Você está na página 1de 12

A construção do texto em verso

AULA 1 Um texto pode apresentar-se em forma de prosa ou verso. A prosa é a linguagem


natural, na escrita identificada como o texto corrido, formatado em parágrafos.
O verso é a linguagem com aspecto artificial pelo fato de organizar as sílabas
poéticas com recursos de harmonia, ritmo e métrica.

A linguagem poética revela a arte das palavras em forma de verso

Os poemas

Os poemas são pássaros que chegam


não se sabe de onde e pousam
no livro que lês.
Quando fechas o livro, eles alçam voo
como de um alçapão.
Eles não têm pouso
nem porto;
alimentam-se um instante em cada
par de mãos e partem.
E olhas, então, essas tuas mãos vazias,
no maravilhado espanto de saberes
que o alimento deles já estava em ti...
QUINTANA, Mário. Poesia Completa.
Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2005.

Verso. Pode definir cada uma das linhas de um poema, caracterizando-se por possuir certa
linha melódica ou efeitos sonoros, além de apresentar unidade de sentido. E por extensão, refere-se
ainda à composição literária em que as frases são versificadas como o poema e a poesia; e também
à linguagem literária característica das obras poéticas, em oposição à prosa.

Língua Portuguesa 2 - Aula 1 5 Instituto Universal Brasileiro


A construção do texto em verso
O verso corresponde a cada linha do
Verso
poema, ou, então, verso é o agrupamento de
A leitura de poemas deve extrapolar o sílabas sujeitas a acentos predominantes ou
exercício de contar versos e identificar rimas. pausas, portanto, obedecendo a um ritmo. Os
Poema tem ritmo e brincadeiras com as pala- elementos do verso são: a métrica (número
vras. São muitas as possibilidades de organi- certo de sílabas), o ritmo e a rima.
zar um texto desse gênero. Outra caracterís- Além da prosa e verso, ainda são aspec-
tica importante desse gênero são as rimas. E tos da forma: a linguagem cotidiana (habitual)
os sons? Não são quaisquer: a musicalidade e a linguagem erudita (culta); a linguagem fi-
é o princípio essencial da mecânica poética. gurada e a linguagem não figurada.
As sensações de cada leitor são únicas
e devem ser valorizadas e respeitadas, já
que não existe uma maneira certa ou errada
de compreender poesia. Nesta aula você vai
ter contato com diversas produções para que
possa habituar-se ao texto. Linguagem figurada e linguagem
Leia os versos do poema atentamente: não figurada

Soneto XXXII Linguagem figurada (figurativa) ou


conotativa é aquela em que palavras são
empregadas com um significado diferente dos
descritos no dicionário.
Por exemplo: “Aquela garota é uma flor”.
Repare que nessa frase a palavra flor apre-
senta um sentido diferente da palavra flor que
encontramos num dicionário. Aqui ao invés de
uma planta ela é usada de maneira a intensifi-
car a beleza da garota.
Linguagem não figurada (não figura-
tiva) ou denotativa é aquela em que as pala-
vras são empregadas em seu significado real,
Quando a chuva cessava e um vento fino ou seja, de acordo com o dicionário.
franzia a tarde tímida e lavada, Por exemplo: “A margarida é uma flor”. Re-
eu saía a brincar, pela calçada, pare que aqui, ao contrário da situação acima,
nos meus tempos felizes de menino. a palavra flor é usada em seu significado real.
Fazia, de papel, toda uma armada;
e, estendendo meu braço pequenino,
eu soltava os barquinhos, sem destino, Definição de poesia e poema
ao longo das sarjetas, na enxurrada...
Fiquei moço. E hoje sei, pensando neles, O grande poeta
que não são barcos de ouro os meus ideais: modernista brasileiro Ma-
são feitos de papel, são como aqueles, nuel Bandeira confessou
perfeitamente, exatamente iguais... certa vez que, um dia,
- Que os meus barquinhos, lá se foram eles! ao começar a escrever
Foram-se embora e não voltaram mais! um livro didático sobre
(Guilherme de Almeida. literatura, teve que dar
In: Meus versos mais queridos) uma definição da poesia

Língua Portuguesa 2 - Aula 1 6 Instituto Universal Brasileiro


e... embatucou, isto é, ficou sem ação, sem
resposta. Pelo menos por um instante. Dizia
ainda o poeta: “eu, que desde os dez anos
de idade faço versos; eu, que tantas vezes
sentira a poesia passar em mim como uma Poema x Poesia
corrente elétrica e afluir aos meus olhos
sob a forma de misteriosas lágrimas de
alegria: não soube no momento forjar já
não digo uma definição racional dessas
que, segundo regra a lógica, devem con-
vir a todo o definido e só ao definido, mas
uma definição puramente empírica, artísti-
ca, literária”.

Como se pode verificar, nem para um


poeta genial como Bandeira foi tarefa fácil
definir, com exatidão, o que vem a ser poe-
sia. Todavia, procuraremos, de forma didá-
tica e sucinta, esclarecer o que é poesia,
bem como alguns conceitos elementares
ligados a ela. Um poema é uma obra literária ge-
ralmente apresentada em versos e estro-
Poesia. É, na realidade, a qualida- fes (ainda que possa existir prosa poéti-
de presente em certas composições cul- ca, assim designada pelo uso de temas
turais, capaz de despertar o sentimento específicos e de figuras de estilo próprias
do belo e provocar o encantamento es- da poesia). Efetivamente, existe uma dife-
tético. A poesia pode estar em um conto, rença entre poesia e poema. Segundo vá-
na cena de um filme, ou de uma teleno- rios autores, poesia é uma obra em verso
vela; nas artes plásticas, como a pintura, com características poéticas, ou seja, en-
a escultura; ou, como reconhecia o poeta quanto o poema é um objeto literário com
Manuel Bandeira, nas ruas. Dizia o poe- existência material concreta, a poesia tem
ta: “Dois automóveis colidem, ou uma um caráter imaterial e transcendente. For-
senhora desmaia, ou um homem é as- temente relacionado com a música, be-
sassinado... Paira no ar certo tumulto leza e arte, o poema tem as suas raízes
emocional, criando uma atmosfera de históricas nas letras de acompanhamen-
poesia. Pois bem, o poeta suscita a to de peças musicais. Até a Idade Média,
mesma coisa, só que mediante apenas os poemas eram cantados. Só depois o
uma colisão de palavras”. texto foi separado do acompanhamen-
to musical. Tal como na música, o ritmo
tem uma grande importância. Um poema
Poema. É o texto composto em ver- também faz parte de um sarau (reuniões
sos (linhas breves) e estrofes, numa opo- em casas particulares para expressar ar-
sição ao texto composto em prosa (linhas tes, canções, poemas, poesias etc.). A
longas), isto é, composto em orações, pe- poesia, ou gênero lírico, é uma das sete
ríodos e parágrafos. Sendo assim, é evi- artes tradicionais, pela qual a linguagem
dente que nem todo poema obrigatoria- humana é utilizada com fins estéticos, ou
mente é ou contém poesia. Assim como a seja, ela retrata algo em que tudo pode
boa prosa de ficção só é boa porque está acontecer dependendo da imaginação do
carregada de poesia. autor como a do leitor. Poesia, segundo

Língua Portuguesa 2 - Aula 1 7 Instituto Universal Brasileiro


o modo de falar comum, quer dizer duas Divisão, contagem e classificação
coisas. A arte, que a ensina, e a obra feita das sílabas métricas
com a arte; a arte é a poesia, a obra poe- As sílabas métricas distinguem-se das
ma, o poeta o artífice. sílabas gramaticais por se constituírem de
WIKIPEDIA, a enciclopédia livre. modo diverso. Enquanto a sílaba métrica
é o conjunto de sons que se destacam niti-
Poesia. Caráter do que emocio- damente na audição, a sílaba gramatical é
na, toca a sensibilidade. Sugerir emo- todo conjunto de sons enunciados de uma só
ções por meio de uma linguagem. vez, quer seja ou não nitidamente perceptível
ao ouvido. Nem sempre o número de sílabas
Poema. Obra em verso em que gramaticais coincide com o número de sílabas
há poesia. métricas.

Exemplo:

Versificação “Recordar é viver o já vivido.”


Versificação é o conjunto de normas
que ensinam a fazer poemas belos e perfei- A contagem das sílabas métricas
tos segundo o conceito dos antigos gregos. é feita unindo-se as sílabas que, na lin-
Para eles, beleza e perfeição são sinônimos guagem falada, se ligam naturalmente.
de trabalhoso, detalhado, complexo e tudo Portanto, é através da leitura que faze-
aquilo que segue a um modelo, a um conjunto mos a contagem de sílabas de um verso.
de normas. A versificação consiste em possi- Observe:
bilitar uma melhor compreensão de como se
constrói um poema, dividindo em partes e de- 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
talhando cada uma delas. “Re/ cor/ da/ ré/ vi/ ve/ ro/ já/ vi/ ví/ (do).”
(10 sílabas)

Aprenda conceitos básicos sobre a


técnica ou a arte de fazer versos
Verso. É cada uma das linhas que com-
põem um poema. Entre muitas das regras que
a versificação impõe, os principais elementos
já citados são: os versos e estrofes (métrica), Separam-se e contam-se as sílabas
estrofes, agradável movimento rítmico (ritmo) de um verso até a última sílaba tônica
e musicalidade (rima). desse verso. Veja neste outro exemplo:

Métrica. É a medida ou quantidade de “Quando a chuva cessava e um vento fino


sílabas poéticas que um verso possui. Metro é franzia a noite tímida e lavada,”...
o nome que se dá à extensão da linha poética.
Pela contagem de sílabas de um verso, pode- 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
mos estabelecer seu padrão métrico e suas Quan/ do a/ chu/ va/ ce/ ssa/ va e um/ ven/ to/ fi/ (no)
unidades rítmicas.
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
Escansão. Divisão e contagem das síla- fran/ zi/ a a/ noi/ te/ tí/ mi/ da e/ la / va/ (da),
bas métricas de um verso.
Não esqueça que só se conta até a
Sílabas métricas. São as unidades de última sílaba tônica (forte).
que se compõe o verso.
Língua Portuguesa 2 - Aula 1 8 Instituto Universal Brasileiro
• Pentassílabo (5). Cinco sílabas; tam-
bém chamado redondilha menor;
• Hexassílabo (6). Seis sílabas;
• Heptassílabo (7). Sete sílabas; tam-
Relembrando a classificação da bém chamado redondilha maior;
sílaba quanto à intensidade • Octossílabo (8). Oito sílabas;
• Eneassílabo (9). Nove sílabas;
Tônica. É a sílaba pronunciada com • Decassílabo (10). Dez sílabas; tam-
maior intensidade de voz, podendo ser bém chamado de heroico;
acentuada ou não. • Hendecassílabo (11). Onze sílabas;
Átona. É a sílaba pronunciada com • Dodecassílabo (12). Doze sílabas;
menor intensidade. também chamado de alexandrino.
Bárbaros são os versos de mais de
Classificação das palavras quanto doze sílabas; menos frequentes.
à posição da sílaba tônica
Exemplo:
De acordo com a posição da sílaba
tônica, os vocábulos da língua portugue- Observe o poema abaixo e você apren-
sa que contêm duas ou mais sílabas são derá o nome de cada verso. Os versos são
classificados em: nomeados de acordo com o número de síla-
• Oxítonos. São aqueles cuja sílaba bas poéticas que apresentam.
tônica é a última. Exemplos: avó, urubu,
parabéns. Sobre a ambição
• Paroxítonos. São aqueles cuja sí-

laba tônica é a penúltima. Exemplos: dó-
De pó
cil, suavemente, banana. Deus o fez.
• Proparoxítonos. São aqueles cuja Mas ele, em vez
sílaba tônica é a antepenúltima. Exem- De se conformar,
plos: máximo, parábola, íntimo. Quis ser sol, e ser mar,
E ser céu...Ser tudo, enfim
Quanto à posição da sílaba tônica, os Mas nada pôde! E foi assim
versos são classificados em: Que se pôs a chorar de furor...
Mas ah! Foi sobre sua própria dor
• Graves. Quando a última palavra Que as lágrimas tristes rolaram. E o pó,
do verso for paroxítona. Molhado, ficou sendo lodo --- e lodo só!
• Agudos. Quando a última palavra Guilherme de Almeida
do verso for oxítona ou um monossílabo
tônico.
• Esdrúxulos. Quando a última pa-
lavra do verso for proparoxítona. Classificação de versos repetidos

Quanto à métrica, ou seja, o número • Antecanto. Quando o verso se repete


de sílabas, o verso pode ser: no início de todas as estrofes de um poema;
• Bordão. Se essa repetição ocorrer
• Monossílabo (1). Apenas uma sílaba; no final;
• Dissílabo (2). Duas sílabas; • Estribilho ou Refrão. Conjunto de ver-
• Trissílabo (3). Três sílabas; sos repetidos no decorrer do poema.
• Tetrassílabo (4). Quatro sílabas; Veja alguns exemplos em letras de
músicas:
Língua Portuguesa 2 - Aula 1 9 Instituto Universal Brasileiro
Antecanto Estribilho

Índios Geração Coca-Cola


Quando nascemos fomos programados
Quem me dera
A receber o que vocês
Ao menos uma vez Nos empurraram com os enlatados
Ter de volta todo o ouro Dos USA, de nove as seis.
Que entreguei a quem
Conseguiu me convencer Desde pequenos nós comemos lixo
Que era prova de amizade Comercial e industrial
Se alguém levasse embora Mas agora chegou nossa vez
Até o que eu não tinha Vamos cuspir de volta o lixo em cima de vocês.

Quem me dera Somos os filhos da revolução


Ao menos uma vez Somos burgueses sem religião
Esquecer que acreditei Somos o futuro da nação
Que era por brincadeira Geração Coca-Cola
Que se cortava sempre
Um pano-de-chão Depois de 20 anos na escola
De linho nobre e pura seda Não é difícil aprender
Todas as manhas do seu jogo sujo
Quem me dera Não é assim que tem que ser
Ao menos uma vez
Explicar o que ninguém Vamos fazer nosso dever de casa
Consegue entender: E aí então vocês vão ver
Que o que aconteceu Suas crianças derrubando reis
Ainda está por vir Fazer comédia no cinema com as suas leis
E o futuro não é mais
Como era antigamente. Somos os filhos da revolução
Somos burgueses sem religião
Renato Russo Somos o futuro da nação
Geração Coca-Cola

Bordão Renato Russo / Fê Lemos

Longe do meu lado


Ritmo melódico
Se a paixão fosse realmente um bálsamo
O mundo não pareceria tão equivocado No verso, vamos encontrar o ritmo me-
Te dou carinho, respeito e um afago lódico. Ritmo é o resultado da regular suces-
Mas entenda, eu não estou apaixonado são de sílabas tônicas e átonas de um verso.
A paixão já passou em minha vida Para os gregos, ele é um elemento melódico
Foi até bom mas ao final deu tudo errado tão essencial para o poema quanto para a
E agora carrego em mim música.
Uma dor triste, um coração cicatrizado
E olha que tentei o meu caminho
Mas tudo agora é coisa do passado Exemplo:
Quero respeito e sempre ter alguém
Que me entenda e sempre fique a meu lado Cavaleiro / das armas escuras
Mas não, não quero estar apaixonado
onde vais / pelas trevas impuras
(...)
Álvares de Azevedo
Não estou mais pronto para lágrimas
Podemos ficar juntos e vivermos o futuro, No poema, as pausas existem não ne-
não o passado
Veja o nosso mundo cessariamente através de sinais de pontua-
Eu também sei que dizem ção, mas as palavras provocam a melodia e,
Que não existe amor errado o ritmo é determinado por elas e pela sequên-
Mas entenda, não quero estar apaixonado cia de sons.
Renato Russo A distribuição das sílabas átonas e tôni-
cas e o tamanho do verso determinam o seu
Língua Portuguesa 2 - Aula 1 10 Instituto Universal Brasileiro
ritmo. E para medi-lo é necessário observar a
No éter; voa em redor; vai e vem; sobe e desce;
quantidade e a intensidade das sílabas. Torna a subir e torna a descer; e ora gira
Contra as correntes do ar; ora incauta, se atira
Os versos que não seguem as Contra o tojo e os sarçais; nas puas lancinantes
Em pedaços faz logo as asas cintilantes;”
normas da versificação quanto à mé-
trica e/ou ao ritmo são chamados de  Raimundo Correia
versos livres.
• Intercaladas ou Opostas. Quando se
encontram em polos opostos, no início e no
Rima final de cada estrofe.
Rima. É uma espécie de combinação so-
nora. Consiste na repetição de sons semelhan- “De repente do riso fez-se o pranto A
Silencioso e branco como a bruma B
tes ao final ou, às vezes, no meio dos versos.
E das bocas unidas fez-se a espuma B
E das mãos espalmadas fez-se o espanto.” A
No soneto de Guilherme de Almeida 
que apresentamos para você, temos:  Vinícius de Moraes.

Fino A • Misturadas ou mistas. As rimas tor-


Lavada B nam-se misturadas quando não obedecem
Calçada B a um esquema fixo. São as rimas que não
Menino A seguem esquematização regular. Os versos
sem rima são também chamados versos
Dizemos, portanto, que as rimas do
brancos.
poema são do tipo ABBA.

Quer aprender a classificar as rimas?

Quanto à disposição nos versos, as ri-


mas podem ser: alternadas; emparelhadas Foneticamente. Uma rima pode ser
ou paralelas; interpoladas ou opostas ou in- perfeita, se houver identidade entre as ter-
tercaladas; e mistas ou misturadas. minações das palavras que rimam (neve/
leve) - ou imperfeita, se houver apenas
• Alternadas. Quando se alternam, duas semelhança (estrela/vela).
a duas, na estrofe. Morfologicamente. A rima é pobre
quando as palavras que rimam perten-
“Que rumor é esse na mata?  A
Por que se alarma a natureza?  B cem à mesma classe gramatical (coração/
Ai...É a motosserra que mata,  A oração), e rica quando as palavras que
Cortando, oxigênio e beleza.”  B rimam pertencem a classes gramaticais
diferentes (arde/covarde).
Carlos Drummond de Andrade.

• Emparelhadas. Quando aparecem, duas


a duas, formando pares.
“Também a borboleta, A
Mal rompe a ninfa, o estojo abrindo, ávida e inquieta, A
As antenas agita, ensaia o voo, adeja; B Os poetas parnasianos achavam
O finíssimo pó das asas espaneja; B que alguns princípios adotados pelos
Pouco habituada à luz, a luz logo a embriaga; C
Boia do sol na morna e rutilante vaga; C
românticos (linguagem simples, empre-
Em grandes doses bebe o azul; tonta, espairece go da sintaxe e vocabulário brasileiros,

Língua Portuguesa 2 - Aula 1 11 Instituto Universal Brasileiro


sentimentalismo etc.) esconderam as ver- Que de muito perder, tudo foi perdido.-
dadeiras qualidades da poesia. Então, Não vejo mais surpresa nas surpresas -
propuseram uma literatura mais obje- E nem sofrer sei mais, por mor desgraça.”
tiva, com um vocabulário elaborado e Mário de Andrade
culto (às vezes, incompreensível por ser
tão culto), racionalista e voltada para te-
mas universais. São características do
Parnasianismo a forma perfeita (preocu- Você sabe o que são poesias
pação formal), a habilidade na criação dos de forma fixa?
versos, a rima rica. São composições poéticas que obede-
cem a uma determinada combinação de es-
trofes, de ritmo e de rima. Há várias formas
Classificação das estrofes fixas de poemas e a principal é o soneto,
Estrofe é a reunião de versos seme- poesia lírica de 14 versos, distribuídos em
lhantes na forma e quase sempre no número dois quartetos e dois tercetos.
de sílabas. Conforme o número de versos, a Alguns poemas apresentam forma
estrofe recebe os seguintes nomes: fixa, o que já indica a preocupação for-
mal do poeta em relação à sua obra; as-
• Monóstico. Estrofe de apenas um verso. sim, ele segue à risca as normas da ver-
• Dístico ou parelha. Estrofe de dois versos. sificação no momento da sua elaboração.
• Terceto. Estrofe de três versos. São eles:
• Quarteto ou quadra. Estrofe de quatro
versos. • Soneto. Poema formado por dois
• Quintilha. Estrofe de cinco versos. quartetos e dois tercetos, geralmente com-
• Sextilha. Estrofe de seis versos. posto por versos decassílabos e de con-
• Septilha ou Sétima. Estrofe de sete teúdo lírico;
versos.
• Oitava. Estrofe de oito versos. • Balada. Poema formado por três
• Nona. Estrofe de nove versos. oitavas e uma quadra;
• Décima. Estrofe de dez versos.
• Rondel. Poema formado por duas
Veja alguns exemplos: quadras e uma quintilha;

Dístico • Rondó. Poema com estrofação


uniforme de quadras;
“Dou-lhe tudo do que como
e ela me exige o último gomo.
• Sextina. Poema formado por seis
Dou-lhe a roupa com que me visto sextilhas e um terceto;
e ela me interroga: só isto?
• Indriso. Poema formado por dois
Se ela me fere num espinho,
tercetos e dois monósticos;
o meu sangue é que é o seu vinho.”
Cassiano Ricardo • Trova. Poema monostrófico de
quatro versos heptassilábicos;
Terceto
“E foi tal o chorar por mim vertido, • Haicai. Poema monostrófico com
E tais as dores, tantas as tristezas três versos: dois pentassilábicos e um
que me arrancou do peito vossa graça, heptassilábico (o segundo).

Língua Portuguesa 2 - Aula 1 12 Instituto Universal Brasileiro


Exemplos de poemas em forma fixa

Os textos abaixo foram escritos por poe-


tas que viveram em tempos muito diferentes,
mas tratam da mesma temática e apresentam
Qual a diferença entre poema, a mesma forma fixa: 14 versos, divididos em
poesia e soneto? dois quartetos e dois tercetos, que caracteriza
um soneto. Leia:
A palavra poesia, que vem do grego
poiesis, no sentido etimológico pode ser tra- Amor é fogo que arde sem se ver
duzida como a atividade de produção artísti-
ca ou a de criar ou fazer. Portanto, de acordo Amor é fogo que arde sem se ver;
com o significado, a poesia pode não estar É ferida que dói e não se sente;
só no poema, mas também em paisagens e É um contentamento descontente;
objetos. Trata-se, enfim, de uma definição É dor que desatina sem doer;
mais ampla, que abrange outras formas de
expressão, além da escrita. É um não querer mais que bem querer;
Poema também significa uma obra É solitário andar por entre a gente;
de poesia, mas que usa palavras como É nunca contentar-se de contente;
É cuidar que se ganha em se perder;
matéria-prima. Na prática, porém, conven-
cionou-se dizer que tanto o poema quanto É querer estar preso por vontade;
a poesia são textos feitos em versos, que É servir a quem vence, o vencedor;
são as linhas que constituem uma obra É ter com quem nos mata lealdade.
desse gênero.
O soneto é um poema de forma Mas como causar pode seu favor
fixa. É constituído de 14 versos distribuí- Nos corações humanos amizade,
dos em quatro estrofes: as duas primei- Se tão contrário a si é o mesmo Amor?
ras se constituem de quatro versos cada Luís de Camões
uma, os quartetos; e as duas últimas de
três versos cada uma, os tercetos. Todos
eles têm dez sílabas poéticas, classifi- Soneto do amor total
cando-se como decassílabos. Os sonetos
costumam ter uma estrutura semelhante. Amo-te tanto, meu amor... não cante
O texto começa com uma introdução, que O humano coração com mais verdade...
apresenta o tema, seguida de um desen- Amo-te como amigo e como amante
volvimento das ideias e termina com uma Numa sempre diversa realidade
conclusão, que aparece no último terceto.
Essa é, em geral, a estrofe decodificado- Amo-te afim, de um calmo amor prestante
ra de seu significado. Portanto, sonetos E te amo além, presente na saudade
Amo-te, enfim, com grande liberdade
são composições poéticas que obede-
Dentro da eternidade e a cada instante
cem a uma determinada combinação de
estrofes, de ritmo e de rima. A principal Amo-te como um bicho, simplesmente
forma fixa é o soneto, poesia lírica de 14 De um amor sem mistério e sem virtude
versos, distribuídos em dois quartetos e Com um desejo maciço e permanente
dois tercetos.
E de te amar assim, muito e amiúde
Editado por Bruna Nicolielo (novaescola@fvc.org.br).
Texto adaptado.
É que um dia em teu corpo de repente
Disponível em: http://revistaescola.abril.com.br/funda- Hei de morrer de amar mais do que pude
mental-2/qual-diferenca-poema-poesia-soneto-670485.
shtml). Acesso em: 10.02.2014. Vinícius de Moraes

Língua Portuguesa 2 - Aula 1 13 Instituto Universal Brasileiro


• Versos com mais de doze síla-
bas são chamados de bárbaros.

A construção do texto Ritmo. É a sucessão de tempos for-


em verso tes e fracos que se alternam com interva-
los regulares. No verso, o ritmo é formado
Verso. É o nome que se dá a cada pela sucessão de unidades rítmicas resul-
uma das linhas que constituem um poema. tantes da alternância entre sílabas acen-
Os versos são nomeados de acordo com o tuadas (fortes) e não acentuadas (fracas);
número de sílabas poéticas que apresen- ou entre sílabas construídas por vogais
tam. O verso apresenta quatro elementos longas e breves.
principais: metro, ritmo, melodia e rima.
Melodia. É a sequência de notas (no
Métrica. É o sistema para criação caso da poesia, de sons) que, apresen-
de versos medidos para a distribuição tando organização rítmica com sentido
das silabas poéticas nos versos. A conta- musical, se relacionam reciprocamente,
gem das silabas poéticas recebe o nome de modo a formar um todo harmônico,
de escansão. Contam-se as sílabas poé- uma linha melódica.
ticas até a última sílaba tônica da última
palavra do verso. Rima. É uma espécie de combi-
Metro. O nome que se dá à exten- nação sonora. Consiste na repetição de
são da linha poética. Pela contagem de sons semelhantes ao final ou, às vezes,
sílabas de um verso, podemos estabele- no meio dos versos. Quanto à disposição
cer seu padrão métrico e suas unidades nos versos, elas podem ser: alternadas
rítmicas. ou cruzadas, emparelhadas ou paralelas,
intercaladas ou interpoladas e mistas ou
Conceitos importantes misturadas.
• Os versos que não apresen- • Alternadas. Quando se alter-
tam rimas são chamados de versos nam, duas a duas, na estrofe.
livres ou brancos; • Emparelhadas. Quando apa-
• Alguns versos possuem no- recem, duas a duas, formando pares.
mes especiais; os de cinco sílabas • Intercaladas. Quando se en-
poéticas são também chamados de contram em polos opostos, no início e
redondilhas menores; os de sete si- no final de cada estrofe.
labas são chamados de redondilhas • Misturadas ou mistas. Quando
maiores; não obedecem a um esquema fixo e
• Tanto os versos quanto as ri- aparecem de forma aleatória.
mas, quanto à posição da sílaba tô-
nica, podem ser classificados como
graves, agudos ou esdrúxulos. Soneto é um poema de forma fixa.
• Os versos de dez sílabas clas- É constituído de 14 versos distribuídos
sificam-se em heroicos (6ª a 10ª sí- em quatro estrofes: as duas primeiras se
labas mais fortes) e sáficos (8ª e 10ª constituem de quatro versos cada uma,
sílabas mais fortes); os quartetos; e as duas últimas de três
• Os versos dodecassílabos são versos cada uma, os tercetos. Todos eles
também chamados de alexandrinos. têm dez sílabas poéticas, classificando-
se como decassílabos.

Língua Portuguesa 2 - Aula 1 14 Instituto Universal Brasileiro


3. Leia atentamente a estrofe:
“Se as coisas são inatingíveis... ora!
Não é motivo para não querê-las...
Que tristes os caminhos, se não fora
A presença distante das estrelas!”
1. Releia o Soneto da fidelidade de Vi-
Mário Quintana
nícius de Moraes e assinale a única alternati-
va incorreta. A rima é um dos recursos mais utilizados
na poesia. De acordo com a disposição das
Soneto da fidelidade palavras de sons parecidos, Mário Quintana
De tudo, ao meu amor serei atento empregou neste poema rimas:
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto a) ( ) alternadas.
Dele se encante mais meu pensamento. b) ( ) emparelhadas.
c) ( ) opostas ou cruzadas.
Quero vivê-lo em cada vão momento
d) ( ) igualadas.
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento. 4. Leia a estrofe:

E assim, quando mais tarde me procure “Eu cantarei de amor tão fortemente,
Quem sabe a morte, angústia de quem vive Com tal celeuma e com tamanhos brados,
Quem sabe a solidão, fim de quem ama Que afinal teus ouvidos, dominados,
Hão de à força escutar quanto eu sustente.”
Eu possa me dizer do amor (que tive): Vicente de Carvalho
que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure. Nesta estrofe, a rima formada pelas pa-
lavras fortemente e sustente apresenta clas-
a) ( ) Verso é cada linha do poema. ses gramaticais diferentes. Fortemente é ad-
Desse modo podemos afirmar que o Sone- vérbio e sustente é verbo. Esta rima pode ser
to da fidelidade (Vinícius de Moraes) acima considerada:
possui 14 versos.
b) ( ) Estrofe é cada agrupamento de a) ( ) rica e imperfeita.
versos que o poema apresenta. Podemos, en- b) ( ) pobre e imperfeita.
tão, afirmar que Soneto da Fidelidade possui c) ( ) rica e perfeita.
4 estrofes de 4 ou 3 versos. d) ( ) pobre e perfeita.
c) ( ) As estrofes são classificadas de
acordo com o número de versos que apresen- 5. Classifique a estrofe abaixo, do poe-
tam. O soneto inicia e termina com a apresen- ma Momento num café (Manuel Bandeira)
tação de um quarteto. de acordo com o número de versos.
d) ( ) Soneto é um poema de forma fixa,
em que as duas primeiras estrofes são quarte- “Quando o enterro passou
Os homens que se achavam no café
tos e as duas últimas estrofes, tercetos.
Tiraram o chapéu maquinalmente
Saudavam o morto distraídos
2. Realizando a escansão dos versos Estavam todos voltados para a vida
do Soneto da fidelidade (Vinícius de Moraes) Absortos na vida,
descobrimos que eles apresentam: Confiantes na vida”

a) ( ) 7 sílabas poéticas. a) ( ) Sextilha


b) ( ) 8 sílabas poéticas. b) ( ) Septeto
c) ( ) 9 sílabas poéticas. c) ( ) Terceto
d) ( ) 10 sílabas poéticas. d) ( ) Quarteto
Língua Portuguesa 2 - Aula 1 15 Instituto Universal Brasileiro
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
Quem/ sa/ be a/ mor/ te, an/ gús/ tia/ de/ quem/ vi/ (ve)

Lembre-se de que métrica é o sistema para


criação de versos medidos, para a distribuição das
1. c) ( x ) As estrofes são classificadas sílabas poéticas nos versos. A contagem das sílabas
de acordo com o número de versos que apre- poéticas recebe o nome de escansão. Contam-se
sentam. O soneto inicia e termina com a apre- as sílabas poéticas até a última silaba tônica (forte)
sentação de um quarteto. da última palavra do verso. A sílaba tônica da pa-
lavra vive, é vi, pois a palavra é paroxítona: portanto,
Comentário. A alternativa c é a única vi é a última sílaba forte do verso (a palavra paroxí-
incorreta, pois o soneto apresenta dois quar- tona tem a penúltima sílaba forte).
tetos (estrofes de 4 versos) somente nas duas
primeiras estrofes. Relembre: verso é real- 3. a) ( x ) alternadas.
mente cada linha do poema. Desse modo, po-
demos afirmar que o poema em questão possui Comentário. Mário Quintana empregou
14 versos, distribuídos em 4 estrofes, com ver- neste poema rimas alternadas. Rima é uma es-
sos num esquema 4 + 4 + 3 + 3. Estrofe é cada pécie de combinação sonora. Consiste na repeti-
agrupamento de versos que o poema apresen- ção de sons semelhantes ao final ou, às vezes, no
ta. Podemos, então, afirmar que o soneto pos- meio dos versos. Quanto à colocação, as rimas do
sui dois quartetos e dois tercetos. As duas últi- quarteto classificam-se como alternadas. Veja:
mas estrofes possuem cada uma 3 versos, por
... ora A
isso são chamadas tercetos. O poema analisa-
... querê-las B
do possui forma fixa denominada soneto que
... fora A
se inicia com um quarteto e termina com um ... estrelas!” B
terceto.
Lembre-se de que as rimas chamam-se alter-
Soneto da fidelidade nadas quando se alternam, duas a duas, na estrofe.
De tudo, ao meu amor serei atento (1)
4. c) ( x ) rica e perfeita.
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto (2)
Que mesmo em face do maior encanto (3)
Dele se encante mais meu pensamento. (4) Quarteto Comentário. A alternativa correta é a c.
Uma rima pode ser considerada perfeita se hou-
Quero vivê-lo em cada vão momento (1) ver identidade entre as terminações das palavras
E em seu louvor hei de espalhar meu canto (2) que rimam (fortemente e sustente). Uma rima é
E rir meu riso e derramar meu pranto (3) rica quando as palavras que rimam pertencem
Ao seu pesar ou seu contentamento. (4) Quarteto a classes gramaticais diferentes, como explica o
enunciado da questão: fortemente (advérbio) e
E assim, quando mais tarde me procure (1)
sustente (verbo).
Quem sabe a morte, angústia de quem vive (2)
Quem sabe a solidão, fim de quem ama (3) Terceto
5. b) ( x ) Septeto
Eu possa me dizer do amor (que tive): (1)
que não seja imortal, posto que é chama (2) Comentário. Contando-se cada linha da
Mas que seja infinito enquanto dure. (3) Terceto estrofe apresentada, determinamos 7 versos. A
estrofe com esse número de versos classifica-se
como septeto.
2. d) ( x ) 10 sílabas poéticas.
“Quando o enterro passou (1)
Os homens que se achavam no café (2)
Comentário. Realizando a escansão dos
Tiraram o chapéu maquinalmente (3)
versos, descobrimos que eles apresentam 10 sí-
Saudavam o morto distraídos (4)
labas poéticas. No soneto todos os versos dos
Estavam todos voltados para a vida (5)
quartetos e dos tercetos apresentam o mesmo
Absortos na vida, (6)
número de sílabas. Veja o exemplo de um verso
Confiantes na vida” (7) linhas = (7) versos
padrão.

Língua Portuguesa 2 - Aula 1 16 Instituto Universal Brasileiro