Você está na página 1de 3

CONTESTAÇÃO - COMINATÓRIA - CURADOR ESPECIAL - NOVO CPC

EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA ____________ DA COMARCA DE


__________________ - ___

Pular 10 linhas

_____________ S/A ADMINISTRAÇÃO E PARTICIPAÇÃO, atualmente em local incerto e


não sabido, por seu Curador Especial nomeado às fls. ___, Dr. _____________, advogado,
inscrito na OAB/RS nº _____________, o qual recebe intimações no seu endereço
profissional, à Rua _____________, nº ____, sala ____, Bairro _____________, CEP
_____________, _____________ - ___, vem, respeitosamente à presença de V. Exª,
apresentar
CONTESTAÇÃO à Ação Cominatória, feito que tomou o nº _____________, promovido por
_____________ INDUSTRIAL Ltda., já qualificada, de acordo com as razões de fato e de
direito, com que impugna o pedido do autor, a seguir expostas:
- EM PRELIMINAR -
I - CARÊNCIA DE AÇÃO
Trata a presente demanda de ação cominatória, visando o suprimento de vontade para a
lavratura de escritura definitiva de compra e venda de uma área de terras localizada na cidade
de _____________.
Ocorre que, vislumbrando os presentes autos, não se constata a necessária notificação
premonitória ao Contestante.
Uma vez inexistindo a notificação, impossível o manejo da presente demanda, eis que sequer
o Réu foi instado a outorgar a escritura definitiva de compra e venda.
Assim, o Autor é carecedor de ação, incidindo sobre o mesmo o disposto no artigo 485, VI,
do CPC/2015, o que impõe a extinção da presente demanda.
II - NULIDADE DE CITAÇÃO - Falta de diligências do Autor que confirmem a ocorrência
do requisito do art. 256, II, CPC/2015.
O autor, simplesmente requereu a citação da contestante, afirmando:
"[...] tendo em vista a certidão do Sr. Oficial de Justiça, de fls. ___, v., requerer a citação da
requerida via editalícia". (fls. ___)
Vislumbrando a certidão de fls. ___ verso, verifica-se que a mesma apenas refere que a
Contestante não mais funciona no local, e nada mais.
Um simples requerimento à Junta Comercial do Estado do Rio Grande do Sul possibilitaria
conhecer-se o atual endereço da empresa, bem como seus diretores, a fim de possibilitar a
citação de forma válida, o que não foi feito.
Sabemos que a citação é o ato pelo qual se convida o réu a comparecer em juízo e defender-
se.
Assim, tal ato é de vital importância para a regularização da polaridade processual e requisito
primeiro para a validade do processo.
Portanto, cabe à parte autora ser diligente ao máximo, no sentido de localizar o Réu. E isto, o
autor não demonstra.
Nem se cogite que a multa estabelecida no art. 258 CPC/2015 inibiria a parte de alegar
dolosamente o requisito em questão para a citação por edital.
O Réu, citado por edital, sobre quem recai a pena da revelia, na maioria dos casos, não verá
os danos sofridos reparados pela multa de 5 (cinco) salários mínimos.
Por certo, precisará ingressar com ação competente para ver ressarcido seu prejuízo, o qual
decorre da falta de zelo do Autor, que não esgotou as tentativas de localização.
A jurisprudência vem assentando entendimento no sentido de que é nula a citação por edital
se não esgotadas as tentativas de localização da parte, e esse posicionamento é totalmente
coerente, levando-se em conta os prejuízos que podem decorrer para o revel:
AÇÃO RESCISÓRIA. DOLO DA PARTE VENCEDORA EM DETRIMENTO DA PARTE
VENCIDA. NULIDADE DE CITAÇÃO EDITALÍCIA. AÇÃO JULGADA PROCEDENTE.
É nula a citação editalícia quando a parte não fornece elementos de seu conhecimento para a
localização da parte adversa, frustrando, assim, a citação pessoal. (Ação Rescisória nº
2007.031239-1/0000-00, 4ª Seção Cível do TJMS, Rel. Vladimir Abreu da Silva. Unânime,
Dje 07.08.2009).
PROCESSUAL CIVIL. CITAÇÃO POR EDITAL. 1. A citação por edital somente é possível
quando exauridas diligências no sentido de localizar o devedor. 2. Ausente a comprovação da
impossibilidade de localização do réu para a citação, é incabível determinar a citação por
edital. (Agravo de Instrumento nº 0037462-90.2010.404.0000/SC, 2ª Turma do TRF da 4ª
Região, Rel. Otávio Roberto Pamplona. J. 29.03.2011, unânime, DE 06.04.2011).

- MÉRITO -
Transpostas as preliminares suprarreferidas, o que nos parece impossível, por amor a forma,
necessário adentrar ao mérito da demanda.
É sabido que, para o prosseguimento da presente demanda, é indispensável a prova do
pagamento integral do preço.
Porém, compulsando-se os autos, tal prova não se encontra, impondo-se o julgamento
totalmente improcedente da presente demanda, conforme se verifica do aresto abaixo
colacionado:
ADJUDICAÇÃO COMPULSÓRIA - INEXISTÊNCIA DE PROVA DO PAGAMENTO
AVENÇADO - IMPOSSIBILIDADE. Inexistindo prova idônea a demonstrar o pagamento do
preço pelo negócio, descabe acolher o pedido de adjudicação compulsória. Recurso não
provido. (Apelação Cível nº 1.0194.06.065505-8/001(1), 10ª Câmara Cível do TJMG, Rel.
Alberto Aluízio Pacheco de Andrade. J. 04.08.2009, unânime, Publ. 21.08.2009).

RECURSO CÍVEL INOMINADO - RECLAMAÇÃO - ADJUDICAÇÃO COMPULSÓRIA -


IMÓVEL - PREÇO - PAGAMENTO - AUSÊNCIA DE PROVA. A ausência de prova firme
sobre a quitação integral do preço do imóvel, objeto do contrato de compromisso de compra e
venda, obsta o acolhimento do pedido de adjudicação compulsória, mostrando-se correta a
sentença proferida pelo juízo a quo. (Recurso Cível Inominado nº 448/2011, 3ª Turma
Recursal dos Juizados Especiais Cíveis e Criminais/MT, Rel. José Zuquim Nogueira. J.
29.06.2011, unânime, Dje 01.07.2011).

DIANTE DO EXPOSTO, requer:


a) o acolhimento da preliminar de falta de interesse processual, por inexistir nos autos a
notificação premonitória, extinguindo-se o processo na forma do disposto no artigo 485, VI,
do CPC/2015;
b) em não sendo este o entendimento de V. Exª, seja acolhida a preliminar de nulidade de
citação, pela não observância do artigo 256, II, ou pela violação do art. 257, todos do
CPC/2015, ou ainda, por infração a ambos dispositivos, reconhecendo-se a nulidade de
citação, nos termos do art. 280 do mesmo diploma legal, determinando-se, a posteriori, a
renovação do ato;
c) seja, ao final, julgada totalmente improcedente a presente demanda, condenando-se a
autora aos ônus de sucumbência e honorários a este curador.

Nestes termos,

Pede deferimento.

[Local] [data]

__________________________________

[Nome Advogado] - [OAB] [UF].