Você está na página 1de 101

MOVIMENTO, ALINHAMENTO E FÁSCIAS

Breve apresentação
Fabiano Marcondes Sales – Fabiano Lobo – Paramesh

• Bacharel em Educação Física – UFLA


• Certificado em Treinamento Multifuncional Flow
• Certificado Completo Core 360° Treinamento Funcional
• BTT Integral Yoga – CYIS
• ITT Integral Yoga – Jai Vida!
• Raja TT – Jai Vida!
• Instrutor de Pilates
• FBA Movimentação
• Ministra aulas de Yoga e Pilates
Dicas para se aprofundar em Anatomia e Fisiologia

• Procure entender as origens

• Compreenda as adaptações

• Saiba todos os fatores que influenciam

• Entenda cada Asana

• Seja curioso(a)

• Anote
Dicas para se aprofundar em Anatomia e Fisiologia

• Educação continuada

• Leia livros

• Teste com seus alunos

• Faça questionamentos

• Observe os resultados
Cronograma
• Anatomia e Fisiologia
– Revisão
– Cuidados com as articulações
– Fáscias
– Diferença entre os estímulos
Revisão do conteúdo
• Ossos
• Articulações
• Músculos
• Planos e Eixos
• Coluna Vertebral
• Cinesiologia
Articulações
• Articulações
– Fibrosas
– Cartilaginosas
– Sinoviais
Origem e Inserção - Músculo
• Origem é a extremidade
do músculo que está
presa à peça óssea que
ORIGEM não se desloca. Ponto
fixo.

• Inserção, obviamente, é
a extremidade distal do
INSERÇÃO músculo, presa à peça
óssea que será
movimentada. Ponto
móvel.
Cinemática
Movimentos das articulações

DÂNGELO, FATINI, 2006


Movimentos das articulações

DÂNGELO, FATINI, 2006


Movimentos das articulações

Retroversão Anteversão

DÂNGELO, FATINI, 2006


Movimentos das articulações
Movimentos das articulações

Extensão Axial
Curvaturas
Sorry!
• Pesquisa minuciosa em várias fontes!
• Navasana é nos ísquios e no cóccix!
O que dizem os livros:
“Comece na posição
sentada com as
pernas flexionadas.
Mova o peso do
corpo para o cóccix,
de modo que fique
distribuído entre ele
e os ísquios.”
O que dizem os livros:
“Expire e levante os
pés do chão à
medida que você se
inclina para trás a
partir dos ombros.
Encontre seu ponto
de equilíbrio entre os
ísquios e o cóccix”
O que dizem os livros:
Não falam nada
sobre os ísquios,
sacro e cóccix.
O que dizem os livros:
Apostila Integral Yoga
Hatha – BTT.

Não fala nada sobre a


posição ser em cima de
cóccix, ísquio ou sacro.
O que dizem os livros:
“Em situação ideal, o peso
dessa postura fica
distribuído entre as
tuberosidades isquiáticas
e o cóccix. O peso não
deve cair inteiramente
sobre o sacro, porque isso
criaria uma contranutação
desestabilizante nas
articulações sacroilíacas.”
Explicando:
Explicando:
Os ossos Sacro e Ílio se unem na
articulação sacroilíaca. Essa articulação
permite o mínimo de movimento
possível, e em ocasiões especiais, como
no parto, por exemplo.

Qualquer outro movimento dessa


articulação pode acarretar em
sobrecarga nos ligamentos dessa
região.
Explicando:
Dicas para estudar Anatomia e
Fisiologia

Dicas para começar a estudar Anatomia


Humana e Movimento em qualquer área
https://www.youtube.com/watch?v=i0xsvZNF3L0
&t=3s

Não estude Anatomia do Yoga com esse livro!


https://www.youtube.com/watch?v=K1FaO-
SL5HI&t=3s
• Receptores localizados nas articulações e músculos
detectam movimentos e mudanças na tensão e
comprimento dos mesmos. Esses receptores,
chamados Proprioceptores, sinalizam para o SNC,
que responde regulando o estado de contração dos
músculos. Isso afeta a amplitude de movimento de
determinada articulação.
• Ações biomecânicas conscientes influenciam
respostas fisiológicas inconscientes.

• Realizar uma postura de Yoga inicia vários eventos


biomecânicos e fisiológicos.

• A medula espinhal regula a tensão e comprimento


dos elementos contráteis do músculo através de um
arco-reflexo.
• Essa regulação acontece de maneira automática, em
resposta às ações biomecânicas e cinesiológicas.

• Músculos se contraindo ou alongando, ativam os


receptores internos, que alertam o SNC sobre esse
evento.

• O SNC envia sinais ao músculo para que este


responda de forma adequada, relaxando ou
contraindo.
• O Fuso Neuromuscular protege a fibra
muscular de ruptura, desencadeando
pequenas contrações durante o alongamento
excessivo de determinado músculo.

• Ex: Escorregão ou “passar dos limites” no


Yoga.
• O Órgão Tendinoso de Golgi protege as fibras
musculares e tendões de rupturas através do
bloqueio de contrações em resposta ao
excesso de contração.

• Ex: Ao pegar algo muito pesado.


• A Inibição Recíproca é ativada quando um
músculo é contraído, ou seja, o agonista do
movimento contrai e automaticamente, o
antagonista relaxa.

• Ex; Ao realizar um exercício de musculação.


Alongamento Balístico
• O indivíduo assume uma posição e
realiza insistências repetidamente. Em cada
insistência, os grupamentos musculares a serem
alongados estiram, estimulando o fuso muscular e
ativando o reflexo miotático, provocando a
contração dos músculos estirados.
Alongamento Estático – Ativo ou
Passivo
• Manutenção de uma posição. Gera uma contração
isométrica, que aumenta a tensão muscular. Com
o passar do tempo mantendo a posição, o reflexo
miotático inverso predomina, aumentando o
relaxamento muscular.
Facilitação Neuromuscular
Proprioceptiva - FNP
• A contração isométrica do músculo a ser
alongado inibe o reflexo miotático e, pelo
aumento de tensão, ativa o reflexo miotático
inverso, relaxando a musculatura.

• Essa técnica “engana” o Fuso Neuromuscular,


para que possamos alongar mais e ir um pouco
além dos nossos limites.
Facilitação Neuromuscular
Proprioceptiva - FNP
• Contração isométrica
do músculo por 6
segundos.
• Alongamento passivo
• Nova tentativa
Yoga e Flexibilidade
https://www.youtube.com/watch?v=qTmEpxLA9Js&t=1s
Core
• Sistema de Estabilização
– Transverso Abdominal
– Multífido
– Oblíquo interno
– Transversoespinhal
– Músculos do assoalho
pélvico
Transverso do Abdome
Origem: Da 7a à 12a costelas,
aponeurose toracolombar, crista
ilíaca e ligamento inguinal.

Inserção: Bainha do músculo reto


do abdome, tubérculo púbico e
linha pectínea.

Ação: Sustenta e comprime o


conteúdo da cavidade abdominal
(aumentando a pressão intra-
abdominal), sendo importante na
expiração forçada e em situações
como a micção, a defecação, o
parto e o vômito.
Sistema de Estabilização
Multífido
Origem: Face posterior do
sacro, processos transversos
de C4 a L5.

Inserção: Processos
espinhosos de C2 a L5.

Ação: Extensão e rotação


contralateral (para o lado
oposto) e inclinação
ipsilateral (para o mesmo
lado) do tronco e do
pescoço
Sistema de Estabilização
Oblíquo Interno
Origem: Aponeurose
toracolombar, crista ilíaca e
ligamento inguinal

Inserção: Da 10a à 12a


costelas, linha alba, linha
pectínea e crista ilíaca

Ação: Flexão, inclinação e


rotação ipsilaterais do
tronco. Comprime o
abdome durante a
expiração forçada
Sistema de Estabilização
Transversoespinhal e Assoalho Pélvico

Sistema de Estabilização
Core
• Sistema de Movimento
– Eretor da espinha
– Oblíquo externo
– Reto abdominal
– Quadrado lombar
– Glúteo máximo
– Glúteo médio
– Iliopsoas
Ilíaco
Origem: Fossa ilíaca
Inserção: Trocanter
menor do fêmur
Ação: Flexão e rotação
lateral da coxa; quando
a coxa está fixa faz
anteversão do cíngulo
do membro inferior

Sistema de Movimento
Psoas Maior
Origem: Corpos e
processos transversos de
T12 a L4
Inserção: Trocanter menor
do fêmur
Ação: Flexão da coxa e
elevação da pelve; quando
a coxa está fixa flexão e
inclinação lateral do tronco
Sistema de Movimento
Psoas Menor
Origem: Corpo T12 e
L1
Inserção: Arco
iliopectíneo
Ação: Auxilia o psoas
maior na elevação da
pelve e na flexão e
inclinação lateral do
tronco quando a coxa
está fixa.

Sistema de Movimento
Iliopsoas
Core
Músculo Glúteo Máximo
Origem: Face glútea do osso
do quadril (linha glútea
posterior); e parte posterior
do sacro

Sistema de Movimento
Core
Inserção: Trato iliotibial;
tuberosidade glútea

Ação: Extensão e
rotação lateral da coxa
(quadril); Fibras
inferiores: auxiliam na
adução da coxa
(quadril); Fibras
superiores: auxiliam na
abdução da coxa
(quadril.
Sistema de Movimento
Core
Músculo Glúteo Médio
Origem: Face glútea do osso
do quadril (entre as linhas
glúteas anterior e posterior)
Inserção: Trocanter maior do
fêmur
Ação: Abdução e rotação
medial da coxa (quadril).

Sistema de Movimento
Prática - Core
O Psoas maior e os Extensores da coluna
vertebral trabalham em conjunto para manter o
alinhamento contra a força da gravidade.

 Os músculos abdominais
trabalham em contração
excêntrica para resistir à
hiperextensão da coluna
lombar, ou à flexão da mesma
como compensatória.
Prática - Core
• Estabilização Segmentar Lombar
- Encontrar Crista Ilíaca
- Apalpar até o fim da curva na frente do quadril
- Medir dois dedos para dentro
- Medir dois dedos para dentro
- Colocar dedo indicador no local
- Inspirar profundamente
- Expirar contraindo o abdome como se segurasse a vontade de ir ao banheiro
- Lembra a técnica chamada Mula Bandha
Prática - Core
Estabilização Segmentar Lombar + Navasana
- Utilizar técnica quando fizer Asanas que exigem
estabilização da coluna lombar.

 Contração do músculo
Transverso do Abdome
para manter a coluna
lombar estável.
Material Complementar
Ativando seu Centro para praticar Hatha Yoga
https://www.youtube.com/watch?v=_K1N0yo_1
yY&t=69s
Variação Anatômica
• Morfológicas
• Sem prejuízo funcional
• Externas ou internas

• Se há prejuízo, denomina-se Anomalia

• Sem saber disso, você pode estar expondo seus


alunos a lesões -
https://www.youtube.com/watch?v=1UvUIvdCGv
E&t=13s
Fáscia
Fáscia
• Músculos não influenciam somente na articulação à qual estão
exercendo tensão e movimentando.

• Teoria do músculo isolado.

• Olhamos somente para o que acontece com a aproximação de


ponto de Origem e ponto de Inserção (Inserção Proximal e Distal).

• Funcionaria muito bem... se fôssemos cadáveres!

• Será mesmo que “músculo” é uma divisão válida do ponto de vista


Cinesiológico?
Fáscia
Fáscia
– Lâmina de tecido conjuntivo que envolve cada fibra muscular,
cada músculo e conjuntos de músculos;

– Bainha elástica de contenção;

– Permite o deslizamento entre os músculos;

– Envolve feixes de fibras musculares, músculos e grupos


musculares, ligando-se aos ossos;

– Distribui tensão e compressão entre as estruturas do corpo;

– Faz comunicação entre os músculos;

– Ajuda na lubrificação.
Fáscia
• Estabilidade
• Tração
• Tensão
• Fixação
• Resiliência
• Compensação postural
• Ativação e Recrutamento
TENSEGRIDADE
• Define o equilíbrio entre tração e compressão,
a capacidade de um corpo gerar tensão e se
manter íntegro.

• Tensão + Integridade.
TRILHOS ANATÔMICOS
• Myers deu o nome de Trilhos Anatômicos ou
Meridianos Miofasciais

• Há muito tempo os músculos vêm sendo observados


de forma isolada, como se suas ações individuais não
tivessem influência no todo além do seu próprio
trabalho mecânico

• Essa apresentação apenas define a função do músculo


pelo que acontece na aproximação dos pontos de
origem e inserção, isolando-os no esqueleto e não
levando em consideração as estruturas adjacentes.
TRILHOS ANATÔMICOS
1. Linha Superficial Posterior
2. Linha Superficial Anterior
3. Linha Lateral
4. Linha Espiral
5. Linha Profunda Anterior
6. Linha Profunda Posterior
7. Linha Superficial Anterior dos Braços
8. Linha Profunda Anterior dos Braços
9. Linha Superficial Posterior dos Braços
10. Linha Profunda Posterior dos Braços
11. Linha Funcional Anterior
12. Linha Funcional Posterior
TRILHOS ANATÔMICOS
TRILHOS ANATÔMICOS
TRILHOS ANATÔMICOS
Material Complementar

https://www.youtube.com/watch?v=UIkSz3-TObA&t=2s
Cartilagem
• Uma forma de tecido de suporte firme e
resistente, mas não tanto como o osso.

• Não tem vasos sangüíneos nem linfáticos e


não recebe nervos.

• Três tipos são conhecidos: cartilagem hialina,


fibrocartilagem e cartilagem elástica.
Tipos de Cartilagens
• Cartilagem hialina - tem uma aparência
translúcida, branco-azulada.

• É o tipo de mais larga distribuição e aparece no


modelo cartilagíneo dos ossos em
desenvolvimento.

• Na vida adulta, permanece como cartilagem


articular, nas extremidades dos ossos; como
cartilagens costais, da traquéia, do nariz e como as
maiores cartilagens da laringe.
Tipos de Cartilagens
• Fibrocartilagem - consiste em coleções densas de
fibras colágenas nas quais está misturada uma
matriz cartilagínea.

• É menos homogênea que a cartilagem hialina,


porém é mais resistente e mais flexível

• Ocorre nos discos intervertebrais e articulares e nas


orlas glenoidais de certas articulações. Está
presente na sínfise púbica e cobre tendões onde
estes têm relação com ossos.
Tipos de Cartilagens
• Cartilagem elástica - é atravessada por uma rica
rede de fibras elásticas, o que lhe dá, além de
uma aparência amarelada, a capacidade de
retornar rapidamente a sua forma original,
quando tracionada ou torcida.

• Ocorre somente nas partes móveis do ouvido


externo, no nariz e na epiglote.
Ligamentos
• Ligamento é uma faixa ou corda bem definida de
tecido fibroso unindo dois ossos.

• A maioria dos ligamentos atua resistindo ao


movimento de uma articulação em uma direção
específica.

• Existem aqueles que são espessamentos


localizados na cápsula da articulação (ligamentos
capsulares).
Ligamentos
• Cápsula da articulação sobre a qual atuam
(ligamentos extracapsulares).

• Outros, ainda, que estão situados dentro da


articulação (ligamentos intracapsulares).
Ligamentos
Ligamentos
Ligamentos
Ligamentos
Ligamentos
Ligamentos
Cuidados com as articulações
Mobilidade para realizar
movimentos em
amplitude.

Estabilidade para manter


a articulação saudável.

- Formas de medir.
- Cuidados no equilíbrio.
- Consequências da falta
ou do excesso.
Cuidados com as articulações
Uma DICA para evitar os problemas mais comuns nos
JOELHOS na prática de YOGA
https://www.youtube.com/watch?v=fbL41fYxo5A

Yoga para dores nos joelhos - Como pensar diferente a


respeito - Anatomia do Yoga
https://www.youtube.com/watch?v=hABiYx4KUng

Yoga para os Ombros


https://www.youtube.com/watch?v=i_d0GOxDf-Y&t=2s
Cuidados com as Articulações e a Coluna Vertebral

https://www.youtube.com/watch?v=BqtLs-zByN0&t=14s
Análise de Asanas
• Encontrar movimentos que ocorrem.
• Descobrir músculos responsáveis por aqueles
movimentos.
• Pela ação e função dos músculos, classificar se
eles estão sendo alongados ou fortalecidos.
• Colocar o Asana na prática para obter os
resultados desejados, repetindo-o o quanto
for necessário.
Análise de Asanas
Purvottanasana

Manguito Rotador e
Deltóide

Grande Dorsal e
Rombóides
Análise de Asanas

Deltóide

Grande Dorsal
Análise de Asanas
Sisulasana Rombóides,
Manguito Rotador,
Grande Dorsal

Serrátil Anterior

Tríceps Braquial
Análise de Asanas
Glúteo Médio
Em Utkatasana, os músculos Glúteo
Utkatasana
médio e mínimo se contraem para
manter o quadril bem posicionado,
juntamente com os músculos
adutores (Pectíneo, Grácil, Adutores
longo, curto, magno e mínimo). O
Quadríceps em contração excêntrica,
modulado e equilibrado pelos
Quadríceps Femoral
Isquiotibiais, mantém os joelhos
flexionados. O músculo Tibial anterior,
Isquiotibiais
juntamente com o Sóleo e os
Tibial Anterior e
Sóleo
músculos intrínsecos dos pés mantém
o equilíbrio durante a postura.
Análise de Asanas
Virabhadrasana I Flexão de ombro a 180°
Eixo látero-lateral

Hiperextensão de pescoço Plano Sagital


Eixo látero-lateral

Leve abdução de escápulas ≈ 90° de Flexão de quadril


Eixo ântero-posterior
e joelho
Hiperextensão de coluna Eixo látero-lateral
Eixo látero-lateral

Hiperextensão de quadril
Eixo látero-lateral

Inversão de tornozelo
Eixo ântero-posterior Leve rotação lateral de quadril
Eixo longitudinal
KAMINOFF, 2008 Plano Transversal
Análise de Asanas
Virabhadrasana I Extensores da coluna (intrínsecos,
transverso-espinais, eretores da
espinha), deltóides anterior e
mediano, serrátil anterior, peitorais
maior e menor, trapézio superior e
reto abdominal.
Eretores da espinha
Deltóides
Perna dianteira: Contração
excêntrica dos
Reto Abdominal isquiotibiais, adutores e
glúteos médio e mínimo.
Glúteo Médio e Mínimo Adutores

Reto Femoral
Perna traseira: Contração
Fibulares
concêntrica de isquiotibiais,
Sartório glúteos médio e mínimo, fibulares,
Isquiotibiais quadríceps e sartório.

KAMINOFF, 2008
Análise de Asanas
Virabhadrasana I Grande dorsal, rombóides, reto
abdominal e oblíquos externos.

Perna dianteira: Quadríceps,


isquiotibiais, glúteo médio e
Rombóides
mínimo.
Deltóides

Grande Dorsal Reto Abdominal


Psoas Maior
Quadríceps Perna traseira: Fibulares,
Glúuteo Médio e Mínimo
glúteo médio e mínimo,
Reto Femoral
psoas maior e reto femoral.

Fibulares
Sartório
Isquiotibiais

KAMINOFF, 2008
Análise de Asanas
Padottanasana
Eretores da espinha

Adutores
Análise de Asanas
Alongamento: Iliocostais, Longuíssimo, Multífidos, Semi-espinal do Tórax.

Alongamento: Extensores do pesçoco, Trapézio.

Páschimottanasana
Alongamento: Semitendinoso, Semiembranáceo, Bíceps Femoral,
Gastrocnêmio, Sóleo, Tibial Posterior, Glúteo Máximo.
Análise de Asanas - Youtube
• Tadasana • Kakasana
• Surya Namaskaram • Ardha Chandrasana
• Vrkshasana • Trikonasana
• Salabhasana
• Natarajasana
• Dhanurasana
• Malasana
• Balasana
• Purva Navasana
• Ustrasana
https://www.youtube.com/playlist?list=PL
S-niKwJ5db7J_Hk7JD0FoAhMHQIa-3c8
Dicas importantes
Cuidados no Yoga para Gestantes - Visão Científica
https://www.youtube.com/watch?v=6wnF2BqpdZ0

O que fazer e o que não fazer no Yoga durante a Gestação -


Visão Científica
https://www.youtube.com/watch?v=EHZltnL5S6I

Diástase Abdominal e Yoga – Dicas e Cuidados


https://www.youtube.com/watch?v=0ClUDL0wOAE

Yoga para Osteoporose - Melhorando sua saúde com o Yoga


https://www.youtube.com/watch?v=sbP-Tkd1dG4
Temas que tratamos no bate-papo
Porque eu acho o Yoga essencial pra quem faz Crossfit
https://www.youtube.com/watch?v=ZUiU4upr-6U

É possível desenvolver força praticando apenas Yoga?


https://www.youtube.com/watch?v=_fEPJgl-dxo&t=25s

Anatomia da coluna vertebral e patologias – Como lidar


dentro do Yoga?
https://www.youtube.com/watch?v=HBotPIsqdvc&t=1s

Vídeo-aula básica de Coluna Vertebral e Yoga


https://www.youtube.com/watch?v=M8zYB6ULPHA
Dúvidas?
Muito obrigado!
Material Complementar
• fabiano.ufla@gmail.com
• fabiano_lobo_pilates_yoga
• Fabiano Lobo – Yoga, Pilates e Treinamento
Funcional
• Anatomia do Yoga
• Whatsapp (35) 99250-2315
• http://www.anatomiadoyoga.kpages.online/