Você está na página 1de 14

AULA 3 Ortografia

Falar e escrever bem, de acordo com o padrão formal da linguagem: eis


uma questão nada fácil. Tanto na língua falada como na escrita ocorrem
adequações da linguagem ao contexto. Mas as maiores dificuldades se
concentram na escrita, na ortografia segundo as regras da norma culta.

Antigamente se escrevia melhor do que hoje?

Especialista afirma que “escrever bem é e sempre foi difícil”

O psicólogo canadense, atualmente em Harvard, Estados Unidos, em entrevista ao site da


Veja, responde a perguntas sobre a arte de escrever no século 21.

• O que o senhor acha do estilo das novas gerações? As pessoas mais velhas sempre
acham que os jovens estão corrompendo a linguagem e pondo abaixo a civilização. Hoje é a inter-
net. Não muito tempo atrás, era a televisão, e antes o rádio e a imprensa. No entanto, aqui estamos,
no século 21, e não estamos grunhindo como chimpanzés. Muitas pessoas escrevem mal hoje, e
alguns são jovens. Mas muitos jovens escrevem lindamente (na internet ou não), e muitas pessoas
mais velhas escrevem mal. A escrita é e sempre foi difícil.

• O que há de tão especial sobre o ato de escrever no século 21? Duas coisas. Em pri-
meiro lugar, as línguas mudam. Significados também mudam. Em segundo lugar, no século 21,
sabemos mais sobre a linguagem. Temos melhores teorias da gramática. Temos os resultados de
experimentos sobre o que torna uma sentença fácil ou difícil de entender. Temos estudos sobre a
história do uso da língua e suas controvérsias. Isso tudo pode se traduzir em conselhos muito úteis
para ajudar na arte de escrever bem.

Texto adaptado de entrevista disponível em: http://veja.abril.com.br/noticia/entretenimento/


a-ciencia-do-estilo-como-e-por-que-escrever-bem/. Acesso em: 20/03/2014.

Português 3 - Aula 3 25 Instituto Universal Brasileiro


Ortografia
Normas da escrita
Em muitas situações, é preciso ter o do-
mínio do padrão escrito formal da língua. Mui-
tas vezes é preciso adequar o uso da língua a
Linguagem usada na internet
diferentes contextos. A expressão escrita exi-
é mais informal
ge maior formalidade, enquanto a oral pode se
valer mais da informalidade. E essa distinção Devido ao aparente distanciamento en-
entre formalidade e informalidade estende-se tre as práticas da escrita aprendida na escola
também aos textos escritos: a linguagem de e a emergente em bate-papos virtuais, criou-
um bilhete não será a mesma utilizada num se um termo para designar a escrita da inter-
contrato de aluguel. Mas dominar a grafia cor- net: internetês. Trata-se de um neologismo
reta das palavras continua a ser fundamental (internet + sufixo -ês) que designa a lingua-
gem utilizada no meio virtual, em que as pala-
em qualquer situação.
vras foram abreviadas até o ponto de se trans-
Os padrões formais de uma língua es-
formarem em uma única expressão, duas ou
crita são definidos pela Ortografia Oficial. No no máximo cinco letras. O que se observa é
Brasil, até 1971, achava-se em vigor a orto- uma desconstrução da pontuação e da acen-
grafia homologada em sessão de 12 de agos- tuação, pelo uso da fonética em detrimento da
to de 1943, da Academia Brasileira de Letras, etimologia, com uso restrito de caracteres e
de acordo com a Academia de Ciências de desrespeito às normas gramaticais.
Lisboa. Em 22 de abril de 1971, essas duas
(Wikipédia, a enciclopédia livre. Texto adaptado).
Academias introduziram algumas modifica-
ções.
Após várias tentativas de se unificar a
ortografia da língua portuguesa, a partir de 1º O que significa ortografia?
de janeiro de 2009 um novo acordo passou A palavra ortografia é formada a partir de
a vigorar no Brasil e em todos os países da dois elementos gregos: o prefixo orto que sig-
CLP (Comunidade de países de Língua Portu- nifica “exato”, “correto”; e grafia que significa
guesa). O período de transição para a imple- “ação de escrever”. Portanto, ortografia reme-
mentação das novas regras ortográficas vai te à “ação de escrever corretamente”. A orto-
até 2015. Algumas modificações foram feitas grafia oficial estabelece padrões para a escri-
no sentido de promover a união e proximida- ta das palavras: uma convenção que resulta
de dos países que têm o português como lín- de acordos ortográficos entre os países falan-
gua oficial: Angola, Moçambique, Cabo Verde, tes. Para dominar o padrão culto da escrita é
Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe, Timor preciso ler, escrever e consultar o dicionário
Leste, Brasil e Portugal. sempre que houver dúvida.

D.E.C.I.F.R.E

Oi tb? To c sds
d+ d vc! Qdo vc vem
pra k? Tem 9dade? O
Gu kso. N csg ir n fes- Por que é importante usar o dicionário?
ta. Qq dia vo t v! Me
add no msn! Ou me sg no twt: @anapaula. Vc O dicionário tem como principais fun-
tem Fb? Bjo Re. ções: definir a apresentação ortográfica

Português 3 - Aula 3 26 Instituto Universal Brasileiro


e o significado das palavras. Informa tam- Bactéria Espectador Mictório
bém a etimologia das palavras, dando ex- Cacto Fictício Néctar
plicações sobre sua origem. Assegura ain- Caracteres Hectare Óctuplo
da aspectos gramaticais importantes como
Compacto Hectômetro Pacto
a categoria da palavra (substantivo, verbo,
Convicto Intelecto Pactuar
adjetivo etc.). Portanto, pode ser um gran-
Defectivo Invicto Perfectível
de parceiro para adquirir a competência da
Esfíncter Lactação Sectário
escrita cada vez mais correta.

Emprego de algumas consoantes Emprego de g e j


É comum que os usuários da língua por- O emprego destas consoantes não é
tuguesa tenham dúvidas sobre a apresenta- arbitrário, mas deve obedecer à origem de
ção ortográfica de algumas palavras. Devido à cada palavra; assim, as palavras de origem in-
origem latina do idioma e as múltiplas influên- dígena, africana ou popular, tais como canji-
cias de outras línguas até a formatação atual, ca, jequitibá, jeca, jerico, canjerê, cafajeste
o português apresenta palavras com grafia in- escrevem-se, quase sempre, com j.
comum ou que fazem exceção às regras.

Emprego da letra h
O h não tem valor sonoro quando aparece
no início ou no fim das palavras. Emprega-se o h
no final de algumas interjeições: Oh! Ah! E tam-
bém na inicial de palavras como: hábito; habita-
ção; hemograma; hipermercado; holocausto.
Lembre-se de que a letra h é importante
no caso dos dígrafos ch, lh, nh.
Escrevem-se com g:

Aborígene Garagem Ingerir


Afligir Gelsêmio Laringe
Ágio Gene Legítimo
Algema Gengibre Magistério
Algibeira Gerânio Margear
Angina Gergelim Megera
Auge Geringonça Monge
Coagir Gerir Mugir
Congestão Gerúndio Paisagem
Cônjuge Gesto Rabugento
Coragem Gilete Range
Emprego de ct Corrigir Gim Relógio
Escrevem-se com ct: Estrangeiro Girafa Sugestão
• Palavras-prefixos ictio (ictiófago), Exegese Gíria Vagem
hecto (hectômetro), galact (galactófago), lact Exigir Girino Vertigem
(lactose); Ferrugem Giz Viagem
• E, ainda, as seguintes, dentre as de Frigir Higiene ----------
maior uso:
Português 3 - Aula 3 27 Instituto Universal Brasileiro
Escrevem-se com j:
viajem (forma do verbo viajar). Veja os
Acarajé Jeito Manjerona exemplos: Fizemos uma excelente via-
Adjetivo Jeitoso Objeto gem. / Não quero que eles viajem.
Ajeitar Jejum Ojeriza
Berinjela Jenipapo Pajé
Emprego do s
Brejeiro Jeová Pajem
Cafajeste Jerimum Projeto Citaremos, apenas, os casos em que
Canjica Jericó Projeção
mais se erra no emprego dessa consoante:
Conjectura Jérsei Projétil
● As terminações asia, asio, esia, isia,
osia, osio, usio, ase, ese, ise, ose, usa, ési-
Enjeitado Jibóia Rejeição
mo, opse e sita. Veja: apoteose, gênese.
Gorjeio Jiló Rejeitar
● As formas dos verbos querer e pôr:
Gorjeta Jirau Sarjeta
quis, pus, quisesse, pusera.
Granjear Juriti Sujeito ● Nos monossílabos: ás, três, mês, rês,
Hoje Laje Traje trás, gás (e seus derivados).
Injeção Majestade Trajeto ● Nos oxítonos: aliás, anis, atrás, atra-
Injetar Majestoso Trejeito vés, convés, freguês, país, retrós, revés (e
Interjeição Manjedoura Viajar derivados).
Jegue Manjericão ---------- ● Nos seguintes nomes próprios per-
sonativos: Avis, Brás, Garcês, Inês, Isabel,
Luís, Lopes, Mendes, Cádis, Queirós, Fer-
nandes, Resende, Sousa, Teresa, Tomás,
Valdês.
● Nos adjetivos pátrios em -es: portu-
guês, japonês, holandês.
O g muda para j, sempre que haja ● O sufixo -oso: bondoso, caridoso,
necessidade fonética: aja (do verbo agir); cuidadoso.
dirijo (do verbo dirigir). ● Nos verbos em -isar, derivados de pa-
lavras que têm s no radical: avisar, analisar,
paralisar, pesquisar.
● E, ainda, as seguintes palavras, dentre
as de uso mais comum:

Abuso Besouro Concisão


Os verbos terminados em -jar (via- Aceso Bisar Conclusão
jar, sujar, esbanjar) são escritos com j em Acusar Blusa Confusão
todos os tempos e pessoas: viajem, su- Adesão Brasa Contusão
jem, esbanjem. Agasalho Brasão Corrosão
Alisar Brisa Cortesão
Aplauso Burguesia Cortesia
Ardósia Camisa Crisálida
Arrasar Cartesiano Decisão
Artesão Casimira Deserção
Asa Cisão Despesa
Viajem (com j) ou Viagem (com g)?
Asilo Cláusula Difuso
Atrasar Coesão Dose (ó)
Existem as duas formas escri-
tas: viagem (substantivo), diferente de Aviso Colisão Eclosão

Português 3 - Aula 3 28 Instituto Universal Brasileiro


física ou moral: pobreza (de pobre), leveza
Empresa Incisão Quesito (de leve) etc.
Entrosar Infusão Raso ● E nos seguintes nomes, dentre os mais
Erosão Invasão Rasura usados:
Escusa Isenção Resenha
Evasão Lesar Sinusite Abalizar Capuz Juizo
Exclusão Liso Siso Alcaçuz Cartaz Lambuzar
Êxtase Lousa Sósia Alcatraz Catequizar Magazine
Extravasar Maisena Tosar Algazarra Catorze Natureza
Frenesi Obséquio Transe Chimpanzé
Algoz Nazismo
(ou chipanzé)
Frisar Paisagem Transigir
Amazona Cicatriz Perdiz
Friso Paisano Trânsito
Amizade Cinza Perspicaz
Fusão Paraíso Traseira
Anzol Cozinha Prazer
Fusível Paralisia Usina
Aprendiz Cruz Prazo
Fuso Parmesão Usurpar
Armazém Cruzar Predizer
Garnisé Persuasão Vasilha
Arroz Cuscuz Prezado
Gasolina Pêsame Vaso
Assaz Deduzir Primazia
Gasoso Pesquisa Vesícula
Atemorizar Deslizar Quatorze
Grisalho Presépio Visita
Atriz Desprezo Quinze
Groselha Presunto ----------
Atroz Dezembro Raiz
Guloseima Querosene ----------
Audaz Dezesseis Ranzinza
Avestruz Dezessete Reduzir
Avizinhar Dizimar Regozijo
Azarado Doze Revezar
Azeite Duzentos Rezar
Azia Envernizar Rodízio
A pessoa portadora de um determi- Azulejo Enzima Senzala
nado nome poderá manter em sua as- Baliza Esfuziante Talvez
sinatura, a forma do nome tal como ela Batizar Esvaziar Topázio
aparece na certidão de nascimento. Veja: Bazar Franzir Trapézio
Cleuza (para a portadora do nome) e Cleu- Belzebu Feroz Trazer
sa (para os demais); Luiz (para o portador
Benzer Fuzil Trezentos
do nome) e Luís (para os demais).
Benzina Gaze Várzea
Bezerro Giz Vazar
Emprego do z Bizarro Gozar Vazio
Bronze Guizo Verniz
Emprega-se z:
● Nos derivados em ázio, zal, zada, zei- Buzina Horizonte Xadrez
ro, zinho, zito, izar: copázio, cafezal, pazada, Búzio Induzir ----------
homenzinho.
● Nos derivados de palavras de radical
em z: cruzeiro (de cruz), enraizar (de raiz). Terminações -esa e -eza
● Nos verbos terminados em zir e zer:
conduzir, fazer, induzir. Ocorre a terminação -esa
● Nos verbos terminados pelo sufixo gre-
go - izar: fertilizar, civilizar. ● Na flexão feminina dos nomes termina-
● Nos substantivos abstratos em - eza, dos em -ês: portuguesa, japonesa, inglesa,
derivados de adjetivos e denotando qualidade holandesa, francesa.
Português 3 - Aula 3 29 Instituto Universal Brasileiro
● Na flexão feminina dos seguintes no- Terminações -zinho e -sinho
mes: baronesa (barão), consulesa (cônsul),
duquesa (duque), jogralesa (jogral), priore- ● Vocábulos oxítonos terminados em
sa (prior), princesa (príncipe). consoante tomam, geralmente, o sufixo -zinho:
● Em outros nomes, como: mesa, des- cafezinho, homenzinho, vovozinho, hospital-
pesa, surpresa etc. zinho.
● O z final da palavra se junta ao sufixo
O sufixo -eza -inho: narizinho (nariz + inho).
● O s final da palavra se junta ao sufixo
● Junta-se a adjetivos para formar subs- -inho: paisinho (país + inho).
tantivos femininos: rudeza (rude), tristeza
(triste), leveza (leve).
Emprego do c e ç
● Aparece em outros nomes, como proe-
za, nudeza.

Terminações -isar e -izar


O sufixo -izar

● Agrega-se a substantivos ou adjetivos


para formar verbos: martirizar (de mártir),
canonizar (de cânone), anarquizar (de anar-
quia). Por vezes, a palavra deriva da forma
primitiva latina como pulverizar (do latim pul- Escrevem-se com c ou ç:
ver); contemporizar (do latim temporis); ar- ● Os sufixos -ção, -aço, -aça, -uça, -iço:
borizar (do latim arboris). aviação, barcaça, dentuça, caniço.
● Liga-se a terminações em ico: climati- ● Os substantivos derivados de -ter:
zar (climático), narcotizar (narcótico), fanati- contenção (conter), abstenção (abster).
zar (fanático), sintetizar (sintético). ● Grafam-se, ainda, com c ou ç as pala-
● Pode provir da terminação iz e o sufixo vras seguintes, dentre as mais usadas:
ar: cicatriz + ar = cicatrizar; en + verniz + ar =
envernizar. Absorção Adição Canção
Abraço Adoção Carcaça
A terminação -isar Abstração Alçapão Carniça
Açafrão Almoço Cebola
● É usada nos casos em que a palavra Açaí Asserção Ceder
original é escrita com s. Nestes casos, o sufi- Acender Assunção Cedilha
xo -ar é agregado a uma das terminações is, Acepção Atiçar Cedro
ise, isa, iso: irisar (íris + ar), analisar (análise
Aceitar Babaçu Ceia
+ ar), divisar (divisa + ar), avisar (aviso + ar).
Aceso Berço Ceifar
Acesso Caçarola Cem
Terminações -isa e -iza Acessório Cacique Cemitério
● A terminação -isa é desinência fle- Acetona Caçoar Cenografia
xional feminina dos nomes: pitonisa (píton), Açougue Caçula Centavo
sacerdotisa (sacerdote), poetisa (poeta), Açúcar Caiçara Centeio
etiopisa (etíope). Açucena Calça Cera
● A terminação -iza forma-se do sufixo Açude Calção Cereal
-iz mais o -a do feminino: juíza (juiz), apren- Adaptação Camurça Cerimônia
diza (aprendiz).
Português 3 - Aula 3 30 Instituto Universal Brasileiro
Cervo Cipó Concepção Dissipar Necessário Retrocesso
Cesta Cirrose Condição Dissuadir Obsessão Reversão
Cetim Cismar Condução Distensão Opressão Salsinha
Cevar Citar Conjunção Emersão Pensão Sebáceo
Chouriço Ciúme Contorção Emissão Perversão Sebo
Cílio Coçar Convenção Endosso Pintassilgo Seda
Cinismo Coleção Correção Escasso Possessão Seleiro
Cio Comoção Corrupção Excessivo Premissa Sela
Excursão Pretensão Sem
Expressão Procissão Sensual
Emprego do s ou ss Extensão Progressão Siri
Extorsão Promessa Sonso
Falso Propensão Sossego
Farsa Propulsão Submisso
Gesso Quermesse Subsídio
Girassol Repressão Subversão
Impressão Repercussão Sucessão
Incursão Repulsivo Suspensão
Insulto Ressaca Tensão
Inversão Ressarcir Utensílio
● O imperfeito do subjuntivo: acendes- Massagem Ressurreição Valsa
se, quisesse, ouvisse. Melissa Ressuscitar Verossímil
● O superlativo em -íssimo: amicíssi- Musselina Retensão Vicissitude
mo, seríssimo.
● Os nomes seguintes, entre os de em-
prego mais comum:

Abscesso Assertivo Comparsa


Acesso Assessorar Compasso
Acessível Assíduo Compreensão Verbos grafados com ced originam subs-
Admissão Assistente Compressão tantivos e adjetivos grafados com cess: ceder
Ânsia Assobiar Compulsório – cessão; conceder – concessão; retroceder
Apreensão Associar Concessão – retrocesso. Exceção: exceder – exceção.
Argamassa Assombrar Condessa
Verbos terminados em –nder geralmen-
te dão origem a substantivos terminados em
Ascensão Assoprar Confissão
–nsão: compreender – compreensão, preten-
Ascensorista Assunção Congresso der – pretensão; apreender – apreensão.
Assalto Assustar Conselho
Assar Aterrissar Conversão
Assanhar Autópsia Convulsão Emprego do x
Assassino Aversão Demissão
Assédio Avesso Depressão
Assegurar Avulso Descanso
Asseio Bússola Dimensão
Assembléia Carrossel Discussão
Assentar Cassino Dissimular
Asserção Comissão Dissídio

Português 3 - Aula 3 31 Instituto Universal Brasileiro


O emprego do x é considerado um ca- XeS
pítulo à parte, devido à diversidade de sons
representados por essa consoante. Escrevem-se com X e não com S:
aproximar expender exterminar
/CH/: xarope, vexame, enxofre.
auxílio expensas extinção
/CS/: látex, complexo, reflexo.
bissexto experiência extorquir
/Z/: exame, exímio, exílio.
/SS/: auxílio, próximo, máximo. contexto expletivo extorsão
/S/: sexto, texto, extraordinário. contextura explicar extração
excerto explodir extrair
excesso explorar extraordinário
X e CÇ exclamar explosão extrato
excluir expoente extravagante
Escrevem-se com X e não com CS: exclusão expor extravasar
exclusive exportar extraviar
conexão fixo inflexão
exclusivo expressão extrínseco
crucifixo flexão reflexo
excreção expresso máximo
desconexo fluxo refluxo etc.
excremento exprimir pretexto
excursão expulsão próximo
Escrevem-se com CÇ e não com X:
expandir êxtase sintaxe
expansão extensão têxtil
afecção dicção ficção
expedir extensivo texto
confecção dissecção fricção
deflecção facção infecção
X e CH

XeZ Grafam-se com CH e não com X:


● Sílabas que seguem a ma, mi, mo,
Escrevem-se com X e não com Z: mu; - machado.
● Seguintes palavras, dentre as mais usadas:
exaltar exibir existir
exame exigir êxodo alcachofra chimarrão colcha
execrar exilar exorcismo belchior chimpanzé comichão
executar exilado exótico bochecha chiqueiro debochar
exegese exíguo exuberante bolchevista chita estrebucha
exemplo eximio exultar broche chocalho fechar
bucha chocar fetiche
NOTA: O som z depois de e inicial, é
cachimbo chofre ficha
sempre grafado com x.
cachopa chouriço flecha
capuchinho chuchu galocha
Escrevem-se com S não com X:
chá chulé hachura
chacina churrasco linchar
destra esplendor estrangeiro chaminé chutar machado
escudo espontâneo estranho charada cochoeira machucar
esdrúxulo espremer estrume charque cochicho mecha
chiar cochilo mochila
esparzir esquisito justapor
nicho piche tacho
esplêndido estender misto pechincha tachar ----------

Português 3 - Aula 3 32 Instituto Universal Brasileiro


Escrevem-se com X e não com CH:
continue. Grafam-se com i os verbos ter-
● Grafam-se com x as palavras de ori-
minados em –uir, -oer, -air, na 2ª e 3ª
gem indígena ou africana. Ex: xangô.
pessoas do singular do presente do indi-
● As sílabas que se seguem a ditongo:
cativo. Ex. tu possuis, ele possui. E na 2ª
frouxo, deixar.
pessoa do singular do imperativo afirmati-
● As sílabas que se seguem ao me, com
vo. Ex.: possui tu, corrói tu.
exceção das palavras: mecha, mechar e me-
chagem.
● A sílaba que se segue ao en inicial, com
as seguintes exceções: encher (e seus deriva- Abreviação, abreviatura e sigla
dos), enchova, e verbos derivados de nomes Há vários processos de redução de pa-
com ch inicial (enchumbar, de chumbo). lavras tanto na língua falada como na escrita.
● E, ainda, entre outras, as palavras: A gramática estabelece as regras, mas nem
todas as reduções seguem as tais regras.
abacaxi faxina praxe Em geral, pode-se dizer que os conceitos de
atarraxar fuxicar puxar abreviação, abreviatura e sigla são processos
bexiga graxa relaxar de redução de palavras que apresentam algu-
bruxa haxixe rixa mas particularidades.
capixaba laxante taxa A abreviação é a redução de uma pala-
caxambu lixa vexar vra baseada no conceito. Ex.: pneu (pneumá-
caxangá luxo xadrez tico). A abreviatura tem como objetivo econo-
caxumba luxúria xale
mizar espaço e tempo ao representar parte
da palavra como equivalente a um todo. Ex.:
caxixe macaxeira xampu
apto. (apartamento). A sigla é a abreviatura
coaxar maxixe xarope
feita com as letras iniciais de uma palavra. Ex.
coxa mexer xaveco
RG (Registro Geral).
coxilha mexerico xerife
elixir mexicano xícara
engraxar orixá xingar Abreviação
esdrúxulo oxalá xucro A abreviação do vocábulo é conhecida
também como forma reduzida da palavra até
Escrevem-se com XC: certo limite, de modo que não haja prejuízo de
entendimento. É uma forma de economizar-
exceção excêntrico exceto mos palavras e tempo, mediante uma comuni-
exceder excepcional excetuar cação mais rápida, que reduz frases, expres-
excelência excerto excipiente sões e palavras. Veja os exemplos:
excelente excessivo excisão
excelso excesso excitar Micro Microcomputador
Fone Telefone
Foto Fotografia
Pneu Pneumático
Cine Cinema
Pornô Pornográfico
Pneu Pneumático
Emprego das vogais e e i
Prof Professor
Japa Japonês
Grafam-se com e as formas do pre-
Sampa São Paulo
sente do subjuntivo dos verbos termina-
dos em oar e uar. Ex.: perdoe, cultue, Floripa Florianópolis

Português 3 - Aula 3 33 Instituto Universal Brasileiro


Abreviatura tratado, entre outros. A sigla é muito comum,
principalmente em textos científicos e os jor-
Abreviatura é a representação de uma nalísticos em geral.
palavra através de suas sílabas (geralmente
iniciais) ou de letras. Para saber abreviar cor- Regras quanto ao uso das siglas
retamente uma palavra é simples: escreva a
primeira sílaba e a primeira letra, seguidas de ● Todas as letras devem ser escritas com
ponto final abreviativo. Se a primeira letra da letra maiúscula se a sigla tiver até três letras
segunda sílaba for uma vogal, a abreviação irá ou se todas as letras tiverem um significado
até a consoante. Caso a palavra tenha acento independente.
gráfico na primeira sílaba, será mantido e se
a segunda sílaba se iniciar por duas consoan- CPF Cadastro de Pessoa Física
tes, serão mantidas na abreviatura. Há ainda CEP Código de Endereçamento Postal
os casos que não obedecem nenhuma regra ONU Organização das Nações Unidas
em particular. Vejamos alguns exemplos. ONG Organização Não Governamental
MEC Ministério da Educação e Cultura
Gram. Gramática
CEF Caixa Econômica Federal
m Metro
BB Banco do Brasil
adj. Adjetivo
INSS Instituto Nacional da Seguridade Social
num. Numeral
IOF Imposto sobre Operações Financeiras
núm. Número
SIF Serviço de Inspeção Federal
gên. Gênero
pess. Pessoa
a. C. Antes de Cristo
Cia. Companhia
Ltda. Limitada
S.A. Sociedade anônima
id. Idem ● Quando mencionadas pela pri-
ib. ou ibid. Ibidem (da mesma forma) meira vez no texto, deve-se escrever pri-
U.S.A. United States of America meiramente a forma por extenso, seguida
vv. Versículos da sigla entre parênteses, ou separada
por hífen. Ex.: A Universidade Federal do
A abreviatura é parte da palavra escrita Paraná (UFPR) é a universidade mais an-
que indica ou resume a palavra, por meio da tiga do Brasil.
letra inicial: v. = veja; das letras ou sílabas ini- ● Não são colocados pontos inter-
ciais: of. = ofício; de letras iniciais, mediais ou mediários e ponto final nas siglas. Ex.:
finais: pq. = porque. Associação Paranaense de Reabilitação
A abreviatura caracteriza-se pelo ponto – APR (e não A.P.R.)
abreviativo: ed. = edição; pela inicial maiús- ● Siglas com até três letras são es-
cula ou minúscula (conforme a norma ortográ- critas com todas as letras maiúsculas. Ex.:
fica): V. Exa. = Vossa Excelência; pela acen- ONU – Organização das Nações Unidas;
tuação e flexão: cód. = código, fs. = folhas. IML – Instituto Médico Legal.

● Siglas com quatro letras ou mais de-


Siglas
vem ser escritas com todas as letras maiús-
Sigla é o nome dado ao conjunto de le- culas quando cada uma de suas letras ou
tras iniciais dos vocábulos (normalmente os parte delas é pronunciada separadamente, ou
principais) que compõem o nome de uma or- somente com a inicial maiúscula, quando for-
ganização, uma instituição, um programa, um mam uma palavra pronunciável.
Português 3 - Aula 3 34 Instituto Universal Brasileiro
Banco Nacional de
BNDES
Desenvolvimento Social
Masp Museu de Arte de São Paulo
Embrapa Empresa Brasileira de Pesquisa
Detran Departamento Estadual de trânsito Na Internet, siglas não seguem
Bolsa de Valores do Estado de São a regra de iniciais maiúsculas
Bovespa
Paulo
Vocabulário Ortográfico da Língua Em 1989, ao padronizar um novo
Volp
Portuguesa tipo de comunicação entre vários com-
putadores, o cientista inglês Berners-Lee
criou o famoso "http", sigla usada como
abreviatura de hypertext transfer protocol
("protocolo de transferência de hipertex-
to"). No início da década de 90, o cientista
inglês continuou desenvolvendo seu sis-
Algumas siglas mantém tema com o objetivo de divulgá-lo no mun-
as iniciais do inglês do todo e a idéia acabou pegando. Assim
nascia o "www", abreviatura de world
É o caso de Unesco – United Nations wide web, algo como "rede de alcance
Educational, Scientific and Cultural Organiza- mundial", por onde circulariam essas in-
tion; em protuguês, Organização das Nações
formações em formato de hipertexto. A
Unidas para Educação, Ciência e Cultura.
No Brasil, algumas denominações seguem a internet estava pronta para se populari-
mesma tendência: a Síndrome da inumodefi- zar, tarefa facilitada pelo surgimento de
ciência adquirida (Sida) ficou conhecida pela programas especiais de navegação pela
sigla em inglês Aids - Acquired immunode- rede, como o Netscape (1994) e o Internet
ficiency syndrome; a sigla DVD corresponde Explorer (1995).
à designação em inglês Digital Versatile Disc
(Disco Digital Versátil, em português). Trecho adaptado de artigo disponível em: http://mun-
doestranho.abril.com.br/materia/como-surgiram-as-si-
glas-usadas-na-internet-como-www-e-http.
Acesso em: 03.06.2015.

Deve-se adicionar a letra s


(sempre minúscula) para indicar
o plural das siglas
Ortografia

Normas da escrita

Em muitas situações, é preciso ter o


domínio do padrão escrito formal da língua.
Muitas vezes é preciso adequar o uso da
língua a diferentes contextos. A expressão
Somente quando a concordância escrita exige maior formalidade, enquanto a
gramatical assim o exigir. Ex.: O trabalho oral pode se valer mais da informalidade. E
das ONGs vem repercutindo cada vez essa distinção entre formalidade e informa-
mais na sociedade. / A venda de DVDs pi- lidade estende-se também aos textos escri-
ratas é proibida. tos: a linguagem de um bilhete não será a

Português 3 - Aula 3 35 Instituto Universal Brasileiro


mesma utilizada num contrato de aluguel. Mas ►Z
dominar a grafia correta das palavras continua Emprega-se a letra z nos seguintes ca-
a ser fundamental em qualquer situação. sos:
- Sufixos -ez e -eza, usados para formar
O que significa ortografia? substantivos abstratos derivados de adjetivos:
rigidez (rígido), riqueza (rico).
A palavra ortografia é formada a partir - Palavras derivadas de uma primitiva
de dois elementos gregos: o prefixo orto que grafada com z: cruz: cruzeiro, cruzada; desli-
significa “exato”, “correto”; e grafia que signi- ze: deslizar, deslizante.
fica “ação de escrever”. Portanto, ortografia - Verbos derivados de palavras cujo ra-
remete à “ação de escrever corretamente”. dical contém –s, caso contrário, emprega-se
–izar: análise – analisar; eterno – eternizar.
Emprego de algumas consoantes
►X
►H O emprego do x é considerado um ca-
Emprega-se o h no final de algumas in- pítulo à parte, devido à diversidade de sons
terjeições. Oh! Ah! A letra h é importante no representados por essa consoante. Ex.: CH
caso dos dígrafos ch, lh, nh. – xarope, enxame, puxar; CS – látex, reflexo,
conexão; Z – exame, exemplo, existir; SS –
► CT auxílio, próximo, máximo; S – sexta-feira, tex-
Escrevem-se com ct palavras-prefixos to, expresso.
como hectômetro, láctea. E outros vocábu-
los como impacto, bactéria etc. ► C (Ç)
Os sufixos -ção, -aço, -aça, -uça, -iço:
►G ou J aviação, barcaça, dentuça, caniço.
- Grafam-se com g as palavras termi- Os substantivos derivados de -ter: con-
nadas em –ágio, -égio, -ígio, ógio, úgio. Ex: tenção (conter), abstenção (abster).
pedágio, colégio, prestígio, relógio, refúgio; Grafam-se, ainda, com c ou ç: açaí, ce-
e substantivos terminados em –gem. Ex: via- dilha, açucena, acender, muçarela.
gem, margem.
- Grafam-se com j as palavras de ori- Emprego das vogais e e i
gem africana e indígena. Ex: pajem, canjica,
jiló. Grafam-se com e as formas do presente
do subjuntivo dos verbos terminados em oar e
►S uar: Ex.: perdoe, cultue, continue. Grafam-se
Emprega-se a letra s nos seguintes casos: com i os verbos terminados em -uir, -oer, -air,
- Sufixos -ês, -esa e –isa, usados na na 2ª e 3ª pessoas do singular do presente do
formação de palavras que indicam naciona- indicativo. Ex. tu possuis, ele possui. E na 2ª
lidade, profissão, estado social, títulos hono- pessoa do singular do imperativo afirmativo.
ríficos: Chinês, chinesa, burguês, burguesa, Ex.: possui tu, corrói tu.
poetisa.
- Sufixos –oso e –osa (quando significa Abreviação, abreviatura e sigla
“cheio de”), usados na formação de adjetivos:
delicioso, gelatinosa. A abreviação é a redução de uma
- Depois de ditongos: coisa, maisena, palavra baseada no conceito. Ex.: pneu
Neusa. (pneumático). A abreviatura tem como ob-
- Nas formas dos verbos pôr e querer e jetivo economizar espaço e tempo ao re-
seus compostos: puser, repusesse, quis, qui- presentar parte da palavra como equiva-
semos. lente a um todo. Ex.: apto. (apartamento).
- Nas palavras derivadas de uma primiti- A sigla é a abreviatura feita com as letras
va grafada com s: análise: analisar, analisado; iniciais de uma palavra. Ex. RG (Registro
pesquisa: pesquisar, pesquisado. Geral).

Português 3 - Aula 3 36 Instituto Universal Brasileiro


5. (FUVEST. Adaptada)

1. Identifique a alternativa com a grafia


correta das palavras que preenchem as lacu-
nas abaixo.

Este meu amigo _______________ vai


______________-se para ter direito ao título
de eleitor.

a) ( ) extrangeiro - naturalizar
b) ( ) estrangeiro - naturalisar Em: "O menino levou uma bronca!", a
c) ( ) extranjeiro - naturalizar palavra sublinhada, termo de gíria empregado
d) ( ) estrangeiro – naturalizar na fala popular e coloquial do Brasil, pode ser
entendida como:
2. (CARLOS CHAGAS) A ___________
a ser desenvolvida visava à ______________ a) ( ) aversão
de objetivos bastante _______________. b) ( ) repreensão
b) ( ) repressão
a) ( ) pesquisa, consecução, preten- d) ( ) represália
siosos
b) ( ) pesquiza, consecussão, preten- 6. Leia o enunciado a seguir e identifi-
ciosos que a grafia correta das palavras para preen-
c) ( ) pesquisa, consecussão, preten- chimento das lacunas.
ciosos
d) ( ) pesquiza, consecução, preten-
siosos Especialistas atribuem
o alto número de casos
3. Aponte a alternativa em que há um de anorexia, em parte, à
vocábulo mal grafado: ______________ cultural
por ______________.
a) ( ) quiser, puser, rasurar
b) ( ) talvez, extensão, ocioso
c) ( ) comissão, tácito, conceção
d) ( ) jeito, viagem, sujeira a) ( ) obcessão, magreza.
b) ( ) obseção, magresa.
4. A grafia da palavra sublinhada está c) ( ) obcessão, magresa.
incorreta em: d) ( ) obsessão, magreza.

a) ( ) Na câmara houve muitas absten- 7. Assinale a única alternativa em que


ções de votos. a inicial da palavra está escrita incorreta-
b) ( ) Sua ascenção à presidência da mente:
firma surpreendeu a todos.
c) ( ) A sigla “http” refere-se ao proto- a) ( ) expontâneo.
colo de transferência de hipertexto. b) ( ) exportação.
d) ( ) A disputa entre os cônjuges só c) ( ) esplêndido.
poderia ser resolvida nos tribunais. d) ( ) experiência.
Português 3 - Aula 3 37 Instituto Universal Brasileiro
Comentário. Na alternativa b ocorre a úni-
ca forma incorreta de escrita. A grafia correta é
ascensão que significa ato ou efeito de ascender,
ser promovido ou elevado. Repete-se a regra: ver-
bos terminados em -nder geralmente dão origem a
substantivos terminados em -nsão: compreender
1. d) ( x ) estrangeiro – naturalizar – compreensão, pretender – pretensão; apreen-
der – apreensão; ascender – ascensão. Atenção!
Comentário. Se surgir alguma dúvida Os vocábulos ascender (ser elevado) e acender
ao escrever a palavra estrangeiro com s e (produzir fogo) têm a mesma pronúncia, por isso
com g há possíveis explicações: o dicionário são chamados homófonos: dois verbos diferentes
apresenta a sua origem do latim extraneus, no significado e na grafia, mas pronunciados de
“que vem de fora”; na língua espanhola, fala- modo idêntico.
da pelos nossos vizinhos, a ortografia man-
tém o x de origem latina e a palavra é gra- 5. b) ( x ) repreensão
fada com j extranjero. Em francês, étranger
evoluiu usando a letra g como na ortografia Comentário. Confira o sentido de repreen-
oficial da língua portuguesa que estabelece a são: ação ou efeito de repreender (censurar);
grafia estrangeiro. O sufixo -izar agrega-se reprovação ou censura. A palavra bronca, usual
a substantivos ou adjetivos para formar ver- na fala popular e coloquial do Brasil, geralmente
bos: natural - naturalizar. Somente no caso substitui a palavra repreensão.
de a palavra de origem apresentar s é que a
terminação será -isar. 6. d) ( x ) obsessão, magreza.

2. a) ( x ) pesquisa, consecução, preten- Comentário. A forma correta de escrita da


siosos primeira palavra é obsessão com s e ss. Atual-
mente, a grafia da palavra obsessão pode des-
Comentário. O som z da última sílaba da pertar dúvida por ser associada à palavra obce-
palavra pesquisa é escrito com s. Consecução cado, do verbo obcecar, ambas grafadas com c.
é grafada com ç e significa “ato ou efeito de con- As diferenças se devem à origem latina: obcecar
seguir”, “realização”, “execução”. Pretensioso: a provêm do latim obcaecare que significa “tornar
forma correta da escrita do adjetivo é com s. Qua- cego”; obsessão vem do latim obsessione com
lifica alguém que tem muita pretensão. Associe o o sentido de “assédio, bloqueio”. Portanto, são
uso do s à regra usada para a formação do subs- palavras com etimologias e grafias diferentes. A
tantivo pretensão: verbos terminados em -nder escrita correta da segunda palavra é magreza
geralmente dão origem a substantivos terminados com z. Empregam-se os sufixos -ez e –eza para
em -nsão: pretender – pretensão. formar substantivos abstratos derivados de adje-
tivos: rígido – rigidez, rico – riqueza, magro –ma-
3. c) ( x ) comissão, tácito, conceção greza.

Comentário. A alternativa que apresenta 7. a) ( x ) expontâneo.


um vocábulo mal grafado é a c. A forma corre-
ta de escrita da palavra é concessão com ss, Comentário. Incorreta é a alternativa a. A
que significa uma autorização oficial cedida pelo escrita correta é espontâneo. Mas como distinguir
governo para exploração de serviços públicos ou palavras iniciadas por es ou ex, tão semelhantes?
de bens naturais por tempo determinado. Na or- Não há uma regra fixa para facilitar o emprego de
tografia, a regra para a formação de substantivos s ou x em palavras iniciadas por e. O prefixo latino
a partir de verbos ou compostos com ced- se faz pode estar atualizado como ex, es ou e: exposi-
com ss: ceder – cessão; conceder – concessão. ção, escorrer, emigrar. Portanto, é preciso exerci-
Mas cuidado: exceder resulta em exceção, grafa- tar a observação e fazer muita pesquisa a fim de
da com com ç. agrupar e fixar os diferentes usos de ex e es em
iniciais de palavras. Por exemplo: es: espontâneo,
4. b) ( x ) Sua ascenção à presidência da esplêndido, esdrúxulo; ex: exportação, experiên-
firma surpreendeu a todos. cia, exponencial.

Português 3 - Aula 3 38 Instituto Universal Brasileiro