Você está na página 1de 6

MAGRAV V2

. 3 bobinas magnéticas (externas) sentido horário.

. 3 bobinas gravitacionais (internas), sentido horário.

. 4 bobinas magnéticas (para colocar dentro dos recipientes com os gans), sentido anti-horário.

. Gans de CuO (Cobre), Gans de CO2 (Zinco), Gans de Ferro (CH3) e Gans de Chumbo.

. utilizar água plasmada - PL nos rescipientes => água que está com o gans, ou misturar a água plasmada
com o gans).
Vista superior

. as bobinas fora dos recipientes (3) contêm a bobina externa magnética e internamente a bobina
magnética.

. observar que as bobinas gravitacionais são ligadas às bobinas magnéticas do lado e assim por diante
até estarem todas ligadas.

. o recipiente do centro contém gans de chumbo e 1 bobina magnética, sentido anti-horário.

. na imagem as bobinas nos recipientes externos (magnéticas) estão no sentido horário, mas concluí que
todas nos recipientes são anti-horária (conferir com a F. Keshe).
Vista inferior

. observar que a bobina magnética e gravitacional estão unidas.


Vista superior sem as ligações finais
Ligações

. bobina magnética (externa) ligada à bobina gravitacional (interna) do lado – sentido horário.

. bobina magnética do chumbo ligada em todas as bobinas magnéticas externas.

. bobinas magnéticas com gans ligadas à bobina interna (gravitacional) oposta.

. bobinas magnéticas e gravitacionais (externas, sem gans) ligadas juntas, uma a outra, pontas de baixo.

Materiais:

. (1) alicate de bico (pequeno)

. (1) alicate de ponta (pequeno)

. (1) fio de cobre rígido nu (somente o fio e se possível sem verniz) de 2,5mm

. (1) haste de 10mm de diâmetro para enrolar a bobina gravitacional

. (1) haste de 6mm de diâmetro para enrolar a bobina magnética

. (4) recipientes para acomodar a água plasmada – PL e as bobinas gravitacionais


. material para nano-revestir e multímetro para alinhar o fluxo

. gans de CO2, CuO, CH3 e Chumbo

Observações:

. nas fotos temos fios de cobre, no entanto devem ser nano-revestidos para a montagem do Magrav 2.

. as ligações não precisam ser com fios nano-revestidos (apenas torcer os fios para unir um ao outro,
não soldar etc.)

. fios de cobre de 2,5mm, com número de voltas em múltiplos de 9 => 9 voltas, ou 18 voltas etc. (Tesla).

. bobina no sentido horário => enrolar o cobre no sentido anti-horário.

. bobina no sentido anti-horário => enrolar o cobre no sentido horário.

. bobina magnética enrolada em haste de 10mm de diâmetro.

, bobina gravitacional enrolada em haste de 6mm de diâmetro.

. as bobinas devem ter uma pequena distância entre suas voltas ( a F. Keshe recomenda 0,5mm) para o
nano-revestimento poder agir em todo o cobre.

. lembrar de sempre dobrar as pontas no sentido do fluxo da energia para si mesma (se possível antes
de nano-revestir).

. os nano-revestimentos mais comuns são pela queima do cobre através do gás butano (queima do
cobre antes de ficar vermelho); pela aplicação da solução de cloreto de sódio (espirrar, borrifar) e deixar
ao sol (dentro de uma garrafa PET, por exemplo), durante pelo menos 3 dias; mergulhando o cobre em
cloreto de sódio aquecido com água (ver vídeos exemplificativos), secar e depois ao sol na garrafa PET.

. os ganses são produzidos de diversas formas: com energia, com LEDs, com bobinas revestidas externas
nos recipientes, com grafite etc. Ver vídeos exemplificativos.

Tenha paciência e procure fazer todos os testes em paz. O processo de produção de gans não é
complexo, bem como os magravs, caneta etc., no entanto exigem atenção pois são procedimentos
detalhados e existem inúmeros vídeos que, por maior que seja a vontade de todos, nem sempre contém
todas as informações, o que provavelmente deverá ocorrer com este material.

Procure ter um espírito experimental, apenas para testar a tecnologia da Fundação Keshe e do Mr.
Keshe. São experimentos que todos se satisfizeram plenamente. Há inúmeros relatos de todos os tipos e
ao redor do planeta. Todos nós pesquisadores temos grande admiração e respeito pelo trabalho do Mr.
Keshe e todos tem a esperança de um mundo muito melhor. É provavelmente o que nos impulsiona,
inclusive para compartilharmos o conhecimento que recebemos com a generosidade deste Homem,
dentre tantos outros pesquisadores.

Agradeço a todos os pesquisadores “mais antigos” e mais novos, dos quais retirei as imagens e obtive o
conhecimento que sigo aprendendo.

Você também pode gostar