Você está na página 1de 4

Resumo: Aula 1 e 2 (BIOÉTICA)

• Como era antes: a benemerência colocava o paciente em mera posição de


beneficiado. Importava quantidade de tempo, não interessando e sendo vedado
inquirir sobre sua qualidade.

• Bioética reflete sobre a moralidade da conduta humana nos campos da ciência


da vida e do meio ambiente. Pode ser qualquer tipo de vida. Dita os princípios básicos.

• Bioética = interdisciplinaridade entre biologia, medicina, filosofia (ética) e direito


(biodireito)

• A semente da bioética surgiu após um acontecimento nos EUA em que a


paciente se manteve com vida após 9 anos, vegetando mesmo com a desligada de
aparelhos. Fez surgir a bioética pois surge o questionamento o que é ter vida com
qualidade? O que importa é só o tempo de vida ou a qualidade também?

• O ponto de referencia de morte passou a ser cerebral e não através do


coração. Assim está na lei dos transplantes.

• A bioética se propõe a discutir os limites da vida, mantendo-a ou abreviando-


a a custo de não manter o sofrimento alheio.

• Princípios: não maleficência (não causar o mal, estudar e se aprofundar no


conhecimento, a fim de proporcionar o melhor à vida), benemerência (fazer o bem
sem assumir resultados) autonomia (cada um é dono da sua razão, podendo o
paciente ser responsável por esta, o medico tem que respeitar a decisão do paciente)
justiça (Legalidade da aplicabilidade da biomedicina ao direito ponto de grande
discursão.)

• Conceito de saúde segundo a OMS: “Saúde é o completo estado de bem


estar físico, psíquico, moral e social”. Definição de felicidade do indivíduo e do coletivo,
esteio básico da bioética.
Aula 3 (BIODIREITO)

• BIODIREITO: proteção da vida e dignidade humana em face da revolução


biotecnológica.

• Desenvolvimento da biotecnologia, e da medicina fez nascer o biodireito.


Proteção a vida e adm. das relações sociais.

• Bioética + direito = biodireito. Ramo do direito publico objetivando a dignidade


da pessoa humana.

• Cinco matérias: d penal, civil, ambiental, constitucional, bioética (tudo a luz do


artigo 5 da CF IX – liberdade cientifica) “ IX - é livre a expressão da atividade intelectual,
artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença;” entretanto
respeitando a dignidade da pessoa humana .

• Portanto: objetivo é não impedir os avanços das ciências e ao mesmo tempo


impor limitações ao uso das descobertas cientificas.

• Leva em conta questões conflitantes, aborto, eutanásia, suicídio assistido,


inseminação artificial, transplante de órgãos, OGM e clonagem terapêutica e cientifica.

• Macro biodireito: relações ambientais sociais e patrimônio artificial e natural

• Micro biodireito: relações individualizadas.

• Proteção da dignidade da pessoa humana e dos seres com consciência.

• Protege o patrimonio genético e a vida do inicio até após o seu final.

• Surge a necessidade de regular devido o avanço cientifico.

• Fontes: leis ordinárias, cf, resoluções do CRM, normas deontológicas. Portarias


e etc.

• Tem relação intima entre a pós modernidade e o constitucionalismo.


Constituição garante direitos fundamentais previsto no biodireito. Principalmente Após
segunda guerra.

• Rearticulação do constitucionalismo contemporâneo devido aos avanços


tecnológicos.
• Dignidade da pessoa humana como macro principio de qualquer
constitucionalismo.

• O legislador const de 1988 prevê não somente os direitos individuais


e fundamentais subjetivos mas também a aplicação destes por parte dos
cidadãos e do estado, da justiça. O objetivo do estado é garantir o direito
fundamental dos cidadãos. Estado tem o dever de dar o direito a vida.

• Importante: art 225 cf: Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente
ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade
de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e
preservar para as presentes e futuras gerações. II - preservar a diversidade e a
integridade do patrimônio genético do País e fiscalizar as entidades dedicadas à
pesquisa e manipulação de material genético; V - controlar a produção, a
comercialização e o emprego de técnicas, métodos e substâncias que comportem
risco para a vida, a qualidade de vida e o meio ambiente;

• Assim surgiu a lei de biossegurança.

• Bioética e biodireito não podem reduzir a pessoa humana a condição


de “coisa” retirando a sua dignidade.

• O biodireito é o conjunto de normas esparsas, que busca defender


os direitos humanos frente aos avanços tecnológicos.
Aula 4 (DIGNIDADE HUMANA E O EDD)

• DIGNIDADE DO HOMEM: surge em tempos remotos, mas veio se


aprimorando conforme ao passar das eras.

• 4 gerações de direito: 1ª direito individual, 2ª direito social, 3ª direito de cidadania,


meio ambiente e democracia (fraternidade), 4ª direito as gerações futuras e ao
desenvolvimento sustentável.

• Após o horror da primeira e principalmente da segunda guerra mundial.

• Principal documento: ONU. Declaração universal dos direitos humanos,


positivação do direito em instancia internacional.

• Após DUDH, veio o pacto de san jose da costa rica, convenção americana de
DH. Normas internas de cada membro deveriam adotar para proteger os direitos do
cidadão. Assegurar um mínimo existencial.

• É recente na historia. Após isso os países foram positivando de forma mais


adequada em suas cartas constitucionais os direitos fundamentais.

• No Brasil de forma incisiva em 1934 e cláusula pétrea em 1988.

• Apenas na atualidade os direito a dignidade da pessoa humana foi positivada e


legalizada. É principio universal e cabe a todos os indivíduos. Não pode ser restringida
nem alienada. O ente publico e todo o cidadão deve respeitar os direitos da dignidade.
Hoje é qualidade inata de todo ser humano. Está conectada aos direitos fundamentais
pois evita que a degradação do próprio ser humano.

• Evoluiu, mas os caminhos ainda são árduos para se tornar efetivamente


aplicáveis.

• Dignidade humana é a base de toda a sociedade e é dever de todos preservá-


la

Você também pode gostar