Você está na página 1de 129

Controle e Automação Industrial CPD-400

I - INTRODUÇÃO
O controlador multi-station CDP-400 é uma poderosa ferramenta para controlar processos de
médio e grande porte que contenham variáveis digitais e analógicas.
O CDP-400 possui todo hardware analógico isolado do hardware digital e foi desenvolvido
utilizando tecnologia SMD, o que permite a redução de seu tamanho. Contém memória EPROM,
responsável pela execução da configuração, memória NVRAM a qual possui a configuração do usuário
e memória FLASH, responsável pela integridade da configuração na memória NVRAM.
Apresenta 6 entradas analógicas multi-sensores, 4 saídas analógicas em tensão ou corrente, 4
entradas de freqüência de 5KHz, 4 entradas digitais e 4 saídas digitais, assim como um canal de
comunicação serial RS-485 que permite a comunicação e troca de informações com outros equipa-
mentos Fertron e sistemas supervisórios. O CDP-400 pode ser conectado a um microcomputador
através da interface RS-400 para configuração e monitoração.
Seu frontal possui display de cristal líquido permitindo que o usuário interaja com maior facilida-
de nos processos controlados. Através deste podem ser visualizadas variáveis do processo em arit-
mética de ponto flutuante representadas em barras ou gráfico, estação manual, estação de alarmes,
entradas e saídas do hardware e outros modos que são alternados e suas variáveis alteradas atra-
vés do teclado.
Sua configuração e parametrização podem ser feitas através do frontal ou através do Fersoft,o
qual apresenta configuração em lista e visualização da mesma em diagrama de blocos, e monitoração
de todos os parâmetros do CDP-400.
A parte traseira do CDP-400 apresenta borneiras extraíveis para conexão das entradas e saídas,
alimentação e comunicação serial, um compartimento de fusível de vidro de 0,5A e um conector
para aterramento da carcaça. Sua parte dianteira é composta por um display numérico, por um display
de cristal líquido (LCD) com back-light e controle de contraste, e um teclado de dez teclas.

Figura I.1 - Vista traseira (a) e dianteira (b) do CDP-400

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 1


Controle e Automação Industrial CPD-400
II - INSTALAÇÃO
O CDP-400 é um equipamento projetado para montagem em pequenos painéis e como pode
ser configurado e operado via FRONTAL, recomenda-se que ele seja instalado próximo ao pro-
cesso controlado, ao abrigo do calor e umidade e sem sofrer incidência direta de luz solar. As Figu-
ras a seguir trazem as dimensões do equipamento.

Figura II.1 – Vista Frontal*

Figura II.2 – Vista Lateral*

*Dimensões em mm
Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 2
Controle e Automação Industrial CPD-400

Figura II.3 – Dimensões do CDP-400 para instalação em painéis *

II.1 - IDENTIFICAÇÃO DOS BORNES


O CDP-400 apresenta diversos bornes para conexão das suas entradas e saídas. Esses bornes
são identificados na Figura II.4 e descritos a seguir.

Figura II.4 – Identificação dos bornes do CDP-400 (Vista traseira)

II.1.1 - LIGAÇÕES PARA ENTRADAS ANALÓGICAS (4-20MA, 0-20MA, PT-100,


TERMOPAR) - AI
As de entradas analogias é encontrada na parte superior da borneira traseira do CDP-400,
identificada na Figura II.4 por AI1+ e AI1- sucessivamente até AI6+ e AI6-.
Cada entrada analógica pode ser configurada para operar em 4-20mA, 0-20mA, PT-100,
Termopar. A configuração das entradas analógicas é feita através de jumpers existentes, conforme
tabela abaixo.
O método de calibração das entradas analógicas é descrito no capítulo VI.1.

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 3


Controle e Automação Industrial CPD-400
Pt-100
Entrada Jumpers
AIN1 JP10 e JP11 conectado para PT JP5 não conectado
AIN2 JP19 e JP20 conectado para PT JP14 não conectado
AIN3 JP8 e JP9 conectado para PT JP4 não conectado
AIN4 JP15 e JP16 conectado para PT JP12 não conectado
AIN5 JP6 e JP7 conectado para PT JP3 não conectado
AIN6 JP17 e JP18 conectado para PT JP13 não conectado
4-20mA
Entrada Jumpers
AIN1 JP10 e JP11 conectado para IV JP5 conectado
AIN2 JP19 e JP20 conectado para IV JP14 conectado
AIN3 JP8 e JP9 conectado para IV JP4 conectado
AIN4 JP15 e JP16 conectado para IV JP12 conectado
AIN5 JP6 e JP7 conectado para IV JP3 conectado
AIN6 JP17 e JP18 conectado para IV JP13 conectado
mV ou Termopar
Entrada Jumpers
AIN1 JP10 e JP11 não conectado JP5 não conectado
AIN2 JP19 e JP20 não conectado JP14 não conectado
AIN3 JP8 e JP9 não conectado JP4 não conectado
AIN4 JP15 e JP16 não conectado JP12 não conectado
AIN5 JP6 e JP7 não conectado JP3 não conectado
AIN6 JP17 e JP18 não conectado JP13 não conectado
Tabela II.1 – Jumpers para configuração das entradas analógicas

II.1.1.1 - MODO 4-20MA OU 0-20MA – 2 E 4 FIOS


• Configurar jumper de acordo com o tipo de entrada, conforme Tabela II.1.
EXEMPLO
ENTRADA SINAL
AINI 4-20 ou 0-20
AINZ 2 4-20 ou 0-20
Tabela II.2 - Sinais Analógicos

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 4


Controle e Automação Industrial CPD-400

Figura II.5 – Conexões das entradas analógicas 4-20mA ou 0-20mA

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 5


Controle e Automação Industrial CPD-400
II.1.1.2 - MODO TERMOPAR
• Não configurar nenhum jumper, conforme Tabela II.1
• Quando a leitura de sinal for selecionada para tipo Termopar, automaticamente as entradas
agrupadas se tornam obrigatórias para o sinal.

Exemplo
Entrada Sinal Selecionado
AIN1 Termopar
AIN2 Também é Termopar
Tabela II.4 - Sinais de temperatura - Modo Termopar

II.1.2 - LIGAÇÕES PARA ENTRADAS DE FREQÜÊNCIA - FI


As entradas freqüência encontram-se na borneira da traseira do CDP-400, identificada na Figura
II.5, como por FI1, FI2, FI3 e FI4.
Não há necessidade da configuração via jumper e os canais das entradas são individuais.
O método de calibração das entradas de freqüência é descrito no capítulo VI.3.

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 6


Controle e Automação Industrial CPD-400
II.1.2.1 - MODO DE FREQÜÊNCIA POR SENSOR ATRAVÉS DE FONTE DE
ALIMENTAÇÃO

Figura II.7 –Conexões para entrada de freqüência

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 7


Controle e Automação Industrial CPD-400
II.1.2.2 - MODO DE FREQÜÊNCIA POR SENSORES TACOGERADORES E PICK-UP
MAGNÉTICO

Figura II.8 – Conexões para entrada de freqüência – Sensores Tacogerador e Pick-up Magnético

II.1.3 – LIGAÇÕES PARA SAÍDAS ANALÓGICAS (4-20MA) - AO


As saídas analógicas são encontradas na borneira da traseira, identificadas na Figura II.9, como
AO1, AO2, AO3 e AO4.
O método de calibração das saídas analógicas é descrito no capítulo VI.2.

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 8


Controle e Automação Industrial CPD-400

Figura II.9 – Conexões para saídas analógicas

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 9


Controle e Automação Industrial CPD-400
II.1.4 – LIGAÇÕES PARA 4 ENTRADAS DIGITAIS – DI
As de 4 entradas digitais opto-isoladas são encontradas na parte inferior da borneira traseira do
CDP-400, identificada na Figura II.10 por DI1, DI2, DI3 e DI4. Todas as entradas digitais operam
com tensão de 24 Vdc e compartilham um mesmo ponto de referência, disponível em dois bornes
identificados como GEXT.

Figura II.10 – Conexões para entradas e saídas digitais

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 10


Controle e Automação Industrial CPD-400
II.1.5 – LIGAÇÕES PARA 4 SAÍDAS DIGITAIS – DO (COLETOR ABERTO)
As 4 saídas digitais se localiza na parte inferior da borneira traseira do CDP-400, identificados
na Figura II.10, por DO1, DO2, DO3 e DO4.

II.1.6 – LIGAÇÕES PARA COMUNICAÇÃO SERIAL


A comunicação serial do CDP-400 é feita através dos bornes identificados na Figura II.12, como
“RS+” e “RS-”. O borne “RT” é um borne de terminação serial, que pode ser ligado a “RS+” caso
o equipamento esteja no final da linha serial.

Entradas Analógicas
Multi-Sensor
0-20 mA/ 4-20 mA 0-2.5 VCC /
0.4-2VCC / Pt-100 /Termopar

Fonte Externa 24 VCC

Entradas de Freqüência

Saídas Analógicas 0-20 mA /


4-20 mA / 0-5 VCC / 1-5 VCC
Entradas Digital
Contato Seco
Saída Digital
Coletor Aberto
Falha
Comunicação RS-485
Não Conectado
Tensão de Alimentação 85-240 VCA

Terra Carcaça
Figura II.11 – Conexões da porta serial

II.1.7 – LIGAÇÕES PARA ALIMENTAÇÃO.


O CDP-400 possui uma fonte de alimentação Full-Range, que opera com tensões de entrada de
85 até 240 Vac. A alimentação é feita na borneira traseira identificado como AC e deve-se utilizar o
terceiro borne ( ) para realizar o aterramento do equipamento.

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 11


Controle e Automação Industrial CPD-400

Figura II.12 – Conexões de alimentação

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 12


Controle e Automação Industrial CPD-400
II.1.8 – CONFIGURAÇÃO DA CHAVE DIP-SWITCH
A chave identificada pelo texto “K12” na parte interna no frontal permite configurar o endereço
do equipamento na linha serial, de 0 a 31.

Figura II.13 – Configuração da chave dip-switch

O endereço do equipamento é composto pela soma dos valores associados às chaves ligadas.
Por exemplo, para que um equipamento tenha o endereço 27, deve-se ligar as chaves de números
16, 8 ,2 e 1 (16+8+2+1 = 27).
A configuração da velocidade da comunicação serial (baud-rate) é feito através do Jumper K11,
conforme tabela abaixo.

Jumper K11 Baud-rate


Aberto 57600 bauds
Fechado 38400 bauds
Tabela II.5 – Seleção de baud-rate

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 13


Controle e Automação Industrial CPD-400
III - OPERAÇÕES DO FRONTAL DO CDP-400
O CDP-400 apresenta um frontal que permite ao usuário fácil monitoração e alteração das variá-
veis do processo controlado e possibilita a configuração de blocos e parâmetros, operações estas
disponibilizadas através do display de cristal líquido, display numérico e 10 teclas presentes em seu
frontal mostrados na Figura I.1 (a).
O display numérico exibe variável do processo em aritmética de ponto flutuante de acordo com
configuração do bloco DISPLAY para cada Loop feita pelo usuário. Sempre que o usuário muda a
exibição do Loop, são alteradas as variáveis mostradas neste.
O display de cristal líquido permite que o usuário visualize e altere as variáveis do processo re-
presentadas em gráfico, em barras, controle variáveis dos PIDs no modo Estação Manual, analise
os alarmes no modo Estação de Alarme, consulte as entradas e saídas do hardware e faça configu-
rações no CDP-400.
No CDP-400 é possível alterar o contraste do Display de cristal líquido pressionando a tecla
SCRN em conjunto com as teclas PREV e NEXT.
Ao ser ligado, o CDP-400 sempre apresenta uma tela de apresentação do produto como mos-
trado na Figura III.1. É descrito nesta tela o nome e a versão do firmware do produto. Após alguns
segundos, é passado automaticamente para o modo de operação.

Figura III.1 - Tela de Apresentação do CDP-400

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 14


Controle e Automação Industrial CPD-400
O CDP-400 apresenta 11 modos de operação: Operação, Estação Automático/Manual, Estação
de Alarmes, I/O Watch, Parametrização, Parametrização de Status, Caracterização, Configuração
de Índices, Configuração de Tags, Configuração e Calibração.
O acesso aos modos de operação do CDP-400 é limitado de acordo com a configuração do
parâmetro MLCD. A Tabela III.1 descreve suas possíveis configurações.

Opções de configuração para MLCD Modos exibidos


0 Parametrização e Parametrização de Status
1 Parametrização, Parametrização de Status, Caracteriza
ção, Configuração de Índices e Configuração de Tags.
2 Parametrização, Parametrização de Status, Caracteriza
ção, Configuração de Índices, Configuração de Tags e
Configuração.
3 ou maior Parametrização, Parametrização de Status, Caracteriza
ção, Configuração de Índices, Configuração de Tags,
Configuração e Calibração .
Tabela III.1 - Descrição das opções de configuração para MLCD

Para alterar o parâmetro MLCD de exibição dos modos de operação, ver III.5.2.3 -
Parametrização – Alterando o valor de um parâmetro.
A navegação entre os modos de Operação, Estação Manual, Estação de Alarmes e I/Os Watch
do LCD é feita através da tecla MODE, que permite o avanço dos modos. Para navegar entre os
demais modos do CDP-400 pressione a tecla FAST juntamente com a tecla MODE.

Tecla Função
MODE Muda a exibição entre os modos de Operação, Estação Manual, Estação de Alarmes e I/Os
Watch.
FAST + MODE Muda a exibição entre os modos Parametrização, Parametrização de Status, Caracterização,
Configuração de Índices, Configuração de Tags, Configuração e Calibração
SCRN + PREV Aumenta o contraste do Display de cristal líquido
SCRN + NEXT Diminui o contraste do Display de cristal líquido
Tabela III.2 - Resumo das funções de teclas usadas em todos os Modos do CDP-400

III.1 - MODO DE OPERAÇÃO


Ao entrar no modo de Operação são exibidas as variáveis do processo de acordo com o Loop
selecionado, mostradas em gráfico ou em barras. O CDP-400 possui até 4 Loops. Para que estes
exibam variáveis corretas, é necessário configurar para cada Loop os blocos PID e DISPLAY cor-
respondentes a cada um.

III.1.1 - VISUALIZAÇÃO EM GRÁFICO


É apresentada na parte superior da tela um tag de até 12 caracteres referente ao Loop mostra-
do. Abaixo do tag é mostrada a Tabela III.3.

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 15


Controle e Automação Industrial CPD-400
1M MR R
Tabela III.3 - Descrição dos Status dos Loops e Indicação do Loop exibido no LCD

Cada célula da tabela refere-se seqüencialmente aos Loops de 1 a 4, pois o CDP-400 possui
capacidade de configuração de até 4 PIDs.
São mostrados o número do Loop somente se o mesmo está sendo exibido, e os status de
todos os Loops, sendo que a posição seguinte ao número do Loop corresponde ao status de Au-
tomático/Manual, e a posição seguinte a Direto/Reverso. A Tabela III.4 descreve a indicação dos
status dos Loops.

Status Descrição
M Loop em Manual
R Loop em Reverso
Tabela III.4 - Descrição da indicação de status dos Loops

Quando as letras não são mostradas nas posições de status, indica que o Loop está em Auto-
mático e/ou Direto.

Abaixo da tabela de status dos Loops é exibido um tag de até 10 caracteres referente ao
parâmetro mostrado abaixo deste, o nome e o valor do mesmo em unidade de engenharia (veja Fi-
gura III.2). O usuário pode alternar entre até 16 parâmetros através do teclado nesta área do LCD
e alterar o valor dos mesmos. Estes parâmetros são usados para monitoração de até 16 variáveis
dos processos consideradas mais importantes pelo usuário. As mesmas podem ser configuradas de
acordo com o item III.8 – Modo de Configuração de Índices.
Na seqüência é exibido um gráfico referente à variável do processo conforme configuração
do bloco Display feito pelo usuário. Este gráfico apresenta uma faixa de exibição vertical (zoom)
em torno de um valor central e um tempo de gráfico no eixo horizontal.
A faixa de exibição é o intervalo de valores em torno de um valor central, podendo variar de
1% a 125% do span. Este valor, representado no centro do eixo vertical, pode ser associado a uma
constante ou variável do processo conforme configuração do bloco Display feita pelo usuário. O
tempo do gráfico indica a quanto tempo correspondem os dados da variável do processo exibidos
no mesmo.
O TAG da variável do processo exibida no gráfico é mostrado abaixo deste, com até 8
caracteres, junto ao seu valor em unidade de engenharia de acordo com Figura III.2.
São mostrados alternadamente os alarmes ativos e não reconhecidos do CDP-400. Este con-
tém até 16 alarmes, sendo estes configurados através de 8 blocos de alarmes cada um possuindo
alarmes em alta e em baixa.

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 16


Controle e Automação Industrial CPD-400

Figura III.2 - Tela de visualização do gráfico do Modo de Operação

III.1.2 - VISUALIZAÇÃO EM BARRAS


É apresentada na parte superior da tela um tag de até 12 caracteres referente ao Loop mos-
trado. Abaixo do tag é mostrada a Tabela III.3 do item III.1.1.
Cada célula da tabela refere-se seqüencialmente aos Loops (PIDs) de 1 a 4, pois o CDP-400
possui capacidade de configuração de até 4 PIDs.
São mostrados o número do Loop somente se o mesmo está sendo exibido, e os status de
todos os Loops, sendo que a posição seguinte ao número do Loop corresponde ao status de Auto-
mático/Manual, e a posição seguinte a Direto/Reverso. A Tabela III.4 exibida no item III.1.1 des-
creve a indicação dos status dos Loops.
Quando as letras não são mostradas nas posições de status indica que o Loop está em Auto-
mático e/ou Direto.
Abaixo da tabela de status dos Loops é exibido um tag de até 10 caracteres referente ao
parâmetro mostrado abaixo deste, o nome e o valor do mesmo em unidade de engenharia (veja Fi-
gura III.3). O usuário pode alternar entre até 16 parâmetros através do teclado nesta área do LCD
e alterar o valor dos mesmos. Estes parâmetros são usados para monitoração de até 16 variáveis
dos processos consideradas mais importantes pelo usuário. As mesmas podem ser configuradas de
acordo com o item XIII.8 – Modo de Configuração de Índices.
Na seqüência são exibidas duas barras que mostram os valores das variáveis do processo
configuradas pelo usuário no bloco Display (ver IV.21). Cada barra possui um valor Zero e Máxi-
mo em unidade de engenharia da variável que a mesma representa, e no seu centro é mostrada a
média entre estes valores.
Na parte superior da barra à esquerda do LCD é mostrado o TAG de até 8 caracteres e o
valor em unidade de engenharia de sua variável de processo, e na parte inferior da barra à direita do
LCD é mostrado o TAG e seu valor em unidade de engenharia.
São mostrados alternadamente os alarmes ativos e não reconhecidos do CDP-400. Este
contém até 16 alarmes, sendo este configurado através de 8 blocos de alarmes cada um possuindo
alarmes em alta e em baixa.

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 17


Controle e Automação Industrial CPD-400

Figura III.3 - Tela de visualização das barras do Modo de Operação


III.1.3 - INSTRUÇÕES DE USO
O modo de Operação apresenta a visualização das variáveis de processo dos 4 Loops existentes
no CDP-400 em Gráfico e em Barras, tendo ambos as mesmas instruções de uso. As exceções são
mencionadas neste item.

III.1.3.1 - ALTERNANDO ENTRE LOOPS


Para o equipamento mudar de Loop pressione a tecla LOOP, a qual avança os Loops indicando
para cada um suas variáveis de processo na tela, e indicando com o número do Loop na Tabela
III.2 qual está sendo visualizado.

III.1.3.2 - ALTERNANDO ENTRE VISUALIZAÇÃO EM GRÁFICO E EM BARRAS


Para alternar entre visualização das variáveis do processo em Gráfico e Barras pressione a tecla
SCRN.

III.1.3.3 - ALTERNANDO ENTRE AS VARIÁVEIS DE PROCESSO E ALTERANDO-AS


Como mencionado no item III.1.1, as 16 possíveis variáveis de processo mais importantes confi-
guradas pelo usuário, podem ser visualizadas e alteradas.
Para alternar entre estas, pressione a tecla NEXT para avançar a exibição das variáveis, e para
mostrar as anteriores pressione a tecla PREV.
Após selecionar a variável, o CDP-400 permite a alteração de seu valor através das teclas ⇑, ⇓
e FAST.
Para alterar o valor da variável, deve-se pressionar as teclas ⇑ e ⇓ até que seja atingido o valor
desejado. Se pressionadas juntamente com FAST, a variação do valor da variável é aumentada, ace-
lerando sua alteração.

III.1.3.4 - ALTERNANDO O CONTROLE DO PID ENTRE AUTOMÁTICO/MANUAL


Para alternar o controle do PID entre Automático/Manual pressione a tecla A/M. No modo de
Operação se o Loop (PID) selecionado está em Automático, o mesmo passa a ter o controle Ma-
nual e é mudada a exibição no LCD do modo Operação para modo Estação Manual (veja item
Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 18
Controle e Automação Industrial CPD-400
Modo Estação Manual), do contrário o PID passa a ter controle Automático e é exibido no LCD o
modo Operação.

III.1.3.5 - INSTRUÇÕES DE USO DE TECLAS SOMENTE PARA VISUALIZAÇÃO EM


GRÁFICO
A alteração da faixa de exibição vertical (zoom) em torno do valor central é feita pelas teclas
FAST, PREV e NEXT.
Para alterar a visualização do gráfico (zoom) pressione a tecla FAST juntamente com a tecla PREV
ou NEXT, a qual pode variar de 1% a 125%.

III.1.3.6 - RESUMO DE FUNÇÕES DE TECLAS OU COMBINAÇÕES DESTAS NO


MODO DE OPERAÇÃO PARA VISUALIZAÇÃO EM GRÁFICO E EM BARRAS

Tecla Função
LOOP Avança a visualização dos Loops na tela
SCRN Alterna entre modo de Operação em Gráfico e Barras
PREV Retrocede a visualização das 16 possíveis variáveis
NEXT Avança a visualização das 16 possíveis variáveis
⇑ Incrementa o valor da variável selecionado
⇓ Decrementa o valor da variável selecionado
FAST + ⇑ Incrementa rapidamente o valor da variável selecionada
FAST + ⇓ Decrementa rapidamente o valor da variável selecionada
Tabela III.5 - Resumo de funções de teclas ou combinações destas para Gráfico e Barras

III.2 – MODO ESTAÇÃO MANUAL


O modo Estação Manual exibe as variáveis de entrada e saída do Loop selecionado, permitindo
que o usuário interaja com a saída do PID, realizando assim o controle manual do processo. A Esta-
ção Manual de cada Loop é exibida somente se o bloco PID correspondente a este está configura-
do.

III.2.1 - VISUALIZAÇÃO DA ESTAÇÃO MANUAL


A entrar na Estação Manual é apresentada na parte superior da tela a Tabela III.3 do item III.1.1-
Visualização em Gráfico.
Cada célula da tabela refere-se seqüencialmente aos Loops de 1 a 4, pois o CDP-400 possui
capacidade de configuração de até 4 PIDs.
São mostrados o número do Loop somente se o mesmo está sendo exibido, e os status de
todos os Loops, sendo que a posição seguinte ao número do Loop corresponde ao status de Auto-
mático/Manual, e a posição seguinte a Direto/Reverso. A Tabela III.4 do item III.1.1- Visualização
em Gráfico, descreve a indicação dos status dos Loops.
Quando as letras não são mostradas nas posições de status indica que o Loop está em Auto-
mático e/ou Direto.

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 19


Controle e Automação Industrial CPD-400
Abaixo da tabela de status dos Loops é exibido o tag do PID selecionado com até 12 caracteres,
e abaixo deste é mostrada sua variável de saída (MV) com seu valor em unidade de engenharia.
Na seqüência são mostradas duas barras. A barra à esquerda do LCD mostra o valor da variável
de saída do PID (MV) e seu valor ao lado direto desta barra. À direita do LCD é mostrado o valor
da variável de entrada do PID (PV) e seu valor ao lado esquerdo desta barra.

Figura III.4 - Tela do modo Estação Manual

III.2.2 – INSTRUÇÕES DE USO


O modo Estação Manual pode exibir as variáveis de entrada e saída do PID selecionado dentre
os 4 PIDs do CDP-400.

III.2.2.1 - ENTRANDO NO MODO ESTAÇÃO MANUAL


Para entrar no modo Estação Manual existem duas formas Ao entrar no modo de Operação, se
o Loop selecionado não estiver em Manual, ao pressionar a tecla A/M, o equipamento passa a exi-
bir a Estação Manual deste Loop. Se o mesmo já estiver em Manual, ao pressionar a tecla MODE
pode-se visualizar a Estação Manual.

III.2.2.2 - ALTERNANDO ENTRE LOOPS


Para o equipamento mudar de Loop pressione a tecla LOOP, a qual avança os Loops indicando
para cada um suas variáveis de processo na tela, e indicando com o número do Loop na Tabela
III.3 qual está sendo visualizado. Observe que ao mudar de Loop, o equipamento exibe o modo de
Operação, sendo necessário realizar as opções descritas no item III.2.2.1 - Entrando no modo Es-
tação Manual.

III.2.2.3 - ALTERANDO O PID PARA O ESTADO AUTOMÁTICO


Para passar o PID em estado Automático, pressione a tecla A/M , que exibirá as variáveis do
processo do Loop selecionado no modo de Operação.

III.2.2.4 - ALTERANDO A VARIÁVEL DE SAÍDA DO PID (MV)


A alteração da variável de saída do PID (MV) é feita através das teclas ⇑, ⇓ e FAST.
Para alterar o valor da variável, deve-se pressionar as teclas ⇑ e ⇓ até que seja atingido o valor

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 20


Controle e Automação Industrial CPD-400
desejado. Se pressionadas juntamente com FAST, a variação do valor da variável é aumentada, ace-
lerando sua alteração.

III.2.2.5 - RESUMO DE FUNÇÕES DE TECLAS OU COMBINAÇÕES DESTAS NA


ESTAÇÃO MANUAL
Tecla Função
LOOP Avança a visualização dos Loops na tela
⇑ Incrementa o valor da variável selecionado
⇓ Decrementa o valor da variável selecionado
FAST + ⇑ Incrementa rapidamente o valor da variável selecionada
FAST + ⇓ Decrementa rapidamente o valor da variável selecionada
A/M Altera o Loop para o estado Automático
Tabela III.6 - Resumo de funções de teclas ou combinações destas para Estação Manual

III.3 – MODO ESTAÇÃO DE ALARMES


A Estação de Alarmes do CDP-400 é capaz de monitorar a ocorrência de até 16 alarmes, sinali-
zando os alarmes ativos e os que não foram reconhecidos pelo operador. Estes estão distribuídos
em 4 blocos ALARM que precisam ser configurados de acordo com a necessidade do usuário para
que os alarmes sejam monitorados.

III.3.1 – VISUALIZAÇÃO DA ESTAÇÃO DE ALARMES


Ao entrar na Estação de Alarmes, é mostrada na primeira linha do LCD a quantidade de alarmes
ativos reconhecidos ou não juntamente com os alarmes que não estão ativos e não reconhecidos.
Em seguida são exibidos os alarmes representados por seus tags de até 12 caracteres. Existem
duas formas dos alarmes serem mostrados:
• O tag do alarme mantém-se piscando na tela, até ser reconhecido. Esta forma de exibição
indica ao operador que o alarme está ocorrendo, ou já aconteceu e saiu da condição de alarme,
precisando para ambas as indicações que o usuário reconheça-o para torná-lo ativo ou para retirar
sua indicação do LCD se não estiverem mais ativos.
• O tag do alarme é mostrado de forma fixa no LCD, até que este saia da condição de alarme.

Modo de Exibição Descrição


Não Exibido O alarme não está ativo
Exibido Piscando Está ocorrendo ou já ocorreu o alarme, e não foi reconhecido
Exibido O alarme está ativo e reconhecido
Tabela III.7 - Modos de exibição dos alarmes de acordo com suas condições

É posicionada uma seta ao lado esquerdo dos alarmes que mantém-se piscando, para que o ope-
rador possa reconhecer o acontecimento deste alarme.
Nas últimas linhas do LCD são mostradas orientações de funcionamento de teclas para o opera-
dor reconhecer um ou todos os alarmes que mantém-se piscando.

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 21


Controle e Automação Industrial CPD-400

Figura III.5 - Tela do modo Estação de Alarmes

III.3.2 – INSTRUÇÕES DE USO


No modo Estação de Alarmes os alarmes podem ser monitorados e podem ser reconhecidos
pelo operador.

III.3.2.1 - RECONHECENDO ALARMES


O alarme não reconhecido mantém-se piscando no LCD. Estes podem estar ativos ou não esta-
rem mais na condição de alarme.
• Reconhecendo um alarme
Para selecionar o alarme que deseja reconhecer, use as teclas PREV e NEXT. Através destas a
seta à esquerda do tag do alarme se desloca para cima ou para baixo, passando somente por alar-
mes que estão piscando. Após selecionar o alarme, pressione a tecla ENT para reconhecê-lo.
Após o reconhecimento do alarme, a seta de seleção se desloca para o próximo alarme que está
piscando.
• Reconhecendo todos os alarmes
Para reconhecer todos os alarmes pressione a tecla FAST juntamente com a tecla ENT.
Após esta operação, permanecem na tela somente os alarmes ativos.

III.3.2.2 - RESUMO DE FUNÇÕES DE TECLAS OU COMBINAÇÕES DESTAS NA


ESTAÇÃO DE ALARMES

Tecla Função
PREV Retrocede a seleção dos alarmes que estão piscando
NEXT Avança a seleção dos alarmes que estão piscando
ENT Reconhece um alarme
FAST + ENT Reconhece todos os alarmes
Tabela III.8 - Resumo de funções de teclas ou combinações destas para Estação de Alarmes

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 22


Controle e Automação Industrial CPD-400
III.4 – MODO I/OS WATCH
O modo I/Os Watch permite a visualização dos status do hardware do CDP-400.

III.4.1 – VISUALIZAÇÃO DO MODO I/OS WATCH


Neste modo podem ser visualizados os valores em unidade de engenharia das entradas e saídas
analógicas, das entradas de freqüência e os status das entradas e saídas digitais, além de informa-
ções do firmware e configurações do hardware do CDP-400.
Os status das entradas e saídas digitais são indicados através de tabelas de 4 células. Cada tabe-
la indica os status das entradas ou saídas digitais de 1 a 4, onde o número destas é indicado na
célula correspondente caso estejam acionadas. Do contrário, as células não são preenchidas. Na
Tabela III.9 segue exemplo da indicação dos status das entradas e saídas digitais.

1 3
Tabela III.9 - Indicação de status das entradas e saídas digitais

A Tabela III.9 pode exemplificar os status para entradas e saídas digitais. Somente para explica-
ção, considera-se que os status indicados acima são das entradas digitais. Logo, pode-se concluir
que as entradas digitais 1 e 3 estão acionadas, e as entradas 2 e 4 não estão acionadas.
Na seqüência, são mostradas a seguintes informações:
• Versão do firmware: o texto “Version: 2.0” mostrado na Figura III.6, usada como exemplo,
indica que esta é a versão 2.0 do firmware do produto;
• Endereço do CDP-400: o texto “Iadr: XX” mostrado abaixo da versão do firmware indica o
endereço que o equipamento representa na linha serial. Este deve estar compreendido entre 0 e 31,
sendo que endereços entre 0 e 7 farão com que o CDP-400 atue como master na linha serial, e
valores acima de 7 farão com que este atue como slave, apenas respondendo às solicitações de
outros masters. Este endereço é configurado pela chave dip-switch localizado na placa interna do
frontal do produto.
• Velocidade de comunicação: o texto “57.6K” mostrado na mesma linha do Endereço do CDP-
400 indica que o equipamento está com um baud-rate de 57600 bits por segundo. A outra opção
disponível é de 38400 bits por segundo. A velocidade de comunicação é configurada por jumper
localizado na placa interna do frontal do produto.

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 23


Controle e Automação Industrial CPD-400

Figura III.6 - Tela do modo I/Os Watch

III.5 – MODO PARAMETRIZAÇÃO


O CDP-400 apresenta 192 parâmetros representados em aritmética de ponto flutuante. Estes
são distribuídos em 12 telas de parametrização e seus valores são exibidos em unidades de enge-
nharia. Neste modo o operador pode ajustar o valor do parâmetro desejado, sendo que o parâmetro
é usado pelo produto somente se o bloco que o contém estiver configurado.

III.5.1 – VISUALIZAÇÃO DO MODO PARAMETRIZAÇÃO


Ao entrar no modo Parametrização é exibido o nome deste “Params” seguido da numeração da
tela exibida, que inicialmente é tela “01/12” (primeira tela de doze). Se o usuário navegar entre as 12
telas, e ao sair deste modo com a tela 05/12 em exibição por exemplo, ao retornar neste modo, é
mostrada a tela anteriormente exibida.
Na seqüência são mostrados 16 parâmetros para cada tela, com seus respectivos valores em
unidade de engenharia.

Figura III.7 - Tela do modo de Parametrização

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 24


Controle e Automação Industrial CPD-400
III.5.2 – INSTRUÇÕES DE USO
O modo Parametrização é usado para ajustar de acordo com o processo os parâmetros dos blocos
configurados no produto.

III.5.2.1 - ALTERNANDO ENTRE TELAS DE PARAMETRIZAÇÃO


A navegação entre as 12 telas de Parametrização é feita através das teclas FAST e SCRN.
Para avançar na exibição das telas pressione a tecla SCRN e para retroceder pressione a tecla
FAST juntamente com a tecla SCRN.

III.5.2.2 - SELECIONANDO UM PARÂMETRO


Para selecionar um parâmetro são usadas as teclas PREV e NEXT que possibilitam a navega-
ção entre os mesmos.
Para avançar de um parâmetro para outro use a tecla NEXT e para retroceder use a tecla PREV.

III.5.2.3 - ALTERANDO O VALOR DE UM PARÂMETRO


Os valores dos parâmetros podem ser alterados através das teclas ⇑, ⇓ e FAST.
Para incrementar e decrementar o valor do parâmetro selecionado pressione as teclas ⇑ e ⇓ res-
pectivamente. Para aumentar a velocidade de incremento e decremento pressione juntamente a tecla
FAST.
Os valores selecionados podem ser ajustados em zero ou de acordo com seu valor zero de refe-
rência pressionando as teclas ⇑ e ⇓ juntamente.

Obs.: Não é necessário pressionar a tecla ENT para confirmar a mudança do parâmetro, pois os
valores são alterados instantaneamente.

III.5.2.4 - RESUMO DE FUNÇÕES DE TECLAS OU COMBINAÇÕES DESTAS NO


MODO PARAMETRIZAÇÃO
Tecla Função
MODE+FAST Entra no modo Parametrização e muda a exibição entre este modo, Parametrização de Status,
Caracterização, Configuração de Índices, Configuração de Tags, Configuração e Calibração
SCRN Avança a exibição das telas
FAST+SCRN Retrocede a exibição das telas
NEXT Avança na seleção de parâmetros dentro de uma mesma tela
PREV Retrocede na seleção de parâmetros dentro de uma mesma tela
⇑ Incrementa o valor do parâmetro selecionado
⇓ Decrementa o valor do parâmetro selecionado

FAST+⇑ Incrementa rapidamente o valor do parâmetro selecionado

FAST+⇓ Decrementa rapidamente o valor do parâmetro selecionado
⇑ +⇓
⇓ Ajusta o parâmetro em zero ou no valor zero de referência
Tabela III.10 - Resumo de funções de teclas ou combinações destas no modo Parametrização

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 25


Controle e Automação Industrial CPD-400
III.5.2.5 - DESCRIÇÃO DOS PARÂMETROS DO MODO PARAMETRIZAÇÃO
A seguir são descritos os parâmetros do modo Parametrização, sendo que cada conjunto de 16
parâmetros são descritos em tabelas que representam 12 telas seqüenciais exibidas no produto.

Nota: U.E. => Unidade de Engenharia

Parâmetro Descrição
SP1 Set-point local do bloco PID1 em U.E.
SP2 Set-point local do bloco PID2 em U.E.
SP3 Set-point local do bloco PID3 em U.E.
SP4 Set-point local do bloco PID4 em U.E.
KP1 Ação Proporcional do bloco PID1 em U.E.
KP2 Ação Proporcional do bloco PID2 em U.E.
KP3 Ação Proporcional do bloco PID3 em U.E.
KP4 Ação Proporcional do bloco PID4 em U.E.
RTM1 Ação Integral do bloco PID1 em U.E.
RTM2 Ação Integral do bloco PID2 em U.E.
RTM3 Ação Integral do bloco PID3 em U.E.
RTM4 Ação Integral do bloco PID4 em U.E.
DTM1 Ação Derivativa do bloco PID1 em U.E.
DTM2 Ação Derivativa do bloco PID2 em U.E.
DTM3 Ação Derivativa do bloco PID3 em U.E.
DTM4 Ação Derivativa do bloco PID4 em U.E.
Tabela III.11 - Parâmetros da tela 01/12 do modo Parametrização

Parâmetro Descrição
CT1 Constante em U.E.
CT2 Constante em U.E.
CT3 Constante em U.E.
CT4 Constante em U.E.
AL1% Ponto de ajuste de alarme baixo em porcentagem do bloco ALARM1
AL2% Ponto de ajuste de alarme baixo em porcentagem do bloco ALARM2
AL3% Ponto de ajuste de alarme baixo em porcentagem do bloco ALARM3
AL4% Ponto de ajuste de alarme baixo em porcentagem do bloco ALARM4
AH1% Ponto de ajuste de alarme alto em porcentagem do bloco ALARM1
AH2% Ponto de ajuste de alarme alto em porcentagem do bloco ALARM2
AH3% Ponto de ajuste de alarme alto em porcentagem do bloco ALARM3
AH4% Ponto de ajuste de alarme alto em porcentagem do bloco ALARM4
GIN1 Ganho do bloco GABI1 em U.E.
GIN2 Ganho do bloco GABI2 em U.E.
GIN3 Ganho do bloco GABI3 em U.E.
GIN4 Ganho do bloco GABI4 em U.E.
Tabela III.12 - Parâmetros da tela 02/12 do modo Parametrização

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 26


Controle e Automação Industrial CPD-400
Parâmetro Descrição
BI1% Bias do bloco GABI1 em porcentagem
BI2% Bias do bloco GABI2 em porcentagem
BI3% Bias do bloco GABI3 em porcentagem
BI4% Bias do bloco GABI4 em porcentagem
AL5% Ponto de ajuste de alarme baixo em porcentagem do bloco ALARM5
AL6% Ponto de ajuste de alarme baixo em porcentagem do bloco ALARM6
AL7% Ponto de ajuste de alarme baixo em porcentagem do bloco ALARM7
AL8% Ponto de ajuste de alarme baixo em porcentagem do bloco ALARM8
AH5% Ponto de ajuste de alarme alto em porcentagem do bloco ALARM5
AH6% Ponto de ajuste de alarme alto em porcentagem do bloco ALARM6
AH7% Ponto de ajuste de alarme alto em porcentagem do bloco ALARM7
AH8% Ponto de ajuste de alarme alto em porcentagem do bloco ALARM8
TLF1 Parâmetro A em minutos do bloco FUCNT1
TLF2 Parâmetro A em minutos do bloco FUCNT2
TLF3 Parâmetro A em minutos do bloco FUCNT3
TLF4 Parâmetro A em minutos do bloco FUCNT4
Tabela III.13 - Parâmetros da tela 03/12 do modo Parametrização

Parâmetro Descrição
THF1 Parâmetro B em minutos do bloco FUCNT1
THF2 Parâmetro B em minutos do bloco FUCNT2
THF3 Parâmetro B em minutos do bloco FUCNT3
THF4 Parâmetro B em minutos do bloco FUCNT4
GAF5 Ganho A do bloco FUNCT5 em U.E.
GAF6 Ganho A do bloco FUNCT6 em U.E.
GAF7 Ganho A do bloco FUNCT7 em U.E.
GAF8 Ganho A do bloco FUNCT8 em U.E.
GBF5 Ganho B do bloco FUNCT5 em U.E.
GBF6 Ganho B do bloco FUNCT6 em U.E.
GBF7 Ganho B do bloco FUNCT7 em U.E.
GBF8 Ganho B do bloco FUNCT8 em U.E.
GCF5 Ganho C do bloco FUNCT5 em U.E.
GCF6 Ganho C do bloco FUNCT6 em U.E.
GCF7 Ganho C do bloco FUNCT7 em U.E.
GCF8 Ganho C do bloco FUNCT8 em U.E.
Tabela III.14 - Parâmetros da tela 04/12 do modo Parametrização

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 27


Controle e Automação Industrial CPD-400
Parâmetro Descrição
GDF5 Ganho D do bloco FUNCT5 em U.E.
GDF6 Ganho D do bloco FUNCT6 em U.E.
GDF7 Ganho D do bloco FUNCT7 em U.E.
GDF8 Ganho D do bloco FUNCT8 em U.E.
GEF5 Ganho E do bloco FUNCT5 em U.E.
GEF6 Ganho E do bloco FUNCT6 em U.E.
GEF7 Ganho E do bloco FUNCT7 em U.E.
GEF8 Ganho E do bloco FUNCT8 em U.E.
GFF5 Ganho F do bloco FUNCT5 em U.E.
GFF6 Ganho F do bloco FUNCT6 em U.E.
GFF7 Ganho F do bloco FUNCT7 em U.E.
GFF8 Ganho F do bloco FUNCT8 em U.E.
GGF5 Ganho G do bloco FUNCT5 em U.E.
GGF6 Ganho G do bloco FUNCT6 em U.E.
GGF7 Ganho G do bloco FUNCT7 em U.E.
GGF8 Ganho G do bloco FUNCT8 em U.E.
Tabela III.15 - Parâmetros da tela 05/12 do modo Parametrização

Parâmetro Descrição
MLCD Modo do LCD (Para configuração veja Tabela III.1)
FLCD Freqüência do LCD em U.E.
TFT1 Tempo de filtro da Entrada Analógica 1 em segundos (bloco AIN1)
TFT2 Tempo de filtro da Entrada Analógica 2 em segundos (bloco AIN2)
TFT3 Tempo de filtro da Entrada Analógica 3 em segundos (bloco AIN3)
TFT4 Tempo de filtro da Entrada Analógica 4 em segundos (bloco AIN4)
TFT5 Tempo de filtro da Entrada Analógica 5 em segundos (bloco AIN5)
TFT6 Tempo de filtro da Entrada Analógica 6 em segundos (bloco AIN6)
TAL1 Tempo de reconhecimento para alarme 1 em segundos (bloco ALARM1)
TAL2 Tempo de reconhecimento para alarme 2 em segundos (bloco ALARM2)
TAL3 Tempo de reconhecimento para alarme 3 em segundos (bloco ALARM3)
TAL4 Tempo de reconhecimento para alarme 4 em segundos (bloco ALARM4)
TAL5 Tempo de reconhecimento para alarme 5 em segundos (bloco ALARM5)
TAL6 Tempo de reconhecimento para alarme 6 em segundos (bloco ALARM6)
TAL7 Tempo de reconhecimento para alarme 7 em segundos (bloco ALARM7)
TAL8 Tempo de reconhecimento para alarme 8 em segundos (bloco ALARM8)
Tabela III.16 - Parâmetros da tela 06/12 do modo Parametrização

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 28


Controle e Automação Industrial CPD-400
Parâmetro Descrição
X11% Ponto 01 do eixo X em porcentagem para Linearização 1 (bloco LIN1)
X12% Ponto 02 do eixo X em porcentagem para Linearização 1 (bloco LIN1)
X13% Ponto 03 do eixo X em porcentagem para Linearização 1 (bloco LIN1)
X14% Ponto 04 do eixo X em porcentagem para Linearização 1 (bloco LIN1)
X15% Ponto 05 do eixo X em porcentagem para Linearização 1 (bloco LIN1)
X16% Ponto 06 do eixo X em porcentagem para Linearização 1 (bloco LIN1)
X17% Ponto 07 do eixo X em porcentagem para Linearização 1 (bloco LIN1)
X18% Ponto 08 do eixo X em porcentagem para Linearização 1 (bloco LIN1)
X21% Ponto 01 do eixo X em porcentagem para Linearização 2 (bloco LIN2)
X22% Ponto 02 do eixo X em porcentagem para Linearização 2 (bloco LIN2)
X23% Ponto 03 do eixo X em porcentagem para Linearização 2 (bloco LIN2)
X24% Ponto 04 do eixo X em porcentagem para Linearização 2 (bloco LIN2)
X25% Ponto 05 do eixo X em porcentagem para Linearização 2 (bloco LIN2)
X26% Ponto 06 do eixo X em porcentagem para Linearização 2 (bloco LIN2)
X27% Ponto 07 do eixo X em porcentagem para Linearização 2 (bloco LIN2)
X28% Ponto 08 do eixo X em porcentagem para Linearização 2 (bloco LIN2)
Tabela III.17 - Parâmetros da tela 07/12 do modo Parametrização

Parâmetro Descrição
X31% Ponto 01 do eixo X em porcentagem para Linearização 3 (bloco LIN3)
X32% Ponto 02 do eixo X em porcentagem para Linearização 3 (bloco LIN3)
X33% Ponto 03 do eixo X em porcentagem para Linearização 3 (bloco LIN3)
X34% Ponto 04 do eixo X em porcentagem para Linearização 3 (bloco LIN3)
X35% Ponto 05 do eixo X em porcentagem para Linearização 3 (bloco LIN3)
X36% Ponto 06 do eixo X em porcentagem para Linearização 3 (bloco LIN3)
X37% Ponto 07 do eixo X em porcentagem para Linearização 3 (bloco LIN3)
X38% Ponto 08 do eixo X em porcentagem para Linearização 3 (bloco LIN3)
X41% Ponto 01 do eixo X em porcentagem para Linearização 4 (bloco LIN4)
X42% Ponto 02 do eixo X em porcentagem para Linearização 4 (bloco LIN4)
X43% Ponto 03 do eixo X em porcentagem para Linearização 4 (bloco LIN4)
X44% Ponto 04 do eixo X em porcentagem para Linearização 4 (bloco LIN4)
X45% Ponto 05 do eixo X em porcentagem para Linearização 4 (bloco LIN4)
X46% Ponto 06 do eixo X em porcentagem para Linearização 4 (bloco LIN4)
X47% Ponto 07 do eixo X em porcentagem para Linearização 4 (bloco LIN4)
X48% Ponto 08 do eixo X em porcentagem para Linearização 4 (bloco LIN4)
Tabela III.18 - Parâmetros da tela 08/12 do modo Parametrização

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 29


Controle e Automação Industrial CPD-400
Parâmetro Descrição
Y11% Ponto 01 do eixo Y em porcentagem para Linearização 1 (bloco LIN1)
Y12% Ponto 02 do eixo Y em porcentagem para Linearização 1 (bloco LIN1)
Y13% Ponto 03 do eixo Y em porcentagem para Linearização 1 (bloco LIN1)
Y14% Ponto 04 do eixo Y em porcentagem para Linearização 1 (bloco LIN1)
Y15% Ponto 05 do eixo Y em porcentagem para Linearização 1 (bloco LIN1)
Y16% Ponto 06 do eixo Y em porcentagem para Linearização 1 (bloco LIN1)
Y17% Ponto 07 do eixo Y em porcentagem para Linearização 1 (bloco LIN1)
Y18% Ponto 08 do eixo Y em porcentagem para Linearização 1 (bloco LIN1)
Y21% Ponto 01 do eixo Y em porcentagem para Linearização 2 (bloco LIN2)
Y22% Ponto 02 do eixo Y em porcentagem para Linearização 2 (bloco LIN2)
Y23% Ponto 03 do eixo Y em porcentagem para Linearização 2 (bloco LIN2)
Y24% Ponto 04 do eixo Y em porcentagem para Linearização 2 (bloco LIN2)
Y25% Ponto 05 do eixo Y em porcentagem para Linearização 2 (bloco LIN2)
Y26% Ponto 06 do eixo Y em porcentagem para Linearização 2 (bloco LIN2)
Y27% Ponto 07 do eixo Y em porcentagem para Linearização 2 (bloco LIN2)
Y28% Ponto 08 do eixo Y em porcentagem para Linearização 2 (bloco LIN2)
Tabela III.19 - Parâmetros da tela 09/12 do modo Parametrização

Parâmetro Descrição
Y31% Ponto 01 do eixo Y em porcentagem para Linearização 3 (bloco LIN3)
Y32% Ponto 02 do eixo Y em porcentagem para Linearização 3 (bloco LIN3)
Y33% Ponto 03 do eixo Y em porcentagem para Linearização 3 (bloco LIN3)
Y34% Ponto 04 do eixo Y em porcentagem para Linearização 3 (bloco LIN3)
Y35% Ponto 05 do eixo Y em porcentagem para Linearização 3 (bloco LIN3)
Y36% Ponto 06 do eixo Y em porcentagem para Linearização 3 (bloco LIN3)
Y37% Ponto 07 do eixo Y em porcentagem para Linearização 3 (bloco LIN3)
Y38% Ponto 08 do eixo Y em porcentagem para Linearização 3 (bloco LIN3)
Y41% Ponto 01 do eixo Y em porcentagem para Linearização 4 (bloco LIN4)
Y42% Ponto 02 do eixo Y em porcentagem para Linearização 4 (bloco LIN4)
Y43% Ponto 03 do eixo Y em porcentagem para Linearização 4 (bloco LIN4)
Y44% Ponto 04 do eixo Y em porcentagem para Linearização 4 (bloco LIN4)
Y45% Ponto 05 do eixo Y em porcentagem para Linearização 4 (bloco LIN4)
Y46% Ponto 06 do eixo Y em porcentagem para Linearização 4 (bloco LIN4)
Y47% Ponto 07 do eixo Y em porcentagem para Linearização 4 (bloco LIN4)
Y48% Ponto 08 do eixo Y em porcentagem para Linearização 4 (bloco LIN4)
Tabela III.20 - Parâmetros da tela 10/12 do modo Parametrização

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 30


Controle e Automação Industrial CPD-400
Parâmetro Descrição
TGF1 Tempo do gráfico 1 em minutos do bloco DISPLAY1
TGF2 Tempo do gráfico 2 em minutos do bloco DISPLAY2
TGF3 Tempo do gráfico 3 em minutos do bloco DISPLAY3
TGF4 Tempo do gráfico 4 em minutos do bloco DISPLAY4
SF1% Valor de Segurança em porcentagem do bloco PID1
SF2% Valor de Segurança em porcentagem do bloco PID2
SF3% Valor de Segurança em porcentagem do bloco PID3
SF4% Valor de Segurança em porcentagem do bloco PID4
FMT1 Fluxo Máximo da Totalização 1 em U.E. (bloco TOTAL1)
FMT2 Fluxo Máximo da Totalização 2 em U.E. (bloco TOTAL2)
FMT3 Fluxo Máximo da Totalização 3 em U.E. (bloco TOTAL3)
FMT4 Fluxo Máximo da Totalização 4 em U.E. (bloco TOTAL4)
FUT1 Fluxo Unitário da Totalização 1 em U.E. (bloco TOTAL1)
FUT2 Fluxo Unitário da Totalização 2 em U.E. (bloco TOTAL2)
FUT3 Fluxo Unitário da Totalização 3 em U.E. (bloco TOTAL3)
FUT4 Fluxo Unitário da Totalização 4 em U.E. (bloco TOTAL4)
Tabela III.21 - Parâmetros da tela 11/12 do modo Parametrização

Parâmetro Descrição
CR1% Corte da raiz quadrada da Entrada Analógica 1 em porcentagem (bloco AIN1)
CR2% Corte da raiz quadrada da Entrada Analógica 2 em porcentagem (bloco AIN2)
CR3% Corte da raiz quadrada da Entrada Analógica 3 em porcentagem (bloco AIN3)
CR4% Corte da raiz quadrada da Entrada Analógica 4 em porcentagem (bloco AIN4)
KAE1 Fator A de compensação de vazão em função de PT ¹ (bloco FLOW-PT)
KBE1 Fator B de compensação de vazão em função de PT ¹(bloco FLOW-PT)
KCE1 Fator C de compensação de vazão em função de PT ¹(bloco FLOW-PT)
KKE1 Fator K de compensação de vazão em função de PT ¹(bloco FLOW-PT)
ZAE1 Zero da Vazão não compensada em U.E. (bloco FLOW-PT)
MAE1 Máximo da Vazão não compensada em U.E. (bloco FLOW-PT)
ZBE1 Zero da Pressão em BAR (bloco FLOW-PT)
MBE1 Máximo da Pressão em BAR (bloco FLOW-PT)
ZCE1 Zero da Temperatura em Kelvin (bloco FLOW-PT)
MCE1 Máximo da Temperatura em Kelvin (bloco FLOW-PT)
ZRE1 Zero da Vazão Compensada em U.E. (bloco FLOW-PT)
MXE1 Máximo da Vazão Compensada em U.E. (bloco FLOW-PT)
Tabela III.22 - Parâmetros da tela 12/12 do modo Parametrização

1: Temperatura e Pressão

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 31


Controle e Automação Industrial CPD-400
III.6 – MODO PARAMETRIZAÇÃO DE STATUS
O CDP-400 possui 32 parâmetros que representam os status dos blocos PIDs, blocos de En-
tradas Analógicas, blocos de Totalização e blocos KEYs (geradores de chaveamento). Estes
parâmetros serão usados pelo produto somente se os blocos que os contêm forem configurados.

III.6.1 – VISUALIZAÇÃO DO MODO PARAMETRIZAÇÃO DE STATUS


Ao entrar no modo Parametrização de Status é exibido o nome deste “StatusPars” seguido da
numeração da tela exibida, que inicialmente é tela “1/2” (primeira tela de duas). Se o usuário navegar
entre as 2 telas, e ao sair deste modo com a tela 2/2 em exibição por exemplo, ao retornar neste
modo, é mostrada a tela anteriormente exibida.
Na seqüência são mostrados 16 parâmetros para cada tela, com seus respectivos status. Veja no
item III.6.2.5 a descrição dos parâmetros e de seus status.

Figura III.8 - Tela de parâmetros do modo Parametrização de Status

III.6.2 – INSTRUÇÕES DE USO


O modo Parametrização de Status é usado para ajustar de acordo com o processo os parâmetros
dos blocos acima citados e configurados no produto.

III.6.2.1 - ALTERNANDO ENTRE TELAS DE PARAMETRIZAÇÃO DE STATUS


A navegação entre as 2 telas de Parametrização de Status é feita através das teclas FAST e
SCRN.
Para avançar na exibição das telas pressione a tecla SCRN e para retroceder pressione a tecla
FAST juntamente com a tecla SCRN.

III.6.2.2 - SELECIONANDO UM PARÂMETRO DE STATUS


Para selecionar um parâmetro de status, são usadas as teclas PREV e NEXT que possibilitam a
navegação entre os mesmos.

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 32


Controle e Automação Industrial CPD-400
Para avançar de um parâmetro de status para outro use a tecla NEXT e para retroceder use a
tecla PREV.

III.6.2.3 - ALTERANDO O VALOR DE UM PARÂMETRO DE STATUS


Para alterar o status do parâmetro selecionado pressione as teclas ⇑ e ⇓.
Obs.: Não é necessário pressionar a tecla ENT para confirmar a mudança de status do parâmetro,
pois estes são alterados instantaneamente.

III.6.2.4 - RESUMO DE FUNÇÕES DE TECLAS OU COMBINAÇÕES DESTAS NO


MODO PARAMETRIZAÇÃO DE STATUS

Tecla Função
MODE+FAST Entra no modo Parametrização de Status e muda a exibição entre este modo, Parametrização,
Caracterização, Configuração de Índices, Configuração de Tags, Configuração e Calibração
SCRN Avança a exibição das telas
FAST+SCRN Retrocede a exibição das telas
NEXT Avança na seleção de parâmetros dentro de uma mesma tela
PREV Retrocede na seleção de parâmetros dentro de uma mesma tela
⇑ Avança nas opções de status do parâmetro selecionado
⇓ Retrocede nas opções de status do parâmetro selecionado
Tabela III.23 - Resumo de funções de teclas ou combinações destas no modo Parametrização de Status

III.6.2.5 - DESCRIÇÃO DOS PARÂMETROS DO MODO PARAMETRIZAÇÃO DE STATUS


A seguir são descritos os parâmetros do modo Parametrização de Status, sendo que cada con-
junto de 16 parâmetros são descritos em tabelas que representam as 2 telas seqüenciais exibidas no
produto.

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 33


Controle e Automação Industrial CPD-400
Parâmetro Descrição
LR1 Tipo de Set-point do PID1
Loc: Local Rem: Remoto
DR1 Tipo de controle do PID1
Dir: Direto Rev: Reverso
AM1 Tipo de controle do PID1
Auto: Automático Man: Manual
SQ1 Status da Raiz quadrada da Entrada Analógica 1 (bloco AIN1)
Off: Desabilitada On: habilitada
TO1 Tipo de totalização (bloco TOTAL1)
Anlg: Analógica Dig: Digital
CL1 Status do Clear da Totalização (bloco TOTAL1)
Off: Clear desabilitado On: Clear habilitado (Mantém em zero a totalização)
(continua totalizando)
KA1 Status da saída 1 do bloco KEYA
Off: saída em 0% On: saída em 100%
KB1 Status da saída 1 do bloco KEYB
Off: saída em 0% On: saída em 100%
LR2 Tipo de Set-point do PID2
Loc: Local Rem: Remoto
DR2 Tipo de controle do PID2
Dir: Direto Rev: Reverso
AM2 Tipo de controle do PID2
Auto: Automático Man: Manual
SQ2 Status da Raiz quadrada da Entrada Analógica 2 (bloco AIN2)
Off: Desabilitada On: habilitada
TO2 Tipo de totalização (bloco TOTAL2)
Anlg: Analógica Dig: Digital
CL2 Status do Clear da Totalização (bloco TOTAL2)
Off: Clear desabilitado On: Clear habilitado (Mantém em zero a totalização)
(continua totalizando)
KA2 Status da saída 2 do bloco KEYA
Off: saída em 0% On: saída em 100%
KB2 Status da saída 2 do bloco KEYB
Off: saída em 0% On: saída em 100%
Tabela III.24 - Parâmetros de Status da tela 1/2 do modo de Parametrização de Status

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 34


Controle e Automação Industrial CPD-400
Parâmetro Descrição
LR3 Tipo de Set-point do PID3
Loc: Local Rem: Remoto
DR3 Tipo de controle do PID3
Dir: Direto Rev: Reverso
AM3 Tipo de controle do PID3
Auto: Automático Man: Manual
SQ3 Status da Raiz quadrada da Entrada Analógica 3 (bloco AIN3)
Off: Desabilitada On: habilitada
TO3 Tipo de totalização (bloco TOTAL3)
Anlg: Analógica Dig: Digital
CL3 Status do Clear da Totalização (bloco TOTAL3)
Off: Clear desabilitado On: Clear habilitado (Mantém em zero a totalização)
(continua totalizando)
KA3 Status da saída 3 do bloco KEYA
Off: saída em 0% On: saída em 100%
KB3 Status da saída 3 do bloco KEYB
Off: saída em 0% On: saída em 100%
LR4 Tipo de Set-point do PID4
Loc: Local Rem: Remoto
DR4 Tipo de controle do PID4
Dir: Direto Rev: Reverso
AM4 Tipo de controle do PID4
Auto: Automático Man: Manual
SQ4 Status da Raiz quadrada da Entrada Analógica 4 (bloco AIN4)
Off: Desabilitada On: habilitada
TO4 Tipo de totalização (bloco TOTAL4)
Anlg: Analógica Dig: Digital
CL4 Status do Clear da Totalização (bloco TOTAL4)
Off: Clear desabilitado On: Clear habilitado (Mantém em zero a totalização)
(continua totalizando)
KA4 Status da saída 4 do bloco KEYA
Off: saída em 0% On: saída em 100%
KB4 Status da saída 4 do bloco KEYB
Off: saída em 0% On: saída em 100%
Tabela III.25 - Parâmetros de Status da tela 2/2 do modo de Parametrização de Status

III.7 – MODO CARACTERIZAÇÃO


O modo Caracterização apresenta parâmetros do tipo Zero e Máximo de vários blocos além de
outros parâmetros que caracterizam blocos PIDs e de Funções. Estes parâmetros são usados pelo
produto somente se os blocos que os contêm forem configurados.

III.7.1 – VISUALIZAÇÃO DO MODO CARACTERIZAÇÃO


Ao entrar no modo Caracterização é exibido o nome deste “Caracteriz” seguido da numeração
da tela exibida, que inicialmente é tela “1/7” (primeira tela de sete). Se o usuário navegar entre as 7
telas, e ao sair deste modo com a tela 3/7 em exibição por exemplo, ao retornar neste modo, é

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 35


Controle e Automação Industrial CPD-400
mostrada a tela anteriormente exibida.
Na seqüência são mostrados 16 parâmetros para as cinco primeiras telas e 12 parâmetros para
as seguintes, com seus respectivos valores em unidade de engenharia ou opções que os caracteri-
zam.

Figura III.9 - Tela de parâmetros do modo Caracterização

III.7.2 – INSTRUÇÕES DE USO


O modo Caracterização é usado para ajustar de acordo com o processo os parâmetros dos blo-
cos configurados no produto.

III.7.2.1 - ALTERNANDO ENTRE TELAS DE CARACTERIZAÇÃO


A navegação entre as 7 telas de Caracterização é feita através das teclas FAST e SCRN.
Para avançar na exibição das telas pressione a tecla SCRN e para retroceder pressione a tecla
FAST juntamente com a tecla SCRN.

III.7.2.2 - SELECIONANDO UM PARÂMETRO


Para selecionar um parâmetro, são usadas as teclas PREV e NEXT que possibilitam a navega-
ção entre os mesmos.
Para avançar de um parâmetro para outro use a tecla NEXT e para retroceder use a tecla PREV.

III.7.2.3 - ALTERANDO O VALOR DE UM PARÂMETRO


Os valores dos parâmetros podem ser alterados através das teclas ⇑, ⇓ e FAST.
Nas seis primeiras telas, para incrementar e decrementar o valor do parâmetro selecionado pres-
sione as teclas ⇑ e ⇓ respectivamente. Para aumentar a velocidade de incremento e decremento pres-
sione juntamente a tecla FAST. Os parâmetros selecionados podem ser ajustados em zero pressio-
nando as teclas ⇑ e ⇓ juntamente.
Os parâmetros da sétima tela são caracterizados através escolha de seus tipos. Para avançar e
retroceder nas opções de tipos apresentadas, pressione as teclas ⇑ e ⇓ respectivamente. Pode-se

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 36


Controle e Automação Industrial CPD-400
ajustar o parâmetro para a primeira opção pressionando as teclas ⇑ e ⇓ juntamente.

Obs.: Não é necessário pressionar a tecla ENT para confirmar a mudança do parâmetro, pois os
valores são alterados instantaneamente.

III.7.2.4 - RESUMO DE FUNÇÕES DE TECLAS OU COMBINAÇÕES DESTAS NO


MODO CARACTERIZAÇÃO
Tecla Função
MODE+FAST Entra no modo Caracterização e muda a exibição entre este modo, Parametrização, Parametrização
de Status, Configuração de Índices, Configuração de Tags, Configuração e Calibração
SCRN Avança a exibição das telas
FAST+SCRN Retrocede a exibição das telas
NEXT Avança na seleção de parâmetros dentro de uma mesma tela
PREV Retrocede na seleção de parâmetros dentro de uma mesma tela
⇑ Incrementa o valor ou avança nas opções de tipos do parâmetro selecionado
⇓ Decrementa o valor ou retrocede nas opções de tipos do parâmetro selecionado
FAST+ Incrementa rapidamente o valor do parâmetro selecionado
FAST+ Decrementa rapidamente o valor do parâmetro selecionado
⇑ +⇓
⇓ Ajusta o parâmetro em zero ou para a primeira opção de tipos
Tabela III.26 - Resumo de funções de teclas ou combinações destas no modo Caracterização

III.7.2.5 - DESCRIÇÃO DOS PARÂMETROS DO MODO CARACTERIZAÇÃO


A seguir são descritos os parâmetros do modo Caracterização, sendo que cada conjunto de
parâmetros são descritos em tabelas que representam as 7 telas seqüenciais exibidas no produto.
Nota: U.E. => Unidade de Engenharia
Parâmetro Descrição
ZRP1 Zero do PID1 em U.E.
ZRP2 Zero do PID2 em U.E.
ZRP3 Zero do PID3 em U.E.
ZRP4 Zero do PID4 em U.E.
MXP1 Máximo do PID1 em U.E.
MXP2 Máximo do PID2 em U.E.
MXP3 Máximo do PID3 em U.E.
MXP4 Máximo do PID4 em U.E.
ZRI1 Zero da Entrada Analógica 1 em U.E. (bloco AIN1)
ZRI2 Zero da Entrada Analógica 2 em U.E. (bloco AIN2)
ZRI3 Zero da Entrada Analógica 3 em U.E. (bloco AIN3)
ZRI4 Zero da Entrada Analógica 4 em U.E. (bloco AIN4)
ZRI5 Zero da Entrada Analógica 5 em U.E. (bloco AIN5)
ZRI6 Zero da Entrada Analógica 6 em U.E. (bloco AIN6)
ZFI1 Zero da Entrada de Freqüência 1 em U.E. (bloco FIN1)
ZFI2 Zero da Entrada de Freqüência 2 em U.E. (bloco FIN2)
Tabela III.27 - Parâmetros da tela 1/7 do modo Caracterização

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 37


Controle e Automação Industrial CPD-400
Parâmetro Descrição
ZFI3 Zero da Entrada de Freqüência 3 em U.E. (bloco FIN3)
ZFI4 Zero da Entrada de Freqüência 4 em U.E. (bloco FIN4)
MXI1 Máximo da Entrada Analógica 1 em U.E. (bloco AIN1)
MXI2 Máximo da Entrada Analógica 2 em U.E. (bloco AIN2)
MXI3 Máximo da Entrada Analógica 3 em U.E. (bloco AIN3)
MXI4 Máximo da Entrada Analógica 4 em U.E. (bloco AIN4)
MXI5 Máximo da Entrada Analógica 5 em U.E. (bloco AIN5)
MXI6 Máximo da Entrada Analógica 6 em U.E. (bloco AIN6)
MFI1 Máximo da Entrada de Freqüência 1 em U.E. (bloco FIN1)
MFI2 Máximo da Entrada de Freqüência 2 em U.E. (bloco FIN2)
MFI3 Máximo da Entrada de Freqüência 3 em U.E. (bloco FIN3)
MFI4 Máximo da Entrada de Freqüência 4 em U.E. (bloco FIN4)
ZRF5 Zero da saída do bloco FUNCT5 em U.E.
ZRF6 Zero da saída do bloco FUNCT6 em U.E.
ZRF7 Zero da saída do bloco FUNCT7 em U.E.
ZRF8 Zero da saída do bloco FUNCT8 em U.E.
Tabela III.28 - Parâmetros da tela 2/7 do modo Caracterização

Parâmetro Descrição
MXF5 Máximo da saída do bloco FUNCT5 em U.E.
MXF6 Máximo da saída do bloco FUNCT6 em U.E.
MXF7 Máximo da saída do bloco FUNCT7 em U.E.
MXF8 Máximo da saída do bloco FUNCT8 em U.E.
ZAF5 Zero da entrada A do bloco FUNCT5 em U.E.
ZAF6 Zero da entrada A do bloco FUNCT6 em U.E.
ZAF7 Zero da entrada A do bloco FUNCT7 em U.E.
ZAF8 Zero da entrada A do bloco FUNCT8 em U.E.
MAF5 Máximo da entrada A do bloco FUNCT5 em U.E.
MAF6 Máximo da entrada A do bloco FUNCT6 em U.E.
MAF7 Máximo da entrada A do bloco FUNCT7 em U.E.
MAF8 Máximo da entrada A do bloco FUNCT8 em U.E.
ZBF5 Zero da entrada B do bloco FUNCT5 em U.E.
ZBF6 Zero da entrada B do bloco FUNCT6 em U.E.
ZBF7 Zero da entrada B do bloco FUNCT7 em U.E.
ZBF8 Zero da entrada B do bloco FUNCT8 em U.E.
Tabela III.29 - Parâmetros da tela 3/7 do modo Caracterização

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 38


Controle e Automação Industrial CPD-400
Parâmetro Descrição
MBF5 Máximo da entrada B do bloco FUNCT5 em U.E.
MBF6 Máximo da entrada B do bloco FUNCT6 em U.E.
MBF7 Máximo da entrada B do bloco FUNCT7 em U.E.
MBF8 Máximo da entrada B do bloco FUNCT8 em U.E.
ZAD1 Zero do display numérico 1 do Loop 1 em U.E. (bloco DSPLP1)
ZAD2 Zero do display numérico 1 do Loop 2 em U.E. (bloco DSPLP2)
ZAD3 Zero do display numérico 1 do Loop 3 em U.E. (bloco DSPLP3)
ZAD4 Zero do display numérico 1 do Loop 4 em U.E. (bloco DSPLP4)
MAD1 Máximo do display numérico 1 do Loop 1 em U.E. (bloco DSPLP1)
MAD2 Máximo do display numérico 1 do Loop 2 em U.E. (bloco DSPLP2)
MAD3 Máximo do display numérico 1 do Loop 3 em U.E. (bloco DSPLP3)
MAD4 Máximo do display numérico 1 do Loop 4 em U.E. (bloco DSPLP4)
ZBD1 Zero do display numérico 2 do Loop 1 em U.E. (bloco DSPLP1)
ZBD2 Zero do display numérico 2 do Loop 2 em U.E. (bloco DSPLP2)
ZBD3 Zero do display numérico 2 do Loop 3 em U.E. (bloco DSPLP3)
ZBD4 Zero do display numérico 2 do Loop 4 em U.E. (bloco DSPLP4)
Tabela III.30 - Parâmetros da tela 4/7 do modo Caracterização

Parâmetro Descrição
MBD1 Máximo do display numérico 2 do Loop 1 em U.E. (bloco DSPLP1)
MBD2 Máximo do display numérico 2 do Loop 2 em U.E. (bloco DSPLP2)
MBD3 Máximo do display numérico 2 do Loop 3 em U.E. (bloco DSPLP3)
MBD4 Máximo do display numérico 2 do Loop 4 em U.E. (bloco DSPLP4)
ZCD1 Zero da barra 1 do Loop 1 em U.E. no LCD (bloco DSPLP1)
ZCD2 Zero da barra 1 do Loop 2 em U.E. no LCD (bloco DSPLP2)
ZCD3 Zero da barra 1 do Loop 3 em U.E. no LCD (bloco DSPLP3)
ZCD4 Zero da barra 1 do Loop 4 em U.E. no LCD (bloco DSPLP4)
MCD1 Máximo da barra 1 do Loop 1 em U.E. no LCD (bloco DSPLP1)
MCD2 Máximo da barra 1 do Loop 2 em U.E. no LCD (bloco DSPLP2)
MCD3 Máximo da barra 1 do Loop 3 em U.E. no LCD (bloco DSPLP3)
MCD4 Máximo da barra 1 do Loop 4 em U.E. no LCD (bloco DSPLP4)
ZDD1 Zero da barra 2 do Loop 1 em U.E. no LCD (bloco DSPLP1)
ZDD2 Zero da barra 2 do Loop 2 em U.E. no LCD (bloco DSPLP2)
ZDD3 Zero da barra 2 do Loop 3 em U.E. no LCD (bloco DSPLP3)
ZDD4 Zero da barra 2 do Loop 4 em U.E. no LCD (bloco DSPLP4)
Tabela III.31 - Parâmetros da tela 5/7 do modo Caracterização

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 39


Controle e Automação Industrial CPD-400
Parâmetro Descrição
MDD1 Máximo da barra 2 do Loop 1 em U.E. no LCD (bloco DSPLP1)
MDD2 Máximo da barra 2 do Loop 2 em U.E. no LCD (bloco DSPLP2)
MDD3 Máximo da barra 2 do Loop 3 em U.E. no LCD (bloco DSPLP3)
MDD4 Máximo da barra 2 do Loop 4 em U.E. no LCD (bloco DSPLP4)
ZED1 Zero do gráfico do Loop 1 em U.E. no LCD (bloco DSPLP1)
ZED2 Zero do gráfico do Loop 2 em U.E. no LCD (bloco DSPLP2)
ZED3 Zero do gráfico do Loop 3 em U.E. no LCD (bloco DSPLP3)
ZED4 Zero do gráfico do Loop 4 em U.E. no LCD (bloco DSPLP4)
MED1 Máximo do gráfico do Loop 1 em U.E. no LCD (bloco DSPLP1)
MED2 Máximo do gráfico do Loop 2 em U.E. no LCD (bloco DSPLP2)
MED3 Máximo do gráfico do Loop 3 em U.E. no LCD (bloco DSPLP3)
MED4 Máximo do gráfico do Loop 4 em U.E. no LCD (bloco DSPLP4)
Tabela III.32 - Parâmetros da tela 6/7 do modo Caracterização
Parâmetro Descrição
ADP1 Tipo da ação do Ganho Adaptativo do bloco PID1
ADP2 Tipo da ação do Ganho Adaptativo do bloco PID2
ADP3 Tipo da ação do Ganho Adaptativo do bloco PID3
ADP4 Tipo da ação do Ganho Adaptativo do bloco PID4
Tipos da ação do Ganho Adaptativo¹
None Nenhum tipo escolhido
G.PID Ganho Adp x (P.I.D)
G.PI Ganho Adp x (P.I)
G.P Ganho Adp x P
G.I Ganho Adp x I
G.D Ganho Adp x D
G + PID Ganho Adp + P.I.D; onde Ganho Adp = Bias (+ ou - )
Nota Ganho Adp => valor da entrada E do bloco PID
FCN1 Tipo de função do bloco FUNCT1
FCN2 Tipo de função do bloco FUNCT2
FCN3 Tipo de função do bloco FUNCT3
FCN4 Tipo de função do bloco FUNCT4
Tipos de funções dos blocos FUNCT1 a FUNCT4
OR Executa lógica OR das entradas A,B e C
AND Executa lógica AND das entradas A, B e C
NOR Executa LÓGICA NOR das entradas A, B e C
NAND Executa LÓGICA NAND das entradas A, B e C
LOW Seleciona o menor valor dentre os presentes nas entradas A,B e C
HIGH Seleciona o maior valor dentre os presentes nas entradas A,B e C
ADD Executa a equação => saída = (A% x TLFX) + (B% x THFX) + C%
MULT Executa a equação => saída = (A% x TLFX) x (B% x THFX) x C%
DIV Executa a equação => saída = (A% x TLFX) / (B% x THFX) / C%
RANGE Executa a equação => saída = [(A% x TLFX/100%)-THFX] x (B% - C%)] + C%
Astabl Executa um Temporizador do tipo Astável
MonEst Executa um Temporizador do tipo Monoestável em ON
Ramp Executa uma subida de rampa e uma descida de rampa baseado em THFX TLFX
LdLag o tipo Lead Lag permite um avanço ou atraso do sinal em sua entrada
DeadTM o tipo Dead Time permite que o valor da saída seja o mesmo da entrada A
SPGen Gerador de Set-point, saída varia de 0% a 100% no intervalo de tempo de THFX
Module Executa a equação => saída = | A%| , a qual extrai o modulo da entrada A
SqRoot SqRoot: Executa a equação => saída = A%
Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 40
Controle e Automação Industrial CPD-400
FCN6 Tipo de função do bloco FUNCT6
FCN7 Tipo de função do bloco FUNCT7
FCN8 Tipo de função do bloco FUNCT8
Tipos de funções dos blocos FUNCT5 a FUNCT8
OR Executa lógica OR das entradas A e B
AND Executa lógica AND das entradas A e B
XOR Executa a lógica XOR das entradas A e B
NOR Executa a lógica NOR das entradas A e B
NAND Executa a lógica NAND das entradas A e B
NXOR Executa a lógica NXOR das entradas A e B
LOW Seleciona o menor valor dentre os presentes nas entradas A e B
HIGH Seleciona o maior valor dentre os presentes nas entradas A e B
FlipRS Executa a lógica de um Flip-Flop do tipo RS
SmpHld Executa um Sample-Hold, se B=0 saída = A, se B=1 saída = último valor de A
Add Executa a equação => saída = (A% x GAFX) + (B% x GBFX)
Mult Executa a equação => saída = [(A% x GAFX) x (B% x GBFX)]/100%
Div Executa a equação => saída = (A% x GAFX)/(B% x GBFX) x 100%
Equ1 Saída = (GAFX x A²)+(GBFX x B²)+(GCFX x A² x B)+(GDFX x A x B)+(GEFX x A)+(GFFX x B) + GGFX
Equ2 Saída = [(GAFX x A) x (GBFX x B) + (GCFX x A)] / [(GDFX x B) + GEFX]
PolX^2 Saída = GCFX x (A-B)² + GBFX x (A-B) + GAFX
PolX^3 Saída = GDFX x (A-B)³ + GCFX x (A-B)² + GBFX x (A-B) + GAFX
Tabela III.33 - Parâmetros da tela 7/7 do modo Caracterização

1: Para maiores explicações sobre tipos da ação do Ganho Adaptativo veja item IV.11.1.
2: Para maiores explicações sobre tipos de funções de 1 a 4 veja item IV.10.1.
3: Para maiores explicações sobre tipos de funções de 5 a 8 veja item IV.10.2.

III.8 – MODO CONFIGURAÇÃO DE ÍNDICES


O modo Configuração de Índices apresenta 32 parâmetros indicadores. Estes podem ser confi-
gurados pelo usuário que escolhe para cada um a variável do processo a ser representada.

III.8.1 – VISUALIZAÇÃO DO MODO CONFIGURAÇÃO DE ÍNDICES


Ao entrar no modo Configuração de Índices é exibido o nome deste “ConfigIndex” seguido da
numeração da tela exibida, que inicialmente é tela “1/2” (primeira tela de duas). Se o usuário nave-
gar entre as 2 telas, e ao sair deste modo com a tela 2/2 em exibição por exemplo, ao retornar neste
modo é mostrada a tela anteriormente exibida.
Na sequência, são mostrados 16 indicadores que são mostrados no modo de Operação (tela 1/
2). Dentre estes, o usuário pode configurar o número de indicadores necessários a serem monitorados,
e os restantes podem ser desabilitados.
Na tela seguinte são mostrados 4 indicadores que representam o valor central do eixo vertical
dos gráficos referentes aos Loops de 1 a 4 respectivamente. Os demais indicadores são de expan-
são e não são usados pelo CDP-400.
As opções de configuração dos indicadores podem ser os parâmetros de configuração, entradas
analógicas e de freqüência, saídas analógicas, totalizações, PVs, MVs entre outras variáveis do processo.

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 41


Controle e Automação Industrial CPD-400

Figura III.10 - Visualização do modo Configuração de Índices

III.8.2 - INSTRUÇÕES DE USO


O modo Configuração de Índices é usado para o operador escolher as variáveis do processo a
serem monitoradas no modo de Operação.

III.8.2.1 - ALTERNANDO ENTRE TELAS DE CONFIGURAÇÃO DE ÍNDICES


A navegação entre as 2 telas de Configuração de Índices é feita através das teclas FAST e SCRN.
Para avançar na exibição das telas pressione a tecla SCRN e para retroceder pressione a tecla
FAST juntamente com a tecla SCRN.

III.8.2.2 - SELECIONANDO UM INDICADOR


Para selecionar um indicador, são usadas as teclas PREV e NEXT que possibilitam a navegação
entre os mesmos.
Para avançar de um parâmetro indicador para outro use a tecla NEXT e para retroceder use a
tecla PREV.

III.8.2.3 - ALTERANDO O VALOR DE UM INDICADOR


Para alterar o parâmetro a ser representado pelo indicador selecionado pressione as teclas ⇑ e
⇓. Se estas forem pressionadas juntas, o equipamento volta a exibição de parâmetros para o primei-
ro da lista.
Obs.: Não é necessário pressionar a tecla ENT para confirmar a mudança de parâmetros dos
indicadores, pois estes são alterados instantaneamente.

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 42


Controle e Automação Industrial CPD-400
III.8.2.4 - RESUMO DE FUNÇÕES DE TECLAS OU COMBINAÇÕES DESTAS NO MODO
CONFIGURAÇÃO DE ÍNDICES

Tecla Função
MODE+FAST Entra no modo Configuração de Índices e muda a exibição entre este modo, Parametrização,
Parametrização de Status, Caracterização, Configuração de Tags, Configuração e Calibração.
SCRN Avança a exibição das telas.
FAST+SCRN Retrocede a exibição das telas.
NEXT Avança na seleção de parâmetros dentro de uma mesma tela.
PREV Retrocede na seleção de parâmetros dentro de uma mesma tela.
⇑ Avança nas opções de status do parâmetro selecionado.
⇓ Retrocede nas opções de status do parâmetro selecionado.
⇑ ⇓ Exibe o primeiro parâmetro da lista de opções.
Tabela III.34 - Resumo de funções de teclas ou combinações destas no modo Configuração de Índices

III.8.2.5 - DESCRIÇÃO DOS INDICADORES DO MODO CONFIGURAÇÃO DE ÍNDICES


A seguir são descritos os indicadores do modo Configuração de Índices, sendo que cada con-
junto de 16 parâmetros são descritos em tabelas que representam as 2 telas seqüenciais exibidas no
produto.

Parâmetro Descrição
OP01 Índice do parâmetro 01 (bloco GENDSP)
OP02 Índice do parâmetro 02 (bloco GENDSP)
OP03 Índice do parâmetro 03 (bloco GENDSP)
OP04 Índice do parâmetro 04 (bloco GENDSP)
OP05 Índice do parâmetro 05 (bloco GENDSP)
OP06 Índice do parâmetro 06 (bloco GENDSP)
OP07 Índice do parâmetro 07 (bloco GENDSP)
OP08 Índice do parâmetro 08 (bloco GENDSP)
OP09 Índice do parâmetro 09 (bloco GENDSP)
OP10 Índice do parâmetro 10 (bloco GENDSP)
OP11 Índice do parâmetro 11 (bloco GENDSP)
OP12 Índice do parâmetro 12 (bloco GENDSP)
OP13 Índice do parâmetro 13 (bloco GENDSP)
OP14 Índice do parâmetro 14 (bloco GENDSP)
OP15 Índice do parâmetro 15 (bloco GENDSP)
OP16 Índice do parâmetro 16 (bloco GENDSP)
Tabela III.35 - Indicadores da tela 1/2 do modo Configuração de Índices

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 43


Controle e Automação Industrial CPD-400
Parâmetro Descrição
GRP1 Valor central do eixo vertical dos gráfico do Loop 1 (DSPLP1)
GRP2 Valor central do eixo vertical dos gráfico do Loop 2 (DSPLP2)
GRP3 Valor central do eixo vertical dos gráfico do Loop 3 (DSPLP3)
GRP4 Valor central do eixo vertical dos gráfico do Loop 4 (DSPLP4)
EX12 Índice de expansão (não usado)
EX11 Índice de expansão (não usado)
EX10 Índice de expansão (não usado)
EX09 Índice de expansão (não usado)
EX08 Índice de expansão (não usado)
EX07 Índice de expansão (não usado)
EX06 Índice de expansão (não usado)
EX05 Índice de expansão (não usado)
EX04 Índice de expansão (não usado)
EX03 Índice de expansão (não usado)
EX02 Índice de expansão (não usado)
EX01 Índice de expansão (não usado)
Tabela III.36 - Indicadores da tela 2/2 do modo Configuração de Índices

III.9 – MODO CONFIGURAÇÃO DE TAGS


O modo Configuração de Tags permite que o operador configure todos os Tags de variáveis
usadas no processo. Podem ser configurados os tags de PIDs, alarmes, parâmetros, barras, gráfi-
cos, entradas e saídas analógicas, entradas de freqüência e o tag do equipamento.

III.9.1 – VISUALIZAÇÃO DO MODO CONFIGURAÇÃO DE TAGS


Ao entrar no modo Configuração de Tags é exibido o nome deste “ConfigIndex” seguido da nu-
meração da tela exibida, que inicialmente é tela “1/5” (primeira tela de cinco). Se o usuário navegar
entre as 5 telas, e ao sair deste modo com a tela 3/5 em exibição por exemplo, ao retornar neste
modo, é mostrada a tela anteriormente exibida.
Na sequência são mostrados os tags subdivididos de acordo com o tipo de cada. Na tabela
abaixo são mostrados os tipos de tags, sua descrições, o número possível destes a serem configura-
dos e a tela que são exibidos.

Tipo de Tags Descrição N.º de Tags Tela


Device Tag Tag do equipamento 01 1/5
PIDs Tags Tags dos PIDs 04 1/5
Alm Low Tags Tags dos Alarmes de Baixa 08 2/5
Alm High Tags Tags dos Alarmes de Alta 08 2/5
Param Tags Tags dos parâmetros exibidos no modo de Operação 16 3/5
Bar A Tags Tags das Barras exibidas à esquerda da tela no modo de Operação 04 4/5
Bar B Tags Tags das Barras exibidas à direita da tela no modo de Operação 04 4/5
Graph Tags Tags dos Gráficos 04 4/5
Anlg In Tags Tags das entradas analógicas 06 5/5
Anlg Out Tags Tags das saídas analógicas 04 5/5
Freq In Tags Tags da entradas de freqüência 04 5/5
Tabela III.37 - Descrição da visualização dos tags no modo Configuração de Tags

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 44


Controle e Automação Industrial CPD-400

Figura III.11 - Tela de Visualização do modo Configuração de Tags

III.9.2 – INSTRUÇÕES DE USO E CONFIGURAÇÃO


Este modo permite a visualização e configuração dos tags presentes no CDP-400.

III.9.2.1 - ALTERNANDO ENTRE TELAS DE CONFIGURAÇÃO DE TAGS


Para alternar entre as telas deste modo pressione a tecla SCRN, que avança a exibição das telas
até retornar à primeira.

III.9.2.2 - SELECIONANDO UM TAG


A seleção dos tags é feita através das teclas PREV e NEXT. A primeira retrocede e a segunda
avança na seleção dos tags, mesmo que seja exibido mais de um tipo de tags na mesma tela. É
exibida uma seta à esquerda do Tag para indicar a seleção deste.

III.9.2.3 - EDITANDO OU ALTERANDO UM TAG


A edição ou alteração de tags é feita através das teclas ENT, ⇑, ⇓, PREV e NEXT, sendo ne-
cessária sua seleção anteriormente.
• Iniciando a edição/alteração de um tag
Para iniciar a edição/alteração de um tag pressione a tecla ENT. Após esta operação, a seta que
indica seleção será substituída por um lápis e um cursor se manterá piscando sobre o primeiro espa-
ço de edição do tag ou sobre o primeiro caracter a ser alterado.
• Selecionando um caracter da lista de caracteres
Em seguida, para escolher o caracter de edição pressione as teclas ⇑ ou ⇓, que avança ou retro-
cede na exibição dos caracteres respectivamente. O CDP-400 exibe uma lista de caracteres
alfanuméricos.

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 45


Controle e Automação Industrial CPD-400
• Avançando ou retrocedendo um caracter na edição de um tag
Durante a edição, para avançar para a edição/alteração do próximo caracter do tag ou
retroceder para o anterior, pressione respectivamente as teclas NEXT e PREV.
• Finalizando a edição/alteração de um tag
Para finalizar a edição/alteração pressione a tecla ENT novamente. Após esta última operação, o
cursor para de piscar e o lápis exibido à esquerda do tag será substituído pela seta de seleção.

III.9.3 - RESUMO DE FUNÇÕES DE TECLAS OU COMBINAÇÕES DESTAS NO MODO


CONFIGURAÇÃO DE TAGS
Tecla Função
MODE+FAST Entra no modo Configuração de Tags e muda a exibição entre este modo, Parametrização,
Parametrização de Status, Caracterização, Configuração de Índices, Configuração e Calibração
SCRN Avança a exibição das telas
NEXT Avança na seleção de um tag dentro de uma mesma tela; oudurante edição, avança na seleção
de um caracter
PREV Retrocede na seleção de um tag dentro de uma mesma tela; ou durante edição, retrocede na
seleção de um caracter
ENT Inicia e finaliza a edição/alteração de um tag
⇑ Avança nas opções de caracteres alfanuméricos
⇓ Retrocede nas opções de caracteres alfanuméricos
Tabela III.38 - Resumo de funções de teclas ou combinações destas no modo Configuração de Tags

III.10 - MODO CONFIGURAÇÃO


O modo Configuração permite que o usuário faça a configuração do CDP-400 de acordo com o
processo através de seus blocos, os quais são blocos de Entradas e Saídas Analógicas, Entradas de
Freqüência, Alarmes, PIDs, Entradas e Saídas Digitais, Linearizações, Totalizações, Funções,
Multiplexadores, Constantes, Displays entre outros blocos.

III.10.1 – VISUALIZAÇÃO DO MODO CONFIGURAÇÃO


Ao entrar no modo Configuração é exibido o nome deste “Configuration”. Em seguida são mos-
tradas informações referentes aos blocos configurados no CDP-400.
Logo abaixo do nome do modo, são exibidos os seguintes itens:
• PrevBlk: Nome do bloco anterior ao bloco em edição.
Esta indicação informa o bloco anterior ao bloco que está sendo visualizado no item de edição
de blocos, sendo que estes blocos já estão configurados no equipamento. Caso o bloco exibido no
item de edição (item abaixo) for o primeiro bloco do total de blocos configurados no CDP-400, é
mostrada a indicação start que indica início da configuração.
• Block XXX/YYY
Onde: XXX – número do bloco que está sendo visualizado para edição.
YYY – número total de blocos configurados.
Esta indicação informa o número do bloco, dentre o total de blocos configurados, que está sen-

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 46


Controle e Automação Industrial CPD-400
do exibido para edição.
Abaixo do item Block é exibido o nome do bloco, e na seqüência as entradas configuradas des-
te. Veja o exemplo abaixo:
Block 001/040
APEX1
INA: GABI1
INB: LIN3
INC: ZERO
O exemplo acima exibe a configuração do primeiro bloco configurado no CDP-400 e somente
suas entradas configuradas, podendo o bloco apresentar mais entradas, porém não configuradas.
Cada bloco do CDP-400 possui um número específico de entradas e saídas que são detalhadas
juntamente com a função de cada bloco.
• NextBlk: Nome do bloco posterior ao bloco em edição
Esta indicação informa o próximo bloco ao bloco que está sendo visualizado no item de edição
de blocos, sendo que estes blocos já estão configurados no equipamento. Caso o bloco exibido do
item de edição (item acima) seja o último bloco configurado do equipamento, é mostrada neste item
a indicação <end> que significa fim da configuração.
Na sequência são exibidas informações de manuseio com o teclado para que o usuário possa
configurar o CDP-400. Explicações sobre a função de cada tecla ou a combinação destas para este
modo estão no item III.10.2.

Figura III.12 - Tela de visualização do modo Configuração

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 47


Controle e Automação Industrial CPD-400
III.10.2 – INSTRUÇÕES DE USO E CONFIGURAÇÃO
O modo Configuração permite que o usuário visualize e desenvolva a configuração do CDP-400.

III.10.2.1 - NAVEGANDO ENTRE BLOCOS CONFIGURADOS


A navegação entre os blocos configurados é feita através das teclas SCRN e FAST.
Para avançar entre os blocos configurados pressione a tecla SCRN, e para retroceder pressione
juntamente a tecla FAST.
Durante a navegação entre os blocos é exibido o número do bloco no item Block como descrito
em III.10.1, assim como é exibido o bloco com suas possíveis entradas configuradas.

III.10.2.2 - INSERINDO UM BLOCO NA CONFIGURAÇÃO


A inserção de um bloco na configuração é feita na posição posterior a do bloco selecionado (veja
item III.10.2.1). Se o equipamento possui configuração, selecione a posição a qual o bloco será
inserido posteriormente, caso contrário, o bloco é inserido na primeira posição.
Depois de escolhida a posição de inserção, pressione a tecla ENT. Esta operação avança uma
posição na numeração de todos os blocos configurados após o bloco selecionado, e insere o bloco
ZERO (bloco inicial da lista de blocos do CDP-400) na posição posterior a este.
Ao inserir blocos, é necessário armazenar a configuração no equipamento para que estas inser-
ções sejam efetivadas, caso contrário, se o usuário selecionar outro modo de operação, ao retornar
ao modo de configuração esta não conterá as possíveis inserções realizadas. Veja item III.10.2.7
para armazenar a configuração no CDP-400.

III.10.2.3 - REMOVENDO UM BLOCO DA CONFIGURAÇÃO


Para remover um bloco da configuração, selecione o bloco desejado e em seguida pressione a
tecla A/M. Após esta operação, se existirem blocos configurados após o bloco removido, todos os
blocos após este retrocedem uma posição na numeração dos blocos.
Ao remover blocos, é necessário armazenar a configuração no equipamento para que sejam efe-
tivadas as mudanças, caso contrário, se o usuário selecionar outro modo de operação, ao retornar
ao modo de Configuração esta não conterá as modificações realizadas. Veja item III.10.2.7 para
armazenar a configuração no CDP-400.

III.10.2.4 - MODIFICANDO UM BLOCO DA CONFIGURAÇÃO


A modificação de um bloco é feita através das teclas ⇑ e ⇓.
Para avançar nas opções de blocos do CDP-400 pressione a tecla ⇑ e para retroceder pressio-
ne a tecla ⇓.
Ao realizar a modificação, é necessário armazenar a configuração no equipamento para que esta
seja efetivada, caso contrário, se o usuário selecionar outro modo de operação, ao retornar ao modo

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 48


Controle e Automação Industrial CPD-400
de Configuração esta não conterá as modificações realizadas. Veja item III.10.2.7 para armazenar a
configuração no CDP-400.

III.10.2.5 - NAVEGANDO ENTRE ENTRADAS DO BLOCO SELECIONADO


Ao selecionar um bloco, se este possui entradas, é possível navegar entre as entradas para
selecioná-las e retornar a seleção ao bloco. Pressione a tecla PREV para retroceder na seleção e a
tecla NEXT para avançar na seleção.

III.10.2.6 - CONFIGURANDO AS ENTRADAS DO BLOCO SELECIONADO


Ao inserir um bloco no CDP-400, se este possui entradas, estas vêm configuradas com saídas
padrões. Para modificar a configuração das entradas, é preciso selecionar a entrada (veja item
III.10.2.5). Em seguida pressione a tecla ⇑ para avançar nas opções de saídas de blocos do CDP-
400 e a tecla ⇓ para retroceder.
Ao realizar modificações, é necessário armazenar a configuração no equipamento para que estas
sejam efetivadas, caso contrário, se o usuário selecionar outro modo de operação, ao retornar ao
modo de Configuração esta não conterá as modificações realizadas. Veja item III.10.2.7 para arma-
zenar a configuração no CDP-400.

III.10.2.7 - ARMAZENANDO A CONFIGURAÇÃO NO CDP-400


O armazenamento da configuração no CDP-400 é realizado para que este execute a configura-
ção do usuário. Para tal, pressione a tecla FAST juntamente com a tecla ENT. Após esta operação,
o equipamento salva e encerra a configuração, mudando para o modo de Operação.

III.10.2.8 - APAGANDO TODA CONFIGURAÇÃO DO CDP-400


Para apagar toda a configuração do equipamento, pressione a tecla FAST juntamente com a te-
cla A/M. Observe que após limpar toda configuração, são exibidos os itens PrevBlk: start, que in-
dica início de configuração, Block: 001/000, que indica equipamento sem configuração e NextBlk:
<end> que indica fim de configuração, pois esta está sem nenhum bloco configurado.
Esta operação é efetivada somente se o usuário armazenar a configuração já apagada no equi-
pamento.

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 49


Controle e Automação Industrial CPD-400
III.10.2.9 - RESUMO DE FUNÇÕES DE TECLAS OU COMBINAÇÕES DESTAS NO
MODO CONFIGURAÇÃO
Tecla Função
MODE+FAST Entra no modo Configuração e muda a exibição entre este modo, Parametrização, Parametrização
de Status, Caracterização, Configuração de Índices, Configuração de Tags e Calibração
SCRN Avança na exibição dos blocos configurados
FAST+SCRN Retrocede na exibição dos blocos configurados
ENT Insere um bloco na configuração¹
A/M Remove um bloco da configuração¹
NEXT Avança na seleção entre entradas de um bloco
PREV Retrocede na seleção entre entradas de um bloco
⇑ Avança nas opções de blocos ou saídas de blocos para configuração das entradas¹
⇓ Retrocede nas opções de blocos e saídas de blocos para configuração das entradas¹
FAST+ENT Armazena a configuração para o CDP-400
FAST+A/M Apaga toda a configuração do CDP-400¹
Tabela III.39 - Resumo de funções de teclas ou combinações destas no modo Configuração
1: Após estas operações é necessário armazenar a configuração para que as mudanças sejam
efetivadas.
III.11 - MODO CALIBRAÇÃO
O modo Calibração apresenta parâmetros de calibração das entradas e saídas do CDP-400 e
permite que os mesmos sejam configurados pelo usuário. Veja capítulo XXX para maiores explica-
ções sobre como calibrar as entradas e saídas do equipamento.

III.11.1 - VISUALIZAÇÃO DO MODO CALIBRAÇÃO


Ao entrar no modo Calibração é exibido o nome deste “Calibration” seguido da numeração da
tela exibida, que inicialmente é tela “1/2” (primeira tela de duas). Se o usuário navegar entre as 2
telas, e ao sair deste modo com a tela 2/2 em exibição por exemplo, ao retornar neste modo, é
mostrada a tela anteriormente exibida.
Na sequência, são mostrados 14 parâmetros de calibração e na tela seguinte são mostrados os 7
parâmetros restantes.

Figura III.13 - Tela de visualização do modo Calibração

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 50


Controle e Automação Industrial CPD-400
III.11.2 – INSTRUÇÕES DE USO
O modo de Calibração permite que o usuário configure os parâmetros de calibração das entra-
das e saídas do CDP-400.

III.11.2.1 - ALTERNANDO ENTRE TELAS DE CALIBRAÇÃO


A navegação entre as 2 telas de Calibração é feita através das teclas FAST e SCRN.
Para avançar na exibição das telas pressione a tecla SCRN e para retroceder pressione a tecla
FAST juntamente com a tecla SCRN.

III.11.2.2 - SELECIONANDO UM PARÂMETRO


Para selecionar um parâmetro de calibração, são usadas as teclas PREV e NEXT que possibili-
tam a navegação entre os mesmos.
Para avançar de um parâmetro para outro use a tecla NEXT e para retroceder use a tecla PREV.

III.11.2.3 - ALTERANDO O VALOR DE UM PARÂMETRO


Os valores dos parâmetros podem ser alterados através das teclas ⇑, ⇓ e FAST.
Para incrementar e decrementar o valor do parâmetro selecionado pressione as teclas ⇑ e ⇓ res-
pectivamente. Para aumentar a velocidade de incremento e decremento pressione juntamente a te-
cla FAST. Os parâmetros selecionados podem ser ajustados em zero pressionando as teclas ⇑ e ⇓
juntamente.
Obs.: Não é necessário pressionar a tecla ENT para confirmar a mudança do parâmetro, pois os
valores são alterados instantaneamente.

III.11.2.4 - RESUMO DE FUNÇÕES DE TECLAS OU COMBINAÇÕES DESTAS NO


MODO CALIBRAÇÃO

Tecla Função
MODE+FAST Entra no modo Calibração e muda a exibição entre este modo, Parametrização, Parametrização
de Status, Caracterização, Configuração de Índices, Configuração de Tags e Configuração.
SCRN Avança a exibição das telas.
FAST+SCRN Retrocede a exibição das telas.
NEXT Avança na seleção de parâmetros dentro de uma mesma tela..
PREV Retrocede na seleção de parâmetros dentro de uma mesma tela
⇑ Incrementa o valor do parâmetro selecionado.
⇓ Decrementa o valor do parâmetro selecionado.

FAST+⇑ Incrementa rapidamente o valor do parâmetro selecionado.

FAZT+⇓ Decrementa rapidamente o valor do parâmetro selecionado.
⇑ +⇓
⇓ Ajusta o parâmetro em zero.
Tabela III.40 - Resumo de funções de teclas ou combinações destas no modo Calibração

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 51


Controle e Automação Industrial CPD-400
III.11.2.5 - DESCRIÇÃO DOS PARÂMETROS DO MODO CALIBRAÇÃO
A seguir são descritos os parâmetros do modo Calibração, sendo que cada conjunto de parâmetros
são descritos em tabelas que representam as 2 telas seqüenciais exibidas no produto.
Nota: U.E. => Unidade de Engenharia

Parâmetro Descrição
GAI1 Ganho da Entrada Analógica 1 em U.E.
GAI2 Ganho da Entrada Analógica 2 em U.E.
GAI3 Ganho da Entrada Analógica 3 em U.E.
GAI4 Ganho da Entrada Analógica 4 em U.E.
GAI5 Ganho da Entrada Analógica 5 em U.E.
GAI6 Ganho da Entrada Analógica 6 em U.E.
GAO1 Ganho da Saída Analógica 1 em U.E.
GAO2 Ganho da Saída Analógica 2 em U.E.
GAO3 Ganho da Saída Analógica 3 em U.E.
GAO4 Ganho da Saída Analógica 4 em U.E.
GFI1 Ganho da Entrada de Freqüência 1 em U.E.
GFI2 Ganho da Entrada de Freqüência 2 em U.E.
GFI3 Ganho da Entrada de Freqüência 3 em U.E.
GFI4 Ganho da Entrada de Freqüência 4 em U.E.
Tabela III.41 - Parâmetros da tela 1/2 do modo Calibração

Parâmetro Descrição
BO1% Bias da Saída Analógica 1 em porcentagem
BO2% Bias da Saída Analógica 2 em porcentagem
BO3% Bias da Saída Analógica 3 em porcentagem
BO4% Bias da Saída Analógica 4 em porcentagem
T.12 Tipo de sinal das Entradas Analógicas 1 e 2
T.34 Tipo de sinal das Entradas Analógicas 3 e 4
T.56 Tipo de sinal das Entradas Analógicas 5 e 6
Tipos de sinal das Entradas Analógicas 1 e 2/3 e 4/5 e 6
4 – 20 mA Corrente de 4 a 20 mA ou Tensão de 0.4 a 2 V
0 – 20 mA Corrente de 0 a 20 mA ou Tensão de 0 a 2 V
PT – 100 PT-100 de -200º a 850º C
V125mV Tensão de 0 a 125V
ThermJ Termopar Tipo J de 0º C a 1323º C
ThermK Termopar tipo K de 0ºC a 1936º C
V62mV Tensão de 0 a 62.5 V
Tabela III.42 - Parâmetros da tela 2/2 do modo Calibração

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 52


Controle e Automação Industrial CPD-400
IV - CONFIGURAÇÃO
IV.1 – BLOCO ANALOG INPUT
Os blocos Analog Input permitem a leitura de valores nas entradas analógicas feita fisicamente
ao meio externo através dos bornes correspondentes.
Como o CDP-400 possui 06 entradas analógicas, no bloco teremos 06 entradas Analog Input
para a devida configuração
A figura abaixo mostra um exemplo de uso do bloco Analog Input 1.

Figura IV.1 – Exemplo de uso do bloco Analog Input

Parâmetro Descrição
TFT Tempo de Filtro da Entrada Analógica – seg
CR % Corte da Raiz QuadradaValor do Corte do sinal baixo caso se opte por extrai a raiz quadrada do
sinal de entrada – OPÇÃO SQ = ENABLE
ZRI Zero da Entrada Analógica
MXI Máximo da Entrada Analógica
TYP Tipo de Sinal das Entradas Analógicas
GAI Ganho da entrada Analógica
SQ Raiz Quadrada ENABLE/DISABLE Significa se será extraída a Raiz Quadrada do sinal de entrada
Tag_AIN Tag da Entrada Analógica
Tabela IV.1 - Tabela Parâmetros do bloco Analog Input

Tipos de Entradas Analógicas


4 – 20 mA Corrente de 4 a 20 mA ou Tensão de 0,4 a 2 V
0 – 20 mA Corrente de 0 a 20 mA ou Tensão de 0 a 2 V
PT – 100 PT-100 de -200º a 850º C
V125mV Tensão de 0 a 125V
ThermJ Termopar Tipo J de 0º C a 1323º C
ThermK Termopar tipo K de 0ºC a 1936º C
V62mV Tensão de 0 a 62,5 V
Tabela IV.2 – Tabela Tipos de Entrada Analógica

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 53


Controle e Automação Industrial CPD-400
IV.2 – BLOCO ANALOG OUTPUT
Os blocos Analog Output controlam o funcionamento das saídas analógicas, é ligado fisicamen-
te ao meio externo através dos bornes correspondentes.
Como o CDP-400 possui 04 saídas analógicas, no bloco teremos 04 saídas Analog Output para
a devida configuração.
A figura abaixo mostra um exemplo de uso do bloco Analog Output 1.

Figura IV.2 – Exemplo do uso do bloco Anlog Output

Parâmetro Descrição
BO Bais da saída analógica em porcentagem
GAO Ganho da saída analógica
TAG_AOUT Tag da saída analógica
Tabela IV.3 - Tabela Parâmetros do Bloco Analog Output

IV.3 – BLOCO DIGITAL INPUT


Os blocos Digital Input controlam o funcionamento das saídas digitais feito através dos bornes
correspondentes.
Como o CDP-400 possui 04 saídas digitais, no bloco teremos 04 saídas Digital Output.
Este bloco envia externamente um nível lógico similar ao recebido em sua entrada, ou seja, existi-
rá em sua saída 1 (um) ser em sua entrada tiver um valor maior ou igual a 100% (cem por cento) e 0
(zero) se tiver um valor menor que 100% (cem por cento).
A figura abaixo mostra um exemplo de uso do bloco Digital Input 1.

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 54


Controle e Automação Industrial CPD-400

Figura IV.3 – Exemplo de uso do bloco Digital Input

IV.4 – BLOCO DIGITAL OUTPUT


Os blocos Digital Output permitem a leitura de valores nas entradas digitais feita através dos
bornes correspondentes.
Como o CDP-400 possui 04 entradas digitais, no bloco teremos 04 entradas Digital Input.
Este bloco repete em sua saída o nível lógico que chegou em sua entrada, ou seja, chegou 0
(zero) sai 0% (zero por cento) ou 1 (um) saí 100% (cem por cento).
A figura abaixo mostra um exemplo de uso do bloco Digital Output 1.

Figura IV.4 – Exemplo de uso do bloco Digital Output

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 55


Controle e Automação Industrial CPD-400
IV.5 – BLOCO FREQUENCY INPUT
Os blocos Frequency Input permitem a leitura de valores das freqüências de 5KHz feita fisica-
mente ao meio externo através dos bornes correspondentes.
Como o CDP-400 possui 04 entradas de freqüência no bloco teremos 04 entradas Frequency
Inputs.
A figura abaixo mostra um exemplo de uso do bloco Frequency Input 1.

Figura IV.5 – Exemplo de uso do bloco Frequency Inputs

Parâmetro Descrição
ZFI Zero da Entrada da Freqüência
MFI Máximo da Entrada da Freqüência
GFI Ganho da Entrada da Freqüência
TAG_FIN Tag da Entrada da Freqüência
Tabela IV.4 – Tabela Parâmetros do Bloco Frequency Inputs

IV.6 – BLOCO CONSTANTS


IV.6.1 – ZERO BLOCO ZERO
Este bloco não faz nada mais do que apresentar em sua saída OUT um sinal correspondente a
0% (LOW) para ser usado nas configurações dos blocos como um valor fixo (constante).

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 56


Controle e Automação Industrial CPD-400

Figura IV.6 – Exemplo de uso do bloco Zero

IV.6.2 – HIGH
Bloco High: Este bloco não faz nada mais do que apresentar em sua saída OUTB um sinal cor-
respondente à 100% (HIGH) para ser usado nas configurações dos blocos como um valor fixo (cons-
tante).

Figura IV.7 – Exemplo de uso do bloco High

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 57


Controle e Automação Industrial CPD-400
IV.6.3 - CONSTANTS
Bloco Constants: Este bloco pode apresentar até quatro constantes diferentes ao mesmo tempo
programadas aleatoriamente (-100% a + 100%).

Figura IV.8 – Exemplo de uso do bloco Constants


IV.6.4 – KEYS A
Bloco Gerador de Chave
Este bloco não faz nada mais do que apresentar em suas 04 saídas OUTX_KYAX individual-
mente um sinal correspondente á 100% (HIGH) ou 0% (LOW) em função do Chaveamento feito
via tela de parametrização do FERSOFT ou Supervisório, no ponto de ajuste KYAX.
Se KYAX = OFF então OUTX_KYAX = 0%
Se KYAX = ON então OUTX_KYAX = 100%

Figura IV.9 – Exemplo de uso do bloco Keys A

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 58


Controle e Automação Industrial CPD-400
Parâmetro Descrição
KYA1 ON (100%) OU OFF (0%)
KYA2 ON (100%) OU OFF (0%)
KYA3 ON (100%) OU OFF (0%)
KYA4 ON (100%) OU OFF(0%)
Tabela IV.5 – Configuração do KEYA

IV.6.5 – KEYS B
Bloco Gerador de Chave
Este bloco não faz nada mais do que apresentar em suas 04 saídas OUTX_KYBX individual-
mente um sinal correspondente á 100% (HIGH) ou 0% (LOW) em função do Chaveamento feito
via tela de parametrização do FERSOFT ou Supervisório, no ponto de ajuste KYAX.
Se KYBX = OFF então OUTX_KYBX = 0%
Se KYBX = ON então OUTX_KYBX = 100%

Figura IV.10 – Exemplo de uso do bloco Keys B

Parâmetro Descrição
KYB1 ON (100%) OU OFF (0%)
KYB2 ON (100%) OU OFF (0%)
KYB3 ON (100%) OU OFF (0%)
KYB4 ON (100%) OU OFF(0%)
Tabela IV.6 – Configuração do Keys B

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 59


Controle e Automação Industrial CPD-400
IV.7 – LINEARIZATIONS
Este bloco realiza a linearização de valores analógicos. Para cada bloco, podem ser definidos até
8 pontos para descrever a curva de linearização desejada. Na necessidade de mais pontos utiliza-se
a associação de mais um bloco LIN em série.
O uso dos blocos de linearização é exemplificado pela Figura abaixo. Depois de definidos os
pontos da curva de linearização, apenas o valor de entrada é requerido na execução do bloco.

Figura IV.11 – Exemplo de uso do bloco de Linearizations

Os parâmetros necessários para a execução do bloco de linearização são descritos na Tabela IV. 7.

Parâmetro Descrição
X_01%, Y_01% Coordenada (X,Y) do primeiro ponto da curva de linearização
X_02%, Y_02% Coordenada (X,Y) do segundo ponto da curva de linearização
X_03%, Y_03% Coordenada (X,Y) do terceiro ponto da curva de linearização
X_04%, Y_04% Coordenada (X,Y) do quarto ponto da curva de linearização
X_05%, Y_05% Coordenada (X,Y) do quinto ponto da curva de linearização
X_06%, Y_06% Coordenada (X,Y) do sexto ponto da curva de linearização
X_07%, Y_07% Coordenada (X,Y) do sétimo ponto da curva de linearização
X_08%, Y_08% Coordenada (X,Y) do oitavo ponto da curva de linearização
IN Valor da entrada (X) a ser linearizado
OUT Valor da saída (Y) da linearização
Tabela IV.7 – Parâmetros para definição da curva de linearização

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 60


Controle e Automação Industrial CPD-400
IV.8 – MULTIPLEXERS
Este bloco realiza a Multiplexação Analógica, onde possui duas entradas de sinais Analógicas
(A e B) e uma Saída Digital (C).
Se a entrada C tem nível lógico 0 a saída OUT é igual ao valor da entrada A.
Se a entrada C tem nível lógico 1 a saída OUT é igual ao valor da entrada B.
Uso dos blocos de Multiplexação é exemplificado pela Figura abaixo.

Figura IV.12 – Exemplo de uso do bloco Multiplexers

Entradas Saídas
Entrada C = 0 OUT = Entrada A
Entrada C = 1 OUT = Entrada B
Tabela IV.8 – Parâmetros para definição da Multiplexers

IV.9 – TOTALIZATION
Este bloco permite computar quantidades analógicas relevantes ao processo ao longo do tempo.
Pode-se, por exemplo, totalizar a vazão de líquidos e quantificar com isso a produção, as perdas,
ou mesmo determinar a necessidade de manutenção dos equipamentos, entre diversas outras ações.
Possui uma entrada de sinal Analógico (A) onde é inserido o sinal da vazão a ser totalizada (FLW)
e uma outra entrada, porém de sinal Digital (B) onde pode-se Limpar (CLR) o valor totalizado por
um comando externo.
O uso dos blocos de Totalização é exemplificado pela Figura abaixo.

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 61


Controle e Automação Industrial CPD-400

Figura IV.13 – Exemplo de uso do bloco Totalization


Parâmetro Descrição
FMT Fluxo Máximo da totalização. Informa ao totalizador o valor da totalização máxima quando o
sinal em sua entrada estiver em 100%.
FUT Fluxo Unitário da totalização. É o valor que se deseja para que o totalizador incremente um
dígito a totalização e/ou gere um pulso.
TO Tipo de totalização – ANALOGIC/DIGITAL
CL RESET/NO RESET Entrada para zerar totalização. NO RESET (O totalizador não é resetado e
continua totalizando) RESET (O totalizador é resetado e enquanto permanecer em YES não é
feita a totalização).
LOW Parte menos significativa da totalização.
HIGH Parte mais significativa da totalização.
Tabela IV.9 – Parâmetros de configuração dos blocos Totalization

IV.10 – FUNCTION
Os blocos de função são bastante versáteis e poderosos, permitindo a execução de cálculos com-
plexos. O CDP-400 pode executar até oito blocos de funções em uma configuração, chamados
FUNCT1, FUNCT2, FUNCT3, FUNCT4, FUNCT5, FUNCT6, FUNCT7, FUNCT8.
A figura abaixo mostra um exemplo de utilização do bloco Function.

Figura IV.14 – Exemplo de uso do bloco Function

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 62


Controle e Automação Industrial CPD-400
IV.10.1 – TIPOS DE FUNÇÕES BLOCOS FUNCT1 A FUNCT4
Os tipos das funções a serem executadas estão divididos pelos blocos além dos parâmetros (ga-
nhos) de cada função.
A Tabela IV.10 mostra as funções dos blocos de FUNCT1 a FUNCT4.

Figura IV.15 – Exemplo de uso do blocos Function 1 a Function 4

Tipos de funções dos blocos FUNCT1 a FUNCT4


OR Executa lógica OR das entradas A,B e C
AND Executa lógica AND das entradas A, B e C
NOR Executa LÓGICA NOR das entradas A, B e C
NAND Executa LÓGICA NAND das entradas A, B e C
LOW Seleciona o menor valor dentre os presentes nas entradas A,B e C
HIGH Seleciona o maior valor dentre os presentes nas entradas A,B e C
ADD Executa a equação => saída = (A% x TLFX) + (B% x THFX) + C%
MULT Executa a equação => saída = (A% x TLFX) x (B% x THFX) x C%
DIV Executa a equação => saída = (A% x TLFX) / (B% x THFX) / C%
RANGE Executa a equação => saída = [(A% x TLFX/100%)-THFX] x (B% - C%)] + C%
Astabl Executa um Temporizador do tipo Astável
MonEst Executa um Temporizador do tipo Monoestável em ON
Ramp Executa uma subida de rampa e uma descida de rampa baseado em THFX TLFX
LdLag o tipo Lead Lag permite um avanço ou atraso do sinal em sua entrada
DeadTM o tipo Dead Time permite que o valor da saída seja o mesmo da entrada A
SPGen Gerador de Set-point, saída varia de 0% a 100% no intervalo de tempo de THFX
Module Executa a equação => saída = | A%| , a qual extrai o modulo da entrada A
SqRoot SqRoot: Executa a equação => saída = A%
Tabela IV.10 – Tipos de Funções Blocos FUNCT1 a FUNCT4

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 63


Controle e Automação Industrial CPD-400
Parâmetro Descrição
TLFX Tempo Low – minutos.
THFX Tempo High – minutos.
FNC Tipo de Função.
Tabela IV.11 – Parâmetros dos tipos de Funções Blocos FUNCT1 a FUNCT4

IV.10.1.1 - FUNÇÃO OR
Executa a lógica OR das 03 entradas.
A função OR apresenta saída em nível 1 sempre que houver nível 1 em pelo menos uma das suas
entradas. Se todas as entradas estiverem em nível 0, sua saída também será zero.

IN_1 IN_2 IN_3 OUT


0 0 0 0
0 0 1 1
0 1 0 1
0 1 1 1
1 0 0 1
1 0 1 1
1 1 0 1
1 1 1 1
Tabela IV.12 – Tabela Verdade da Função OR

IV.10.1.2 - FUNÇÃO AND


Esta operação apresenta nível lógico em sua saída somente quando todas as suas entradas apre-
sentam nível lógico 1. Caso alguma apresente nível 0, a saída da operação AND será 0.

IN_1 IN_2 IN_3 OUT


0 0 0 0
0 0 1 0
0 1 0 0
0 1 1 0
1 0 0 0
1 0 1 0
1 1 0 0
1 1 1 1
Tabela IV.13– Tabela Verdade da Função OR

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 64


Controle e Automação Industrial CPD-400
IV.10.1.3 - FUNÇÃO NOR
A função NOR apresenta saída em 0 quando pelo menos uma de suas entradas estiver em nível
lógico 1. Se todas as entradas estiverem em nível 0, a saída estará em nível lógico 1.
IN_1 IN_2 IN_3 OUT
0 0 0 1
0 0 1 0
0 1 0 0
0 1 1 0
1 0 0 0
1 0 1 0
1 1 0 0
1 1 1 0
Tabela IV.14 – Tabela Verdade da Função NOR

IV.10.1.4 - FUNÇÃO NAND


A função NAND apresenta saída em nível 1 sempre que pelo menos uma de suas entradas esti-
ver em nível 0. Se todas as entradas estiverem em nível 1, a saída será zero.

IN_1 IN_2 IN_3 OUT


0 0 0 1
0 0 1 1
0 1 0 1
0 1 1 1
1 0 0 1
1 0 1 1
1 1 0 1
1 1 1 0
Tabela IV.15 – Tabela Verdade da Função NOR

IV.10.1.5 - FUNÇÃO SELECT LOW


A função SELECT NOW executa a Seleção Baixa (LOW) das 3 entradas, ou seja, dos três va-
lores presentes nas entradas a saída será igual ao que tiver menor valor.

IV.10.1.6 - FUNÇÃO SELECT HIGH


A função SELECT HIGH executa a Seleção Alta (HIGH) das 3 entradas, ou seja, dos três va-
lores presentes nas entradas a saída será igual ao que tiver maior valor.

IV.10.1.7 - FUNÇÃO ADD


Executa a equação matemática abaixo:

OUT = (A% * TLFX) + (B% * THFX) + C%

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 65


Controle e Automação Industrial CPD-400
Este bloco trabalha com valores inteiros.
Parâmetro Descrição
OUT Saída do bloco
A% 1ª entrada em %
B% 2ª entrada em %
C% 3ª entrada em %
TLF Tempo Low – minutos
THF Tempo High – minutos
Tabela IV.16 - Parâmetros da Função ADD

IV.10.1.8 - FUNÇÃO MUL


Executa a equação matemática abaixo:

OUT = [(A% * TLFX) * (B% * THFX)] + C %


100%

Este bloco trabalha com valores inteiros.

Parâmetro Descrição
OUT Saída do bloco
A% 1ª entrada em %
B% 2ª entrada em %
C% 3ª entrada em %
TLF Tempo Low – minutos
THF Tempo High – minutos
Tabela IV.17 - Parâmetros da Função MUL

IV.10.1.9 - FUNÇÃO DIV


Executa a equação matemática abaixo:

OUT = (A% * TLFX) * 100% + C%


(B% * THFX)

Este bloco trabalha com valores inteiros.

Parâmetro Descrição
OUT Saída do bloco
A% 1ª entrada em %
B% 2ª entrada em %
C% 3ª entrada em %
TLF Tempo Low – minutos
THF Tempo High – minutos
Tabela IV.18 - Parâmetros da Função DIV

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 66


Controle e Automação Industrial CPD-400
IV.10.1.10 - FUNÇÃO RANGE
Executa a equação matemática abaixo:

OUT = {[(A%*TLFX/100%) – THFX] * (B% - C%)] + C%}

Este bloco trabalha com valores inteiros.


Parâmetro Descrição
OUT Saída do bloco
A% 1ª entrada em %
B% 2ª entrada em %
C% 3ª entrada em %
TLF Tempo Low – minutos.
THF Tempo High – minutos.
Tabela IV.19 - Parâmetros da Função RANGE

IV.10.1.11 - FUNÇÃO ASTABLE


Executa um Temporizado do tipo Astável. Através do ajuste TLFX determina-se o tempo (em
Minutos) que a saída ficará em nível lógico (zero) e através do TFFX o tempo que a saída ficará em
1 (um).
As entradas B e C quando em ON inibem o funcionamento do bloco.
Parâmetro Descrição
A Trigger (TRG) - coloca o bloco em funcionamento quando em ON (liga o astável) e desliga em
OFF (desliga o astável).
B Pause (PSE) - para a contagem do tempo quando em ON e continua a contagem do tempo
onde havia parado em OFF.
C Clear (CLR) – zera a contagem do tempo quando em ON e continua a contagem do tempo a
partir de zero quando em OFF.
Tabela IV.20 – Parâmetros da Função Astable

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 67


Controle e Automação Industrial CPD-400
IV.10.1.12 - FUNÇÃO MONOESTABLE ON
Executa um Temporizador do tipo Monoestável em ON, sua saída fica sempre em OFF e quan-
do ele recebe um sinal na entrada A (TRG) a saída vai para ON e fica nesta posição o tempo defini-
do através do ajuste THFX. Quando terminado este tempo a saída retorna para OFF ficando nesta
posição até um novo sinal ocorra em A (OFF para ON).
As entradas B e C quando em ON inibem o funcionamento do bloco e não é utilizado o ajuste
TLFX.
Parâmetro Descrição
A Trigger (TRG) do MON-ON coloca o bloco em funcionamento quando em ON (liga o MON-
ON) e desliga em OFF (desliga o MON-ON).
B Pause (PSE) do MON-ON - para a contagem do tempo quando em ON e continua a contagem
do tempo onde havia parado em OFF.
C Clear (CLR) do MON-ON – zera a contagem do tempo quando em ON e continua a contagem
do tempo a partir de zero quando em OFF
Tabela IV.21 – Parâmetros da FunçãoMonoestable ON

IV.10.1.13 - FUNÇÃO RAMP


Esta função faz com que a saída varie linearmente do valor inicial até o valor final, contidos em
sua entrada. A inclinação da rampa é fornecida pelas contantes de tempo de subida e de descida,
especificadas para uma variação de 0 a 100% e de 100% a 0% respectivamente. Uma aplicação
para esta função pode ser a suavização e/ou retardo de aceleração de grandes motores, cuja inércia
não pode ser desprezada.
Utiliza somente uma entrada analógica (A) as outras duas (B e C) devem ficar em OFF e é atra-
vés dos valores colocados em THFX e TLFX .
Parâmetro Descrição
TLFX Tempo de Descida de uma rampa em minutos
THFX Tempo de Subida de uma rampa em minutos.
Tabela IV.22 – Parâmetros da FunçãoRAMP

Figura IV.16 – Gráfico Comparativo entrada x saída da função Ramp

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 68


Controle e Automação Industrial CPD-400
IV.10.1.14 - FUNÇÃO LEAD LAG
Função Lead Lag (Avanço e atraso) usa somente uma entrada analógica (A) as outras duas (B e
C) devem ficar em OFF e é através dos valores colocados em TLFX e THFX.
Parâmetro Descrição
THF Tempo de Lead em Minutos – faz com que a saída avance (Lead) mediante uma variação na
entrada. O Lead se comporta como uma ação de controle Derivativo – Antecipador do sinal em sua
entrada.
TLF Tempo de Lag em Minutos – faz com que a saída atrase (Lag) mediante uma variação na entrada.
O Lag se comporta como um Filtro de 1ª ordem do sinal em sua entrada.
Tabela IV.23 – Parâmetros da Função LEAD LAG

IV.10.1.15 - FUNÇÃO DEAD TIME


Esta função Dead Time (Tempo Morto) usa somente uma entrada analógica (A) as outras duas
(B e C) devem ficar em OFF e é através do valor em TLFX.
Esta função coloca em sua saída o mesmo sinal presente em sua entrada porém com uma defa-
sagem de tempo (Tempo Morto) entre elas.

Parâmetro Descrição
THFX Não usado para esta função.
TLFX Tempo Morto em Minutos – tempo de defasagem entre o sinal da entrada e o da saída.
Tabela IV.24 – Parâmetros da Função DEAD TIME

IV.10.1.16 - FUNÇÃO SP GENERATOR


Esta função Gerador de Set Point na maioria das vezes é necessário que sua saída OUT seja
colocada na entrada de um bloco de Linearização (LINX) pois sempre que ela é iniciado a sua saí-
da parte do 0% e vai até os 100% levando o tempo setado no parâmetro THFX .

Parâmetro Descrição
A Trigger (TRG) Coloca o bloco em funcionamento quando em ON (liga o GER.SP) e desliga em OFF
(desliga o GER.SP).
B (PSE) Interrompe a contagem do tempo em ON e em OFF continua a contagem do tempo a partir
do ponto onde havia parado.
C Clear (CLR) Zera a contagem do tempo se estiver em ON e permite o inicio da contagem do tempo
a partir do zero em OFF.
TLFX Não usado neste bloco.
THFX Tempo Gerador do Set Point - Tempo para saída variar de 0 a 100%.
Tabela IV.25 – Parâmetros da Função SP GENERATOR

IV.10.1.17 - FUNÇÃO MOD


Função Módulo utiliza somente uma entrada Analógica (A) e as outras duas (B e C) devem ficar
em OFF. Esta função executa a extração do Móculo do Sinal presente na entrada A e o apresenta
em usa saída OUT seguindo a equação abaixo.

OUT = | A% |

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 69


Controle e Automação Industrial CPD-400
Parâmetro Descrição
OUT Saída do Bloco
A% 1ª Entrada em % do bloco – valores íntegros (INTG)
THFX Não usado nesta função
TLFX Não usado nesta função
Tabela IV.26 – Tipos de Funções Blocos MOD

IV.10.1.18 - FUNÇÃO SQRT


Função Extrator de Raiz Quadrada: utiliza somente uma entrada analógica (A) as outras duas (B
e C) devem ficar em OFF. Este bloco executa a extração da Raiz Quadrada do Sinal presente na
entrada A e o apresenta em sua saída OUT seguindo a equação abaixo:
OUT = A%

Parâmetro Descrição
OUT Saída do Bloco
A% 1ª Entrada em % do bloco – valores íntegros (INTG)
CRX% Corte Sinal Baixo.
TLFX Não usado nesta função
THFX Não usado nesta função.
Tabela IV.27 – Tipos de Funções Blocos SQRT

IV.10.2 - TIPOS DE FUNÇÕES BLOCOS FUNCT5 A FUNCT8


Os tipos das funções a serem executadas estão divididos pelos blocos além dos parâmetros (ga-
nhos) de cada função.
A Tabela IV.28 mostra as funções dos blocos de FUNCT5 a FUNCT8.

Figura IV.17 – Exemplo de uso do blocos Function 5 a Function 8

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 70


Controle e Automação Industrial CPD-400
Tipos de funções dos blocos FUNCT5 a FUNCT8
OR Executa lógica OR das entradas A e B
AND Executa lógica AND das entradas A e B
XOR Executa a lógica XOR das entradas A e B
NOR Executa a lógica NOR das entradas A e B
NAND Executa a lógica NAND das entradas A e B
NXOR Executa a lógica NXOR das entradas A e B
LOW Seleciona o menor valor dentre os presentes nas entradas A e B
HIGH Seleciona o maior valor dentre os presentes nas entradas A e B
FlipRS Executa a lógica de um Flip-Flop do tipo RS
SmpHld Executa um Sample-Hold, se B=0 saída = A, se B=1 saída = último valor de A
Add Executa a equação => saída = (A% x GAFX) + (B% x GBFX)
Mult Executa a equação => saída = [(A% x GAFX) x (B% x GBFX)]/100%
Div Executa a equação => saída = (A% x GAFX)/(B% x GBFX) x 100%
Equ1 Saída = (GAFX x A²) + (GBFX x B²) + (GCFX x A² x B) + (GDFX x A x B) + (GEFX x A) + (GFFX x B) + GGFX
Equ2 Saída = [(GAFX x A) x (GBFX x B) + (GCFX x A)] / [(GDFX x B) + GEFX]
PolX^2 Saída = GCFX x (A-B)² + GBFX x (A-B) + GAFX
PolX^3 Saída = GDFX x (A-B)³ + GCFX x (A-B)² + GBFX x (A-B) + GAFX
Tabela IV.28 – Tipos de Funções Blocos FUNCT5 a FUNCT8

Parâmetro Descrição
GAF Ganho A
GBF Ganho B
GCF Ganho C
GDF Ganho D
GEF Ganho E
GFF Ganho F
GGF Ganho G
FCN Bloco de Ajuste da Função
ZRF Zero da Saída da função
MXF Máximo da Saída da função
ZAF Zero da Entrada A da função
MAF Máximo da entrada A da função
ZBF Zero da Entrada B da função
MBF Máximo da entrada B da função
Tabela IV.29 – Parâmetros das Funções Blocos FUNCT5 a FUNCT8

IV.10.2.1 - FUNÇÃO OR
Executa a lógica OR das 02 entradas.
A função OR apresenta saída em nível 1 sempre que houver nível 1 em pelo menos uma das suas
entradas. Se todas as entradas estiverem em nível 0, sua saída também será zero.

IN_1 IN_2 OUT


0 0 0
0 1 1
1 0 1
1 1 1
Tabela IV.30 – Tabela Verdade da Função OR

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 71


Controle e Automação Industrial CPD-400
IV.10.2.2 - FUNÇÃO AND
Esta operação apresenta nível lógico em sua saída somente quando todas as suas entradas apre-
sentam nível lógico 1. Caso alguma apresente nível 0, a saída da operação AND será 0.
IN_1 IN_2 OUT
0 0 0
0 1 0
1 0 0
1 1 1
Tabela IV.31 – Tabela Verdade da Função OR

IV.10.2.3 - FUNÇÃO XOR


A função XOr apresenta 1 quando uma das entradas for 1 e quando as duas entradas forem iguais
a saída será 0.
IN_1 IN_2 OUT
0 0 0
0 1 1
1 0 1
1 1 0
Tabela IV.32 – Tabela Verdade da Função XOR

IV.10.2.4 - FUNÇÃO NOR


A função NOR apresenta saída em 0 quando pelo menos uma de suas entradas estiver em nível
lógico 1. Se todas as entradas estiverem em nível 0, a saída estará em nível lógico 1.
IN_1 IN_2 OUT
0 0 1
0 1 1
1 0 1
1 1 0
Tabela IV.33 – Tabela Verdade da Função NOR

IV.10.2.5 - FUNÇÃO NAND


A função NAND apresenta saída em nível 1 sempre que pelo menos uma de suas entradas esti-
ver em nível 0. Se todas as entradas estiverem em nível 1, a saída será zero.
IN_1 IN_2 OUT
0 0 1
0 1 1
1 0 1
1 1 0
Tabela IV.34 – Tabela Verdade da Função NAND

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 72


Controle e Automação Industrial CPD-400
IV.10.2.6 - FUNÇÃO NXOR
Executa a lógica NXOR das 02 entradas. Quando uma das entradas for 1 a saída será 0 e quan-
do as duas entradas forme igual a saída será 1.
IN_1 IN_2 OUT
0 0 1
0 1 0
1 0 0
1 1 1
Tabela IV.35 – Tabela Verdade da Função NXOR

IV.10.2.7 - FUNÇÃO SELECT LOW


A função SELECT NOW executa a Seleção Baixa (LOW) das 2 entradas, ou seja, dos dois va-
lores presentes nas entradas a saída será igual ao que tiver menor valor.

IV.10.2.8 - FUNÇÃO SELECT HIGH


A função SELECT HIGH executa a Seleção Alta (HIGH) das 2 entradas, ou seja, dois t valores
presentes nas entradas a saída será igual ao que tiver maior valor.

IV.10.2.9 - FUNÇÃO FLIP-FLOP RS


Executa a lógica de um Flip-Flop do tipo RS
A entrada A (SET) é ativida (em nível lógico 1) quando recebe nível lógico 1 e a entrada B (RST)
esteja em 0 (zero).
Uma vez ativa, ela permanece neste estado indefinidamente, sendo desativada pelo RESET, quando
a entrada B for para 1.
Em resumo: A saída só é setada nas transições positivas em e desde que em B esteja em o (zero).

Parâmetro Descrição
A Entrada do Set do Flip-Flop
B Entrada do Reset do Flip-Flop
Tabela IV.36 – Parâmetros da Função Flip-Flop RS

IV.10.2.10 - FUNÇÃO SAMPLE-HOLD


Executa um Sample-Hold (Variável-Estático).
Quando estiver na entrada B o valor 0 (zero) o valor analógico presente em A estará na saída
OUT. Quando estiver na entrada B o valor 1 na saída estará presente o valor analógico do instante
em que ocorreu a transição em B, mesmo que em A hajam alterações enquanto B não retornar para
0, OUT não se altera.
Parâmetro Descrição
B=0 OUT = A
B =1 OUT B = constante (último valor de IN_A)

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 73


Controle e Automação Industrial CPD-400
IV.10.2.11 - FUNÇÃO ADD
Executa a equação matemática abaixo:

OUT = (A% * GAFX) + (B% * GBFX)

Este bloco trabalha com valores inteiros.

Parâmetro Descrição
OUT Saída do bloco
A% 1ª entrada em %
ZAFX Zero da Entrada A da função (0%)
MAFX Máximo da Entrada A da função (100%)
B% 2ª entrada em %
ZBFX Zero da Entrada B da função (0%)
MBFX Máximo da Entrada B da função (100%)
ZRFX Zero da Saída da função (0%)
MRFX Máximo da Saída da função (100%)
GAFX Ganho para a Entrada A%
GBFX Ganho para a Entrada B%
Tabela IV.37 - Parâmetros da Função ADD

IV.10.2.12 - FUNÇÃO MUL


Executa a equação matemática abaixo:

OUT = (A% * GAFX) * (B% * GBFX)


100%

Este bloco trabalha com valores inteiros.

Parâmetro Descrição
OUT Saída do bloco
A% 1ª entrada em %
ZAFX Zero da Entrada A da função (0%)
MAFX Máximo da Entrada A da função (100%)
B% 2ª entrada em %
ZBFX Zero da Entrada B da função (0%)
MBFX Máximo da Entrada B da função (100%)
ZRFX Zero da Saída da função (0%)
MRFX Máximo da Saída da função (100%)
GAFX Ganho para a Entrada A%
GBFX Ganho para a Entrada B%
Tabela IV.38 - Parâmetros da Função MUL

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 74


Controle e Automação Industrial CPD-400
IV.10.2.13 - FUNÇÃO DIV
Executa a equação matemática abaixo:

OUT = (A% * TLFX) * 100%


(B% * THFX)

Este bloco trabalha com valores inteiros.


Parâmetro Descrição
OUT Saída do bloco
A% 1ª entrada em %
ZAFX Zero da Entrada A da função (0%)
MAFX Máximo da Entrada A da função (100%)
B% 2ª entrada em %
ZBFX Zero da Entrada B da função (0%)
MBFX Máximo da Entrada B da função (100%)
ZRFX Zero da Saída da função (0%)
MRFX Máximo da Saída da função (100%)
GAFX Ganho para a Entrada A%
GBFX Ganho para a Entrada B%
Tabela IV.39 - Parâmetros da Função DIV

IV.10.2.14 - FUNÇÃO EQU1


Executa a equção matemática abaixo.
Este bloco trabalha com valores REAIS.

OUT = (GAFX*A2) + (GBFX*B2) + (GCFX*A2*B) + (GDFX*A*B) +


(GEFX*A) + (GFFX*B) + GGFX

Parâmetro Descrição
OUT Saída do bloco
A% 1ª entrada em %
ZAFX Zero da Entrada A da função (0%)
MAFX Máximo da Entrada A da função (100%)
B% 2ª entrada em %
ZBFX Zero da Entrada B da função (0%)
MBFX Máximo da Entrada B da função (100%)
ZRFX Zero da Saída da função (0%)
MRFX Máximo da Saída da função (100%)
GAFX Ganho para a Entrada A%
GBFX Ganho para a Entrada B%
GCFX Ganho para a Entrada C%
GDFX Ganho para a Entrada D%
GEFX Ganho para a Entrada E
GFFX Ganho para a Entrada F
GGFX Ganho para a Entrada G
Tabela IV.40 - Parâmetros da Função EQU1

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 75


Controle e Automação Industrial CPD-400
IV.10.2.15 - FUNÇÃO EQU2
Executa a equção matemática abaixo.
Este bloco trabalha com valores REAIS.

OUT = (GAFX*A) * (GBFX*B) + (GCFX*A)


(GDFX*B) + GEFX

Parâmetro Descrição
OUT Saída do bloco
A% 1ª entrada em %
ZAFX Zero da Entrada A da função (0%)
MAFX Máximo da Entrada A da função (100%)
B% 2ª entrada em %
ZBFX Zero da Entrada B da função (0%)
MBFX Máximo da Entrada B da função (100%)
ZRFX Zero da Saída da função (0%)
MRFX Máximo da Saída da função (100%)
GAFX Ganho para a Entrada A%
GBFX Ganho para a Entrada B%.
GCFX Ganho para a Entrada C%
GDFX Ganho para a Entrada D%
GEFX Ganho para a Entrada E%
Tabela IV.41 - Parâmetros da Função EQU2

IV.10.2.16 - FUNÇÃO EQU3


Executa a equção matemática abaixo.
Este bloco trabalha com valores REAIS.

OUT = [GCFX*(A-B)2 ] + [GBFX * (A-B)] + GAFX

Parâmetro Descrição
OUT Saída do bloco
A% 1ª entrada em %
ZAFX Zero da Entrada A da função (0%)
MAFX Máximo da Entrada A da função (100%)
B% 2ª entrada em %
ZBFX Zero da Entrada B da função (0%)
MBFX Máximo da Entrada B da função (100%)
ZRFX Zero da Saída da função (0%)
MRFX Máximo da Saída da função (100%)
GAFX Ganho para a Entrada A%
GBFX Ganho para a Entrada B%
GCFX Ganho para a Entrada C%
Tabela IV.42 - Parâmetros da Função EQU3

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 76


Controle e Automação Industrial CPD-400
IV.10.2.17 - FUNÇÃO EQU4
Executa a equação matemática abaixo.
Este bloco trabalha com valores REAIS.

OUT = [GDFX*(A-B) * (A-B) * (A-B) ] + EQU3

Parâmetro Descrição
OUT Saída do bloco
A% 1ª entrada em %
ZAFX Zero da Entrada A da função (0%)
MAFX Máximo da Entrada A da função (100%)
B% 2ª entrada em %
ZBFX Zero da Entrada B da função (0%)
MBFX Máximo da Entrada B da função (100%)
ZRFX Zero da Saída da função (0%)
MRFX Máximo da Saída da função (100%)
GDFX Ganho para a Entrada D%
Tabela IV.43 - Parâmetros da Função EQU4

IV.10.2.18 - FUNÇÃO EQU5


Executa a equação matemática abaixo.
Este bloco trabalha com valores REAIS.

OUT = [ GEFX * (A-B)*(A-B)*(A-B)*(A-B)] + EQU4

Parâmetro Descrição
OUT Saída do bloco
A% 1ª entrada em %
ZAFX Zero da Entrada A da função (0%)
MAFX Máximo da Entrada A da função (100%)
B% 2ª entrada em %
ZBFX Zero da Entrada B da função (0%)
MBFX Máximo da Entrada B da função (100%)
ZRFX Zero da Saída da função (0%)
MRFX Máximo da Saída da função (100%)
GEFX Ganho para a Entrada E%
Tabela IV.44 - Parâmetros da Função EQU5

IV.11 – PID
Os blocos PID são responsáveis pelo controle analógico dos processos.
Estão disponíveis para o usuário 4 blocos de PID (PID1, PID2, PID3 e PID4) independentes,
cuja figura abaixo demonstra.

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 77


Controle e Automação Industrial CPD-400

Figura IV.18 – Exemplo de uso do bloco PID


Todos os blocos PID podem operar em modo automático ou manual, permitindo que o usuário
interaja com o controle de processo. Possuem também um modo de segurança, que pode ser ativiado
em situações de falha ou anormalidade. Quando em modo de segurança, a saída do PID é fixada
em um valor previamente configurado.
Os blocos PID devem ser sintonizados através de suas contantes proporcionais (KP), integral
(RTM) e derivativo (DTM). Além disso, deve-se especificar se o PID opera com set-point local ou
remoto e se tem ação direta ou reversa.
No caso do PID trabalhar com set-point remoto deve-se ser conectado à entrada RemSP do
bloco e o set-point local é ajustado nele próprio (através de do parâmetro SP).
Caso haja uma lógica para ativação do modo de segurança, deve-se também informar o valor de
MV a ser usado caso o PID passe a operar nesse modo.

Parâmetro Descrição
PV Entrada da variável de processo (PV)
RemSP Entrada do Set-Point Remoto
Safe Entrada para um valor de segurança
FManual Entrada que faz o bloco ir para Manual
AdapGain Entrada Ganho Adaptativo – Ver item IV.11.1
MV Saída para manipulação do elemento Final de Control
SP Saída dos valores dos Set-Points (LOC ou Remoto)
Manual Saída status do controle: Automático (0) ou Manual (1)
Tabela IV.45 – Tabela das Entradas e Saídas PID

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 78


Controle e Automação Industrial CPD-400
Parâmetro Descrição
SP Set_point Local
KP Valor da ação proporcional
RTM Valor da ação integral
DTM Valor da ação derivativa
SF_% Valor de segurança
ADP Tipo da Ação do Ganho Adaptativo – Ver item IV.10.3.1
ZRP Valor inferior
MXP Valor superior
TAG_LP Tag Loop
L/R Tipo Set-point LOCAL/REMOTO
D/R Tipo de Controle DIRECT/REVERSE
Tabela IV.46 – Parâmetros de Configuração PID

IV.11.1 - GANHO ADAPTATIVO


Têm-se a opção de trabalhar com as constantes de PID sendo dinâmicas, ou seja, essas cons-
tantes (KP, RTM E DTM) são alteradas ou adaptadas ás necessidades do processo e é chamado
de Ganho Adaptativo. Este Ganho Adaptativo pode influir tanto em todas as ações ao mesmo tem-
po (G*PID), em duas ações (G*PI) ou em uma delas isoladamente (G*P ou G*I) ou (G*D).
O Ganho Adaptativo pode originar de uma simples variável medida e conectada á entrada E do
bloco como que em função de uma estratégia de Controle cujo resultado também é conectada em
E, com a finalidade de por exemplo compensar a não linealidade de alguns processou ou mesmo
para contrapor alguma curva (conhecida) característica do processo.
Os valores do Ganho Adaptativo como dito anteriormente é inserido no bloco através da entrada
AdpGain e a forma de atuação em cima das ações de controle definida pelo parâmetro ADP con-
forme tabela abaixo.

Parâmetro Descrição
NO ACTIVE Desativado
G*PID GADP*PID
G*PI GADP*PI
G*P GADP*P
G*I GADP*I
G*D GADP*D
G+ PID; BIAS GADP + PID; onde GADP = BIAS (-OU-)
Tabela IV.47 – Tipos do Ganho Adaptativo

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 79


Controle e Automação Industrial CPD-400
IV.12 – ALARM
Este bloco possui uma entrada de sinal Analógico (A) onde é inserido o sinal da variável que
queremos fazer o alarme e possui duas saídas.
Se o valor for menor que o valor ajustado para Alarme Baixo e permanecer por um tempo maior
que o de reconhecimento para alarme então a saída entra em condição de alarme e somente sairá
desta condição após o sinal ficar maior que o valor para Alarme Baixo.
Caso o valor fique maior que o valor ajustado para Alarme Alto e também permanecer por um
tempo maior que o de reconhecimento para alarme então a saída também entra em condição de
alarme e somente sairá desta condição após o sinal ficar menor que o valor para Alarme Alto.

Figura IV.19 – Exemplo de uso do bloco Alarms

Parâmetro Descrição
IN Entrada do sinal da Variável
HIGH Saída de alarme alto
LOW Saída de alarme baixo
Tabela IV.48 – Tabela das Entradas e Saídas Alarms

Parâmetro Descrição
AL Ponto de ajuste alarme baixo
AH Ponto de ajuste alarme alto
TAL Tempo de reconhecimento para Alarmes - seg
TAG_AL_L Tag alarme baixo
TAG_AL_H Tag alarme alto
Tabela IV.49 – Paramentros do Alarms

IV.13 – NOT
Este bloco possui uma entrada (A) e uma saída digital (OUT) e executa a lógica NOT do sinal da
entrada , ou seja, se a entrada for nível lógico 1 a saída será nível lógico 0 e se a entrada for nível
lógico 0 a saída será 1.

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 80


Controle e Automação Industrial CPD-400

Figura IV.20 – Exemplo de uso do bloco Not

Parâmetro Descrição
OUT Saída do Bloco
Tabela IV.50 – Parâmetro do bloco Not

IV.14 – AND
Este bloco possui quatro entradas (A, B, C e D) e uma saída digital (OUT) e executa a lógica
AND dos sinais das entradas apresentando o resultado na saída.

Figura IV.21 - Exemplo de uso do bloco And


Parâmetro Descrição
IN_A 1ª Entrada de sinal
IN_B 2ª Entrada de sinal
IN_C 3ª Entrada de sinal
IN_D 4ª Entrada de sinal
OUT Saída do sinal
Tabela IV.51 – Parâmetro do bloco And

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 81


Controle e Automação Industrial CPD-400
IV.15 – OR
Este bloco possui quatro entradas (A, B, C e D) e uma saída digital (OUT) e executa a lógica
OR dos sinais das entradas apresentando o resultado na saída.
Se uma ou mais Entradas for a nível lógico 1 a saída será nível lógico 1 e se todas as Entradas
forme nível lógico 0 a saída será nível lógico 0.

Figura IV.22 – Exemplo de uso do bloco OR

Parâmetro Descrição
IN_A 1ª Entrada de sinal
IN_B 2ª Entrada de sinal
IN_C 3ª Entrada de sinal
IN_D 4ª Entrada de sinal
OUT Saída do sinal
Tabela IV.52 – Parâmetro do bloco OR

IV.16 - FLIP-FLOP RS
Este bloco possui duas entradas (A e B) e uma saída digital (OUT).
A entrada A (SET) é ativida (em nível lógico 1) quando recebe nível lógico 1 e a entrada B (RST)
esteja em 0 (zero).
Uma vez ativa, ela permanece neste estado indefinidamente, sendo desativada pelo RESET, quando
a entrada B for para 1.
Em resumo: A saída só é setada nas transições positivas em e desde que em B esteja em o (zero).

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 82


Controle e Automação Industrial CPD-400

Figura IV.23 - Exemplo de uso do bloco Flip-Flop RS

Parâmetro Descrição
A Entrada do Set do Flip-Flop
B Entrada do Reset do Flip-Flop
OUT Sáida do Flip-Flop
Tabela IV.53 – Parâmetros da Bloco Flip-Flop RS

IV.17 – GAIN & BIAS


Este bloco possui uma entrada (A) e uma saída digital (OUT) e executa a equação:

OUT = (A * GINX) + BIX%

Parâmetro Descrição
A Entrada do sinal puro
OUT Saída do sinal ajustado
GIN Ganho multiplicador de A – tanto positivo quanto negativo
BI Bais – valor em % a ser acrescido (positivo) ou diminído (negativo) do resultado da multiplicação
o de A por GIN
Tabela IV.54 – Parâmetros da Bloco Gain & Bias

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 83


Controle e Automação Industrial CPD-400

Figura IV.24 – Gráfico Comparativo Ganho x Bais do bloco Gain & Bias

Dos gráficos acima podemos concluir que o BIAS desloca a curva deixando o sinal de saída
paralelo ao da entrada e deslocando justamente o valor deste BIAS, já o GANHO altera o ângulo
do sinal de saída em função da entrada.

IV.18 – PUBLIC & EXTERNAL


Este bloco é usado para enviar e receber sinais analógicos e digitais de um CDP-400 para outro
e entre o CDP-400 e cartões através da SCCPU2 e com Sistema Supervisório.
Este bloco é dividido em: Analogic Public e External 1 e 2 e Digital Public e External de 1 a 4.

IV.18.1 - ANALOGIC PUBLIC E EXTERNAL 1 E 2


Este bloco Envia sinais analógicos através do APublic (Publicar Analógico) e Receber através do
AEX (Analógico Externo).

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 84


Controle e Automação Industrial CPD-400

Figura IV.25 - Exemplo de uso do bloco Analog Public & External

Parâmetro Descrição
DST_ADR Instrumento de Destino - informa o endereço (IADR) do destinatário, que deverá ser sempre um
MESTRE.
DST_IND Índice de Destino – auxiliar para armazenar o valor. Não é utilizado na transferência de CDP-400
para CDP-400.
Tabela IV.55 – Parâmetros da Bloco Analog Public & External

Parâmetro Descrição
APublic1 1º Valor do Sinal Analógico disponibilizado para envio.
APublic2 2º Valor do Sinal Analógico disponibilizado para envio.
APublic3 3º Valor do Sinal Analógico disponibilizado para envio.
APublic4 4º Valor do Sinal Analógico disponibilizado para envio.
APublic5 5º Valor do Sinal Analógico disponibilizado para envio.
APublic6 6º Valor do Sinal Analógico disponibilizado para envio.
AExt1 1º Valor do Sinal Analógico disponibilizado para receber.
AExt2 2º Valor do Sinal Analógico disponibilizado para receber.
AExt3 3º Valor do Sinal Analógico disponibilizado para receber.
AExt4 4º Valor do Sinal Analógico disponibilizado para receber.
AExt5 5º Valor do Sinal Analógico disponibilizado para receber.
AExt6 6º Valor do Sinal Analógico disponibilizado para receber.
Tabela IV.56 – Parâmetros de entradas e saídas do Bloco Analog Public & External

IV.18.1.1 - TROCA DE INFORMAÇÕES ANALÓGICAS


Para trocar infomações de um CDP-400 para outro CDP, com Sistema Supervisório ou para
cartões via SCCPU2, o CDP deverá estar endereçado MESTRE – endereçamento de 1 a 8 e con-
figurado as portas de comunicação como TOKEN-PASSING. Para maiores explicações veja o item
V - Comunicação Token-Passing.

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 85


Controle e Automação Industrial CPD-400

Figura IV.26 – Exemplo de uso do bloco APublic

No exemplo acima será enviado para o Mestre que encontra-se no endereço 7 (DST_ADR =
007) os seguintes valores:
Parâmetro Descrição Enviado para
APublic1 PID1:MV AExt1
APublic2 PID1: SP AExt2
APublic3 Zero AExt3

Figura IV.27 – Exemplo de uso do bloco AExt


Neste exemplo o CDP-400 que se encontra no endereço 07 poderá utilizar os valores conforme
exemplo abaixo, onde a entrada PV do PID2 irá receber o valor que está no AExt1 que é MV do
PID1.
Para que seja posível trocar infomações entre um CDP-400 e cartões é necessário ter conectado
no Sistema um SCCPU2. Esta transferência é processada pela SCCPU2 e é feita por uma de suas
atribuições via SCAN ANALÓGICO.
Deverá ser informado no parâmetro DST_ADR o endereço (IADR) da SCCPU2 e no DST_IND
a auxiliar que receberá o valor (sinal)

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 86


Controle e Automação Industrial CPD-400
Parâmetro Descrição
DST_ADR Instrumento de Destino – endereço (IADR) da SCCPU2.
DST_IND Índice de Destino – Auxiliar que receberá o valor (sinal).

IV.18.2 – DIGITAL PUBLIC & EXTERNAL


Este bloco Envia Sinais Digitais através do DPublic (Publicar Digital) e Receber através do DExt
(Digital Externo).
Deve-se levar em consideração que será encaminhado os 16 Bits em conjunto, não sendo permi-
tido manipular Bits isolados.

Figura IV.28 – Exemplo de uso do bloco Digital Public & External

Parâmetro Descrição
DST_ADR Instrumento de Destino - informa o endereço (IADR) do destinatário.
DST_IND Índice de Destino – auxiliar para armazenar o valor Não é utilizado entre transferência de CDP-400
para CDP-400.
Tabela IV.57 – Parâmetros de entradas e saídas do Bloco Digital Public & External

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 87


Controle e Automação Industrial CPD-400
Parâmetro Descrição
DPublic01 1º Valor do Sinal Digital disponibilizado para envio.
DPublic02 2º Valor do Sinal Digital disponibilizado para envio.
DPublic03 3º Valor do Sinal Digital disponibilizado para envio.
DPublic04 4º Valor do Sinal Digital disponibilizado para envio.
DPublic05 5º Valor do Sinal Digital disponibilizado para envio.
DPublic06 6º Valor do Sinal Digital disponibilizado para envio.
DPublic07 7º Valor do Sinal Digital disponibilizado para envio.
DPublic08 8º Valor do Sinal Digital disponibilizado para envio.
DPublic09 9º Valor do Sinal Digital disponibilizado para envio.
DPublic10 10º Valor do Sinal Digital disponibilizado para envio.
DPublic11 11º Valor do Sinal Digital disponibilizado para envio.
DPublic12 12º Valor do Sinal Digital disponibilizado para envio.
DPublic13 13º Valor do Sinal Digital disponibilizado para envio.
DPublic14 14º Valor do Sinal Digital disponibilizado para envio.
DPublic15 15º Valor do Sinal Digital disponibilizado para envio.
DPublic16 16º Valor do Sinal Digital disponibilizado para envio.
DExt1 1º Valor do Sinal Digital disponibilizado para receber.
DExt2 2º Valor do Sinal Digital disponibilizado para receber.
DExt3 3º Valor do Sinal Digital disponibilizado para receber.
DExt4 4º Valor do Sinal Digital disponibilizado para receber.
DExt5 5º Valor do Sinal Digital disponibilizado para receber.
DExt6 6º Valor do Sinal Digital disponibilizado para receber.
DExt7 7º Valor do Sinal Digital disponibilizado para receber.
DExt8 8º Valor do Sinal Digital disponibilizado para receber.
DExt9 9º Valor do Sinal Digital disponibilizado para receber.
DExt10 10º Valor do Sinal Digital disponibilizado para receber.
DExt11 11º Valor do Sinal Digital disponibilizado para receber.
DExt12 12º Valor do Sinal Digital disponibilizado para receber.
DExt13 13º Valor do Sinal Digital disponibilizado para receber.
DExt14 14º Valor do Sinal Digital disponibilizado para receber.
DExt15 15º Valor do Sinal Digital disponibilizado para receber.
DExt16 16º Valor do Sinal Digital disponibilizado para receber.
Tabela IV.58 – Parâmetros de entradas e saídas do Bloco Digital Public & External

IV.18.2.1 - TROCA DE INFORMAÇÕES DIGITAL


Para trocar infomações de um CDP-400 para outro CDP, com Sistema Supervisório ou para
cartões via SCCPU2, o CDP deverá estar endereçado MESTRE – endereçamento de 1 a 8 e con-
figurado as portas de comunicação como TOKEN-PASSING. Para maiores explicações veja o item
V - Comunicação Token-Passing.

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 88


Controle e Automação Industrial CPD-400

Figura IV.29 – Exemplo de uso do bloco DPublic

No exemplo acima será enviado para o Mestre que encontra-se no endereço 7 (DST_ADR =
007) os seguintes valores:

Parâmetro Descrição Enviado para


DPublic1 High DExt01
DPublic2 KeyA1 DExt02

Figura IV.30 – Exemplo de uso do bloco DExt

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 89


Controle e Automação Industrial CPD-400
Neste exemplo o CDP-400 que encontra-se no endereço 07 poderá utilizar ao valores conforme
exemplo abaixo, onde a entrada A do bloco AND irá receber o valor (sinal) que está no DExt01
que é High.
Para que seja posível trocar infomações entre um CDP-400 e cartões é necessário ter conectado
no Sistema um SCCPU2. Esta transferência é processada pela SCCPU2 e é feita por uma de suas
atribuições via SCAN ANALÓGICO.
Deverá ser informado no parâmetro DST_ADR o endereço (IADR) da SCCPU2 e no DST_IND
a auxiliar que receberá o valor (sinal) .

Parâmetro Descrição
DST_ADR Instrumento de Destino – endereço (IADR) da SCCPU2.
DST_IND Índice de Destino – Auxiliar que receberá o valor (sinal).

IV.19 – IF
IV.19.1 – START OF IF BLOCK
Este bloco possui uma entrada digital (A) que quando em nível lógico 1 inicia uma Sub-rotina que
pode conter os diversos blocos e que estes sejam comuns a outras Sub-rotinas, desde que sejas as
mesmas características de parametrização nas diversas Sub-rotinas.
Pode-se programar Sub-rotinas dentro de outras Sub-Rotinas porém não deve-se esquecer de
encerrá-las.

Figura IV.31 – Exemplo de uso do bloco IF

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 90


Controle e Automação Industrial CPD-400
IV.19.2 – END OF IF BLOCK
O bloco End marca o fim de uma Sub-rotina (IF), não possui entrada nem saída.
Quando insere-se sub-rotinas dentro de sub-rotinas, estas são encerradas pela ordem inversa a
que foram iniciadas.

IV.20 – STATUS
Este bloco pode ser utilizado para indicar o Status do CDP-400.
Não apresenta sinais de entrada e apresenta duas saídas.
Parâmetro Descrição
LOOP Saída digital intermitente que verifica a cada 200ms se esta sendo executando o Loop de Controle.
Sendo assim, se o sinal permanecer constantemente em 0 ou em 1 siginifica que não esta sendo
realizado a execução do Loop.
SCAN Bloco sem utilização.
Tabela IV.59 – Parâmetros de saídas do Bloco Status

Figura IV.32 – Saída do sinal do Bloco Status – LOOP

Figura IV.33 - Exemplo de uso do bloco Status

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 91


Controle e Automação Industrial CPD-400
IV.21 – DISPLAY
IV.21.1 – DISPLAY 1 A DISPLAY 4
O CDP-400 possui até 4 Loops e este bloco tem como função configurar para cada Loop os
displays numéricos que exibem as variáveis de processos em aritmética de ponto flutuante para cada
Loop.
Também configurar as variáveis de processos que serão exibidos em gráfico ou em barras e as
respectivas TAGS com até 8 caracteres.

IV.21.1.1 - CONFIGURAÇÃO EM GRÁFICO


Para a exibição do gráfico é necessário configurar à variável do processo e sua faixa de exibição
vertical (zoom) em torno de um valor central e um tempo de gráfico no eixo horizontal.
A faixa de exibição é o intervalo de valores em torno de um valor central, podendo variar de 1%
a 125% do span. Este valor, representado no centro do eixo vertical, pode ser associado a uma
constante ou variável do processo que também é configurado no bloco. O tempo do gráfico indica a
quanto tempo correspondem os dados da variável do processo exibidos no mesmo.
O TAG da variável do processo possui até 8 caracteres.

IV.21.1.2 - CONFIGURAÇÃO EM BARRAS


Para a exibição das duas barras é necessário configurar os valores das variáveis do processo.
Cada barra possui um valor Zero e Máximo em unidade de engenharia da variável que a mesma
representa, e no seu centro é mostrado a média entre estes valores.
Deve-se também configurar as TAGS referente a barra da esquerda e da barra direita bem como
suas variáveis de processos.

Figura IV.34 – Exemplo de uso do bloco Display

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 92


Controle e Automação Industrial CPD-400
Parâmetro Descrição
DSP1 Variável que será exibido no display numérico 1
DSP2 Variável que será exibido no display numérico 2
BAR1 Variável que será exibida na barra 1
BAR2 Variável que será exibida na barra 2
GRP Variável que será exibida no gráfico
Tabela IV.60 – Tabela das Entradas do Display 1 a 4

Parâmetro Descrição
TGF Tempo de gráfico no eixo horizontal - em minutos
ZAD Zero do display numérico 1
MAD Máximo do display numérico 1
ZBD Zero do display numérico 2
MBD Máximo do display numérico 2
ZCD Zero do display da barra 1
MCD Máximo do display da barra 1
ZDD Zero do display da barra 2
MDD Máximo do display da barra 2
ZED Zero do display gráfico
MED Máximo do display gráfico
GRP_INX Índice do gráfico - variável do valor central do eixo vertical
TAG_BAR1 Tag da barra 1
TAG_BAR2 Tag da barra 2
TAG_GRAF Tag do gráfico
Tabela IV.61 – Parâmetros do Display 1 a 4

IV.21.2 – GENERAL DISPLAY


O bloco General Display tem como função configurar o acesso aos modos de operação do CDP-
400 (MLCD), as 16 variáveis dos processos considerados importantes para serem exibidas no LCD
e suas respectivas TAGS.

Figura IV.35 – Exemplo de uso do bloco General Display

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 93


Controle e Automação Industrial CPD-400
Parâmetro Descrição
MLCD Modo do LCD – Tabela com os níveis de acesso Tabela III.1
FLCD Freqüência do LCD
OPER01 Índice do Parâmetro 1 (1ª variável de processo a ser exibida)
OPER02 Índice do Parâmetro 2 (2ª variável de processo a ser exibida)
OPER03 Índice do Parâmetro 3 (3ª variável de processo a ser exibida)
OPER04 Índice do Parâmetro 4 (4ª variável de processo a ser exibida)
OPER05 Índice do Parâmetro 5 (5ª variável de processo a ser exibida)
OPER06 Índice do Parâmetro 6 (6ª variável de processo a ser exibida)
OPER07 Índice do Parâmetro 7 (7ª variável de processo a ser exibida)
OPER08 Índice do Parâmetro 8 (8ª variável de processo a ser exibida)
OPER09 Índice do Parâmetro 9 (9ª variável de processo a ser exibida)
OPER10 Índice do Parâmetro 10 (10ª variável de processo a ser exibida)
OPER11 Índice do Parâmetro 11 (11ª variável de processo a ser exibida)
OPER112 Índice do Parâmetro 12 (12ª variável de processo a ser exibida)
OPER13 Índice do Parâmetro 13 (13ª variável de processo a ser exibida)
OPER14 Índice do Parâmetro 14 (14ª variável de processo a ser exibida)
OPER15 Índice do Parâmetro 15 (15ª variável de processo a ser exibida)
OPER16 Índice do Parâmetro 16 (16ª variável de processo a ser exibida)
TAG_PAR01 Tag do Parâmetro 1
TAG_PAR02 Tag do Parâmetro 2
TAG_PAR03 Tag do Parâmetro 3
TAG_PAR04 Tag do Parâmetro 4
TAG_PAR05 Tag do Parâmetro 5
TAG_PAR06 Tag do Parâmetro 6
TAG_PAR07 Tag do Parâmetro 7
TAG_PAR08 Tag do Parâmetro 8
TAG_PAR09 Tag do Parâmetro 9
TAG_PAR10 Tag do Parâmetro 10
TAG_PAR11 Tag do Parâmetro 11
TAG_PAR12 Tag do Parâmetro 12
TAG_PAR13 Tag do Parâmetro 13
TAG_PAR14 Tag do Parâmetro 14
TAG_PAR15 Tag do Parâmetro 15
TAG_PAR16 Tag do Parâmetro 16

IV.22 - BLOCO EXPANSION


IV.22.1 - FLOW COMPENSATION - PT
Este bloco possui três entradas e uma saída e executa a equação:

FlowCmp = Flow*PBAR*K/TKelvin (A*PBAR + B*TKelvin + C)

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 94


Controle e Automação Industrial CPD-400

Figura IV.36 – Exemplo de uso do bloco Flow Compensation - PT

Parâmetro Descrição
FlowCmp Vazão compensada em unidades de engenharia
Flow Vazão não compensada em unidade de engenharia
P (BAR) Pressão absoluta em Bar
T (Kelvin) Temperatura em Kelvin
Tabela IV.62 – Parâmetros de Entrada e Saída do Bloco Flow Compensation - PT

Parâmetro Descrição
KAE1 Fator A de compensação obtido através de programas Termodinâmicos
KBE1 Fator B de compensação obtido através de programas Termodinâmicos
KCE1 Fator C de compensação obtido através de programas Termodinâmicos
Cálculo dos Escolha três pontos de pressão e temperatura dentro do range de compensação e seu fator de
fatores A, compressibilidade Z através de programa de termodinâmica. Encontre os fatores A , B e C através
BeC das equações abaixo. A*P1 + B*T1 + C = Z1A*P2 + B*T2 + C = Z2A*P3 + B*T3 + C = Z3
KKE1 Fator K de compensação obtido através da equação: K = Tproj*Z / PprojZ = fator de
compressabilidade (Z = A*Pproj + B*Tproj + C). Neste caso Tproj = temperatura do projeto em
kelvin, Pproj = pressão absoluta de projeto em Bars .
ZAE1 Zero da Vazão não compensada em U.E.
MAE1 Máximo da Vazão não compensada em U.E.
ZBE1 Zero da Pressão (BAR)
MBE1 Máximo da Pressão (BAR)
ZCE1 Zero da Temperatura Kelvin
MCE1 Máximo da Temperatura Kelvin
ZRE1 Zero da Vazão Compensada em U.E.
MEX1 Máximo da Vazão Compensada em U.E.

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 95


Controle e Automação Industrial CPD-400
V - COMUNICAÇÃO TOKEN-PASSING
No CDP-400 podemos fazer a troca de informações entre cartões (SCCPU2 – PHC 400) e
sistema supervisório.
O sistema de comunicação empregado é o TOKEN PASSING, que significa PASSAGEM DE
BASTÃO. Neste sistema pode-se definir um total de até oito (8) mestres e a rede terá uma comuni-
cação Multi-mestre.

Figura V.1 – Configuração Token-Passing

O Token Passing define-se como uma técnica de controle do tráfico das informações na qual
somente disponibiliza informações na rede quem estiver com a posse do Token (bastão).
Enquanto um equipamento detiver o token, somente ele estará habilitado a disponibilizar infor-
mações na rede, sendo chamado mestre. Todos os outros equipamentos são chamados escravos, e
apenas recebem as informações do mestre, respondendo às suas solicitações quando necessário.
Tem-se, então, uma estrutura mestre/escravo temporária que se encerra quando da necessidade de
transmitir o token ao próximo mestre.
O token circula entre os mestres através de um estrutura cíclica seqüencial e unidirecional. Cada
mestre detém o token por determinado tempo, passando-o ao próximo mestre em seguida. Assim,
o mestre de endereço 0 passa o token ao de endereço 1, que o passa ao de endereço 2, e assim
por diante, até que o mestre de endereço 7 retorna o token ao de endereço 0, reiniciando o ciclo.
Evita-se, assim, a possibilidade de colisão de informações de mestres diferentes.
Podemos ter como Mestre as seguintes entidades:
• SCCPU2 (PHC-400)
• SISTEMA SUPERVISÓRIO
• FERSOFT

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 96


Controle e Automação Industrial CPD-400
· IHM-400
A identificação de cada mestre é feita pelo endereçamento que cada um recebe na rede e sua
faixa será entre o endereço 00 ao 07, com um total de 08 mestres.
O CDP-400 permite a configuração de seu endereço e como não permite a configuração do pró-
ximo mestre que receberá o token é necessário configurar de uma forma que o token do próximo
seja encontrado, pois se este não for encontrado, o equipamento tentará passá-lo ao mestre se-
guinte, até encontrar algum mestre válido. Por exemplo, se o CDP estiver no enderço 0 e tentar
passar o token para o mestre 1 e este não existir, ele tentará passá-lo para o 2, e assim por diante,
até encontrar um mestre que o receba e com isto deixa a comunicação mais lenta.
A configuração é feita através do dip-switch existente atrás do display. Como a CDP- 400 deve
operar como mestre, seu endereço não pode ser superior a 7.
Abaixo ilustramos um exemplo de como utilizar o Token-Passing:

Figura V.2 – Exemplo de configuração de mestres na comunicação Token-Passing

O token não precisa necessariamente ser enviado ao endereço seguinte, se este não necessitar
dele este pode ser enviado a qualquer outro.
O sistema de comunicação Fertron usa o padrão RS-485 como meio físico. Utiliza frame de 8
bits, 1 bit de stop, 1 bit de start, paridade par e não necessita de controle de fluxo. Pode ser confi-
gurado para baud-rates de até 57.600 bps.
Para conexão a micro-computadores PC (padrão RS-232C), é necessária uma interface RS-232C
para RS-485.

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 97


Controle e Automação Industrial CPD-400
V.1 – PARÂMETROS DE AJUSTE AVANÇADO DO TOKEN PASSING NO FERSOFT

Parâmetro Descrição
Próxima Estação Endereço da estação para qual o token será passado.
Message Retries Número de tentativas de uma mensagem com erro.
Message Timeout Tempo máximo para uma mensagem ser completada com sucesso.
Pass Token Timeout Tempo máximo para tentar passar token para a próxima estação. Se a estação não
receber a notificação que a outra estação recebeu o token, ela tenta passar o token para
a estação seguinte.
Use Token Time Tempo que a estação vai usar antes de passar o token, durante este tempo a estação
age como Mestre da linha.
Token Timeout Constant Tempo máximo que uma estação fica esperando por um token.Passado este tempo a
estação age como máster, como se tivesse recebido um token. Default = Token Timeout
const + (Endereço estação * Token Timeout Multiplier).
Tabela V.1 – Tabela dos Parâmetros Avançado do Token Passing

Figura V.3 – Configuração no Fersoft para Token-Passing

V.2 – TRANSFERÊNCIA DE DADOS


V.2.1 - CDP-400 PARA CDP-400
Após a configuração dos CDP-400 endereços como mestres e configurado o protocolo Token
Passing, através do bloco Public & External será feita a publicação dos dados a serem transferi-
dos e os à serem recebidos.
Para esta transferência ser utilizado o parâmetro DST_ADR onde será informado o endereço
(IADR) do outro CDP-400.

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 98


Controle e Automação Industrial CPD-400

Figura V.4 – Exemplo para publicar dados na transferência de CDP-400 para CDP-400

No exemplo acima será enviado para o CDP-400 que se encontra no endereço 7 (IADR07) os
seguintes valores:
Parâmetro Descrição Enviado para
APublic1 PID1: MV AExt1
APublic2 PID1: SP AExt2
APublic3 Zero AExt3

No CDP-400 endereço 07 podemos utilizar ao valores conforme exemplo abaixo, onde a entra-
da PV do PID2 irá receber o valor que está no AExt1 que é MV da PID1.

Figura V.5 – Exemplo para receber dados na transferência de CDP-400 para CDP-400

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 99


Controle e Automação Industrial CPD-400
V.2.2 - CDP-400 PARA CARTÕES (PHC-400) PROCESSADO PELA SCCPU2
Para que seja posível trocar infomações entre um CDP-400 e cartões é necessário ter conectado
no Sistema um SCCPU2. Esta transferência é processada pela SCCPU2 e é feita por uma de suas
atribuições via SCAN ANALÓGICO.
Configuração do CDP-400
Após a configuração do CDP-400 endereçado como mestre e configurado o protocolo Token
Passing, através do bloco Public & External será feita a publicação dos dados a serem transferidos.
Deverá ser informado no parâmetro DST_ADR o endereço (IADR) da SCCPU2 e no DST_IND
a auxiliar que receberá o valor (sinal).
Parâmetro Descrição
DST_ADR Instrumento de Destino – endereço (IADR) da SCCPU2.
DST_IND Índice de Destino – Auxiliar que receberá o valor (sinal).

Como o bloco envia 3 valores (Apublic1, APublic2, APublic3) e como neste exemplo foi esco-
lhido a Auxiliar A200 respectivamente as auxiliares A201 e A202 receberão os valores de APublic2
e APublic3.

Figura V.6 - Exemplo para publicar dados na transferência de CDP-400 para PHC-400

Configuração na SCCPU2
Na SCCPU2 deve-se confirgurar o SCAN ANALÓGICO. Esta configuração é feita através do
FERSOFT da seguinte forma.

1ª - Na configuração LADDER

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 100


Controle e Automação Industrial CPD-400

Figura V.7 – SCAN analógico no cartão SCCPU2 (PHC-400)

2ª - Na opção SCAN ANALÓGICO deve-se incluir o bloco e definir a Fonte e o Destino.

Parâmetro Descrição
Fonte Auxiliar
Número Valor da auxiliar que foi definida no CPD-400
Destino Qual parâmetro que irá receber o valor
Iad Endereço do cartão destinatário

EXEMPLO
ORIGEM DESTINO
A200 AEX1 – Cartão do endereço 8
A201 AEX2 – Cartão do endereço 8

Configuração no Cartão a receber (PHC-400)


Através do bloco Analog Public & External será feita a recepção dos dados, caso o dado seja
um sinal digital deverá ser utilizado o bloco Digital Public & External.

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 101


Controle e Automação Industrial CPD-400

Figura V.8 - Exemplo para receber dados na transferência de CDP-400 para PHC-400

No exemplo acima foi feita a seguinte transferência:


1º) O sinal que está APublic1 do CDP-400 foi enviado para a SCCPU2 no endereço 7 na auxi-
liar A200.
2º) No SCAN ANALÓGICO foi transferido o sinal da A200 para o AEX1 para o cartão no
endereço 8.
3º) No cartão de endereço 8 as saídas analógicas (AOUT1 e AOUT2) receberão as constantes
(Const1 e Const2) enviadas pelo CDP-400.

V.2.3 – DE CARTÕES (PHC-400) PARA CDP-400


Para que seja posível trocar infomações entre cartões e CDP-400 é necessário ter conectado no
Sistema um SCCPU2 e o CDP-400 estar endereçado como mestre e configurado o protocolo Token
Passing.
Configurações dos cartões (PHC-400)
Através do bloco Analog Public & External será feita a publicação dos dados, caso o dado
seja um sinal digital deverá ser utilizado o bloco Digital Public & External.

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 102


Controle e Automação Industrial CPD-400

Figura V.9 - Exemplo para publicar dados na transferência de PHC-400 para CDP-400

Configuração na SCCPU2
A SCCPU2 possui 8 (oito) Auxiliares destinadas ao recebimento e envio dos dados para serem
transmitidos que vai do A230 ao A237. A Auxiliar A238 é destinada a informar o endereço do des-
tinatário (mestre) que neste caso será o CDP-400.
Estas transferências são feitas através do bloco STORE no FERSOFT que deverão seguir os
seguintes passos:
Após o cartão (PHC-400) ter publicado o dado deve-se :
1º - Na SCCPU2 deve-se configurar o SCAN ANALÓGICO através do LADDER
FERSOFT

Figura V.10 – Exemplo de SCAN analógico na SCCPU2 (PHC-400)

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 103


Controle e Automação Industrial CPD-400
2ª - Na opção SCAN ANALÓGICO deve-se incluir o bloco e definir a Fonte e o Destino.

Parâmetro Descrição
Fonte APB1
IADR Enviado pelo cartão (PHC-400) do endereço 8
Destino Auxiliar
Número 230 – Auxiliar destinada a receber os dados

3º - Configurar o STORE através da configuração LADDER para informar o endereço do desti-


natário:
Parâmetro Descrição
Val 6 – endereço do CDP-400
OUT A238 – destinada a receber o endereço do destinatário

Figura V.11 – Exemplo do bloco Store na SCCPU2

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 104


Controle e Automação Industrial CPD-400
Configuração no CDP-400:
Através do bloco Public & External receberá o dado.

Figura V.12 - Exemplo para receber dados na transferência de PHC-400 para CDP-400

Como as variáveis de 230 a 237 são destinadas a área de transferência na SCCPU2, o bloco
Public & External é destinado a área de transferência no CDP-400, sendo assim, os valores transfe-
ridos na variável A230 será armazenado no AExt1.
Segue tabela abaixo dos valores:

Variável Bloco Analog Public 1


A230 Será armazenado no AEx1
A231 Será armazenado no AEx2
A232 Será armazenado no AEx3
Variável Bloco Analog Public 2
A233 Será armazenado no AEx4
A234 Será armazenado no AEx5
A235 Será armazenado no AEx6
Variável Bloco Digital Public
A237.00 Será armazenado no DExt01
A237.01 Será armazenado no DExt02
A237.02 Será armazenado no DExt03
....
A237.15 Será armazenado no DExt16

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 105


Controle e Automação Industrial CPD-400

Figura V.13 – Exemplo do bloco Store na SCCPU2 (PHC-400) para transferência de vários dados)

Figura V.14 – Exemplo de recepção de vários dados na transferência de PHC-400 para CDP-400

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 106


Controle e Automação Industrial CPD-400
VI - ENTRADAS E SAÍDAS (CALIBRAÇÃO)
O hardware do CPD-400 usa uma tecnológica que prioriza a segurança. Possui entradas analógicas,
saídas analógicas, entradas digitais, saídas digitais e comunicação serial totalmente optoisoladas do
microcontrolador que executa a parte digital.
Todos os CDP-400 são calibrados na fábrica para os diversos tipos de sinais. Os valores obti-
dos destes ganhos encontram-se na etiqueta anexa á fonte interna ao CDP-400.

VI.1 – CALIBRAÇÃO DAS ENTRADAS ANALÓGICAS (MULTISENSOR)


O CDP-400 possui 6 entradas analógicas que podem operar com sinais de corrente 4-20mA ou
Tensão 0.4-2V, corrente 0-20mA ou Tensão 0-2V, PT-100, Tensão (0-125mV ou 0-62,5mV)
Termopar tipo J e K.
Estes sinais são configurados através dos parâmetros de calibração TYP12 (para entradas
analógicas 1e 2), TYP34 (para entradas analógicas 3 e 4), TYP56 (para entradas analógica 5 e 6).
Quando a leitura de sinal for selecionada para tipo PT100 ou termopar tipo J ou K, automatica-
mente as entradas agrupadas se tornam obrigatórias para o sinal.

Exemplo
Entrada Sinal Selecionado
AIN1 PT100
AIN2 Também é PT 100

A seleção entre corrente de 4 a 20 mA é feita via Jumper da Placa mãe, a qual habilita ou não o
resistor de carga das entradas que tem uma impedância fixa de 100 Ohms.
A seleção a PT100 é feita via Jumper na placa mãe, que habilita ou não a geração de corrente
(I=0,4mA) para leitura dos PT-100s.

PT 100
Entrada Jumpers
AIN1 JP10 e JP11 conectado para PTJP5 não conectado
AIN2 JP19 e JP20 conectado para PTJP14 não conectado
AIN3 JP8 e JP9 conectado para PTJP4 não conectado
AIN4 JP15 e JP16 conectado para PTJP12 não conectado
AIN5 JP6 e JP7 conectado para PTJP3 não conectado
AIN6 JP17 e JP18 conectado para PTJP13 não conectado
4-20 mA
Entrada Jumpers
AIN1 JP10 e JP11 conectado para IVJP5 conectado
AIN2 JP19 e JP20 conectado para IVJP14 conectado
AIN3 JP8 e JP9 conectado para IVJP4 conectado
AIN4 JP15 e JP16 conectado para IVJP12 conectado
AIN5 JP6 e JP7 conectado para IVJP3 conectado
AIN6 JP17 e JP18 conectado para IVJP13 conectado

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 107


Controle e Automação Industrial CPD-400
mV ou Termopar
Entrada Jumpers
AIN1 JP10 e JP11 não conectadoJP5 não conectado
AIN2 JP19 e JP20 não conectadoJP14 não conectado
AIN3 JP8 e JP9 não conectadoJP4 não conectado
AIN4 JP15 e JP16 não conectadoJP12 não conectado
AIN5 JP6 e JP7 não conectadoJP3 não conectado
AIN6 JP17 e JP18 não conectadoJP13 não conectado
0 – 10 V *
Entrada Jumpers
AIN1 JP10 e JP11 conectado para IVJP5 conectado
AIN2 JP19 e JP20 conectado para IVJP14 conectado
AIN3 JP8 e JP9 conectado para IVJP4 conectado
AIN4 JP15 e JP16 conectado para IVJP12 conectado
AIN5 JP6 e JP7 conectado para IVJP3 conectado
AIN6 JP17 e JP18 conectado para IVJP13 conectado
* É necessário acrescentar um resistor externo na entrada.
Tabela VI.1 – Tabela de Jumpers das Entradas Analógicas

Para conectarmos uma entrada a PT100, o diagrama típico de configuração é a 3 fios. Veja ta-
bela abaixo para ligação nas borneiras para entradas de 1 a 6.

AIN1 AIN2 AIN3 AIN4 AIN5 AIN6


AI1+ AI1- AI2+ AI2- AI3+ AI3- AI4+ AI4- AI5+ AI5- AI6+ AI6-
Borne Borne Borne Borne Borne Borne Borne Borne Borne Borne Borne Borne
01 21 02 22 03 23 04 24 05 25 06 26
Terceiro fio cabo de compensação: BORNE - 37 LINE.
Tabela VI.2 – Tabelas dos bornes da entradas analógicas para PT-100

Para calibração das entradas analógicas, o CDP-400 deve estar executando uma configuração
que defina os blocos AINP1 até AINP6, com parâmetros Zero = 0,0000 e Máximo = 100,0000 e
Tempo de filtro da Entrada Analógica = 0,0000.

VI.1.1 – MODO 4-20MA/TENSÃO 0,4-2V


· Colocar Jumper conforme a Tabela VI.1.
· No Fersoft, ajustar o ganho da entrada analógica para 1,2500.
· Aplicar á entrada analógica uma corrente de 12,0 mA ou 0,12V. Ajustar o ganho que a indi-
cação do CDP-400 seja 50,0000.
· Verificar a calibração com as correntes de entradas mostradas na tabela abaixo. Caso alguma
medida esteja fora da faixa aceitável, repetir o procedimento ajustando o ganho para o valor ade-
quado.

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 108


Controle e Automação Industrial CPD-400
Entrada (mA) Indicação Mínimo Máximo
4,0 0,0000 -0,1250 0,1250
8,0 25,0000 24,8750 25,1250
12,0 50,0000 49,8750 50,1250
16,0 75,0000 74,8750 75,1250
20,0 100,0000 99,8750 100,1250
Tabela VI.3 – Valores de teste de calibração de entradas analógica (4-20mA)

O erro máximo admissível é de ± 0,125% do span.

VI.1.2 – MODO CORRENTE DE 0-20MA/TENSÃO 0-2V


· Colocar Jumper conforme Tabela VI.1.
· No Fersoft, ajustar o ganho da entrada analógica para 1,0000.
· Aplicar á entrada analógica uma corrente de 10,0 mA ou 0,10V. Ajustar o ganho que a indi-
cação do CDP-400 seja 50,0000.
Verificar a calibração com as correntes de entradas mostradas na tabela abaixo. Caso alguma
medida esteja fora da faixa aceitável, repetir o procedimento ajustando o ganho adequadamente.

Entrada (mA) Indicação Mínimo Máximo


0 0,0000 0,1000 0,1000
5 25,0000 24,9000 25,1000
10 50,0000 49,9000 50,1000
15 75,0000 74,9000 75,1000
20,0 100,0000 99,9000 100,1000
Tabela VI.4 – Valores de teste de calibração de entradas analógica (0-20mA ou 0-2V)

O erro máximo admissível é de ± 0,1% do span.

VI.1.3 – MODO TENSÃO 0-125MV


· Colocar Jumper conforme Tabela VI.1.
· No Fersoft, ajustar o ganho da entrada analógica em torno de 1,4000.
· Aplicar a entrada analógica uma tensão de 62,50mV. Ajustar o ganho que a indicação do CDP-
400 seja 50,000.
· Verificar a calibração com as correntes de entradas mostradas na tabela abaixo.
Caso alguma medida esteja fora da faixa aceitável, repetir o procedimento.
Entrada (mV) Indicação Mínimo Máximo
0 0,0000 0,1000 0,1000
30 24,0000 23,9000 24,1000
62,50 50,0000 49,9000 50,1000
90 72,0000 71,9000 72,1000
20,0 100,0000 99,9000 100,1000

Tabela VI.5 – Valores de teste de calibração de entradas analógica (0-125mV)

O erro máximo admissível é de ± 0,1% do span.

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 109


Controle e Automação Industrial CPD-400
VI.1.4 – MODO TENSÃO 0-62,5MV
• Colocar Jumper conforme Tabela VI.1.
• No Fersoft, ajustar o ganho da entrada analógica em torno de 1,4000.
• Aplicar a entrada analógica uma tensão de 30,0mV. Ajustar o ganho que a indicação do CDP-
400 seja 48,00.
• Verificar a calibração com as correntes de entradas mostradas na tabela abaixo.
Caso alguma medida esteja fora da faixa aceitável, repetir o procedimento.

Entrada (mV) Indicação Mínimo Máximo


0,00 0,0000 0,1000 0,1000
15,00 24,0000 23,9000 24,1000
30,00 48,0000 47,9000 48,1000
45,00 72,0000 71,9000 72,1000
62,50 100,0000 99,9000 100,1000
Tabela VI.6 – Valores de teste de calibração de entradas analógica (0-20mA ou 0-2V)

O erro máximo admissível é de ± 0,1% do span.

VI.1.5 – MODO PT100 (-200 A 850ºC)


• Colocar Jumper conforme Tabela VI.1.
• No Fersoft, ajustar o ganho da entrada analógica para 1,0000.
• Aplicar a entrada analógica uma resistência de 194,10Ω. Ajustar o ganho que a indicação do
CDP-400 seja 250,0000.
• Verificar a calibração da indicação de acordo com as resistência de entradas mostradas na
tabela abaixo. Caso alguma medida esteja fora da faixa aceitável, repetir o procedimento ajustando
o ganho adequadamente.

Entrada (Ohms) Indicação (ºC) Mínimo Máximo


18,52 Ω -200 -200,10 -199,90
100,00 Ω 0 -0,1 0,1
194,10 Ω 250 249,90 250,10
280,98 Ω 500 499,90 500,10
390,26 Ω 850 849,90 850,10
Tabela VI.7– Valores de teste de calibração de entradas analógica (Pt-100 -200 a 850ºC)

O erro máximo admissível é de ± 0,1º.

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 110


Controle e Automação Industrial CPD-400
VI.1.6 – MODO TERMOPAR J (0 – 1323º)
• Colocar Jumper conforme Tabela VI.1.
• No Fersoft, ajustar o ganho da entrada analógica para 1,0000.
• Aplicar a entrada analógica uma tensão de 34,873mV. Ajustar o ganho que a indicação do
CDP-400 seja 630º.
• Verificar a calibração da indicação de acordo com as tensões de entradas mostradas na tabe-
la abaixo. Caso alguma medida esteja fora da faixa aceitável, repetir o procedimento ajustando o
ganho adequadamente.

Entrada (mV) Indicação (ºC ) Mínimo Máximo


0 0 -1,50 +1,50
3,275 63 61,50 64,50
6,689 126 124,50 127,50
10,168 189 187,50 190,50
13,666 252 250,50 253,50
17,157 315 313,50 316,50
20,635 378 376,50 379,50
24,112 441 439,50 442,50
27,617 504 502,50 505,50
31,132 567 565,50 568,50
34,873 630 628,50 631,50
38,698 693 691,50 694,50
42,663 756 754,50 757,50
46,722 819 817,50 820,50
50,748 882 880,50 883,50
54,652 945 943,50 946,50
58,427 1008 1006,50 1009,50
62,112 1071 1069,50 1072,50
65,756 1134 1132,50 1135,50
69,381 1197 1195,50 1198,50
Tabela VI.8 - Valores de teste de calibração de entradas analógica (Termopar J 0 a 1197º C)

O erro máximo admissível é de ± 1,5º.

VI.1.7 – MODO TERMOPAR TIPO K (0 – 1936º C)


• Colocar Jumper conforme Tabela VI.1.
• No Fersoft, ajustar o ganho da entrada analógica para 1,0000.
• Aplicar a entrada analógica uma tensão de 34,420 mV. Ajustar o ganho que a indicação do
CDP-400 seja 828º.
• Verificar a calibração da indicação de acordo com as tensões de entradas mostradas na tabe-
la abaixo. Caso alguma medida esteja fora da faixa aceitável, repetir o procedimento ajustando o
ganho adequadamente.

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 111


Controle e Automação Industrial CPD-400
Entrada (mV) Indicação (ºC) Mínimo Máximo
0 0 - 3,00 3,00
3,765 92 89,00 95,00
7,500 184 181,00 187,00
11,217 276 273,00 279,00
15,049 368 365,00 371,00
18,941 460 457,00 463,00
22,862 552 549,00 555,00
26,771 644 641,00 647,00
30,632 736 733,00 739,00
34,420 828 825,00 831,00
38,124 920 917,00 923,00
41,743 1012 1009,00 1015,00
45,270 1104 1101,00 1107,00
48,692 1196 1193,00 1199,00
51,990 1288 1285,00 1291,00
Tabela VI.9 – Valores de teste de calibração de entradas analógica (Termopar K 0 a 1288ºC)

O erro máximo admissível é de ± 3,0º.

VI.2 - CALIBRAÇÃO DAS SAÍDAS ANALÓGICAS


O CDP-400 possui 4 saídas analógicas que podem ser configuradas individualmente. Estas saí-
das podem ser dos tipos: 4-20mA, 0-20mA ou a 0-20V.

4-20mA
Saída Jumpers
AO1 JP21 fechado para I
AO2 JP22 fechado para I
AO3 JP23 fechado para I
AO4 JP24 fechado para I
0-20V
Saída Jumpers
AO1 JP21 fechado para V
AO2 JP22 fechado para V
AO3 JP23 fechado para V
AO4 JP24 fechado para V

AO1 AO2 AO3 AO4


Borne 11 Borne 12 Borne 31 Borne 32
Borne 27 e Borne 28 Gext.

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 112


Controle e Automação Industrial CPD-400
VI.2.1 - MODO 4-20MA
• Ligar o instrumento de medição de corrente (multímetro) à saída analógica em calibração.
• No Fersoft, em modo monitoração, colocar o PID em modo Manual e zerar a MV e ajustar
o valor de bias da saída analógica de forma que a medida da saída seja 4,00mA.
• No Fersoft, fazer MV = 50,000% e ajustar o ganho de forma que a medida seja 12,00mA.
• Verificar a calibração com os valores da Tabela VI.10. Caso algum valor esteja fora dos limi-
tes, deve-se repetir o procedimento.

Saída(%) Corrente (mA) Mín.(mA) Máx.(mA)


0,00 4,00 3,96 4,04
25,00 8,00 7,96 8,04
50,00 12,00 11,96 12,04
75,00 16,00 15,96 16,04
100,00 20,00 19,96 20,04
Tabela VI.10 – Valores de testes para calibração das saídas analógicas (4-20mA)

O erro máximo admissível é de ± 0,04mA.

VI.2.2 - MODO 0-20V


• Ligar o instrumento de medição de tensão à saída analógica em calibração.
• No Fersoft, em modo monitoração, colocar o PID em modo Manual e zerar a MV e ajustar
o valor de bias da saída analógica de forma que a medida da saída seja 0,0V.
• No Fersoft, fazer MV = 50,000% e ajustar o ganho de forma que a medida seja 10,00V.
• Verificar a calibração com os valores da Tabela VI.11. Caso algum valor esteja fora dos limi-
tes, deve-se repetir o procedimento.

Saída (%) Corrente (V) Mín. (V) Máx. (V)


0,00 0,00 -0,05 +0,05
25,00 5,00 4,95 5,05
50,00 10,00 9,95 10,05
75,00 15,00 14,95 15,05
100,00 20,00 19,95 20,02
Tabela VI.11 – Valores de testes para calibração das saídas analógicas (0-20V)

O erro máximo admissível é de ± 0,05V.

VI.3 – CALIBRAÇÃO DAS ENTRADAS DE FREQÜÊNCIA


O CDP-400 possui 4 entradas de freqüência de 0 a 5 KHz que podem ser utilizadas para rece-
ber sinais provenientes diretamente de tacogeradores, pick-ups magnéticos, etc. Os blocos de en-
trada de freqüência convertem os valores de freqüência diretamente em indicação de RPM.
A configuração das entradas de freqüência é feita através dos blocos Frequency Inputs 1 à
Frequency Inputs 4, sendo que o range das entradas deve ser escolhido através dos parâmetros
ZFI , MFI e GFl.

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 113


Controle e Automação Industrial CPD-400
FI 1 FI 2 FI 3 FI4
Borne 11 Borne 12 Borne 31 Borne 32

Borne 27 e Borne 28 Gext.


As entradas de freqüência somente requerem o ajuste de seu ganho para operarem corretamente.
O ganho de cada entrada de freqüência deve ser ajustado de acordo com as características do
processo. Os exemplos a seguir ilustram a determinação do ganho.
Exemplo 1: Medição da velocidade de um eixo em cuja extremidade é acoplada uma roda den-
tada de 30 dentes com sensor indutivo.
A cada volta completa do eixo, 30 pulsos serão contados pelo CDP-400. Assim, para uma me-
dida de freqüência correta, o ganho da entrada de freqüência correspondente deve ser de 1/30.
Exemplo 2: Medição de velocidade de um eixo cujo sensor é instalado em outro eixo acoplado
ao primeiro com redução de 2:1.
A cada duas voltas, do eixo principal, um pulso é gerado na entrada de freqüência. Assim, o
ganho da entrada de freqüência deve ser 2.

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 114


Controle e Automação Industrial CPD-400
VII - MAPA DE MEMÓRIA
É importante o conhecimento da localização de algumas variáveis no espaço de memória do CDP-
400 para permitir a configuração de supervisórios e de IHMs Fertron.
Estão presentes no mapa de memória a seguir diversos parâmetros relacionados às entradas e
saídas, aos PIDs, entre outros parâmetros pertencentes aos blocos de configuração do CDP-400.

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 115


Controle e Automação Industrial CPD-400
Mnemônico Descrição Uso Bytes Endereço
Parâmetros float
SP1 Set-point do PID1 em unidade de engenharia Leitura/Escrita 1 float E000H-E003H
SP2 Set-point do PID2 em unidade de engenharia Leitura/Escrita 1 float E004H-E007H
SP3 Set-point do PID3 em unidade de engenharia Leitura/Escrita 1 float E008H-E00BH
SP4 Set-point do PID4 em unidade de engenharia Leitura/Escrita 1 float E00CH-E00FH
KP1 Ação proporcional do PID1 Leitura/Escrita 1 float E010H-E013H
KP2 Ação proporcional do PID2 Leitura/Escrita 1 float E014H-E017H
KP3 Ação proporcional do PID3 Leitura/Escrita 1 float E018H-E01BH
KP4 Ação proporcional do PID4 Leitura/Escrita 1 float E01CH-E01FH
RTM1 Ação integral do PID1 Leitura/Escrita 1 float E020H-E023H
RTM2 Ação integral do PID2 Leitura/Escrita 1 float E024H-E027H
RTM3 Ação integral do PID3 Leitura/Escrita 1 float E028H-E02BH
RTM4 Ação integral do PID4 Leitura/Escrita 1 float E02CH-E02FH
DTM1 Ação derivativa do PID1 Leitura/Escrita 1 float E030H-E033H
DTM2 Ação derivativa do PID2 Leitura/Escrita 1 float E034H-E037H
DTM3 Ação derivativa do PID3 Leitura/Escrita 1 float E038H-E03BH
DTM4 Ação derivativa do PID4 Leitura/Escrita 1 float E03CH-E03FH
CT1% Constante 1 do bloco Constante em porcentagem Leitura/Escrita 1 float E040H-E043H
CT2% Constante 2 do bloco Constante em porcentagem Leitura/Escrita 1 float E044H-E047H
CT3% Constante 3 do bloco Constante em porcentagem Leitura/Escrita 1 float E048H-E04BH
CT4% Constante 4 do bloco Constante em porcentagem Leitura/Escrita 1 float E04CH-E04FH
AL1% Ponto de ajuste de alarme baixo do bloco Alarme Leitura/Escrita 1 float E050H-E053H
1 em porcentagem
AL2% Ponto de ajuste de alarme baixo do bloco Alarme Leitura/Escrita 1 float E054H-E057H
2 em porcentagem
AL3% Ponto de ajuste de alarme baixo do bloco Alarme Leitura/Escrita 1 float E058H-E05BH
3 em porcentagem
AL4% Ponto de ajuste de alarme baixo do bloco Alarme Leitura/Escrita 1 float E05CH-E05FH
4 em porcentagem
AH1% Ponto de ajuste de alarme alto do bloco Alarme Leitura/Escrita 1 float E060H-E063H
1 em porcentagem
AH2% Ponto de ajuste de alarme alto do bloco Alarme Leitura/Escrita 1 float E064H-E067H
2 em porcentagem
AH3% Ponto de ajuste de alarme alto do bloco Alarme Leitura/Escrita 1 float E068H-E06BH
3 em porcentagem
AH4% Ponto de ajuste de alarme alto do bloco Alarme Leitura/Escrita 1 float E06CH-E06FH
4 em porcentagem
GIN1 Ganho do bloco GanhoBias1 Leitura/Escrita 1 float E070H-E073H
GIN2 Ganho do bloco GanhoBias 2 Leitura/Escrita 1 float E074H-E077H
GIN3 Ganho do bloco GanhoBias 3 Leitura/Escrita 1 float E078H-E07BH
GIN4 Ganho do bloco GanhoBias 4 Leitura/Escrita 1 float E07CH-E07FH
BI1% Bias do bloco GanhoBias 1 em porcentagem Leitura/Escrita 1 float E080H-E083H
BI2% Bias do bloco GanhoBias 2 em porcentagem Leitura/Escrita 1 float E084H-E087H
BI3% Bias do bloco GanhoBias 3 em porcentagem Leitura/Escrita 1 float E088H-E08BH
BI4% Bias do bloco GanhoBias 4 em porcentagem Leitura/Escrita 1 float E08CH-E08FH
AL5% Ponto de ajuste de alarme baixo do bloco Alarme Leitura/Escrita 1 float E090H-E093H
5 em porcentagem
AL6% Ponto de ajuste de alarme baixo do bloco Alarme Leitura/Escrita 1 float E094H-E097H
6 em porcentagem
AL7% Ponto de ajuste de alarme baixo do bloco Alarme Leitura/Escrita 1 float E098H-E09BH
7 em porcentagem
Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 116
Controle e Automação Industrial CPD-400
Mnemônico Descrição Uso Bytes Endereço
Parâmetros float
AL8% Ponto de ajuste de alarme baixo do bloco Alarme Leitura/Escrita 1 float E09CH-E09FH
8 em porcentagem
AH5% Ponto de ajuste de alarme alta do bloco Alarme Leitura/Escrita 1 float E0A0H-E0A3H
5 em porcentagem
AH6% Ponto de ajuste de alarme alta do bloco Alarme Leitura/Escrita 1 float E0A4H-E0A7H
6 em porcentagem
AH7% Ponto de ajuste de alarme alta do bloco Alarme Leitura/Escrita 1 float E0A8H-E0ABH
7 em porcentagem
AH8% Ponto de ajuste de alarme alta do bloco Alarme Leitura/Escrita 1 float E0ACH-E0AFH
8 em porcentagem
TLF1 Tempo de lag da Função 1 em minutos Leitura/Escrita 1 float E0B0H-E0B3H
TLF2 Tempo de lag da Função 2 em minutos Leitura/Escrita 1 float E0B4H-E0B7H
TLF3 Tempo de lag da Função 3 em minutos Leitura/Escrita 1 float E0B8H-E0BBH
TLF4 Tempo de lag da Função 4 em minutos Leitura/Escrita 1 float E0BCH-E0BFH
THF1 Tempo de lead da Função 1 em minutos Leitura/Escrita 1 float E0C0H-E0C3H
THF2 Tempo de lead da Função 2 em minutos Leitura/Escrita 1 float E0C4H-E0C7H
THF3 Tempo de lead da Função 3 em minutos Leitura/Escrita 1 float E0C8H-E0CBH
THF4 Tempo de lead da Função 4 em minutos Leitura/Escrita 1 float E0CCH-E0CFH
GAF5 Ganho A da Função 5 Leitura/Escrita 1 float E0D0H-E0D3HHH H
GAF6 Ganho A da Função 6 Leitura/Escrita 1 float E0D4H-E0D7HHH H
GAF7 Ganho A da Função 7 Leitura/Escrita 1 float E0D8H-E0DBHHH H
GAF8 Ganho A da Função 8 Leitura/Escrita 1 float E0DCH-E0DFHHH H
GBF5 Ganho B da Função 5 Leitura/Escrita 1 float E0E0H-E0E3HHH H
GBF6 Ganho B da Função 6 Leitura/Escrita 1 float E0E4H-E0E7HHH H
GBF7 Ganho B da Função 7 Leitura/Escrita 1 float E0E8H-E0EBHHH H
GBF8 Ganho B da Função 8 Leitura/Escrita 1 float E0ECH-E0EFHHH H
GCF5 Ganho C da Função 5 Leitura/Escrita 1 float E0F0H-E0F3HHH H
GCF6 Ganho C da Função 6 Leitura/Escrita 1 float E0F4H-E0F7HHH H
GCF7 Ganho C da Função 7 Leitura/Escrita 1 float E0F8H-E0FBHHH H
GCF8 Ganho C da Função 8 Leitura/Escrita 1 float E0FCH-E0FFHHH H
GDF5 Ganho D da Função 5 Leitura/Escrita 1 float E100H-E103HHH H
GDF6 Ganho D da Função 6 Leitura/Escrita 1 float E104H-E107HHH H
GDF7 Ganho D da Função 7 Leitura/Escrita 1 float E108H-E10BHHH H
GDF8 Ganho D da Função 8 Leitura/Escrita 1 float E10CH-E10FHHH H
GEF5 Ganho E da Função 5 Leitura/Escrita 1 float E110H-E113HHH H
GEF6 Ganho E da Função 6 Leitura/Escrita 1 float E114H-E117HHH H
GEF7 Ganho E da Função 7 Leitura/Escrita 1 float E118H-E11BHHH H
GEF8 Ganho E da Função 8 Leitura/Escrita 1 float E11CH-E11FHHH H
GFF5 Ganho F da Função 5 Leitura/Escrita 1 float E120H-E123HHH H
GFF6 Ganho F da Função 6 Leitura/Escrita 1 float E124H-E127HHH H
GFF7 Ganho F da Função 7 Leitura/Escrita 1 float E128H-E12BHHH H
GFF8 Ganho F da Função 8 Leitura/Escrita 1 float E12CH-E12FHHH H
GGF5 Ganho G da Função 5 Leitura/Escrita 1 float E130H-E133HHH H
GGF6 Ganho G da Função 6 Leitura/Escrita 1 float E134H-E137HHH H
GGF7 Ganho G da Função 7 Leitura/Escrita 1 float E138H-E13BHHH H
GGF8 Ganho G da Função 8 Leitura/Escrita 1 float E13CH-E13FHHH H
MLCD Modo do LCD no bloco General Display Leitura/Escrita 1 float E140H-E143H
FLCD Freqüência do LCD no bloco General Display Leitura/Escrita 1 float E144H-E147H
TFT1 Tempo de filtro da Entrada Analógica 1 em segundos Leitura/Escrita 1 float E148H-E14BH
TFT2 Tempo de filtro da Entrada Analógica 2 em segundos Leitura/Escrita 1 float E14CH-E14FH

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 117


Controle e Automação Industrial CPD-400
Mnemônico Descrição Uso Bytes Endereço
Parâmetros float
TFT3 Tempo de filtro da Entrada Analógica Leitura/Escrita 1 float E150H-E153H
3 em segundos
TFT4 Tempo de filtro da Entrada Analógica Leitura/Escrita 1 float E154H-E157H
4 em segundos
TFT5 Tempo de filtro da Entrada Analógica Leitura/Escrita 1 float E158H-E15BH
5 em segundos
TFT6 Tempo de filtro da Entrada Analógica Leitura/Escrita 1 float E15CH-E15FH
6 em segundos
TAL1 Tempo de reconhecimento para Alarme Leitura/Escrita 1 float E160H-E163H
1 em segundos
TAL2 Tempo de reconhecimento para Alarme Leitura/Escrita 1 float E164H-E167H
2 em segundos
TAL3 Tempo de reconhecimento para Alarme Leitura/Escrita 1 float E168H-E16BH
3 em segundos
TAL4 Tempo de reconhecimento para Alarme Leitura/Escrita 1 float E16CH-E16FH
4 em segundos
TAL5 Tempo de reconhecimento para Alarme Leitura/Escrita 1 float E170H-E173H
5 em segundos
TAL6 Tempo de reconhecimento para Alarme Leitura/Escrita 1 float E174H-E177H
6 em segundos
TAL7 Tempo de reconhecimento para Alarme Leitura/Escrita 1 float E178H-E17BH
7 em segundos
TAL8 Tempo de reconhecimento para Alarme Leitura/Escrita 1 float E17CH-E17FH
8 em segundos
X11% Linearização do ponto um para o eixo X Leitura/Escrita 1 float E180H-E183H
do bloco Linearização 1
X12% Linearização do ponto dois para o eixo X Leitura/Escrita 1 float E184H-E187H
do bloco Linearização 1
X13% Linearização do ponto três para o eixo X Leitura/Escrita 1 float E188H-E18BH
do bloco Linearização 1
X14% Linearização do ponto quatro para o eixo X Leitura/Escrita 1 float E18CH-E18FH
do bloco Linearização 1
X15% Linearização do ponto cinco para o eixo X Leitura/Escrita 1 float E190H-E193H
do bloco Linearização 1
X16% Linearização do ponto seis para o eixo X Leitura/Escrita 1 float E194H-E197H
do bloco Linearização 1
X17% Linearização do ponto sete para o eixo X Leitura/Escrita 1 float E198H-E19BH
do bloco Linearização 1
X18% Linearização do ponto oito para o eixo X Leitura/Escrita 1 float E19CH-E19FH
do bloco Linearização 1
X21% Linearização do ponto um para o eixo X Leitura/Escrita 1 float E1A0H-E1A3H
do bloco Linearização 2
X22% Linearização do ponto dois para o eixo X Leitura/Escrita 1 float E1A4H-E1A7H
do bloco Linearização 2
X23% Linearização do ponto três para o eixo X Leitura/Escrita 1 float E1A8H-E1ABH
do bloco Linearização 2
X24% Linearização do ponto quatro para o eixo X Leitura/Escrita 1 float E1ACH-E1AFH
do bloco Linearização 2
X25% Linearização do ponto cinco para o eixo X Leitura/Escrita 1 float E1B0H-E1B3H
do bloco Linearização 2

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 118


Controle e Automação Industrial CPD-400
Mnemônico Descrição Uso Bytes Endereço
Parâmetros float
X26% Linearização do ponto seis para o eixo X Leitura/Escrita 1 float E1B4H-E1B7H
do bloco Linearização 2
X27% Linearização do ponto sete para o eixo X Leitura/Escrita 1 float E1B8H-E1BBH
do bloco Linearização 2
X28% Linearização do ponto oito para o eixo X Leitura/Escrita 1 float E1BCH-E1BFH
do bloco Linearização 2
X31% Linearização do ponto um para o eixo X Leitura/Escrita 1 float E1C0H-E1C3H
do bloco Linearização 3
X32% Linearização do ponto dois para o eixo X Leitura/Escrita 1 float E1C4H-E1C7H
do bloco Linearização 3
X33% Linearização do ponto três para o eixo X Leitura/Escrita 1 float E1C8H-E1CBH
do bloco Linearização 3
X34% Linearização do ponto quatro para o eixo X Leitura/Escrita 1 float E1CCH-E1CFH
do bloco Linearização 3
X35% Linearização do ponto cinco para o eixo X Leitura/Escrita 1 float E1D0H-E1D3H
do bloco Linearização 3
X36% Linearização do ponto seis para o eixo X Leitura/Escrita 1 float E1D4H-E1D7H
do bloco Linearização 3
X37% Linearização do ponto sete para o eixo X Leitura/Escrita 1 float E1D8H-E1DBH
do bloco Linearização 3
X38% Linearização do ponto oito para o eixo X Leitura/Escrita 1 float E1DCH-E1DFH
do bloco Linearização 3
X41% Linearização do ponto um para o eixo X Leitura/Escrita 1 float E1E0H-E1E3H
do bloco Linearização 4
X42% Linearização do ponto dois para o eixo X Leitura/Escrita 1 float E1E4H-E1E7H
do bloco Linearização 4
X43% Linearização do ponto três para o eixo X Leitura/Escrita 1 float E1E8H-E1EBH
do bloco Linearização 4
X44% Linearização do ponto quatro para o eixo X Leitura/Escrita 1 float E1ECH-E1EFH
do bloco Linearização 4
X45% Linearização do ponto cinco para o eixo X Leitura/Escrita 1 float E1F0H-E1F3H
do bloco Linearização 4
X46% Linearização do ponto seis para o eixo X Leitura/Escrita 1 float E1F4H-E1F7H
do bloco Linearização 4
X47% Linearização do ponto sete para o eixo X Leitura/Escrita 1 float E1F8H-E1FBH
do bloco Linearização 4
X48% Linearização do ponto oito para o eixo X Leitura/Escrita 1 float E1FCH-E1FFH
do bloco Linearização 4
Y11% Linearização do ponto um para o eixo Y Leitura/Escrita 1 float E200H-E203H
do bloco Linearização 1
Y12% Linearização do ponto dois para o eixo Y Leitura/Escrita 1 float E204H-E207H
do bloco Linearização 1
Y13% Linearização do ponto três para o eixo Y Leitura/Escrita 1 float E208H-E20BH
do bloco Linearização 1
Y14% Linearização do ponto quatro para o eixo Y Leitura/Escrita 1 float E20CH-E20FH
do bloco Linearização 1
Y15% Linearização do ponto cinco para o eixo Y Leitura/Escrita 1 float E210H-E213H
do bloco Linearização 1
Y16% Linearização do ponto seis para o eixo Y Leitura/Escrita 1 float E214H-E217H
do bloco Linearização 1

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 119


Controle e Automação Industrial CPD-400
Mnemônico Descrição Uso Bytes Endereço
Parâmetros float
Y17% Linearização do ponto sete para o eixo Y Leitura/Escrita 1 float E218H-E21BH
do bloco Linearização 1
Y18% Linearização do ponto oito para o eixo Y Leitura/Escrita 1 float E21CH-E21FH
do bloco Linearização 1
Y21% Linearização do ponto um para o eixo Leitura/Escrita 1 float E220H-E223H
Y do bloco Linearização 2
Y22% Linearização do ponto dois para o eixo Y Leitura/Escrita 1 float E224H-E227H
do bloco Linearização 2
Y23% Linearização do ponto três para o eixo Y Leitura/Escrita 1 float E228H-E22BH
do bloco Linearização 2
Y24% Linearização do ponto quatro para o eixo Y Leitura/Escrita 1 float E22CH-E22FH
do bloco Linearização 2
Y25% Linearização do ponto cinco para o eixo Y Leitura/Escrita 1 float E230H-E233H
do bloco Linearização 2
Y26% Linearização do ponto seis para o eixo Y Leitura/Escrita 1 float E234H-E237H
do bloco Linearização 2
Y27% Linearização do ponto sete para o eixo Y Leitura/Escrita 1 float E238H-E23BH
do bloco Linearização 2
Y28% Linearização do ponto oito para o eixo Y Leitura/Escrita 1 float E23CH-E23FH
do bloco Linearização 2
Y31% Linearização do ponto um para o eixo Y Leitura/Escrita 1 float E240H-E243H
do bloco Linearização 3
Y32% Linearização do ponto dois para o eixo Leitura/Escrita 1 float E244H-E247H
Y do bloco Linearização 3
Y33% Linearização do ponto três para o eixo Y Leitura/Escrita 1 float E248H-E24BH
do bloco Linearização 3
Y34% Linearização do ponto quatro para o eixo Y Leitura/Escrita 1 float E24CH-E24FH
do bloco Linearização 3
Y35% Linearização do ponto cinco para o eixo Y Leitura/Escrita 1 float E250H-E253H
do bloco Linearização 3
Y36% Linearização do ponto seis para o eixo Y Leitura/Escrita 1 float E254H-E257H
do bloco Linearização 3
Y37% Linearização do ponto sete para o eixo Y Leitura/Escrita 1 float E258H-E25BH
do bloco Linearização 3
Y38% Linearização do ponto oito para o eixo Y Leitura/Escrita 1 float E25CH-E25FH
do bloco Linearização 3
Y41% Linearização do ponto um para o eixo Y Leitura/Escrita 1 float E260H-E263H
do bloco Linearização 4
Y42% Linearização do ponto dois para o eixo Y Leitura/Escrita 1 float E264H-E267H
do bloco Linearização 4
Y43% Linearização do ponto três para o eixo Y Leitura/Escrita 1 float E268H-E26BH
do bloco Linearização 4
Y44% Linearização do ponto quatro para o eixo Y Leitura/Escrita 1 float E26CH-E26FH
do bloco Linearização 4
Y45% Linearização do ponto cinco para o eixo Y Leitura/Escrita 1 float E270H-E273H
do bloco Linearização 4
Y46% Linearização do ponto seis para o eixo Y Leitura/Escrita 1 float E274H-E277H
do bloco Linearização 4
Y47% Linearização do ponto sete para o eixo Y Leitura/Escrita 1 float E278H-E27BH
do bloco Linearização 4

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 120


Controle e Automação Industrial CPD-400
Mnemônico Descrição Uso Bytes Endereço
Parâmetros float
Y48% Linearização do ponto oito para o eixo Y Leitura/Escrita 1 float E27CH-E27FH
do bloco Linearização 4
TGF1 Tempo do gráfico do Display 1 Leitura/Escrita 1 float E280H-E283H
TGF2 Tempo do gráfico do Display 2 Leitura/Escrita 1 float E284H-E287H
TGF3 Tempo do gráfico do Display 3 Leitura/Escrita 1 float E288H-E28BH
TGF4 Tempo do gráfico do Display 4 Leitura/Escrita 1 float E28CH-E28FH
SF1% Valor de segurança do PID1 em porcentagem Leitura/Escrita 1 float E290H-E293H
SF2% Valor de segurança do PID2 em porcentagem Leitura/Escrita 1 float E294H-E297H
SF3% Valor de segurança do PID3 em porcentagem Leitura/Escrita 1 float E298H-E29BH
SF4% Valor de segurança do PID4 em porcentagem Leitura/Escrita 1 float E29CH-E29FH
FMT1 Fluxo máximo da Totalização 1 Leitura/Escrita 1 float E2A0H-E2A3H
FMT2 Fluxo máximo da Totalização 2 Leitura/Escrita 1 float E2A4H-E2A7H
FMT3 Fluxo máximo da Totalização 3 Leitura/Escrita 1 float E2A8H-E2ABH
FMT4 Fluxo máximo da Totalização 4 Leitura/Escrita 1 float E2ACH-E2AFH
FUT1 Fluxo unitário da Totalização 1 Leitura/Escrita 1 float E2B0H-E2B3H
FUT2 Fluxo unitário da Totalização 2 Leitura/Escrita 1 float E2B4H-E2B7H
FUT3 Fluxo unitário da Totalização 3 Leitura/Escrita 1 float E2B8H-E2BBH
FUT4 Fluxo unitário da Totalização 4 Leitura/Escrita 1 float E2BCH-E2BFH
CR1% Corte da raiz quadrada da Entrada Analógica Leitura/Escrita 1 float E2C0H-E2C3H
1 em porcentagem
CR2% Corte da raiz quadrada da Entrada Analógica Leitura/Escrita 1 float E2C4H-E2C7H
2 em porcentagem
CR3% Corte da raiz quadrada da Entrada Analógica Leitura/Escrita 1 float E2C8H-E2CBH
3 em porcentagem
CR4% Corte da raiz quadrada da Entrada Analógica Leitura/Escrita 1 float E2CCH-E2CFH
4 em porcentagem
KAE1 Fator A de compensação do bloco Leitura/Escrita 1 float E2D0H-E2D3H
Flow Compensation-PT
KBE1 Fator B de compensação do bloco Leitura/Escrita 1 float E2D4H-E2D7H
Flow Compensation-PT
KCE1 Fator C de compensação do bloco Leitura/Escrita 1 float E2D8H-E2DBH
Flow Compensation-PT
KKE1 Fator K de compensação do bloco Leitura/Escrita 1 float E2DCH-E2DFH
Flow Compensation-PT
ZAE1 Zero da vazão não compensada Leitura/Escrita 1 float E2E0H-E2E3H
em unidade de engenharia
MAE1 Máximo da vazão não compensada Leitura/Escrita 1 float E2E4H-E2E7H
em unidade de engenharia
ZBE1 Zero da pressão do bloco Leitura/Escrita 1 float E2E8H-E2EBH
Flow Compensation-PT em BAR
MBE1 Máximo da pressão do bloco Leitura/Escrita 1 float E2ECH-E2EFH
Flow Compensation-PT em BAR
ZCE1 Zero da temperatura do bloco Leitura/Escrita 1 float E2F0H-E2F3H
Flow Compensation-PT em Kelvin
MCE1 Máximo da temperatura do bloco Leitura/Escrita 1 float E2F4H-E2F7H
Flow Compensation-PT em Kelvin
ZRE1 Zero da vazão compensada Leitura/Escrita 1 float E2F8H-E2FBH
em unidade de engenharia
MXE1 Máximo da vazão compensada Leitura/Escrita 1 float E2FCH-E2FFH
em unidade de engenharia

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 121


Controle e Automação Industrial CPD-400
Mnemônico Descrição Uso Bytes Endereço
Parâmetros float
ADP1 Tipo da ação do ganho adaptativo do PID1 Leitura/Escrita 1 float E300H-E303H
ADP2 Tipo da ação do ganho adaptativo do PID2 Leitura/Escrita 1 float E304H-E307H
ADP3 Tipo da ação do ganho adaptativo do PID3 Leitura/Escrita 1 float E308H-E30BH
ADP4 Tipo da ação do ganho adaptativo do PID4 Leitura/Escrita 1 float E30CH-E30FH
FCN1 Tipo da Função 1 Leitura/Escrita 1 float E310H-E313H
FCN2 Tipo da Função 2 Leitura/Escrita 1 float E314H-E317H
FCN3 Tipo da Função 3 Leitura/Escrita 1 float E318H-E31BH
FCN4 Tipo da Função 4 Leitura/Escrita 1 float E31CH-E31FH
FCN5 Tipo da Função 5 Leitura/Escrita 1 float E320H-E323H
FCN6 Tipo da Função 6 Leitura/Escrita 1 float E324H-E327H
FCN7 Tipo da Função 7 Leitura/Escrita 1 float E328H-E32BH
FCN8 Tipo da Função 8 Leitura/Escrita 1 float E32CH-E32FH
ZRP1 Valor inferior do PID1 Leitura/Escrita 1 float E330H-E333H
ZRP2 Valor inferior do PID2 Leitura/Escrita 1 float E334H-E337H
ZRP3 Valor inferior do PID3 Leitura/Escrita 1 float E338H-E33BH
ZRP4 Valor inferior do PID4 Leitura/Escrita 1 float E33CH-E33FH
MXP1 Valor superior do PID1 Leitura/Escrita 1 float E340H-E343H
MXP2 Valor superior do PID2 Leitura/Escrita 1 float E344H-E347H
MXP3 Valor superior do PID3 Leitura/Escrita 1 float E348H-E34BH
MXP4 Valor superior do PID4 Leitura/Escrita 1 float E34CH-E34FH
ZRI1 Zero da Entrada Analógica 1 Leitura/Escrita 1 float E350H-E353H
ZRI2 Zero da Entrada Analógica 2 Leitura/Escrita 1 float E354H-E357H
ZRI3 Zero da Entrada Analógica 3 Leitura/Escrita 1 float E358H-E35BH
ZRI4 Zero da Entrada Analógica 4 Leitura/Escrita 1 float E35CH-E35FH
ZRI5 Zero da Entrada Analógica 5 Leitura/Escrita 1 float E360H-E363H
ZRI6 Zero da Entrada Analógica 6 Leitura/Escrita 1 float E364H-E367H
ZFI1 Zero da Entrada de Freqüência 1 Leitura/Escrita 1 float E368H-E36BH
ZFI2 Zero da Entrada de Freqüência 2 Leitura/Escrita 1 float E36CH-E36FH
ZFI3 Zero da Entrada de Freqüência 3 Leitura/Escrita 1 float E370H-E373H
ZFI4 Zero da Entrada de Freqüência 1 Leitura/Escrita 1 float E374H-E377H
MX1 Máximo da Entrada Analógica 1 Leitura/Escrita 1 float E378H-E37BH
MX2 Máximo da Entrada Analógica 2 Leitura/Escrita 1 float E37CH-E37FH
MX3 Máximo da Entrada Analógica 3 Leitura/Escrita 1 float E380H-E383H
MX4 Máximo da Entrada Analógica 4 Leitura/Escrita 1 float E384H-E387H
MX5 Máximo da Entrada Analógica 5 Leitura/Escrita 1 float E388H-E38BH
MX6 Máximo da Entrada Analógica 6 Leitura/Escrita 1 float E38CH-E38FH
MF1 Máximo da Entrada de Freqüência 1 Leitura/Escrita 1 float E390H-E393H
MF2 Máximo da Entrada de Freqüência 2 Leitura/Escrita 1 float E394H-E397H
MF3 Máximo da Entrada de Freqüência 3 Leitura/Escrita 1 float E398H-E39BH
MF4 Máximo da Entrada de Freqüência 4 Leitura/Escrita 1 float E39CH-E39FH
ZRF5 Zero da saída da Função 5 Leitura/ Escrita 1 float E3A0H-E3A3H
ZRF6 Zero da saída da Função 6 Leitura/ Escrita 1 float E3A4H-E3A7H
ZRF7 Zero da saída da Função 7 Leitura/ Escrita 1 float E3A8H-E3ABH
ZRF8 Zero da saída da Função 8 Leitura/ Escrita 1 float E3ACH-E3AFH
MXF5 Máximo da saída da Função 5 Leitura/Escrita 1 float E3B0H-E3B3H
MXF6 Máximo da saída da Função 6 Leitura/Escrita 1 float E3B4H-E3B7H
MXF7 Máximo da saída da Função 7 Leitura/Escrita 1 float E3B8H-E3BBH
MXF8 Máximo da saída da Função 8 Leitura/Escrita 1 float E3BCH-E3BFH
ZAF5 Zero da entrada A da Função 5 Leitura/Escrita 1 float E3C0H-E3C3H
ZAF6 Zero da entrada A da Função 6 Leitura/Escrita 1 float E3C4H-E3C7H

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 122


Controle e Automação Industrial CPD-400
Mnemônico Descrição Uso Bytes Endereço
Parâmetros float
ZAF7 Zero da entrada A da Função 7 Leitura/Escrita 1 float E3C8H-E3CBH
ZAF8 Zero da entrada A da Função 8 Leitura/Escrita 1 float E3CCH-E3CFH
MAF5 Máximo da entrada A da Função 5 Leitura/Escrita 1 float E3D0H-E3D3H
MAF6 Máximo da entrada A da Função 6 Leitura/Escrita 1 float E3D4H-E3D7H
MAF7 Máximo da entrada A da Função 7 Leitura/Escrita 1 float E3D8H-E3DBH
MAF8 Máximo da entrada A da Função 8 Leitura/Escrita 1 float E3DCH-E3DFH
ZBF5 Zero da entrada B da Função 5 Leitura/Escrita 1 float E3E0H-E3E3H
ZBF6 Zero da entrada B da Função 6 Leitura/Escrita 1 float E3E4H-E3E7H
ZBF7 Zero da entrada B da Função 7 Leitura/Escrita 1 float E3E8H-E3EBH
ZBF8 Zero da entrada B da Função 8 Leitura/Escrita 1 float E3ECH-E3EFH
MBF5 Máximo da entrada B da Função 5 Leitura/Escrita 1 float E3F0H-E3F3H
MBF6 Máximo da entrada B da Função 6 Leitura/Escrita 1 float E3F4H-E3F7H
MBF7 Máximo da entrada B da Função 7 Leitura/Escrita 1 float E3F8H-E3FBH
MBF8 Máximo da entrada B da Função 8 Leitura/Escrita 1 float E3FCH-E3FFH
ZAD1 Zero do Display numérico 1 do Loop 1 Leitura/Escrita 1 float E400H-E403H
ZAD2 Zero do Display numérico 1 do Loop 2 Leitura/Escrita 1 float E404H-E407H
ZAD3 Zero do Display numérico 1 do Loop 3 Leitura/Escrita 1 float E408H-E40BH
ZAD4 Zero do Display numérico 1 do Loop 4 Leitura/Escrita 1 float E40CH-E40FH
MAD1 Máximo do Display numérico 1 do Loop 1 Leitura/Escrita 1 float E410H-E413H
MAD2 Máximo do Display numérico 1 do Loop 2 Leitura/Escrita 1 float E414H-E417H
MAD3 Máximo do Display numérico 1 do Loop 3 Leitura/Escrita 1 float E418H-E41BH
MAD4 Máximo do Display numérico 1 do Loop 4 Leitura/Escrita 1 float E41CH-E41FH
ZBD1 Zero do Display numérico 2 do Loop 1 Leitura/Escrita 1 float E420H-E423H
ZBD2 Zero do Display numérico 2 do Loop 2 Leitura/Escrita 1 float E424H-E427H
ZBD3 Zero do Display numérico 2 do Loop 3 Leitura/Escrita 1 float E428H-E42BH
ZBD4 Zero do Display numérico 2 do Loop 4 Leitura/Escrita 1 float E42CH-E42FH
MBD1 Máximo do Display numérico 2 do Loop 1 Leitura/Escrita 1 float E430H-E433H
MBD2 Máximo do Display numérico 2 do Loop 2 Leitura/Escrita 1 float E434H-E437H
MBD3 Máximo do Display numérico 2 do Loop 3 Leitura/Escrita 1 float E438H-E43BH
MBD4 Máximo do Display numérico 2 do Loop 4 Leitura/Escrita 1 float E43CH-E43FH
ZCD1 Zero da barra 1 do Loop 1 Leitura/Escrita 1 float E440H-E443H
ZCD2 Zero da barra 1 do Loop 2 Leitura/Escrita 1 float E444H-E447H
ZCD3 Zero da barra 1 do Loop 3 Leitura/Escrita 1 float E448H-E44BH
ZCD4 Zero da barra 1 do Loop 4 Leitura/Escrita 1 float E44CH-E44FH
MCD1 Máximo da barra 1 do Loop 1 Leitura/Escrita 1 float E450H-E453H
MCD2 Máximo da barra 1 do Loop 2 Leitura/Escrita 1 float E454H-E457H
MCD3 Máximo da barra 1 do Loop 3 Leitura/Escrita 1 float E458H-E45BH
MCD4 Máximo da barra 1 do Loop 4 Leitura/Escrita 1 float E45CH-E45FH
ZDD1 Zero da barra 2 do Loop 1 Leitura/Escrita 1 float E460H-E463H
ZDD2 Zero da barra 2 do Loop 2 Leitura/Escrita 1 float E464H-E467H
ZDD3 Zero da barra 2 do Loop 3 Leitura/Escrita 1 float E468H-E46BH
ZDD4 Zero da barra 2 do Loop 4 Leitura/Escrita 1 float E46CH-E46FH
MDD1 Máximo da barra 2 do Loop 1 Leitura/Escrita 1 float E470H-E473H
MDD2 Máximo da barra 2 do Loop 2 Leitura/Escrita 1 float E474H-E477H
MDD3 Máximo da barra 2 do Loop 3 Leitura/Escrita 1 float E478H-E47BH
MDD4 Máximo da barra 2 do Loop 4 Leitura/Escrita 1 float E47CH-E47FH
ZED1 Zero do gráfico do Loop 1 Leitura/Escrita 1 float E480H-E483H
ZED2 Zero do gráfico do Loop 2 Leitura/Escrita 1 float E484H-E487H
ZED3 Zero do gráfico do Loop 3 Leitura/Escrita 1 float E488H-E48BH
ZED4 Zero do gráfico do Loop 4 Leitura/Escrita 1 float E48CH-E48FH

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 123


Controle e Automação Industrial CPD-400
Mnemônico Descrição Uso Bytes Endereço
Parâmetros float
MED1 Máximo do gráfico do Loop 1 Leitura/Escrita 1 float E490H-E493H
MED2 Máximo do gráfico do Loop 2 Leitura/Escrita 1 float E494H-E497H
MED3 Máximo do gráfico do Loop 3 Leitura/Escrita 1 float E498H-E49BH
MED4 Máximo do gráfico do Loop 4 Leitura/Escrita 1 float E49CH-E49FH
Parâmetros de Calibração
BO1% Bias da Saída Analógica 1 Leitura/Escrita 1 float E4A0H-E4A3H
BO2% Bias da Saída Analógica 2 Leitura/Escrita 1 float E4A4H-E4A7H
BO3% Bias da Saída Analógica 3 Leitura/Escrita 1 float E4A8H-E4ABH
BO4% Bias da Saída Analógica 4 Leitura/Escrita 1 float E4ACH-E4AFH
TYP1 Tipo de sinal das Entradas Analógicas Leitura/Escrita 1 float E4B0H-E4B3H
1 e 2 (TYP1 = TYP2)
TYP2 Tipo de sinal das Entradas Analógicas Leitura/Escrita 1 float E4B4H-E4B7H
2 e 1 (TYP2 = TYP1)
TYP3 Tipo de sinal das Entradas Analógicas Leitura/Escrita 1 float E4B8H-E4BBH
3 e 4 (TYP3 = TYP4)
TYP4 Tipo de sinal das Entradas Analógicas Leitura/Escrita 1 float E4BCH-E4BFH
4 e 3 (TYP4 = TYP3)
TYP5 Tipo de sinal das Entradas Analógicas Leitura/Escrita 1 float E4C0H-E4C3H
5 e 6 (TYP5 = TYP6)
TYP6 Tipo de sinal das Entradas Analógicas Leitura/Escrita 1 float E4C4H-E4C7H
6 e 5 (TYP6 = TYP5)
GAI1 Ganho da Entrada Analógica 1 Leitura/Escrita 1 float E4C8H-E4CBH
GAI2 Ganho da Entrada Analógica 2 Leitura/Escrita 1 float E4CCH-E4CFH
GAI3 Ganho da Entrada Analógica 3 Leitura/Escrita 1 float E4D0H-E4D3H
GAI4 Ganho da Entrada Analógica 4 Leitura/Escrita 1 float E4D4H-E4D7H
GAI5 Ganho da Entrada Analógica 5 Leitura/Escrita 1 float E4D8H-E4DBH
GAI6 Ganho da Entrada Analógica 6 Leitura/Escrita 1 float E4DCH-E4DFH
GAO1 Ganho da Saída Analógica 1 Leitura/Escrita 1 float E4E0H-E4E3H
GAO2 Ganho da Saída Analógica 2 Leitura/Escrita 1 float E4E4H-E4E7H
GAO3 Ganho da Saída Analógica 3 Leitura/Escrita 1 float E4E8H-E4EBH
GAO4 Ganho da Saída Analógica 4 Leitura/Escrita 1 float E4ECH-E4EFH
GFI1 Ganho da Entrada de Freqüência 1 Leitura/Escrita 1 float E4F0H-E4F3H
GFI2 Ganho da Entrada de Freqüência 2 Leitura/Escrita 1 float E4F4H-E4F7H
GFI3 Ganho da Entrada de Freqüência 3 Leitura/Escrita 1 float E4F8H-E4FBH
GFI4 Ganho da Entrada de Freqüência 4 Leitura/Escrita 1 float E4FCH-E4FFH
Parâmetros Dinâmicos em unidade de engenharia
PV1 Variável do processo do Loop 1 Leitura 1 float EEA0H-EEA3H
PV2 Variável do processo do Loop 2 Leitura 1 float EEA4H-EEA7H
PV3 Variável do processo do Loop 3 Leitura 1 float EEA8H-EEABH
PV4 Variável do processo do Loop 4 Leitura 1 float EEACH-EEAFH
MV1 Variável Manuseada do Loop 1 Leitura/Escrita 1 float EEB0H-EEB3H
MV2 Variável Manuseada do Loop 2 Leitura/Escrita 1 float EEB4H-EEB7H
MV3 Variável Manuseada do Loop 3 Leitura/Escrita 1 float EEB8H-EEBBH
MV4 Variável Manuseada do Loop 4 Leitura/Escrita 1 float EEBCH-EEBFH
AIN1 Valor da Entrada Analógica 1 Leitura 1 float EEC0H-EEC3H
AIN2 Valor da Entrada Analógica 2 Leitura 1 float EEC4H-EEC7H
AIN3 Valor da Entrada Analógica 3 Leitura 1 float EEC8H-EECBH
AIN4 Valor da Entrada Analógica 4 Leitura 1 float EECCH-EECFH
AIN5 Valor da Entrada Analógica 5 Leitura 1 float EED0H-EED3H
AIN6 Valor da Entrada Analógica 6 Leitura 1 float EED4H-EED7H

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 124


Controle e Automação Industrial CPD-400
Mnemônico Descrição Uso Bytes Endereço
Parâmetros Dinâmicos em unidade de engenharia
FIN1 Valor da Entrada de Freqüência 1 Leitura 1 float EED8H-EEDBH
FIN2 Valor da Entrada de Freqüência 2 Leitura 1 float EEDCH-EEDFH
FIN3 Valor da Entrada de Freqüência 3 Leitura 1 float EEE0H-EEE3H
FIN4 Valor da Entrada de Freqüência 4 Leitura 1 float EEE4H-EEE7H
AOU1 Valor da Saída Analógica 1 Leitura 1 float EEE8H-EEEBH
AOU2 Valor da Saída Analógica 2 Leitura 1 float EEECH-EEEFH
AOU3 Valor da Saída Analógica 3 Leitura 1 float EEF0H-EEF3H
AOU4 Valor da Saída Analógica 4 Leitura 1 float EEF4H-EEF7H
TOT1 Valor da Totalização 1 Leitura 1 float EEF8H-EEFBH
TOT2 Valor da Totalização 2 Leitura 1 float EEFCH-EEFFH
TOT3 Valor da Totalização 3 Leitura 1 float EF00H-EF03H
TOT4 Valor da Totalização 4 Leitura 1 float EF04H-EF07H
SPR1 Valor do Set-point Remoto do Loop 1 Leitura 1 float EF08H-EF0BH
SPR2 Valor do Set-point Remoto do Loop 2 Leitura 1 float EF0CH-EF0FH
SPR3 Valor do Set-point Remoto do Loop 3 Leitura 1 float EF10H-EF13H
SPR4 Valor do Set-point Remoto do Loop 4 Leitura 1 float EF14H-EF17H
FCN1 Valor da Função 1 Leitura 1 float EF18H-EF1BH
FCN2 Valor da Função 2 Leitura 1 float EF1CH-EF1FH
FCN3 Valor da Função 3 Leitura 1 float EF20H-EF23H
FCN4 Valor da Função 4 Leitura 1 float EF24H-EF27H
FCN5 Valor da Função 5 Leitura 1 float EF28H-EF2BH
FCN6 Valor da Função 6 Leitura 1 float EF2CH-EF2FH
FCN7 Valor da Função 7 Leitura 1 float EF30H-EF33H
FCN8 Valor da Função 8 Leitura 1 float EF34H-EF37H
FNOT Valor da Vazão não Compensada Leitura/Escrita 1 float EF88H-EF8BH
FCOMP Valor da Vazão Compensada Leitura/Escrita 1 float EF8CH-EF8FH
TKEV Valor Temperatura em Kelvin do bloco Leitura/Escrita 1 float EF90H-EF93H
Flow Compensation-PT
PBAR Valor da Pressão em BAR do bloco Leitura/Escrita 1 float EF94H-EF97H
Flow Compensation-PT
Parâmetros Bytes
Definição dos Bits: Bit7 Bit6 Bit5 Bit4 Bit3 Bit2 Bit Bit0
ST1 Status do Loop 1: LR1 DR1 AM1 SQ1 TO1 Leitura/Escrita 1 Byte EE80H
CL1 K11 K21
ST2 Status do Loop 2: LR2 DR2 AM2 SQ2 TO2 Leitura/Escrita 1 Byte EE81H
CL2 K12 K22
ST3 Status do Loop 3: LR3 DR3 AM3 SQ3 TO3 Leitura/Escrita 1 Byte EE82H
CL3 K13 K23
ST4 Status do Loop 4: LR4 DR4 AM4 SQ4 TO4 Leitura/Escrita 1 Byte EE83H
CL4 K14 K24
A-M Status Auto/Man: MF4 MF3 MF2 MF1 Leitura 1 Byte EE84H
MN4 MN3 MN2 MN1
DIL Status DI: X X X X DI4 DI DI2 DI1 Leitura 1 Byte EE86H
DOL Status DO: X X X X DI4 DI3 DI2 DI1 Leitura 1 Byte EE87H
ALL StatusAlarme Low:AL8AL7AL6AL5AL4AL3AL2AL1 Leitura 1 Byte EE88H
ALH Status Alarme High: AH8 AH7 AH6 AH5 AH4 Leitura 1 Byte EE89H
AH3 AH2 AH1
AKL StatusAckLow:KL8 KL7 KL6 KL5 KL4 KL3 KL2 KL1 Leitura 1 Byte EE8AH
AKH Status Ack High: KH8 KH7 KH6 KH5 KH4 Leitura 1 Byte EE8BH
KH3 KH2 KH1

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 125


Controle e Automação Industrial CPD-400
APÊNDICE A – RESUMO DAS OPERAÇÕES DE TECLADO
O CDP 400 permite total configuração pelo frontal dispensando o uso de programadores e
interfaces dedicados de forma intuitiva e amigável, totalmente estruturada seqüenciamento em telas
pelo nome dos blocos, onde o operador dispõe das informações para parametrização e caracteriza-
ção dos mesmos. É possível ainda a calibração das entradas e saídas, os ajustes de sintonia de ma-
lhas, construção de curvas de linerização, ajustes de ganhos/Bias/limites, entre outras funções.

CONFIGURAÇÃO VIA FRONTAL


> Indica variáveis dinâmicas em unidades de Engenharia, Configuradas pelo
usuário.

> Seleciona uma das 4 malhas de controle.


> Alterna entre os modos de operação.

> Alterna entre as telas de dentro de um mesmo modo de operação.


> Seleciona ítem ou parâmetro anterior ao atual dentro de uma mesma tecla.
> Seleciona item ou parâmetro posterior ao atual dentro de uma mesma tela.

> Incrementa ou descrementa valores.

> Reconhece alarmes, confirma mudanças, etc (Enter).


> Ajuste rápido de Configuração e Parametrização.
> Seleção Automático ou Manual de cada Loop.

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 126


Controle e Automação Industrial CPD-400
APÊNDICE B – EXEMPLOS DE CONFIGURAÇÃO
APÊNDICE – EXEMPLOS DE CONFIGURAÇÃO
Exemplo 1 – Alarmes
O exemplo a seguir realiza o controle de uma entrada, sinalizando níveis baixo e alto através de
alarmes através do FERSOFT. A ocorrência dos alarmes é monitorada pela Central de Eventos.

Bloco Parâmetro Valor Comentário


ENTRADA TFT1 1.000000
ANALÓGICA CR1% 0.000000
AIN1 ZRI1 0.000000 4mA = 0
MXI1 100.0000 20mA = 100
TYP12 Corrente 4-20mA/Tensão 0-4-2V
GAI1 1.000000 Vide Calibração
SQ1 DISABLE
TAG_AIN CORRENTE
ALARME AL1% 10.0000
ALARM1 AH1 80.0000
TAL1 1.00000
TAG_AL1L BAIXO
TAG_AL2H ALTO
Tabela B.1 - Exemplo 1: bloco de controle de entrada através do Fersolft

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 127


Controle e Automação Industrial CPD-400
A configuração descrita opera da seguinte forma:
A entrada Analógica AINP_1 é lida pelo alarme.
Teste para alarme baixo (low). Aciona um temporizador de 1 segundo, caso o temporizador per-
maneça acionado por pelo menos 1 segundo, sempre que o valor lido for menor o alarme é setado,
indicando que um valor abaixo do limite foi detectado.
Teste para alarme alto (high). Aciona um temporaizador de 1 segundo, caso o temporizador per-
maneça acionado pelo menos 1 segundo, sempre que o valor lido for maior o alarme é setado, indi-
cando que um valor acima do limite foi detectado.
Pelo frontal é configurado assim:

Bloco MODO Parâmetro Valor


PARAMS 06/12 TFT1 1.00000
PARAMS 12/12 CR1% 0.00000
Caracteriz 1/7 ZRI1 0.00000
AIN1 Caracterz 2/7 MXI1 100.0000
Calibration 2/2 TYP12 4-20mA
Calibration 1/1 GAI1 1.000000
StatusPars 1/2 SQ1 OFF
ConfigTags 5/5 TAG_AIN CORRENTE
ALARME PARAMS 02/12 AL1% 10.0000
ALARM1 PARAMS 02/12 AH1% 80.0000
Params 06/12 TAL1 1.000000
ConfigTags 2/5 TAG_AL1L BAIXO
Config Tags 2/5 TAG_AL2H ALTO
Configuration Block 001/ AIN1
003Block 002/ GNDS
003Block 003/003 PALM1
Tabela B.2 - Configuração frontal do CDP-400

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 128


Controle e Automação Industrial CPD-400
APÊNDICE C – ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
DESCRIÇÃO QUANT. TIPOS
Loop’s de Controle 4 PIDs com Ganho Adaptativo
Entradas Analógicas 6 Opto Isoladas 4-20 mA/0-20 mA / 0-2,5 Vdc
Pt-100 (-200 a 850 o C) / Termopar
Entradas de Freqüência 4 Opto Isoladas, 0-5 Khz,
Entradas Digitais 4 Opto Isoladas, Contato Seco
Saídas Analógicas 4 Opto Isoladas, 0-20 mA / 4-20 mA / 0-20 Vdc
Saídas Digitais 4 Opto Isoladas, Open-colect 24 Vdc / 25 mA
Blocos de Uso Geral 170 Inclui Polinômios Reais
Serial Port 1 RS-485, Baud-rates 38.400 / 57.600
Tabela C.1 - Especificações Técnicas

Manual do Controlador Multi-Station CDP-400 129