Você está na página 1de 2

O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização

Plano de Avaliação – BESS – Biblioteca da Escola Secundária de Sacavém

Diagnóstico
Pontos fortes Pontos fracos

. A motivação dos professores e alunos . A perda da confiança dos órgãos de gestão, em


relativamente à BE; consequência da nomeação de uma CAP constituída
por membros exteriores à escola, desconhecedores
. O espaço e equipamentos da BE; da história e do papel da BESS na escola;

. O horário de funcionamento; . A disponibilidade do horário dos alunos é


impeditiva da participação mais activa em
. A colecção adequada aos interesses da actividades promovidas pela BE;
comunidade escolar;
. O número de membros da equipa e de
. A formação de utilizadores/ novos públicos; colaboradores;

. O aumento do número de professores que . Os níveis de leitura e literacia dos alunos.


colabora com a BE.

Objecto da Avaliação
Domínio Aspectos a avaliar/ Factores críticos de
Sucesso
B. Leitura e Literacia.

B.1 Trabalho da Be ao serviço da leitura. . A participação em reuniões, contactos com órgão


de Gestão, Departamentos/Grupos Curriculares,
B.2 Integração da BE nas estratégias e programas Conselhos de Turma para partilha e recolha de
de leitura. informação sobre novos públicos, programas de
estudo, actividades no âmbito da leitura, recursos
B.3 Impacto da BE nas atitudes e competências
disponíveis ou a adquirir;
dos alunos no âmbito da leitura e da literacia)
. Os níveis de colaboração entre o professor
bibliotecário e os professores curriculares no âmbito
Fundamentação da promoção da leitura (as actividades, os
documentos de apoio ao currículo, a criação de um
modelo de literacia da informação, a divulgação
/participação no Blog da BE…);
. Domínio transversal a toda a vida escolar,
profissional e social dos alunos; . As actividades programadas (PNL, Semana da
Leitura, trabalho colaborativo…) e realizadas que
. Domínio base para a cultura de sucesso escolar; promovam as competências na área da Leitura e
Literacias;
. Contribuir para a melhoria e a qualidade do
sucesso; . Os níveis de participação nas actividades
associadas à promoção da leitura;
. Aumentar as dinâmicas de trabalho colaborativo
optimizando os recursos existentes na BE. . O grau de satisfação dos intervenientes nas
actividades promovidas pela BE, no âmbito da
Leitura e Literacias;

. Os impactos do trabalho da BE na relação dos


alunos com o livro, leitura e literacia da informação,
na forma recreativa, informativa ou na realização
das tarefas escolares;

Fernanda Mendonça
Página 1
O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização
. A evolução dos hábitos de trabalho e de autonomia
dos alunos na organização da própria aprendizagem.

Metodologia

Intervenie Instrumentos Evidências Calendariza Resultados


ntes ção
. Questionários; . Estatísticas de requisição / . Confrontar com
. PB; uso de recursos de informação os factores
. Grelhas de relacionados com a leitura; críticos de
. Equipa da observação; sucesso;
BE; . Materiais produzidos e Ao longo do
. Estatísticas; editados; ano . Determinar
. Professores; nível de
. Documentos . Registos de reuniões / desempenho.
. Alunos; contactos;
. SABE. . Questionário aos professores
(20%);

. Questionário aos alunos


(10%);

. Grelhas de observação;

. Registos fotográficos de
actividades;

. Fichas de avaliação de
actividades.

Relatório Final de Auto-Avaliação

. Descrever os resultados da auto-avaliação;

. Assinalar as acções necessárias para a melhoria do desempenho da BE;

. Devolver os resultados da auto-avaliação aos órgãos de gestão, de decisão pedagógica,


professores…à comunidade

escolar;

. Preparar o Plano de Acção da BE para os próximos anos.

Fernanda Mendonça
Página 2