Você está na página 1de 4

PLANO DE ENSINO

Data de Emissão: 05/03/2020

Instituto de Artes
Departamento de Música

Dados de identificação
Disciplina: MÚSICA POPULAR DO BRASIL I
Período Letivo: 2020/1 Período de Início de Validade: 2020/1
Professor Responsável pelo Plano de Ensino: LUCIANA PRASS
Sigla: ART03897 Créditos: 3

Carga Horária: 45h CH Autônoma: 5h CH Coletiva: 40h CH Individual: 0h

Súmula
Estudo dos aspectos históricos, sócio-culturais e estéticos da música popular do Brasil, das suas origens até os movimentos do início
do século vinte.

Currículos
Currículos Etapa Aconselhada Natureza
BACHARELADO EM MÚSICA - HAB.MÚSICA POPULAR 1 Obrigatória
LICENCIATURA EM DANÇA Eletiva
BACHARELADO EM HISTÓRIA DA ARTE - NOTURNO Eletiva
DIREÇÃO TEATRAL Eletiva
INTERPRETAÇÃO TEATRAL Eletiva
LICENCIATURA EM TEATRO Eletiva
ESCRITA DRAMATÚRGICA Eletiva
BACHARELADO EM MÚSICA - HAB.CANTO Eletiva
BACHARELADO EM MÚSICA - HAB.COMPOSIÇÃO Eletiva
BACHARELADO EM MÚSICA - HAB.CORDAS OU SOPROS Eletiva
BACHARELADO EM MÚSICA - HAB.REGÊNCIA CORAL Eletiva
BACHARELADO EM MÚSICA - HAB.TECLADO Eletiva
LICENCIATURA EM MÚSICA Eletiva

Objetivos
Oportunizar ao aluno vivências musicais que lhe permitam reconstruir a História da Música Popular no Brasil, apresentando marcos
teóricos que lhe propiciem as referências sócio-culturais pertinentes a cada período histórico. Estabelecer critérios para a
discriminação de estilos musicais populares de diferentes regiões brasileiras e de períodos históricos distintos. Analisar composições
e autorias de obras musicais confrontando diversos compositores. Somam-se a estes objetivos específicos da área da música,
outros, mais amplos, como perceber e refletir sobre marcadores como raça, gênero e etnia relacionam-se profundamente com as
práticas musicais.

Conteúdo Programático
Semana: 1
Título: Introdução ao componente curricular.
Conteúdo: A superação da dicotomia popular x erudito. A constituição de um paradigma para o estudo da música popular. Organização do
semestre. Cartografia sonora da turma.
Semana: 2
Título: Um paradigma para o estudo da Música Popular.
Conteúdo: A constituição de um paradigma para o estudo da música popular (Lucas; González; Prass; Turino). Discussão a partir de exemplos
musicais.
Atividade de composição em grupos.
Semana: 3
Título: Primórdios da música no Brasil.
Conteúdo: Panorama musical brasileiro da chegada dos portugueses no Brasil a meados do século XVIII. Musicalidades ameríndias, africanas e

Página 1
PLANO DE ENSINO
Data de Emissão: 05/03/2020

afro-brasileiras. Gêneros estrangeiros, sua influência e transformações no Brasil.


Semana: 4
Título: Panorama musical da música brasileira no séc. XIX
Conteúdo: Panorama musical da música brasileira no séc. XIX. A modinha, o lundu e o início do choro.
Semana: 5
Título: O choro no Rio de Janeiro
Conteúdo: O início do século XX e o desenvolvimento do choro. Personagens principais: Antônio Callado, Chiquinha Gonzaga, Ernesto Nazareth,
Pixinguinha. O choro em Porto Alegre: Otávio Dutra e o grupo Terror dos Facões. O choro e a música erudita: João Pernambuco e
Villa-Lobos.
Semana: 6
Título: O choro em Porto Alegre
Conteúdo: O choro em Porto Alegre: O Terror dos Facões (Faria, Souza).
Desdobramentos contemporâneos do choro.
Semana: 7 a 8
Título: O samba e as escolas de samba
Conteúdo: A "invenção" do samba. O "samba de sambar" e as escolas de samba. A "Época de Ouro" do samba - personagens principais: Sinhô,
Carmen Miranda, Ari Barroso e Noel Rosa. Lamartine Babo e as marchinhas de carnaval. A era do rádio e os arranjadores:
Pixinguinha e Radamés Gnattalli. Desdobramentos do samba - personagens principais: Garoto, Jacob do Bandolim, Orlando Silva,
Dorival Caymmi, Adoniran Barbosa, Benedito Lacerda, Lupicínio Rodrigues e Cartola.
Semana: 9
Título: A Era do Rádio no Brasil e os arranjadores
Conteúdo: A era do rádio e os arranjadores: Tasso Bangel (RS) Pixinguinha e Radamés Gnattalli (RJ).
Semana: 10
Título: Os primeiros registros em disco no Brasil
Conteúdo: A Casa Edson e a Casa A Elétrica: primeiras gravadoras do Brasil.
Semana: 11 a 12
Título: Atividades autônomas
Conteúdo: Nesse período os alunos devem realizar atividades autônomas para avaliação, dentre as quais: 1) Coletivamente: elaborar de um
resumo sobre o personagem selecionado para estudo no semestre; 2) Coletivamente: Preparar uma performance com repertório
relativo o personagem selecionado para estudo no semestre; 3) Individualmente: Elaboração de uma resenha de algum dos livros
indicados na bibliografia do semestre.
Semana: 13 a 16
Título: Apresentação de trabalhos - avaliação
Conteúdo: 1929-1945: A época de Ouro!
Apresentação de trabalhos: Ari Barroso, Carmen Miranda e Noel Rosa.

A vitalidade do choro!
Apresentação de trabalhos: Clementina de Jesus, Carolina Cardoso de Menezes e Plauto Cruz.

Regionalismos!
Apresentação de trabalhos: Lupicínio Rodrigues, Zilah Machado e Luiz Gonzaga.
Semana: 17
Título: Revisão do semestre
Conteúdo: Amarrações, retomada das discussões do semestre.
Semana: 18
Título: Avaliação final
Conteúdo: Atividade de avaliação dos conteúdos desenvolvidos e estudados no semestre, incluindo escuta a análise de repertórios, bem como,
escrita de uma auto-avaliação e avaliação da disciplina.
Semana: 19

Página 2
PLANO DE ENSINO
Data de Emissão: 05/03/2020

Título: Atividade de recuperação


Conteúdo: Desenvolvimento de nova avaliação escrita em caso de não-aprovação da anterior e/ou extensão de prazo para entrega de resenha e
de outros trabalhos eventualmente não realizados nos prazos anteriores previstos no cronograma da disciplina.

Metodologia
A metodologia da disciplina baseia-se em discussões e trabalhos em grande grupo, em grupos menores e individuais. Audições
musicais e projeções de vídeos e DVDs fazem parte do desenvolvimento do componente curricular, bem como seminários sobre os
compositores relativos aos períodos e movimentos estéticos estudados. Execução musical pelos alunos das obras dos autores
estudados. Atividades extra-classe como trabalhos de campo, ida a shows ou seminários são previstos como qualificação às
atividades de sala de aula.

Carga Horária
Teórica: 35
Prática: 10

Experiências de Aprendizagem
Aulas teórico-expositivas acerca dos conteúdos programáticos, incluindo audição, discussão e análise do repertório relativo aos
diferentes momentos históricos. Leitura e discussão da bibliografia indicada. Participação em aula, através de discussões em
pequeno e grande grupo, bem como de apresentações de trabalhos. Performance musical dos repertórios relativos aos períodos
estudados.

Critérios de avaliação
A avaliação é entendida como um processo constante, participativo e emancipador. Os meios para a avaliação serão a participação
e a freqüência às aulas, a realização, apresentação e entrega dos trabalhos propostos nas datas previstas e o desempenho em
diferentes momentos de avaliação, incluindo um trabalho final desenvolvido durante todo o semestre e entregue ao final do mesmo.
Conceitos: A - Conceito Ótimo (entre 9,0 e 10,0); B - Conceito Bom (entre 8,0 e 8,9); C - Conceito Regular (entre 7,0 e 7, 9); D -
Conceito Insatisfatório (abaixo da média); FF: Falta de Frequência.

Atividades de Recuperação Previstas


Aos alunos que não conseguirem atingir os objetivos da disciplina no tempo previsto será oferecida uma aula extra, para que
trabalhos já entregues mas com solicitações de correções possam ser re-encaminhados e para que exercícios eventualmente não
realizados possam então ser entregues.

Prazo para Divulgação dos Resultados das Avaliações


As avaliações intermediárias serão divulgadas no prazo de até duas semanas após a sua realização. No caso da avaliação final, o
retorno deverá ser em no máximo uma semana para permitir aos estudantes estarem preparados para eventual atividade de
recuperação se for o caso.

Bibliografia
Básica Essencial
CAZES, Henrique.. Choro: do quintal ao municipal.. São Paulo: 34, 1998. ISBN 8573261056.
KIEFER, Bruno.. Modinha e Lundu.. Porto Alegre: Movimento, 1986. ISBN 9788571951068.
SANDRONI, Carlos.. Feitiço Decente: transformações do samba no Rio de Janeiro (1917-1933).. Rio de Janeiro: Jorge Zahar/ Editora UFRJ, 2001.
ISBN 8571106061.

Básica
CABRAL, Sérgio.. As escolas de samba do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Lumiar, 1996. ISBN 9788578650391.
FARIA, Arthur.. Um século de música.. Porto Alegre: CEEE, 2000.
LUCAS, Maria Elizabeth.. Música popular à porta ou aporta na academia. Em Pauta,. Porto Alegre: PPGMUS/UFRGS, 1992.
SOUZA, Tárik de. (Org.).. Brasil Musical: viagem pelos sons e ritmos populares.. Rio de Janeiro: Art Bureau, 1988.
VIANNA, Hermano.. O mistério do samba.. Rio de Janeiro: Jorge Zahar/ Editora UFRJ, 1995. ISBN 85-7110-321-6.

Complementar
ANDRADE, Mario.. Ensaio sobre a música brasileira.. Belo Horizonte: Itatiaia, 2006. ISBN 8531907551.
ANDRADE, Mário.. Dicionário Musical Brasileiro.. Belo Horizonte: Itatiaia, 1989. ISBN 8531900220.

Página 3
PLANO DE ENSINO
Data de Emissão: 05/03/2020

CÁURIO, Rita.. Brasil musical (básico): viagem a jato pelos sons e ritmos populares.. Rio de Janeiro: Art Bureau, 1989. ISBN 8585276010
9788585276010.
LOPES, Nei.. Sambeabá: o samba que não se aprende na escola.. Rio de Janeiro: Casa da Palavra/ Folha Seca, 2003. ISBN 85-87220-65-9.
SEVERIANO, Jairo. A canção no tempo: 85 anos de músicas brasileiras.. São Paulo: 34, 1997. ISBN 8573260793.
VÁRIOS AUTORES.. Enciclopédia da música brasileira: popular, erudita, folclórica.. São Paulo: Publifolha, 2003. ISBN 8574022373.

Outras Referências
Não existem outras referências para este plano de ensino.

Observações
Os conteúdos curriculares, constantes no PPC, promovem o efetivo desenvolvimento do perfil profissional do egresso, considerando
a atualização da área, a adequação das cargas horárias (em horas-relógio), a adequação da bibliografia, a acessibilidade
metodológica, a abordagem de conteúdos pertinentes às políticas de educação ambiental, de educação em direitos humanos, de
educação das relações étnico-raciais e do ensino da história e cultura afro-brasileira, indígena e africana, tornando o curso
diferenciado dentro da área profissional e proporcionando o contato com conhecimentos recentes e inovadores.

Mestrandos (as) e Doutorandos (as) poderão realizar seu estágio docente na disciplina, colaborando com a professora regente, bem
como, pesquisadores (as) em período de Pós-Doutorado em programas de Pós-Graduação da UFRGS poderão colaborar nas aulas
a partir de seus campos de expertise.

Página 4