Você está na página 1de 3

Ato III

Cena 1- Manuel de Sousa, que até aqui nos apareceu como um homem
racional e decidido, apresenta-se agora, emotivo e atormentado sobretudo em
relação ao destino de Maria: chega a afirmar que prefere vê-la morta pela
doença que a consome do que por vergonha pela situação de ilegitimidade em
que agora se encontra. Sente-se responsável por toda a desgraça. O seu
discurso é, por vezes, contraditório. A sua entrada para o convento é, nas suas
próprias palavras, a sua morte ("morri hoje).
Maria, que tinha chegado já doente de Lisboa, ficou ainda pior quando viu o
estado em que sua mãe se encontrava.
Frei Jorge informa Manuel de Sousa de que está tudo tratado e que ele e
Madalena tomarão o hábito ainda naquele dia. Diz-lhe ainda que apenas eles e
o Arcebispo sabem a verdadeira identidade do Romeiro.

Cena 2 e 3- Telmo traz notícias de Maria: "está melhor, mas muito abatida e
muito fraca".

Cena 4- Telmo está completamente mudado; é grande o seu conflito interior:


deve ficar ao lado do seu "filho", D.João de Portugal, ou da sua "filha", Maria?
Dividido entre a fidelidade ao passado e o amor ao presente, ofereceu a sua
vida a Deus em troca da vida de Maria.

Cena 5- Telmo reconhece, no Romeiro, a voz de


D.João e a sua dolorosa fragmentação afectiva é
cada vez mais viva; o Romeiro pede-lhe para evitar a
desgraça iminente mandando- o dizer que aquele
peregrino é um impostor e que tudo não passou de
um "embuste" organizado pelos inimigos de Manuel
de Sousa.
Cena 6- Última "ilusão" de D.João que, ouvindo
Madalena chamar de fora pelo seu marido, pensou
que aquele se dirigia s si.

Cena 7 e 8- Telmo transmite a Frei Jorge o recado


que o Romeiro lhe tinha dado na cena anterior;
porém,Frei Jorge não consente em tal; Madalena
tenta evitar o inevitável, dando conta, aos dois
irmãos, das suas dúvidas em relação à veracidade
daquilo que o Romeiro disse; Frei Jorge e Manuel,
sabendo que o Romeiro é o próprio D.João, não
permite qualquer recuo; Madalena acaba por seguir a
decisão que Manuel tomou pelos dois.

Cena 9 e 10- Dá-se início à cerimónia da tomada de


hábito.

Cena 11- Maria interrompe a cerimónia, dando origem


á cena mais melodramática da peça.Alienada pela
febre,em delírio, exprime-se de forma violenta,
mostrando uma profunda revolta contra o mundo,
contra Deus, contra a sociedade hipócrita que não
permite a dissolução do casamento,transformando
assim, em filhos ilegítimos aqueles que são apenas
vítimas de actos que lhe são alheios.
Cena 12- A voz do Romeiro, que Maria ouve pedindo a
Telmo que os salve pois ainda está a tempo, desfere
o golpe fatal.Maria morre.

Desenlace

Maria morre "de vergonha".

Manuel de Sousa e Madalena recebem o escapulário-


ele será, agora, Frei Luís de Sousa e ela Soror
Madalena .Morrem para o mundo