Você está na página 1de 12

A atividade industrial no mundo

AULA 8 O histórico evolutivo da atividade industrial fundamenta a análise das


diferentes formas de ocupação do espaço geográfico e do desenvolvi-
mento econômico no mundo. O processo de produção ocorreu em está-
gios: artesanato, manufatura, indústria e tecnologia.

A distribuição desigual da atividade industrial pode estar


ligada a recursos naturais, humanos ou tecnológicos

Evolução da atividade industrial

A economia agrícola, sob suas múltiplas formas, estende-se por todo o globo. A economia in-
dustrial, ao contrário, é essencialmente descontínua: as diversas regiões que compõem a economia
global da atualidade se industrializaram em períodos distintos e com características diferentes.
A indústria representa um dos mais fortes agentes de diferenciação espacial. E embora seja ati-
vidade básica ao mundo moderno, apenas uma minoria de países foi até hoje intensamente afetada
pela atividade industrial. A fase pioneira da industrialização foi movida essencialmente pela força da
água corrente dos rios. Depois a modernização das fundições de ferro impulsionou o ciclo inicial da
industrialização; e na sequência, novas fontes de energia como o petróleo e a eletricidade. Atualmen-
te, em vários países, são empregadas tecnologias cada vez mais modernas e sofisticadas.
Portanto, o processo de industrialização e a evolução industrial foram se desenvolvendo de
forma diferenciada, de acordo com as condições e especificidades regionais. Por isso, nem todos os
países tem hoje o mesmo desenvolvimento industrial e tecnológico.

Trecho adaptado de Geografia levada a sério. Disponível em:


http://www.tiberiogeo.com.br/texto/TextoUvaGeografiaIntroducaoIndustria.pdf.
Acesso em: 10.10.2014.

Geografia 2 - Aula 8 85 Instituto Universal Brasileiro


A atividade industrial no mundo
Contexto histórico do processo Do artesanato à indústria moderna
de industrialização ► O artesanato
Os seres humanos sempre precisaram de
artefatos que viessem satisfazer as suas mais Durante muitos séculos, o artesanato foi a
variadas necessidades. Desde muito tempo forma que as pessoas utilizaram para produzir
atrás, o homem já transformava os elementos os objetos que necessitavam.
da natureza em bens materiais. O artesanato se caracteriza por ser uma
Com o passar do tempo e o aumento da atividade solitária, ou seja, há somente uma
população no planeta, as necessidades foram pessoa que pensa, planeja e fabrica o objeto.
cada vez mais aumentando, e o homem foi Essa mesma pessoa é responsável também
aperfeiçoando a forma de produzir os itens que em ir até a natureza retirar a matéria-prima, pre-
a vida em sociedade necessitava. Assim, num pará-la – como cortá-la, lixá-la, pintá-la etc. – e
primeiro momento, tivemos o surgimento do produzir a mercadoria, assim, podemos afirmar
artesanato, depois para que a produção tives- que o artesão é alguém multitarefa. Todas essas
se ganhado de escala, na idade média, deu-se etapas, em geral, são feitas de forma vagarosa,
início a manufatura e séculos mais tarde, após pois o artesão não tem a companhia, a ajuda
a invenção da máquina a vapor, tivemos a Re- de outros colegas e, além disso, ele dispõe de
volução Industrial e o surgimento da indústria tal ferramentas muito simples.
qual a conhecemos hoje.

Cada produto advindo do artesanato é úni-


co e tem a marca da imprevisibilidade do mo-
mento em que foi concebido, como uma tinta
que não secou adequadamente, uma lasca que
se soltou da madeira no momento de prepará-
Nesta aula, estudaremos a atividade in- -la, um encaixe não tão perfeito entre outros. As-
dustrial no mundo. Iremos conhecer as etapas sim, por mais que peguemos diversos produtos
ao longo da História que levaram ao surgi- artesanais e colocarmos um ao lado do outro,
mento da indústria moderna. Também iremos veremos que entre eles existe semelhanças,
estudar os tipos de indústria existentes no mas todos são diferentes.
mundo, bem como os fatores que estão por De forma geral, podemos afirmar que o ar-
detrás da localização das indústrias pelo mun- tesanato depende basicamente da capacidade
do, a relação entre a industrialização e a urba- de trabalho do artesão e de suas qualidades ou
nização, além das características da indústria habilidades, pois se trata de um trabalho manual
neste início de século. e individualizado.
Geografia 2 - Aula 8 86 Instituto Universal Brasileiro
► A manufatura produtos, antes feitos de forma manual, com o
uso de alguns instrumentos, começaram a ser
O apogeu do artesanato se deu durante fabricados também por máquinas. Com a inven-
a Idade Média, do século 5 ao século 15, mas ção de máquinas hidráulicas (que funcionam
com o aumento da população e da necessidade com a força da água em movimento) e a vapor
de produzir mais, as mercadorias começaram (movidas pela pressão do vapor d’água), as for-
a ser feitas nas manufaturas, que é o estágio mas de produção modificaram-se de modo tão
entre o artesanato e a indústria moderna e que significativo que esse momento histórico foi de-
predominou na Europa nos séculos 16, 17 e 18. nominado Revolução Industrial. O termo revo-
Nessa nova maneira de produzir, cada etapa do lução não foi empregado à toa, mas sim para
trabalho era realizada por uma pessoa, todas designar uma mudança violenta, não só em
reunidas num mesmo espaço. termos de produção e produtividade dentro das
O artesão que, antes com suas próprias indústrias, mas também nas questões urbanas,
ferramentas, produzia sozinho um objeto, agora econômicas, ambientais e sociais.
produzia parte dele. Tornou-se empregado de O emprego da máquina no processo de
outra pessoa – o dono das ferramentas e das produção provocou um aumento na quantidade
matérias-primas. Como produtor, o artesão pas- de produtos (produção em larga escala) fabri-
sou a vender sua força de trabalho ao dono da cados em curto tempo. Além disso, os produtos
manufatura em troca de pagamento (salário) pe- passaram a ser seriados, ou seja, a produção
las horas trabalhadas. em série fez com que os produtos seguissem
um padrão comum, tornando-os todos iguais.
Em resumo, podemos afirmar que as caracte-
rísticas básicas da indústria moderna são a me-
canização (uso intenso de máquinas) e a produ-
ção em série.

Foi nessa época que surgiu a divisão do


trabalho e isso provocou o aumento da quanti-
dade de mercadorias produzidas. E é fácil com-
preender por que isso ocorreu:
• Ao desempenhar um só tipo de tarefa na
produção de um objeto, o trabalhador ganhava A revolução industrial também gerou a cria-
agilidade no que fazia, ou seja, ele se tornava ção de novas classes sociais, como os patrões
especialista naquela tarefa/função; ou burgueses, industriais donos das máquinas e
• Perdia-se menos tempo mudando de os que não eram proprietários das máquinas, os
uma tarefa para outra, já que cada uma era rea- proletários ou operários que somente tinham a
lizada por uma só pessoa; oferecer a mão de obra em troca de um salário.
• Os trabalhadores especializados busca- Nessa época de ausência de leis trabalhis-
vam criar ferramentas melhores para a parte do tas cujo lucro a qualquer preço era a meta a ser
trabalho que realizavam. alcançada pelos industriais, eram contratadas
mulheres e crianças, e havia também os turnos
► A indústria da noite. As jornadas de trabalho, muitas vezes,
chegavam a 16 horas diárias.
Foi na Inglaterra, no século 17, que alguns Os moradores do campo que não tinham
Geografia 2 - Aula 8 87 Instituto Universal Brasileiro
terras próprias passaram a se dirigir às cidades,
motriz eram os seres humanos e os animais.
onde eram empregados pelas fábricas, o que
Isso possibilitou um novo patamar, infinita-
contribuiu para o início do processo de urbani-
mente maior, de transporte de pessoas e
zação da Europa Ocidental. Vale lembrar que mercadorias;
além da ausência de leis trabalhistas, também - Segunda Revolução Industrial.
havia a ausência de leis ambientais, tornando Compreende a segunda fase e concentra-se
principalmente as cidades inglesas em locais no período entre 1860-1870 e 1920-1930,
com uma grande poluição atmosférica. em que o petróleo e a energia elétrica pas-
sam a fazer parte do dia a dia não somen-
Trabalhadores especializados te da indústria, mas de toda a sociedade.
O automóvel, o avião, o telefone e o rádio
Outra característica marcante da indústria surgem e mudam completamente a vida da
foi a intensificação da divisão social do trabalho. sociedade;
Cada trabalhador ou grupo de trabalhadores es- - Terceira Revolução Industrial.
pecializou-se na execução de uma única tarefa. Compreende a terceira fase e é nitidamente
Essa especialização dos trabalhadores trouxe identificada como os avanços pós-Segun-
grandes vantagens à burguesia, aos patrões. Em da Guerra Mundial (1939-1945). Depois do
primeiro lugar, porque a especialização, aliada à conflito, a informática cresceu muito e novas
mecanização, acabou aumentando a produtivi- fontes de energia, como a nuclear, passaram
dade do trabalho (é medida pela quantidade de a ser importantes, bem como uma série de
bens que um certo número de trabalhadores pro- novos produtos, como o nylon, sintetizado
duz em determinado tempo). Em segundo lugar, em 1935 e que teve seu uso popularizado
porque os trabalhadores perderam o controle so- após o fim do conflito.
bre a produção, já que realizavam apenas uma
pequena parte dela. Às vezes nem mesmo sa-
bia para que serviam sua tarefa e ignoravam até
qual era o produto final do seu trabalho.

Por que a Revolução Industrial


surgiu na Inglaterra?

A Revolução Industrial surgiu na In-


glaterra no final do século 18 e chegou ra-
As fases da Revolução Industrial pidamente a outros países europeus. Entre
os fatores que tornaram possível o advento
O mundo não só assistiu ao surgimento da indústria europeia, destacam-se:
da Primeira Revolução Industrial. A cada inven- - o capital acumulado durante a épo-
to que possibilitou um considerável aumento da ca do mercantilismo, que pôde ser usado
produção industrial, foi inaugurada uma nova re- para financiar as pesquisas científicas,
volução. As revoluções não só alteraram radical- resultando nas descobertas que permiti-
mente as formas de se produzir objetos, como ram a criação de engenhosos mecanis-
também encurtaram as distâncias no mundo, por mos, entre os quais a máquina a vapor;
meio do aperfeiçoamento dos meios de trans- - as fartas jazidas de minério de ferro
porte e de comunicação. Assim, na Revolução e carvão mineral que forneceram, respecti-
Industrial é possível identificar três fases: vamente, matéria-prima e energia para as
- Primeira Revolução Industrial. Com- fábricas;
preende a primeira fase, entre 1750 e 1850 - a grande população europeia, de
aproximadamente, e mudou muito o sistema de aproximadamente 200 milhões de pessoas
transportes com a utilização dos trens, que evo- em meados do século 19, que formava um
luíam em tecnologia rapidamente. As locomo- promissor mercado consumidor, ao mesmo
tivas, cada vez mais potentes, levaram a uma tempo em que poderia ser utilizada como
mudança importante, já que, até então, a força mão de obra abundante nas fábricas.

Geografia 2 - Aula 8 88 Instituto Universal Brasileiro


Tipos de indústrias

Atualmente existem inúmeros tipos de indústrias. Elas podem ser classificadas com base em vários
critérios, mas em geral o mais utilizado é o que considera o tipo e o destino do bem produzido.
Assim, as indústrias podem ser divididas em três tipos, conforme você pode observar na tabela abaixo.

Tipos de indústria Características gerais Exemplos


* Química: pesticidas, fertilizan-
Transforma matérias-primas tes, fibras artificiais, cimento.
brutas (minérios e recursos de * Refinarias: querosene, óleo
Indústria de bens de produção
origem fóssil e vegetal) em ma- diesel e lubrificantes, gasolina.
ou de base
térias-primas processadas, base * Siderúrgicas: ferro-gusa,
para outros ramos industriais. coque, aço.
* De Papel e celulose.
* Mecânica: motores automo-
Produz máquinas e equipa-
tivos, máquinas industriais, ara-
mentos que serão utilizados em
dos e semeadeiras mecânicas,
Indústria de bens intermediários outros seguimentos da indústria
colheitadeiras, tratores.
e em diversos setores da
* Autopeças: pneus, rodas,
economia.
bancos automotivos.
Bens de consumo duráveis

* Eletrodomésticos: geladeira,
Fabrica bens que são consumi-
televisores, condicionadores,
dos pela população em geral.
DVDs.
Está dividida em:
Indústria de bens de consumo * Automobilística: carros e mo-
* Indústria de bens de
tocicletas.
consumo duráveis;
* Moveleira: móveis comerciais
* Indústria de bens de
e residênciais.
consumo não duráveis
Bens de consumo não
duráveis
* Têxtil: vestuário, tecidos,
toalhas.
* Alimentícia: doces, laticínios,
bebidas.
* Cosméticos: cremes dentais,
sabonetes, xampus.

Os modelos de produção Taylorismo


No início do século 20, os Estados Uni- O engenheiro norte-americano Frede-
dos tornavam-se um dos países mais ricos rick W. Taylor (1856-1915) desenvolveu, a
do mundo, principalmente graças às suas partir da observação dos trabalhadores nas
indústrias, dentre as quais se destacava a indústrias, uma teoria que tinha o objetivo
indústria automobilística, grande novidade de tornar o processo de produção mais rá-
na época. Nesse período, houve um au- pido. Ele observou que para tanto, deveria
mento de interesse pelo modo de produção haver uma reorganização dos trabalhadores
industrial. dentro das fábricas. Era preciso organizá-
Geografia 2 - Aula 8 89 Instituto Universal Brasileiro
-los de forma hierarquizada e sistematizada,
cada um desenvolvendo uma atividade espe- de se instalarem em países pobres em
cífica. Essa teoria ficou conhecida como tay- busca de matéria-prima, mão de obra ba-
lorismo. Segundo essa teoria, o trabalhador rata e mercado consumidor, muitas empre-
deveria ser controlado segundo o seu tempo sas passaram a investir em pesquisa tec-
de produção, pois deveria cumprir sua tare- nológica e em modelos de administração
fa no menor tempo possível, assim, seriam mais flexíveis.
premiados aqueles que sobressaíssem. Daí
a criação da figura do “apontador”, um fun-
Toyotismo
cionário que faria o monitoramento de cada
trabalhador ou de um grupo de trabalhado- Nesse cenário, o modelo japonês pas-
res para verificar quem conseguia cumprir a sou a ser referência, com o grande inves-
meta de produção dentro do tempo estimado. timento em robotização e automação, ter-
ceirização da produção, baixos volumes de
Fordismo estoques e aperfeiçoamento constante dos
métodos administrativos. Costuma-se deno-
O fundador da Ford Motor Company, minar esse modelo de toyotismo. Esse ter-
Henry Ford (1863-1947), partiu das ideias de mo é usado devido à empresa do setor au-
Taylor e as inovou na prática. Ford iniciou a tomobilístico Toyota ser uma das primeiras
produção em massa, padronizando o maqui- empresas a adotar esse tipo de produção.
nário para que, independentemente de quem No toyotismo, as linhas de produção tradicio-
operasse, os resultados fossem sempre os nais foram substituídas por equipes multifun-
mesmos. Ford implementou a política de me- cionais que respondiam por todo o processo
tas e revolucionou o mercado de trabalho de produção. Nessa proposta, os operários
com premiações por produtividade. Conheci- controlavam também a qualidade dos produ-
do como fordismo, esse modelo de produ- tos, diminuindo as peças com defeitos. Além
ção se baseava, entre outras coisas, no uso disso, passou-se a valorizar apenas a pro-
da esteira rolante, o que originou a produção dução do que era necessário, contrariando o
em série. Por esse sistema, cada operário fordismo, que produzia o máximo possível e
era especializado numa dada etapa da pro- estocava o excedente.
dução das mercadorias, que, assim, saíam
da fábrica idênticas umas às outras. Informatização das linhas
de montagem
Evolução das tecnologias
A informatização e a introdução
Depois da Segunda Guerra Mundial, de robôs nas linhas de montagem pro-
inúmeras tecnologias que haviam sido de- vocaram uma nova transformação nos
senvolvidas para a fabricação de armamen- processos industriais. As máquinas
tos foram redirecionadas para uso pacífico, passaram a executar um grande núme-
ou seja, passaram a ser aplicadas pelas ro de tarefas, substituindo os operários
indústrias para produzir bens de consumo. em atividades que apresentavam con-
Iniciada nos Estados Unidos, essa evolução dições perigosas ou cansativas, como
chegou à Europa e ao Japão, atingindo o soldagem de peças, pintura de veícu-
auge na década de 1970. A economia ha- los, operação em alto-forno de siderúr-
via recobrado todo o seu fôlego em escala gicas etc. Isso provocou desemprego
mundial depois da tragédia da guerra. Com no setor industrial, levando os governos
isso, a competição internacional cresceu e a desenvolverem políticas que estimu-
as empresas iniciaram modificações estru- lassem a oferta de trabalho em outras
turais à procura de mercados e lucros. Além áreas da economia.

Geografia 2 - Aula 8 90 Instituto Universal Brasileiro


do almoço. Completamente estafado,
ele não é mais aceito na fábrica e é
despedido. Logo em seguida, é interna-
do em um hospital. Após algum tempo,
Filme: “Tempos Modernos” sai de lá recuperado, mas com a eterna
ameaça da estafa que a vida moderna
O filme “Tempos Modernos”(1936), de impõe: a correria diária, a poluição so-
Charles Chaplin, é um dos mais conhecidos nora, as confusões entre as pessoas, os
do cinema mundial. Esse longa focaliza a vida congestionamentos, as multidões nas
do trabalhador na sociedade industrial do iní- ruas, o desemprego, a fome, a miséria...
cio do século 20, caracterizado pela produção
com base no sistema de linha de montagem e
especialização do trabalho. Trata-se de uma
crítica ao modelo de produção fordista.
Numa grande fábrica, um operário,
Carlitos, desempenha o trabalho repetiti-
vo de apertar parafusos. De tanto repetir
essa atividade, ele tem problemas de es-
tresse e perde a razão de tal forma que
pensa que deve apertar tudo o que se
parece com parafusos, como os botões
de uma blusa, por exemplo. Em outra
cena, ele é usado no teste de uma “má-
quina revolucionária” para evitar a hora

A distribuição industrial no mundo

Observe o planisfério abaixo:

Localização da atividade
industrial no mundo
Países pouco industrializados

Países medianamente industrializados

Países muito industrializados

Principais regiões industriais

Geografia 2 - Aula 8 91 Instituto Universal Brasileiro


Podemos verificar no mapa acima, que para a instalação de fábricas. Num contexto de
apenas uma parcela dos países do mundo pos- globalização, as indústrias se espalharam ainda
sui níveis relevantes de industrialização. Além mais pelo globo, e os seus produtos atingiram
disso, a concentração industrial é alta no próprio escala mundial; hoje a decisão de onde instalar
território das nações industrializadas. Na reali- uma indústria não depende mais exclusivamente
dade, as regiões mostradas no mapa são áreas dos fatores clássicos.
caracterizadas por um grande agrupamento ou São levados em conta também outros fato-
concentração de cidades industriais. res, tais como:
As concentrações industriais mais impor- • Desenvolvimento de tecnologia no local;
tantes localizam-se no hemisfério norte, justa- • Disponibilidade de mão de obra qualifi-
mente nos países onde se inaugurou a Revolu- cada;
ção Industrial. São visíveis também as regiões • Facilidade nas trocas de informação
existentes em território russo e no extremo orien- (infraestrutura de telecomunicações, para a tro-
te, sobretudo no Japão e no sudeste da China. ca de informações entre a matriz e as filiais, por
Portanto, a conclusão que nós chegamos exemplo);
ao analisar o mapa é que as regiões industriais • Facilidade para a distribuição dos produ-
estão distribuídas desigualmente pelo espaço tos em escala mundial (proximidade de portos e
geográfico mundial e entre os países desenvol- aeroportos internacionais, por exemplo);
vidos e subdesenvolvidos. De maneira geral, • Incentivos dados pelos governos locais,
podem-se destacar alguns fatores que influen- estaduais ou federal, como impostos reduzidos,
ciam a localização dessa atividade econômica doação de terrenos etc.
no interior dos territórios nacionais.
Processo de globalização
Fatores clássicos da localização industrial industrial

Três fatores são considerados clássicos, Atualmente, escolhe-se o local para o


pois desde a Primeira Revolução Industrial eles desenvolvimento de uma atividade industrial
têm sido considerados para a instalação de uma verificando-se onde ela pode ser executada
indústria num território: com qualidade, de maneira mais eficiente e
• Boa infraestrutura: facilidade de acesso com um lucro maior para o empreendedor.
a fontes de energia, redes de transporte e comu- Esse é o processo de globalização industrial.
nicações;
• Disponibilidade de mão de obra e proxi-
midade do mercado consumidor: na maioria das
A indústria no início do século 21
vezes, as indústrias instalam-se em centros urba-
nos, onde há disponibilidade de trabalhadores em Atualmente as indústrias expandiram
grande quantidade. Regiões com grande concen- as suas atividades para além dos seus paí-
tração populacional, além de ofertarem mão de ses de origem e se transformaram, portan-
obra, representam um amplo mercado consumi- to, em transnacionais que buscam, pelo
dor para os produtos produzidos pela indústria; globo, mercados consumidores, mão de
• Disponibilidade de matérias-primas: a obra e matérias-primas baratas, tudo para
proximidade de fontes de matéria-prima é vanta- que os seus lucros cresçam cada vez mais.
josa para vários segmentos industriais, pois faci- Essa expansão global ocorre com o uso
lita o transporte e diminui gastos com a produção da tecnologia, que permitiu a essas empre-
das mercadorias. sas ganharem o mundo e, ao mesmo tempo
estarem conectadas e exercendo o controle
Outros fatores importantes das suas filiais.
É muito comum as grandes empresas
Até bem pouco tempo atrás, eram esses terem sua matriz em países ricos, como os
três fatores os verificados na escolha de um local Estados Unidos, Japão, Alemanha, China;
Geografia 2 - Aula 8 92 Instituto Universal Brasileiro
seu centro de informática em outros países,
por profundas transformações, iniciadas
como México, Índia, Coreia do Sul; e suas ainda no século 20, sobretudo no ambiente
linhas de montagem em outros, como Brasil, econômico. Entre essas mudanças estão:
Malásia e Tailândia. a abertura comercial, mudanças tecnológi-
cas no processo de produção, redução dos
mecanismos de intervenção e proteção es-
tatal nos setores da economia, crescente
conscientização ambiental e avanços das
tecnologias de informação. Tais transfor-
mações implicam que as organizações
(públicas ou privadas) devem tornar-se ou,
pelo menos, busquem tornar-se cada vez
mais competitivas.
Segundo o especialista em Economia
Ademir Clemente: “para produzir, uma em-
presa necessita fundamentalmente de mão
Dessa forma, os países produtores rece- de obra, energia, matérias-primas e má-
bem tecnologia de fora, mas não conseguem quinas. Ao mesmo tempo, deve ter acesso
desenvolver a sua própria tecnologia, pois des- relativamente fácil a seu mercado consumi-
conhecem o processo de criação do produto e dor. Essas condições devem equilibrar-se
são somente parte da engrenagem da linha de de forma a diminuir ao máximo o custo da
montagem, não tendo a visão da produção como unidade produzida”. Diante disso empre-
um todo. Assim, esses países estão subordina- sas industriais escolhem os lugares para se
instalarem baseadas em critérios técnicos,
dos às matrizes, que são os polos de atualização
pois a escolha de um local que permita o
e inovação científica e tecnológica. equilíbrio das condições pode significar
Essa mesma tecnologia também revolu- uma posição favorável na competição dian-
cionou a forma em que as indústrias passaram te das concorrentes.
a produzir, mas com uma conta amarga para os As empresas, para que alcancem efi-
trabalhadores, pois as máquinas, cada vez mais ciência e competitividade, devem incorporar
modernas, começaram a substituir a mão de obra a importação de tecnologia em trajetórias de
operária, causando um grande desemprego. dinamismo tecnológico contínuo. Trabalhos
Se até o fim do século 19 as indústrias fo- do Instituto de Pesquisa Econômica Aplica-
ram as grandes geradoras de empregos, neste da (IPEA) (1997) ressaltam que a susten-
século não são mais, porque os avanços tecnoló- tação da competitividade vai necessitar de
que tais trajetórias gerem taxas de aumen-
gicos reduziram a necessidade de trabalhadores.
to da produtividade e melhoria de desem-
Com isso, muitas cidades que cresceram e se penho de produtos, que, pelo menos, se
organizaram em função das indústrias estão pas- igualem às taxas internacionais. Entretanto,
sando por profundas mudanças econômicas e tais requisitos trazem maiores demandas
sociais, tendo que buscar soluções políticas para agora que no passado.
gerar empregos em outros setores da economia. A indústria brasileira enfrenta um mun-
do no qual a base tecnológica para a compe-
titividade é totalmente diferente da dos anos
de 1960, 1970 e até mesmo de 1980. O ponto
não é simplesmente que agora existe maior
número de novas tecnologias, mas sim que
Sobre a localização de a estrutura mundial de geração e difusão de
indústrias no Brasil tecnologia está mudando muito mais rapida-
mente que nas décadas anteriores.
O início do século 21 apresenta profun-
Trecho adaptado de original disponível em:
das mudanças que atingem todos os aspec- http://am.unisal.br/graduacao/administracao/pdf/
tos da vida humana. O Brasil tem passado publicacoes-5.pdf. Acesso em: 20.10.2014.

Geografia 2 - Aula 8 93 Instituto Universal Brasileiro


- Indústria de bens de consumo: fabrica
bens duráveis e não duráveis para o consumo
da população.

A atividade industrial no mundo Os modelos de produção

Contexto histórico do processo Taylorismo. Segundo essa teoria, o tra-


de industrialização balhador deveria ser controlado segundo o seu
tempo de produção.
Desde muito tempo, o homem já transfor- Fordismo. Ford implementou a política de
mava os elementos da natureza em bens mate- metas e revolucionou o mercado de trabalho com
riais. Com o aumento da população no planeta, as premiações por produtividade. Com o uso da es-
necessidades foram cada vez mais aumentando teira rolante, teve origem a produção em série.
e o homem foi aperfeiçoando a forma de produzir Toyotismo. O modelo japonês passou a
os itens que a vida em sociedade necessitava. ser referência, com o grande investimento em ro-
botização e automação, terceirização da produ-
Do artesanato à indústria moderna ção, baixos volumes de estoques e aperfeiçoa-
mento constante dos métodos administrativos.
O processo de produção ocorreu em está- Informatização das linhas de montagem
gios: artesanato, manufatura, indústria e tecnologia.
► O artesanato. Caracteriza por ser uma A informatização e a introdução de ro-
atividade solitária, o artesão realizava todas as bôs nas linhas de montagem provocaram uma
etapas de produção. nova transformação nos processos industriais.
► A manufatura. Cada etapa do tra-
balho era realizada por uma pessoa. Mas Fatores da localização industrial
todas reunidos num mesmo espaço, divi-
dindo o trabalho e aumentando a produção. Três fatores são considerados clássicos:
► A indústria. Com a invenção de máqui- boa infraestrutura; disponibilidade de mão de
nas hidráulicas e a vapor, as formas de produção obra e proximidade do mercado consumidor;
modificaram-se de modo tão significativo que disponibilidade de matérias-primas. São levados
esse momento histórico foi denominado Revo- em conta também outros fatores, tais como: de-
lução Industrial. senvolvimento de tecnologia no local; disponibili-
dade de mão de obra qualificada; facilidade nas
Fases da Revolução Industrial trocas de informação; facilidade para a distribui-
ção dos produtos em escala mundial; incentivos
- Primeira Revolução Industrial: máqui- dados pelos governos locais.
nas movidas a vapor e energia hidráulica.
Processo de globalização industrial
- Segunda Revolução Industrial: mu-
dam as matrizes energéticas com a descoberta Atualmente, escolhe-se o local para o
do petróleo e da eletricidade. desenvolvimento de uma atividade industrial
- Terceira Revolução Industrial: adven- verificando-se onde ela pode ser executa-
to da informática e de novas fontes de energia da com qualidade, de maneira mais eficiente
como a nuclear. e com um lucro maior para o empreendedor.
Esse é o processo de globalização industrial.
Tipos de indústrias
A indústria no início do século 21
- Indústria de bens de produção ou de
base: transforma matérias brutas em matérias-pri- As indústrias expandiram as suas atividades
mas processadas para outros ramos industriais. para além dos seus países de origem e se transfor-
- Indústria de bens intermediários: pro- maram, portanto, em transnacionais que buscam,
duz máquinas e equipamentos para outros seg- pelo globo, mercados consumidores, mão de obra e
mentos da indústria ou setores da economia. matérias-primas baratas, com fins lucrativos.

Geografia 2 - Aula 8 94 Instituto Universal Brasileiro


c) ( ) Expansão de Empresas Estatais.
d) ( ) Segunda Revolução Industrial.

4. São exemplos da indústria de bens


de consumo (ou leve) do tipo duráveis:
1. A evolução do processo de trans-
formação de matérias-primas em produtos a) ( ) Indústria de autopeças e de alu-
acabados ocorreu em estágios. Um desses mínio.
estágios foi o artesanato, em que se: b) ( ) Indústria de automóveis e de ele-
trodomésticos.
a) ( ) produzia conforme o ritmo das c) ( ) Indústria de plásticos e de ali-
máquinas e de maneira padronizada. mentos.
b) ( ) trabalhava geralmente sem o uso d) ( ) Indústria de máquinas e de aço.
de máquinas e de modo diferente do modelo
de produção em série. 5. Nos primórdios do século 20, surgi-
c) ( ) empregavam fontes de energia ram, nos Estados Unidos, o “Taylorismo” e o
abundantes para o funcionamento das má- “Fordismo”, que são assuntos amplamente
quinas. estudados pela Geografia. Esses assuntos
d) ( ) realizava parte da produção por se referem diretamente à:
cada operário, com uso de máquinas e tra-
balho assalariado. a) ( ) repressão aos movimentos sindi-
cais nas grandes indústrias do país.
2. Assinale a alternativa que indica cor- b) ( ) adoção de uma rígida política de
retamente o fator considerado determinante substituição de importações.
para a localização das indústrias, durante a c) ( ) implantação de novos métodos
Primeira Revolução Industrial (final do sécu- de organização do trabalho.
lo 18 a meados do século 19). d) ( ) política de utilização da máquina
a vapor na indústria de tecidos.
a) ( ) Reservas de petróleo.
b) ( ) Incentivos fiscais. 6. (PUCRS – Adap.) Na atividade indus-
c) ( ) Mão de obra especializada. trial, os fatores locais variam ao longo do tem-
d) ( ) Jazidas de carvão mineral. po e em função do tipo de indústria que se quer
implantar. Atualmente podemos dizer que ocor-
3. (IFSP – Adap.) Leia o texto a seguir. re uma descentralização industrial em escala
mundial, mas também em escala nacional e lo-
A General Eletric (GE), líder mundial na fabri- cal, graças ao desenvolvimento dos setores de
cação de produtos eletrônicos, reduziu seu número de
funcionários em todo o mundo de 400 mil em 1981 para
transportes, telecomunicações e informações.
menos de 230 mil em 1993, triplicando suas vendas ao Como fatores a ser considerados na atividade
mesmo tempo. A GE achatou sua hierarquia gerencial industrial, são citados:
nos anos 1980 e começou a introduzir novos equipa-
mentos de automação na fábrica. Na GE em Charlot-
tesville, Virgínia, novos equipamentos de alta tecnologia I – Fontes de energia.
montam componentes eletrônicos nas placas de circui- II – Mercado consumidor.
tos, na metade do tempo da tecnologia anterior.
III – Matérias-primas.
(http://www.ime.usp.br) IV – Mão de obra.

As transformações no mundo do trabalho Estão corretamente identificados os fatores:


mostradas no texto podem ser relacionadas à: a) ( ) I e III, apenas.
b) ( ) II e IV, apenas.
a) ( ) Terceira Revolução Industrial. c) ( ) I, II e IV, apenas.
b) ( ) Industrialização Periférica. d) ( ) I, II, III e IV.
Geografia 2 - Aula 8 95 Instituto Universal Brasileiro
4. b) ( x ) Indústria de automóveis e
de eletrodomésticos.

Comentário. As indústrias de bens de


consumo são aquelas que produzem dire-
1. b) ( x ) trabalhava geralmente sem to para o consumidor. Podem ser divididas
o uso de máquinas e de modo diferente do em bens de consumo duráveis e bens de
modelo de produção em série. consumo não duráveis. As indústrias de au-
tomóvel e de eletrodomésticos são indús-
Comentário. A capacidade humana trias de bens de consumo duráveis. Já as
de manusear objetos em conjunto com um indústrias de alimentos são classificadas
cérebro grande o suficiente para promover entre as que produzem produtos não durá-
associações, entre outros aspectos, pos- veis. Por outro lado existem indústrias que
sibilitaram ao homem ao longo do tempo podem ser classificadas como de bens de
que ele se destacasse no reino animal e produção (de base), que são responsáveis
criasse a civilização. O artesanato está en- pela transformação inicial da matéria-pri-
tre as primeiras formas de trabalho do ho- ma. Entre elas podemos citar as indústrias
mem. A alternativa a é falsa: no artesanato de: alumínio, de ferro, de plásticos e borra-
trabalha-se manualmente. A alternativa c é cha, de aço. Por fim, existem as indústrias
falsa: emprega-se energia animal. A alter- de bens intermediários, que produzem má-
nativa d é falsa: no artesanato não há má- quinas e equipamentos para as demais em-
quinas nem salário. presas. Exemplos: indústria de máquinas e
indústria de ferramentas.
2. d) ( x ) Jazidas de carvão mineral.
5. c) ( x ) implantação de novos mé-
Comentário. O carvão mineral foi uma todos de organização do trabalho.
fonte de energia fundamental para a Primei-
ra Revolução Industrial iniciada na Inglater- Comentário. Como mencionado corre-
ra entre o final do século 18 e meados do tamente na alternativa c, Taylorismo e For-
século 19 em decorrência de seu emprego dismo são métodos característicos da Se-
nas máquinas a vapor. Portanto, a alterna- gunda Revolução Industrial (início do século
tiva correta é a d. As demais alternativas 20), que objetivam a maximização da produ-
apresentam fatores relacionados com ou- ção e do lucro por meio da divisão técnica
tros períodos da industrialização. do trabalho aplicada em linhas de produção
ou de montagem. As alternativas a e b refe-
3. a) ( x ) Terceira Revolução Indus- rem-se a caracterizações de períodos mais
trial. recentes. Já a alternativa d trata de fator de-
terminante da Primeira Revolução Industrial.
Comentário. A alternativa a identifica
corretamente o período que corresponde às 6. d) ( x ) I, II, III e IV.
características mencionadas no texto, como
o desemprego industrial, a produção automa- Comentário. Entre os fatores que in-
tizada, o sistema toyotista e as inovações dos fluenciam a localização industrial estão:
produtos high-tech, típicos da Terceira Revo- disponibilidade das matérias-primas, fontes
lução Industrial. Estão incorretas as alterna- de energia, mão de obra e mercado con-
tivas: b, pois a industrialização periférica se sumidor. No processo de descentralização
refere aos países subdesenvolvidos; c, pois em curso no Brasil nas últimas décadas, fa-
não há menção à estatização da produção; tores como incentivos fiscais, menor custo
d, pois a descrição corresponde à produção com salários, doação de terrenos e facilida-
de uma transnacional. de de transportes são fundamentais.
Geografia 2 - Aula 8 96 Instituto Universal Brasileiro