Você está na página 1de 2

Esperança para as famílias

Atos 16.26-34

Introdução
Os sentimentos mais intensos que experimentamos são experimentados em família. O lar costuma ser o
palco das emoções mais fortes – tanto boas quanto ruins.

Quais são os seus sentimentos com relação à sua família? Seguem alguns exemplos:

Medo: “Os meus pais não se entendem. Se eles se separarem, como vai ficar a minha vida?”.
Inadequação: “Não consigo me sentir fazendo parte dessa família. Parece que sou um peixe fora da água”.
Tristeza: “A nossa relação só faz piorar. Não era isso o que eu esperava de um casamento”.
Frustração: “Sinto que sou um fracasso como marido e como pai, mas não sei o que fazer…”.
Preocupação: “Já é tarde! Onde – e com quem – será que ele está? E o que será que ele está fazendo?”.
Angústia: “São tantas contas para pagar! Como será que eu vou conseguir resolver essa situação?”.
Ansiedade: “E se o resultado do exame der positivo, meu Deus! O que será que vai acontecer?”.
Solidão: “Eu me sinto abandonada! Quando será que um deles vai aparecer por aqui para me ver?”.
Talvez você se identifique com algum desses sentimentos. Ou, talvez, possa acrescentar outros à lista:
decepção, culpa, mágoa, impotência, raiva, desamparo, etc.

A passagem bíblica de Atos 16.26-34 lança luz sobre a compreensão de nossa vida em família, ajudando-
nos a ver as coisas como realmente são, e a resgatar a nossa esperança!

1) TODAS AS FAMÍLIAS TÊM PROBLEMAS!


A vida do carcereiro de Filipos estava longe de ser perfeita. Sua profissão fazia com que vivesse em um
ambiente macabro. Por causa da sua profissão e consequentemente de seu cotidiano, seus familiares
sempre tiveram que conviver com criminosos. A responsabilidade era grande. Havia sempre o risco de uma
fuga, e, caso isso acontecesse, ele seria torturado e morto. E para piorar ainda mais as coisas, veio um
terremoto que abalou as estruturas do cárcere!

Sim, todas as famílias têm problemas. O único lugar no qual os moradores não experimentam problemas é
o cemitério! Entretanto, não gostaríamos de nos mudar para lá…

A vida está cheia de lutas, crises, preocupações, desafios e ameaças. Entretanto, é sempre melhor
enfrentá-los juntos, em família!

2) TODAS AS FAMÍLIAS SÃO IMPORTANTES!


Pois foi exatamente à casa do carcereiro que Deus enviou os seus mensageiros! Ele e os seus familiares
foram o segundo lar evangelizada da Europa. O Senhor poderia ter enviado os missionários a governantes
poderosos, comerciantes ricos ou fazendeiros abastados… mas enviou-os a uma família que vivia em um
calabouço e precisava de salvação!

Aquelas pessoas não eram invisíveis para o Senhor. Para Deus, ninguém é invisível. Deus sempre enxerga o
que se passa em nossa casa e em nosso coração. Não se diminua e nem fique comparando sua família com
a do outro que está perto de você. Cada família tem uma história. Todas são relevantes.

Lembre-se: o Senhor se importa com você. Ele enxerga e toma providências!


3) HÁ ESPERANÇA PARA AS FAMÍLIAS
Quando aconteceu o terremoto, por volta da meia-noite, o carcereiro pensou que os presos houvessem
fugido. Uma vez que haveria de pagar com sua própria vida, ele estava prestes a cometer suicídio. Não via
saída! Estava desesperado! Mas Paulo lhe disse: “Não te faças nenhum mal, pois todos estamos aqui”.

Em uma hora de desespero, as pessoas podem fazer coisas muito ruins contra os outros ou contra si
mesmas. O ser humano pode viver quatro semanas sem comida, quatro dias sem água e quatro minutos
sem ar. Mas ele não pode viver um único segundo sem esperança!

O diabo é o pai da mentira. Ele tenta nos convencer de que não há esperança – para a nossa casa, para o
nosso casamento, para os nossos filhos, para a nossa vida. Não deixemos que ele nos engane!

4) JESUS É A ESPERANÇA PARA AS FAMÍLIAS


O carcereiro perguntou aos apóstolos o que ele precisava fazer para ser salvo. “Crê no Senhor Jesus e serás
salvo, tu e a tua casa”, foi a resposta. Naquela mesma noite ele e seus familiares entregaram o coração a
Cristo. E o texto se encerra dizendo que “alegraram-se muito por haver crido em Deus”.

Jesus é a esperança para as famílias! Ele tem a solução para os problemas da nossa alma e da nossa casa! O
segredo de uma família feliz não está no tamanho da sua residência ou no valor das suas joias. Está em crer
em Deus.

Assim como a família do carcereiro de Filipos, muitos lares têm sido transformados pela presença
abençoadora do Filho de Deus. Coloquemos, também nós, a nossa confiança em Cristo!

CONCLUSÃO
Há lugar para esperança na nossa família, quando em nosso coração há lugar para crermos no Senhor
Jesus!

Abramos o nosso coração para Cristo. Dirijamo-nos a ele com fé. Deixemos que ele traga esperança para a
nossa vida e o nosso lar.