Você está na página 1de 28

FUSÃO DE EMPRESAS

INTRODUÇÃO

O trabalho tem como objecto de estudo a


Fusão de empresas, que é muito
importante pois nota-se que com a fusão
cada uma das empresas adquire algo que
não tem, e consegue-o a um custo menor
do que se actuasse sozinha.
Objectivo Geral:
 Conhecer a importância da fusão de
empresas e suas subdivisões.

Objectivos Específicos:
 Identificar as diversas razões que originam
fusão de empresas.
 Identificar as diferentes etapas para o
cálculo do Goodwill e para o cálculo dos
ganhos e custos económicos;
 Analisar os casos práticos como exemplos.
FUSÕES DE EMPRESAS

Conceito
 Segundo Gelbcke (2013:479), Fusão é a
operação pela qual se unem duas ou mais
sociedades para formar sociedade nova,
que lhes sucederá em todos os direitos e
obrigações.
 Por Exemplo: TDM e Mcel = TMcel
TIPOS DE FUSÕES E AQUISIÇÕES

Segundo Maquieira e Vieito (2010:552),


os tipos de fusões e aquisições podem
ser classificados:
Quanto à focalização ;

Quanto a forma de aquisição.


1. QUANTO À FOCALIZAÇÃO
1.1. Fusões e aquisições que incrementam a
focalização – são conhecidas do tipo não
conglomerados em que o valor da empresa
resultante é maior que a simples soma do valor de
cada uma das empresas fundidas.

Este género de fusões e aquisições pode ainda ser


dividido em duas categorias:
a) Fusões Horizontais – duas empresas, operando
no mesmo sector económico, fundem-se.
 Por exemplo, da fusão de dois bancos comerciais
no sentido de criarem uma instituição dominante
no mercado.
b) Fusões verticais – É aquela que fusão que
envolve empresas com ramo de actividades
diferentes.
 Por exemplo, uma empresa de construção
civil e obras públicas funde-se com uma
empresa de extracção de inertes.
1.2. FUSÕES E AQUISIÇÕES QUE DIMINUEM A
FOCALIZAÇÃO
São conhecidas também como fusões e aquisições
conglomeradas. É o caso de duas empresas que
operam em sectores económicos não relacionados e
que se fundem.
Podem distinguir-se três tipos de operações deste
género:
 Expansão de produtos – incrementa-se as linhas de
produtos existentes da empresa;
 Expansão da área gráfica – expande-se o território
comercial onde a empresa se encontra a operar;
 Puro conglomerado – todas as outras fusões do tipo
conglomerado que não são incluídas nas classes
anteriores. O objectivo final é aumentar a
diversificação.
2. Quanto a forma de aquisição

a) Amigáveis – as partes envolvidas


negoceiam, de forma amigável, como vão
efectuar a operação de fusão ou aquisição.

b) Hostis – o processo de fusão ou


aquisição não efectuado com mútuo acordo
das empresas adquirente e adquirida.
RAZÕES PARA SE EFECTUAREM
FUSÕES E AQUISIÇÕES

Razões Credíveis
 Ganhos com integração horizontal e
sinergias operacionais;
 Ganhos em termos de integração vertical;
 Ganhos associados a mudança da gestão.
Razões Dubiais
 Diversificação do risco;
 Aumento da motivação dos executivos;
 Sinergias em termos de custos financeiros;
 Aumento da dimensão.
MODALIDADES DE FUSÃO
As fusões podem realizar-se por:
 Incorporação – processo pelo qual uma
ou mais sociedades transferem para outra
todo o seu património.

A B
 Constituição de nova sociedade – para a
qual são transferidos todos os activos e
passivos identificáveis das sociedades
intervenientes na operação.

A B

AB
Métodos de Contabilização das Fusões
As fusões podem ser contabilizadas pelos seguintes
métodos:
Método de Compra
 Os activos e passivos são valorizados pelo justo
valor e verifica-se o reconhecimento do
Goodwill.

Método de Comunhão de interesses


 Os activos e os passivos são transferidos pelos
valores que têm nas sociedades originárias e não
se verifica o reconhecimento do Goodwill.
 De acordo com as Normas de Contabilidade, a
fusão deve ser contabilizada pelo Método de
compra.

 Goodwill é um activo intangível que surge, na


maioria das vezes, decorrente da aquisição de
uma empresa por outra.
1.º Passo: Relação do valor de troca no mercado

Relação do valor de troca no mercado


𝑝𝑟𝑒ç𝑜 𝑛𝑜 𝑚𝑒𝑟𝑐𝑎𝑑𝑜 𝑑𝑎𝑠 𝑎𝑐çõ𝑒𝑠 𝑑𝑎 𝑒𝑚𝑝𝑟𝑒𝑠𝑎 𝐼𝑛𝑐𝑜𝑟𝑝𝑜𝑟𝑎𝑑𝑜𝑟𝑎
= 𝑃𝑟𝑒ç𝑜 𝑛𝑜 𝑚𝑒𝑟𝑐𝑎𝑑𝑜 𝑑𝑎𝑠 𝑎𝑐çõ𝑒𝑠 𝑑𝑎 𝑒𝑚𝑝𝑟𝑒𝑠𝑎 𝐼𝑛𝑐𝑜𝑟𝑝𝑜𝑟𝑎𝑑𝑎

𝛼 1,60
= = = 0,64
𝛽 2.50
2.º Passo: Acções a emitir para os accionistas
Acções p/ os accionistas

𝑐𝑎𝑝. 𝑑𝑎 𝑒𝑚𝑝𝑟𝑒𝑠𝑎 𝑖𝑛𝑐𝑜𝑟𝑚𝑝𝑜𝑟𝑎𝑑𝑎∗𝑃𝑒𝑟𝑐𝑒𝑛𝑡𝑎𝑔𝑒𝑚 𝑙𝑖𝑞. 𝑑𝑎 𝑖𝑛𝑐𝑜𝑟𝑝𝑜𝑟.


= 𝑅𝑒𝑙𝑎çã𝑜 𝑑𝑜 𝑣𝑎𝑙𝑜𝑟 𝑑𝑒 𝑡𝑟𝑜𝑐𝑎 𝑛𝑜 𝑚𝑒𝑟𝑐𝑎𝑑𝑜
100 000,00∗0,85
= = 132 812,5 acções
0,64
≅ 132 813,00
3.º Passo: Valor do prémio da emissão

(+) Valor de emissão das acções


(132 813,00*1,60)…...………… 212 500,80
(-) Valor Nominal das acções emitidas
(132 813,00*1,00) ………...…... 132 813,00
(=) Prémio de emissão……........ 79 687,80
CONT.
4.º Passo: Goodwill

(+) Valor de investimento do beta em alfa


(85% do beta) ………….…..……. 212 500,80
(+) Valor de investimento do alfa em beta
(15% do beta) …………….………. 30 000,00
(-) Justo valor dos (liquido passivo) da
empresa beta ………………….. 155 500,00
(=) Goodwill ………...………..... 87 000,80
Estimativa dos ganhos e dos custos
económicos da Fusão
Ganho
 Há um ganho económico apenas se as
duas empresas valerem mais juntas do que
separados. Por exemplo, se pensa que a
empresa resultante da junção valeria VAAB,
e que, separadamente, as empresas valem
VAA e VAB, então:

 Ganho =VAAB – (VAA + VAB)


Custo
 O custo de uma fusão é o prémio que o
comprador paga pela empresa à venda
sobre o valor desta ultima como entidade
separada. A estimativa dos custos é
quando a fusão é paga em dinheiro. No
entanto, também deve pensar no custo de
aquisição da empresa B. então:

 Custo = Pagamento em dinheiro – VAB


VALOR ACTUAL LIQUIDO

O valor actual líquido para A de uma fusão com


B é medido pela diferença entre o ganho e o
custo. Então:

 VAL = Ganho – Custo


 VAL = VAAB – (VAA+VAB) – (Pagamento em dinheiro – VAB)
Exemplo Prático 2
A empresa A tem um valor de 200 000,00, e a
B, 50 000,00. A fusão das duas
proporcionaria uma poupança nos custos com
um valor actual de 25 000,00. Este é o ganho
obtido com a fusão.
Então:
 VAA = 200 000,00
 VAB = 50 000,00
 Ganho = +25 000,00
 VAAB = 275 000,00
Suponha que B é comprada a dinheiro,
por 65 000,00.
RESOLUÇÃO DO EXEMPLO PRÁTICO 2
Custo = Pagamento em dinheiro – VAB
Custo = 65 000,00 – 50 000,00
Custo = 15 000,00

Valor Actual Liquido


 VAL = 25 000,00 – 15 000,00
 VAL = +10 000,00

 Apenas para confirmar, vamos verificar se os


accionistas de A acabam efectivamente por
ganhar 10 000,00.
CONT.

 Assim, o seu ganho líquido é:

 VAL = Património após a fusão – Património antes da fusão


 VAL = (VAB – Pagamento em Dinheiro) – VAA
 VAL = (275 000,00 – 65 000,00) – 200 000,00
 VAL = +10 000,00
Conclusão
 Contudo, concluímos que as fusões são de
extrema importância por essas empresas
valerem mais juntas do que separadas e
podem fazer surgir oportunidades que
nenhuma das empresas conseguiria de
outra forma, ou seja, com elas realizam-se
efectivos ganhos.
MUITO OBRIGADO
REFERENCIAS
 ALVES, Gabriel Correia. COSTA, Carlos Baptista.
Contabilidade Financeira. 9.ª Edição, s/l. REI
Livros, 2014.
 BREALEY, Richard. MYERS, Stewart. Princípios
de Finanças Empresariais. Lisboa, Editora
McGraw-Hill de Portugal, 1998.
 GELBCKE, Ernesto Rubens, et al. Manual de
Contabilidade Societária – Aplicável a Todas as
Sociedades. 2.ª Edição, são Paulo, Editora Atlas,
2013.
 MAQUIEIRA, Carlos. VIEITO, João. Finanças
Empresariais – Teoria e Prática. Lisboa, Escolar
Editora, 2010.
 OLIVEIRA, Daniel, RABAÇA, Brasiliano, Manual
de Contabilidade – Teoria e Casos Práticos, Lisboa,
Escolar Editora, 2013.