Você está na página 1de 4

Aluno(a) Nº /10/2017

Valor Nota
Professor Cesar Ornelas Série/Turma 2º____ Curso – Ens. Médio 10,0

Avaliação Mensal de História – 3º trimestre

Orientações:
- Preencher o cabeçalho completo da prova (nome e sobrenome);
- Responder as questões utilizando caneta azul ou preta;
- Ler os enunciados cuidadosamente antes de elaborar a resposta;
- Escrever de forma legível;
- Preocupar-se com a correção ortográfica;
- Dar respostas completas;
- Apresentar a resposta de forma “limpa”, clara e não utilizar corretor.

Boa prova! Prof. Cesar Ornelas

TESTES – VALOR 8,0 – PREENCHER GABARITO NA ÚLTIMA PÁGINA

1. (Pucsp 2017) “No início do século XVII, temos as abolição da escravidão sem indenização aos
primeiras referências, nos documentos, a escravos proprietários.
fugidos que formam uma comunidade na área dos
Palmares, na região serrana a cerca de 60 quilômetros 2. (Uece 2017) O Brasil foi o último país da América a
da costa do atual estado de Alagoas, por volta de 1605. acabar, oficialmente, com a escravidão em seu território.
(...) Em 1667, os quilombolas começaram a atacar Apesar do pioneirismo das províncias do Ceará e do
fazendas para conseguir armas, libertar escravos e Amazonas, que aboliram a escravidão em 1884, o
vingar-se de senhores e feitores. (...)Os ataques processo que levou até a assinatura da Lei Áurea, em 13
portugueses intensificaram-se nos anos seguintes, sem de maio de 1888, teve início com a Lei Eusébio de
sucesso, até que o paulista Domingos Jorge Velho Queirós, de 4 de setembro de 1850, que proibia o tráfico
ofereceu-se para conquistar os índios de Pernambuco, de escravos para o Brasil. Atente ao que diz o Professor
em 1685, o que abria as portas para sua atuação, Antonio Torres Montenegro a esse respeito: “Com o
também, no combate aos escravos fugidos e agrupados passar dos anos, vai-se tornando evidente que a
em Palmares.” extinção do tráfico de escravos, por si, não é suficiente
para garantir um fim próximo para a escravidão. Existia,
FUNARI, Pedro Paulo e CARVALHO, Aline Vieira de. agora, o comércio de escravos entre as províncias, que
Palmares, ontem e hoje. Rio de Janeiro: Jorge ZAHAR começava a gerar outros problemas. Isso porque as
Editor, 2005, pp. 11-13. províncias do Norte e Nordeste passaram a vender
grandes quantidades de escravos para o Sul e Sudeste.
[...] O Norte e o Nordeste passam, então, a adotar,
“Em meados de 1887, escravos fugidos de várias partes crescentemente, o trabalho livre, tornando-se aos
da província, estimulados pelos caifazes, organizaram no poucos, mais flexíveis em relação a um prazo imediato
Mont Serrat, em Santos, no litoral paulista, o Quilombo para o fim da escravidão do que o Sul, que tinha
do Jabaquara – uma verdadeira cidade, de onde seus acabado de realizar um grande investimento na compra
ocupantes saíam para trabalhar nas minas de carvão ou de escravos”.
como carregadores de café no porto. Foi a maior colônia
de escravos fugidos no período. MONTENEGRO, Antonio Torres. Reinventando a
O Quilombo do Jabaquara fazia parte de uma rede de liberdade: A abolição da escravatura no Brasil.
quilombos muito mais ampla, ligada à Confederação 9ª ed. São Paulo: Atual, 1989, p. 9-10.
Abolicionista – criada em 1883 na sede do jornal Gazeta
da Tarde, na cidade do Rio de Janeiro por José do
Patrocínio, João Clapp, André Rebouças, Aristides Lobo De acordo com o texto acima, pode-se concluir
e muitos outros intelectuais, jornalistas, empresários etc.” acertadamente que
a) a partir da edição da Lei Eusébio de Queirós, em
VAINFAS, Ronaldo e outros. História. São Paulo: Editora 1850, que proibia o tráfico de escravos para o Brasil,
Saraiva, 2014. p. 485. garantiu-se o fim do comércio de escravos no país.
b) o comércio interprovincial de escravos favoreceu a
que as províncias do Ceará e do Amazonas abolissem a
Os textos permitem afirmar que os quilombos no Brasil escravidão ainda em 1884, cerca de 4 anos antes da
a) eram comunidades constituídas por negros fugidos da assinatura da Lei Áurea.
escravidão e brancos abolicionistas, estabelecidas em c) no Sul e Sudeste, em virtude da compra de escravos
todas as regiões, duramente combatidas pelos das províncias do Norte e Nordeste, surgiu um
colonizadores portugueses e pelos industriais do império. movimento de apoio à abolição por parte dos grandes
b) foram numerosos nas regiões economicamente mais latifundiários cafeicultores.
importantes do país, como Alagoas e São Paulo, onde a d) o fim da escravidão no Brasil foi um processo
massa de escravos concentrava-se para abastecer, demorado porque apenas questões étnicas impediam a
respectivamente, várias atividades urbanas e as lavouras realização da abolição.
de cana-de-açúcar.
c) romperam a unidade do movimento de resistência dos 3. (Ufjf-pism 2 2017) Leia atentamente o texto abaixo
negros à escravidão, acolhendo indígenas e outros sobre a implantação do transporte ferroviário no Brasil do
trabalhadores dispostos a participar de uma alternativa à século XIX.
sociedade baseada no latifúndio, na monocultura e na
escravidão. No século XIX, os caminhos de ferro simbolizavam o
d) tiveram papel significativo na resistência à escravidão progresso material das nações. O Mundo Ocidental
desde o período colonial, e no império receberam o apoio conheceu um fenômeno denominado coqueluche
de setores progressistas da sociedade favoráveis à ferroviária para expressar a grande expansão das vias
férreas, na época. (...) O Brasil manifestou interesse e) o monopólio governamental do transporte de
pelas ferrovias ainda na primeira metade do século XIX, mercadorias a longa distância.
quando esse sistema de transporte engatinhava nos
países desenvolvidos. A expansão da economia 5. (Famerp 2017) Ao mesmo tempo em que se exaltava
primário-exportadora demandava uma infraestrutura de a libertação dos escravos, temia-se por uma revolução
transporte eficiente que reduzisse os custos de ocupação fatal ao país, afirmando-se a necessidade de uma
das fronteiras. (...) A precariedade dos transportes por abolição lenta e gradual. Não havia um maior
tropas representava um ponto de estrangulamento no entrosamento entre os rebeldes negros e os
processo de crescimento da produção agrária no país. abolicionistas, sendo que a própria propaganda
abolicionista não se dirigia aos escravos, que tendiam a
BORGES, B.G. Ferrovia e modernidade. Revista UFG, ser considerados bárbaros, incapazes de exercer ações
Dez. 2011, Ano XIII n. 11, p. 28-29. políticas.

Lilia Moritz Schwarcz. Retrato em branco e negro, 1987.


Acerca desse contexto histórico, é CORRETO afirmar Adaptado.
que:
a) grande parte do financiamento para construção das
estradas de ferro no Brasil vinha de investimentos O texto, que se refere ao Brasil da segunda metade do
ingleses. Isto porque a Inglaterra era a principal potência século XIX, trata
capitalista da época e lucrava com a exportação de bens a) do apoio inglês à abolição da escravidão, para ampliar
de capital, isto é, de equipamentos necessários para a o mercado consumidor brasileiro de produtos
produção de outros produtos ou serviços. industrializados.
b) a construção das estradas de ferro exigia um b) da divergência entre os setores cafeicultores do Vale
conhecimento técnico especializado e, por isso, eram do Paraíba e os do Rio de Janeiro quanto ao emprego da
realizadas, exclusivamente, por operários imigrantes mão de obra escrava.
europeus, contratados pelo Estado Imperial Brasileiro. c) do esforço dos setores liberais na defesa do fim da
c) as estradas de ferro contribuíram para a integração escravidão e de todos os preconceitos raciais.
direta das áreas produtoras de café, no interior, com os d) da popularidade do movimento abolicionista, que
portos de exportação do produto, no litoral. Com isso, contava com franco apoio das classes médias urbanas.
houve menor necessidade de investimentos nas áreas e) da moderação de parte do movimento abolicionista,
urbanas, em cidades situadas no percurso das ferrovias. que também manifestava preconceitos raciais.
d) os investimentos financeiros feitos pelos fazendeiros
do café na construção de estradas de ferro acabaram 6. (Uece 2017) Atente aos dois excertos a seguir que
contribuindo para o seu endividamento e, tratam da legislação eleitoral durante o período imperial
consequentemente, para o aumento do preço do produto no Brasil. O primeiro diz respeito às alterações
e para a crise da cafeicultura no Brasil. promovidas no sistema eleitoral do Império pela Lei Nº
e) houve uma ampla integração entre as províncias 387 de 19 de agosto de 1846, e o segundo apresenta o
produtoras de café e as províncias do Norte do Brasil, artigo 2º do Decreto Nº 2.675 de 20 de outubro de 1875,
grandes consumidoras deste produto, contribuindo para que reformava a legislação eleitoral:
o aumento do lucro dos cafeicultores.
“De acordo com a legislação eleitoral do período, as
4. (Unesp 2017) Art. 3º O governo paraguaio se faixas mínimas de rendas estabelecidas para
reconhece obrigado à celebração do Tratado da Tríplice participação no pleito eram as seguintes:
Aliança de 1º de maio de 1865, entendendo-se
estabelecido desde já que a navegação do Alto Paraná e a) 200$000 para ser eleitor de primeiro grau;
do Rio Paraguai nas águas territoriais da república deste
nome fica franqueada aos navios de guerra e mercantes b) 400$000 para ser eleitor de segundo grau,
das nações aliadas, livres de todo e qualquer ônus, e candidatar-se a Juiz de Paz e candidatar-se a vereador;
sem que se possa impedir ou estorvar-se de nenhum c) 800$000 para candidatar-se a deputado;
modo a liberdade dessa navegação comum.
d) 1.600$000 para candidatar-se a senador.”;
(“Acordo Preliminar de Paz Celebrado entre Brasil,
Argentina e Uruguai FARIA, Vanessa Silva de. Eleições no Império:
com o Paraguai (20 junho 1870)”. In: Paulo Bonavides e considerações sobre representação política no segundo
Roberto Amaral reinado. on-line. XXVII Simpósio nacional ANPUH. Natal,
(orgs.). Textos políticos da história do Brasil, 2002. 2013 p. 2.
Adaptado.) Disponível em:
www.snh2013.anpuh.org/resources/.../1364925577_ARQ
UIVO_artigoanpuh2013.pdf
O tratado de paz imposto pelos países vencedores da
guerra contra o Paraguai deixa transparente um dos
motivos da participação do Estado brasileiro no conflito: “Art. 2º O Ministro do Imperio fixará o numero de
a) o domínio de jazidas de ouro e prata descobertas nas eleitores de cada parochia sobre a base do
províncias centrais. recenseamento da população e na razão de um eleitor
b) o esforço em manter os acordos comerciais por 400 habitantes de qualquer sexo ou condição, com a
celebrados pelas metrópoles ibéricas. unica excepção dos subditos de outros Estados.
c) a garantia de livre trânsito nas vias de acesso a Havendo sobre o multiplo de 400 numero excedente de
províncias do interior do país. 200, accrescerá mais um eleitor”.
d) o projeto governamental de proteger a nação com
fronteiras naturais. Disponível em:
http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1824-
1899/decreto-2675-20-outubro-1875-549763- d) o aumento da repressão policial às prostitutas
publicacaooriginal-65281-pl.html consideradas subversivas.
e) o desenvolvimento da prostituição masculina, mais
aceita pela sociedade.
Com base nos textos acima, pode-se concluir
acertadamente que durante o Império QUESTÕES DISSERTATIVAS – VALOR 2,0
a) havia limitações à participação popular no processo
eleitoral. 9. (Fuvest 2017) O café passou a ser o produto das
b) havia uma representatividade muito maior do que a grandes fazendas doadas em sesmarias, enquanto a
atual, pois um a cada quatrocentos habitantes podia corte portuguesa residia no Rio de Janeiro. Na verdade,
votar como eleitor de primeira. o café foi a salvação da aristocracia colonial. Foi também
c) o sistema de colégio eleitoral fazia com que o eleitor a salvação da corte imperial cambaleante, que,
de primeira pudesse escolher o chefe do executivo assediada por rebeliões regenciais e duramente
provincial e do executivo imperial. pressionada a pagar pelas burocracias civil e militar
d) apesar da limitação no número de eleitores, o acesso necessárias para consolidar o Estado, foi resgatada
da população à candidatura era bem mais fácil. pelas receitas do café que afluíam para a alfândega do
Rio de Janeiro. Caso as condições de cultivo tivessem
7. (Uemg 2017) “As consequências da escravidão não sido mais favoráveis ao café nas distantes e rebeldes
atingiram apenas os negros. Do ponto de vista da cidades do Recife, Porto Alegre ou São Luís, seriam
formação do cidadão, a escravidão afetou tanto o geradas forças centrífugas que teriam dividido o Brasil.
escravo quanto o senhor. Se um estava abaixo da lei, o
outro se considerava acima. A libertação dos escravos Warren Dean, A ferro e fogo. A história e a devastação
não trouxe consigo a igualdade efetiva. Essa igualdade da Mata Atlântica brasileira, 1996. Adaptado.
era afirmada nas leis, mas negada na prática. Ainda hoje,
apesar das leis, aos privilégios e à arrogância de poucos
correspondem o desfavorecimento e a humilhação de A partir do texto,
muitos.” a) indique a localização geográfica da cultura do café no
Império do Brasil,mencionando qual foi sua maior zona
CARVALHO, José Murilo de. Cidadania no Brasil: o produtora;
longo caminho. 14ª ed. b) caracterize a economia das províncias que, entre 1835
Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2011, p. 53. e 1845, rebelaram-se contra o poder central do Império.

__________________________________________
No século XIX, o combate à escravidão no Brasil
relacionou-se à
__________________________________________
a) adesão dos proprietários rurais à plena concretização __________________________________________
dos direitos humanos. __________________________________________
b) elaboração da Constituição por pessoas __________________________________________
comprometidas com a justiça social. __________________________________________
c) criação de leis emancipacionistas para a manutenção
da Guerra do Paraguai.
__________________________________________
d) mobilização de diferentes grupos sociais em torno da __________________________________________
campanha abolicionista. __________________________________________
__________________________________________
8. (Upe-ssa 2 2017) No final do século XIX e início do __________________________________________
século XX, a prostituição ganhou espaço na sociedade
brasileira. Grandes bordéis e zonas de meretrício foram
__________________________________________
construídos e frequentados por homens de várias __________________________________________
classes sociais. Os lugares de prostituição, tais como __________________________________________
cabarés, cafés-encontros, pensões chiques, teatros e __________________________________________
restaurantes, estabeleceram uma grande rede de __________________________________________
sociabilidade, mantida por uma série de personagens:
artistas, músicos, coristas, dançarinas, boêmios, gigolôs,
__________________________________________
prostitutas de diversas nacionalidades, clientes, choferes, __________________________________________
garçons, arrumadeiras, cozinheiras, manicures, __________________________________________
costureiras, porteiros e meninos de recados. __________________________________________
__________________________________________
Fonte: Breve histórico da Prostituição no Brasil. In:
http://www2.dbd.puc-
__________________________________________
rio.br/pergamum/tesesabertas/0912457_2011_cap_2.pdf. __________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
O texto apresenta o bordel como meio de entretenimento __________________________________________
para a população brasileira do século XIX, que possuía
como uma de suas principais características sociais
__________________________________________
a) a vasta limitação à liberdade sexual imposta pelo __________________________________________
padrão conservador. __________________________________________
b) a ampla diversidade de gênero e liberdade sexual. __________________________________________
c) a legalização da diversidade de gênero por intermédio __________________________________________
da constituição.
10. (Uerj 2017) __________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________

GABARITO TESTES (OBRIGATÓRIO)


O anúncio exemplifica uma prática que se tornou comum 1-
na imprensa brasileira no século XIX: a divulgação de
2-
oferta de recompensas por escravos fugidos. Tal prática
possibilita situar a importância dessa mão de obra em 3-
diversas atividades econômicas. 4-
5-
A partir das informações do anúncio, identifique duas 6-
características da condição de vida dos escravos, no
7-
Brasil, naquele momento. Indique, também, a principal
transformação no mercado de compra e venda de 8-
escravos ocorrida em 1850 que justifique o pagamento
de uma recompensa.
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________
__________________________________________

Você também pode gostar