Você está na página 1de 3

Universidade Estadual da Paraı́ba

Centro de Ciências e Tecnologia


Departamento de Matemática
Professor: Weiller Felipe Chaves Barboza
Disciplina: Cálculo Diferencial e Integral III
1a¯ Lista de exercı́cios

1. Para cada funções abaixo, Determine:

a) f (x, y) = x − y b) f (x, y) = 4x2 + 9y 2 c) f (x, y) = xy


√ y
d) f (x, y) = y − x e) f (x, y) = x2 + y 2 f) f (x, y) =
x2

◦ Encontre o domı́nio e imagem da função;

◦ Descreva as curvas de nı́vel da função;

◦ Encontre a fronteira do domı́nio da função;

◦ Determine se o domı́nio e uma região aberta, fechada ou nenhuma das duas;

◦ Decida se o domı́nio é limitado ou não limitado.

2. Dadas as funções abaixo, encontre que superfı́cie cada função representa. Dica:(Analisar
suas cuvas de nı́veis).

a) f (x, y) = y 2 b) f (x, y) = 4 − y 2 c) f (u, v) = u2 + v 2

d) f (x, y) = −(x2 + y 2 ) e) f (x, y) = 4 − (x2 + y 2 )

3. Encontre uma equação para a curva de nı́vel da função f (x, y), que passa pelo ponto
dado.
√ √
a) f (x, y) = 16 − x2 − y 2 , que passa pelo ponto (2 2, 2)

b) f (x, y) = 1 − x − y que passa pelo ponto (1, 0)

4. Calcule os limites das funções abaixo, onde P indica o ponto (x, y, z) ou (x, y).
2
ex+z 3x2 − y 2 + 5

1 1
a) lim √ b) lim c) lim +
P →(1,0,−1) z 2 + cos xy (x,y)→(0,0) x2 + y 2 + 2 (x,y)→(2,−4) x y

x2 + y 3 x2 − 2xy + y 2 xy − y − 2x + 2
d) lim cos e) lim f) lim
P →(0,0) x2 + y 2 + 1 (x,y)→(1,1) x−y (x,y)→(1,1) x−1
 
1 1 1 2xy + yz
g) lim + + h) lim i) lim (sen 2 x+cos2 y+sec2 z)
P →(1,3,4) x y z P →(1,−1,−1) x2 + z 2 P →(3,3,0)

p cos y + 1 y+4
j) lim cos 3
|xy|−1 k) limπ l) lim √ 2 2
(x,y)→(1,1) (x,y)→( 2 ,0) y − sen x P →(2,−4, 2) x y − xy + 4x − 4x

5. Considerando caminhos diferentes que se aproxima da origem e usando o teste dos cam-
inhos, prove que os limites abaixo não existe quando (x, y) → (0, 0).

x x4 x4 − y 2
a) f (x, y) = − p b) f (x, y) = c) f (x, y) =
x + y2
2 x4 + y 2 x4 + y 2

xy x−y x+y x2 + y
d) f (x, y) = e) g(x, y) = f) g) h(x, y) =
|xy| x+y x−y y

6. Verifique a continuidade das funções abaixo.

( 2xy ( x2 + y 2
, (x, y) 6= (0, 0) , (x, y) 6= (0, 0)
a) f (x, y) = x + y2
2
b) f (x, y) = xy + y 2
0, (x, y) = (0, 0) 0, (x, y) = (0, 0)
( x3 + y 3 ( 1
, (x, y) 6= (0, 0) yx.sen , (x, y) 6= (0, 0)
c) f (x, y) = x2 + y 2 d) f (x, y) = x
0, (x, y) = (0, 0) 0, (x, y) = (0, 0)

∂f ∂f
7. Calcule as derivadas parciais de primeira ordem e em cada ponto dado para f :
∂x ∂y
a) f (x, y) = x3 + 3x2 y + y − 1 no ponto (3, 4).

b) f (x, y) = (x2 − 1)(y + 2) no ponto (1, 2)).

c) f (x, y) = (xy − 1)2 no ponto (2, 3).


y
d) f (x, y) = (x3 + ( ))2/3 no ponto (1, 1).
2
e) f (x, y) = e−x sen (x + y) no ponto (2, 2).

f) f (x, y) = exy ln y no ponto (−1, 1).

8. Calcule fx , fy e fz nas funções abaixo:

a) f (x, y, z) = 1 + xy 2 − 2z 2 b) f (x, y, z) = xy + yz + xz
p
c) f (x, y, z) = x − y 2 + z 2 d) f (x, y, z) = (x2 + y 2 + z 2 )−1/2

∂ 2f ∂ 2f
9. Calcule as derivadas parciais de segunda ordem e e das funções abaixo:
∂x2 ∂y 2
a) f (x, y) = x + y + xy b) f (x, y) = sen xy c) f (x, y) = x2 y + cos y + ysen x
y
d) f (x, y) = xey + y + 1 e) f (x, y) = ln(x + y) f) f (x, y) = tg −1 ( )
x
   
∂ ∂w ∂ ∂w
10. Verifique que = em cada função abaixo:
∂x ∂y ∂y ∂x

a) w = ln(2x + 3y) b) w = ex + x ln y + y ln x c) w = xy 2 + x2 y 3 + x3 y 4

11. Mostre que cada função abaixo, satisfaz uma equação de Laplace.
p
a) f (x, y, z) = x2 +y 2 −2z 2 b) f (x, y) = ln x2 + y 2 c) f (x, y, z) = e3x+4y cos(5z)

Sabendo que a equação de Laplace satisfaz a propriedade de que

∂ 2f ∂ 2f ∂ 2f ∂ 2f ∂ 2f
+ + =0 ou + =0
∂x2 ∂y 2 ∂z 2 ∂x2 ∂y 2

respectivamente para f (x, y, z) e f (x, y).


dw
12. Expresse como uma função de t, usando a regra da cadeia, expressando w em termos
dt
dw
de t e diferenciando diretamente em relação a t, depois calcule no valor dado de t.
dt
a) w = x2 + y 2 , x = cos t, y = sen t, t = π

b) w = ln(x2 + y 2 + z 2 ), x = cos t, y = sen t, z = 4 t, t = 3

c) w = z − sen xy, x = t, y = ln t, z = et−1 , t = 1


∂w ∂w
13. Expresse e como funções de r e s usando a regra da cadeia e também expressando
∂r ∂s
∂w ∂w
w diretamente em termos de r e s antes de diferenciar. Depois calcule e no ponto
∂r ∂s
(r, s).
 π
a) w = 4ex ln y, x = ln(r cos s), y = rsen s; (r, s) = 2,
4
b) w = tg −1 (x/y), x = r cos s, y = rsen s; (r, s) = (1, 3)
 
1
c) w = xy + yz + xz, x = r + s, y = r − s, z = rs; (r, s) = ,1
2
14. Considerando as equações abaixo que definem y como uma função diferenciável de x, use
dy
o Teorema de derivação implı́cita para encontrar o valor de no ponto dado.
dx
a) x3 − 2y 2 + xy = 0, (1, 1)

b) xy + y 2 − 3x − 3 = 0, (−1, 1)

c) x2 + xy + y 2 − 7 = 0, (1, 2)

d) xey + sen xy + y − ln 2 = 0, (0, ln 2)

Você também pode gostar