Você está na página 1de 35

HIPOTIREOIDISMO

CANINO

Aline Bomfim Vieira, MV, Ms


GLÂNDULA TIREOÍDE
 ANATOMIA
 Ó rgão bilobado
Órgão
 Ligada à superf ície
superfície
latero-ventral da
latero-ventral
traqu éia
traquéia
 Lobo esquerdo – mais
caudal
GLÂNDULA TIREOÍDE
 FISIOLOGIA
 Eixo hipotalâmico-
pituitário-tireoidiano

 Produção e secreção
dos hormônios
 Iodo
Iodo da
da dieta
dieta == pré-
pré-
requisito
requisito
 TT44 ,, rrTT33 ee TT33
GLÂNDULA TIREOÍDE
 FISIOLOGIA
 TIROXINA – T4
 É o hormônio secretado em > qtdade glândula
 Mais de 99% est á ligado à prote
está ínas na circula
proteínas ção
circulação
 Reservatório para
Reservatório para manter
manter [[ ]] de
de T
T44 livre
livre
 < 1% sob a forma livre = forma biologicamente ativa
 Promove
Promove feedback
feedback negativo
negativo sobre
sobre aa hip ófise
hipófise
 Entra
Entra na
na ccélula
élula para
para desioda ção
desiodação
GLÂNDULA TIREOÍDE
 FISIOLOGIA
 TRIIODOTIRONINA – T33
 Secretado
Secretado em
em peq
peq qtdade
qtdade pela
pela tireóide
tireóide
 TT33 -- 3,5,3
3,5,3’’ triiodotironina
triiodotironina
 rT
rT33 -- 3,3’,5’ triiodotironina
3,3’,5’ triiodotironina (reverso)
(reverso)
 Produzidos
Produzidos em
em gde
gde qtdade
qtdade dentro
dentro das
das ccélulas
élulas
 aa partir
partir aa desioda ção do
desiodação do TT44 livre
livre
 TT33 -- em
em per íodos de
períodos de metabolismo
metabolismo normal
normal
 rT
rT33 -- em
em per íodos de
períodos de doen
doença, ça, fome
fome ou
ou excessivo
excessivo
catabolismo
catabolismo end ógeno
endógeno
 Se
Se liga
liga aa receptores
receptores na
na mitocôndrias,
mitocôndrias, nnúcleo
úcleo ee MP
MP para
para
exercer
exercer seus
seus efeitos
efeitos biológicos
biológicos
HORMÔNIOS TIREOIDIANOS
FUNÇÃO DOS HORMÔNIOS
TIREOIDIANOS
 Afeta vários processos  Desenvolvimento fetal
metabólicos
 Estimula a produção de calor
 Concentração
Concentração ee
atividade  Síntese de ptns e enzimas
atividade de
de enzimas
enzimas
 Metabolismo
Metabolismo de de  Metabolismo de lipídeos
substratos,
substratos, minerais
minerais ee  Efeito cronotrópico e ionotrópico
vitaminas
vitaminas sobre o coração
 Secreção
Secreção ee degradação
degradação  Essencial no centro respiratório
de
de hormônios
hormônios
 Estimula eritropoiese
 Resposta
Resposta dos
dos hormônios
hormônios
no
no tecido
tecido alvo
alvo  Estimula o metabolismo ósseo
HIPOTIREOIDISMO
 DEFINIÇÃO

Doença decorrente da produção deficiente


dos hormônios tireoidianos.

Endocrinopatia comum em cães e rara em


gatos
HIPOTIREOIDISMO
 ETIOLOGIA / TIPOS
 PRIMÁRIO – Mais comum!
 Destruição da Glândula Tireóide
 Tireoidite
Tireoidite Linfocítica
Linfocítica
 Imuno-mediada
Imuno-mediada
 Infiltração
Infiltração de
de linfócitos,
linfócitos, plasmócitos
plasmócitos ee macrófagos
macrófagos
 Fatores
Fatores genéticos
genéticos envolvidos
envolvidos
 Atrofia
Atrofia Idiopática
Idiopática
 Perda
Perda do
do parênquima
parênquima sem
sem infiltrado
infiltrado inflamatório
inflamatório
 Doen ça degenerativa
Doença degenerativa primária?
primária?
 Estágio final
Estágio final da
da TL?
TL?
HIPOTIREOIDISMO
 ETIOLOGIA / TIPOS
 SECUNDÁRIO
 Deficiência na Glândula Pituitária = TSH
 Hipoplasia pituitária
 Nanismo pituitário
 Disfunção das células tireotróficas
 Tumor – raro
 Supressão por hormônios ou drogas
 Corticóides!!!!
 Leva à atrofia da glândula tireóide
HIPOTIREOIDISMO
 ETIOLOGIA / TIPOS
 TERCIÁRIO - Raro
 Deficiência no Hipotálamo = TRH
 Disfunção dos neurônios peptidérgicos
 Só descrito em humanos!!!
HIPOTIREOIDISMO
 INCIDÊNCIA
 Cães entre 2 e 6 anos

 Sem predileção por sexo

 Predisposição racial
 Cocker
Cocker Spaniel,
Spaniel, Beagle,
Beagle, Maltês,
Maltês, Boxer,
Boxer, Golden
Golden Retrivier,
Retrivier,
Doberman....
Doberman....
HIPOTIREOIDISMO
 SINAIS CLÍNCOS
 Variam
 Entre
Entre Indivíduos
Indivíduos
 Idade
Idade de
de diagnóstico
diagnóstico
 Raça
Raça
 Sinais Metabólicos
 Letargia
Letargia // Intolerância
Intolerância ao
ao exercício
exercício // Demência
Demência
 Ganho
Ganho de de peso
peso sem
sem aumento
aumento de
de apetite
apetite
 Intolerância
Intolerância aoao frio
frio
HIPOTIREOIDISMO
 SINAIS CLÍNCOS
 Sinais Dermatológicos
 Alopécia
Alopécia simétrica
simétrica bilateral
bilateral de
de
tronco
tronco que
que tende
tende aa se
se dissipar
dissipar
pelas
pelas extremidades
extremidades ee cabeça
cabeça
 Não
Não pruriginosa
pruriginosa –– cuidado!!!
cuidado!!!
 Seborréia
Seborréia ee pioderma
pioderma
 Pêlo
Pêlo opaco,
opaco, sêco,
sêco, facilmente
facilmente
epilado,
epilado, crescimento
crescimento lento
lento
 Hiperqueratose
Hiperqueratose // Hiperpigmentação
Hiperpigmentação
 Otite
Otite externa
externa crônica
crônica
 Casos
Casos severos
severos == Mixedema
Mixedema (“face
(“face
trágica”)
trágica”)
HIPOTIREOIDISMO
HIPOTIREOIDISMO
 SINAIS CLÍNCOS
 Sinais Reprodutivos
 Perda de libido, atrofia testicular, oligo ou
azospermia – contestados atualmente!!!
 Johnson
Johnson et
et al,
al, 1999.
1999.
 Interestro prolongado ou anestro
 Problemas na gravidez
HIPOTIREOIDISMO
 SINAIS CLÍNCOS
 Sinais Neuromusculares
 Fraqueza
 Ataxia
 Andar em círculos
 Sinais vestibulares
 Paralisia de nervo facial
 Convulsão
 Paralisia de Laringe
HIPOTIREOIDISMO
 SINAIS CLÍNCOS
 Sinais Oculares
 Depósito de lipídeos na córnea
 Ulceração de córnea
 Uveíte
 Sinais Cardiovasculares
 Diminuição da contratilidade
 Bradicardia
 Arritmias
HIPOTIREOIDISMO
 SINAIS CLÍNCOS
 Sinais Gastrointestinais
 Constipação
 Diarréia
 Hematológicos
 Anemia
 Hiperlipidemia
HIPOTIREOIDISMO
 DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL
 Anormalidades
Anormalidades Dermatológicas
Dermatológicas
 Ex:
Ex: Seborréia
Seborréia Primária
Primária
 Causas
Causas de de Alopécia
Alopécia Endócrina
Endócrina
 Ex:
Ex: Cushing
Cushing
 Causas
Causas de de Hiperlipidemia
Hiperlipidemia
 Ex:
Ex: Diabetes
Diabetes Melitus,
Melitus, Cushing
Cushing
HIPOTIREOIDISMO
 DIAGNÓSTICO
 Exames Gerais
 Hipercolesterolemia – 75% dos casos
 Hipertrigliceridemia (lipemia)
 Anemia arregenerativa, normoc. Normocrômica
 ALT, AST, FA (incomum)
 Histopatologia da pele
 Hipertrofia e/ou vacuolização do músc. pilo eretor
 Aumento do conteúdo de mucina
 Espessamento da pele
HIPOTIREOIDISMO
 DIAGNÓSTICO
 Exames Hormonais
 Não existe teste 100% diagnóstico!!!
 Fazer uso quando houver histórico, sinais clínicos e
exames laboratoriais sugestivos.
 Influenciados por diversos fatores
 Doença concorrente
 SÍNDROME DO EUTIREOIDEU DOENTE
 Drogas (ex: corticóides)
 Alterações nas [ ] diárias
HIPOTIREOIDISMO
 DIAGNÓSTICO
 Dosagem de T33 (total,
(total, livre
livre ou
ou reverso)
reverso) Não!
 Dosagem de T44 total
 Por método de RIA ou QI
 É facilmente influenciado por fatores externos
 Deve ser interpretado com critérios!!!
 Acurácia de 75-85%
VARIÁVEIS QUE AFETAM SÍNDROME DO

O T4 TOTAL EUTIREOIDEU DOENTE

FISIOLÓGICAS FARMACOLÓGICAS DOENÇA SISTÊMICA


Idade Glicocorticóides IRA e IRC
Tamanho Corporal Carprofeno... Demodicose
Raça Furosemida Diabetes Melitus
Ganho de peso/Obesidade Fenobarbital ICC e CM
Perda de Peso/Jejum Fenilbutazona Obesidade
Exercício extremo Progestágenos Problemas GI
Prenhez Propiltiorouracil Hepatite Aguda e Crô.
Cirurgia/anestesia Sulfonamidas Linfoma
Consumo de Ferro Ipodato Cinomose
Autoanticorpos Tiamazol Septicemia
DDIV...
HIPOTIREOIDISMO
 DIAGNÓSTICO
 Dosagem de T44 livre por diálise
 Por método de Diálise de Equilíbrio
 É o teste mais indicado! - acurácia de 90%
 Exclui as influências de auto-anticorpos e diminui as
influências de fatores externos
VARIÁVEIS QUE AFETAM O
T4 LIVRE POR DIÁLISE

FISIOLÓGICAS FARMACOLÓGICAS DOENÇA SISTÊMICA

Raça Glicocorticóides

Ganho de Peso Carprofeno...


Depende da severidade
Consumo de Iodo Tiamazol da doença

Fenobarbital
Influência menor do que
Propiltiorouracil a do T4 total

Sulfonamidas
HIPOTIREOIDISMO
 DIAGN ÓSTICO
DIAGNÓSTICO
 Dosagem de TSH
 20% dos hipotireoideos tem valores normais
 SSó
ó deve ser interpretado junto com T4 total ou
livre
 T4 livre por di álise ou T4 total e TSH
diálise
+ sinais = diagn óstico
diagnóstico
 Qq outra combina ção é inconclusiva
combinação !!!
inconclusiva!!!
HIPOTIREOIDISMO
 DIAGNÓSTICO
 Testes Hormonais
 Custo
 Interpretação
 Diagnóstico Terapêutico

 Diagnóstico em animais previamente tratados


 Atrofia pituitária e tireoidiana mesmo em cães normais
 Descontinuar tto e testar após 6-8 semanas
HIPOTIREOIDISMO
 TRATAMENTO
 Levotiroxina Sódica
 Humana
 Synthroid®;
Synthroid®; Puran
Puran T4®
T4®
 Canina
 Soloxine®;
Soloxine®; Thyro-Tabs®
Thyro-Tabs®
 Dose: 22 mcg/kg/BID
 Ajustar dose individualmente
HIPOTIREOIDISMO
 MONITORAÇÃO
 Resposta em 6-8 semanas
 Falha em responder ao tto
 Diagnóstico errôneo
 Dose ou frequência inadequada
 Droga genérica/má absorção intestinal
 Proprietário
 Controle Hormonal
 T4 total de 44-6
-6 horas ap ós a administra
após ção OU
administração
 T4 livre por di álise em casos de anticorpos
diálise
HIPOTIREOIDISMO
 COMPLICAÇÃO
 Tireotoxicose
 Excesso de administração de levotiroxina
 Incomum
 Taquipnéia, Agressividade, PU/PD/PF e perda de
peso
 Sinais se resolvem 1-3 dias após
HIPOTIREOIDISMO
 PROGNÓSTICO
 Depende da Origem
Malú, Poodle, Fêmea, 7a
 Queixa Principal: Dermatopatia Crônica

 Histórico: Encaminhada por outro vet com


suspeita de HAC. Apresenta PU/PD/PF,
respiração ofegante, aumento de peso e
vol. abdominal. Tem problemas de pele há
mais de 3 anos que só melhoram com uso
de corticóide. Recebe Meticorten há 2
anos.
Olenka, Schnauzer, F, 5 anos
 QUEIXA PRINCIPAL: Incontinência Urinária

 ANAMNESE: Animal obeso foi levado ao vet por


apresentar Incontinência Urinária recorrente.
Exames gerais demonstraram elevação de
colesterol, triglicerídeos e enzimas hepáticas.
Encaminhado para manejo de obesidade.
DÚVIDAS???