Você está na página 1de 6

Armazenamento em meio eletrônico ( ANDER)

Alteração: inclusão do artigo 12-A na CLT


Como era: não existia.
Como ficou: fica autorizado o armazenamento, em meio
eletrônico, óptico ou equivalente, de documentos relativos a
deveres e obrigações trabalhistas, incluídos aqueles relativos
a normas regulamentadoras de saúde e segurança.
Descumprimento da obrigação de fazer anotações na Carteira
de Trabalho ( ANDER)
Alteração: artigo 29, § 3º, da CLT
Como era: se o empregador descumprisse as obrigações
relativas à anotação da Carteira de Trabalho, o auditor-fiscal do
trabalho deveria comunicar a falta de anotação ao órgão
competente, para o fim de instaurar o processo de anotação.
Como ficou: o auditor-fiscal do trabalho deverá lançar as
anotações no sistema eletrônico competente, na forma a ser
regulamentada pela Secretaria Especial de Previdência e
Trabalho do Ministério da Economia.
Reconhecimento de vínculo de emprego – anotação na
Carteira de Trabalho( ANDER)
Alteração: § 1º e inclusão do § 3º no artigo 39 da CLT
Como era: Não havendo acordo para que o empregador
realizasse a anotação, o Juiz ordenava que a Secretaria da
Vara a efetuasse e comunicasse à autoridade competente para
o fim de aplicar a multa cabível.
Como ficou: não é mais a Secretaria da Vara! Agora, o Juiz
comunicará a autoridade competente para que esta proceda à
anotação e adote as providências necessárias para a aplicação
da multa cabível. O Ministério da Economia poderá
desenvolver sistema eletrônico para o lançamento dessas
anotações.
Multas por irregularidades relativas à Carteira de Trabalho (
ANDER)
Alteração: artigos 47, 47-A, 51, 52 e 55 da CLT
Como era: esses artigos estabeleciam valores específicos
de multas para os casos de empregados sem registro,
falsificação e extravio da Carteira de Trabalho, entre outros.
Como ficou: a multa deverá ser aplicada de acordo com o novo
artigo 634-A, II, da CLT, que estabelece critérios para
aplicação das multas administrativas conforme a gravidade da
infração. Veja:

Presunção de relação de emprego (JENIFFER)


Alteração: inclusão do artigo 47-B da CLT
Como era: não existia.
Como ficou: se o auditor-fiscal do trabalho identificar que há
empregado não registrado, será presumido que existe relação
de emprego há pelo menos 03 meses, exceto quando houver
elementos suficientes para determinar a data de início das
atividades.
Trabalho aos domingos e feriados(JENIFFER)
Alteração: artigos 67, 68, 70 e 156 da CLT
Como era: o trabalho em domingos e feriados dependia
de permissão prévia da autoridade competente. Essa
autorização poderia ser permanente (nas atividades que, por
sua natureza ou pela conveniência pública, devessem ser
exercidas aos domingos) ou transitória (até 60 dias cada
autorização). Como ficou: Fica autorizado o trabalho aos
domingos e aos feriados. O repouso semanal remunerado
(RSR) deverá coincidir com o domingo, no mínimo, 01 vez no
período máximo de 04 semanas para os setores de comércio e
serviços e, no mínimo, 01 vez no período máximo de 07
semanas para o setor industrial. Veja os esquemas
comparativos a seguir.
Para acompanhar essa alteração na CLT, o artigo 1º da Lei
605/1949 também foi alterado, sendo suprimida a parte que
determinava que o descanso semanal deveria
ser “preferentemente aos domingos e, nos limites das
exigências técnicas das empresas, nos feriados civis e
religiosos, de acordo com a tradição local”.
Outros artigos que restringiam o trabalho aos domingos foram
alterados, a exemplo do artigo 319 da CLT, que
informava: “Aos professores é vedado, aos domingos, a
regência de aulas e o trabalho em exames”.
Na Lei 605/1949, os artigos 8ª a 10, que tratavam da vedação
ao trabalho nos feriados, também foram revogados.
Competência para fiscalização relativa à segurança e
medicina do trabalho (JENIFFER)
Alteração: artigo 156 da CLT
Como era: competia às Delegacias Regionais do
Trabalho promover a fiscalização, determinar obras e reparos
e impor penalidades relativas a normas de segurança e
medicina do trabalho.
Como ficou: atualmente, esta competência é da “autoridade
regional em matéria de inspeção do trabalho”.
Auxílio-alimentação ( THUANNY)
Alteração: inclusão do § 5º no artigo 457 e alteração do artigo
458 da CLT
Como era: se o auxílio-alimentação fosse pago em
dinheiro (ao invés de cartão magnético, por exemplo), poderia
ser reconhecida sua natureza salarial. O que isso significa?
Que o valor pago poderia causar reflexos em outros direitos
trabalhistas, como o FGTS, por exemplo.
Como ficou: o fornecimento de alimentação não tem natureza
salarial e não é tributável. Se não tem natureza salarial, é o
quê? É natureza indenizatória! Consequentemente, não
causa reflexos em outros direitos.
Contudo, esta alteração produzirá efeitos somente quando
atestado, por ato do Ministro de Estado da Economia, a
compatibilidade com as metas de resultados fiscais previstas
no anexo próprio da Lei de Diretrizes Orçamentárias e o
atendimento ao disposto na Lei Complementar 101/ 2000, e
aos dispositivos da Lei de Diretrizes Orçamentárias
relacionados com a matéria (conforme artigo 53, § 1º, I, da MP
905/2019)
Seguro-desemprego ( THUANNY)
Alteração: inclusão do artigo 4º-B na Lei 7.998/1990 (lei do
seguro-desemprego); inclusão do § 16 no artigo 12 e alteração
do artigo 28, § 9º, “a”, da Lei 8.212/1991 (lei que dispõe sobre a
organização da Seguridade Social).
Como era: não incidiam descontos sobre o valor do seguro-
desemprego recebido pelo trabalhador desempregado.
Como ficou: sobre os valores pagos ao beneficiário do seguro-
desemprego será descontada a respectiva contribuição
previdenciária (INSS) e o período será computado para efeito
de concessão de benefícios previdenciários. O trabalhador
será segurado obrigatório da previdência social durante os
meses de percepção do benefício. O valor do benefício integra
o salário de contribuição.
Acidente de trajeto ( THUANNY)
Alteração: revogação do artigo 21, IV, “d”, da Lei 8.213, de
1991
Como era: o acidente sofrido no percurso da residência para o
local de trabalho ou vice-versa, qualquer que fosse o meio de
locomoção, inclusive veículo de propriedade do segurado, era
equiparado a acidente de trabalho.
Como ficou: com a revogação desse dispositivo, entende-se
que o acidente de percurso não é mais considerado acidente
de trabalho.
A MP 905/2019 já está valendo? (INTRODUÇÃO/ (BARBARA))
A MP 905/2019 foi publicada em 12/11/2019. A maioria dos
dispositivos da MP 905/2019 já está em vigor. No entanto, há
regras específicas para alguns de seus dispositivos com
relação à entrada em vigor e à produção de efeitos.

O artigo 24 da MP 905/2019 trata da extinção da contribuição


social de 10% sobre o FGTS paga pelo empregador em caso
de despedida de empregado sem justa causa, no caso do
“contrato de trabalho verde e amarelo”. Esse
dispositivo produzirá efeitos somente a partir de 01/01/2020.

Conclusão (BARBARA)
A MP 905/2019 irá tramitar no Congresso Nacional, podendo
ser convertida em lei, rejeitada ou, ainda, não ser apreciada
dentro do prazo – neste último caso, ela perde a vigência, tal
como ocorreu com a MP 873/2019 em 28/06/2019 (estabelecia
o pagamento de contribuições sindicais mediante boleto ou
meio eletrônico ao invés de desconto em folha).
Vamos acompanhar essa tramitação e, quando houver
novidades, publicarei aqui no site do Direção Concursos. Volte
sempre! ; )
Links úteis
– Vídeo
explicativo: https://www.youtube.com/watch?v=RT0rhAPO_04
– MP 905/2019 na
íntegra: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2019-
2022/2019/Mpv/mpv905.htm
– Tramitação da MP 905/2019 no Congresso
Nacional: https://www.congressonacional.leg.br/materias/medi
das-provisorias/-/mpv/139757
– Artigo sobre o “contrato de trabalho verde e
amarelo”: https://www.direcaoconcursos.com.br/artigos/mp-
905-2019-contrato-de-trabalho-verde-e-amarelo/
– Conheça os nossos cursos de Direito do
Trabalho: https://www.direcaoconcursos.com.br/portal/profess
ores/danielle-silva
– Conheça os nossos cursos de Processo do
Trabalho: https://www.direcaoconcursos.com.br/portal/profess
ores/kelly-
amorim e https://www.direcaoconcursos.com.br/portal/profess
ores/wiliame-morais
Bons estudos!
Um grande abraço,
Prof. Danielle Silva IG: prof.daniellesilva