Você está na página 1de 2

Esta Denúncia foi encaminhada pelo Gabinete do Excelentíssimo

Superintendente Regional à Corregedoria da Polícia Federal em


15/12/2010, confirmação feita através do Telefone 2203-4122

Esta Denúncia foi Protocolada na Superintendência Regional do Rio


de Janeiro da polícia Federal em 06 de Dezembro de 2010 as 14:22
horas com o nº SR/DPF/RJ 08455.105542/2010-11

Denúncia de Crime de Prevaricação


Superintendência Regional do Rio de Janeiro
Polícia Federal
Av. Rodrigues Alves, 1 - 3º andar – Centro
20081-250 – Rio de Janeiro – RJ

Excelentíssimo Superintendente Regional


DPF Ângelo Fernandes Gioia

Com Base na CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL


DE 1988, TÍTULO II - Dos Direitos e Garantias Fundamentais, CAPÍTULO I –
DOS DIREITOS E DEVERES INDIVIDUAIS E COLETIVOS, Art. 5º - Todos são
iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos
brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à
vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos
seguintes: XXXIII - todos têm direito a receber dos órgãos públicos
informações de seu interesse particular, ou de interesse coletivo ou geral,
que serão prestadas no prazo da lei, sob pena de responsabilidade,
ressalvadas aquelas cujo sigilo seja imprescindível à segurança da sociedade e
do Estado; XXXIV - são a todos assegurados, independentemente do
pagamento de taxas: a) o direito de petição aos Poderes Públicos em defesa
de direitos ou contra ilegalidade ou abuso de poder.

Venho, mui respeitosamente, formalmente, DENUNCIAR, por crime de


PREVARICAÇÃO, por sentimento, o Ilustríssimo Sr. Antonio Cezar Peluso,
que no exercício da Presidência do Supremo Tribunal Federal, se recusou, a
exercer Atribuição, e Responsabilidade, EXCLUSIVA, daquela Presidência,
que é o VOTO de QUALIDADE, conforme o documento “CNJ aposentar
Antonio Cezar Peluso”, o documento “Sugestão de Aposentadoria ao
Ilustríssimo Antonio Cezar Peluso” e o documento “Valor subestimado ou
superestimado reflexo do notório saber jurídico”, todos em anexo.

Ressalto que esta recusa ocorreu no Julgamento do Registro de


Candidatura de Joaquim Domingos Roriz e de Jader Barbalho, portanto, em
clara situação de REINCIDÊNCIA.

Venho, mui respeitosamente, formalmente, DENUNCIAR, por crime de


PREVARICAÇÃO, pela OMISSÃO, TODOS os membros do Plenário do
Supremo Tribunal Federal, que no exercício de suas Atividades, permitiram
que o Excelentíssimo Presidente do Supremo Tribunal Federal, cometesse
Crime de PREVARICAÇÃO, quando recusou, por sentimento, exercer
Atribuição, e Responsabilidade, EXCLUSIVA, daquela Presidência, que é o
VOTO de QUALIDADE, nos julgamentos acima citados.

Com votos de protestos de Estima, Consideração e Respeito,


subscrevo-me,
Atenciosamente,

Plinio Marcos Moreira da Rocha


Rua Gustavo Sampaio nº112 apto. 603
LEME – Rio de Janeiro – RJ
CEP 22010-010
Tel. (21) 2542-7710
Profissão - Analista de Sistemas
Presumivelmente o único Brasileiro COMUM, que mesmo não sendo
Advogado, nem Bacharel, nem Estudante de Direito, teve suas práticas
inscritas na 6ª edição do Prêmio INNOVARE, calcadas no CAOS JURÍDICO
que tem como premissa base o PURO FAZER DE CONTAS, reconhecidas, e
DEFERIDAS pelo Conselho Julgador, conforme documento INNOVARE - Um
Brasileiro COMUM no meio Jurídico,
http://www.scribd.com/doc/24252669/INNOVARE-Um-Brasileiro-COMUM-
no-meio-Juridico.

Anexos :

I - CNJ aposentar Antonio Cezar Peluso


II - Sugestão de Aposentadoria ao Ilustríssimo Antonio Cezar Peluso
http://www.scribd.com/doc/38240956/CNJ-Aposentar-Antonio-
Cezar-Peluso
III - Valor subestimado ou superestimado reflexo do notório saber jurídico
http://www.scribd.com/doc/38520622/Valor-subestimado-ou-
superestimado-reflexo-do-notorio-saber-juridico
IV – Carteira de Trabalho nº2436241 Série nº002-0 UF RJ