Você está na página 1de 9

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE

RORAIMA – CAMPUS BOA VISTA.

HIGOR ARAÚJO DOS ANJOS

METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO – TIPOS DE


PESQUISA E FERRAMENTAS

BOA VISTA – RR
2010.2
HIGOR ARAÚJO DOS ANJOS

METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO – TIPOS DE


PESQUISA E FERRAMENTAS

Esta pesquisa é para avaliar as competências


desenvolvidas no componente curricular de
Metodologia do Trabalho Científico do curso
de Informática do IFRR, Turma 13511 sob a
orientação do professor William.

BOA VISTA – RR
2010.2
PESQUISA QUALITATIVA

“O termo qualitativo implica uma partilha densa com pessoas, fatos e locais
que constituem objetos de pesquisa, para extrair desse convívio os significados
visíveis e latentes que somente são perceptíveis a uma atenção sensível”
(CHIZZOTTI, 2006).
“Na pesquisa qualitativa questões e problemas para a pesquisa advêm de
observações no mundo real, dilemas e questões. Elas são formuladas como
hipóteses se-então [se variável independente, então variável dependente]
derivadas da teoria” (MARSCHALL; ROSSMAN, 1989).
PESQUISA QUANTITATIVA

A pesquisa quantitativa supõe uma população de objetos de observação


comparável entre si e enfatiza os indicadores numéricos e percentuais sobre
determinado fenômeno pesquisado.
A pesquisa quantitativa apresenta gráficos e tabelas, comparativas ou não,
sobre determinado objeto/fenômenos pesquisados e pode ser aplicada
juntamente com a pesquisa qualitativa.

VALENTIM, M. L. P. (Org.). Métodos qualitativos de pesquisa em Ciência


da Informação. São Paulo: Polis, 2005. 176p. (Coleção Palavra-Chave,
16)
Ela é especialmente projetada para gerar medidas precisas e confiáveis que
permitam uma análise estatística. Uma análise quantitativa apresenta os dados em
percentuais. As pesquisas quantitativas são bastante utilizadas durante as eleições,
onde a partir de uma amostragem da população é possível quantificar as
preferências do eleitorado.
(SITE ETHOS, 2002)
PESQUISA EXPLORATÓRIA

"Estudo exploratório. Um estudo preliminar, o principal objectivo que é o de


familiarizar-se com um fenómeno que está a investigar, de modo que o importante
estudo a seguir pode ser concebido com uma maior compreensão e precisão. O
estudo exploratório (que pode usar qualquer um variedade de técnicas, geralmente
com uma pequena amostra) permite ao investigador para definir o seu problema de
pesquisa e formular a sua hipótese com mais precisão. Ele também lhe permite
escolher as técnicas mais adequadas para suas pesquisas e decidir sobre as
questões que mais precisam de ênfase e investigação detalhada, e pode alertá-lo
para potenciais dificuldades, as sensibilidades e as áreas de resistência.”

THEODORSON, G. A. & THEODORSON, A. G. A


modern dictionary of sociology. London, Methuen, 1970.

Pesquisa Exploratória: visa proporcionar maior familiaridade com o


problema, com vistas a torná-lo explícito ou a construir hipóteses. Envolve
levantamento bibliográfico; entrevistas com pessoas que tiveram experiências
práticas com o problema pesquisado; análise de exemplos que estimulem a
compreensão. Assume, em geral, as formas de Pesquisas Bibliográficas e Estudos
de Caso.

GONÇALVES, Hortência de Abreu. Manual de Metodologia

da Pesquisa Científica. São Paulo: Avercamp, 2005.


PESQUISA BIBLIOGRÁFICA

Este tipo de pesquisa elege uma problemática de pesquisa e, a partir


disso, estabelece um escopo para ser pesquisado na literatura (livros, periódicos,
monografias, dissertações, teses, anais de eventos impressos, eletrônicos/digitais
etc.).

A pesquisa bibliográfica requer atenção, disciplina, sistematização e


aprofundamento por parte do pesquisador.

É necessário que o pesquisador estabeleça os limites da pesquisa,


definindo claramente o problema de pesquisa, os fenômenos e o contexto a ser
pesquisados.

É importante identificar as distintas concepções, os fundamentos, as


correntes teóricas, os autores mais importantes, bem como posicionar-se
claramente em relação a cada um deles.

MARCONI, M. de A.; LAKATOS, E. M. Metodologia


científica. 5.ed. São Paulo: Atlas, 2007. 312p.

Utiliza material já publicado, constituído basicamente de livros, artigos de


periódicos e atualmente com informações disponibilizadas na Internet. Quase todos
os estudos fazem uso do levantamento bibliográfico e algumas pesquisas são
desenvolvidas exclusivamente por fontes bibliográficas. Sua principal vantagem é
possibilitar ao investigador a cobertura de uma gama de acontecimentos muito mais
ampla do que aquela que poderia pesquisar diretamente.

(GIL, 1999).
QUESTIONÁRIO

Vantagens:

Não sofre influência nas suas respostas;

Permite o anonimato das respostas;

Baixo Custo;

As pessoas podem respondê-lo quanto lhe for conveniente;

Pode atingir várias pessoas em locais distantes.

Desvantagens:

Não tem a presença de um pesquisador;

Não é certo que todas as pessoas os respondam e devolvam;

Não é acessível para Analfabetos;

Poucas perguntas;

Nem sempre os resultados tem objetividade.


FORMULÁRIO

Vantagens:
Suas informações são mais organizadas facilitando o entendimento do
preenchedor;
Agilidade;
É mais objetivo nas suas perguntas;
Pode haver a presença de um auxiliador;
Facilidade de controle;
As informações são previamentes repassadas para o usuário.

Desvantagens:
Não é acessível para Analfabetos;
Não é rigorosamente fiscalizado;
Pode haver omissão de informações;
Possui informações, às vezes, desnecessárias;
Pode ser muito extenso.
ENTREVISTA

Vantagens:
É acessível para Analfabetos;
Existe Monitoramento;
O Pesquisador está para qualquer problema;
Não existe omissão de Informações;
Pode ser gravado por vídeo ou áudio;
O contato com o entrevistado é maior;
As informações são mais completas.

Desvantagens:
Ás vezes, é desconfortável para o entrevistado;
É mais difícil para organizar;
Maior custo;
Menor agilidade.