Você está na página 1de 28

O APRENDIZ: O PODER

DA TRANSFORMAÇÃO
EM SUA VIDA
Como se livrar dos sofrimentos e
encontrar o caminho da superação
O Aprendiz: O Poder da Transformação na sua Vida

Por que eu sofro tanto? E por que estou aqui, nesse momento,
nesse instante, nesse lugar? O sofrimento pode ter fim?
Em alguma determinada fase de nossa vida, já conflitamos
pensamentos negativos e situações em que, supostamente,
pareciam não ter um rumo, uma “cura”, um êxito ou sucesso como
queiram classificar.
Frases como ‘eu não aguento mais!’, ‘estou cansado!’, ‘estou
derrotado!’ são pensamentos que veem à mente quando nos
encontramos numa situação a qual acreditamos não ter uma saída.
E o que fazer então nessas horas de desespero? Ou encontro uma
solução agora ou me entrego ao completo desastre?
Pode soar como um clichê ‘para tudo na vida tem uma solução’,
mas é mais pura verdade, e para isso apresentamos essa pequena
obra de ficção que conta a história de uma pessoa sofrida
que conseguiu se livrar dos sofrimentos que a
perseguiam, como problemas de conflitos, financeiros
e até de doenças mais sérias como o transtorno de
ansiedade e depressão.
Considerado o mal do século, elas são, muitas vezes,
encaradas com descaso, mas que é um problema
seríssimo que pode afetar diretamente na vida pessoal
e profissional das pessoas. Pode fazer com que a
pessoa afetada sofra muito e funcione mal no trabalho,
na escola e na família. Segundo dados da Organização
Mundial da Saúde (OMS), a depressão, por exemplo,
afeta mais de 260 milhões de pessoas no mundo e, por
ano, perto de 800.000 delas cometem suicídio. Ainda
de acordo com a OMS, o suicídio é a segunda principal
causa de morte em jovens de 15 a 29 anos.
E tudo isso pode acontecer com você, e é para isso
que sim, existe vida após os problemas. Leia, e você
vai se surpreender!

Sumário
Esclarecimentos............................................................................................4
Prólogo..........................................................................................................6
Primeira Parte...............................................................................................9
Segunda Parte.............................................................................................19
Terceira Parte..............................................................................................23
Um Pensamento..........................................................................................27
Um Caminho................................................................................................28
Esclarecimentos

O Aprendiz: retrato aqui o que passei, quando me ‘encontrei’ e


como era minha vida. Uma autoanálise e, por isso, sujeita à crítica,
que aceito de bom grado, mas isso não importa, pois, o cerne da
questão é o sofrimento como um todo, ainda que tenha diferentes
graus de gravidade, tolerância e superação.
Nessa primeira parte, trarei muitos questionamentos e os problemas
que enfrentei. Alguns deles foram comigo mesmo, e me gerou muito
sofrimento. Outras foram com amigos, alguns deles bem-
intencionados e outros que conheci rapidamente e depois sumiram,
mas que fizeram, ao longo do tempo, minha vida dar uma guinada e
tanto. Tenho uma imensa gratidão por dois deles, o Sr. Walter
(Professor Walter) e o Aristeu, já desencarnados. Intencionalmente
ou não, foram eles que trouxeram muita luz ao que sofri através de
instrumentos para um novo entendimento na minha vida. Talvez
eles nem tenham ideia do que fizeram, mas onde quer que estejam,
deixo aqui a minha eterna gratidão.
Quero deixar claro que essa obra não é, de forma alguma, uma
autobiografia, pois acredito que seria muita pretensão de minha
parte. Até porque sou um personagem criado e, basicamente, tudo
isso é ficção, mas, certamente, há muitas pessoas que passaram
ou estão passando por algum tipo de problema que a princípio
parecer não ter uma solução. Mas, de qualquer maneira, o objetivo
é um só: superação.
Qualquer um que sofra por motivos de doença, conflito, problemas
financeiros, ou todos eles juntos, busca uma solução para resolvê-
los, algo que seja definitivo, e é exatamente disso que essa obra
quer mostrar. E posso dizer, mesmo eu sendo alguém fictício, ‘O
Aprendiz’, como me apresento em inúmeras conversas com
pessoas, tenho a missão e a obrigação de apresentar o que
aprendi, considerando que sou o ‘O Aprendiz’.
Apesar de parecer loucura, existe sim uma solução e não é mágica,
um único recurso eficiente e duradouro com o menor sofrimento
possível. Sou a prova disso, mesmo sendo algo criado da mente de
alguma pessoa, mas posso garantir, existe sim.
E a primeira e grande pergunta é: por que eu sofri tanto? E por que
estou aqui, nesse instante, nesse lugar? O sofrimento pode ter fim?
Eu não aguento mais, estou cansado, estou praticamente
derrotado. O que fazer então? Ou isso ou me entrego ao completo
desastre?
Prólogo

“Não entendo por que eu sofria tanto? Às vezes, ficava muito


doente por semanas, seja pelos problemas financeiros que se
repetiam, e até pelas discórdias familiares. É complicado, tentava
sempre fazer o certo, me esforçava bastante, mas encontrava
muitas dificuldades e não entendia por que isso acontecia comigo.
Em casa, era muito cobrado pelos meus filhos e esposa por uma
participação maior em nosso convívio, mas eles não me entendiam.
Me esforçava bastante, mas a falta de respostas me deixa perdido
realmente. Tentava não fazer nada errado, apenas seguir com a
minha obrigação de ir trabalhar e levar sustento para casa, dar
conforto, e mesmo assim, continuava sofrendo muito e, então,
sempre me perguntava: por que continuo sofrendo? Era uma
situação muito ruim, e não saber a resposta, ou, pelo menos, parte
dela me deixava de mãos amarradas sem saber o que fazer. Não
conseguia entender e, por isso, nem sabia onde ou o que procurar.
Buscava ajuda através da religião e só encontrei mais problemas e
conflitos. Me esforcei bastante, e lá tinham me prometido melhorias
em minha vida caso eu seguisse as regras e cumprisse com as
tarefas desempenhadas por eles. Fiz de tudo e até mais, e o
resultado? Nenhum! Nada mudava, e alguns dos meus problemas
até pioravam. Dentro da religião que busquei seguir, existia muitos
‘estrelismos’ e ‘panelinhas’, e muitas pessoas que se julgavam
verdadeiras divindades, falavam bem, estudavam e só viviam para
criticar os outros. Eram ‘divindades de barro’, pois, no fim, não
faziam nada, não apresentavam qualquer resultado, não passavam
de instrumentos do mal, no meu modo de ver.
Me sentia que estava completamente perdido e sem uma solução
para os meus problemas. Não sabia mais o que fazer. Tinha nível
superior e um bom nível intelectual, um emprego que sempre gostei
e gostava muito de ler, estudar e conversar. Em suma,
aparentemente não havia nada de errado comigo para quem não
me conhecia no íntimo, mas só seu sabia, ou melhor, não sabia o
motivo desses problemas aparecerem com toda a força. Foi uma
crise que durou anos e para tentar esquecê-la, passei a sair mais e
beber, mas nada aliviava e para piorar no dia seguinte tudo voltava
a ser como antes, acrescido do cansaço e ressaca.
Há alguns anos, então com 35 anos de idade, encontrei um livro
que acabei lendo desesperadamente, como se minha vida
dependesse desse único objeto. À medida que fui lendo, ficava
chocado e, sem dúvida, foi o maior desafio que enfrentei até hoje.
Foi um abalo total na minha mente e no meu coração, mas a vida
tinha, de certa forma, me preparado. Meu encanto pelos fascínios e
mistérios do Egito, através de suas obras como os inúmeros livros
que pareciam não ter fim eram devorados com tanta magia. Era
algo inatingível, que não tinha fim, que mais parecia um manual de
maluquices e perguntas praticamente sem nenhuma resposta, mas
o encanto em mim ficava.
Essa foi minha preparação. Sou muito sincero e este livro foi um
grande e importante exercício de focar toda a minha inteligência e
experiência, e mesmo assim tive de recorrer a amigos, a minha
intuição e consciência que de vez em quando funcionavam bem e,
principalmente, a enorme força de vontade. Através dela, me fez
avançar ou rodopiar de vez em quando sem sair do lugar, mas ficar
parado não era uma solução viável para mim. Inquietude era meu
segundo nome.
Então, muito tempo depois tudo mudou mais uma vez, outro grande
desafio enorme e outro salto na minha compreensão. Mas essa
outra fase será o tema do próximo livro ‘O Orientador’.
Por estranho que possa parecer, o segundo livro foi feito primeiro,
mas foi justamente por tê-lo feito antes é que me fez sentir a
necessidade, através da cobrança de um amigo, de preencher
algumas lacunas, surgindo então este pequeno livro introdutório ‘O
Aprendiz: o poder da transformação em sua vida’.
E continuam na minha mente as mesmas perguntas que precisam
ser respondidas: Por que eu sofri tanto? E por que estou aqui,
nesse momento, instante e lugar? O sofrimento pode ter fim?
Garanto a você que sim, existem respostas objetivas e profundas,
mas que qualquer um poderá apreender e tentar.
Não sou e nem me julgo diferente de ninguém. Talvez uma parte de
mim se encontre um pouco preocupada hoje, pois o futuro me
parece ter um desfecho grandioso, maravilhoso ou terrível. E ainda
existe o sofrimento, e esse precisa ser respondido, resolvido e
enfim, nascerá mais um ‘Aprendiz’”.
Primeira Parte

O Aprendiz: por que eu sofro? Eu não fiz nada de tão grave e


errado que justificasse tanto sofrimento como o de doenças,
conflitos e problemas financeiros. Se repete como um ciclo sem fim,
será que a vida se resume a isso? A se repetir esses sofrimentos?
Amigo X: Bem meu amigo, aparentemente essa é uma pergunta
muito importante, principalmente para quem está passando por
algum problema. E quando você está envolvido e tomado pelo
problema não consegue enxergar nada, não vê soluções e tudo o
que faz não consegue mudar essa realidade. É isso mesmo?
O Aprendiz: Sim. Posso considerar que estou perdido, desiludido.
Já tentei de tudo. Não sei mais o que fazer.
Amigo X: Pense que existe uma resposta. Você já leu aquele livro
perturbador Y?
O Aprendiz: Sim, li e vou te dizer, não é nada fácil principalmente
pelo que estou passando agora. Tem muitas coisas, percebe-se
que tem coisas maravilhosas, objetivas, verdadeiras, leis da
natureza, mas nem sei por onde começar. Não está muito correto
ter tantas coisas boas e ao mesmo tempo parece que estão
amontoadas, jogadas aleatoriamente sem qualquer critério.
Para quem está vivenciando um problema, tal livro pode não ajudar
muito. Não sou burro, mas já li várias vezes e continuo perdido,
então percebe a dificuldade das pessoas que não tem tanto estudo
ou a mente ainda está mais nublada do que a minha? Não irão
conseguir nada, assim como eu não consegui ainda muita coisa. A
não ser ficar assustado (risos). Mas o que está lá é grandioso,
fantástico ou além da imaginação. Mas ainda estou perdido.
Amigo X: Você pode nem perceber o que acabou de dizer, não é
mesmo? E por essa resposta percebo que terá uma missão
grandiosa e importante no futuro. Parabéns, acredito que agora
surgiu a pessoa certa para isso. Eu mesmo me perguntava e você
acabou de me responder a alguns questionamentos. Estou feliz!
Você precisa encontrar uma maneira de fazer isso melhorar, de
uma forma diferente, não sei bem como, talvez uma outra maneira
para que as pessoas possam ter acesso. Fará isso, eu sinto isso!
Um dia, será confrontado. Cumpra sua missão, o que veio fazer
aqui.
O Aprendiz: Você só pode estar brincando, não é? Acabei de dizer
que estou perdido, que li um livro valioso, mas muito “solto” sem
começo nem fim, ou de outra forma desorganizado para qualquer
leitor razoável, e vem me dizer que tenho uma missão grandiosa?
Acho que só pode estar brincando ou ficando doido. Me desculpe
dizer isso, mas não faz qualquer sentido para mim.
Amigo X: Vou explicar. O que sente, também senti. Muitas vezes,
até hoje, me perco em algumas pesquisas e estudos. O que acabou
de me dizer é justamente a resposta que faltava.
Deixe-me explicar de outra forma. Você resumiu maravilhosamente
bem a falha de quem organizou o livro. O que tem nele são coisas
fantásticas, e funcionam, mas do jeito que estão pode confundir
mais ainda a cabeça das pessoas. Isso não estava claro para mim e
acabou de explicar bem o problema. Percebe? Até me ajudou a
entender o problema que eu sabia que existia, mas não sabia definir
claramente, como o fez.
Então um dia mude isso. Ajude as pessoas mudando isso. Você
está certo, algo precisa mudar, e uma delas é exatamente isso.
Mais coisas irá descobrir. Será no futuro alguém que poderá ajudar
mais pessoas. Então apenas siga seu caminho, na hora certa irá se
lembrar disso, ou não, mas cumprirá sua missão. Você tem muita
força, então conseguirá. Não conheço mais ninguém que tenha
força e capacidade para isso. Parabéns, me ajudou mesmo. Até
sinto que entrou luz no meu espírito, estou me sentindo feliz e mais
leve. Obrigado!
O Aprendiz: Posso confessar hoje que nunca tinha encontrado
ninguém doido até aquele momento, pensei comigo mesmo. Olhei
para esse meu amigo e realmente achei que estava doente, do
fundo do meu coração. Meu sofrimento nessa hora foi tão grande
que chorei, fiquei tão emocionado que não sei explicar bem. Era
uma mistura de desespero, sofrimento do fundo da alma e o
encontro com alguém que era doente mental. Foi o que pensei e
senti em um segundo.
Meus olhos ficaram marejados, e pensei: eu não mereço isso, é
muita coisa. Naquele momento desabei, deixei todos os
sentimentos e controles represados. Não conseguia mais me
controlar. A emoção vinha e só conseguia mais e mais rolar
lágrimas. Acho que cheguei a uma situação limite.
Tentei respirar fundo e consegui. Mas o nervosismo foi tão grande,
junto com o desespero, que comecei a dar gargalhadas. Meu amigo
também ficou emocionado e até hoje nunca perguntei o motivo. Na
realidade não importava muito, sabe? Parece que o que eu o sentia
ele sentia, era algo puramente emocional, não racional. Ele
começou a gargalhar também. Assim que dei algumas gargalhadas
– e não me saía da cabeça que ele era doido, deu até medo. Fico
rindo até hoje quando me lembro. Do jardim de uma igreja, saí
rapidinho e fui ao banheiro. Não me recordo bem como cheguei lá.
Lavei o rosto, tentei me recompor. Era uma mistura de emoções.
Hoje, penso diferente, mas na época parece que deu ‘pane geral’
na minha mente e só me restava os sentimentos. Pensei que tinha
ficado doido também pelas minhas reações. Fui embora dali
rapidinho. Precisava ficar sozinho.

Dia seguinte, há muito tempo:

O Aprendiz: Estou com um problema, já tentei de tudo, não sei


como resolver. Estou lendo isso e aquilo, mas não consigo.
Amigo B: Que tipo de problema, pode explicar melhor?
O Aprendiz: Posso sim.
Estou em uma empresa há muitos anos. Tenho uma função bem
importante nessa instituição, mas não aguento mais ir até lá, sabe?
Ganho muito bem, tenho tudo o que quero materialmente falando,
mas estou imensamente infeliz. Não sei o que acontece, mas de
vez em quando falta dinheiro. Às vezes passo meses para me
equilibrar novamente sem saber o que causou isso. É
desesperador.
Quero sair e não me deixam. Esse é meu maior problema.
Além disso estou estudando, analisando sobre a vida, a minha em
particular, as pessoas, humanidade, e não chego a lugar nenhum.
Parece que a vida não tem o menor sentido.
Seria a vida apenas trabalhar, casar e ter filhos e depois morrer? É
muito vazio se for apenas isso. Esse é meu segundo problema.
Devido a isso, às vezes, fico meio perdido sem saber o que fazer.
Meus constantes conflitos com esposa me deixam arrasado e isso
só aumenta todos os problemas. Em busca de paz, acabo brigando
muitas vezes com ela e meus filhos por conta de muito barulho.
Fico cansado e quase todo dia tenho conflitos familiares, mas não
penso em me separar, porque foi com ela que decidi ficar até o fim.
Então, para me distrair, saio com meus amigos, mas eles só sabem
beber e falar mal dos outros. Parece que só sabem se divertir se for
dessa maneira. Isso acaba me esgotando. Tudo parece sem
sentido e significado. Não é possível que seja apenas isso a vida.

Eu até consigo trabalhar, mas é um grande esforço, pois,


diariamente, fico esgotado e mal tenho tempo de me recuperar.
Além disso, tenho sinusite e sei lá mais o quê, uma alergia
esquisita. Se um vento mesmo que de ventilador meu nariz entope,
os olhos incham, nariz fica escorrendo, meus pensamentos ficam
bem ruim e minha irritação aumenta muito. Tudo me incomoda
quando isso acontece.
Mas ficar assim está horrível e não sei o que fazer para melhorar.
Trabalho muito, tenho muitos reconhecimentos, mas eles nem
imaginam que faço com muito esforço, quase contra a minha
vontade. Vivo em um inferno.
Amigo B: Bem, pelo que entendi seu problema é esse correto?
O Aprendiz: Exatamente.
Amigo B: Então você já tentou isso e aquilo, correto?
O Aprendiz: Olha, você está parecendo um papagaio, repetindo
tudo o que já falei.
Estava irritado, minha paciência tinha fugido de mim. A irritação era
grande realmente.
Amigo B: Entendi. Não fique com raiva, estou apenas tendo a
certeza que entendi bem. Você é importante, inteligente e se não
conseguiu resolver, então agora estou na condição de te orientar,
não com minhas palavras, mas com uma verdade, que não fui eu
quem escreveu. Mas as palavras são minhas. E agora use toda a
sua inteligência para não apenas ouvir, mas para entender o que
precisa ser feito. Não é difícil, mas precisa ter forças para isso e ser
obediente.
O Aprendiz; Ok. Farei. Desculpe por estar irritado, mas é minha
realidade e não estou conseguindo mudar meu humor, sequer a
situação que me encontro. Estou há quase vinte anos nesse
sofrimento e desespero. Sabe o que é isso?
Amigo B: Sei sim, mas fica para outra hora sobre meus problemas
que já tive e ainda tenho. Agora vamos resolver o seu. Basta agir
assim. Então descreveu rapidamente o que eu precisava fazer.
O Aprendiz: Olhei para ele e comecei a rir sem parar. Ele apenas
me olhava, acho que ficou assustado comigo. Se alguém visse de
fora iria ficar muito intrigado.
Pensei: esse é o segundo doente mental que encontro. Não é
possível resolver algo tão grande fazendo só isso ou aquilo. Na
realidade o que ele me disse não tem nada a ver com o problema,
mas comigo mesmo. Essa será a última vez que venho aqui e não
voltarei nunca mais. De qualquer maneira, vou cumprir o que ele me
disse para depois esfregar na cara dele. Esse maluco vai ser
desmascarado pois irei falar para todo mundo o que ele me
orientou.
Me levantei e disse olhando nos olhos dele: vou fazer o que você
me disse, mas se não der certo voltarei aqui e lhe cobrarei.
Ele ficou branco, quase transparente, talvez nesse momento tenha
percebido o quanto eu estava desesperado. Fui muito incisivo, falei
com todo o meu ser.
Ele apenas me olhou e disse: só faça e espere. Não vai demorar
muito se você seguir isso.
Confesso que saí de lá com muita raiva pensando comigo: esse
cara realmente está doido de pedra, mas farei o que ele me pediu,
mas tenho certeza que não vai funcionar e depois voltarei para
colocar meu dedo naquele rosto branquelo. Ahh, vou fazer sim, e
vou cobrar depois. Está pensando o quê de mim? Que sou idiota?
Mas vou cumprir, sim.

Depois de uns 20 dias, recebi um telefonema. Estava muito


distraído no trabalho. A voz do outro lado era meio temerosa,
preocupada. “Sabe aquele pedido que você fez? Concordaram,
então em 30 dias terá o que solicitou”. Agradeci e desliguei.
Não tenho a menor noção de quanto tempo passou, porém, a única
coisa que me recordei é que quase não respirava. Estava em
estado de choque e depois, quando me recobrei parcialmente,
pensei: deu certo. Incrível, funcionou. Uau, que maluquice, deu
certo.
Pulei de alegria. Começava aí uma grande fase de minha vida. A
partir daí tive uma sensação de que não duvidaria mais dos
estudos, das leis, de Deus. Sim, se era uma lei eterna, então só
poderia ter vindo de Deus.
Era impensável que funcionasse, mesmo sem eu acreditar, não
viesse de Deus. Esse raciocínio totalmente lógico me veio à mente
muitas vezes nos próximos dias. Passei muitos dias ainda em
choque, pensando que Deus existia e seu poder era grande.
Bastava ser obediente. Era isso. Descobri em mim, em todas as
minhas células esses pensamentos.
Então as leis existem mesmo. A verdade existe. Então Deus existe.
Era uma conclusão óbvia, natural e lógica. Não sei se fiquei mais
assustado de ter conseguido o que queria há anos ou com essa
descoberta. Até hoje me surpreendo com os sentimentos
conflitantes que passaram por mim durante algum tempo. Era como
se uma corrente elétrica passasse por meu corpo o tempo todo.
Estava energizado, ao mesmo tempo capaz de qualquer coisa, ou
de ficar imóvel. Poderia fazer de tudo de inúmeras maneiras e,
mesmo assim, eu estaria bem.

Nas semanas seguintes...


O Aprendiz: há muito tempo tenho sinusite, é horrível, isso me
incomoda demais, atrapalha minha vida.
Amigo X: ahhh, vai ficar bom. Vai resolver isso, você já sabe o que
fazer, tem as ferramentas.
O Aprendiz: acho que eu estava louco, ele não é louco, pensei.
Vou dar mais um crédito ou vou parar de me encontrar com ele. Ele
já tem idade, mais de 70 anos, acho que é meio senil. Não sei bem
o que dizer dele. Mas vou tentar.
Um belo dia estava eu olhando para uma foto, me abaixei um pouco
como reverência e, nesse momento, deu um estalo em minha
cabeça. Parece que até outros ouviram, pensei.
Mas se ouviram não se manifestaram. Doeu um pouco, algo
aconteceu na minha cabeça. Na mesma hora meu nariz desentupiu.
Praticamente eu não respirava mais pelo nariz. Foi esquisito,
estranho, mas foi isso o que aconteceu.
Então nunca mais tive alergia, não sei se falei, mas eu nem podia
passar perto de aparelho de ar condicionado desligado, quando
mais ligado, assim como ventilador, era um sofrimento grande.
Meus olhos inchavam, ficavam lacrimejando, meu nariz entupia
imediatamente e não conseguia mais pensar direito, o nariz
escorrendo direto, sem parar. Bebia muito pois era a única forma de
melhorar esses sintomas. Era ruim, eu sabia disso, mas não havia
nada a fazer. Mas agora sumiu. Não tenho mais nada. Foi incrível.
Minha filha vivia no hospital, eu ganhava muito bem e, por isso,
pagava os melhores hospitais e médicos que podia encontrar.
Dinheiro não era problema e dava o melhor que a medicina poderia
oferecer e não ficava boa de forma alguma. Ela tinha adenoide,
sinusite e alergia crônica. Queriam operar, mas eu gelava de medo
quando falava em cirurgia. Não queria. Recorri a tudo que estava ao
meu alcance e que o dinheiro podia comprar. Tinha muito medo que
operasse e ficasse com sequelas ou morresse. Minha filha era linda
e eu a adorava mesmo sem manifestar muito. Ficava de longe
apenas observando e adorava. Não queria de forma alguma que
ficasse assim também. Estava perdido mais uma vez.
Aprendemos algumas técnicas e conhecimentos que ultrapassavam
qualquer lógica de uma mente racional e puramente materialista.
Mas o importante era que funcionava. O resto não importava.
Um belo dia então, uns 3 meses depois minha filha nunca mais teve
problemas com os sintomas completamente desaparecidos. Foi
incrível, parece que, pela primeira vez, em muitos anos estava
começando a ficar aliviado. Então decidi.
O Aprendiz: Tomei uma decisão.
Minha consciência: Você está maluco? Agora endoidou de vez.
O Aprendiz: Não há mais volta. Estou decidido, preciso fazer isso
por mim e pelos outros. Não posso ficar parado vendo tudo isso
acontecer, sofrimentos sem fim e as pessoas sofrendo e fazer tão
pouco. Não consigo parar de pensar nisso.
Minha consciência: Endoidou realmente. E como vai fazer?
O Aprendiz: Não tenho a menor ideia, mas sei que vou fazer,
embora ainda não saiba como. Vou viver para isso e ensinar as
pessoas como saírem do sofrimento.
Minha consciência: Então você já sabe, não é mesmo?
O Aprendiz: Sim, já sei, aprendi de verdade.
O ser humano não tem a menor ideia e quando pensa ou fala sobre
o assunto muda até de assunto, com medo e verdadeiro horror de
admitir isso. Sempre fui assim. Objetivo, foco em resultados, no
trabalho, em ganhar dinheiro em possuir do bom e do melhor.

Um outro dia, há muito tempo:

O Aprendiz: todos aprenderam? Entenderam bem essa parte?


Classe: sim, aprendemos.
O Aprendiz: mas se vocês não praticarem, se arriscarem isso não
se transformará em resultados. Precisam praticar ou não
conseguirão. Não podem dizer que aprenderam e não praticam, é a
mesma coisa de dizer que não aprenderam. Não serve para nada,
entendem isso?
Se vocês quiserem fazer do seu jeito, não conseguirão e se
conseguirem será apenas parcialmente e, mesmo assim, não vai
durar, uma hora a verdade se impõe e volta a situação anterior.
Precisam entender de uma vez por todas: se fizerem do seu jeito,
como sempre fizeram e nunca deram certo e por isso estão aqui
hoje, será um fracasso de apenas de vocês, percebem? Estou
explicando como tudo funciona e se fizerem do seu jeito a culpa da
falta de resultado ou resultado parcial será unicamente de vocês.
O ser humano é assim, cheio de apegos e egoísmos e isso impede
fortemente seu crescimento. Por isso alguns de vocês tiveram
resultados, resolveram quase tudo mas chegou uma hora que não
conseguem resolver mais, e sabem por quê? Porque vocês
mesmos não deixam, devido o apego e egoísmo.
Naquela hora muitas pessoas baixaram a cabeça, desviaram os
olhos. Mais uma vez eu tinha atacado o problema de frente. O
ponto vital era esse, os novos aprendizes. Aos meus olhos eu
estava fracassando, não conseguia ultrapassar essa couraça que
os impedia de crescer. Viviam parcialmente em uma mentira, pois
não abraçar a verdade após tantos resultados é algo inconcebível.
Mas aprendi mais que isso ao longo do tempo, mas naquele
momento era apenas isso que passava pela minha cabeça
Para eles eu era um instrutor, um cara bem mais “avançado”. Não
um irmão mais velho, mas alguém que tinha aprendido o suficiente
para estar ali ensinando. Um longo caminho estava chegando ao
fim. Ainda não tinha criado um método para melhorar a situação. As
pessoas ainda sofriam mesmo tendo acesso as leis e as verdades.
Mas, nessa hora, criei coragem, mais uma vez, e resolvi repetir pela
milésima vez o ponto vital do ser humano e de quebra, da resolução
dos problemas. Não consegui, parece que apenas as pessoas
queriam me admirar e me colocar em um pedestal. Não entenderam
nada, eu não era a origem, era apenas um canal. E a verdade, com
suas leis continuam lá, indecifráveis pelo visto.
Segunda Parte

Algum tempo depois uma conversa com outro instrutor. Tínhamos


uma fama de saber e de estudar muito, e ver coisas que os demais
não viam. Mas ele era a estrela, estava em muitas rodas de
discussões, eu era bem mais passivo nesses grupos, gostava mais
de ficar quieto.

O Aprendiz: Meu jovem amigo instrutor, vamos resumir tudo?


O Instrutor: Sim.
O Aprendiz: Qual a verdadeira origem do ser humano?
O Instrutor: Ele é uma criatura criada por Deus. Nasce no reino
dele, e com o tempo vai passando por aprendizado e chega uma
hora que recebe uma missão maior, que é nascer no mundo
material. Todos nascemos com uma missão, para que no final todos
possam contribuir e possamos viver em um mundo que poderíamos
chamar de paraíso.
O Aprendiz: Alguns nascem para construir casas, ou planejando,
administrando e outros que executam. Uns criam sistemas,
programas e coisas assim para que as pessoas e empresas
possam desenvolver mais. Outros ainda contribuem de diversas
formas, levando as pessoas de um lugar para outro, outros criando
ideias para que as pessoas se sintam melhor e satisfeitas. Existem
milhares de formas de cada um contribuir, e todos contribuem. É
algo maravilhoso. Tudo está interligado e cada um contribuir de
uma forma diferente. É um grande projeto esse. Um grande mistério
realmente.
O Instrutor: Sim. Então esse foi e é o desejo do Altíssimo. Criou o
ser humano perfeito, mas com o tempo o mesmo, alternando entre
a vida e a morte começou a mudar isso. A humanidade quis
experimentar o que era viver sem Deus. Para aqueles que nascem
neste mundo material, que vem do mundo de Deus, o Reino
Espiritual, o desafio estava lançado.
O Aprendiz: Então para tirar o poder e a força de Deus criou a
ciência, para resolver todos os problemas. Mas a felicidade nunca
foi alcançada. Na realidade o mundo está à beira de algo
catastrófico, como guerra mundial, epidemias e doenças sem
solução, e as pessoas se tornaram cheias de ‘direitos’, mas com
poucos ‘deveres’.
O Aprendiz: Concorda?
O Instrutor: Sim. Nunca o mundo esteve tão próximo da destruição.
A saúde se tornou algo grave e sem cura. Não existe solução e só
piora, e então criou-se uma ilusão e as pessoas não percebem.
Conflitos aumentam e se espalham. Estamos caminhando para algo
muito perigoso, a extinção de tudo, ou de todos.
O Aprendiz: Mas por que Deus permitiu chegar a esse ponto?
O Instrutor: Foi necessário ou o ser humano não avançaria. Não foi
Deus quem fez assim, foi o próprio ser humano, mas Ele permitiu.
Sua sabedoria e profundidade são infinitas. Seu plano insondável,
mas grandioso e maravilhoso. Nosso entendimento é muito
superficial. Ainda falaremos nisso em outra oportunidade. Mais
adiante.
O Aprendiz: Você está dizendo que tudo o que aconteceu e foi
permitido fazia e faz parte dos Planos Divinos?
O Instrutor: Sim, claro. Deus dotou o ser humano com o livre
arbítrio. Deixou seguir seu caminho para ver seu crescimento
material, científico se tornar o ápice da criação humana, mas como
disse, não trouxe mais felicidade, apenas comodidade. Não trouxe
solução dos problemas, apenas conseguiram adiar, mas eles
voltam mais adiante mais fortes. Os conflitos aumentaram e muito,
a humanidade está sob risco muito grande. Então agora, ao que
parece, seremos cobrados por nossas ações, coletivamente e
individualmente. Se tivéssemos conseguido não seria necessário.
Mas não conseguimos, então como o perigo é iminente, então virá
algo que colocará tudo nos eixos. É como se fosse uma cobrança,
onde serão definidas muitas coisas, aliás, se tornarão claras. E isso
sempre traz dor e lamentos. Para outros, será uma alegria imensa.
O Aprendiz: Então podemos tirar algumas conclusões óbvias e
lógicas. Posso tentar fazer um resumo bem curto?
O Instrutor: Claro. Manda ver.
O Aprendiz: O ser humano tem sua origem em Deus, foi e é criado
No reino de Deus, que podemos chamar de mundo espiritual. Então
o ser humano em sua origem é espírito, enquanto estiver “lá”.
O Instrutor: isso é muito claro. E lógico também. Aceitar, acreditar
nisso é problema de cada um, mas as evidências são muito claras.
Apenas a educação materialista e o estilo de vida fazem isso se
tornar algo parecido como uma “lenda”. E isso tem levado a
humanidade a caminhos muito perigosos, próximo da destruição. A
infelicidade e insegurança reinam. A paz apenas provisória.
O Aprendiz: então quando o ser humano nasce no mundo material
o espírito permanece com ele, como uma vestimenta do corpo
físico?
O Instrutor: Sim, isso é claro e facilmente explicável. Quando o ser
humano faz alguma ação, seja andar, trabalhar, dirigir ou qualquer
ação, antes surge o desejo, o sentimento ou o pensamento. Essas
3 características são do espírito. O corpo apenas obedece. O ser
humano é movido pelos pensamentos, sentimentos e força de
vontade. A mente transforma, comunica e o corpo obedece. Isso se
faz de forma automática e natural. O ser humano foi criado assim
para viver no mundo material e cumprir sua missão. Não é
complicado. Existe até uma parte da ciência que estuda isso, alguns
cientistas têm alcançado grandes resultados em demonstrar isso,
embora ainda não saibam explicar. Mas um dia conseguirão.
O Aprendiz: Mesmo tendo a ignorância de como ele mesmo é
formado, de sua constituição, como corpo e espírito, o ser humano
através de suas criações, principalmente através da ciência, tem
avançado bastante em trazer mais e mais confortos e facilidades.
Mas pelo fato de ignorarem o espírito, que é a raiz e origem do ser
humano, acabam falhando em coisas e acabam errando o alvo por
não reconhecerem a existência do espírito.
O Instrutor: Exatamente. Isso qualquer um poderá perceber se
analisar detidamente sem preconceitos. Não é tão difícil perceber
isso.
O Aprendiz: Nesse caso, podemos chegar a uma conclusão
excepcional. Se o ser humano é movido pelo espírito (vontade,
pensamento e sentimento) então tudo passa por ele ou reflete nele
que, por sua vez, reflete na vida da pessoa e no próprio corpo dela.
Isso é realmente muito interessante. Ah se todos soubessem disso!
Na realidade, como na origem, o ser humano e sua parte essencial
é o espírito, então tudo, a causa de tudo está no espírito, já que o
corpo é apenas reflexo, suas ações dependem do espírito.
O Instrutor: Esse é o X da questão.
Se o espírito se estiver ‘limpo’, sem manchas ou nuvens que nuble
seu estado natural sua vida será naturalmente feliz, com sorte e
próspera, sem maiores sobressaltos e com bastante tranquilidade.
Uma vida realmente desejável e feliz e isso se propaga na família e
nas pessoas ao seu redor. Algo raro hoje em dia.
Essas ‘manchas’ ou ‘nuvens’ que ficam no espírito e que impede de
alcançar seus desejos, são a causa da infelicidade.
O Aprendiz: Quando pensamos, sentimos e agimos de forma que
traga ou gere sentimentos negativos nos outros, ou fazemos algo
que traga infelicidade para os demais, ou agimos sem ter
sinceridade ou mentiras, não somos honestos e outras coisas mais
estamos na realidade colocando essas ‘nuvens’ no nosso próprio
espírito e atraindo cada vez mais infelicidade.
O Instrutor: Essa é a questão. Apesar de tão simples, praticamente,
não existe alguém nos dias de hoje que alerte às pessoas para
essas coisas naturais e óbvias. O próprio ensino nas escolas e a
vida cotidiana mudam as pessoas a ponto de a indiferença tirar
vantagens ou causar mal aos outros passem a ser comum.
O Aprendiz: Então, meu amigo, a solução é simples.
O Instrutor: Sim, é. Precisa primeiro aprender o que deixa nosso
espírito limpo dessas ‘nuvens’ espirituais, depois praticar e por fim,
com o tempo e a constância terá uma vida inteiramente modificada.
O Aprendiz: O destino, o carma, tudo isso será modificado?
O Instrutor: Sim, isso é um fato.
O Aprendiz: Estranhamente, nesse momento, me veio a lembrança
de uma pessoa que, quando iniciei minha jornada, achei que era
louca. Eu não me conformava de as pessoas terem tudo ao seu
alcance e, ao mesmo tempo, nada era feito. Não fazia sentido.

Terceira Parte

Alguns anos atrás, mais ou menos em 2014

O Aprendiz: Apesar de eu estar muito mais maduro e com mais


conhecimentos, era estranho. Eu mesmo era parabenizado pelo
que fazia, procurando ensinar as pessoas. Mas existia um vazio, um
algo mais que faltava. Algo não se encaixava.
Parecia que existia uma dificuldade tremenda de fazer as pessoas
entenderem. Tinha me tornado professor, ensinava, desempenhava
várias atividades e as pessoas queriam falar comigo e se reunir aos
finais de semana, mas não mudavam. Dezenas de pessoas me
procuravam, assistam minhas aulas que eram consideradas um
sucesso, sempre a turma lotada, cheia. Isso de alguma forma
estava errado, mas eu ainda não tinha a menor ideia do que fazer e
nem sabia o que estava errado, mas era claro que alguma coisa
não se encaixava. E o que aconteceu a partir daí mudou
completamente minha vida.
Quero deixar bem claro que não planejei nada. Apenas fui levado.
Houve um turbilhão de coisas acontecendo ao mesmo tempo logo a
partir dessa minha reflexão de que faltava ‘algo’ mais.
Nesse turbilhão de coisas, muitas pessoas se aproximaram para se
aproveitar, usar dos conhecimentos e orientações, queriam ser
reconhecidos, queriam ser mestres, à custa de criticar os outros, a
mim especialmente. Mas também outras pessoas fantásticas se
aproximaram e me ajudaram. Elas me deram muita força, trouxeram
um brilho a minha vida. Eu diria que foram anjos, em forma de
gente.
Fiquei doente e muito mal. Amigos vieram com tanto amor e
sinceridade no coração que tenho certeza que me ajudaram a ficar
bom só com os sentimentos deles – não tenho dúvidas quanto a
isso. Aplicaram alguns conhecimentos e técnicas que até então eu
nem imaginava que existiam. Em 30 dias eu estava como se nada
tivesse acontecido. Foi extraordinário! Minha vida nunca mais seria
a mesma. Foi o início de uma jornada inimaginável. De entregas, de
decepções, de choros e grandes tristezas tão profundas que não
poderia descrever. Mas as alegrias, as felicidades, a profundidade,
isso compensa qualquer sofrimento. Também são inenarráveis.
A partir daí avancei com toda minha força, fui para cima como se
não existisse mais nada. Abandonei tudo, nada mais importava. Eu
tinha de aprender. Eu tinha de aprender, precisava de respostas e
de ensinar isso aos demais. Algo tinha de ser feito.

Foi tudo muito rápido.

Minha lembrança de hoje, de alguém que ficou no passado, mas


vivo na minha mente algo como ‘Mude isso’ e ‘ajude as pessoas’,
‘sua missão não termina aqui, apenas começou’. Um sentimento
maravilhoso preenche meu espírito. Estou emocionado. Fui avisado
e só agora percebi e me lembrei disso. Décadas depois. Deus
realmente trabalha muito adiante, o tempo parece ser diferente de
como percebemos, não sei.

Mais ou menos em 2017, final do ano.


Uma conversa com outro Aprendiz.

O Aprendiz: Criamos alguma coisa.


Um Amigo F: Sim, criamos.
O Aprendiz: Avançamos muito em conhecimento e nas técnicas.
Um Amigo F: As pessoas não têm ideia, mas o caminho está
aberto, existe uma forma de as pessoas aprenderem e você criou
isso. Ajudei, mas isso saiu de seu espírito. Fiz e faço parte, mas a
missão é sua de transformar isso em algo que as pessoas possam
aprender.
O Aprendiz: Sim. Não teria conseguido sem você. É muita coisa,
muito trabalho, chega às raias do esgotamento total e não paramos,
dia após dia. É quase uma loucura.
Um Amigo F: Estamos juntos, embora cansados, mas trabalhamos
como se fôssemos um só. Fazemos algo que apenas um exército
de pessoas conseguiria.
O Aprendiz: Sim, mas ainda falta mais. O sentimento de urgência
continua, as pessoas precisam saber.
A solução de todo e qualquer sofrimento está apenas no espírito. O
que deve ser trabalhado é o espírito.
Mesmo na doença que é nada mais é do que o reflexo das ‘nuvens’
no corpo. A ciência um dia descobrirá.
Se quer tratar o corpo, trate o espírito. Nada mais funcionará de
forma definitiva, apenas será adiado, por décadas, mas não será a
cura total. Um dia volta e provavelmente de forma mais perigosa,
uma outra forma, uma doença mais forte, um outro nome.
Um Amigo F: Já temos as respostas para grande parte das coisas
que dizem respeito ao ser humano. Isso já foi dito, escrito e
estudamos. Existe mistério dentro do mistério. Não basta apenas
ler. Não é uma corrida, mas profundidade. O espírito de quem
estudar precisa estar no nível de adentrar essa profundidade. É
como se fosse um presente pelo esforço e trabalho. E não se tem
noção até conseguir. Mas existem níveis.
O Aprendiz: Muito bonito o que você disse. Deve ser algo assim
(risos).
Pensei: sabemos que existe profundidade no que ele disse. Ele
sabe que existem mais coisas, compromissos, algo inescapável.
Existem alegrias, mas sofrimento profundo. Existe felicidade, mas
desespero de não conseguir, de falhar perante o Criador. Existe
medo do que poderá passar ou preocupação, mas existe segurança
de seguir o Caminho e se desviar do que for necessário. Existe o
ser humano, querendo se aproximar, e Ele espera. Os anjos
esperam e ajudam, alguns em espírito, outros em forma de gente.
O Aprendiz: Mas não apenas na doença qualquer problema, seja
qual for, a cura, a solução está no espírito. Seja doença, financeiro
ou conflitos. Não importa.
Um Amigo F: Sim e agora chegou a hora verdadeira. Espalhar é a
regra, o objetivo é acordar e o prêmio a felicidade.
O Aprendiz: Tudo está no espírito e existem formas para se ‘limpar’
o espírito.
Um Amigo F: Sim e a forma que todos percebem é através do
sofrimento. Outros vão além e se colocam em situação de
sofrimento voluntário, os “ascetas”.
Voluntariamente se colocam em situação de sofrimento para ‘limpar’
mais rapidamente essas ‘nuvens’ espirituais. Mas é sofrimento, e
pode demorar muito tempo, muitos anos, décadas. Temos
exemplos na história.
O Aprendiz: Tratar o espírito com espírito. Mas não um espírito
qualquer. É o espírito da Grande Natureza, que tem a Força e
Energia do Divino.
O ser humano tem dentro de si essa energia, mas devido muito
tempo afastado e dessas nuvens precisa de ‘algo’ para ajudar a
despertar novamente esse espírito dentro de si. Mas existe um
caminho, um método. E, além disso, existe ‘algo’ que ajuda a
despertar essa energia, espírito da grande natureza. E quem o
recebe, só ele sabe o que está escrito (1). Até a pessoa despertar
essa energia ou espírito da grande natureza que tem dentro de si,
que é a ligação com o Divino. Daí não precisará mais, apenas de si
para atuar como instrumento do Divino.
(1) Apocalipse, 2, 17: Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às
igrejas: Ao que vencer darei eu a comer do maná escondido, e
dar-lhe-ei uma pedra branca, e na pedra um novo nome escrito, o
qual ninguém conhece senão aquele que o recebe.

Um Amigo F: Sim, os resultados falam por si só.


O Aprendiz: O que importa é que os problemas sejam resolvidos.
Quando se aprende as verdades e as leis, que não são
complicadas, mas exige reflexão e ainda aplicar conhecimentos e
técnicas para deixar o espírito do ser humano mais natural e com
bem menos ‘nuvens’ a vida muda. Isso é o que importa.
A partir daí ou mesmo durante esse processo que é relativamente
rápido, alguns meses dependendo de cada um já terá o maior
desafio que alguém poderá ter: continuar no caminho ou
simplesmente deixar para lá. Mas sim, a maioria continua e tem
conseguido se desenvolver e isso se traduz em vida melhor,
sucesso, paz e sem doenças.
Um Amigo F: E hoje, como você está, meu amigo, depois dessa
aprendizagem?
O Aprendiz: Posso dizer com tranquilidade que os conflitos
inexistem, são bem raros. Problemas financeiros são muito raros
também, antes aconteciam praticamente todos os anos. Doenças
eu não tenho, no máximo gripe que deixamos de forma natural o
organismo limpar, e nesses casos utilizamos a técnica que
aprendemos, torna tudo mais rápido, simples e com o menor
sofrimento. Resumindo, nem se compara a vida que tenho com a
vida que eu tinha. Antes era só sofrimentos, hoje maior do tempo
alegrias. Incomparável.
Um Amigo F: E o que você fará com isso que aprendeu, se
aprofundou?
Irei explicar. Na realidade, encontramos a solução, o meio, um
método para que as pessoas possam se beneficiar disso.
...

Um pensamento

Parece que estou caminhando bem, relativamente depressa e ao


mesmo tempo devagar.
Mas a minha vida de forma geral se transformou.
Hoje tenho alunos, ou discípulos, não importa o nome.
Não são poucos que conseguem despertar e mudar sua vida.
Estou mais próximo do aviso que recebi. Mais feliz porque existe,
sim um caminho, existe uma saída para os sofrimentos, sejam quais
forem.
Estou trilhando, e posso dizer: nada se compara a isso.
Ninguém está preparado para a verdade até conhecê-la. Muitos
estão trilhando esse caminho. Alguns se perdem, por escolha
própria.
O Aprendiz.

No próximo lançamento, que terá como título ‘O Orientador’,


veremos a continuação deste pequeno livro introdutório.
Conhecerão com um pouco mais de profundidade onde poderemos
chegar. O que podemos alcançar e como seguir em frente e termos
todos os nossos problemas praticamente resolvidos.
O aprendiz é uma pessoa em sofrimento que descobriu um método
que mudou a sua vida e capaz de mudar verdadeiramente a vida
das pessoas.
O que a pessoa encontrará no próximo livro, O Orientador? Um
aprendiz que se torna orientador de diversas pessoas e que apesar
de ser o orientador, continua a aprender cada vez mais, em
conversas com pessoas que vão do mais simples ao mais
estudioso, e entra na profundidade de tudo e como o que parece
algo inatingível é algo extremamente simples
...

Um Caminho
Ultra Ciência
Não deixe de ler a continuação deste pequeno livro. Esperamos que
encha seu coração de esperança e, a partir daí, tome a decisão
correta. Se quiser ler a continuação deste pequeno livro acesse
aqui e se cadastre: https://sun.eduzz.com/292246
Se quiser mais informações e se aprofundar e transformar sua vida,
entre aqui nesse link:
https://www.hotmart.com/product/o-metodo-o-verdadeiro-metodo-do-sucesso-saude-e-
paz/Y17813267E

Caso entre e queira se aprofundar, iremos nos encontrar, pode ter


certeza. Pode nos visitar, assistir uma live nossa, e terá acesso a
conhecimentos que o surpreenderá. Nunca mais será o mesmo,
será uma pessoa muito melhor, pode ter certeza. Depois que uma
mente ou espírito conhece a verdade, o universo, jamais voltará ser
o que era antes.

FIM