Você está na página 1de 2

“Prêmio Educador Nota 10”, professora de

Osasco é destaque na Globo

A professora de português osasquense Nilma Sladkevicius Castellani foi uma das


vencedoras da 22ª edição do “Prêmio Educador Nota 10”, realizado pela Fundação Victor
Civita. A cerimônia de premiação ocorreu nesta segunda-feira (30), na Sala São Paulo,
na Capital.

O projeto de Nilma premiado chama-se “Um sorriso negro, um abraço negro”, que visa
estimular o conhecimento histórico e a leitura e é realizado com os estudantes da
Educação de Jovens e Adultos (EJA) na EMEF “Luiz Bortolosso”, no Jardim Rochdale,
zona Norte, de Osasco. A iniciativa foi uma das dez premiadas entre as 4,9 mil inscritas,
de professores e gestores da educação infantil ao ensino médio de escolas públicas e
privadas de todo o país.

Na solenidade de premiação, a educadora osasquense discursou emocionada: “O projeto


foi desenvolvido com muito comprometimento, ultrapassou os muros da escola, envolveu
a comunidade e deu um resultado incrível, porque em pouco tempo esses alunos criaram
voz na comunidade, colocaram a opinião deles e escutaram a opinião das pessoas de
fora da escola. Todas essas ações fizeram com que os educandos criassem conceitos e
aprimorassem suas ideias, referente ao preconceito racial que foi o tema central do
projeto’’.

A premiação foi destaque em matéria no jornal “Bom Dia SP”, da TV Globo, na série
“Diário de Escola”, na manhã desta terça-feira (1º)

O secretário de Educação, José Toste Borges, elogiou Nilma e disse que o trabalho dos
professores da cidade é sempre motivo de muito orgulho: “Os profissionais da educação
que trabalham nas escolas municipais são altamente capacitados e comprometidos com
a educação de qualidade. Além disso, realizamos todos os anos o Concurso Professor
Inovador, que busca valorizar a ação dos docentes. Na edição anterior, a professora
Nilma foi uma das vencedoras”.

O projeto
A professora Nilma Castellani trabalhou com os estudantes da EJA o projeto vencedor,
que contém as observações dos educandos com idades entre 24 e 71 anos, a maioria
migrante do Nordeste, e relatos em suas histórias de vida, como a forte presença do
preconceito, das diferenças raciais e dos estigmas que surgem a partir deles.

Em torno desse tema, Nilma organizou uma variedade de atividades para manter o
interesse de todos e, ao mesmo tempo, gerar incentivo de escrita e leitura entre os
estudantes.

Na sequência, os preconceitos grafados pelo grupo formaram listas de palavras, que


levaram à discussão de relações sonoras com outras conhecidas, como seus nomes
próprios. Anotações em palestras e durante uma peça teatral serviram para reflexão
sobre o sistema de escrita.

A professora propôs a leitura coletiva de biografias de personalidades negras e estimulou


a produção de autobiografias, considerando os saberes e possibilidades de cada aluno e
aluna. O sucesso do projeto foi tanto que aumentou a procura pela EJA na escola,
motivando a abertura de uma segunda turma multisseriada.

O Prêmio Educador Nota 10 foi criado em 1998 pela Fundação Victor Civita que, desde
2014, realiza a premiação em parceria com a Editora Abril, Globo e Fundação Roberto
Marinho.

Reconhece e valoriza professores da Educação Infantil ao Ensino Médio, bem como os


coordenadores pedagógicos e gestores escolares de escolas públicas e privadas de todo o
país.

A premiação tem o apoio da Nova Escola, Instituto Rodrigo Mendes e Unicef, e patrocínio
da Fundação Lemann e SOMOS Educação. Desde 2018, o Prêmio Educador Nota 10 é
associado ao Global Teacher Prize, prêmio global de Educação.