Você está na página 1de 23

TÉCNICA 1 - Bend (levantada de corda) Blues/Rock.

Essa técnica soa muito bem, principalmente na praia do rock. Pode ser feita
com ou sem distorção: ao realizar um bend (levantar uma corda), você pode
ao mesmo tempo, só que com algum dedo da mão direita, dar um Tap (uma
batida) na mesma corda em que está se utilizando o bend. No exemplo que
segue abaixo, a nota é tocada (a), levantada com a mão esquerda (b), e
enquanto se sustenta essa corda levantada, com a outra mão se faz o Tap (T)
na casa 15 (c). Após esse Tap, abaixa-se a corda levantada pela mão
esquerda e só se palheta novamente no momento (d). O palavra Full significa
levantar a corda em 01 tom.

Esse é apenas 01 exemplo dessa técnica. Pode-se "brincar" com os bends


para produzir resultads sonoros bem inusitados e expressivos. Procure ouvir
vários guitarristas.

topo da página

TÉCNICA 2 - Clichês Blus/Rock/Country.

Os clichês apresentados representam pequenas frases usadas no blues,


country e rock e podem dar um tempero especial ao seu solo. Tente
reconhecer auditivamente alguns clichês quando estiver ouvindo um solo de
guitarra. Na execução, tome cuidado com os bends (1/2 e Full); faça o bend
levantando a corda na altura exata. Quando for tocá-los com distorção
cuidado com a sujeira do som, tente executá-los o mais limpo possível. Toque
repetidamente cada clichê, experimentando variações: lento, rápido e
gradualmente acelerando e/ou desacelerando.

topo da página
TÉCNICA 3 - Escala de Do Menor Pentatônica com blue note (Blues/Rock).

Frases de Blues/Rock: seguem 9 frases com a Escala de Cm Pentatônica com


a Blue Note na 4ª aumentada (nota fa#). Apojatura = appoggiatura = grace
note.
topo da página

TÉCNICA 4 - arpegios (Em Harmônica).

Arpegios (acordes tocados melodicamente). O exercício está na tonalidade de


Em e pode ser executado tanto com palhetadas alternadas como em "sweep
picking".
topo da página

TÉCNICA 5 - Arpegios (Bm).

Arpegios na tonalidade de Bm. Note que a idéia se inicia no IV grau (Em) com
a variação da 7ª do acorde. Para alcançar o repouso em Bm foi utilizado um
acorde de tensão (A#º).
topo da página

TÉCNICA 6 - Arpegios (Em Harmônica/Melódica).

Arpegios. Tonalidade de Em com a presença dos acordes F#º e B7. Se


pensarmos em escalas, a variação entre as notas Re e Re# acontece na fusão
das escalas de Em Natural com Em Harmônica.
topo da página

TÉCNICA 7 - Abertura dos dedos.

O efeito dessa técnica é bem interessante pois não respeita, a princípio,


nenhuma escala. Escolhi as casas 12, 15 e 18 da guitarra e com elas criei
algumas variações. Essa técnica sugere um efeito sonoramente
"desorientador".
topo da página

TÉCNICA 8 - Exercícios variados (14 exercícios).

Os exercícios abaixo são, em geral, para aquecimento e mobilidade dos


dedos. A princípio não seguem nenhuma escala ou sequência harmônica
específica. A idéia é, ao mesmo tempo, exercitar os dedos e ter uma
visualização do braço da guitarra. Observe o desenho das notas tanto na
partitura e na tablatura, quanto no braço da sua guitarra. Isso ajuda a tocar
melhor! A idéia para a mobilidade e aquecimento dos dedos é a seguinte:
quanto mais combinações diferentes melhor. Então, crie as suas variações
também...
topo da página

TÉCNICA 9 - Ligados (04 exercícios).

O ligado/ligadura de articulação é quando você toca apenas a 1ª nota da


sequência; as outras (ou a outra) notas são produzidas pela mão esquerda.
Seguem 4 exercícios básicos que você pode praticar de maneira ascendente e
descendente (subindo e descendo). Experimente outras combinações de
dedos (1 e 4, 2 e 4, 2 e 3, 3 e 4). Treine em outras casas também. Lembre que
a "pegada" é diferente se você toca uma determinada coisa nas primeiras
casas ou nas últimas. O espaço das casas é diferente, a posição do seu braço
e da sua mão também. É importante conhecer bem o seu instrumento.
Explore-o o máximo que puder.
topo da página

TÉCNICA 10 - Pedal Point. Desenvolvido na Escala de Do Maior; a nota pedal


(nesse caso, a Tônica/Fundamental) situa-se sempre na corda 02. Palhete
alternadamente, começando de cima para baixo.
topo da página

TÉCNICA 11 - Dedilhado. O acorde/arpegio-pedal (aquele que permanece


constante) é D9; os baixos vão se alterando e sugerindo nunces diferentes.
Pode ser executado com palheta ou com os dedos.

topo da página
TÉCNICA 12 - Esse exercício usa em seu fraseado elementos de música
medieval e clássica. Palhete alternadamente.
topo da página

TÉCNICA 13 - Dedilhado em Am (acorde/arpegio-pedal). É bom para treinar a


abertura dos dedos da mão esquerda, principalmente no violão. Pode ser
executado com ou sem palheta.
topo da página

TÉCNICA 14 - Progressões com escalas. Palhete alternadamente ou toque com


os dedos. Aplique essas progressões em outras escalas também. Toque-as
ascendente e descendentemente (subindo e descendo).
topo da página

TÉCNICA 15 - Progressões com escalas. Palhete alternadamente ou toque com


os dedos. Aplique essas progressões em outras escalas também. Toque-as
ascendente e descendentemente (subindo e descendo).
topo da página
ESTUDO Nº 1 - clássico - para guitarra - Marco Tureta/1996

Tem uma "pegada" clássica. Pode ser tocado com "metronomicamente" ou


interpretado com dinâmica e variações no andamento. Palhete
alternadamente e, se for tocar com distorção, cuidado com a "sujeira" nas
notas.
topo da página

ESTUDO Nº 2 - Marco Tureta/1997

Esse estudo foi criado com a idéia de se trabalhar arpegios (acorde


arpegiados). Pode ser tocado com palheta ou com os dedos, com guitarra ou
violão. Os baixos estão escritos em colcheias, mas você pode deixá-los soar
até o final de cada compasso. É uma outra dificuldadeque pode ser
trabalhada. Nos últimos 5 compassos tome cuidado com a corda 1.

topo da página