Você está na página 1de 9

Lei Ohm

A LEI DE OHM aplica-se a circuitos puramente resistivos.


Indica a diferença de potencial (V) entre dois pontos de um condutor, é proporcional à corrente elétrica (I)
que o percorre:

A formulação da lei de ohm deve-se à investigação do físico alemão Georg Simon Ohm em 1827

Formula Matemática da Lei de Ohm


V= RI

 V Diferença de potencial elétrico (ou tensão, ou "voltagem") medida em Volt (V)


 R Resistência elétrica do circuito medida em Ohm(Ω)
 I Intensidade da corrente elétrica medida em Ampere(A).

Fórmulas da lei de ohm em função da grandeza

Para calcular a Resistência, (R)


[R = V ÷ I] → R(Ω) = V(volt) ÷ I(ampere)
Para calcular a Tensão, (V)

1
[V = I x R] → V(volt) = I(ampere) x R(Ω)
Para calcular a corrente, (I)
[I = V ÷ R] → I(ampere) = V(volt) ÷ R(Ω)

Potência Elétrica
A corrente elétrica ao passar pelo resistência provoca o seu aquecimento (efeito de Joule). O aquecimento
resulta da transformação da energia da fonte em energia térmica. A transformação da energia elétrica em
térmica denomina-se potência dissipada.
Temos por isso que

P= VI
onde:

 P Potência em Watt (W)


 V Tensão ou diferença de potencial em Volt (V)
 I Intensidade de corrente em Ampere (A).

Para encontrar a potência (P)(watt)

[ P = V x I ] → P (watt) = V (volt) x I (ampere)


[ P = V2 ÷ R ] → P (watt) = V2 (volt) ÷ R (Ω)
[ P = I2 x R ] → P (watt) = I2 (ampere) x R (Ω)

Relação entre Tensão e Corrente


A razão entre a tensão (V) e a corrente (I) que passa por uma condutor, designa-se por resistência,
quantifica a maior ou menor facilidade que a corrente elétrica tem ao percorrer o condutor.
1Ω (OHM) é o valor da resistência que um condutor apresenta quando percorrido por uma tensão de 1V
(volt) com uma intensidade de corrente de 1A (Ampere).

Em 1827, Georg Simon Ohm, observa que a resistência elétrica(R) de um determinado material ao receber
uma diferença de potencial(V) é constante à passagem da corrente elétrica(I). As experiências com diversos
materiais, comprimentos e espessuras possibilitaram a formulação da Segunda Lei de Ohm ou
Resistividade.

Relação tensão/corrente

Lei de ohm, exemplo de aplicação

Para o circuito em baixo encontrar a corrente (I), a tensão (V), a resistência (R) e a potência (P)
2
Usando os valores de apenas duas grandezas:

Tensão [ V = IxR ] = 2 x 6Ω = 12V


Corrente [ I = V÷R ] = 12 ÷ 6Ω = 2A
Resistência [ R = V÷I ] = 12 ÷ 2 = 6Ω
Potência [ P = VxI ] = 12 x 2 = 24W

Calculador para a lei de OHM


Volts (V) Amps (I) Ohms (R) Watts (P)

Representação da Tensão U ou V
É de utilização comum o U em vez de V como referência para a tensão. Existem várias justificações para a
utilização do U e não o V, a primeira porque evita a confusão com volt, assim temos V = 2V o que pode
confundir, usa-se assim U=2V. Para além disso, a velocidade já é representada pela letra V. Uma outra
justificação é a de que, em alemão, Unterschied significa diferença relacionando assim com "diferença no
número de eletrões entre dois locais". Na Europa é mais comum a utilização do U estando certas ambas as
representações.

Tensão ou Voltagem?

O termo Voltagem começa a aparecer em alguns dicionários de português por tradução direta do termo em
inglês Voltage, no entanto, o termo correto que designa a diferença de potencial entre dois pontos(DDP) é
tensão ou tensão elétrica. Alguns professores entendem que existe um erro na utilização do termo voltagem
usando uma expressão similar qual a voltagem? e qual a metragem? o mesmo se aplica a "amperagem".

Condutores Óhmicos

A - Condutor óhmico;
B e C - Condutores não óhmicos.

Denominam-se condutores óhmicos ou lineares (A)os condutores cuja resistência elétrica tem sempre o
mesmo valor qualquer que seja o circuito elétrico onde estão instalados, não dependem da intensidade da
corrente e da diferença de potencial(tensão)(U).

3
Nos condutores óhmicos o quociente da tensão(U) pela intensidade da corrente é constante, ou seja, a d.d.p
(U) e a intensidade da corrente (I) são diretamente proporcionais.

Os condutores que não obedecem à lei de Ohm chamam-se condutores não óhmicos ou não lineares (B-
C). Para um condutor não óhmico a diferença de potencial nos seus terminais não é directamente
proporcional à intensidade de corrente que o percorre, embora a sua resistência se continue a calcular pelo
quociente V/I (este valor já não é uma constante!). Agora a resistência do condutor depende de I (ou de V).

Resistividade
Também designada como Resistência Específica ou Resistividade
Volumétrica define a oposição ao fluxo de eletrões através de um material.

Resistividade: Um condutor tem uma resistência que varia em função do


material, da temperatura, do seu comprimento e da área da sua secção
transversal. Assim, quanto menor a resistividade menor será a resistência
elétrica do material.

Esta relação não é geral, é válida apenas para materiais uniformes e


isotrópicos com secções transversais também uniformes. A temperatura
influência a Resistência Específica dos materiais, normalmente os valores de
resistividade são apresentados para temperaturas de 20ºC.

Em função da sua resistência elétrica, um determinado tipo de material pode


ser considerado:

 Condutor: Material que conduz facilmente a corrente elétrica, denomina-se


condutor. Pode ser metálico ou não metálico. Tem uma resistividade baixa.
Estão incluídos nesta categoria o cobre, ouro, prata, alumínio etc.
 Isolador: Material que resiste fortemente ao fluxo da corrente, denomina-se
isolador. Tem uma resistividade alta. Estão incluídos nesta categoria o vidro,
madeira, plástico, borracha etc.

A medida da oposição de um material ao fluxo de corrente elétrica é dado pela


seguinte formula:

ρ é a resistividade ou resistência específica (Ωm);


E é a amplitude do campo elétrico (V/m);
J é a densidade de corrente (A/m2)

Resistividade

Dimensões

4
2ª Lei de Ohm ou Resistividade
Supondo que um material com 1m x 1m x 1m tem 1Ω de resistência, a sua
resistividade será 1Ωm. Usar materiais com um metro quadrado de secção
transversal para efetuar verificação não seria viável, por isso, faz-se a
verificação da resistência elétrica com 1 metro de comprimento e 1mm2 de
área na secção transversal e a sua representação será
em (Ωmm2m), 1Ωm será igual a R(10-6m2/1m), no entanto, em muitos cálculos
para evitar confusão na área da secção do material(condutor ou não), usa-se
o Ωmm2m.

A resistência elétrica de um material pode ser calculado pela (2ª Lei de Ohm):

Fórmula matemática 2ª lei de ohm

R=ρL/S
R: Resistência em Ω
S: Área da Secção Transversal em m2
ρ: Resistência especifica em Ωm
L: Comprimento em m(metro)

Como obter a área de um condutor circular?

A área (S) é calculada pela fórmula S=π r2


π=3.14151
r=raio

Comprimento e área do material

Resistividade

Comprimento: A resistência é tanto maior quanto maior for o comprimento.


Secção: A resistência é tanto menor quanto maior for o secção.
5
Resistência em função do tipo de material

Os materiais mais comuns têm os seguintes valores de resistividade.

Resistividade
Material
Ωmm2m

Prata 0,016

Cobre 0,017

Zinco 0,061

Alumínio 0,030

Ferro doce 0,130

Mercúrio 0,950

Carvão 60
*
 Temperatura 20ºC

Resistência em função do tipo de material

Isoladores:
Têm uma resistividade entre 107 e 1023 Ωm.
Condutores:
Têm uma resistividade entre 10-8 e 10-6 Ωm.
Semicondutores:
A resistência diminui quando a temperatura aumenta.
Metais:
A resistência aumenta quando a temperatura aumenta.

Relação entre resistência e temperatura


A resistência elétrica de um condutor depende do tipo de material e da
mobilidade das partículas em seu interior. Na maior parte dos materiais o
aumento da temperatura significa maior resistência elétrica. Acontece porque,
com o aumento da temperatura, existe um aumento da agitação das partículas
que constituem o material, aumentando as colisões entre as partículas e os
eletrões livres no interior do condutor.

No caso metais e suas ligas é necessário um grande aumento na temperatura


para que se note uma variação mínima na resistência elétrica. Conclui-se,
então, que em um condutor, a variação na resistência elétrica relacionada ao
aumento de temperatura depende diretamente da variação de resistividade
elétrica própria do material com o qual o condutor é fabricado. Assim, uma vez

6
conhecida a resistividade do material do condutor a uma determinada
temperatura, é possível determinar seu novo valor em uma nova temperatura.

ρf=ρ0.(1+α. ΔΘ)

 ρf:(Ωmm2m) resistividade do material (temperatura final);


 ρ0:(Ωmm2m)resistividade do material (temperatura ambiente 20°C);
 α: coeficiente de temperatura do material (dado de tabela);
 ΔΘ: (°C)Variação de temperatura (temperatura final - temperatura inicial).

Resistividade, condutividade e coeficiente térmico dos principais condutores

A tabela seguinte mostra o valor do coeficiente de temperatura que


corresponde à variação da resistência elétrica que o condutor do referido
material, com resistência de 1 Ω, tem quando a temperatura varia 1°C.

Condutividade Elétrica

Condutividade

A Condutividade é recíproca à Resistividade, quanto mais elevado o valor da


resistividade, menor será a condutividade.

 σ-Condutividade eléctrica em Siemens


 ρ-Resistividade em Ωm

Supercondutividade
A supercondutividade carateriza-se pela ausência de resistência elétrica,
consegue-se obter a temperaturas próximas do zero absoluto(-273,15 °C). Em
2017, já se obteve materiais supercondutores a temperaturas muito acima do
zero absoluto mas, mesmo assim, muito longe de temperaturas úteis de
funcionamento. É, neste momento, o "Santo Graal" da física, conseguir
"condutores" com resistência nula à temperatura ambiente, permitiria criar
dispositivos a funcionar a elevadíssimas velocidades e com perdas muito
reduzidas.

7
Supercondutividade

Quando a temperatura é menor que Tc, nos supercondutores, não existe


resistência, a resistividade é zero. Nos condutores convencionais, embora a
resistência baixe com a temperatura, nunca é zero.

RESISTIVIDADE CONDUTIVIDADE RESISTÊNCIA/TEMPERATURA

Exemplos:

A resistividade é muito útil para o calculo das perdas nos fios condutores.

1. Qual a resistência de um fio condutor em cobre com 200 metros e 1 mm2 de


área na secção?
R = ρ L/S
R= 0,017 * 200 / 1 = 3,4
a resistência é igual a 3,4Ω

2.Um fio condutor de cobre unifilar tem 1 Km de comprimento e um raio de


2cm, qual a resistência aproximada do condutor?

Comprimento e raio do condutor


-Primeiro calculamos a área(secção)do condutor, S=π r2, convertemos para mm2,
S=3.1415 x 202= 1256,6mm2.
-Como usamos a área em mm2, convertemos a resistividade do cobre para Ωmm2m e o
comprimento em Km para metros.
-O cobre tem uma resistividade de 0,017Ωmm2m.
-O valor R = ρ L/S será R=0,017 x 1000 / 1256,6 = 0,0135 Ω.
8
Nota1: Para efeitos de cálculo usar, uma vez que a área dos condutores já está,
normalmente, em mm2 a resistividade em (Ωmm2m). Nota2: Para converter Ωm em
Ωmm2m, multiplica-se Ωm por 1000000 que é a razão da conversão(1m 2 para mm2). A
resistividade do Cobre 1,7 x 10-8=0,000000017 Ωm = 0,017 Ωmm2m. Erros nesta
conversão geram muitos erros práticos.

Referências:
1. Electrical Installation Work, Level - pp.103 Peter Roberts,Mark Baker 2015.
2. Resistividade, condutividade e coef. térmico dos condutores - elaborada por Prof. Carlos Viana, 1°. Ano
Engenharia FAENG.
3. Circuitos elétricos pp. 26 - Robert A. Bartkowiak, Universidade do Estado da Pensilvânia, 1995.

Você também pode gostar