Você está na página 1de 4

Umbanda Uma Religião Brasileira

Sinceridade - Justiça - Fé

junho de 2012

dededededededededededed

O
nosso eterno saravá ao fundar o novo culto.’ simplesmente ser umbandistas. A
povo de Umbanda! Muitos ganhos ao longo do parte nunca será mais importan-
Chegamos com o período de 1908 até hoje. te do que o todo. Não podemos
nosso Jornal Clarim da Muitos baluartes dedicaram reduzir a Umbanda em um único
Aruanda para somar as suas vidas para que esta fosse rito ou escola.
a outros que tem como proposta implantada e divulgada, chega- Basta repararmos a Humani-
informar e divulgar a nossa Um- mos ao seu centenário com muita dade que é a diversidade dentro
banda. galhardia. da unidade com uma variação
Assim nasce o nosso informa- Muitos Templos foram ergui- de cultura e raças, porém todos
tivo simples, mas já com notícias dos, uma Faculdade de Teologia são Seres Humanos com as suas
de grande importância no meio Umbandista foi criada. diferenças.
umbandista. A Umbanda vem cada vez A umbanda tem como princípio
A Presidenta da República mais ganhando espaço, respeito o crescimento do ser espiritual
Dilma Rousseff instituiu 15 de e novos adeptos dentro sociedade encarnado e desencarnado. Ela
novembro como o Dia Nacional brasileira. tem o poder de resgatar as almas
da Umbanda. A decisão presi- Devemos entender que uma pedidas na eternidade das reen-
dencial foi adotada através da Lei religião demora a ganhar a sua carnações.
12.644, de 16 de maio último. identidade. A sociedade brasileira Como poderemos negar a
Além da presidenta, assinam a formada por várias etnias e de diversidade se cada ser traz con-
Lei as ministras da Secretaria de uma rica cultura faz com que a sigo as suas vidas passadas e a
Políticas de Promoção da Igual- diversidade seja uma predominân- afirmação íntima ainda não resol-
dade Racial, Luiza Bairros, e da cia. vida. Somente uma diversificação
Cultura, Anna de Holanda. Toda essa diversidade faz a poderá atender com amplitude
Foi reconhecido que ‘A Umban- diferença na riqueza de rituais e os anseios do ser em crescimen-
da é uma religião genuinamente cultos. Muito se cobra no sentido to. Somente com uma aceitação
brasileira, mas com raízes, entre de uma unificação ou codificação e inclusão espiritual poderemos
outras, africanas, que se consti- da umbanda, mas acreditamos trabalhar no crescimento espiritu-
tuiu no início do século passado. que em curto prazo isso será qua- al de cada um. Daí a necessidade
A data de 15 de novembro, já se impossível, pois assim como a de uma religião que nasceu em
consagrada à comemoração da nação brasileira a nossa religião um país em formação ter várias
Umbanda em diversos municípios ainda está em formação. vertentes ou correntes dentro da
brasileiros, reporta-se ao dia, do Muitos pregoam uma umbanda unidade – Umbanda.
ano de 1908, em que o médium segregada e com divisões em ritos
Zélio Fernandino de Moraes e filosofia, e isso só faz afastar Kamuará p
recebeu, em Niterói, a missão de os mais humildes que querem

...............................................................................................

Este jornal é uma publicação do Templo de Umbanda Ogum Diretor responsável: Carlos da Costa
Megê, de distribuição gratuita. Ele é o resultado do trabalho Jornalista: Suzana Campos MTB 33.677
voluntário realizado pelos membros do Templo. Secretrária: Fabiana Dutra
Site: www.tuom.com.br Arte: Oficina de Criação
Email: raizguine@gmail.com Ilustrações: André Viegas
Umbanda, Quem És?... me rendem um verdadeiro culto e me chamam
pelo verdadeiro nome: rainha ÍSIS (Apuléia – “
Umbanda não é Unicamente forma, comunicações, revelações, fenômenos ine-
rentes à mediunidade são FATOS que remontam aos
Espiritismo

S
Metamorfose”, XI,4). primórdios das civilizações, não são, portanto, REA-
enhora da luz – QUEM ÉS? – Eu sou a Porém, dentre aqueles do passado, no presente, LIDADES somente conhecidas de 1857 aos nossos
Umbanda - vibração mágica de amor e É comum a controvérsia de uns e de outros, dias. E a Umbanda que tem como vértice de sua
existiam muitos que consegue me ver sem o véu de quanto a Umbanda ser um “aspecto” ou modalidade
força - ELO envolvente que atinge a tudo e ÍSIS e para estes, Eu sou a LEI – a Unidade – excel- razão de ser, desde as primitivas, ou melhor, parti-
a todos! do chamado Espiritis- cularmente desde a segunda Raça -- raiz, ou Lemu-
sa manifestação do Verbo, que harmonizo minha tô- mo dito de Kardec.
Como Expressão e Regra, sempre me nica, através dos Planos e Subplanos e me faço atu- rianos, numa Era de Scorpião -- o Signo da Magia,
apresentei Velada pelo próprio Manto do Deus Uno! Estes estudiosos pare- exteriorização periódica ou ciclos destes fatos,
ante, pelo Relativo na verdade, dentro dos corações cem que não estuda-
Envolta nele, estendi as variações de minha “forma- de todas as criaturas que neles se situam. E, hoje, ressurgiu na atualidade, como no passado, entre os
-luz” sobre os povos, através dos séculos... ram a ‘coisa’ como Atlantes, os Mayas e os Quichés, os Tupy-Guaranis
também, que de meu antigo berço, mil cânticos me ela É e se apresenta.
No entanto, Eu sou a primitiva Revelação, Alma evocam, farei reviver, das brumas do esquecimento, e os Tupy-Nambas da época pré-cabralianas, bem
do Mundo, sem princípio e sem fim, dentro do seio Batem-se no ponto de como há milênios, quando do antigo apogeu da raça
como imperativo da nova era que chegou, os antigos que no Umbandismo
da Eternidade! Mistérios – a perdida síntese Religio-Científica... africana, que conservou dentro da tradição oral, até
Já me fiz interpretar inúmeras vezes, sendo existe a manifestação nossos dias, farrapos desta Lei ou desta Doutrina
OBS: Dentro desta mística, Umbanda é a Lei-Una, dos espíritos e no
assim decantada, na concepção e na FÉ: “Eu Expressão e Regra das Hierarquias Constituídas, -- revelação do próprio Verbo -- primitiva síntese
Espiritismo, também. religio-cientifica, cujas derivações podem ser iden-
sou a Natureza, mãe das coisas, Senhora de manifestação Deus-Uno! Porque dizemos Senhora É este o cavalo de tificadas nos diferentes sistemas religiosos – pelo
Todos os Elementos, origem e princípio dos da Luz –Velada, não confundir com Yemanjá e nem batalha deles. Vamos
séculos, suprema divindade, rainha dos Manes, com Virgem Maria ou N.S da Conceição dos nossos aspecto esotérico - de todas as raças.
elucidar esta questão, Agora vamos definir positivamente uma regra:
primeira entre os habitantes do céu, tipo uni- irmãos católicos. pois já gastaram muita tinta.
W.W. da Matta e Silva... p que Kardec codificou, isto é, propagou, apenas,
forme dos deuses e das deusas. Sou Eu quem Ora todos sabem que quem particularizou o parte dessas antigas Verdades -- reveladas pelos
governa os cimos luminosos do céu, as brisas termo espiritismo foi Allan Kardec, para traduzir por espíritos de acordo com a época -- expressões de
salubres do oceano, o silêncio lúgubre dos infer- A Consciência Suprema ele certos ensinamentos dos espíritos. A palavra uma LEI, imutável, que vem sendo confirmada e
nos, potência única, sou pelo Universo inteiro espírito se perde na antiguidade, dentro dos livros ampliada dentro das nossas Linhas de Umbanda,
adorada sob várias formas, em diversas cerimô- Vocês sabem, não há nada desordenado nesse religiosos de vários povos, inclusive nos Vedas, dos por grandes instrutores, espíritos altamente evoluí-
nias, com mil nomes diferentes. universo. Tudo se move de acordo com certas re- Brahma, no Livro dos Mortos dos Egípcios, nas dos, que consideramos como Orixás Intermediários
obras de Fo-Hy, um dos mais antigos sábios da Chi-
Os Frígios, pri- meiros habi- gras. Nesse nosso sistema solar, o Sol é o núcleo, e e Guias, que têm como missão precípua reconstruir
tantos planetas movem-se ao redor desse Sol. Nesse na, na Bíblia de Moysés, as partes restantes, ou
tantes da terra, me chamam a
sistema planetário, a Terra é o núcleo, e a Lua na Kabala dos Judeus, seja, o todo... .
DEUSA – mãe de Pessinonte; os nos Evangelhos ditos do
Atenien- ses autócto- move-se ao seu redor. O que ressalta então,
Similarmente, no sistema atômico, também exis- Cristo e para não citarmos claramente, do exposto?
nes me nomeiam mais, na antiguíssima
te um núcleo, e os elétrons movem-se ao seu redor. Que há uma certa identi-
Mi- nerva, a Bíblia Maya-Quiché -- o
Na nossa ordem cósmica, a Consciência Suprema dade entre o Espiritismo e
é o núcleo e tantos objetos animados e inanima- Popol-Vuh, etc. a Umbanda. Esta identi-
dos estão se movendo ao Seu redor, consciente ou Mas, que se deve dade se verifica, quanto
inconscientemente. Os seres humanos movem-se entender realmente por à Doutrina, à manifes-
conscientemente, e outros animais, outros seres Espiritismo? Segundo o tação e comunicação
vivos menos evoluídos, bem como objetos inanima- citado Kardec, a Doutrina dos espíritos, pelo fator
dos - até mesmo alguns seres humanos - movem-se dos Espíritos, como veem, mediúnico, bem como
inconscientemente. O raio daqueles que se movem pelo exposto, revelar que pela parte cientifica, filo-
inconscientemente permanece inalterado, ou, até a doutrina ou coisas do sófica e moral, etc... Mas,
mesmo devido as suas pretensões baixas, esse raio espiritismo não foi exclu- sobrepõe-se logo, numa
pode até aumentar. Mas os aspirantes espirituais sivo privilégio de uns, nem de outros... “Diremos, comparação, o seguinte: a Lei de Umbanda NÃO É
sempre tentam diminuir a extensão dos seus raios. pois, que a Doutrina espírita ou o Espiritismo tem o Espiritismo, APENAS. Este com todo seu conteú-
Eles se aproximam mais e mais do Supremo e, por princípio as relações do mundo material com do, e que faz parte da Umbanda, isto é, se integra
quando ficam mais próximo possível, eles se tornam os Espíritos ou Seres do mundo invisível, etc.” -- O ou se ABSORVE NELA.
Cecropana;entre os habitantes da Ilha de Chi- um com o Núcleo; esse é o estágio da salvação. Livro dos Espíritos, int. pág.11. -- E estes espíritos Na Umbanda, ALÉM da parte filosófica, cienti-
pre, Eu sou Vênus de Paphos; entre os Creten- Agora, são tantas entidades, tantos indivíduos foram engendrados exclusivamente por Kardec para fica, doutrinária e dos fenômenos da mediunidade,
ses, armadores de arco, EU sou Diana Dichj- que se movem ao Seu redor; eles têm tantas estrutu- criarem uma doutrina sua -- própria? pela manifestação, desta ou daquela forma, dos
na; entre os Sicilianos que Apuléia falam três ras físicas - altas, baixas, brancas, escuras, educa- Ora, estas relações, esta doutrina, que tam- espíritos, formando estas coisas, os atributos prin-
bém traduzem as Eternas verdades, são tão velhas
línguas, Eu sou Proserpina, a Stigiana; entre das, analfabetas - mas a meta comum é o Núcleo, a cipais e tacitamente reconhecidos como particulari-
Consciência Suprema. Não deveria haver nenhuma quanto a própria humanidade, portanto podem ser zando a Escola Kardecista, tem a Umbanda ainda,
os habitantes de Eliseusis, a antiga Ceres, uns
timidez, nenhum ódio, nenhum complexo mental identificadas nestes ditos antigos e sagrados livros bem definida, os aspectos propriamente dito de uma
me chamam Juno, outros Belone, aqui Hecate, das mais velhas religiões do mundo, doutrina que
acolá a deusa de Ramonte. Mas, aqueles que nos seres humanos, porque aquele Núcleo é o “EU” Religião, pela Liturgia, Ritual, Simbologia, Mitologia
maior de todos - aquela Núcleo é o Progenitor Su- os espíritos transmitiram, em sua introdução -- obra Esotérica e outras correlações de Forças NÃO PRA-
foram os primeiros iluminados pelos raios do sol citada, págs. 21/25.
premo de todos. (Baba em Fiesch) p TICADAS no denominado espiritismo e, portanto,
nascente, os povos Etópicos, Arianos e Egíp- Então, devemos reconhecer que a essência desta
INEXITENTES. WW da Matta e Silva p
cios, poderosos pelo antigo saber, Estes, Sós, doutrina, espíritos e suas relações com o mundo da
A humanidade busca os efeitos ção natural. Este Ser por nós, simples humanos, in- Estado Teocrático Estado laico vem a ocupar a vida pública, pois é um
descritível e inimaginável em sua forma e perfeição, equívoco pensar que o termo laico significa neu-
da Fé

E
tem que existir. É impossível e inexplicável imaginar stado Teocrático é aquele em que há confusão tro; em sentido contrário, esse tipo de Estado pode
um mundo à deriva, justamente pelo equilíbrio que, entre o Estado e religião, no sentido em que a representar (e geralmente representa) valores. Visto

A
diversidade de religiões ou cultos são necessá- naturalmente, a todo tempo busca ser reestabele- religião adotada decidirá os rumos da nação – o sob essa ótica, encontramos dois modelos jurídicos
rios por clara cido. É de se crer que uma das condições impostas termo decidirá é proposital, pois nas teocracias não de forma de ocupação da vida pública pelo Estado:
impotência por tão elevado Ser é justamente a “lei de causa há mera influência da religião nos rumos políticos o modelo de vida pública “vazia”, de matriz liberal-
da humanidade, e efeito” - para acreditar nisto basta olhar para a e jurídicos do Estado, mas efetiva determinação no -universalista, e o modelo de vida pública “cheia”,
definitivamente, Terra. O que, às vezes, foge à nossa compreensão sentido de que os dogmas religiosos efetivamente de matriz muticulturalistica - comunitarista (PE-
em compreender é que os efeitos podem estar bem distantes de sua pautarão as políticas estatais e as relações privadas. REDA).
a vida, a morte e causa; porém, se a causa é em essência promissora, É o caso dos Estados Islâmicos. São Estados totali- No primeiro, todas as manifestações religiosas
seus propósitos. ainda que distante, seus bons efeitos aparecerão, tários no que tange à religião e à moralidade, visto devem restringir-se exclusivamente à esfera privada,
O fato da cons- ainda que não na forma esperada. que não admitem nada que não esteja em absoluta sem ultrapassar suas barreiras, como por exemplo
ciência de que Talvez o caminho melhor para a Fé seja crer que, sintonia com os dogmas o Estado francês. Já
somos dotados não em momento adequado, definido pelo equilíbrio na- da religião que se con- no segundo modelo
admitir causa sem tural entre nossas interações com os demais seres, funde com o Estado. consiste na antítese
efeito, início sem o efeito virá e nos conscientizarmos de que quanto Estado Confessional do primeiro, haja vista
fim, ações sem propósitos, talvez seja um fator que mais distante da causa maior será a amplitude dos é aquele que, embora a ocorrência de uma
provoque aquela condição. Fazer o quê, para quê? entes beneficiados por ele. não se confunda com valorização dos per-
Para nosso tempo e espaço, tornam-se com- Acredito particularmente que o efeito esperado determinada religião, tencimentos religiosos,
preensíveis as respostas a estas perguntas, porém não pode enfraquecer nossa Fé, pois aquele que não possui uma religião ofi- considerando-os impor-
para a continuidade da existência, nem tanto. Daí a crê nos efeitos além de, consequentemente, não ter cial que pode influir nos tantes na formação da
grande decisão que deve partir de nossas mentes: é Fé, tem a vida como uma sequencia de momentos rumos políticos e jurídi- identidade do indivíduo.
preciso crer para ter Fé. Pelo menos, não há dúvida felizes e infelizes em que o único elo entre uns e cos da nação, além de Portanto, um Estado
de que inúmeras pessoas atingem seus objetivos outros é o Tempo. Assim é o grupo de imagens se- possuir privilégios não genuinamente indepen-
materiais e relativos aos sentimentos, justamente quenciais de um filme, ou de um desenho animado, concedidos às demais. dente deve ocupar uma
por agirem positivamente: acreditando. ou as várias etapas de um programa de computa- Foi o caso do Brasil Im- postura pluriconfessio-
Num raciocínio simples, pelo menos do meu dor; porém a vida, claramente, não tem momentos perial, cuja Constituição nal na vida pública, ou
ponto de vista, não poderia ser diferente com rela- estanques: ela é contínua e consequente em toda definiu a religião cató- seja, não deve declarar-
ção à Fé espiritual. Porém, o “ver para crer”, de São mínima fração de tempo. lica apostólica romana -se como adepto de
Tomé, principalmente nessa questão, torna-se rele- A Fé não substitui a luta pelos objetivos pretendi- como religião oficial do nenhum credo, além de
vante para muitas pessoas. Embora essas mesmas dos, e não podemos julgá-la pelo efeito, mas de- país. permitir e possibilitar
pessoas acreditem nos efeitos de forças que não vemos refletir se usamos nossas forças de maneira Estado Laico é aque- um convívio pacífico
podem ver, como a elétrica, a gravitacional, a eólica, leal, tendo como foco a verdadeira Fé. É de se intuir le que não se confun- e harmônico entre as
e outras, no caso da espiritual, elas receiam investir. que a verdadeira Fé traduz-se em efeito benéfico. Se de com determinada diversas crenças exis-
É preciso lembrar que muitas pessoas não conse- assim não acontece, acho que é hora de refletirmos religião, não adota uma tentes na esfera pública,
guem atingir seus propósitos por não crerem de fato acerca da forma como administramos nossa Fé. religião oficial, permite como, por exemplo, o
que podem alcançá-los, e aqui estamos tratando do “DEUS EXISTE, O RESTO É CONOSCO” a mais ampla liberdade Estado brasileiro, quan-
mundo material. Então, a regra parece ser simples: de crença, descrença do posto pelo art 19, I
é preciso crer de fato para ter como consequência a Cacalano p e religião, com igual- da CF/88 ao instituir a
verdadeira Fé, independentemente dos efeitos, até dade de direitos entre laicidade e a liberdade
porque não somos inteligentes o suficiente para per- as diversas crenças e religiosa no art 5º, VI da
ceber em que momento eles serão nos apresentados descrenças e no qual fundamentações religiosas CF/88 dentro de uma ordem pluriconfessional.
e sob quais condições. não podem influir nos rumos políticos e jurídicos da Estado Ateu é aquele que adota a negação da
Ao caminhar pela história da humanidade, nação. É o que se defende ser o Brasil sob a égide existência de Deus como doutrina filosófica e,
defrontamo-nos com um grande número de gênios da Constituição Federal de 1988, em razão de seu portanto, não aceita que seus cidadãos manifestem
que, na lúcida velhice, propuseram ao mundo a art.19, inc. I, vedar relações de dependência ou suas crenças religiosas.
impossibilidade de não haver um ente supremo, que aliança com quaisquer religiões. O termo laicidade Trata-se de um totalitarismo que se encon-
coordenasse essa maravilhosa e harmônica comple- é polissêmico, podendo representar, por exemplo, tra no extremo oposto do totalitarismo teocrático:
xidade de formas dos mundos, com suas respectivas tanto a distinção entre o crente e o não crente no enquanto neste exige-se que todos façam parte e
leis. contexto da esfera religiosa, semântica empregada respeitem os dogmas da religião da instituição reli-
Algo deve ter sobretudo historicamente pela Igreja Católica con- giosa que se confunde com o Estado, naquele exige-
revolucionado a (Pintura a óleo cernente à figura de Deus, como também uma dou- -se que todos não tenham nem professem nenhuma
mente destas pessoas BACCHIACA trina que representa uma relação de independência crença teísta. É o caso da China.
brilhantes, que não Baptism of entre o homem ou a sociedade, mas principalmente
encontraram melhor Christ) a figura do Estado, de qualquer influência religiosa Juliano Rinck p
razão para explicar a ou eclesiástica na relação do poder estatal.
existência e sua evolu- A problemática encontra-se na forma como o
Religião e Ciência Essa Fé não é inimiga da Razão, mas sua tocha, é a

O
fé do Ser Humano.
s pilares da sabedoria: Temos a certeza à união da
Religião, Ciência, Filo- Ciência e a religião ocorrerá ainda
sofia e Arte. A ciência neste milênio, já em que século
e a religião são as que fica difícil prever. A natureza não
mais se antagonizam. dá salto, o crescimento do Ser Es-
Devido confrontos ideológicos carnado se dará com o sofrimento
de denominação, por parte de eminente da humanidade.
setores da igreja na Idade Média, É bem provável que a ciência
ou seja, idade das trevas. Os esteja a serviço do materialismo,
confrontos da religião e ciência diferente não fica a religião com
acabaram atrapalhando, não per- sua indulgência. Indulgências tais
mitindo que ambas caminhassem que até parece que retrocedemos
irmanadas para o bem da huma- a Idade Média. Essa egrégora é
nidade. Muitos foram os atrasos e pesada, que parece dominar o
dissonância entre Fé e Ciência, que deveriam ser as ocidente.
guardiãs da civilização, e acabaram se distanciando Precisamos mudar o cenário reinante através da
e trazendo prejuízo. Perdeu o dom supremo, sua interiorização do Sagrado, que somente poderá ocor-
magia, a do grande alicerce da educação. rer com a Fé. Mas para que isso ocorra, precisamos
Os templos da Índia e do Egito produziram os trabalhar com afinco os valores éticos, criando uma
maiores sábios da Terra. Os templos gregos mode- nova egrégora para a humanidade. Não será e não é
laram heróis e poetas. Os apóstolos de Cristo foram fácil quebrar o que está nos fazendo mal, pois no
martirizados e sublimes na sua Fé, dando origem a mundo da ilusão o qual vivemos, faz acreditarmos
milhares de outros. A igreja da Idade Média, apesar que vai melhorar sem nenhum esforço por parte
da sua teologia primária, fizera santos e cavalheiros, de cada um. Podemos viver com tecnologia e, ao
pois tinha fé e o espírito do Cristo se manifestava mesmo tempo, reintegrar os valores nobres do ser
nela. humano. Melhorando a educação, com apoio da re-
Nos dias de hoje, nem a religião
presa aos seus dogmas, tampouco
à ciência fixada na matéria fazem
homens plenos. A arte de criar e
formar almas se perderam, somente
será reencontrada quando a Ciência e
a Religião se propuserem a se fundi-
rem em uma força propulsora para o
crescimento da humanidade, se apli-
car junta e de comum acordo para a
salvação da humanidade.
Não quer dizer que a Ciência
teria que mudar os métodos, mas
de estender o seu campo, nem tão
pouco a religião de tradição, mas de
compreender suas origens, espírito e
valor ético.
Estamos em transformação social
e intelectual. Algumas mudanças já
anunciam, que se a Religião puder
e a Ciência souber, o Ser Humano
caminhará para novos paramentos. A arte da vida e ligião, teremos um grande avanço humanístico que
todas as artes só podem renascer com esse acordo. será dará com a fusão da ciência e a religião.
O que fazer durante a espera, pois a descida para
o fundo do poço está iminente, com uma perda de Carlos da Costa p
......................................................................
valores de assombrar os mais libertinos? Até acre-
ditávamos em uma subida aos cumes de aurora
Arte e diagramação
brilhante. oficinadecriar@gmail.com
A Fé é uma coragem do espírito que se lança
para frente, seguro que irá encontrar a verdade.