Você está na página 1de 2

CONTESTAÇÃO - COBRANÇA - CONSÓRCIO - NOVO CPC

EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA ____________ DA COMARCA DE


__________________ - ___

Pular 10 linhas

____________, brasileiro, dentista, separado judicialmente, residente e domiciliado nesta


cidade, na Rua _________, ____, Bairro _________, endereço eletrônico ______, inscrito no
CPF sob nº _________, por seus procuradores firmatários, ut instrumento de mandato
incluso, estabelecidos profissionalmente nesta cidade, na Rua _________, ____, cj. ____, Ed.
_________, onde recebem intimações, vem, à presença de V. Exª, no prazo de lei, oferecer
CONTESTAÇÃO à Ação Ordinária de Cobrança interposta por
________ Ltda., já qualificada na inicial, nos seguintes termos:
PRELIMINARMENTE

1. PRESCRIÇÃO

Mesmo que a inadimplência alegada houvesse existido, não lograria êxito a Demandante.
Consoante Art. 206, parágrafo 3º, inciso III, do Código Civil, prescreve em 03 anos a
cobrança de juros, ou quaisquer outras prestações acessórias pagáveis em períodos inferiores
a um ano.
A demandante restringe-se a titular-se como credora de 0,9722% do preço do bem.
Num raciocínio lógico-jurídico, no item 2 da inicial, alega a Demandante que o Demandado,
ora Contestante, comprometeu-se a pagar a cada amortização o equivalente a 2% do preço do
automóvel.
Considerando que pagamentos por conta do débito, nesse tipo de transação, são vetados, o
percentual apresentado de 0,9722%, corresponderia no máximo, a 50% do valor de uma
parcela. Considerando ainda que no percentual cobrado e anunciado pela Demandante no
objeto da presente ação, encontra-se incluído principal, multa, juros etc., faz-se por concluir
que não há parcela inadimplida, e sim, tentativa de coagir o Contestante a pagar algum
residual, o que efetivamente não deve.
Diante da breve exposição, conclui-se que a cobrança se trata de acessório e não principal,
razão pela qual já impõe o acolhimento da preliminar suscitada.
Não obstante as razões de preliminares antes expendidas, para não precluir e em respeito a
esse MM. Juízo, passa a expor as razões de mérito.
Doravante, a singeleza também se faz presente.
Consoante documentos acostados nessas razões de Contestação, o Demandado pagou tudo o
que era devido, jamais tendo sido cobrado de alguma diferença supostamente existente.
Efetivamente, o Contestante ingressou no consórcio de um automóvel Monza SL/E, em ___
de ________ de _____, nesta cidade de ______, onde no ato da assinatura já pagou a 1ª
mensalidade - Recibo nº _________, conforme faz prova com o Certificado de Autorização nº
_________, em anexo.
É noticiado, através das fls. 09 e 10 dos autos, que as parcelas nºs 23 e 25, vencimento em
24/09/___, não se encontram pagas.
O recibo de depósito, documento que ora se junta, dá conta que em ___ de _______ de
_____, através do Banco _____, pagou a importância de ____________, correspondente à
época, às parcelas 23 - 24 - 25, a qual colocou fim ao consórcio.
Assim não sendo, inadmissível seria a correspondência e o Instrumento de Liberação Série
____, nº _________, datado de ___ de ________ de _____, firmado pelo Sr. ____________,
liquidante, observa-se que à época da liberação, a Demandante já encontrava-se em situação
de Liquidação Extrajudicial.
Se débito a ser saldado existisse, certamente teria sido cobrado na ocasião, o que não ocorreu
e nem havia como, pois nove meses antes da liberação já havia sido tudo pago pelo
Contestante. O que é inadmissível é que após 05 anos, venha o Consórcio Demandante tentar
cobrar valores que efetivamente já encontram-se pagos.
Através da cópia de uma carta, documento unilateral redigido pela Demandante, informa que
encontra-se pendente valores e prontamente aciona o Poder Judiciário para cobrar, certamente
apostando que 05 anos após, o consorciado não teria mais o recibo de pagamento
IMPUGNA os documentos apresentados às fls. 09/11 e 13/15 por serem unilaterais, confusos
e não prestam-se para provas, também, por não ter o Contestante participado dos mesmos.
Diante do exposto e por qualquer ângulo que se analise, a presente demanda não vislumbra
sua procedência.
Isto posto, requer:
a) A improcedência da presente demanda, com as cominações de lei;
b) Protesta provar o alegado por todos os meios de prova em direito permitidos,
principalmente pela juntada de novos documentos e depoimento pessoal do representante
legal da Demandada.
C) O benefício da Assistência Judiciária Gratuita, não tendo condições de arcar com as
despesas processuais e honorários advocatícios sem prejuízo de seu sustento, requerendo, na
forma do Art. 5º , LXXIV, da CF/88. Junta declaração (doc. __).

Nestes termos,

Pede deferimento.

[Local] [data]

__________________________________

[Nome Advogado] - [OAB] [UF].