Você está na página 1de 3
‘06/05/2019 Por que no se lem mais {na sartidade? Por que nfo se tem mais fé na santidade? O século XX talvez seja 0 século em que rrais se felou de santidade. InGmeros tedlogos escreveram compéncios e manuals de ascétice, com 0 objetivo de ingpirer os coragées a se dedicarem totalmente a vida da graca. Todavia, neste século em que tanto se escreveu sobre a perfeicao crist eas maravilhas da graca de Deus, exatamente agore é que se ignora a vocagao das vocagées. Eiisso se deve, sobretudo, a influéncia de um frade agostiniano do século XVI cue, com seus escritos e protestos, perverteu o sentido da fée da graca de Deus, Seu nome é Martinho Lutero. Vimos na aula anterior que existe um chamado divino universal a santidade, o qual engloba, portanto, ndo somente os clérigos e religiosos, como também todos os leigos. Quanto aos, sacerdotes, porém, vimos que a busca pela santidade ¢ algo que esta profundamente associado a prépria natureza do sacerdécio, de modo que nao se pode ser verdadeiramente padre sem um desejo ardente de ser santo. E por isso que, na chamada oragao consecratéria, obispo impée as maos sobre o didcono, suplicando para o futuro padre as gracas necessérias para a sua santificacao. O bispo suplica ao Senhor pela santificagao de seu clero porque sabe que a santidade nao é fruto dos esforcos humanos, mas da gragade Deus que atua no homem, configurando-o a Nosso Senhor Jesus Cristo. Baldados os estragos da heresia pelagiana, a Igreja entende que nenhum ato de amor, por menor que seja, pode ser realizado pelo homem sem a graga de Deus. E os padres nao esto fora dessa regra Nos tltimos cem anos, varios autores espirituais — tais como Fr. Juan G. Arintero, OP, Fr. Ambroise Gardeil, OP, Fr. Reginald Garrigou-Lagrange, OP, Fr. Antonio Royo Marin, OP, ete. — estudaram a engenharia da santidade, a fim de despertar no coragaio dos cristaos 0 desejo pelo bem mais importante que se pode buscar nesta vida: a amizade com Deus, da qual tudo depende. Afinal de contas, jé dizia Santo Agostinho, o coragao do homem foi feito para Deus e jamais encontraré descanso enquanto nEle nao repousar (cf. Confissées, |, 1) Nao obstante a teologia catélica sobre a santidade, o que se nota hoje em dia ¢ que grande parte dos figis — inclusive padres — nao acredita mais na possibilidade de ser totalmente de Jesus, Exatamente neste século em que tanto se escreveu sobre 0 caminho da perfeigao, sobre as maravilhas da graga de Deus em um corago generoso, exatamente agora é que se ignora a vocagao das vocagées. E isso se deve, sobretudo, a influéncia de um frade agostiniano do século XVI que, com seus escritos e protestos, perverteu o sentido da fée da hitpstIpadrepauloicardo.orglauasipor-que-nao-se-tem-mals-fe-na-santidade 18 ‘06/05/2019 Por que no se lem mais {na sartidade? graca de Deus, Falamos de Martinho Lutero. No aniversario dos 600 anos da Reforma, muito se falou a respeito da teologia luterana da graca. Essa, alids, teria sido a grande contribuigdo de Lutero para o cristianismo; ele teria libertado a fé da escravidao da lei, das obrigagées juridicas, das peniténcias extenuantes, Porque ninguém se salvaria pelas obras. Antes, como diz Sao Paullo, “o justo vive pela fé" (Rim 1, 17), Lutero decretou, entao, os "dogmas" da sola fide e da sola gratia e, a pattir disso, criou-se a ideia de que o homem nio precisa ser santo, nem tampouco fazer sacrificios para santificar-se. Basta que ele creia em Jesus. Ora, a Igreja Catélica nunca ignorou a verdade de “que o ser humano, no concernente a sua salvagéo, depende completamente da graca salvadora de Deus" (Declaragao conjunta sobre a doutrina da justificagao, n. 19). Como dissemos alguns paragrafos acima, todo e qualquer ato de bondade de um homem nao tem outra origem sendo a graca de Deus. Isso, no entanto, esté muito longe de dizer que o homem jamais seré santo, como supunha Lutero. E justamente porque a graga atua sobre nossos coragées que podemos crer na perfeicao crista, isto é, numa vida totalmente livre do pecado, pois “quando a pessoa justificada vive em Cristo e atua na graga recebida produz, biblicamente falando, bom fruto", de modo que uma vida santa se torna “uma obrigagao a ser cumprida pelo cristo, na medida em que luta contra o pecado durante a vida toda” (Declaragao conjunta sobre a doutrina da justificagao, n. 37). © verdadeiro preceito evangélico, portanto, nada tem a ver com aquela premissa escandalosa de Lutero: pecca fortiter sed crede fortis. Quem faz atos de fé grandiosos nao pode, de maneira alguma, cometer grandes pecados. Isso seria uma contradiga0 abominével. Quem cré em Deus e no seu amor termina por imité-lo, correspondendo ao seu convite de amar de todo 0 coragao e com toda a alma, como um auténtico adorador. Em. outras palavras, ser santo é amar de volta Aquele que tanto nos amou. Mas Lutero, infelizmente, néo soube compreender essa dinémica da santidade, pelo que acabou se desesperando e caindo numa grande heresia. Na verdade, Lutero foi o rebento de uma época extremamente dificil para a civilizagao, onde nao havia mais ninguém que ensinasse o caminho da santidade. Depois da peste negra, uma sede de viver apossou-se do espirito humano, de modo que os homens se langaram aos prazeres da vida como um cdo selvagem se langa sobre a sua presa. Os bons cidadaos e os bons sacerdotes haviam todos sido mortos pela doenca, restando apenas os covardes e frivolos que, diante da nova ameaga, preferiram fugir a prestar ajuda a quem necessitava. Com efeito, os vicios mais escandalosos passaram a dominar o ambiente social: pornografia, orgias, bebedeiras, adultério, homossexualismo. E esse periodo se sagrou pelo estranho nome de Renascimento, porque se tratou do renascimento do paganismo grego, No ambiente universitario, por sua vez, jé nao era a filosofia escolastica que ditava as. Tegras, mas as loucuras do nominalismo, 0 interesse dos estudantes deixou de ser a busca pela sabedoria, como no tempo de Santo Tomas, e passou a ser o diploma. A consequéncia hitpstIpadrepauloicardo.orglauasipor-que-nao-se-tem-mals-fe-na-santidade 28 ‘06/05/2019 Por que no se lem mais {na sartidade? disso ¢ que o nivel do ensino foi se tornando cada vez mais fraco, As universidades se converteram em centros de relativismo moral, filoséfico e religioso, Ninguém mais pensava na perfeicao crista, nem mesmo os préprios sacerdotes. Como dizer, por exemplo, que 0 infame Alexandre VI pensava em ser santo? E vendo essa situago, Lutero, que nao era um pogo de pureza e castidade, concluiu que nao era possivel ser santo, mas que a tinica solugiio seria a fé em Jesus. A Igreja, por outro lado, precisou reaprender o caminho da santidade e, para isso, Deus elegeu almas como as de SAo Felipe Néri, Santa Teresa d'Avila, Sao Joo da Cruz, Santo Inacio de Loyola, S40 Jodo d’Avila e Sdo Pedro de Alcantara, que fizeram a verdadeira reforma necessaria a cristandade: a reforma dos coragées. Recomendagées © Ricardo Garcia-Villoslada Alzagaray, Martin Lutero. |: El fraile hambriento de Dios. Madrid: BAC, 1976. ° Martin Lutero, II: En lucha contra Roma, Madrid: BAC, 1976, hitpstIpadrepauloicardo.orglauasipor-que-nao-se-tem-mals-fe-na-santidade 38