Você está na página 1de 74

MATERIAIS METÁLICOS

PARTE 1 – METAIS EM GERAL


CONTEÚDO

 Obtenção dos metais


 Alumínio
 Constituição dos metais
 Chumbo e estanho
 Ligas metálicas
 Cobre e zinco
 Propriedades e ensaios
OBTENÇÃO DOS METAIS
OBTENÇÃO DOS METAIS

Conceito de Metal
 O conceito comum de metal se baseia nos seguintes atributos característicos:

Brilho típico
 Difere da conceituação química do
Opacidade
metal, onde o mesmo é definido como
Condutividade elétrica substância simples que sempre se
Condutividade térmica ionizam positivamente.

Dureza

Forjabilidade, etc
OBTENÇÃO DOS METAIS

Metais na Minério
natureza

Compostos
Compostos de
Estado livre (mais Metal Impurezas
metal
comum)
OBTENÇÃO DOS METAIS

Minério

 Os minérios devem estar concentrados em jazidas para serem explorados economicamente,.

 Jazida é uma massa de substâncias minerais ou


fósseis, existentes na superfície ou no interior da
terra, que venham a ser valiosas para a mineração.

 Mina é a jazida na extensão concedida pelo


governo.
OBTENÇÃO DOS METAIS

 A partir do minério, a obtenção de um metal passa por duas fases distintas:

Extração do minério em Tem por finalidade obter


duas etapas: o metal puro, a partir do
• colheita composto portador.
• concentração

Mineração Metalurgia
OBTENÇÃO DOS METAIS

Mineração

Colheita

Céu aberto Subterrânea


OBTENÇÃO DOS METAIS

Mineração

 A concentração tem por finalidade separar os minérios utilizáveis dos economicamente pobres e
eliminar a ganga (impurezas) que não faz parte da constituição do mesmo.

 É uma purificação do minério que pode ser feita por processos mecânicos ou químicos.
OBTENÇÃO DOS METAIS

Mineração
Processos mecânicos

• Fragmentação ou trituração
Processos químicos • Classificação
• Levigação
• Ustulação
• Flotação
• Calcinação
• Separação magnética
• Lavagem simples, etc
OBTENÇÃO DOS METAIS

Fragmentação ou trituração Classificação

O minério é quebrado em pedaços


São separadas as pedras inúteis
menores
OBTENÇÃO DOS METAIS

Levigação

O minério é posto em água corrente; como o metal é


normalmente mais pesado que a ganga, ele afunda; as
impurezas são recolhidas na superfície.
OBTENÇÃO DOS METAIS

Flotação

Quando a ganga é mais pesada do que o minério,


são misturados com água e óleo e depois
recebem uma insuflação de ar; forma-se uma
espuma rica em minério que é colhida na
superfície, enquanto a ganga se deposita na
fundo.
OBTENÇÃO DOS METAIS

Separação magnética

O imã, ao passar sobre os pedaços,


atrai o metal e deixa as impurezas
OBTENÇÃO DOS METAIS

Ustulação Calcinação

Aquecimento sob fogo


Aquecimento do minério
direto
sob forte jato de ar
OBTENÇÃO DOS METAIS

Metalurgia

 O metal puro é extraído do minério por um dos seguintes processos:

Redução

Precipitação química

Eletrólise
OBTENÇÃO DOS METAIS

Redução Precipitação química Eletrólise

• O processo mais comum é • Usa alguma reação simples • Só pode ser empregada em
feito com carbono ou • Resulta em metal puro minérios que possam ser
óxido de carbono a altas dissolvidos em água
temperaturas • Pode ser usada para
• Resulta o metal puro ou purificação de metais
quase puro em estado de obtidos por outros
fusão processos
OBTENÇÃO DOS METAIS

Principais minérios e metais

Alumínio

Chumbo

Cobre

Estanho

Zinco
OBTENÇÃO DOS METAIS

Principais minérios

 O alumínio é um dos elementos mais abundantes na crosta terrestre,


mas geralmente o é em forma tal que sua extração não é
economicamente recomendável;

 É o caso, por exemplo, das argilas, de que o alumínio é parte integrante,


mas em proporção tal que não compensa a extração;

 O minério normalmente explorado é a bauxita, óxido, que se apresenta


em duas formas. O metal puro é extraído deles por eletrólise.
OBTENÇÃO DOS METAIS

Metal Minério

Alumínio Bauxita

Chumbo Galena

Cobre Calcosina, Cuprita, Malaquita, etc

Estanho Cassiterita

Zinco Calamita, Smithsonita, etc


CONSTITUIÇÃO DOS METAIS
CONSTITUIÇÃO DOS METAIS

Cristalização

 Todos os metais têm estrutura cristalina no estado sólido.

 A estrutura cristalina é caracterizada quando existe uma organização na disposição espacial dos átomos que
constituem determinado arranjo atômico.
CONSTITUIÇÃO DOS METAIS

Exame Cristalográfico

 É possível determinar a estrutura cristalina de um


metal com a análise de seu espectro aos raios X;

 Os metais comuns têm estrutura em rede cúbica de


faces centradas. É uma rede composta por 14 átomos;

 Para metais alcalinos e alcalinos-terrosos, e para ferro


em temperatura de forja, a disposição é a de cubro
centrado com 9 átomos;
CONSTITUIÇÃO DOS METAIS

Formação dos grãos

 Os átomos se reúnem formando cristais que são


as moléculas dos metais;

 Os cristais agrupam-se formando os grãos ou


dentrites;

 A separação entre os grãos é chamada de película


intercristalina e tem bastante importância na
resistência do metal;
LIGAS METÁLICAS
LIGAS METÁLICAS

 Geralmente os metais não são empregados puros, mas fazendo parte de ligas.

• Mistura de um ou mais metais entre si ou


com outros elementos. Misturas mecânicas
• Possui aspecto metálico e homogêneo.
• Tem propriedades mecânicas e tecnológicas Soluções sólidas
melhores que os metais puros.
Compostos químicos
Liga
LIGAS METÁLICAS

Mistura Mecânica Solução Sólida Composto Químico

• Os cristais dos metais • Quando há interligação dos • Os dois metais formam um


componentes estão cristais durante a composto químico diverso;
simplesmente misturados; solidificação; • Exemplo: liga de cobre e
• Exemplo: liga estanho- • Exemplo: aço, em que o zinco
chumbo usada em solda carbono faz parte do grão
de ferro
LIGAS METÁLICAS

Obtenção das
ligas

Metalurgia
Fusão Pressão Eletrólise Aglutinação
Associada
LIGAS METÁLICAS

Fusão

• Processo mais simples para obtenção da liga


• Consiste em misturar os componentes fundidos na proporção desejada
• Pode ser a mistura de um metal infusível, pulverizado, com outro metal no
estado de fusão.
LIGAS METÁLICAS

Pressão Aglutinação Metalurgia associada

Dois metais são pulverizados, Semelhante à pressão, mas Se purifica o minério já


misturados e martelados, até a ligação é assegurada por composto dos metais de
formarem um único corpo. um cimento qualquer. que se quer fazer a liga, ou
a mistura de seus minérios.
PROPRIEDADES E ENSAIOS
PROPRIEDADES E ENSAIOS

 Para a construção, as propriedades que interessam são as seguintes:

Aparência

Densidade

Resistência à tração e à compressão

Dureza

Dilatação e condutividade térmica

Condutividade elétrica

Resistência ao choque, à fadiga e à oxidação


PROPRIEDADES E ENSAIOS

• Todos os metais comuns são sólidos • Varia entre 2,56 e 11,45 à


à temperatura normal. temperatura normal.
• A porosidade não é aparente. • Varia muito com as ligas.
• Apresentam brilho característico • Calcula-se dividindo o peso de um
que poder aumentado por polimento bloco de material pelo seu volume.
ou tratamento químico.

Aparência Densidade
PROPRIEDADES E ENSAIOS

• O coeficiente de dilatação térmica situa-se entre 0,10 e 0,030 mm/m/°C


• Ordem crescente:

Coeficiente
de dilatação Aço Ferro Cobre Estanho Chumbo Zinco
térmica
PROPRIEDADES E ENSAIOS
PROPRIEDADES E ENSAIOS

Condutividade elétrica

• Os metais são bons condutores de eletricidade


• O cobre é tradicionalmente usado na transmissão de energia elétrica
• Recentemente vem sendo substituído pelo alumínio por questões econômicas
PROPRIEDADES E ENSAIOS

Resistência à Uma das propriedades mais importantes na construção;


tração
PROPRIEDADES E ENSAIOS

Resistência ao choque

• É a resistência que o metal opõe à ruptura sob a ação


de uma carga considerada instantânea;
• O ensaio é feito pelo aparelho chamado de pêndulo de
Charpy;
PROPRIEDADES E ENSAIOS

Dureza

• A ABNT adota a dureza Brinell;


• O aparelho Brinell consta de uma prensa com uma esfera de aço
temperado de diâmetro D que se faz perfurar o metal em ensaio
com carga estabelecida F;
• Sob efeito da força, a esfera imprime uma marca de diâmetro d;

2𝐹
𝐻𝐵 =
𝐷 𝐷 − 𝐷2 − 𝑑2
PROPRIEDADES E ENSAIOS

Fadiga

• A ruptura por fadiga é a que ocorre quando o metal é solicitado repetidas vezes
por cargas menores ou em sentidos variados.
• A causa da ruptura é a desagregação progressiva da coesão entre os cristais, que
vai diminuindo a seção resistente, até chegar ao limite.
PROPRIEDADES E ENSAIOS

Transformação não intencional de um


metal, a partir de suas superfícies
expostas, em compostos não
aderentes, solúveis ou dispersáveis no
ambiente em que o metal se
encontra.

Corrosão
ALUMÍNIO
ALUMÍNIO

Propriedades Material muito leve


do alumínio
Massa específica: 2,56 a 2,67 kg/dm3

Resistência à tração: 8 a 14 kg/mm2

Resistência à tração quando temperado: 50 kg/mm2

Módulo de elasticidade: 68 GPa

Dureza Brinell 20

Excelente condutividade térmica e elétrica


ALUMÍNIO

Propriedades do A têmpera, durante a fabricação, é primordial para a qualidade das peças


alumínio

Difícil soldagem

Forma ligas importantes com outros metais

Duralumínio: liga de alumínio, cobre e magnésio, de grande resistência


mecânica e leveza

Entre os metais, só perde importância para o ferro


ALUMÍNIO

 O alumínio dá forma às esquadrias, janelas, portas,


coberturas e fachadas; não sendo utilizado como
elemento estrutural em função de seu custo elevado e
de sua baixa capacidade de sustentação.
ALUMÍNIO

 A principal vantagem do alumínio está no fato de ele não enferrujar, e, portanto, estar livre de
problemas com a umidade e maresia. Por isso, esse material é muito usado em esquadrias, portas
portões e grades, dispensando tratamentos especiais, mesmo no litoral.
ALUMÍNIO

 Diferentemente dos metais ferrosos, que degradam com o oxigênio do ar presente no meio ambiente,
o alumínio é um dos metais que mais reagem com o oxigênio, ocorrendo na sua superfície uma
oxidação natural que forma uma película no próprio metal, o óxido de alumínio.

 Essa camada isola o metal do contato com o oxigênio, tornando-o extremamente resistente à corrosão.
O óxido de alumínio é uma substância resistente à ação da água e impermeável ao oxigênio,
protegendo o metal. Quando a camada é retirada por qualquer procedimento, ela se forma novamente.
ALUMÍNIO

Alumínio na construção

Laminado Extrudado
ALUMÍNIO

Laminado

Lâminas (espessura Chapas (espessura


menor que 6 mm) maior que 6 mm)
ALUMÍNIO

Extrudado

Semi-
Sólidos Tubulares
tubulares

Totalmente Totalmente Caso Também podem ser fabricados em forma


abertos fechados intermediário
de fios, barras redondas, quadradas ou
chatas.
ALUMÍNIO

Ligas

 Quanto mais puro o alumínio, maior a Alumínio


resistência à corrosão e menor a resistência
mecânica. Mais resistência à
corrosão;
Pequena resistência
mecânica;
Magnésio
ou
Magnésio
e Silício
ALUMÍNIO

Alumínio

Mais resistência
mecânica;

Resistência inicial à
corrosão;
Magnésio
e Cobre
ALUMÍNIO

Alumínio

Elevada resistência
mecânica;

Ótima resistência à
corrosão;
Magnésio
e Zinco
ALUMÍNIO

 Normalmente, o acabamento das superfícies não tem função protetora, porque para isso basta a
camada natural de óxido. O acabamento é mais embelezador que protetor.

Acabamento São processos para alterar a textura ou polimento liso iniciais, tais como
mecânico os acabamentos martelado, mate, raiado ou acetinado.

Limpeza
Trata-se de lavagem simples ou química, com a finalidade de tirar
manchas do metal.
ALUMÍNIO

Tratamento Imersão em soluções de carbonato de sódio ou cromato de


químico potássio para aumentar a camada de óxido.

Polimento Tem a finalidade de aumentar a reflexão e brilho.


químico

Anodização Dá maior proteção, aumenta o brilho, a reflexão e a resistência


aos ataques químicos.
ALUMÍNIO

Peça natural (1) e anodizado e Polimento mecânico com


Escovamente e anodização
jateamento no tom fosco (2) anodização brilhante em tons
diferentes
ALUMÍNIO

Anodização colorida e
eletrostática Polimento eletrolítico (1) e
Lixamento e anodização
mecânico e químico (2 e 3)
brilhante
CHUMBO E ESTANHO
CHUMBO E ESTANHO

Chumbo

• Metal de cor cinza azulado


• Muito maleável e macio
• Pouco dúctil
• Dificilmente vendido puro; encontra-se sempre com alguma liga
CHUMBO E ESTANHO

Propriedades Temperatura de fusão: 327°C


do Chumbo Massa específica: 11,20 a 11,45 kg/dm3
Resistência à tração: 3,5 kg/mm2
Resistência à compressão: 5 kg/mm2
Módulo de elasticidade: 20 GPa
Condutividade térmica relativamente baixa
Alta resistência elétrica
Dureza Brinell 4,6
CHUMBO E ESTANHO

Aplicações do Tubos e artefatos para canalizações (Uso limitado para canalização de água
Chumbo corrente devido ao hidrocarbonato tóxico)

Chapas finas e soldadas para impermeabilização de coberturas

Absorvente de choques e vibrações no apoio de máquinas

Isolamentos radiológicos
CHUMBO E ESTANHO

Estanho

• Raramente usado puro na indústria da construção


• Bastante empregado para formar ligas ou para proteção
superficial de outros metais devido à sua estabilidade
CHUMBO E ESTANHO

Propriedades Temperatura de fusão: 232°C


do Estanho Massa específica: 7,29 a 7,5 kg/dm3
Resistência à tração: 3 a 4 kg/mm2
Resistência à compressão: 11 kg/mm2
Módulo de elasticidade: 40 GPa
Não se oxida facilmente
Muito maleável
Dureza Brinell 5 a 10
COBRE E ZINCO
COBRE E ZINCO

Cobre
• Metal de cor avermelhada
• Dúctil e maleável
• Duro e tenaz
• Poder ser reduzido a lâminas e fios extremamente
finos
COBRE E ZINCO

Propriedades
do Cobre Temperatura de fusão: 1050 a 1200 °C

Densidade: 8,6 a 8,96

Resistência à tração: 20 a 60 kg/mm2

Resistência à compressão: 40 a 50 kg/mm2

Módulo de elasticidade: 98 a 127 GPa

Grande condutividade térmica e elétrica

Dureza Brinell 35
COBRE E ZINCO

Aplicações do Muito usado como condutor em instalações elétricas


Cobre

Recomendado sempre para instalações de gás liquefeito pois resistem melhor


quimicamente e são mais fáceis de soldar que as de ferro galvanizado

Bastante empregado em redes de esgoto e pluviais pois as caixas e ralos de cobre


são muito mais resistentes que as de chumbo
COBRE E ZINCO

Aplicações As calhas de cobre são bastante superiores às de


do Cobre zinco ou galvanizado

Em coberturas pode ser usado para


impermeabilização de terraços ou na forma de
telhas
Também usado em paredes divisórias, como
elemento vedante, altamente decorativo, e na
manufatura de ornatos diversos
COBRE E ZINCO

 Na transmissão de energia são usados fios (1) e cabos (2) de alumínio ou de cobre;
 Na instalação domiciliar é quase só utilizado o cobre, por ser mais flexível.

O cobre eletrolítico usado nos condutores não é


absolutamente puro. São adicionadas substâncias para
diminuir a formação de óxido de cobre, o qual,
diminuindo a seção, reduziria a condutividade.
COBRE E ZINCO

Zinco
• Metal cinza azulado
• Em pouco tempo de exposição ao ar cobre-se de uma camada de óxido que o protege
• Mais pesado que o ferro e quatro vezes mais tenaz
• Baixa resistência elétrica
• Muito atacável pelos ácidos
• Condutividade térmica razoável
• Grande coeficiente de dilatação térmica
COBRE E ZINCO

Aplicações do zinco

Usado na forma de chapas lisas ou


onduladas

Coberturas e revestimentos

Calhas e tubos condutores de fluidos


COBRE E ZINCO

Cobre Zinco Latão

De 95% Cobre + 5% Zinco Mais comum:


a 60% Cobre + 40% Zinco 67 % Cobre + 33% Zinco
COBRE E ZINCO

Latão
• Muito dúctil e maleável a quente
• Dificilmente se oxida
• Muito resistente
• A frio tem grande dureza e resistência ao desgaste
• Empregado em ferragens: torneiras, tubos, fechaduras
FIM DA AULA

Você também pode gostar