Você está na página 1de 15

Aspectos Iniciais da

Democracia

Prof. Me. Raphael de Souza Cruz


O SURGIMENTO DO ESTADO

Final do século XIV – Desintegração do mundo feudal e estabelecimento


das bases do mundo moderno.

Concentração, consolidação e centralização:


▪ das forças armadas;
▪ da estrutura jurídica;
▪ da cobrança de impostos;
▪ do corpo burocrático;
▪ do poder decisório no interior de um território.
O CONCEITO SOCIOLÓGICO DE ESTADO

Max Weber – O Estado é a comunidade humana que detêm o monopólio


legítimo da força física dentro de um território. A política é a luta para influir
na distribuição de poder, seja entre Estados ou entre grupos no interior de
um Estado.
DEMOCRACIA E LIBERALISMO
Estado liberal se contrapõe ao Estado absoluto e ao estado social.

A democracia é um regime político, uma das formas possíveis de


organização do Estado, que permite a participação da população na
distribuição do poder. Contrapõe-se a formas autocráticas de governo,
como ditaduras, oligarquias e monarquias.

Características da democracia:
▪ Eleições abrangentes, periódicas, transparentes e livres para o
Legislativo e para o Executivo;
▪ Multipartidarismo;
▪ Controle institucional;
▪ Liberdades civis e direitos políticos.
DEMOCRACIA E LIBERALISMO
▪ A relação entre democracia e liberalismo é complexa. Nem sempre a
progressiva ampliação da participação popular via sufrágio é suficiente
para a preservação dos direitos individuais.

▪ O estado liberal tem como pressuposto filosófico o jusnaturalismo –


direitos fundamentais como vida, propriedade, segurança, felicidade.
Esses direitos, em tese, são independentes da vontade humana e
anteriores à configuração do social – eles são imanentes à condição do
ser humano.

LOCKE, p. 12.
DEMOCRACIA E LIBERALISMO

▪ (P. 18) – “Por Estado de direito entende-se geralmente um Estado em


que os poderes públicos são regulados por normas gerais (as leis
fundamentais ou constitucionais) e devem ser exercidos no âmbito das
leis que os regulam, salvo o direito do cidadão de recorrer a um juiz
independente para fazer com que seja reconhecido e refutado o abuso
ou excesso de poder”. – PRINCÍPIO DA ANTERIORIDADE DAS LEIS.

▪ Em sentido forte, um Estado de direito necessita de controles


constitucionais:
1. Controle legislativo;
2. Controle do judiciário sobre o legislativo;
3. Autonomia dos governos locais;
4. Magistratura independente
DEMOCRACIA E LIBERALISMO

▪ (P. 21 - PAINE) – “A sociedade é produzida por nossas carências e o


governo por nossa perversidade; a primeira promove a nossa felicidade
positivamente mantendo juntos os nossos afetos, o segundo
negativamente mantendo sob freio os nossos vícios. Uma encoraja
relações, o outro cria distinções. A primeira protege, o segundo pune. A
sociedade é sob qualquer condição uma benção: o governo, inclusive
na sua melhor forma, nada mais é do que um mal necessário, e na sua
pior forma insuportável”.

▪ O governo, sob o ponto de vista do liberalismo, é um mal necessário,


devendo intervir o mínimo possível na vida dos cidadãos. A democracia, por
sua vez, é “a pior forma de governo existente, salvo todas as outras”
DEMOCRACIA E LIBERALISMO

▪ O Estado moderno, e liberal, se constitui portanto como um progressivo


alargamento dos direitos e garantias individuais, ao tempo em que se descola
de referenciais econômicos e religiosos.

▪ O antagonismo é necessário ao Estado de direito democrático. O fato de


haverem indivíduos diferentes e um único estado significa que a diversidade
de opiniões e pontos de vista devem ser preservados.

▪ Democracia antiga e moderna: direta, e indireta.


▪ Tipologias: presidencial e parlamentarista; bipartidária e multipartidária.
DEMOCRACIA E LIBERALISMO

▪ Democracia, liberdade e liberdade (p. 39): “A única forma de igualdade que


não é compatível com a liberdade tal como entendida pela doutrina
liberal, mas que é inclusive por essa solicitada, é a igualdade na
liberdade: o que significa que cada um deve gozar de tanta liberdade
quanto possível com a liberdade dos outros, podendo fazer tudo o que
não ofenda a igual liberdade dos outros”
DEMOCRACIA E LIBERALISMO

▪ Igualdade perante a lei e igualdade de direitos.

▪ Igualdade formal e igualdade material.

▪ Art. I da Declaração Universal dos Direitos Humanos (1948) – “Todos os


homens nascem livres e iguais em dignidade e direitos”.
▪ Art. 5º da CF (1988) – “Todos são iguais perante a lei, sem distinção de
qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e residentes no País a
inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e
à propriedade”
▪ Declaração dos Direitos do Homem (1789): “Os homens nascem e devem
permanecer livres e iguais em seus direitos. Todos os cidadãos têm
idêntica dignidade social e são iguais perante a lei”.
“REGRAS DO JOGO” DAS DEMOCRACIAS
CONTEMPORÂNEAS
1) o órgão político máximo, a quem é assinalada a função legislativa, deve
ser composto de membros direta ou indiretamente eleitos pelo povo, em
eleições de primeiro ou de segundo grau;

2) junto do supremo órgão legislativo deverá haver outras instituições com


dirigentes eleitos, como os órgãos da administração local ou o chefe de
Estado (tal como acontece nas repúblicas);

3) todos os cidadãos que tenham atingido a maioridade, sem distinção de


raça, de religião, de censo e possivelmente de sexo, devem ser eleitores;

4) todos os eleitores devem ter voto igual;

5) todos os eleitores devem ser livres em votar segundo a própria opinião


formada o mais livremente possível, isto é, numa disputa livre de partidos
políticos que lutam pela formação de uma representação nacional;
“REGRAS DO JOGO” DAS DEMOCRACIAS
CONTEMPORÂNEAS
6) devem ser livres também no sentido em que devem ser postos em
condição de ter reais alternativas (o que exclui como democrática
qualquer eleição de lista única ou bloqueada);

7) Tanto para as eleições dos representantes como para as decisões do


órgão político supremo vale o princípio da maioria numérica, se bem que
podem ser estabelecidas várias formas de maioria segundo critérios de
oportunidade não definidos de uma vez para sempre;

8) nenhuma decisão tomada por maioria deve limitar os direitos da


minoria, de um modo especial o direito de tornar-se maioria, em paridade
de condições;

9) O órgão do Governo deve gozar de confiança do Parlamento ou do chefe


do poder executivo, por sua vez, eleito pelo povo.
DEFINIÇÃO SINTÉTICA DE DEMOCRACIA
SEGUNDO NORBERTO BOBBIO

DEMOCRACIA é um conjunto de PROCEDIMENTOS que


asseguram a disputa PACÍFICA pelo poder no interior de um
sistema social.
DUAS VISÕES CONTEMPORÂNEAS DE
ESTADO

O Estado do Bem-Estar Social:


▪ Crise no capitalismo no final da década de 1920;
▪ Garantia de seguridade social e proteção contra os excessos do
mercado;
▪ Ampliação e intervenção na economia por parte do Estado.

O Estado Neoliberal:
▪ Crise no capitalismo na década de 1970;
▪ Desregulamentação, privatização e precarização dos mecanismos de
seguridade social;
▪ Defesa do Estado mínimo e do liberalismo nas relações comerciais.
DEMOCRACIA E CIDADANIA – LIMITES E
POSSIBILIDADES

Karl Marx – O Estado é expressão das condições materiais de existência.


Joseph Schumpeter – A democracia é a concorrência organizada pelo
voto.

Dados para reflexão:


▪ A eleição de 2014 custou R$ 5 bilhões;
▪ Mais 40% dos eleitores não lembra em quem votou para deputado em
2014;
▪ 22% dos brasileiros vivem abaixo da linha da pobreza;
▪ 35% dos brasileiros apoiam uma intervenção militar provisória no país.