Você está na página 1de 9

;CURSINHO MEDICINA – GEOMETRIA ANALÍTICA – ISA BOTELHO

PROFª JOYCE FURLAN

1. (Fac. Albert Einstein – Medicina - 2018) O ponto A(3, 4) pertence a uma circunferência λ cujo centro tem abscissa 7
e ordenada inteira. Uma reta r passa pelo ponto O(0, 0) e pelo ponto A e a distância de r até o centro de λ é igual a
2. O raio da circunferência λ é
a) 2
b) 5
c) 2 2
d) 2 5

2. (Pucrj 2017) Considere a parábola de equação y  x2  x  1

a) Encontre os pontos de interseção da parábola com a reta de equação y  x  1.


b) Encontre b para o qual a parábola intercepta a reta de equação y  x  b em um único ponto.
c) Encontre as retas que passam pelo ponto (1, 0) e que interceptam a parábola em um único ponto.

3. (Pucrj 2017) Considere as parábolas de equações y   x2 e y  x2  12x  16. Qual é a equação da reta que passa
pelos dois pontos de interseção entre as parábolas?
a) .y  6x  8
b) y  12x  16
c) y  2x  4
d) y  16
e) y  2 5x  16
4. (Pucrj 2017) Considere o círculo de raio 2 centrado na origem, e as retas verticais x  1 e x  1, como indicado na
figura.

a) Encontre as coordenadas dos pontos de interseção A, B, C, D entre o círculo e as retas verticais.


b) Calcule a área da região interior ao círculo que fica entre as duas retas verticais.

5. (Unifesp 2016) Na figura, as retas r, s e t estão em um mesmo plano cartesiano. Sabe-se que r e t passam pela
origem desse sistema, e que PQRS é um trapézio.

a) Determine as coordenadas do ponto de intersecção entre as retas r e s.


b) Prove que os lados não paralelos do trapézio PQRS não possuem a mesma medida, ou seja, que o trapézio PQRS
não é isósceles.

6. (Pucrj 2016) Considere o quadrado ABCD como na figura. Assuma que A  (6, 13) e C  (12, 5).

a) Determine a equação da reta r que passa pelo ponto M (ponto médio de AC) e pelo ponto P  (1, 1), justificando sua
resposta.
b) Determine a medida do lado do quadrado ABCD, justificando sua resposta.
c) Aumentando em 50 por cento o comprimento dos lados do quadrado ABCD, em que porcentagem a área da nova
figura será aumentada em relação à área do quadrado original? Justifique sua resposta.
7. (Fac. Albert Einstein - Medicin 2016) A figura abaixo ilustra as localizações de um Posto de Saúde (P) e de um
trecho retilíneo de uma rodovia (AB) em um plano cartesiano ortogonal, na escala 1: 200.

Pretende-se construir uma estrada ligando o Posto à rodovia, de modo que a distância entre eles seja a menor possível.
Se a unidade de medida real é o metro, a distância entre o Posto e a rodovia deverá ser igual a:
a) 600 m
b) 800 m
c) 2 km
d) 4 km

8. (Pucrs 2016) Dois amigos caminham no plano xy, ao longo de retas paralelas cujas equações são 2x  5y  7 e
3x  my  1. Então, o valor de m é
11
a)
2
13
b)
2
15
c)
2
17
d)
2
19
e)
2

9. (Imed 2016) O dobro da área do triângulo equilátero inscrito em uma circunferência de equação
2 2
x  y  6x  2y  6  0, representada no sistema de coordenadas cartesianas, é igual a:
a) 6 3.
b) 12 3.
c) 18 3.
d) 24 3.
e) 30 3.

10. (Pucrs 2016) A circunferência que está centrada na origem do plano cartesiano e que tangencia a reta de equação
y  2  x possui equação
1
a) x 2  y2 
4
1
b) x 2  y2 
2
c) x2  y2  1
d) x2  y2  2
e) x2  y 2  4
x 5
11. (Pucrj 2015) Sejam r e s as retas de equações y  x  2 e y  
 , respectivamente, representadas no gráfico
2 2
abaixo. Seja A o ponto de interseção das retas r e s. Sejam B e C os pontos de interseção de r e s com o eixo
horizontal, respectivamente.

A área do triângulo ABC vale:


a) 1,0
b) 1,5
c) 3,0
d) 4,5
e) 6,0

12. (Unesp 2013) Os pontos A e C são intersecções de duas cônicas dadas pelas equações x2  y2  7 e y  x 2 – 1,
2 3
como mostra a figura fora de escala. Sabendo que tg 49  e tomando o ponto B  0,– 7  , determine a medida
3
ˆ
aproximada do ângulo ABC, em graus.
Gabarito:

Resposta da questão 1:
[D]

Calculando:
40 4
r:y x  y  3 x
30
4  7  3c
λ  C  7, a   dCr   2  a  6
42  ( 3)2

R  dAC  (3  7)2  (4  6)2  20  2 5

Resposta da questão 2:
a) Os pontos de intersecção entre a parábola de equação y  x2  x  1 e a reta de equação y  x  1 são obtidos à
partir do sistema abaixo:
y  x  x  1 i
 2

 y  x  1 ii 

Das equações (i) e (ii),


x2  x  1  x  1
x2  x  x  0
x2  2x  0
x  x  2  0
x  0 ou x  2

Substituindo x  0 na equação (ii),


y 1

Substituindo x  2 na equação (ii),


y3

Assim, os pontos de intersecção entre a parábola de equação e a reta de equação y  x  1 são  0, 1 e  2, 3  .

b) Para que a parábola de equação y  x2  x  1 intercepte a reta de equação y  x  b num único ponto, basta que a
equação x 2  x  1  x  b admita duas soluções idênticas.
Daí,
x2  x  x  1  b  0
x 2  2x  1  b  0
Δ   2   4  1 1  b 
2

Δ  4  4  4b
Δ  4b

A equação x 2  x  1  x  b admite duas soluções idênticas quando Δ  0, ou seja, b  0.

c) As retas que passam pelo ponto 1, 0 são da dadas por:


y  0  m  x  1
y  mx  m

Assim, queremos que a equação x2  x  1  mx  m tenha duas soluções idênticas.


Logo,
x 2  x  mx  1  m  0
x 2  x 1  m   1  m  0

Δ    1  m    4  1 1  m 
2

Δ  1  m    3  m 
Δ  0,
1  m  0  m  1 ou 3  m  0  m  3

Dessa forma, as retas que passam pelo ponto 1, 0 e que interceptam a parábola de equação y  x2  x  1 em um
único ponto são as retas de equação y  x2  x  1 e y  3x  3.

Resposta da questão 3:
[A]

Calculando:
 x 2  x 2  12x  16  2x 2  12x  16  0  x 2  6x  8  0
  ( 6)2  4  1 8  36  32    4
x4
6 4
x  ou
2 1
x2
quando x  2  y   x 2  y  4
quando x  4  y   x 2  y  16
4  16
y  y0  m  x  x0   m   m  6
24
y  ( 16)  6  (x  4)  y  6x  8

Resposta da questão 4:
a) Calculando:
O  0,0   x 2  y 2  22
se x  1:
12  y 2  4  y  3
    
A 1, 3 ; B 1,  3 ; C 1, 3 ; D 1,  3   
b) Calculando:
60 2π
SetorAOD  SetorCOB  π  22  
360 3
1 2 3
Triângulo AOB  TriânguloDOC   3
2
2π 4π
Áreatotal  2  2 3  2 3
3 3

Resposta da questão 5:
a) A reta r tem coeficiente angular igual a:
7
αr  2
3,5

Logo, a equação da reta r é igual a y  2x.


A reta s tem coeficiente angular igual a:
7  3,5 7
αs  
8  3,5 9

Logo, a equação da reta r é igual a:


7
y  7   (x  8)  7x  9y  7  0
9
O ponto de intersecção destas retas será igual a resolução do sistema formado pelas duas equações de reta.
Reorganizando as equações, pode-se escrever:
2x  y  0 14x  7y  0 14
     11y  14  y 
7x  9y  7 14x  18y  14 11
14 7
y  2x   2x  x 
11 11

 7 14 
O ponto de intersecção será  , .
 11 11 

b) Sabendo que a reta t é paralela à reta s e passa pela origem, pode-se deduzir sua equação:
7
y x
9

7
O ponto S pertence à reta t e tem y  3,5. Sua coordenada x será 3,5  x  x  4,5.
9

Assim, o segmento RS mede 4,5  3,5  1.

7 56
O ponto P pertence à reta t e tem x  8. Sua coordenada y será y  8  x  .
9 9

56 7
Assim, o segmento PQ mede 7   .
9 9

Logo, como RS  PQ o trapézio PQRS não é isósceles.

Resposta da questão 6:
 6  12 13  5 
a) Temos M   ,  (9, 9). Logo, como r também passa por P  (1, 1), é imediato que sua equação é
 2 2 
y  x.

b) A medida da diagonal AC é dada por


d(A, C)  (12  6)2  (5  13)2  10 u.c.

Sabendo que a medida da diagonal de um quadrado é igual ao produto da medida do seu lado, , por 2, vem
2  10   5 2 u.c.

c) Se é a medida do lado do quadrado, então sua área vale 2 . Aumentando os lados em 50%, a área do novo
2,25 2  2
quadrado será (1,5 )2  2,25 2 , ou seja,  100%  125% maior do que a área do quadrado original.
2

Resposta da questão 7:
[D]

Determinando inicialmente a equação da reta que passa pelos pontos A e B.


x y 1
20 20 1  0  3x  4y  20  0
20 10 1

Calculando a distância do ponto P(0, 30) à reta que passa pelos pontos A e B.
3  0  4  30  20 100
d   20m
2
3 4 2 5

Como a escala é 1: 200 a distância real pedida é de 20  200  4000m  4km.


Resposta da questão 8:
[C]

Retas paralelas possuem o mesmo coeficiente angular, portanto:


2x 7 2
(r) 2x  5y  7  y     mr  
5 5 5
3 1 3
(s) 3x  my  1  y    x   ms  
m 3 m

Logo,
2 3 15
    2m  15  m 
5 m 2

Resposta da questão 9:
[D]

Equação geral da circunferência


x 2  y 2  6x  2y  6  0
 D (6)
a    3
 C  3,1
2 2
Centro : 
b  E ( 2)
 1
 2 2
Raio : R  a2  b2  F  R  ( 3)2  (1)2  ( 6)  R  4

Portanto:
2 2 L 3 L 3
R  hΔ  R   4 L  4 3
3 3 2 3

A área do triângulo é:

 
2
L2 3 4 3 3
AΔ   AΔ   A Δ  12 3
4 4

O dobro da área do triangulo é 2AΔ  2  (12 3)  24 3.

Resposta da questão 10:


[D]

Equação geral da reta dada: x  y  2  0.

O raio será a distância do centro (0, 0) até a reta dada:


002 2
r   2
2 2 2
1 1

Logo, a equação da circunferência será dada por:


(x  0)2  (y  0)2  ( 2)2  x2  y2  2

Resposta da questão 11:


de[B]

Determinando o ponto B, utilizando a equação da reta r.


x  2  0  x  2  B(2, 0)

Determinando o ponto C, utilizando a equação da reta s.


x 5
   0  x  5  C(5,0)
2 2

Determinando o ponto A resolvendo um sistema com as equações de r e s.


 y  x2

 x 5  A(3, 1)
 y   2  2

Daí, temos a seguinte figura:

Portanto, a área do triângulo será dada por:


3 1
A  1,5
2

Resposta da questão 12:


Determinando os pontos A e C através da resolução de um sistema com as equações da parábola e da circunferência.

 x 2  y 2  7
 ,
 y  x 2  1
A( 3,2) e C( 3,2) (figura abaixo)

Considerando, agora, o triângulo CDO:

2 2 3
tgα   ˆ  41  AOC
 α  49  COD ˆ  82
3 3

ˆ
ˆ  AOC  82  41 (ângulo inscrito)
ABC
2 2