Você está na página 1de 14

�f5e66 00ada1 �fa

A didática por
trás do ensino
socioemocional:
pedagogia afetiva

8cc7ed cc4d47 00
Sumário

Introdução................................................. 01

O socioemocional nos dias de hoje.............. 02

A afetividade enquanto direcionadora


do ensino..................................................... 05

Aluno e professor: parceiros de


aprendizagem............................................. 07

Conheça os 3 pilares da
Pedagogia Afetiva....................................... 09

Conclusão................................................... 10
Introdução

Um conceito muito discutido atualmente no meio educacional


diz respeito ao ensino socioemocional. Hoje em dia, há uma
grande preocupação quanto à formação dos estudantes para
a vida em sociedade e o mercado de trabalho. Portanto, à
escola, não é atribuída apenas a função de preparar alunos
para provas e exames.

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) aborda a


educação socioemocional em suas competências gerais para
a formação integral dos alunos. Por essa perspectiva estar no
documento que norteia as aprendizagens essenciais para o
Ensino Básico, conclui-se que o socioemocional deve estar em
todas as escolas brasileiras.

Muito da ideia da educação socioemocional é desenvolvida


por meio da Pedagogia Afetiva, que também coloca a
formação integral do aluno como o principal objetivo da
escola. Os princípios e os valores dessa pedagogia — como
a autonomia, responsabilidade e criatividade — dialogam
certeiramente com as habilidades socioemocionais previstas
pela BNCC.

Neste e-book, conheça mais sobre a didática da Pedagogia


Afetiva e como ela representa um excelente meio para
desenvolver a educação socioemocional no ambiente escolar.

1
O socioemocional
nos dias de hoje

Antes de tudo, é necessário entender vida adulta, e isso se dá através da


qual a importância do ensino inteligência socioemocional.
socioemocional. Afinal, por que é tão
falado e considerado tão importante? Tendo isso em vista, a função da escola
não envolve apenas o desenvolvimento
Muito se questiona sobre o real dos conteúdos dos componentes
objetivo da escola. Durante muitos curriculares. A escola é a instituição
anos, as instituições de ensino foram em que são formados cidadãos, e o
vistas como um preparatório para cidadão do século XXI necessita de
a prestação de exames visando o conhecimentos que vão além do que os
ingresso dos alunos no Ensino Superior. conteúdos das disciplinas oferecem. O
Porém, essa visão não é cabível nos conhecimento sobre si, o preparo para
dias de hoje. Sabe-se que além das as demandas do mercado de trabalho
boas notas é necessário preparar os e o reconhecimento das diferenças
jovens para lidar com os desafios da são, portanto, habilidades a serem
desenvolvidas dentro da escola.
�f5e66 00ada1 �fa366

8cc7ed cc4d47 00c29c


O socioemocional tem foco nessas habilidades, que compõem um preparo
para a vida em sua totalidade, incluindo a esfera social e trabalhista. Quando
desenvolvido na escola, o preparo emocional, além de edificar o pensamento
autônomo, forma alunos capazes de resolver conflitos de forma ética.

Assim, são reconhecidos como reflexos do ensino socioemocional:

Alunos mais respeitosos e protagonistas de sua própria


NA ESFERA aprendizagem. A diminuição da indisciplina em sala de
ESCOLAR aula e bullying, além da melhoria no desempenho escolar,
representam as vantagens da formação focada nas
habilidades socioemocionais.

Cidadãos que sabem conviver e respeitar as diferenças e


NA ESFERA as diversidades. Por meio do socioemocional, o indivíduo
SOCIAL aprende a agir com prudência e responsabilidade e a
lidar de forma correta com a interação promovida pela
cultura digital.

Profissionais proativos e dispostos a solucionar situações


aflitivas. Com o desenvolvimento das habilidades
NO TRABALHO
socioemocionais, há a formação de pessoas aptas à
liderança e a lidar com os desafios da vida profissional.
O trabalho realizado com o jovens é, portanto, um aspecto muito
socioemocional ocasiona a chamada importante para a educação, uma vez
formação integral. Ao contrário do que ela deve ser oferecida de modo a
que costuma se entender, a formação respeitar a individualidade e contexto
integral não é sinônimo de ensino em dos alunos.
tempo integral. Essa formação diz
respeito à ideia de globalidade ligada O desenvolvimento socioemocional dos
ao preparo pelo qual os alunos passam. alunos não deve ser ignorado dentro
das escolas. As instituições devem
A integralidade na construção de buscar por didáticas que contemplem
saberes ainda compete a consideração a educação das emoções dos estudantes
das diferenças dos alunos. A de modo a prepará-los para os muitos
singularidade das crianças e dos desafios da vida.

O desafio do ensino socioemocional

Na perspectiva socioemocional, há um porém: para que cidadãos emocionalmente


�f5e66sejam formados,00ada1
inteligentes �fa366
é necessário professores emocionalmente
inteligentes. É comum encontrar profissionais desmotivados e que não veem
importância nas habilidades voltadas ao socioemocional.

Esse, portanto, configura o maior desafio das escolas, que precisam formar
professores aptos ao ensino socioemocional para, então, formar alunos integrais.
�f5e66 00ada1 �fa366

8cc7ed cc4d47 00c29c

8cc7ed cc4d47 00c29c

008c9c f5f273 303657


008c9c f5f273 303657
A afetividade enquanto
direcionadora do ensino

Na educação, a afetividade não tem


afetividade
relação apenas com o carinho, mas com
a•fe•ti•vi•da•de
o amadurecimento das emoções. As
sf
relações construídas na escola, para
1. Qualidade ou caráter alcançarem seus objetivos pedagógicos,
daquele que é afetivo. não devem ser pautadas na apatia ou
na ausência de emoções. As emoções
2. Conjunto de fenômenos são humanas, inatas e fundamentais
psíquicos que se revelam na forma para o bom estabelecimento do contato
de emoções e de sentimentos. humano.
3. Capacidade do ser humano
de reagir prontamente às emoções O indivíduo, quando envolvido por
e aos sentimentos. afetuosidade, reconhece a força do
lugar no qual se encontra. Em lugares
A fim de construir um ambiente fortes, há uma maior propensão para
escolar mais agradável, tem-se a descobertas pessoais. A escola afetiva,
Pedagogia Afetiva como uma proposta portanto, permite a descoberta das
pedagógica a ser aderida. Ela envolve potencialidades e a evolução do ser
o estabelecimento das ações voltadas físico e social, que enraíza a cultura
à afetividade como o caminho a ser afetiva em seus hábitos e costumes.
seguido por todos os envolvidos no A afetividade passa, então, a ser uma
processo de ensino-aprendizagem. característica de seu ser.
afetiva em seus hábitos e costumes. e protegidos, é necessário agir com
A afetividade passa, então, a ser uma afetividade. O estabelecimento
característica de seu ser. de relações interpessoais
proveitosas proporciona o chamado
Essa construção não corresponde desenvolvimento harmonioso,
apenas aos alunos. Professores, que está relacionado ao louvor dos
coordenadores pedagógicos, diretores objetivos escolares.
e demais funcionários também
descobrem suas capacidades e são Não apenas as crianças e os
movidos pelo afeto. A escola, portanto, adolescentes, mas os profissionais da
passa a ser uma referência de lugar em educação, almejam se desenvolver
que o respeito e o carinho acontecem em um ambiente no qual são aceitos,
de forma transversal e perene. acolhidos, respeitados e ouvidos. O
afeto enquanto norteador assegura o
A cada dia, é apregoado por estudos respeito às diferenças, configurando-
educacionais contemporâneos a se como um ambiente polifônico, isto
ineficiência da postura inflexível é, um lugar em que todas as vozes se
dentro da escola. Para que os alunos encontram.
e os funcionários se sintam seguros
A afetividade permite, portanto, aos
humanos serem humanos. Como
apregoado pelo psicólogo Cláudio
João Paulo Saltini em seu livro
Afetividade & inteligência:

“ As escolas deveriam entender mais


de seres humanos e de amor do que
de conteúdos e técnicas educativas.
Elas têm contribuído em demasia
para a construção de neuróticos por


não entenderem de amor, de sonhos,
de fantasias, de símbolos e de dores.
(SALTINI, 1997, p.65)
Aluno e professor:
parceiros de aprendizagem
Bem como o conhecimento, a sala de aula é o lugar em que a troca
Pedagogia Afetiva se dá por meio do de saberes — e emoções — acontece
saber adquirido com experiências vigorosamente.
vividas. Os professores e os alunos são
os principais experienciadores da ação Cabe a constante reflexão quanto à
afetiva. Mesmo que toda a instituição relação entre professor e aluno. Mas
de ensino seja movida pelo afeto, antes do aprofundamento na troca
docentes e discentes representam que há entre os dois, tem-se a seguinte
a ponta do objetivo pedagógico. A definição de papéis:

ALUNO - Centro do processo de ensino-aprendizagem;


- Aquele que é capaz de aprender, amar e respeitar;
- Quando motivado por atividades contextualizadas,
experimenta o prazer proporcionado pelo conhecimento;
- Precisa de carinho e atenção para se desenvolver.

PROFESSOR - Sensível para compreender diferentes alunos;


- Aquele que está emocionalmente preparado, mas que
deseja estar mais;
- Expressa entusiasmo em sua postura e voz;
- Contagia os alunos de modo genuíno, ou seja, não
segue uma técnica específica para ser afetivo.

Essas atribuições não são facilmente vez que eles sequer são considerados
encontradas nas escolas. Geralmente, enquanto seres singulares.
o professor está localizado no centro
da turma, concentrando todas as Ressalta-se a importância de o
informações e atenções, o que compõe professor estar preparado para lidar
uma sala de aula desequilibrada. Essa com as emoções em sala de aula, tanto
didática é unilateral e não trabalha suas próprias quanto de seus alunos. As
a real necessidade dos alunos, uma situações, sejam conflituosas ou não,
geradas pelas emoções das crianças envolver a escola enquanto um lugar
e adolescentes, podem desencadear agradável, o que inclui um corpo
ocorrências não muito adequadas. É docente que as acolham e estejam
muito comum que o descontrole afete dispostos a escutá-las. Os alunos
negativamente na qualidade do ensino devem poder contar com o professor,
do profissional. principalmente em situações
desafiadoras e complexas.
Na Pedagogia Afetiva, há uma parceria
e um respeito mútuo entre o professor Com o afeto, mesmo os dias difíceis
e o aluno. Assim, um compreende o podem ser superados de forma menos
que o outro está sentindo e responde alarmante. A compreensão de que o
à situação de forma afetuosa. O professor, assim como os alunos, é um
educador, portanto, reconhece humano, aproxima-o do ser que pode
seus alunos no campo cognitivo, cometer erros, mas que, acima de
reconhecendo suas forças e fraquezas tudo, busca aprender e não repetir os
puramente escolares, e sabe analisá- mesmos deslizes.
los sob o viés emocional, entendo
qual o caminho deve ser feito para Essa parceria entre docente e discente
potencializar as capacidades da turma. não exclui a ideia de limite, pelo
contrário, desenvolve o limite de
Sobre esse conhecimento do forma muito mais assertiva. O aluno
professor, Cláudio João Paulo Saltini é consciente quanto até onde pode
diz que ir, possuindo uma liberdade maior


para criar e inventar. O professor,
O professor (educador) durante esse momento autônomo do
obviamente precisa conhecer a estudante, serve como mediador do
criança. Mas deve ser conhecida não desenvolvimento cognitivo do aluno,
apenas na sua estrutura biofisiologica criando situações que enriquecem o
e psicossocial, mas, também, na seu aprendizado.
sua interioridade afetiva, na sua
necessidade de criatura que chora, ri,
dorme, sofre e busca constantemente


compreender o mundo que a cerca,
bem como o que ela faz na escola
(SALTINI, 1997, p. 73).

Para um bom andamento escolar, os


alunos precisam desenvolver uma
relação intimista e amigável com
seus professores. As expectativas das
crianças e adolescentes costumam
Conheça os 3 pilares
da Pedagogia Afetiva
A pedagogia do afeto é sustentada por emoções. No caso da afetividade
três aspectos, fundamentais para sua no contexto escolar, prioriza-se as
existência: emoções positivas — como amor,
alegria e carinho —, que potencializam
a gogia Af as capacidades de todos envolvidos
d e no processo de ensino-aprendizagem.
Pe

tiv

Há na afetividade um respeito com as


idade

emoções negativas, que são naturais


do ser humano e, quando expostas,
Pedagogia refletem na construção da confiança.
incípios

Afetiva
Os Valores e Princípios: os
frutos da educação afetiva
Pr

A Pedagogia Afetiva objetiva a


e

Valore
s formação de pessoas integralmente
preparadas, guiadas por noções
concretas e bem direcionadas. Sendo
A Pedagogia: a origem assim, a escola desenvolve alguns
de tudo valores e princípios, que ultrapassam
os muros da instituição e impactam
O pilar pedagógico é o formador positivamente o mundo. São eles:
todos os outros. Não envolve apenas
ensinar, mas a educação enquanto • Conhecimento,
ciência. A partir dela, é formada a • Transformação,
escola enquanto lugar de formação • Autonomia,
de indivíduos. A escola ainda está • Responsabilidade,
relacionada como uma maneira de • Solidariedade,
alterar positivamente a sociedade. • Respeito,
• Direitos e deveres,
A Afetividade: o significado • Democracia,
da aprendizagem • Cidadania,
• Criticidade,
A afetividade é vista como um • Sensibilidade,
conjunto de atos que marcam as • Criatividade.
Conclusão
O ensino socioemocional é um dos garante o preparo profissional para
focos da BNCC para o Ensino Básico o ensino das emoções, uma vez que o
brasileiro. Ele envolve a formação professor afetivo é um exemplo para
integral do aluno, que passa a conectar seus alunos e consegue identificar as
as aprendizagens desenvolvidas na potencialidades em cada um deles.
escola em outros campos de sua vida.
Assim, há uma maior preparação Logo, a adoção de uma pedagogia
para os desafios da vida adulta, baseada na afetividade representa
principalmente para o mercado de uma ótima forma de implementar a
trabalho e para a continuidade dos BNCC na escola. Porém, as vantagens
estudos no Ensino Superior. vão muito além disso, as relações
escolares passam a ser mais fluidas
A Pedagogia Afetiva envolve o e eficazes, com professores e alunos
socioemocional por colocar a parceiros. Com a formação cognitiva
ação afetiva como o centro da alinhada a emocional, o futuro do aluno
aprendizagem e das relações escolares. é muito mais brilhante: inteligente e
O afeto, apesar de pouco falado e emocionalmente educado, o indivíduo
explorado dentro das instituições de é também um modelo de cidadão e um
ensino, é fundamental na formação dos excelente profissional.
seres e do conhecimento. As emoções,
muito exploradas na Pedagogia Referências:
Afetiva, devem ser exploradas e
desenvolvidas na escola, pois é por GALVÃO, Izabel. Henri Wallon: uma
meio da educação das emoções que concepção dialética do desenvolvimento
os alunos conseguem se destacar na infantil. 18. ed. Petrópolis (RJ): Vozes, 2008.
sociedade.
ROSSINI, Maria Augusta Sanches. Pedagogia
Para educar alunos emocionalmente afetiva. Petrópolis, RJ: Vozes, 2001.
preparados, é preciso ter professores
que considerem o socioemocional SALTINI, Claúdio J.P. Afetividade &
como um princípio didático. A inteligência. Rio de Janeiro: DPA, 1997.
Pedagogia Afetiva, nesse sentido,
Você também vai
gostar de ler

A hora e a vez das competências


socioemocionais

BAIXE O E-BOOK

8 tendências para destacar sua escola

BAIXE O E-BOOK

3 pilares para edificação do educador

LEIA O ARTIGO
sistemamaxi.com.br