Você está na página 1de 4

Acção de Formação Práticas e Modelo de Auto-Avaliação da Biblioteca Escolar

Sessão 7 - O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de


operacionalização (Conclusão)

A selecção das amostras em análise baseou-se nos seguintes critérios:


- Foram seleccionadas amostras relativas ao ano lectivo 2009/2010, ano em que surgiu a figura do
professor bibliotecário;
- Foram seleccionadas amostras por mim conhecidas (visto que em anos anteriores leccionei
nessas escolas).

Amostra 1
Agrupamento de Escolas e Jardins-de-Infância n.º 1 de Portalegre
Referências à BE nos diferentes capítulos que compõem o Relatório de Auto-avaliação

II Caracterização do Agrupamento
(Sem referência à BE.)

III Conclusões por domínios


1. Resultados
(Sem referência à BE.)

2. Prestação do serviço educativo


“as iniciativas da Biblioteca (…) concorrem para a formação integral dos alunos e para
a aquisição de competências, nos domínios artísticos, desportivo, experimental,
cultural e social.”

3. Organização e gestão escolar


(Sem referência à BE.)

4. Liderança
“as iniciativas da Biblioteca (…) comprovam o investimento do Agrupamento na
procura de soluções que concorram para o seu desenvolvimento e para o reforço da
interacção com o meio.”

5. Capacidade de auto-regulação e melhoria do Agrupamento. (sem referência à BE)


(Sem referência à BE.)

IV Avaliação por factor


Domínio 1 - Resultados
1.4 Valorização e impacto das aprendizagens
“a dinamização das bibliotecas escolares (…), no 1.º ciclo, têm-se revelado boas
práticas e um estímulo às aprendizagens.”

Domínio 3 – Organização e gestão escolar


3.3 Gestão dos recursos materiais e financeiros
“As bibliotecas escolares da Escola-Sede e das EB1/JI de Atalaião, de Assentos e de
Urra, coordenadas por duas professoras bibliotecárias, apresentam um acervo
bibliográfico e multimédia satisfatório, sendo um meio de aprendizagem importante,
para docentes e alunos, com impacto na vida do Agrupamento.”
Domínio 4 - Liderança
4.3 Abertura à inovação
“A diversidade e a natureza de actividades, perspectivando o incremento dos
resultados e o nível de participação dos alunos e dos demais intervenientes da
comunidade, e algumas iniciativas, já assinaladas, são ilustrativas da aposta em
novas soluções que suportem práticas mais inovadoras e que contribuam para o
reforço da interacção com o meio (…). São elas a adesão (…) a par das realizações
nas Bibliotecas Escolares.

4.4 Parcerias, protocolos e projectos


Dos projectos em curso, salientam-se (…) Rede de Bibliotecas Escolares (…).”

Análise:
O agrupamento insere-se num meio sócio-económico precário, procurando dar
resposta, através dos diferentes projectos implementados como Turma Mais, PTEIP,
entre outros, às dificuldades diagnosticadas, ao insucesso escolar e problemas de
comportamento.
As referências à biblioteca escolar são pouco significativas nas Conclusões por
Domínios:
 Ao nível da Prestação de Serviço Educativo, refere a BE como promotora de
competências ao nível artístico e cultural (entre outros), não havendo qualquer
referência às competências em literacia de informação, leitura e tecnológica;
 Ao nível da liderança, refere as iniciativas da biblioteca como parte integrante
na procura de soluções que fomentem a interacção com o meio, não sendo
contudo claro, no tipo de acção que a biblioteca promove.
Também se verifica que as referências à BE são pouco notórias na Avaliação por
Factores. Identifica a BE como um estímulo às aprendizagens dos alunos e detentora
de um fundo documental satisfatório.

O Agrupamento reconhece a importância da BE nas aprendizagens dos alunos.


Contudo, não há referência ao trabalho colaborativo entre docentes e PB, nem a sua
inclusão nos documentos do Agrupamento, como o Projecto Educativo e o Projecto
Curricular. A referência às Competências no âmbito das Novas Tecnologias, das
Literacias de Informação e da Leitura são nulas.
O PB deve exercer u
Amostra 2
Agrupamento de Escolas D. Miguel de Almeida - Abrantes
Referências à BE nos diferentes capítulos que compõem o Relatório de Auto-avaliação

II Caracterização do Agrupamento
(Sem referência à BE.)

III Conclusões por domínios


1. Resultados
(Sem referência à BE.)

2. Prestação do serviço educativo


(Sem referência à BE.)

3. Organização e gestão escolar


(Sem referência à BE.)

4. Liderança
(Sem referência à BE.)

5. Capacidade de auto-regulação e melhoria do Agrupamento. (sem referência à BE)


(Sem referência à BE.)

IV Avaliação por factor


2.1 Articulação e sequencialidade
“No final do ano lectivo, o Agrupamento organiza a Semana Aberta, para que os
alunos do 1.º CEB tenham a oportunidade de conhecer a escola-sede percebam as
dinâmicas de organização dos diferentes espaços, como a biblioteca (…).”

3.3 Gestão dos recursos materiais e financeiros


“As EB1 n.º4, 5 e do Pego têm biblioteca escolar em fase de instalação. Sob a
supervisão da BE/CRE da escola sede, integrada na RBE, desenvolve-se um projecto
integrado no PNL, através da itinerância de baús com fundos documentais pelos
jardins-de-infância e pelas escolas do 1.º CEB.(…)”
“A BE/CRE está organizada por zonas funcionais de acordo com o protocolo
estabelecido com a Rede de Bibliotecas Escolares.”

4.4. Parcerias, protocolos e projectos


“Conta, ainda, com outros parceiros, nomeadamente (…) a Biblioteca Municipal (…).
“O Agrupamento integra, também, projectos de âmbito nacional (…, RBE, …).”

Análise:
As referências à biblioteca escolar são pouco significativas. Contudo, é clara a
preocupação da BE em prestar serviço de biblioteca às escolas que não possuem BE,
através da circulação de baús pedagógicos, pelas escolas e JIs do Agrupamento. Há
também a preocupação em dar a conhecer aos alunos do 1.º ciclo os espaços da
escola sede, a biblioteca escolar sendo um deles.
Amostra 3
Agrupamento de Escolas Febo Moniz - Almeirim
Referências à BE nos diferentes capítulos que compõem o Relatório de Auto-avaliação
II Caracterização do Agrupamento
(Sem referência à BE.)

III Conclusões por domínios


1. Resultados
(Sem referência à BE.)

2. Prestação do serviço educativo


(Sem referência à BE.)

3. Organização e gestão escolar


(Sem referência à BE.)

4. Liderança
(Sem referência à BE.)

5. Capacidade de auto-regulação e melhoria do Agrupamento. (sem referência à BE)


(Sem referência à BE.)

IV Avaliação por factor


2.4 Abrangência do currículo e valorização dos saberes e das aprendizagens
“A motivação para a leitura e a formação de leitores desde a educação pré-escolar,
representa outra das áreas em que o Agrupamento aposta, através das iniciativas do
PNL e das bibliotecas (…) e pólos bibliotecários, contemplando, por exemplo
encontros com escritores, hora do conto, ateliês (…) e concursos literários.”

3.3 Gestão dos recursos materiais e financeiros


“Existe em cada um daqueles edifícios, uma biblioteca com centro de recursos
(BE/CRE); as restantes escolas do 1.º ciclo têm pólos bibliotecários (…). Os
laboratórios, as salas de informática e a biblioteca/centro de recursos (BE/CRE) estão
bem organizados e apetrechados.

4.4. Parcerias, protocolos e projectos


“O Agrupamento envolve-se também, em projectos de âmbito nacional (…, Rede de
Bibliotecas Escolares) (…).”

Análise:
Embora as referências à biblioteca escolar sejam pouco significativas, evidenciam
contudo uma clara preocupação em integrar a biblioteca na promoção da leitura.

De um modo geral, as referências à biblioteca escolar são pouco significativas. Demonstram que há um
trabalho de valorização da biblioteca a concretizar e integrar a BE no funcionamento da escola, nos seus
documentos orientadores, fomentar o trabalho colaborativo com os docentes e em articulação com o
currículo e objectivos do Projecto Educativo.

Formanda Suzana Marquês