Você está na página 1de 4

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ

CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E JURÍDICAS – CEJURPS

LUIZ SOARES MELO

PESQUISA: Detração por prisão ocorrida em outro processo, no qual o réu foi
absolvido.
Possibilidade da conversão em pena privativa de liberdade, no caso de
inadimplemento da prestação pecuniária e/ou da multa substitutiva.
Direito Penal.

São José
2018
A fome como problema social se caracteriza por pessoas que continuamente não têm
acesso a calorias suficientes para suprir suas necessidades energéticas diárias.
Existem, atualmente, cerca de 805 milhões de indivíduos nessa situação. Em outras
palavras: 1 a cada 9 pessoas no mundo está subnutrida. Desse total, a grande
maioria, 780 milhões, se encontra geograficamente nos países em desenvolvimento.
Os especialistas que tratam do assunto, denominam a situação de fome como "segurança ou
insegurança alimentar".
Segundo xxx, O Brasil saiu do Mapa da Fome em 2014.

latente nos países em desenvolvimento e a maior parte da população pobre e


subnutrida vive nas áreas rurais, onde a agricultura familiar prevalece como o modo de
organização de produção. Seguindo essa tendência, aproximadamente 75% da
população pobre mundial vive em áreas rurais – essa taxa pode ser ainda maior em
países de baixa renda.

O órgão responsável pelo monitoramento da oferta adequada de alimentos à população é


a ONU (Organização das Nações Unidas) e seus órgãos acessórios, a FAO (Organização para a
Alimentação e Agricultura), o FIDA (Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola) e
o PMA(Programa Mundial de Alimentos).

2. Desperdício de alimento
Outro fator agrava esse cenário: o desperdício de alimento. Em 2016, das 4 bilhões
de toneladas métricas de comida produzidas, um terço foi desperdiçado (1,3 bilhões
de toneladas métricas), custando aproximadamente US$750 bilhões à economia
global anualmente. Entretanto, as perdas não se limitam apenas a esfera econômica,
mas também de outros insumos que foram necessários para a produção, como a
água, energia e trabalho, emitindo ainda gases estufa ao longo do processo.

O desperdício é tão grande que, utilizando apenas um quarto da comida jogada


anualmente no mundo, já seria o suficiente para alimentar 870 milhões de pessoas
subnutridas, o que excede o número de pessoas de fato passando fome globalmente.

4 problemas desencadeados pela fome


Vamos entender agora o que o ciclo da fome gera:
 Capacidade de realização de atividades físicas reduzida: pela falta de
alimentação ou alimentação precária, consequentemente o potencial de trabalho
daqueles que sofrem com a fome será afetado. A maior consequência desse fato é
que, normalmente, a força de trabalho é o único recurso que esses indivíduos têm a
oferecer e a redução da sua capacidade de trabalho pode agravar ainda mais sua
condição econômica e perpetuar sua condição de falta de alimentação
 O desenvolvimento físico e mental da pessoa é prejudicado: a subnutrição e
falta de alimentação retarda o crescimento infantil, deixa sequelas nas habilidades
cognitivas e diminui o desempenho e a presença escolar. Compromete, ainda, os
resultados de investimentos realizados no setor de educação, uma vez que crianças
desnutridas têm seu potencial de aprendizado reduzido e algumas precisam até largar
os estudos para ajudar com a renda familiar e colocar comida na mesa.
 Danos a longo prazo para a saúde, aumentando a probabilidade de doenças
(por conta do enfraquecimento pela alimentação insuficiente) e morte prematura. Os
problemas são transmitidos de uma geração para a outra: crianças nascidas de mãe
desnutridas já começam a vida com dificuldade, por conta do baixo peso e deficiências
nutricionais causadas no período da gestação.
 Gera instabilidade política e social, dificultando ainda mais os esforços dos
Estados em reduzirem a pobreza.
Esses fatores têm impacto em diversos níveis: individual, comunitário e
governamental. Por conta disso, a fome (e a pobreza) não é um problema fácil de ser
erradicado, requerendo várias linhas de ações diferentes.

FOME NO MUNDO: UM HORIZONTE COMPLICADO


As quase 800 milhões de pessoas subnutridas no mundo mostram que a fome é mais
do que uma questão de saúde pública. Suas raízes estão enterradas na construção da
estrutura social, que é extremamente desigual, fazendo com que fome e pobreza
caminhem lado a lado. Como resultado, a nível individual, vemos complicações na
saúde dos afetados, como: doenças, diminuição do seu rendimento físico e de suas
oportunidades futuras. Contudo, as consequências vão além: a fome pode afetar ainda
o desenvolvimento econômico de um país, sua estabilidade política e social.
Fontes:
FAO – Declaração de Roma sobre a segurança alimentar mundial e plano de acção da
cimeira mundial da alimentação – Roma, 1996; FAO – Save Food: global initiative on
food loss and waste reduction; AGENDA 2030 – Objetivo 2: fome zero e agricultura
sustentável; FAO – Chapter 2: Food security – concepts and measurement – Trade
reforms and food security – Roma, 2003; FAO – Statistical Pocketbook 2015: world
food and agriculture – Rome, 2015.
Você conhecia o panorama sobre a fome no mundo? O que acha disso? Deixe seu
comentário!
Publicado em 06 de setembro de 2017.

http://www.politize.com.br/fome-no-mundo-causas-e-consequencias/

https://www.todamateria.com.br/fome-no-mundo/

REFERÊNCIAS:

MIRABETE, Julio Fabbrini. Código Penal Interpretado. Atlas, 3ª ed, 2003.

BRASIL. Decreto-Lei 2.848, de 07 de dezembro de 1940. Código Penal. Diário Oficial


da União, Rio de Janeiro, 31 dez. 1940.

FONSECA, Felipe Magno Silva. Multa do art. 44, §2º, do Código Penal:: natureza
jurídica e implicações. 2016. Disponível em:
<http://www.conteudojuridico.com.br/artigo,multa-do-art-44§2-do-codigo-penal-
natureza-juridica-e-implicacoes,5683.html>. Acesso em: 07 mar. 2018.

REFERÊNCIA COMPLEMENTAR:

PERTILLE, Marcelo Cesar Bauer. Aula de Direito Penal (Parte Geral). Universidade do
Vale do Itajaí: Aula sobre teoria das Penas. 05 de mar de 2018. Notas de Aula.