Você está na página 1de 5

PROCEDIMENTO GERAL DA SEQUÊNCIA DE DIAGNÓSTICO DE

LIXIVIAÇÃO

1- AMOSTRAGEM INICIAL

 Secar a amostra, se necessário,


 Homogeneizar a amostra recebida,
 Pelo método de quarteamento e divisão por incrementos, retirar 2 alícotas de 1
Kg cada (uma para realizar o diagnóstico e outra para análise do teor de ouro),
 Em uma das alícotas de 1 Kg, homogeneizar e amostrar por incremento 3 sub-
alícotas de 100 g cada e enviar para o laboratório físico químico para análise de
ouro.

2- ANÁLISES OPCIONAIS

 1 amostras de 20 g para análise de enxofre, carbono e arsênio,


 1 amostra de 100 g para análise granulométrica.

3- DISPONIBILIDADE DE ETAPAS DE LIXIVIAÇÃO DE ACORDO COM A


MINERALOGIA DA AMOSTRA

Estágio de Pré Tratamento Mineral Dissolvido


1- Lavagem com NaCN Ouro Precipitado
2- NaCN Ouro
3- HCl Pirrotita, Calcita, Ferrita, Dolomita, Galena, Hematita,
Goetita e Carbonato de Cálcio
4- H2SO4 Uranita, Esfalerita, Pirita, Sulfetos de Cobre e outros metais
bases
5- HNO3 Pirita, Arsenopirita e Marcassita
6- Na2CO3 Carbonato de Cálcio e Arsenatos
7- FeCl3 Esfalerita, Galena, Sulfetoss e Tetraedrita
8- Lavagem com Ácido Coberturas de Óxidos
Oxálico
9- HF Silicatos
10- Solução de Acetonitrila Ouro adsorvido em Carbono, “Kerogen” e Carvão
4.0 - DIAGNÓSTICO DE LIXIVIAÇÃO MINÉRIO SULFETADO

O diagnóstico de lixiviação de ouro indica a distribuição do ouro em relação aos


minerais presentes nos quais ele possa estar livre, parcialmente exposto e/ou
incluso.

Primeira etapa – Cianetação

A Cianetação tem o objetivo de solubilizar o ouro livre e/ou cianetável


presente na amostra e deve ser realizada nas seguintes condições:

pH 10,5 - 11,0
50% de sólidos
24 horas de contato
4000 g/t de NaCN

Segunda etapa – Recianetação

A recianetação tem o objetivo de solubilizar o ouro livre e/ou cianetável que


possa ainda estar presente na amostra e deve ser realizada nas seguintes
condições:

pH 10,5 - 11,0
50% de sólidos
24 horas de contato
2000 g/t de NaCN
Terceira etapa - Lixiviação com HCl 1:1/ cianetação

A lixiviação com ácido clorídrico visa solubilizar os carbonatos, óxidos e/ou


pirrotita, com a consequente liberação do ouro incluso nesses minerais.
Condições da lixiviação com HCl:

Temperatura de 70oC
4 horas de reação
HCl/sólido = 4/1

Após a lixiviação com HCl, a amostra deve filtrada neutralizada e cianetada


para a solubilização do ouro então liberado.
A cianetação deverá se realizada nas seguintes condições:

pH 10,5 - 11,0
1 kg/t de NaCN
50% de sólidos
1 horas de pré-lime (para estabilização do pH)
24 horas de cianetação

Quarta etapa - Lixiviação com HNO3/ cianetação

A lixiviação com ácido nítrico visa solubilizar os demais sulfetos não atacados
pelo HCl, com a consequente liberação do ouro incluso.

Condições da lixiviação com HNO3:

Temperatura de 70oC
2 horas de reação
HNO3 concentrado 4:1

Após a lixiviação com HNO3, a amostra deve ser filtrada, neutralizada e


cianetada para a solubilização do ouro então liberado, nas mesmas condições da
etapa de cianetação terceira etapa.
Quinta etapa – Eluição com acetonitrila

Esta eluição visa remover o ouro adsorvido pelo carbono grafite.

 Preparar uma solução de hidróxido de sódio (NaOH, 30 g/l) e cianeto


de sódio (NaCN, 50 g/l).
 Formar uma polpa com o cake da etapa anterior e a solução
soda/cianeto na proporção 3:1 líquido/sólido, deixando agitar em
garrafa roladora por 3 horas.
 Filtrar a amostra enviando alícota para análise de ouro, identificar e
armazenar o restante da solução.

 Preparar uma solução 40% acetonitrila, 60% água destilada para em


seguida formar uma polpa com o cake na proporção 2:1 líquido/sólido.
 Transferir a polpa para o reator com agitação mecânica, regular a
temperatura para 70 oC deixando agitar por 24 horas.
 Filtrar a polpa, retirar alícota da solução e enviar para análise de
ouro, identificar e armazenar a solução restante.
 Secar o sólido restante.

Sexta etapa - Ouro em silicatos

O resíduo após as etapas anteriores, constitui-se basicamente de silicatos. O


teor de ouro é determinado na análise do resíduo pelo método de fusão e
copelação.