunitárias para cooperação com os
programas de saúde.
2. Envolve a comunidade na identificação de recursos e problemas de saúde
orientados aos principais determinantes de saúde.
3. Apoia a comunidade no desenho e implementação de estratégias de solução de
problemas com base nos recursos localmente disponíveis.
4. Desenvolve relações de parceria para aprendizagem mútua com grupos
comunitários (ACSs e PMTs) e outras organizações sociais e implementa
estratégias localmente definidas na solução de problemas de saúde
identificados.

91
5. Envolve outros sectores de actividades na solução dos problemas de saúde
identificados na comunidade.
6. Faz o Diagnóstico Comunitário Participativo.
7. Reconhece os princípios, valores, crenças e práticas da comunidade e usa-os
para adequar as mensagens educativas para promover as boas práticas de
saúde.
8. Lida com a comunidade de forma humilde, aberta e respeitosa.
9. Promove equidade de género nas actividades de saúde comunitária.
10. Promove a participação da comunidade na solução dos problemas com recursos
e oportunidades existentes para o benefício e empoderamento da mesma.

Conteúdo Temático:
Tópico Conteúdo Objectivos de Aprendizagem Horas
Introdução ao Conceito da comunidade  Conceituar a comunidade e
Envolvimento Conceito de Educação para Educação para Saúde
Comunitário e Saúde  Diferenciar Participação
Educação Diferença entre Participação comunitária do Envolvimento 10
para Saúde I Comunitária e Envolvimento Comunitário
Comunitário  Distinguir os termos Trabalhar na
Trabalhar na comunidade comunidade, Trabalhar para
Trabalhar para comunidade comunidade e Trabalhar com a
Trabalhar com a comunidade
comunidade  Reconhecer a importância do
Importância do Envolvimento Envolvimento comunitário nas
comunitário nas actividades actividades de saúde
de saúde  Descrever os Níveis de
Níveis de Envolvimento Envolvimento comunitário
comunitário  Explicar os princípios de
Princípios de promoção de promoção de Saúde
saúde: Justiça social,
equidade e empoderamento
Organização Estrutura interna da  Descrever a estrutura interna da
das comunidade e coesão das comunidade
comunidades comunidades  Discutir os conceitos de
Liderança forma e informal liderança, poder e
nas comunidades empoderamento da comunidade
Importância de diferentes  Distinguir tipos e formas de
tipos de liderança na liderança na comunidade 8
colaboração nos programas  Diferenciar tipos de poder
de saúde  Reconhecer a importância de
diferentes tipos de liderança na
colaboração nos programas de
saúde
Lideranças 1. Visitar autoridades comunitárias
comunitárias AULA PRÁTICA de diferentes tipos para se 8

92
inteirar das suas actividades
diárias.
Passos/Etapa Descrição de passos de  Descrever os passos de
s de Envolvimento comunitário e Envolvimento comunitário
Envolvimento sua Importância  Definir critérios de selecção da
comunitário comunidade 4
 Explicar as actividades
necessárias em cada uma dos
passos
 Reconhecer a importância de
cada passo na criação de
relações com a comunidade
Métodos de Identificação, análise e  Apoiar a comunidade na
análise dos priorização dos problemas identificação dos problemas de
problemas de de saúde saúde de forma participativa 4
saúde  Estabelecer a priorização dos
problemas identificados
 Facilitar a comunidades no
estudo e definição de possíveis
soluções dos problemas
identificados
Avaliação Teórica 2
Acções Processo de tomada de  Orientar a comunidade a tomar
baseadas na decisões decisões adequadas na solução
comunidade dos problemas por eles
identificados
 Planificar, implementar e avaliar
os programas e actividades de 6
saúde comunitária
 Apoiar a comunidade na
definição de estratégias de
solução de problemas com base
nos recursos localmente
disponíveis
 Identificar métodos participativos
de avaliação das actividades
comunitárias
Parcerias O papel dos Agentes  Estabelecer parcerias 6
comunitárias Comunitários de Saúde e comunitárias para a solução de
na promoção Praticantes de Medicina problemas de saúde
de saúde Tradicional (PMT) na saúde  Envolver-se no processo de
das populações aprendizagem mútua com grupos
comunitários específicos
 Monitorar e avaliar processo e
resultados de parcerias
Diagnóstico Factores que determinam a  Envolver a comunidade na

93
comunitário saúde e desenvolvimento elaboração e aplicação
participativo local questionário de recolha de dados
de saúde comunitária
 Identificar factores que
determinam a saúde
 Identificar factores locais que 10
podem contribuir para o
desenvolvimento
 Identificar princípios, valores,
crenças e práticas que interferem
da saúde da comunidade e
desenvolvimento local
Diagnóstico AULA PRÁTICA 1. Visitar uma comunidade, fazer 16
comunitário um levantamento comunitário
Avaliação Teórica 2
Colaboração O papel de outros sectores  Analisar e inter-relacionar as
inter e na manutenção da saúde, intervenções e contribuição de
multisectorial prevenção de doenças, diferentes sectores na saúde das
nas acções sensibilização para adesão comunidades
de saúde ao tratamento e mitigação  Elaborar um plano integrado e 8
em caso de sequelas multisectorial de intervenção em
resposta aos problemas de
saúde
Colaboração AULA PRÁTICA 1. Elaborar um plano multisectorial
inter e de intervenção em problemas de
multisectoria saúde 8
l
Mobilização Técnicas de mobilização  Planificar actividades de
comunitária comunitária mobilização das comunidades
Factores que interferem no nas acções de saúde
envolvimento comunitário  Descrever as técnicas usadas no
Envolvimento comunitário
 Definir estratégias adequadas
para promover adesão das
comunidades nas acções de
saúde
 Avaliar o resultado das acções 8
de mobilização comunitária
 Identificar factores que
condicionam o envolvimento
comunitário nas acções de saúde
Mobilização AULA PRÁTICA 1. Organizar uma actividade de
comunitária mobilização para a adesão a um
programa de saúde 8
Avaliação Teórica 2
Avaliação Prática 8

94
Exame Final do Módulo 2
Total das Horas 120
Estágio de 35 horas (1 semana)

Supervisores: (Categoria Profissional):


Técnico de Medicina Preventiva
Técnico de Saúde Especializado em Saúde Publica ou com experiência no
Envolvimento Comunitário
Mestrado em Saúde Publica

BIBLIOGRAFIA
1. MISAU/DNS. Estratégia de Envolvimento Comunitário. MISAU. 2004
2. PARETA, J. Saúde da Comunidade: Temas de medicina preventiva e social. Mc
Graw-Hill
3. MARTINS, Helder ; Determinantes de Saúde, Maputo. CRDS, Texto de
Formação do CRDS, Codigo, EPI Bloco 2, Problema 1,2,3 e 3-1 , 18/08/95.
4. MISAU. Cuidados de Saúde Primários da Saúde em Moçambique , Maputo,
1978???
5. CENTRO DE FORMAÇÃO EM SAÚDE DE MASSINGA. Manual de Promoção
de Saúde Comunitária 1. (estabelecimento do cenário). Massinga. 2011
6. CENTRO DE FORMAÇÃO EM SAÚDE DE MASSINGA. Manual de Promoção
de Saúde Comunitária 2 (revelação dos determinantes de saúde). Massinga.
2011
7. CENTRO DE FORMAÇÃO EM SAÚDE DE MASSINGA. Manual de Promoção
de Saúde Comunitária 3 (ligado a saúde e o desenvolvimento). Massinga. 2011
8. CENTRO DE FORMAÇÃO EM SAÚDE DE MASSINGA. Manual de Promoção
de Saúde Comunitária 4 (melhoramento dos programas de saúde comunitária).
Massinga. 2011
9. CENTRO DE FORMAÇÃO EM SAÚDE DE MASSINGA. Realizando o
envolvimento comunitário 1 (elementos fundamentais do envolvimento
comunitário). Massinga. 2011
10. CENTRO DE FORMAÇÃO EM SAÚDE DE MASSINGA. Realizando o
envolvimento comunitário 2 (justificando a feitura do envolvimento
comunitário). Massinga. 2011
11. CENTRO DE FORMAÇÃO EM SAÚDE DE MASSINGA. Realizando o
envolvimento comunitário 3 (preparação para a práctica do envolvimento
comunitário). Massinga. 2011
12. CENTRO DE FORMAÇÃO EM SAÚDE DE MASSINGA. Realizando o
envolvimento comunitário 4 (envolvimento comunitária na práctica).
Massinga. 2011

95
29. EPIDEMIOLOGIA

MÓDULO V
GESTÃO, PROMOÇÃO DE SAÚDE E PREVENÇÃO DE DOENÇAS - I
PRÉ – REQUISITOS
Todos os módulos do I semestre

II SEMESTRE

Carga Horária
Aulas Teórico-Práticas Horas por Duração Total de
semana (Semanas) Horas
Aulas teóricas 80
Aulas práticas 30
Avaliação teórica 8
Avaliação prática -
Total das horas do módulo 118
Estágio 35
Total geral 153

Docentes:
 Mestrado em Saúde Publica ou com experiência em Epidemiologia
 Técnico de Medicina Preventiva Especializado em Ensino ou Saúde Publica
 Técnico de Medicina Especializado em Ensino ou Saúde Publica
 Técnico de Medicina Preventiva com experiência em Epidemiologia

No fim da disciplina o aluno demonstra as seguintes competências:


1. Aplica os princípios e métodos de estudo em epidemiologia.
2. Reconhece os factores responsáveis pelo aparecimento de uma doença
3. Interpreta série cronológica de determinados eventos
4. Reconhece as diferentes fases da história natural da doença
5. Aplica níveis de prevenção e intervenção na História Natural da Doença
6. Aplica métodos gerais de combate as doenças transmissíveis e não
transmissíveis
7. Elabora, analisa e envia a tempo, os Boletins Epidemiológicos Semanais.
8. Elabora e utiliza o canal endémico da sua área de saúde para interpretar
problemas de saúde.
9. Elabora e apresenta dados estatísticos e interpreta epidemiologicamente.
10. Aplica medidas de combate aos focos de doenças
11. Implementa a Vigilância epidemiológica para o controle de problema de saúde.
12. Utiliza a classificação internacional de doenças.
13. Colabora com outros profissionais em casos de emergência, desastres.

96
Conteúdo Temático:
Tópico Conteúdo Objectivos de Aprendizagem Horas
Definição de Epidemiologia  Definir Epidemiologia 6
Introdução a Utilidade da Epidemiologia  Explicar a utilidade de
Epidemiologia Métodos Epidemiológicos Epidemiologia
Princípios de Epidemiologia  Descrever os métodos de estudo
Terminologias em Epidemiologia
básicas em  Explicar os princípios ecológico e
Epidemiologia de multicausalidade
 Conceituar casos esporádicos,
Endemia, Surto Epidémico,
Epidemia e Pandemia
Factores Tríade ecológica  Conceituar a tríade ecológica 6
responsáveis  Conceito  Descrever os componentes da
pelo  Componente Tríada ecológica
aparecimento Cadeia Epidemiológica  Descrever os elementos da
de uma cadeia epidemiologia
doença
Série Séries cronológicas:  Explicar a importância de série
cronológica Conceito, importância e cronológica para monitoria dos
componentes eventos 4
Análise dos elementos da  Descrever os componentes da
série cronológica série cronológica
 Analisar uma série cronologia
Canal Canal endémico  Conceituar canal endémico 4
Endémico  Conceito  Elaborar e interpretar canal
 Elaboração endémico
Recolha de 1. Recolher dados sobre as
dados sobre AULA PRÁTICA NA doenças endémicas e 10
doenças UNIDADE SANITÁRIA estabelecer a relação com os
endémicas e factores locais
elaboração do 2. Elaborar e interpretar série
canal cronológica canal endémico
endémico de algumas doenças
Avaliação Teórica 2
História Natural da Doença  Conceituar a História natural da 10
História (HND): Conceito, Utilidade, doença
Natural da Fases  Explicar a utilidade da História
Doença (HND)  Exemplos de algumas Natural da Doença
doenças  Descrever as fases da HND
 Analisar as fases da HND de
HIV/SIDA, Tuberculose,
Meningite, Malária, Cólera e
Poliomielite
Níveis de Prevenção primária  Identificar os níveis de aplicação

97
prevenção e Prevenção Secundária de medidas preventivas na
de intervenção Prevenção Terciária história natural da doença.
na HND Reabilitação  Descrever acções a desenvolver 6
em cada nível de aplicação de
medidas preventivas.
Métodos Noção de foco de infecção  Conceituar foco de infecção
gerais de Medidas imediatas perante  Identificar medidas imediatas a
combate às um foco de infecção aplicar perante um foco de
doenças Noções sobre campanha e infecção
transmissíveis programas de saúde  Distinguir uma campanha de um 4
e não programa de saúde no ponto de
transmissíveis vista de actividades e
periodicidade
Sistema de Sistema de Informação para  Definir o Sistema de Informação
Informação a Saúde: para a Saúde
para a Saúde  Definição,  Identificar os instrumentos
 Instrumentos, usados no SIS
 Normas e actividades.  Explicar as normas que devem 8
ser seguidas no uso dos
instrumentos do SIS
 Descrever as actividades do SIS
Indicadores de Indicadores de Saúde  Definir indicador de saúde
Saúde  Visão geral dos  Explicar a qualidade dos
indicadores indicadores
 Definição  Classificar os indicadores
 Classificação  Calcular indicadores
 Calculo  Interpretar os indicadores de 8
 Interpretação e saúde
aplicação  Aplicar os indicadores na tomada
de decisões
Avaliação Teórica 2
Calculo e 1. Recolher dados da unidade
interpretação AULA PRÁTICA sanitária 10
de indicadores 2. Calcular indicadores
Vigilância Sistema de Vigilância  Definir o sistema de vigilância
Epidemiológic Epidemiológica epidemiológica
a (SVE)  Explicar o propósito do SVE 8
 Explicar os objectivos e a
importância da Vigilância
Epidemiológica
 Descrever as actividades do SVE
 Explicar as limitações do SVE
 Identificar os elementos da VE
 Descrever os mecanismos de
obtenção de informação
Epidemiológica

98
 Conhecer os impressos utilizados
no SVE bem como o respectivo
preenchimento
Emissão de AULA PRÁTICA NA  Recolher dados do livro de
BES UNIDADE SANITÁRIA registo usando técnicas 10
adequadas de recolha
 Elaborar um BES da unidade
sanitária, Distrital e Provincial
(quando aplicável)
Emergências Definição  Reconhecer a necessidade de
e desastres  Emergência colaborar com outros 10
 Desastre profissionais em casos de
 Emergência complexa emergência, desastres e
declaração de emergência.
 Descrever as normas para
declaração de situação de
emergência
 Explicar as consequências dos
desastres para a saúde pública
 Planificar a logística para
responder as situações de
emergência
 Estabelecer um sistema de
Vigilância Epidemiológica em
situação de emergência
 Identificar a necessidade de
assistência humanitária
internacional em situação de
emergência.
Avaliação Teórica 2
Classificação CID:  Conhecer as normas de
Internacional Regras classificação internacional de
das Doenças Normas doenças.
(CID) Códigos  Explicar a importância da
Importância classificação internacional de
doenças. 6
 Aplicar as regras de classificação
internacional de doenças.
 Utilizar os códigos de
classificação internacional de
doenças no SVE, no SIS e em
estudos Epidemiológicos.
Exame Final do Módulo 2
Total das Horas 118

99
Bibliografia:
1. BEAGLEHOLE, Bonita .R.T Epidemiologia. São Paulo: Editora Santos 1996
2. FORATINNI O. P Epidemiologia Geral. São Paulo: Artes Médica 1996
3. MEDRONHO R. A . Epidemiologia. São Paulo: Editora Atheneu. 2004
4. FILHO, Almeida N, & ROUQUAYRAL . M.Z Introdução a Epidemiologia 3ª ed.
Rio de Janeiro, 2000

100
30. HIGIENE AMBIENTAL- I

MÓDULO V
GESTÃO, PROMOÇÃO DE SAÚDE E PREVENÇÃO DE DOENÇAS - I
PRÉ – REQUISITOS
Todos os módulos do I semestre

II SEMESTRE

Carga Horária
Aulas Teórico-Práticas Horas por Duração Total de
semana (Semanas) Horas
Aulas teóricas 90
Aulas práticas 56
Avaliação teórica 8
Avaliação prática 5
Total das horas do módulo 159
Estágio 70
Total geral 229

Docentes:
 Licenciado em Saúde Pública com formação em Medicina Preventiva
 Técnico de Medicina Preventiva Especializado em Ensino

No fim da disciplina o aluno demonstra as seguintes competências:


1. Promove e participativa em actividades básicas de Saneamento do meio
na sua área de saúde (na unidade sanitária e na comunidade).
2. Promove a deposição adequada de dejectos
3. Promove a gestão correcta de lixo
4. Reconhece e divulga a importância da estabulação de animais
5. Controla artrópodes, roedores e outros vectores
6. Explora problemas sanitários resultantes da existência de animais a solta
e descontrolados (ex: raiva)
7. Promove o tratamento da água para o consumo humano

101
Conteúdo Temático:
Tópico Conteúdo Objectivos de Aprendizagem Horas
 Ambiente  Definir Higiene e Ambiente 4
Introdução a  Higiene (individual,  Descrever práticas de higiene
Higiene colectiva, dos humana e ambiental
Ambiental alimentos, da água, do  Analisar a higiene sob várias
ambiente) perspectivas (individual,
 Importância do meio colectiva, dos alimentos, da
Ambiente na vida água, do ambiente)
Humana  Reconhecer a importância da
higiene e do meio ambiente na
vida Humana
Saneamento  Definição  Definir Saneamento 8
do meio  Saneamento em locais  Descrever as acções de
públicos saneamento do meio
 Saneamento em  Reconhecer a importância do
situação de emergência saneamento do meio na vida
e Calamidades Humana
 Planificar acções de promoção
de saneamento do meio na sua
área de saúde
 Programar intervenções
específicas de saneamento para
situação de emergência
Saneamento  Aula Prática 1. Visitar locais públicos (escolas, 5
do meio mercados, residências) para
avaliar o grau de higiene e
saneamento de meio
Avaliação Produzir um relatório com propostas de soluções dos problemas 5
Prática
Deposição de  Generalidades  Descrever as formas de 10
dejectos  Formas de deposição deposição adequada de dejectos
de dejectos humanos humanos
 Doenças relacionadas  Reconhecer a importância de
com dejectos uma deposição adequada de
 Modo de transmissão dejectos para a saúde humana
 Soluções individuais  Conhecer doenças relacionadas
para o uso de com dejectos
dejectos  Descrever o modo de
 Importância transmissão de doenças
Económica relacionadas com dejectos
 Descrever as formas de
prevenção de doenças
relacionadas com dejectos
 Discutir as diversas formas
(sanitárias e não sanitárias) de
uso e aproveitamento de

102
dejectos
 Explicar a importância
económica dos dejectos
 Discutir soluções para o combate
ao fecalismo a céu aberto em
Moçambique
Avaliação Teórica 2
Deposição de  Aula Prática 1. Visitar áreas de prática de 5
dejectos fecalismo a Céu aberto e discutir
soluções para a mitigação do
problema o combate
Avaliação Produzir um relatório com propostas de soluções dos problemas 5
Prática
Latrinas  Tipos de latrinas  Conhecer os diferentes tipos de 8
latrinas
 Descrever a constituição e
funcionamento de cada tipo de
latrina
 Discutir as vantagens e
desvantagens de cada tipo de
latrina
 Conhecer as técnicas de
construção de latrinas
 Conhecer a distância entre a
latrina e a habitação, poço, e
estábulos.
 Descrever os cuidados a ter com
uma latrina
 Relacionar o tipo de latrina a
topografia do terreno
Latrinas  Aula Prática 1. Promover a construção e uso 8
correcto de latrina na sua área
de saúde
Esgotos  Tipos  Conhecer os tipos de esgotos
 Sistemas de esgotos  Descrever o funcionamento do
sanitários esgoto
 Colectores de esgotos  Reconhecer a importância dos
esgotos no saneamento do meio
 Conhecer os cuidados a ter com
esgoto
Avaliação Teórica 2
Gestão do  Conceito  Discutir o conceito de lixo 8
lixo comum  Tipos de lixo  Conhecer os diferentes tipos de
 Deposição adequada lixo
do lixo  Reconhecer a importância da
 Importância sanitária deposição adequada do lixo

103
e económica do lixo  Descrever as etapas da gestão
 Destino do lixo do lixo desde o local de
produção ao depósito final
 Discutir a gestão do lixo nas
lixeiras (domésticas e
municipais)
 Reconhecer a importância
(sanitária e económica) do lixo
 Discutir criticamente as
diferentes formas de
aproveitamento do lixo, suas
vantagens e desvantagens
 Planificar acções de promoção
da gestão adequada do lixo na
sua área de saúde
Gestão do  Aula prática 1. Visitar áreas de depósito final de 5
lixo lixo (domésticos e municipais) e
discutir criticamente processo de
gestão das lixeiras
Avaliação Produzir um relatório com propostas de soluções dos problemas 5
Prática
Gestão do  Definição  Definir lixo hospitalar 6
lixo hospitalar  Gestão dos diferentes  Conhecer os diferentes tipos de
tipos de lixo hospitalar lixo hospitalar
 Descrever as técnicas de
tratamento de lixo hospitalar
 Descrever as etapas da gestão
do lixo hospitalar desde o local
de produção até destino final
 Reconhecer a importância do
uso do equipamento de
protecção individual no
manuseamento do lixo hospitalar
 Planificar e realizar inspecções
na gestão de lixo hospitalar nas
unidades sanitárias
Gestão do  Aula Prática 1. Aplicar correctamente as 8
lixo hospitalar técnicas de tratamento de lixo
hospitalar

Avaliação Teórica 2
Estabulação  Principais animais a ser  Conhecer os principais animais a 6
de animais estabulados serem estabulados
 Tipos de estábulos  Descrever os tipos de estábulos
 Problemas sanitários mais comuns para as diferentes
resultantes da existência espécies de animais

104
de animais a solta e  Identificar os principais
descontrolados problemas sanitários resultantes
 Localização dos da existência de animais a solta
estábulos em relação a e descontrolados
habitação  Reconhecer a importância
 Importância (sanitária e (económica e sanitária) da
económica) da estabulação de animais; suas
Estabulação de animais vantagens e desvantagens
 Estabulação de animais  Discutir criticamente soluções
na comunidade locais para a estabulação de
animais na comunidade
 Aplicar correctamente a vacina
anti-rábica
 Planificar estratégias para a
estabulação de animais na
comunidade
Controlo de  Entomologia geral  Definir entomologia 10
artrópodes  Doenças causadas por  Conhecer os principais insectos
artrópodes (mosca, mosquitos, ácaros,
 Ciclo de vida de alguns baratas, pulgas) vectores e
artrópodes causadores de doenças
 Controlo de artrópodes (morfologia, habitat, doença
causada)
 Conhecer o ciclo de vida de
alguns artrópodes
 Fazer o levantamento de
potenciais criadouros de
mosquitos
 Conhecer os métodos de
controlo de insectos
 Conhecer as doenças
transmitidas pelos insectos e
medidas preventivas
 Programar e implementar acções
de controlo de artrópedes na sua
área de saúde
Controlo de  Roedores  Conhecer os métodos de 6
roedores controlo de roedores
 Conhecer as principais doenças
causadas por roedores, modo de
transmissão e medidas
preventivas
 Planificar acções de controlo de
roedores na sua área de saúde
Higiene de  Produtos alimentares de  Distinguir os produtos de origem 8
Alimentos origem animal e vegetal animal dos de origem vegetal

105
 Factores de degradação  Descrever as características
de alimentos organolécticas de produtos de
 Doenças origem animal e vegetal
potencialmente  Conhecer os factores (químicos,
causadas por alimentos físicos e biológicos) de
mal conservados degradação de alimentos
 Formas de conservação  Conhecer as doenças
de alimentos potencialmente causadas por
alimentos mal conservados
 Conhecer as formas de
conservação de alimentos
Higiene de Aula prática Na IdF: 5
Alimentos 1. Verificar as características
organolecticas dos alimentos
2. Verificar a forma de
conservação

Avaliação Produzir um relatório com propostas de soluções dos problemas 5


Prática
Higiene de  Tratamento da água  Descrever as formas de 8
Água para o consumo humano tratamento de água (físico,
 Sistema de tratamento químico e completo)
de água para  Conhecer o sistema de
abastecimento em meio tratamento para abastecimento
Urbano em meio Urbano
 Regulamento de  Conhecer o mecanismo de
Qualidade da água para desinfecção de poços e
o Consumo Humano depósitos de água
 Conhecer mecanismos de
tratamento de água em
situações de emergência e
calamidades
 Aplicar o Regulamento sobre a
Qualidade da Água para o
Consumo Humano
 Programar e implementar acções
de promoção de consumo de
água tratada na sua área de
saúde
 Desinfectar de poços e depósitos 8
de água
 Visitar estacão de Tratamento de
Aula Prática água
Higiene de  Recolher amostras
Água correctamente, transportar e
enviar ao Laboratórios

106
 Controlar a qualidade da água
usando o kit portátil
 Discutir formas de
aproveitamento da água da
chuva
Exame Final do Módulo 2
Total das Horas 162

Estágio de 70 horas (2 semanas)

Supervisores: (Categoria Profissional):


 Técnico de Saúde Especializado em Saúde Publica
 Técnico de Medicina Preventiva

BIBLIOGRAFIA
1. SCOTNEY, N. Educação para a Saúde Comunitária: Saneamento do Meio e
Higiene Alimentar. Paulinas.
2. Kloetzel K. Temas de Saúde: Higiene Física e Ambiental. EPU. 1980

107
31. PROGRAMA ALARGADO DE VACINAÇÃO - I

MÓDULO V
GESTÃO, PROMOÇÃO DE SAÚDE E PREVENÇÃO DE DOENÇAS - I
PRÉ – REQUISITOS
Todos os módulos do I semestre

II SEMESTRE

Carga Horária
Aulas Teórico-Práticas Horas por Duração Total de
semana (Semanas) Horas
Aulas teóricas 40
Aulas prática s 19
Avaliação teórica 6
Avaliação 5
Total das horas do módulo 70
Estágio 70
Total geral 140

Docentes:
 Técnico de Medicina Preventiva Especializado em Ensino
 Técnico Especializado em Saúde Pública
 Médico Mestrado em Saúde Pública ou com experiência no PAV

No fim da disciplina o aluno demonstra as seguintes competências:


1. Conhece os objectivos do PAV e importância de vacinação na prevenção das
doenças.
2. Calcula os grupos Alvo do PAV de acordo com os indicadores
3. Executa actividades de vacinação
4. Organiza uma sessão de brigada móvel
5. Implementa o uso correcto do calendário vacinal em todas componentes
6. Faz manutenção do equipamento de conservação de vacinas (geleira a petróleo,
a gás, solar e eléctrica, etc.)
7. Envolve os ACSs e autoridades locais na mobilização das famílias e as
comunidades para aderirem ao PAV

108
Conteúdo Temático:
Tópico Conteúdo Objectivos de Aprendizagem Horas
PAV  Definir o PAV
Introdução a  Definição e  Conhecer os objectivos do PAV
disciplina do generalidade  Explicar a importância da 2
PAV I  Importância e vacinação na prevenção das
objectivos doenças
 Características e  Definir vacina
especificidade de  Caracterizar as vacinas do
vacinas Programa

Poliomielite  Descrever as doenças alvo do


Doenças alvos Tuberculose PAV (Manifestação clínica,
Difteria, Tosse convulsa, transmissão e prevenção)
Tétano, Hepatite B, 6
Meningite
Sarampo
Vias de Entérica  Conhecer as vias de
administração Oral administração de cada tipo de 2
das vacinas Parentérica vacina
Intradérmica
Subcutanea
Intramuscular
1. Aplicar correctamente as vacinas 5
Administração LABORATÓRIO de acordo com a via de
das vacinas HUMANISTICO administração

Indicadores do Cálculo dos grupos Alvos do  Listar os indicadores usados no


PAV PAV de acordo com os PAV 4
indicadores  Calcular os Grupos Alvo e seus
indicadores
 Organizar uma sessão de
vacinação
 Implementar as etapas do
calendário vacinal das crianças e
Acções da Execução das acções de da mulher em idade fértil. 4
vacinação vacinação  Identificar os erros mais
frequentes na aplicação
 Reconhecer os eventos adversos
e contra indicações.
Acções da AULA PRATICA 1. Organizar uma sessão de 4

109
vacinação vacinação
Sistema de Instrumentos e normas para  Utilizar os instrumentos e normas
Informação de o Controle de qualidade, para o Controle de qualidade
Saúde (SIS)  Fazer o registo e preenchimento
Actividades do SIS correcto dos instrumentos do SIS
 Recolher correctamente os
dados registados 6
 Elaborar gráficos e tabelas
 Analisar e interpretar os dados
 Enviar atempadamente ao nível
hierarquicamente superior
 Dar retro-informação ao nível
hierarquicamente inferior
 Conhecer as fichas do SIS do
PAV.

Avaliação Teórica 2
Registo, 1. Fazer o registo nos livros
preenchimento AULA PRATICA 2. Recolher os dados do livro para 5
de fichas as fichas de resumo
 Conceituar Brigada Móvel e
Brigadas móveis Implementação das situações a serem consideradas 4
de vacinação Brigadas móveis de  Planificar actividade de Brigada
vacinação Móvel (incluir calendarização)
 Realizar actividades das
brigadas móveis
 Organizar as actividades de
“Dias mensais de saúde”
 Organizar e implementar as
campanhas de vacinação
 Conceituar a cadeia de frio
Conceitos de cadeia de frio,  Conhecer os diferentes níveis de
Cadeia de frio e níveis e sua manutenção conservação de vacinas
sua manutenção  Conhecer o equipamento da
cadeia de frio
 Arrumar correctamente as 6
vacinas de acordo com
equipamento de conservação em
uso.
 Fazer a manutenção preventiva
de equipamento de cadeia de
frio.
 Fazer o levantamento de
consumíveis necessários para o
funcionamento normas das
geleiras

110
 Colaborar na reparação do
equipamento de cadeia de frio ao
seu nível.
Manutenção de 1. Arrumar correctamente as
cadeia de frio AULA PRATICA vacinas de acordo com 5
equipamento de conservação em
uso.
2. Fazer a manutenção preventiva
de equipamento de cadeia de
frio.
 Aplicar as técnicas de 6
Mobilização Mobilização das famílias e mobilização social que permitem
Social das comunidades para maior adesão ao PAV
aderirem o PAV  Planificar e executar actividades
do campo porta a porta
AVALIACAO PRÁTICA NO 5
LABORATORIO
HUMANISTICO
Avaliação Teórica 2
Exame Final do Modulo 2
Total das Horas 70

Estágio de 70 horas (2 semanas)

Supervisores: (Categoria Profissional):


 Tec. Medicina preventiva
 Técnico de Medicina Preventiva Especializado em Ensino
 Técnico Especializado em Saúde Pública
 Médico Mestrado em Saúde Pública ou com experiência no PAV

Bibliografia
1. DNS-DSC: Programa Nacional de SMI/PAV/SEA.2001
2. MISAU/DNS; Manual do PAV; edição actualizada; 2009.

111
MÓDULOS III SEMESTRE
(Gestão, Promoção de Saúde e Prevenção de Doença – II
e Programa de Saúde da Mulher e Criança; Saúde Escolar, Ocupacional
e Ensino Em Saúde)

112
32. ENVOLVIMENTOCOMUNITÁRIO E EDUCAÇÃO
PARA SAÚDE II

MÓDULO VI
GESTÃO, PROMOÇÃO DE SAÚDE E PREVENÇÃO DE DOENÇA – II
E PROGRAMA DE SAÚDE DA MULHER E CRIANÇA
PRÉ – REQUISITOS
Todos os módulos do I e II semestre

III SEMESTRE

Carga Horária
Aulas Teórico-Práticas Horas por Duração Total de
semana (Semanas) Horas
Aulas teóricas 46
Aulas práticas 25
Avaliação teórica 4
Avaliação prática 5
Total das horas do módulo 80
Estágio 35
Total geral 115

Docentes:
 Licenciado em Saúde Publica ou com experiência em Envolvimento Comunitário
 Técnico de Medicina Preventiva Especializado em Ensino ou Saúde Publica
 Técnico de Medicina Especializado em Ensino ou Saúde Publica ou em Saúde
Comunitária
 Técnicos de Medicina Preventiva com experiência em Saúde Comunitária

No fim da disciplina o aluno demonstra as seguintes competências:


1. Reconhece o papel de Educação para Saúde como instrumento de promoção de
saúde e mudança de comportamento.
2. Aplica as técnicas de educação para saúde para promover mudanças de
atitudes e hábitos negativos para a saúde em determinados grupos
comunitários.

113
Conteúdo Temático:
Tópico Conteúdo Objectivos de Aprendizagem Horas
Educação Diferenças entre Educação  Diferenciar Educação para
para Saúde e para Saúde e Educação Saúde da Educação Sanitária
Educação Sanitária  Reconhecer o papel da
Sanitária O papel da Educação para Educação para Saúde na 4
Saúde na mudança de mudança de comportamento
comportamento
Comunicação Comunicação:  Definir comunicação
em Saúde - Definição  Descrever os elementos da
- Elementos comunicação
- Formas e Técnicas  Conhecer as formas de
- Factores que comunicação
influenciam  Aplicar as técnicas para uma
comunicação eficaz e eficiente 6
 Identificar os factores que
condicionam a comunicação
Técnicas de Palestras  Aplicar correctamente as
Educação Cânticos técnicas de Educação para
para a Saúde Dramatizações Saúde
Aconselhamento  Orientar uma sessão de
personalizado aconselhamento personalizado
Teatro de fantoches,  Criar uma cena com conteúdo 10
Sessões de vídeos e educativo
exibição de filmes
Meios Produção e utilização dos  Elaborar e Testar o material
audiovisuais meios audiovisuais audiovisual e gráfico 8
usados na  Utilizar correctamente os meios
Educação audiovisuais para orientar uma
para Saúde sessão de Educação para Saúde
Plano de uma sessão de  Planificar uma sessão de ensino
Sessão de ensino e aprendizagem e aprendizagem sobre temas de
aprendizagem (Palestra) saúde 6
mútua Técnicas de facilitar uma  Aplicar as técnicas de facilitação
sessão que motivam a contribuição dos
Formas de avaliação de uma participantes
sessão  Aplicar formas eficazes para
avaliar uma sessão de
aprendizagem mútua
Avaliação Teórica 2
Uso de meios 1. Produzir e testar o material
audiovisuais audiovisual

114
para orientar AULA PRÁTICA 2. Planificar e implementar uma
uma sessão sessão de educação para saúde 10
de usando as técnicas aprendidas
aprendizagem
mútua
Aspectos Educação para saúde em:  Conhecer aspectos de Educação
particulares Situação de Emergência em situação de Emergência
de Educação Doenças crónicas  Adequar a educação nutricional
para Saúde Aspectos nutricionais aos hábitos nutricionais locais 6
Saúde sexual e reprodutiva  Aplicar técnicas afectivas para
tratar assuntos relativos a saúde
sexual e reprodutiva
Sessão de AULA PRÁTICA 1. Organizar uma feira de 15
educação nutrição na comunidade
nutricional
Educação Educação para Saúde e os  Reconhecer o papel da
para saúde programas de Saúde Educação para saúde na 6
como implementação dos programas
instrumento de saúde.
de
mobilização
social
Avaliação 5
Prática
Exame Final do Módulo 2
Total das Horas 80

Estágio de 35 horas (1 semana)

Supervisores: (Categoria Profissional):


Técnico Medicina preventiva
Técnico de Saúde Especializado em Saúde Publica ou com experiência no
Envolvimento Comunitário
Licenciado em Saúde Publica

BIBLIOGRAFIA
1. MISAU/DNS. Estratégia de Envolvimento Comunitário. MISAU. 2004
2. PARETA, J. Saúde da Comunidade: Temas de medicina preventiva e social. Mc
Graw-Hill
3. CENTRO DE FORMAÇÃO EM SAÚDE DE MASSINGA. Manual de Promoção
de Saúde Comunitária 1. (estabelecimento do cenário). Massinga. 2011
4. CENTRO DE FORMAÇÃO EM SAÚDE DE MASSINGA. Manual de Promoção
de Saúde Comunitária 2 (revelação dos determinantes de saúde). Massinga.
2011

115
5. CENTRO DE FORMAÇÃO EM SAÚDE DE MASSINGA. Manual de Promoção
de Saúde Comunitária 3 (ligado a saúde e o desenvolvimento). Massinga. 2011
6. CENTRO DE FORMAÇÃO EM SAÚDE DE MASSINGA. Manual de Promoção
de Saúde Comunitária 4 (melhoramento dos programas de saúde comunitária).
Massinga. 2011
7. CENTRO DE FORMAÇÃO EM SAÚDE DE MASSINGA. Realizando o
envolvimento comunitário 1 (elementos fundamentais do envolvimento
comunitário). Massinga. 2011
8. CENTRO DE FORMAÇÃO EM SAÚDE DE MASSINGA. Realizando o
envolvimento comunitário 2 (justificando a feitura do envolvimento
comunitário). Massinga. 2011
9. CENTRO DE FORMAÇÃO EM SAÚDE DE MASSINGA. Realizando o
envolvimento comunitário 3 (preparação para a práctica do envolvimento
comunitário). Massinga. 2011
13. CENTRO DE FORMAÇÃO EM SAÚDE DE MASSINGA. Realizando o
envolvimento comunitário 4 (envolvimento comunitária na práctica).
Massinga. 2011
14. MARTINS, Helder ; Determinantes de Saúde, Maputo. CRDS, Texto de
Formação do CRDS, Codigo, EPI Bloco 2, Problema 1,2,3 e 3-1 , 18/08/95.
15. MISAU. Cuidados de Saúde Primários da Saúde em Moçambique , Maputo,
1978???

116
33. HIGIENE AMBIENTAL II

MÓDULO VI
GESTÃO, PROMOÇÃO DE SAÚDE E PREVENÇÃO DE DOENÇA – II
E PROGRAMA DE SAÚDE DA MULHER E CRIANÇA
PRÉ – REQUISITOS
Todos os módulos do I e II semestre

III SEMESTRE

Carga Horária
Aulas Teórico-Práticas Horas por Duração Total de
semana (Semanas) Horas
Aulas teóricas 22
Aulas práticas 25
Avaliação teórica 4
Avaliação prática 9
Total das horas do módulo 60
Estágio 70
Total geral 130

Docentes:
 Técnico médio ou superior com formação em Saúde Ambiental ou Saúde
Pública
 Técnico de Medicina Preventiva

No fim da disciplina o aluno demonstra as seguintes competências:


1. Faz o controlo de estabelecimentos comerciais e indústrias que manipulam
alimentos e aplica a legislação em vigor.
2. Aplica a legislação sanitária
3. Emite pareceres sanitários
4. Planifica e gere programas de higiene ambiental

Conteúdo Temático:
Tópico Conteúdo Objectivos de Aprendizagem Horas
Inspecção Conceito e objectivos  Conceituar a Inspecção sanitária 12
Sanitária Controlo de  Descrever os objectivos da
estabelecimentos comerciais inspecção sanitária
e indústrias que manipulam  Identificar os instrumentos

117
alimentos aplicados para o controlo de
Legislação em vigor sobre estabelecimentos
higiene dos alimentos e  Preencher correctamente os
repressão dos crimes instrumentos
contra a saúde  Planificar e realizar inspecções
Controlo de em estabelecimentos comerciais
estabelecimentos e indústrias que manipulam
comerciais e indústrias que alimentos
manipulam alimentos  Organizar um arquivo segundo o
Aspectos a observar numa tipo de estabelecimento
visita a um estabelecimento  Conhecer os requisitos
que manipula ou higiénicos exigidos para os
comercializa alimentos estabelecimentos (higiene dos
Colheita, acondicionamento trabalhadores e das instalações)
e envio de amostras  Aplicar correctamente as
alimentares ao laboratório técnicas de colheita,
Boletim de sanidade acondicionamento e envio de
amostras ao laboratório
 Aplicar a legislação em vigor
sobre higiene dos alimentos e
repressão dos crimes contra a
saúde
 Registar correctamente as
actividades realizadas durante a
inspecção
 Elaborar correctamente relatório
da inspecção
 Emitir e controlar o Boletim de
Sanidade

 Conceituar a sanidade 6
internacional
 Descrever os objectivos da
Sanidade Conceito e objectivos Sanidade internacional
internacional Sanidade nos meios de  Conhecer e preencher
transportes de passageiros e correctamente os instrumentos
carga  Inspeccionar as condições
Tipos de vacinas higiénicas dos diferentes meios
de transporte de passageiros e
carga (aéreo, terrestre e
marítimo)
 Verificar o estado vacinal da
tripulação e dos passageiros
 Conhecer os tipos de vacinas
aplicadas no âmbito da sanidade
internacional em Moçambique

118
(Febre amarela e Meningite)
1. Realizar exercícios simulados 15
Inspecção para preenchimento dos
Sanitária e AULA PRÁTICA instrumentos de inspecção e da
sanidade sanidade internacional
internacional 2. Realizar actividades de
inspecção na IdF ou US
 Elaborar correctamente 4
Emissão de Pareceres sanitários pareceres segundo os requisitos
pareceres Vistoria de estabelecimentos exigidos por cada tipo de
sanitários e estabelecimento
vistorias  Conhecer os elementos que
fazem parte da vistoria
 Confrontar o projecto
apresentado com a realidade
Avaliação Teórica 2
1. Realizar exercícios simulados 10
Emissão de AULA PRÁTICA para preenchimento dos
pareceres instrumentos de inspecção
sanitários
2. Avaliação prática (todas as unidades praticas serão avaliadas mediante 9
atribuição aleatória de temas “estacões” no fim das aulas teórica)
Exame Final do Módulo 2
Total das Horas 50

Estágio de 70 horas (2 semanas)

Supervisores: (Categoria Profissional):


 Técnico de Saúde Especializado em Saúde Publica
 Técnico de Medicina Preventiva

BIBLIOGRAFIA
3. SCOTNEY, N. Educação para a Saúde Comunitária: Saneamento do Meio e
Higiene Alimentar. Paulinas.
4. Kloetzel K. Temas de Saúde: Higiene Física e Ambiental. EPU. 1980

119
34. PROGRAMA ALARGADO DE VACINAÇÃO II

MÓDULO VI
GESTÃO, PROMOÇÃO DE SAÚDE E PREVENÇÃO DE DOENÇA – II
E PROGRAMA DE SAÚDE DA MULHER E CRIANÇA
PRÉ – REQUISITOS
Todos os módulos do I e II semestre

III SEMESTRE

Carga Horária
Aulas Teórico-Práticas Horas por Duração Total de
semana (Semanas) Horas
Aulas teóricas 30
Aulas práticas 18
Avaliação teórica 4
Avaliação prática 8
Total das horas do módulo 60
Estágio 35
Total geral 95

Docentes:
 Técnico de Medicina Preventiva Especializado em Ensino
 Técnico Especializado em Saúde Pública
 Médico Mestrado em Saúde Pública ou com experiência no PAV

No fim da disciplina o aluno demonstra as seguintes competências:


1.Faz gestão adequada do PAV na sua área de Saúde
5.Faz supervisão, monitoria das actividades do PAV
6.Faz avaliação das actividades do PAV (Inquérito à saída, de 75 casas e segundo
outras metodologias da OMS).

Conteúdo Temático:
Tópico Conteúdo Objectivos de Aprendizagem Horas
 Definir planificação e gestão
 Descrever as etapas no
Princípios gerais que processo de planificação.
Gestão do orientam a Gestão do PAV  Estimar recursos necessários
PAV (humanos, materiais e financeiro)
para a realização das actividades 12
do PAV.

120
 Envolver outros profissionais na
planificação e gestão do PAV.
 Fazer o inventário de
manutenção do equipamento e
material e outros consumíveis
 Gerir o stock de vacinas
 Controlar a qualidade de dados
 Coordenar com vários
intervenientes na programação
das campanhas de vacinação
Gestão do AULA PRATICA  Calcular necessidades em 5
PAV recursos (Humanos, materiais e
financeiro) para a realização das
actividades do PAV.
 Calcular as necessidades em
vacinas e diluentes.
 Organizar os insumos
necessários para uma saída de
brigada móvel.

 Descrever os dois tipos de


indicadores úteis para o PAV
(quantitativos e qualitativos).
Indicadores de Indicadores Quantitativos e  Calcular as taxas de:
gestão do Qualitativos do PAV I. Coberturas de crianças
PAV dos 0 a 11 meses
II. Crianças 8
completamente
vacinadas
III. Taxas de coberturas
de cada uma das
vacinas e taxas de
desperdício
IV. Índice de Quebra
Vacinal
 Fazer a representação gráfica
das taxas de coberturas
Indicadores de 1. Calcular indicadores do PAV e 5
gestão do AULA PRÁTICA representar graficamente
PAV
 Conceituar supervisão e
monitoria do PAV
Supervisão e  Descrever as etapas de
monitoria do Supervisão e monitoria do planificação de uma supervisão.
PAV PAV  Utilizar correctamente os
instrumentos de monitoria e 4

121
supervisão do PAV
 Verificar no terreno a qualidade
de vacinação, registos e
distribuição das metas
 Identificar as dificuldades na
implementação do PAV e
respectivas soluções.
Avaliação Teórica 2
 Fazer análise crítica das taxas
de cobertura obtidas tendo em
conta as doses recebidas e as
taxas de desperdício vacinal 6
Avaliação do Estudo sumário Avaliação do  Fazer inquéritos de:
PAV PAV I. A saída
. II. 75 Casas
III. Outras metodologias
da OMS
 Utilizar os dados da Vigilância
Epidemiológica como uma das
formas de avaliação de
qualidade do Programa.
1. Fazer análise crítica das taxas
Avaliação do AULA PRÁTICA NA de cobertura obtidas tendo em 8
PAV UNIDADE SANITARIA conta as doses recebidas e as
taxas de desperdício vacinal 57.
Avaliar no terreno a qualidade
de vacinação, registos e
distribuição das metas.

AVALIAÇÃO Organizar os insumos necessários para uma saída de brigada móvel. 8


PRÁTICA NO
LH
Exame Final do Módulo 2
Total das Horas 60

Estágio de 70 horas (2 semanas)

Supervisores: (Categoria Profissional):


 Tec. Medicina preventiva
 Técnico de Medicina Preventiva Especializado em Ensino
 Técnico Especializado em Saúde Pública
 Médico Mestrado em Saúde Pública ou com experiência no PAV

Bibliografia
1. DNS-DSC: Programa Nacional de SMI/PAV/SEA.2001

122
2. MISAU/DNS; Manual do PAV. Edição actualizada. 2009

123
35. CONTROLO DE DOENÇAS

MÓDULO VI
GESTÃO, PROMOÇÃO DE SAÚDE E PREVENÇÃO DE DOENÇA – II
E PROGRAMA DE SAÚDE DA MULHER E CRIANÇA

PRÉ – REQUISITOS
Todos os módulos do I e II semestre

III SEMESTRE

Carga Horária
Aulas Teórico-Práticas Horas por Duração Total de
semana (Semanas) Horas
Aulas teóricas 82
Aulas práticas 30
Avaliação teórica 8
Avaliação prática -
Total das horas do módulo 120
Estágio 35
Total geral 155

Docentes:
 Médico Mestrado em Saúde Publica
 Técnico de Medicina Especializado
 Técnico de Medicina Preventiva Especializado em Ensino

No fim da disciplina o aluno demonstra as seguintes competências:


1. Implementa estratégias de controlo de doença transmissíveis e não
transmissíveis, endémica e epidémica.
2. Implementa estratégias e métodos de controlo de doenças preveníveis por
vacinas (PAV): TB, Poliomielite, Difteria, Tosse Convulsa, Meningite,
Sarampo, Tétano, Hepatite B
3. Implementa estratégias e métodos de controlo de doenças preveníveis por
vacinas fora do calendário vacinal do PAV: Gripe A.
4. Apoia na implementação de medidas de controle de doenças transmissíveis
endémica, agudas e crónicas: malária, tuberculose, lepra, tracoma,
parasitose intestinal,
5. Apoia na implementação de medidas de controle de outras doenças
transmissíveis de interesse para a Saúde Publica, existente no país: febre-

124
amarela, raiva, tripanosomiase, sarna e matacanha, Peste bubónica,
HIV/SIDA, ITS’s
6. Apoia a Saúde da Comunidade na DPS ou distrito no desenvolvimento e
implementação de estratégias para o controle de doenças não
transmissíveis: Hipertensão arterial, diabetes, asma, acidentes e trauma,
cancro de mama e do colo.

Conteúdo Temático:
Tópico Conteúdo Objectivos de Aprendizagem Horas
Introdução ao Conceitos e generalidades  Conceituar agente patogénico, 2
Estudo do Agente etiológico, reservatório,
controle de hospedeiro intermediário,
doenças infecção, transmissão, virulência,
resistência, portador,
patogenicidade, período de
incubação
Transmissão Modo de transmissão e  Explicar o modo de transmissão 2
de doenças, período de das doenças.
diagnostico e transmissibilidade de  Explicar as formas do
tratamento doenças diagnóstico e tratamento das
(Generalidade Diagnóstico e Tratamento mesmas.
s)
Medidas de Tipos de prevenção:  Descrever os diferentes tipos de 2
Prevenção Quimioprofilaxia. prevenção (primária, secundaria
(generalidade e terciária)
s)  Descrever a Quimioprofilaxia,
ambulatória, isolamento e
quarentena.
 Distinguir isolamento de
quarentena.
Focos de Conceito de foco de infecção  Conceituar o foco de infecção 4
infecção Medidas imediatas frente a  Descrever as medidas imediatas
um foco de infecção. frente a um foco de infecção.
 Reconhecer a importância da
busca activa de casos de
doenças de notificação
obrigatória
Focos de Aula pratica 1. Identificar um foco de infecção 10
infecção 2. Propor medidas para eliminação
do foco de infecção
Doença Conceitos de doença  Conceituar endemia, epidemia e 2
endémica endémica, epidémica e pandemia.
epidémica e pandémica.  Descrever os mecanismos da
pandémica Depressão imunitária depressão imunitária,
Estratégias de:  Descrever as medidas de 4

125
Luta e de controlo das controlo das doenças
doenças transmissíveis e transmissíveis e não
não transmissíveis. transmissíveis (generalidade)
Luta contra as doenças em  Explicar sobre as estratégias
vista do seu controlo, utilizadas na luta contra as
eliminação ou erradicação doenças em vista do seu
controlo, eliminação ou
erradicação
 Descrever as características 6
epidemiológicas e clínicas
 Descrever as medidas de
Doenças Cólera e Doenças Diarreica controlo e prevenção
epidémicas Agudas  Descrever os passos a ser
tomados em conta na
preparação pré-epidémica de
Doenças Diarreica Agudas
 Descrever os procedimentos
para detectar uma epidemia e
sobre a notificação de casos
 Listar os componentes para o
plano de tratamento de pacientes
com Cólera e Diarreias
 Descrever os procedimentos
para a colheita de amostra
(incluindo zaragatoa),
preenchimento de fichas para o
laboratório e investigação de
caso
Doenças Aula prática 1. Recolher dados para avaliar a 10
diarreicas evolução de número de casos
2. Preencher fichas para o
laboratório e investigação de
caso
Avaliação Teórica 2
Medidas de Aspectos Epidemiológicos e 12
controlo de Clínicos do: TB, Poliomielite,  Descrever a história natural da
doenças Difteria, Tosse Convulsa, doença (agente etiológico,
transmissíveis Meningite, Sarampo, Tétano período de incubação
preveníveis e Hepatite B reservatório período de
por vacinas transmissibilidade, definição de
no quadro do caso, resistência e
PAV susceptibilidade medidas
preventivas e de controlo) e as
características epidemiológicas
 Descrever os critérios notificação
no âmbito de vigilância

126
 Conhecer as formas de
classificação de Casos de PFA
Medidas de 2
controlo de Gripe A (H1N1)  Descrever a história natural da
doenças Gripe A
transmissíveis  Descrever os procedimentos na
preveníveis gestão de casos e controle de
por vacinas infecções por Gripe A adoptados
fora do no país
quadro do
PAV
 Listar as ITS’s mais frequentes 10
 Descrever a história natural da
Medidas de ITS/ HIV-SIDA doença (agente etiológico,
controlo de (Siflis, Gonoreia, período de incubação
infecções de Linfogranoloma venéreo, reservatório período de
transmissão candidiase, herpes genital, transmissibilidade, definição de
sexual tricomoniase…) caso, resistência e
susceptibilidade medidas
preventivas e de controlo) e as
características epidemiológicas
 Reconhecer a magnitude do
problema das ITS
 Descrever as consequências do
problema para o indivíduo e a
sociedade
 Descrever as medidas de
prevenção
 Reconhecer a importância do
aconselhamento no diagnóstico
e tratamento das ITS
 Discutir o HIV/SIDA no quadro
das ITS
Avaliação Teórica 2
 Descrever a história natural da
doença (agente etiológico, ciclo de
Medidas de Doenças transmissíveis vida, período de incubação
controlo das endémicas, agudas e reservatório período de
doenças crónicas transmissibilidade, definição de 16
transmissíveis (Malária, Tuberculose, caso, resistência e susceptibilidade
endémicas, Lepra, Tracoma, Parasitoses medidas preventivas e de controlo)
agudas e intestinais, Varicela) e as características epidemiológicas
crónicas  Explicar os objectivos da
pulverização extra e intra-
domiciliária PIDOM,
 Definir os critérios de notificação de

127
casos
 Descrever a história natural da
doença (agente etiológico, período
de incubação reservatório período
Medidas de Febre amarela, Raiva, de transmissibilidade, definição de
controlo de Tripanosomiase, Sarna, caso, resistência e susceptibilidade
outras Tunguiase, Tinha, medidas preventivas e de controlo)
doenças pediculose, infecções e as características epidemiológicas 10
transmissíveis piogenas  Descrever os critérios para
de interesse notificação no âmbito de vigilância
para a Saúde  Explicar as medidas internacionais
Publica, sobre a febre amarela e raiva
existentes em  Ilustrar as medidas em caso de
Moçambique mordeduras de animais, tratamento
das feridas, critérios para utilização
da vacinação e do Guia para
Profilaxia anti-rábica
Aula prática 1. Preencher fichas de investigação 10
de casos de raiva e calendário
vacinal
Avaliação Teórica 2
Estratégias Doenças não transmissíveis  Listar as doenças não 10
de controlo (Diabetes, asma, trauma, transmissíveis
das doenças hipertensão arterial,  Descrever as características
não epilepsia, cancro da epidemiológicas e clínicas
transmissíveis próstata, mama e do colo do  Descrever as medidas de
útero) controlo das doenças não
transmissíveis
 Explicar os factores de risco das
doenças não transmissíveis
 Explicar a importância da adesão
ao tratamento
 Descrever as actividades de
prevenção primária, secundária e
terciária para o controle das
doenças não transmissíveis.
Exame Final do Módulo 2
Total das Horas 44

Estágio de 35 horas (1 semanas)


Supervisores: (Categoria Profissional):
Tec. Medicina preventiva
Tec. de Saúde Especializado em Saúde Publica

BIBLIOGRAFIA
1. BENESON : Controle de doenças transmissíveis em Africa. Edição PanAmerica

128
36. SAÚDE MATERNA INFANTIL E PLANEAMENTO
FAMILIAR

MÓDULO VI
GESTÃO, PROMOÇÃO DE SAÚDE E PREVENÇÃO DE DOENÇA – II
E PROGRAMA DE SAÚDE DA MULHER E CRIANÇA

PRÉ – REQUISITOS
Todos os módulos do I e II semestre

III SEMESTRE

Carga Horária
Aulas Teórico-Práticas Horas por Duração Total de
semana (Semanas) Horas
Aulas teóricas 30
Aulas práticas 20
Avaliação teórica 4
Avaliação prática 6
Total das horas do módulo 70
Estágio 35
Total geral 105

Docentes:
 Enfermeira licenciada em SM ou Pediatra
 Enfermeira de SMI Especializado em Ensino
 Enfermeira de SMI com pelo menos dois anos de experiência na área

No fim da disciplina o aluno demonstra as seguintes competências:


1. Conhece os objectivos do SMI em Moçambique e a sua importância na
promoção de Saúde da MI.
2. Reconhece as etapas do desenvolvimento da gravidez normal até ao parto,
sinais de risco obstétrico e refere os casos com problemas.
3. Sensibiliza as mulheres grávidas para aderirem ao controle pré-natal
4. Reconhece as complicações mais frequentes do parto e do puerpério
5. Aconselha sobre a importância do acompanhamento pós-parto
6. Compreende a importância do PF na promoção de SMI e da comunidade
7. Reconhece as características do desenvolvimento físico e psico-motor normais
da criança de 0-5 anos e maiores de idade
8. Colabora na Planificação e Gestão das actividades de SMI-PF
129
Conteúdo Temático:
Tópico Conteúdo Objectivos de Aprendizagem Horas
SMI/PF  Definir o SMI
Introdução a Importância e objectivos  Conhecer os objectivos do SMI
disciplina do Características dos serviços  Explicar a importância das 2
SMI/PF de SMI actividades do programa de SMI
Fecundação e  Descrever os principais sinais e
desenvolvimento da gravidez sintomas duma gravidez.
Reprodução até ao parto  Reconhecer a importância da
Humana Factores que influenciam no CPN 6
desenvolvimento da gravidez  Identificar as causas de
Importância da CPN hemorragia no I, II e III trimestres
Principais complicações da gravidez
obstétricas (Hemorragia  Identificar as principais
Antes do parto) Pré – patologias Obstétricas e a
eclâmpsia e eclâmpsia, respectiva conduta de referência.
ARO (Factores)  Reconhecer os factores de ARO
(Ficha PN)

Consulta pré- AULA PRATICA 1. Realizar consulta pré-natal 10


natal 2. Preencher ficha pré-natal
Sinais de trabalho de parto  Reconhecer sinais do trabalho
verdadeiro de parto verdadeiro.
Parto de Importância do parto  Identificar as complicações mais
emergência institucional frequentes durante o parto e o 8
Hemorragia pós-parto. puerpério e a respectiva conduta
Condutas preventivas das  Descrever o quadro clínico e a
complicações do parto e conduta a tomar em caso de
puerpério hemorragia pós-parto
 12. Compreender a importância
do Parto Institucional
Recém Características do RN  Descrever as características de
Nascido normal um RN normal
Prevenção da hipotermia  Prestar cuidados imediatos do 6
Prevenção da hipoglicémia RN e da mãe
(amamentação precoce)  Aconselhar a mãe sobre a sua
Higiene da mãe e do RN higiene e do RN
Avaliação Teórica 2
Parto e 1. Assistir parto normal 10
cuidados AULA PRATICA 2. Prestar cuidados imediatos ao
imediatos ao RN e a mãe
RN e mãe
Criança de 0-5 Características do  Descrever as características do
Anos desenvolvimento Físico e desenvolvimento e crescimento
psicomotor normal normal da criança 4
Factores que afectam o  Reconhecer os factores que

130
desenvolvimento e o afectam o desenvolvimento e
crescimento da criança crescimento da criança
Rotinas na C.C. Sadia  Descrever os parâmetros para
Cartão de saúde avaliar o crescimento
 Identificar as áreas para avaliar o
desenvolvimento da criança
 Reconhecer os sinais de alarme
Cartão de Preencher o cartão de saúde,
saúde AULA PRATICA Interpretar a curva de peso 10

Planeamento Métodos do P.F.  Reconhecer a importância do PF 4


Familiar na promoção de Saúde da mãe,
criança e da comunidade.
 Identificar os métodos do PF
usados em Moçambique
 Identificar os aspectos Sócio-
Cultuarais ligados ao PF
Avaliação Prática 6
Exame Final do Módulo 2
Total das Horas 70

Estágio de 35 horas (1 semana)

Supervisores: (Categoria Profissional):


 Enfermeira de SMI
 Técnico de Nutrição
 Técnico de Medicina Preventiva

Bibliografia
1. DNS/DSC; Manual de Aconselhamento em Planeamento Familiar,
MISAU, 2004.
2. Normas de Atenção a Criança de 0-4 Anos; DNS - Saúde Materno –
Infantil 2ª Edição. MISAU. 2003
3. OMS, Folheto Explicativo Sobre HIV-SIDA para Enfermeiras e Parteiras;
Folheto 5.
4. Ziegel, Erna. Enfermagem Obstétrica. 8ª Edição. Editora Guanabarra
Koogan. 1995.
5. Thompson, Ashwill, O.W; Introdução à Enfermagem Pediátrica, Porto
Alegre. Artes Médicas. 1996.

131
37. SAÚDE ESCOLAR

MÓDULO VII
SAÚDE ESCOLAR E ENSINO EM SAÚDE

PRÉ – REQUISITOS
Todos os módulos do I e II semestre

III SEMESTRE

Carga Horária
Aulas Teórico-Práticas Horas por Duração Total de
semana (Semanas) Horas
Aulas teóricas 36
Aulas práticas 20
Avaliação teórica 4
Avaliação prática -
Total das horas do módulo 60
Estágio -
Total geral 56

DOCENTES:
Especialista em Saúde Pública
Técnicos de Medicina Preventiva

No fim da disciplina o aluno demonstra as seguintes competências:


1. Descreve os componentes do programa de saúde Escolar e Adolescente
2. Promove campanhas de saúde escolar e do adolescente
3. Faz o despiste das doenças e problemas de saúde mais frequentes nos alunos
4. Utiliza os indicadores para monitoria das actividades
5. Participa em programas destinados ao adolecescente
6. Promove educação para saúde sobre os problemas mais frequentes na
adolescência
7. Promove acções de vacinação nas escolas
8. Promove educação para saúde sobre a higiene oral
9. Identifica os problemas de saúde oral mais frequente

Conteúdo Temático:
Tópico Conteúdo Objectivos de Aprendizagem Horas
 Conceituar Saúde Escolar 4
Saúde Escolar Conceito saúde escolar,  Conceituar Adolescência,
Adolescência, Puberdade, Puberdade, e Juventude
Juventude e seus objectivos  Descrever os objectivos da

132
saúde escolar e do adolescente
 Listar as actividades de saúde
escolar.
 Listar as principais doenças no
seio da saúde escolar (Sarna,
febre, asma, descamação
cutânea, diarreias, tosse,
Doenças mais frequentes desnutrição, saúde oral,
nas escolas acuidade visual e auditiva).
 Identificar os principais
Saúde do problemas de saúde oral
Adolescente  Descrever as medidas de 16
prevenção das principais
doenças da boca
 Promover educação para saúde
Higiene oral sobre Problemas mais
frequentes no adolescente:
 ITS e HIV/Sida – formas de
contaminação e prevenção
 Gravidezes indesejadas – como
Problemas mais frequentes evitar e suas consequências
 Violência – tipos de violência,
no adolescente
manifestações, possíveis
causas, consequências, conduta
 Uso de drogas – tipos de drogas
(tabaco, álcool, estupefacientes)
causas, consequências
 Aconselhamento individualizado
Planificação e Coordenação multisectorial  Reconhecer a importância das
gestão dos actividades multisectoriais na
programas de Campanhas de saúde promoção de saúde escolar e do
saúde escolar escolar e do adolescente adolescente
e do  Identificar as prioridades na
adolescente Indicadores de monitoria das saúde escolar 8
actividades de SEA  Promover as campanhas de
saúde escolar e do adolescente
Faz acompanhamento dos  Utilizar os indicadores para
adolescentes com monitoria das actividades
problemas de saúde  Fazer o despiste dos principais
problemas de saúde escolar e
seu encaminhamento.
Saneamento  Verificar as condições de higiene 8
do meio no recinto escolar
 Verificar as condições das fontes
de abastecimento de água
 Promover o uso correcto de

133
recolha e a destruição do lixo na
escola
 Promover o tratamento correcto
de águas residuais e eliminação
de excretas
Avaliação Teórica 2

 Identificar doenças e problemas


mais frequentes nas escolas ou
no adolescente
 Verificar as condições do
saneamento do meio (água,
Aula Pratica deposição de dejectos e lixo) 20
Visita a uma escola  Promover educação para saúde
sobre os problemas identificados
 Elaborar relatório da visita
Exame Final do Módulo 2

Total das Horas 60

Bibliografia:
MISAU. Manual de Educação para a Saúde. 2008
MISAU e MINED. Documento de Orientação sobre Saúde Escolar. 2009.
MISAU. Guia de Orientação para Implementação do Programa de Saúde Escolar. 2003
MISAU e MINED. Estratégia de Promoção de Saúde e Prevenção de Doença na
Comunidade Escolar. 2010

134
38. METODOLOGIAS DE ENSINO

MÓDULO VII
SAÚDE ESCOLAR E ENSINO EM SAÚDE

PRÉ – REQUISITOS

Todos os módulos do I semestre

IV SEMESTRE

Carga Horária
Aulas Teórico-Práticas Horas por Duração Total de
semana (Semanas) Horas
Aulas teóricas 26
Aulas práticas 30
Avaliação teórica 4
Avaliação prática 15
Total das horas do módulo 75
Estágio -
Total geral 75

PRÉ-REQUISITOS:
 Metodologia de investigação científica
 Deontologia e ética profissional

Docentes:
 Psico-pedagogos
 Psicólogos escolares
 Técnicos de saúde especializados em ensino

No fim da disciplina o aluno demonstra as seguintes competências:


1. Reconhece a importância do plano de aula no contexto dos currícula baseados
em competências
2. Identifica as principais funções didácticas no contexto do plano de aula da saúde
3. Identifica as metodologias de ensino teórico práticos essenciais no contexto do
ensino em saúde.
4. Relaciona os objectivos de aprendizagem com os métodos de ensino
5. Identifica a importância dos estilos de aprendizagem na selecção dos métodos
de ensino
6. 5 Identifica a importância dos domínios de aprendizagem na selecção dos
métodos de ensino

135
7. Reconhece a avaliação com instrumento importante no processo de ensino
aprendizagem em saúde
8. Participa como supervisor de estágio
9. Participa como docente eventual
10. Organiza e facilita sessões de Formação contínua.

Conteúdo Temático:
Tópico Conteúdo Objectivos de aprendizagem Horas
Métodos e Definições, conceitos e  Distinguir os métodos das
metodologias descrições metodologias de ensino
de ensino  Descrever a importantes dos
métodos e metodologias no
8
ensino teórico prático na saúde
 Descrever os principais métodos
para o ensino em saúde
 Descrever a importância dos
métodos de ensino no contexto
dos curricula baseados em
competências
 Aplicar os principais métodos
para o ensino em saúde
Planificação Definições, conceitos e  Definir a planificação do
de aulas descrições processo de ensino (plano de
Finalidades e importância do aula, plano temático, plano
plano de aula analítico)
4
 Descrever a importância do
plano de aula no contexto dos
curricula baseados em
competências
 Descrever as funções didácticas
constantes do plano de aula
Estilos de  Listar e descrever os estilos de
aprendizagem aprendizagem
 Relacionar os estilos de
4
aprendizagem com a selecção/
combinação dos métodos de
ensino
 Relacionar os estilos de
aprendizagem com os objectivos
de aprendizagem
 Relacionar os estilos de

136
aprendizagem com os domínios
de aprendizagem
Objectivos de Definição e sua importância  Explicar a forma de definição dos
aprendizagem objectivos de aprendizagem
 Descrever os tipos de objectivos
 Indicar a importância dos 2
objectivos na selecção dos
métodos e na organização do
conteúdo

Aula pratica Planificação e simulação 1. Elaborar plano analítico


(dosificação) e de aula
2. Realizar exercícios de simulação 20
de aula

Avaliação Teórica 2
Formação Planificação da formação  Reconhecer a importância da 2
contínua contínua formação contínua no contexto
da profissão da saúde
 Indicar os elementos importantes
para a planificação da formação
contínua
Avaliação  Definir a avaliação 6
 Identificar os tipos de avaliação
 Caracterizar os tipos de
avaliação
 Descrever os instrumentos de
avaliação
Aula Pratica Simulação de aula 1. Elaborar plano de aula 10

Avaliação Aulas simuladas 15


Prática
Exame Final do Módulo 2
Total das Horas 70

Bibliografia:
1. PILETTI, Claudino . Didactica Geral S. Paulo: 1999 21ª ed,
2. NETO, Samuel Pfromnn. Psicologia de Aprendizagem e do Ensino 2001
3. MISAU/DRH-Formação. Introdução ao currículo de Técnicos de Medicina:
Manual do Facilitador I-TEC/ MISAU 2010

137
MÓDULOS DO IV SEMESTRE
(Saúde Ocupacional)

138
39. SAÚDE OCUPACIONAL

MÓDULO VIII
SAÚDE ESCOLAR, OCUPACIONAL E ENSINO EM SAÚDE

PRÉ – REQUISITOS
Todos os módulos do I, II e III semestre

IV SEMESTRE

Carga Horária
Aulas Teórico-Práticas Horas por Duração Total de
semana (Semanas) Horas
Aulas teóricas 34
Aulas práticas 20
Avaliação teórica 6
Avaliação prática 10
Total das horas do módulo 70
Estágio 70
Total geral 140

PRÉ-REQUISITOS:
Epidemiologia
Higiene Ambiental
PAV I

Docentes:
 Médico de Trabalho
 Medico especialista em Saúde Publica
 Medico com experiência em Saúde Ocupacional
 Téc. Med. Prev. com experiência em Saúde Ocupacional
 Técnico de Medicina Preventiva especializado em Ensino

No fim da disciplina o aluno demonstra as seguintes competências:


1. Promove medidas de higiene e segurança no trabalho;
2. Planifica e realiza Inspecções Sanitárias nos locais de trabalho;
3. Identifica riscos ocupacionais e aplica medidas preventivas e/ou correctivas;

139
4. Utiliza correctamente os diversos tipos de instrumentos de medição de risco
ocupacionais e extintores de incêndios;
5. Aplica a legislação laboral a grupos especiais de trabalhadores e condições
especiais de trabalho;
6. Estabelece relação entre o tipo de risco e as doenças que dele possam advir no
ambiente de trabalho;

Conteúdo Temático:
Tópico Conteúdo Objectivos de Aprendizagem Horas
Saúde Ocupacional  Definir Saúde Ocupacional,
Introdução a Saúde dos trabalhadores, Saúde dos Trabalhadores,
Saúde Medicina no Trabalho, Medicina no trabalho, doença
Ocupacional Doença profissional, profissional, acidente de 4
Acidente de Trabalho trabalho;
 Explicar a Diferença entre saúde
ocupacional, saúde dos
trabalhadores e medicina do
trabalho;
 Diferenciar risco ocupacional da
doença profissional
História de Evolução histórica da Saúde  Descrever aspectos mais
Saúde Ocupacional relevantes da evolução histórica 4
Ocupacional Componentes básicos do da Saúde Ocupacional
sector de saúde ocupacional  Identificar os componentes
em Moçambique básicos do sector de saúde
ocupacional em Moçambique.
Riscos Riscos ocupacionais e  Identificar os riscos e doenças
ocupacionais e doenças profissionais profissionais mais frequentes em
doenças (devidos a agentes Moçambique nos sectores 12
profissionais biológicos, físicos e produtivos de agricultura e
químicos). Pecuária, indústria açucareira,
gráfica e têxtil, cimento,
construção e química, transporte
aéreo e terrestres, limpeza,
saúde e sedentários.
Inspecção aos Planificação, implementação  Planificar as actividades de
locais de e elaboração do relatório. inspecção nos locais de trabalho;
Trabalho  Realizar actividades de 4
inspecção em locais de trabalho.
 Elaborar relatórios de inspecção.
Preenchimento 1. Preencher fichas de inspecção
de ficha, 2. Visitar um sector de actividade 10
inspecção a AULA PRÁTICA 3. Elaborar um relatório do trabalho
um sector de realizado
140
actividade
Avaliação Teórica 2
Equipamento Tipos de EPI  Identificar os tipos de
de Proteção Importância do uso de EPI equipamentos de protecção 4
Individual individual por ramo de actividade
 Explicar a importância do uso de
equipamento de protecção
individual
Higiene e Normas de segurança  Conhecer e aplicar as normas de
segurança no trabalho Higiene e segurança no trabalho 2
trabalho

Avaliação de Instrumentos de medição de  Identificar e utilizar os


riscos riscos ocupacionais instrumentos para avaliação de 2
riscos ocupacionais
Protecção Tipos de extintores de  Conhecer os tipos de extintores
contra incêndios e outros de incêndios utilizados no país e 2
incêndios equipamentos sua utilização.
1. Utilizar correctamente os
instrumentos de avaliação de riscos
ocupacionais 10
Instrumentos AULA PRÁTICA 2. Usar correctamente os extintores e
de medição, outros equipamentos de protecção
Extintores de contra incêndios disponíveis no país
incêndio 3. Fazer aconselhamento e
encaminhamento de trabalhadores
portadores de HIV/SIDA e doenças
profissionais.
Avaliação Avaliar as práticas anteriormente realizadas (visita a um local de 10
Pratica trabalho)
Avaliação Teórica
Exame Final do Módulo 2
Total das Horas 70
7. Aplica a legislação do trabalho em vigor na Republica de Moçambique;
8. Conhece instrumentos para detecção de agentes contaminantes no ambiente e
seu destino final.

Estágio de 70 horas (2 Semanas)


Supervisores: (Categoria Profissional):
 Técnico de Medicina Preventiva
 Téc. Med. Prev. com experiência em Saúde Ocupacional
 Técnico de Medicina Preventiva especializado em Ensino
 Médico de Trabalho
 Medico especialista em Saúde Pública

141
Bibliografia
1. HOCKING, Bruce. Saúde Ocupacional em Países em Desenvolvimento, MISAU,
1986
2. ZOCCHIO, A; Práticas de Prevenção de Acidentes ABC- Segurança no
Trabalho; 7 edição. Editora Atlas. Brasil.
3. Lei de trabalho nº 23/2007.
4. Decreto 30/2001- Função Publica.
ESTÁGIO RURAL INTEGRADO

ESTÁGIO RURAL INTEGRADO (35h/Sem X 12 Sem = 420 horas)


Supervisores. (Categoria Profissional).
 Técnico de Medicina Preventiva
 Téc. Med. Prev. com experiência em Saúde Ocupacional
 Técnico de Medicina Preventiva especializado em Ensino
 Médico de Trabalho
 Medico especialista em Saúde Pública

142