Você está na página 1de 30

Direito Pessoal

Características do casamento
Igualdade de direitos e deveres; ( Art. 1511,CC)
Gratuito;( Art. 1512, CC)
Capacidade núbil (Art. 1517, CC)
Capacidade para núpcias Cabe
revogação até
a celebração

16 anos (art. 1517, CC), com autorização dos pais ou


suprimento judicial (Art. 1517, parágrafo único + Art.
1631 +Art. 1519, CC);

Menores de 16 anos  Exceção para evitar pena ou


gravidez (Art. 1520, CC)
Dos impedimentos para o
casamento (Art. 1521 e 1522 CC)
Não podem casar:
Ascendentes e descendentes (parentesco natural ou
civil);
Os afins em linha reta;
Adotante com quem foi cônjuge do adotado e adotado
com quem o foi do adotante;
Irmãos unilaterais ou bilaterais, e demais colaterais até
o terceiro grau INCLUSIVE;
O adotado com o filho do adotante;
Dos impedimentos
(continuação)

Pessoas casadas;
O cônjuge sobrevivente com o condenado por
homicídio ou tentativa de homicídio contra seu
consorte.

• O impedimento pode ser oposto até o momento da


celebração por qualquer pessoa capaz;
• Se o juiz ou oficial tiver conhecimento de algum
impedimento será obrigado a declará-lo.
Das causas suspensivas
(art. 1523 e 1524, CC)

Art. 1523, CC: “Não devem casar:

O viúvo ou a viúva que tiver filho do cônjuge falecido,


enquanto não fizer inventário dos bens do casal e
der partilha aos herdeiros;

A viúva, ou a mulher cujo casamento se desfez por ser


nulo ou ter sido anulado, até 10 meses depois do
começo da viuvez, ou da dissolução da sociedade
conjugal;
Das causas suspensivas
(art. 1523 e 1524, CC)

O divorciado, enquanto não houver sido


homologada ou decidida a partilha dos bens do
casal;

O tutor ou curador e os seus descendentes,


ascendentes, irmãos, cunhados ou sobrinhos, com a
pessoa tutelada ou curatelada, enquanto não cessar a
tutela ou curatela, e não estiverem saldadas as
respectivas contas.
Das causas suspensivas
(art. 1523 e 1524, CC)

Contudo, é permitido aos nubentes solicitar ao juiz que


não lhes sejam aplicadas as causas suspensivas previstas
nos incisos I, III e IV, provando-se a inexistência de
prejuízo, respectivamente para o herdeiro, para o ex-
cônjuge e para a pessoa tutelada ou curatelada.

No caso do inciso II, a nubente deverá provar nascimento


de filho, ou inexistência de gravidez, na fluência do
prazo.
Das causas suspensivas
(art. 1523 e 1524, CC)

As causas suspensivas podem ser arguidas por parentes

em linha reta, e pelos colaterais em segundo grau.


Processo de habilitação de casamento
(Art.1525 a 1532)

Habilitação deve ser firmada por:

Por ambos os cônjuges;

Por procuração
Processo de habilitação de casamento
(Art.1525 a 1532)

Documentos:

Certidão de nascimento;
Autorização por escrito;
Duas testemunhas que afirmem a ausência de
impedimento;
Declaração do estado civil, domicílio dos contraentes e
dos pais, se conhecidos;
Certidão de óbito do cônjuge falecido, ou sentença de
nulidade do casamento ou registro de divórcio.
Processo de habilitação de casamento
(Art.1525 a 1532)

A habilitação é feita perante oficial do Registro Civil;

É dever do oficial situações que podem gerar a nulidade do


casamento;

Edital será afixado por 15 dias nas circunscrições do


Registro Civil de ambos os nubentes e publicado na
imprensa;

Após tais formalidades, o oficial do registro extrairá o


certificado de habilitação, que valerá 90 dias;
Da Celebração do casamento
(Art. 1533 ao 1542, CC)
O Casamento será celebrado por autoridade;
A solenidade se dá no cartório, com publicidade, duas
testemunhas;
Noutro local
também é possível,
neste caso serão 4
testemunhas.

 O oficial declarará: “De acordo com a vontade que


ambos acabais de afirmar perante mim, de vos
receberdes por marido e mulher, eu em nome da lei,
vos declaro casados”.
Processo de habilitação de casamento
(Art.1525 a 1532)

Após a cerimonia se fará o assento no livro de registro,


onde serão inseridas informações sobre a vida dos
contraentes, como por exemplo o regime de bens;
Da suspensão da celebração
A celebração será suspensa, nas seguintes hipóteses:

Recusar a solene afirmação da sua vontade;


Declarar que esta não é livre e espontânea;
Manifestar-se arrependido;

Obs.: O nubente que se manifestar em umas das


hipóteses acima, não poderá se retratar no mesmo dia.
Casamento por procuração
É admitido;
 Instrumento público.;
Poderes especiais;
Validade: 90 dias
Revogação da procuração  Instrumento público
Se a revogação não chegar a tempo ao conhecimento do
mandatário e o casamento for celebrado, o mandante
responde por perdas e danos (Art. 1542,§ 1º.,CC);
Na hipótese de revogação da procuração que não chegou a
tempo, e houver coabitação entre os cônjuges, o casamento
terá validade ( Art. 1550, V, CC)
Casamento de contraente com
moléstia grave (Art. 1539,CC)
Sua ausência é
suprida por
substitutos legais

O presidente do ato irá celebrá-lo onde se encontrar o


impedido, sendo urgente, ainda que a noite, perante
duas testemunhas que saibam ler e escrever;
Casamento nuncupativo ou casamento in
extremis – (Art. 1540/1542, CC)
Um dos nubentes encontra-se em iminente risco de morte;
Realiza-se sem juiz e sem prévia habilitação;
6 testemunhas que não tenha parentesco em linha reta ou
colateral até 2º. Grau;
No prazo de 10 dias, as testemunhas deverão confirmar o
casamento perante autoridade judicial;
Se o enfermo convalescer, dispensa-se o procedimento das
testemunhas, contudo o enfermo ratificará o casamento na
presença da autoridade competente;
Efeitos retroagem a data da celebração, “ex tunc”
Casamento Putativo – (Art. 1561, CC)
Casamento contraído de boa-fé;

Preservação dos efeitos;

Se um dos cônjuges estava de boa-fé ao celebrar o


casamento, seus efeitos serão preservados;

Se ambos, casaram de má-fé somente os filhos terão


direitos preservados;
Das provas do casamento
Prova Direta Prova Indireta

 Certidão de casamento ou qualquer outra espécie de


prova quando da falta daquela. (Art. 1543, 1546, 1547CC)
Casamento de brasileiro no
estrangeiro
 Casamento de brasileiro, celebrado no estrangeiro
perante autoridades, deverá ser registrado no Brasil em
180 dias, a contar da volta de ou de ambos os cônjuges ao
Brasil, no cartório do domicílio (Art. 1544, CC)
Da invalidade do casamento
É nulo o casamento: (Art. 1548, 1549 CC)

Infringência de impedimento

 Mecanismo: ação direta proposta por qualquer


interessado ou MP;
Da invalidade do casamento
É anulável o casamento:

Daquele que não completou a idade mínima para casar

D menor em idade núbil, quando não autorizado pelo


representante;

Do incapaz de consentir ou manifestar, de modo


inequívoco, o consentimento;
Da invalidade do casamento
É anulável o casamento:

 Vício de vontade :

A-)Erro essencial quanto a pessoa do outro:

• No que diz respeito à sua identidade, sua honra e boa-fama, sendo esse
erro tal que torne a vida em comum insuportável;

• Ignorância de crime, anterior ao casamento, que por sua natureza torne


o a vida conjugal insuportável;

• Defeito físico irremediável, que não caracterize deficiência ou de


moléstia grave e transmissível, por contágio ou por herança, capaz de
por em risco a saúde do outro cônjuge ou sua descendência;
Da invalidade do casamento
É anulável o casamento:

Coação;

Obs.: Somente o cônjuge que incidiu em erro, ou sofreu


coação pode demandar a anulação do casamento; MAS A
COABITAÇÃO HAVENDO CIÊNCIA DO VÍCIO,
VALIDA O ATO, SALVO na hipótese de defeito físico
irremediável;
Prazos para ação de anulação
180 dias, nas hipóteses:
* do incapaz de consentir ou manifestar, de modo
inequívoco, o consentimento;
* Do menor de 16 anos, contados para o menor de
quando perfazer essa idade;
* Do menor de 16 anos, contados para os
representantes legais a partir do casamento;
* Daquele realizado pelo mandatário, sem que ele
ou o outro contraente soubesse da revogação do
mandato,
Prazos para ação de anulação
2 anos, se a autoridade celebrasse fosse incompetente;

3 anos, nas hipóteses:


* No que diz respeito a sua identidade, honra e
boa-fama;
* Ignorância de crime;
* Ignorância de defeito físico irremediável;

 4 anos, se coação;
Dos efeitos da anulação

Sentença retroagirá a celebração e preservará direitos,


por terceiros de boa-fé;
Da eficácia do casamento – (Art.
1565 ao 1570)
Homem e mulher assumem condição de consorte,
companheiros e responsáveis pelos encargos da família;

Liberdade de inserção de sobrenome;

Planejamento familiar é livre;

Contraem deveres, como: fidelidade, vida em comum,


mútua assistência, sustento, guarda e educação dos filhos;

Respeito e consideração mútuos;


Da eficácia do casamento – (Art.
1565 ao 1570)
Direção da sociedade conjugal por ambos e que
inclusive caberá suprimento judicial;

Cooperação mútua para o sustento da família;

O domicílio do casal será escolhidos por ambos;