Você está na página 1de 1

Melhor resposta - Escolhida pelo autor da pergunta

Os hindus foram os primeiros a usar alianças de casamento. Essa tradição foi trazida
para o ocidente por gregos e romanos. No início, a aliança era vista como um
"certificado de compra" da noiva e também como um aviso para outros homens de que
ela já não estava disponível. Após o século IX, a Igreja Cristã a adotou como símbolo de
fidelidade. Os antigos gregos e romanos definiram o quarto dedo da mão esquerda,
como o dedo da aliança, acreditando que por ele passava uma veia que seguia
diretamente para o coração.

 Por volta de 2800 a.C., os egípcios usavam um anel para simbolizar o


casamento. Para eles, um círculo, não tendo começo nem fim, simbolizava a
eternidade para a qual o casamento era destinado.
Dois mil anos depois, surgiu entre os gregos a crença de que um ímã também
podia atrair o coração. Eles acreditavam também que o dedo anular esquerdo
possuía uma veia que levava diretamente ao coração.
Assim, começaram a usar um anel de ferro imantado nesse dedo, para que os
corações dos amantes ficassem atraídos para sempre. O costume passou aos
romanos e a Igreja manteve a tradição.
Abraço
 Cerimônia - A cerimônia de casamento como é realizada nos dias de hoje, com noiva e culto
religioso, é um desenvolvimento do ritual de união entre duas pessoas, que teve inicio na Roma
antiga. Não é possível datar exatamente quando o hábito surgiu, mas os registros históricos
apontam para o fato de que as mulheres vestiam-se especialmente para esta ocasião. Prendiam flores
brancas (símbolo de felicidade e longa vida) e ramos de espinheiro (que afasta os maus espíritos) aos
cabelos e se perfumavam com ervas aromáticas.
 A partir dai, virou uma tradição e o figurino da noiva foi ganhando novos símbolos, entre eles o véu,
uma referência à deusa Vesta (da honestidade), que na mitologia greco-romana era a protetora do
lar.
 União Legal - Avançados para sua época, foram os romanos também os primeiros a propor uma
união "de direito", instituindo a monogamia e a liberdade da noiva se casar espontaneamente, diante
de juízes, testemunhas e com as garantias da lei.
 Durante a Idade Média, as mulheres perderam terreno e escolher o noivo passou a ser uma questão
de família. O casamento da época era decidido quando a menina tinha entre três e cinco anos. 
 Vestido e véu de noiva - Nem sempre o branco predominou entre os vestidos de casamento. Na era
medieval, o vermelho era a cor nupcial preferida pois simbolizava "sangue novo" para a continuação
da família. Foi com a rainha inglesa Vitória que surgiu a tradição do branco para o vestido de
noiva, tal qual é usado ainda hoje.
 A narrativa histórica conta que ela era apaixonada por um primo, o príncipe Albert de Saxe Cobourg-
Gotha, e que tomou a iniciativa de pedi-lo em casamento, pois o protocolo da época dizia que
ninguém poderia fazer tal pedido a uma rainha.
 Vitória foi muito ousada para sua época, também acrescentou ao seu traje nupcial um véu, artigo
proibido para uma rainha, pois para provar a sua identidade, em público a soberana jamais se cobria.
 Foi a coragem de quebrar barreiras por um amor, que tornou a história de Vitória um marco da
celebração nupcial, fazendo-se presente mesmo nos dias de hoje. E apesar de os burgueses terem
utilizado o branco como síimbolo da pureza (virgindade) da noiva, virou tradição casar de branco
porque, em primeiro lugar, simboliza a pureza do amor dos noivos.