Você está na página 1de 14

Atmosfera terrestre

AULA 5 Por que o céu apresenta tons de azul? Resultado de coincidências entre ondas
de luz solar e partículas da atmosfera, a qual é descrita como uma camada ga-
sosa, sem cor, sem cheiro, presa ao redor da Terra pela força da gravidade. É na
atmosfera que ocorrem os fenômenos climáticos.

Por que o Sol muda de cor durante o dia?

A luz solar não é amarela nem vermelha, é branca. O branco resulta da soma das sete
cores do arco-íris – violeta, azul, anil, verde, amarelo, laranja e vermelho. Nós enxergamos o
Sol com tonalidades diferentes, ao longo de um dia, porque a atmosfera filtra os seus raios,
separando as cores. A nossa percepção do Sol muda por causa das irregularidades na ca-
mada de ar que envolve a Terra e pela distância que a luz percorre na atmosfera. Existem
partículas de poeira, poluição e gotículas d’água infiltradas entre as moléculas de gás que
compõem a atmosfera.
Como os tons de azul têm os menores comprimentos de onda, eles são os únicos com-
patíveis com essas pequenas partículas, que então absorvem essa luz e a rebatem, espa-
lhando o azul para todos os lugares. Por isso o céu é azulado durante o dia. Quando o Sol
está alto, as cores formadas por ondas de maior amplitude contornam essas partículas e as
moléculas. À medida que o Sol vai se pondo, seus raios têm que atravessar um pedaço maior
da atmosfera, colidindo com obstáculos.
Afinal, no crepúsculo, as ondas longas vão avermelhando gradativamente o horizonte
(embora o resto do céu continue azul). A vermelha é a última onda de luz que consegue cruzar
a atmosfera e nos atingir, por isso o astro-rei fica vermelho no pôr-do-sol. Por fim, o céu fica
escuro com a ausência de luz: não chega mais nenhuma cor e nem se vê mais nenhum espa-
lhamento, pois o Sol está abaixo do horizonte.

Superinteressante. Agosto de 1998. Texto adaptado.

Geografia 1 - Aula 5 51 Instituto Universal Brasileiro


Espaço natural e atmosfera
Estratosfera. Camada que começa de-
Nessa aula vamos estudar a atmosfe- pois das nuvens, e ocupa uma faixa que vai do
ra, camada gasosa que envolve o planeta fim da troposfera (15 km) a 50 km acima do solo.
Terra e que é fundamental para a existên- Nesta camada as temperaturas oscilam de -5 ºC
cia da vida. Trata-se de uma grande massa a -70 ºC. Nela encontramos a quase totalidade
gasosa, com mais de 1.000 km de espes- do gás ozônio existente na atmosfera, respon-
sura e formada de 78% de nitrogênio, 21% sável pela absorção de grande quantidade da
de oxigênio e 1% de outros gases. radiação solar, filtrando os raios ultravioleta. Avi-
ões supersônicos e balões de medição climática
A atmosfera, além de ser vital para a podem atingir esta camada.
existência do ser humano, também é respon- Mesosfera. Ao chegarmos à mesosfe-
sável pela manutenção do equilíbrio térmi- ra passamos por 99% do peso do ar, ou seja,
co do planeta, possibilidade de combustão, quase todo o ar já ficou para trás. Essa camada
transmissão do som, difusão da luz e, princi- se inicia no final da estratosfera e vai até 80 km
palmente, pela absorção de grande parte da acima da superfície terrestre. A temperatura na
radiação solar, perigosa à vida humana. mesosfera varia entre -10 ºC até -100 ºC.
Termosfera. É a camada mais extensa: ini-
cia-se depois da mesosfera e vai até 500 km do
Camadas da Atmosfera
solo. O ar vai se tornando extremamente rarefeito;
Troposfera. É a camada mais próxima da os átomos de oxigênio e nitrogênio reagem e dis-
superfície terrestre, onde se concentram 75% sociam-se em íons, formando camadas ionizadas.
dos gases da atmosfera e ocorrem os fenôme- É uma camada que atinge altas temperaturas que
nos como o vento, a chuva, a formação das nu- podem atingir por volta de 1.000 ºC, pois absorve
vens, relâmpagos entre outros. Essa camada vai grande quantidade de energia solar.
do nível do mar até mais ou menos 15 km de altu- Exosfera. É a camada que antecede o
ra. É também na troposfera que ocorre a poluição espaço sideral. Vai do final da termosfera até
do ar. As temperaturas oscilam entre 40 ºC e -40 aproximadamente 1.000 km do solo. Nesta ca-
ºC, quanto maior a altitude, menor a temperatura. mada as partículas se desprendem da gravida-
A troposfera é a camada em que ocorrem as in- de do planeta Terra. As temperaturas também
terações climáticas do planeta. E, em virtude da podem atingir 1.000 °C. Na exosfera permane-
proximidade com a Terra, é a camada que sofre cem os satélites de transmissão de informa-
maior impacto da poluição ambiental. ções e também telescópios espaciais.

A faixa próxima à
linha divisória de cada
camada é identificada
pelo sufixo -pausa: tro-
popausa, estratopausa,
mesopausa etc. As duas
últimas camadas tam-
bém são denominadas
ionosfera por possuírem
uma grande quantidade
de íons, átomos eletrica-
mente carregados.

Geografia 1 - Aula 5 52 Instituto Universal Brasileiro


Essas mudanças na concentração de gases
de efeito estufa na atmosfera estão ocorrendo em
função do aumento insustentável das emissões
desses gases. As emissões de gases de efeito
estufa ocorrem praticamente em todas as ativida-
Relação entre efeito estufa des humanas e setores da economia: na agricul-
e aquecimento global tura, por meio da preparação da terra para plantio
e aplicação de fertilizantes; na pecuária, por meio
Presença natural de gases de efeito estu- do tratamento de dejetos animais e pela fermen-
fa na atmosfera tação entérica do gado; no transporte, pelo uso de
combustíveis fósseis como gasolina e gás natural;
Parte da energia solar que chega ao plane- no tratamento dos resíduos sólidos, pela forma
ta é refletida diretamente de volta ao espaço, ao como o lixo é tratado e disposto; nas florestas, pelo
atingir o topo da atmosfera terrestre; e parte é ab- desmatamento e degradação de florestas; e nas
sorvida pelos oceanos e pela superfície da Terra, indústrias, pelos processos de produção, como ci-
promovendo o seu aquecimento. Uma parcela mento, alumínio, ferro e aço por exemplo.
desse calor é irradiada de volta ao espaço, mas é
bloqueada pela presença de gases de efeito estufa Principais gases de efeito estufa
que, apesar de deixarem passar a energia vinda
Há quatro principais gases de efeito estufa
do Sol (emitida em comprimentos de onda meno-
(GEE), além de duas famílias de gases:
res), são opacos à radiação terrestre, emitida em
- O dióxido de carbono (CO2) é o mais
maiores comprimentos de onda. Essa diferença
abundante dos GEEs, sendo de combustíveis
nos comprimentos de onda se deve às diferenças
fósseis e remoção de florestas. O CO2 é utilizado
nas temperaturas do Sol e da superfície terrestre.
como referência para classificar o poder de aque-
De fato, é a presença desses gases na at-
cimento global dos demais emitido como resulta-
mosfera que torna a Terra habitável, pois, caso não
do de inúmeras atividades humanas como, por
existissem naturalmente, a temperatura média do
exemplo, por meio do uso de combustíveis fósseis
planeta seria muito baixa, da ordem de 18 ºC ne-
(petróleo, carvão e gás natural) e também com a
gativos. A troca de energia entre a superfície e a
mudança no uso da terra. A quantidade de dióxido
atmosfera mantém as atuais condições, que pro-
de carbono na atmosfera aumentou 35% desde a
porcionam uma temperatura média global, próxima
era industrial, e este aumento deve-se a atividades.
à superfície, de 14 ºC.
- O gás metano (CH4) é produzido pela de-
Quando existe um balanço entre a energia
composição da matéria orgânica, sendo encontra-
solar incidente e a energia refletida na forma de
do geralmente em aterros sanitários, lixões e reser-
calor pela superfície terrestre, o clima se mantém
vatórios de hidrelétricas (em maior ou menor grau,
praticamente inalterado.
dependendo do uso da terra anterior à construção
do reservatório) e também pela criação de gado e
Aumento na concentração de gases de
cultivo de arroz. Com poder de aquecimento global
efeito estufa
21 vezes maior que o dióxido de carbono.
- O óxido nitroso (N2O) cujas emissões
Entretanto, o balanço de energia pode ser al-
resultam, entre outros, do tratamento de dejetos
terado de várias formas: (1) pela mudança na quan-
animais, do uso de fertilizantes, da queima de com-
tidade de energia que chega à superfície terrestre;
bustíveis fósseis e de alguns processos industriais,
(2) pela mudança na órbita da Terra ou do próprio
possui um poder de aquecimento global 310 vezes
Sol; (3) pela mudança na quantidade de energia que
maior que o CO2.
chega à superfície terrestre e é refletida de volta ao
- O hexafluoreto de enxofre (SF6) é utiliza-
espaço, devido à presença de nuvens ou de partí-
do principalmente como isolante térmico e condu-
culas na atmosfera (também chamadas de aeros-
tor de calor; gás com o maior poder de aquecimen-
sóis, que resultam de queimadas, por exemplo); e,
to, é 23.900 vezes mais ativo no efeito estufa do
finalmente, (4) graças à alteração na quantidade de
que o CO2.
energia de maiores comprimentos de onda refletida
de volta ao espaço, devido a mudanças na concen-
Crescente aumento na emissão de car-
tração de gases de efeito estufa na atmosfera.
bono na atmosfera

Geografia 1 - Aula 5 53 Instituto Universal Brasileiro


Emissão de carbono de combustível fóssil

Milhões de toneladas
de CO2 por ano
5.000
4.000
3.000
2.000
1.000
0

1980 81 82 83 84 85 85 86 87 88 89 1990 91 92 93 94 95 96 97 98 99 2000 01 02 03 04 2005


Dados da ONG Trees for the Future e da Energy Information Administration (órgão do governo americano que acompa-
nha o setor de energia) mostram a crescente contribuição dos países emergentes para o total de emissões de carbono.

Aquecimento global

Embora o clima tenha apresentado mudanças ao longo da história da Terra, em todas


as escalas de tempo, percebe-se que a mudança atual apresenta alguns aspectos distintos.
Por exemplo, a concentração de dióxido de carbono na atmosfera observada em 2005 exce-
deu, e muito, a variação natural dos últimos 650 mil anos, atingindo o valor recorde de 379
partes por milhão em volume (ppmv) - isto é, um aumento de quase 100 ppmv desde a era
pré-industrial.
Outro aspecto distinto da mudança atual do clima é a sua origem: ao passo que as
mudanças do clima no passado decorreram de fenômenos naturais, a maior parte da atual
mudança do clima, particularmente nos últimos 50 anos, é atribuída às atividades humanas.
A principal evidência dessa mudança atual do clima é o aquecimento global, que foi de-
tectado no aumento da temperatura média global do ar e dos oceanos, no derretimento ge-
neralizado da neve e do gelo e na elevação do nível do mar, não podendo mais ser negada.
Fonte: Ministério do Meio Ambiente. Disponível em: http://www.mma.gov.br/clima/ciencia-da-mudanca-do-clima/
efeito-estufa-e-aquecimento-global. Acesso em novembro de 2012. Texto adaptado.

Tempo e clima
Tempo atmosférico. É a situação
Muitas pessoas utilizam os termos tempo física da atmosfera em um determinado
e clima como que se eles fossem sinônimos, instante ou, no máximo, no intervalo de al-
mas há uma diferença entre esses conceitos gumas horas.
quando se estuda atmosfera.
Geografia 1 - Aula 5 54 Instituto Universal Brasileiro
Enquanto você lê esse texto, olhe Temperatura
para fora e observe o tempo atmosférico.
Ele pode se apresentar de forma que a
temperatura esteja alta, com ausência de Temperatura do ar é a quantidade
nuvens e chuva e vento fraco. Dentro de de calor existente no ar.
algumas horas, esse tempo pode-se alterar
e teremos então, por exemplo, uma queda Os raios solares aquecem os oceanos
da temperatura, o predomínio de nuvens, e os continentes, os quais irradiam esse ca-
presença de chuva e ventos fortes. lor, que vai aquecer a atmosfera. Isto quer
Esse é um exemplo do tempo atmos- dizer que os raios solares, quando atraves-
férico e você deve ter reparado o quanto sam a atmosfera, vão aquecer diretamente
que ele é dinâmico, ou seja, muda cons- a Terra, a qual, por sua vez, irradia esse
tantemente. Você pode dizer, por exem- calor, que então vai aquecer o ar.
plo, “O tempo está quente” ou “O tempo
hoje foi frio”, mas não consegue afirmar Irradiação terrestre
isso para um período muito longo de Raio
tempo. solar
Camada superior
da atmosfera
Clima. É o termo utilizado para
nos referirmos ao que ocorre na atmos- 60% penetra
fera de um lugar ao longo de um ano. na atmosfera
Assim, podemos defini-lo como sendo
o comportamento habitual da atmosfera
de um lugar. 43% chega ao
globo terrestre 17% absorvido
diretamente
pela atmosfera
Para saber o que acontece na atmos- 10% é refletido
fera de um lugar ao longo de um ano, é pre- Superfície Irradiação
ciso analisar o tempo atmosférico durante da Terra terrestre
muitos meses. Depois dessa longa obser- Terra 33% penetra
vação, é feito um resumo das informações
obtidas, que poderá levar a afirmações
como “Nessa região as chuvas ocorrem no A temperatura do ar varia entre o dia
inverno” ou ainda, “As temperaturas são e a noite, de uma estação para outra e de
baixas o ano todo”. uma região para outra em virtude da dife-
rença de calor que a Terra apresenta entre
o dia e a noite, no verão e no inverno, e
Elementos e fatores climáticos conforme a posição geográfica das terras.
Os fatores mais importantes que influem na
São fenômenos naturais que deter- temperatura do ar são: latitude, altitude e
minam o tempo atmosférico e o clima. Os proximidade do mar.
principais fenômenos climáticos: tempe-
ratura; ventos e pressão atmosférica; a) Latitude
umidade do ar, precipitações e con- Sabemos que a Terra tem a forma arre-
densações. Esses elementos variam dondada, levemente achatada nos polos, e
de um lugar para outro, principalmente que, em virtude disso, ela não recebe a mes-
em razão de alguns fatores naturais, tais ma quantidade de calor em todos os pontos.
como a latitude, a altitude e a proximida- Na região cortada pelo Equador, os raios so-
de do mar, criando uma dinâmica climá- lares caem perpendicularmente, aquecendo a
tica permanente. superfície terrestre, mas, à medida que cami-
nhamos em direção aos polos, esse calor vai
Geografia 1 - Aula 5 55 Instituto Universal Brasileiro
diminuindo de intensidade, em virtude de os
raios solares caírem obliquamente. Isto quer
dizer que há regiões mais quentes, outras de
temperatura amena e outras ainda onde rei-
na muito frio. O ar é mais quente nas regiões
As áreas situadas no interior dos continentes
atravessadas pela linha do Equador, tempe- não têm essas características. As rochas se aque-
ratura essa que vai diminuindo à medida que cem muito rápido, quando expostas ao Sol, mas
nos aproximamos dos polos. também esfriam rapidamente, quando privadas da
energia solar. Por isso, no interior dos continentes,
b) Altitude a amplitude térmica (variação térmica, ou seja, tra-
À medida que nos elevamos do solo, a ta-se da diferença existente entre a temperatura
temperatura do ar vai diminuindo, e a prova mais alta e a mais baixa) aumenta e as chuvas di-
disso temos no ar frio que encontramos nas minuem, pois os ventos vão perdendo a umidade,
grandes altitudes, nas montanhas elevadas, à medida que penetram nos continentes.
das quais muitas apresentam os picos cober-
tos de neve. Constata-se, assim, que as ca-
madas elevadas do ar apresentam uma tem- Pressão atmosférica e ventos
peratura baixa, enquanto as camadas baixas
apresentam temperatura mais elevada, isto Pressão atmosférica é o peso do ar
é, nas planícies o ar é mais quente e no alto sobre a superfície terrestre.
das montanhas, mais frio. Segundo dados, a
temperatura do ar diminui 1 ºC a cada 200 m Como esse peso não é exercido de ma-
de altitude. neira uniforme em todos os lugares, temos dife-
renças de pressão atmosférica na superfície da
Terra. Dessas diferenças se originam os ventos.

Quanto maior a altitude, menor a


pressão atmosférica e menor a
concentração de oxigênio

• 2.800 metros. Até aí, a maioria das pesso-


as não tem problemas com a altitude. No máximo,
A montanha Cotopaxi está localizada na região da pode sentir cansaço ou dor de cabeça leve.
linha do Equador, onde geralmente faz muito ca-
lor. Mesmo assim, no pico dessa montanha, que
• Acima de 2.800 metros. A partir desta al-
atinge mais de 5.800 metros de altitude, encon- titude é comum acontecer o “mal agudo de mon-
tramos neve. tanha”, por causa do ar rarefeito, que pode atingir
qualquer pessoa. É caracterizado por dor de cabe-
ça, fadiga, falta de ar, distúrbios do sono e náusea.
c) Proximidade do mar • 3.000 a 5.500 metros. É nesta faixa que
A influência do mar, ou maritimidade, é ocorre a maioria dos casos de edema pulmonar.
um importante regulador do clima de regiões Os sintomas - falta de ar, tosse forte, letargia e fe-
litorâneas. Como as águas do mar se aque- bre baixa - geralmente se desenvolvem depois de
cem e se resfriam muito lentamente, essas re- 36 a 72 horas na altitude.
giões têm temperaturas mais amenas e com • Acima de 5.500 metros. A partir daí, diminui
pequenas variações. Os ventos carregados muito a capacidade de aclimatação do organismo.
de umidade vindos dos oceanos tornam essas Superinteressante, outubro de 1996.
regiões mais úmidas e chuvosas.
Geografia 1 - Aula 5 56 Instituto Universal Brasileiro
fera pode ser considerada em números abso-
Vento é o nome dado aos movimen- lutos (g/m³) ou relativamente ao seu ponto de
tos horizontais e verticais do ar. saturação, ou seja, à sua capacidade máxima
de reter umidade. Assim, dizer que a umidade
A formação dos ventos depende da dis- relativa do ar está em 60%, significa que faltam
tribuição das temperaturas na superfície ter- 40% para atingir a capacidade de retenção to-
restre, pois estas são responsáveis pela desi- tal de vapor de água no ar e iniciar uma chuva.
gualdade de pressão atmosférica que iniciam
o movimento dos ventos. Nas regiões mais Precipitações
frias, o ar é mais pesado, nas áreas quentes,
é mais leve. O mecanismo básico dos ventos Ocorrem quando o vapor de água da
depende da maior ou menor pressão do ar so- atmosfera atinge seu ponto de saturação.
bre a superfície da Terra. São as chamadas precipitações não su-
perficiais, porque a condensação ocorre
Área de nas camadas mais elevadas da atmosfera.
Área de baixa pressão alta pressão
Apresentam-se sob as formas de chuva,
neve e granizo.

As chuvas resultam da conjugação de dois


fatores: o vapor de água atingir seu ponto de sa-
turação e a queda de temperatura da atmosfera.
Podem se formar de três maneiras: convectivas,
orográficas ou de montanha e frontais.

(temperatura 30 ºC) Vento (temperatura 25 ºC)


Chuvas de convecção
Os ventos deslocam-se sempre das áre-
as de alta pressão (áreas frias) para as áreas
de baixa pressão (áreas quentes). As zonas de
alta pressão são chamadas anticiclonais, ou
seja, são dispersoras de ventos. Já as áreas de
baixa pressão (áreas quentes) são chamadas
ciclonais, em que o ar está sempre em movi-
mento, pois aí convergem os ventos.

Umidade do ar, precipitações


e condensações
Ar frio
Umidade atmosférica Ascensão de descendente
ar aquecido

É a quantidade de vapor de água exis-


tente no ar, e varia de um lugar para outro ou
em um mesmo lugar, dependendo do dia, do
mês e da estação do ano.
Ocorrem quando o ar, em ascensão ver-
Você já deve ter visto algum boletim me- tical, se resfria (em contato com camadas mais
teorológico que informava: “Tempo bom, tem- frias), se condensa e se precipita sob a forma
peratura estável, umidade relativa do ar 60%”. de chuva.
Sabe o que isso significa? A umidade da atmos-
Geografia 1 - Aula 5 57 Instituto Universal Brasileiro
Chuvas de relevo ou orográficas Resultam do contato entre duas massas
de ar de características diferentes, uma quente
(direção dos ventos) e outra fria. Nesse contato ocorre a conden-
sação do vapor e a precipitação da água em
forma de chuva. A área de abrangência (em
quilômetros quadrados) e o volume de água
precipitada estão relacionados com a intensi-
dade das massas, variável no decorrer do ano.

São produzidas pelo movimento as-


cendente do ar úmido, em consequência Como se mede a chuva?
do relevo do solo. Quando uma corrente de
ar carregada de umidade se encontra com O índice pluviométrico refere-se à quanti-
uma cadeia de montanhas, ela se eleva, dade de chuva por metro quadrado em determi-
para vencer o obstáculo. Nesse movimento, nado local e em determinado período. O índice
o ar distende-se, resfria-se e pode produzir é calculado em milímetros. Se dissermos que o
chuvas. índice pluviométrico de um dia, em certo local,
foi de 2 mm, significa que, se tivéssemos nesse
Chuvas frontais local uma caixa aberta, com 1 metro quadrado
de base, o nível da água dentro dela teria atin-
Frente fria gido 2 mm de altura naquele dia. Para chegar a
esse índice, as centenas de estações meteoro-
Nuvem lógicas espalhadas pelo país utilizam um apa-
Ar quente relho conhecido como pluviômetro. Há vários
modelos diferentes, mas o instrumento cons-
titui-se, basicamente, do funil de captação e
Ar frio básculas que enviam sinais elétricos para uma
estação meteorológica. Com base em todos os
aparelhos instalados na cidade, é possível che-
gar à média da precipitação observada na área
total. Quando escutamos que choveu 7 mm na
Superfície terrestre cidade, por exemplo, significa que essa seria
a altura média alcançada pela água a partir do
chão, na área total da cidade em determinado
Frente quente período de tempo. Por fim, os diagnósticos que
permitem afirmar que choveu mais ou menos
Nuvem do que o esperado para a semana ou o mês es-
tão relacionados com gráficos elaborados com
base na média de chuva em cada período.
Ar frio Fonte: Revista Nova Escola. Disponível em:
http://revistaescola.abril.com.br/geografia/fundamen-
tos/como-se-calcula-indice-pluviometrico-476502.sht-
Ar frio ml. Acesso em novembro de 2012.

A neve ocorre quando a temperatura do ar


Superfície terrestre
é muito baixa e chega a 0 ºC ou menos ainda.
Assim, o vapor de água contido na atmosfera so-
lidifica-se formando pequenos flocos de cristais
Geografia 1 - Aula 5 58 Instituto Universal Brasileiro
de gelo, que caem sobre a superfície terrestre.
Já o granizo é a nossa conhecida “chuva os escapamentos dos carros lançam na
de pedra”. Acontece quando gotas de água são atmosfera. A queima de petróleo e carvão
levadas para camadas mais frias e mais altas da libera gases poluentes — entre eles o di-
atmosfera, pela ascensão vertical do ar e trans- óxido de enxofre, os óxidos de nitrogênio
formam-se em gelo. e o monóxido de carbono, compostos tóxi-
cos que servem como matéria-prima para
Condensações superficiais as gotas de chuva nocivas.
2. Nem sempre a tempestade cai no
Ocorrem próximo à superfície terres- mesmo lugar em que os poluentes foram
tre. Elas não caem, isto é, não se precipi- liberados, porque as correntes de vento
tam. Os principais tipos são: o nevoeiro podem transportar os gases tóxicos por
ou neblina, o orvalho e a geada. mais de 2 mil quilômetros. Isso explica
como o arquipélago das Bermudas, no
O nevoeiro é uma suspensão de minús- Caribe, ou as montanhas amazônicas do
culas gotículas de água ou cristais de gelo sul da Venezuela, onde não há indústrias,
numa camada de ar próxima à superfície da sofrem tanto com a chuva ácida.
Terra. Forma-se quando o ar quente e úmido, 3. Durante o transporte, os gases po-
em contato com o solo frio ou com superfícies luentes entram em contato com o vapor
líquidas, perde calor e se condensa. Usa-se, d’água e com os gases que compõem a
por convenção internacional, o termo nevoeiro atmosfera, como o oxigênio e o nitrogê-
quando a visibilidade horizontal no solo é me- nio. Estimulados pela energia solar, esses
nor a 1 km e quando é maior a 1 km, a suspen- compostos vão reagir e gerar as substân-
são é chamada de neblina. cias que compõem a chuva ácida.
O solo também pode se apresentar co- 4. As reações fazem com que o ar
berto de pequeninas gotas de água após uma apresente uma concentração elevada de
noite de baixa temperatura. Isso acontece compostos ácidos, principalmente de áci-
porque devido ao contato com o solo frio, o do sulfúrico e ácido nítrico. Quando chove,
vapor de água das camadas mais baixas da as gotas levam esses ácidos do ar para a
atmosfera passa para o estado líquido. Te- terra. Nos casos mais graves, o nível de
mos, então, o orvalho. acidez na chuva pode ser superior ao de
Se o resfriamento do ar foi muito forte e um suco de limão!
rápido, o vapor de água passará diretamente
Fonte: Revista Mundo Estranho. Disponível em:
para o estado sólido, formando uma fria ca- http://mundoestranho.abril.com.br/materia/o-que-e-chu-
mada de gelo, conhecida como geada, que va-acida. Acesso em novembro de 2012. Texto adaptado.
nada mais é que o orvalho congelado.

Tipos de clima
No planeta há uma grande variedade
de fatores climáticos que, em conjunto, pro-
Precipitação de chuvas ácidas: porciona o surgimento de vários tipos de cli-
gotas de destruição ma. O mapa a seguir apresenta uma classi-
ficação por grandes regiões do planeta. Vale
Esse tipo de precipitação agride flo- salientar que ele não fornece informações
restas, mata a vida aquática e torna solos sobre as diferenças encontradas dentro de
improdutivos cada região, como as resultantes das dife-
1. A origem da chuva ácida está na renças locais de altitude, dos graus diferen-
fumaça que as chaminés das fábricas e ciados de urbanização e das características
locais de relevo.
Geografia 1 - Aula 5 59 Instituto Universal Brasileiro
Tipos de clima (adaptado da classificação de Köppen)

Equatorial
Subtropical
Semiárido
Temperado
Polar
Tropical
Desértico
Mediterrâneo
Frio
Frio de montanha

Zonas climáticas

Polar

Temperada

Intertropical

O primeiro mapa é uma adaptação da tropical de altitude (temperaturas médias, me-


classificação climática proposta em 1936, nos elevadas devido ao fator altitude).
pelo cientista russo Wladimir Köppen. Para
classificar os diferentes tipos de clima, Tropical
Köppen considerou apenas os principais
elementos que os caracterizam, no caso, É o clima característico das áreas lo-
temperatura e chuvas. Após a coleta des- calizadas entre os trópicos, passando pela
ses dois dados por um intervalo de 30 anos, linha do Equador. É um clima quente com al-
estabeleceram-se genericamente as carac- guns subtipos: tropical típico ou continental
terísticas dos tipos climáticos. Vamos fazer (duas estações bem definidas – verão chuvo-
uma análise simplificada dessas caracterís- so e inverno seco). Ocorre no Brasil central e
ticas, agrupando alguns tipos e subtipos. em grande parte da África.

Equatorial Subtropical

Clima das áreas próximas da linha do É considerado um clima de transição por


Equador, muito quente, com pequenas ampli- estar na zona de mudança de um clima para
tudes térmicas e chuvas abundantes na maior outro. No caso, é encontrado nas áreas de
parte do ano, tropical de monções (clima transição do clima tropical para o clima tem-
do sul e do sudeste da Ásia e caracteriza-se perado. Apresenta chuvas bem distribuídas,
pelas chuvas torrenciais de verão, causadas aumento da amplitude térmica e estações do
pelas monções oceânicas e inverno seco) e ano mais definidas. Ocorre no sul do Brasil.
Geografia 1 - Aula 5 60 Instituto Universal Brasileiro
Desértico

Pequena quantidade de chuvas e grande


amplitude térmica. Ocorre tanto em áreas tropicais
como em áreas temperadas: norte da África (Sa-
ara), Oriente Médio (Neguev), oeste dos Estados Aprendendo a ler climogramas
Unidos e norte do México (Sonora), litoral do Chile
e do Peru (Atacama), Austrália (Gibson), sudoeste Climogramas são gráficos que represen-
da África (Kalahari) e noroeste da Índia (Thar). tam a quantidade de chuvas (precipitações)
e a temperatura de uma localidade, medidas
por uma estação meteorológica durante doze
Semiárido meses do ano. Para construí-los, usamos o sis-
tema de coordenadas cartesianas: ordenadas
Também é considerado um clima de tran- (vertical) e abscissas (horizontal).
sição. Encontrado tanto em regiões tropicais Um climograma tem duas ordenadas:
(sertão do Nordeste brasileiro) como em áre- uma à esquerda, onde normalmente são repre-
as temperadas (Patagônia, Argentina). Nesse sentadas as temperaturas médias (T ºC) e outra
tipo de clima, as chuvas, além de escassas, à direita, onde são marcadas as precipitações
são mal distribuídas durante o ano. (P mm). No eixo das abscissas são assinala-
dos os meses do ano indicados pelas iniciais
de janeiro (J) a dezembro (D). As temperaturas
Mediterrâneo, temperado e frio são representadas por uma linha e as precipi-
tações, por barras. Veja abaixo um exemplo de
Tipos de clima característicos das áreas climograma de um lugar hipotético.
localizadas na zona temperada (região que fica
entre os trópicos e os círculos polares). Suas Máximo

principais características são as estações do


ano bem definidas e queda de neve no inverno. T ºC 90

A distância ou a proximidade do mar explicam a 40


80

existência de três subtipos de clima temperado: Mínimo 70


Período de aridez

35
temperado oceânico (com temperaturas mais 30
60

amenas no inverno), continental (com grandes 25 50

amplitudes térmicas) e mediterrâneo (ocorre 20 40


na bacia do Mediterrâneo, no litoral do Chile, da 15 30
Califórnia, da África e da Austrália) 10 20
5 10

Polar ou glacial J F M A M J J A S O N D

É o clima das regiões polares. Caracteri- - Mínimo: período em que chove menos
- Máximo: período em que chove mais
za-se por apresentar temperaturas muito bai- Temperatura média
xas, com médias térmicas de cerca de -35 ºC Precipitação média
no inverno, atingindo -10 ºC no verão.
Através dos climogramas é possível reconhe-
Frio de montanha cer as características do clima de uma região (se
chove muito, se o lugar é árido, se faz calor o ano
Este clima não está restrito a uma zona cli- todo, se os invernos são muito frios etc.) e até classi-
mática, mas ligado às grandes altitudes presen- ficá-los. Para realizar essa tarefa, é preciso analisar
tes na superfície terrestre, como as cadeias de alguns aspectos:
- Em relação às chuvas, devemos observar:
montanha dos Andes, Himalaia, as Rochosas e
o total de precipitações, sua distribuição ao longo do
os Alpes. Caracteriza-se pelo frio e pela presen-
ano, os meses mais e os menos chuvosos, se há pe-
ça de neves eternas. Nesse caso, em alguns lu- ríodos sem precipitações (secos).
gares o fator altitude supera a latitude.
Geografia 1 - Aula 5 61 Instituto Universal Brasileiro
- Quanto às temperaturas, os dados mais A temperatura do ar, que é a quantidade
importantes são: o mês de temperatura mais de calor existente no ar, varia sob vários fatores,
elevada, o mês de temperatura menos elevada tais como o movimento de rotação do planeta
e a amplitude térmica. Terra, a latitude, a altitude e a maritimidade.
- Tanto em relação às chuvas quanto às tem- O ar é mais quente nas regiões atraves-
peraturas, a distribuição anual é fundamental para sadas pelo Equador, temperatura essa que vai
caracterizar mais facilmente o tipo climático. diminuindo, à medida que nos aproximamos
Se a localidade está no hemisfério sul, os me- dos polos. Esse é o efeito do fator latitude na
ses mais quentes serão entre dezembro e março; temperatura.
no hemisfério norte, serão entre junho e setembro. As camadas elevadas do ar apresen-
O climograma exemplificado mostra um tam uma temperatura baixa, enquanto as ca-
longo período de aridez nos meses de julho e madas baixas apresentam temperatura mais
agosto. Como as temperaturas mais elevadas elevada, isto é, nas planícies o ar é mais quen-
coincidem com esses meses, deduzimos que o te e no alto das montanhas, mais frio. Esse é o
período mais seco corresponde ao verão. Por- efeito do fator altitude na temperatura.
tanto, a cidade está no hemisfério norte e tem A influência do mar, ou maritimidade,
clima do tipo mediterrâneo. é um importante regulador do clima de regiões
litorâneas. Como as águas do mar se aquecem
e se resfriam muito lentamente, essas regiões
têm temperaturas mais amenas e com peque-
nas variações.
O peso do ar sobre a superfície terrestre
é chamado de pressão atmosférica.
A atmosfera possui várias camadas: tro- Damos o nome de vento aos movimen-
posfera, estratosfera, mesosfera, termosfera tos horizontais e verticais do ar, cuja formação
e exosfera, mas a vida do ser humano transcor- depende da distribuição das temperaturas na
re toda na troposfera, a camada mais baixa da superfície terrestre, pois estas são responsá-
atmosfera. veis pela desigualdade de pressão atmosférica
A atmosfera, além de ser vital para a exis- que iniciam o movimento dos ventos. Nas regi-
tência do ser humano, também é responsável ões mais frias, o ar é mais pesado; nas áreas
pela manutenção do equilíbrio térmico do pla- quentes, é mais leve.
neta, possibilidade de combustão, transmissão Os ventos deslocam-se sempre das áre-
do som, difusão da luz e, principalmente, pela as de alta pressão (áreas frias) para as áreas
absorção de grande parte da radiação solar, pe- de baixa pressão (áreas quentes).
rigosa à vida humana. A umidade atmosférica (quantidade de
Tempo atmosférico é a situação física da vapor de água existente no ar) varia de um lu-
atmosfera em um determinado instante, ou, no gar para outro e até em um mesmo lugar, de-
máximo, no intervalo de algumas horas. pendendo do dia, do mês e da estação do ano.
Para nos referirmos ao que ocorre na at- Quando o vapor de água da atmosfera atinge
mosfera de um lugar ao longo de um ano, utili- seu ponto de saturação, ocorrem as precipita-
zamos o termo clima. Assim, podemos defini-lo ções, que podem se apresentar sob várias for-
como sendo o comportamento habitual da at- mas.
mosfera de um lugar ao longo de pelo menos As chuvas resultam da conjugação de
um ano. dois fatores: o vapor de água atingir seu pon-
O tempo atmosférico e o clima são deter- to de saturação e a queda de temperatura da
minados por fenômenos naturais que chamamos atmosfera. Podem se formar de três maneiras:
elementos climáticos: temperatura; ventos e convectivas, orográficas ou de montanha e
pressão atmosférica; umidade do ar, preci- frontais.
pitações e condensações. Esses elementos No planeta há uma grande variedade de
variam de um lugar para outro, principalmente fatores climáticos que, em conjunto, proporcio-
em razão de alguns fatores naturais, tais como a na o surgimento de vários tipos de clima, como,
latitude, a altitude e a proximidade do mar, crian- por exemplo: polar, temperado, tropical, desér-
do uma dinâmica climática permanente. tico, subtropical entre outros.

Geografia 1 - Aula 5 62 Instituto Universal Brasileiro


comparada à das cidades brasileiras, apresenta:
a) ( ) menor pressão e menor concentração
de oxigênio.
b) ( ) maior pressão e maior quantidade de
oxigênio.
1. (UFMG. Adaptada) Leia este trecho: c) ( ) maior pressão e maior concentração
O tempo é uma combinação efêmera (um de gás carbônico.
instante ou alguns dias), porém concreta. É uma d) ( ) menor pressão e maior temperatura.
realidade na escala da vida humana e a observa-
ção direta permite apreendê-la rapidamente. O cli- 3. (UFPE) Observe atentamente a figura a
ma pelo contrário, só é permitido após um estudo seguir e depois assinale a alternativa correta:
paciente e metódico de um longo período de tempo
que, segundo a Organização Meteorológica Mun-
dial – OMM, para o clima atual, deve compreender
30 anos. Assim, pode-se dizer que o tempo deste
inverno foi relativamente quente, menos seco, em D
Belo Horizonte (combinação acidental), mas que
o clima nessa cidade se caracteriza por invernos
frescos, secos, ensolarados (combinação habitual B
durante vários séculos e que resulta da repetição
de influências dominantes que determinam o tem- C
po nessa cidade).
PEDELABORDE, P. Introduction a l´étude scienti-
fique du climat. Paris: SEDES,1970. p.19. (Texto traduzido
A
e adaptado)
Com base na leitura desse trecho, todas as
seguintes conclusões estão corretas, exceto:
a) ( ) A confusão entre tempo e clima é co- a) ( ) O relevo não interfere na formação das
mum e usa-se o termo clima para denominar esta- chuvas, pois estas dependem do resfriamento do ar
dos atmosféricos de curta duração. atmosférico.
b) ( ) O autor define e exemplifica os concei- b) ( ) Quem se desloca do ponto A para o
tos de clima e de tempo, evidenciando seus aspec- ponto D irá notar uma diminuição da temperatura e
tos diferenciais. um aumento da pressão atmosférica.
c) ( ) O clima de um lugar é o resultado de c) ( ) A temperatura em C é menor do que em D.
fatos atmosféricos, desde que eles se repitam, habi- d) ( ) Em D está ocorrendo uma chuva oro-
tualmente, durante anos. gráfica.
d) ( ) O tempo meteorológico e o clima resul-
tam de combinações de elementos atmosféricos, di- 4. Leia com atenção o texto a seguir.
ferenciados em sua natureza efêmera ou habitual. Esses climas não conhecem a estação fria,
pois a mais baixa temperatura no mês menos
2. (ENEM. Adaptada) A adaptação dos inte- quente não desce abaixo de 18 ºC. Não apre-
grantes da seleção brasileira de futebol à altitude de sentam estação seca, e os índices pluviométri-
La Paz foi muito comentada em 1995. Veja o texto: cos anuais superam os 2.000 mm. As amplitudes
“A seleção brasileira embarca hoje para La Paz, ca- térmicas anuais, nas áreas onde predominam,
pital da Bolívia, situada a 3.700 metros de altitude, são insignificantes, mas os valores de umidade
onde disputará o torneio Interamérica. A adaptação relativa do ar apresentam-se, durante todo o ano,
deverá ocorrer em um prazo de 10 dias, aproximada- muito elevados.
mente. O organismo humano, em altitudes elevadas,
necessita desse tempo para se adaptar, evitando-se, Em relação ao enunciado acima, é correto
assim, risco de um colapso circulatório”. (Adaptado afirmar que o clima é:
da revista Placar, edição de fevereiro de 1995) a) ( ) subtropical.
b) ( ) temperado.
A adaptação da equipe foi necessária princi- c) ( ) equatorial.
palmente porque a atmosfera de La Paz, quando d) ( ) tropical.
Geografia 1 - Aula 5 63 Instituto Universal Brasileiro
tos (precipitação, vento, temperatura, pressão
atmosférica etc.) e fatores climáticos (latitude,
maritimidade, altitude etc.). Estudamos, nessa
aula, os tipos de chuva e, conforme você pode
observar no desenho, temos o exemplo de uma
1. a) ( x ) A confusão entre tempo e chuva orográfica ou de montanha, portanto, al-
clima é comum e usa-se o termo clima para ternativa d é a correta; as demais, incorretas.
denominar estados atmosféricos de curta O relevo interfere sim na formação das chuvas.
duração. Considerando os pontos A, B, C e D, podemos
dizer que: há uma diminuição da temperatura
Comentário. Nesse tipo de questão o quando ocorre o deslocamento do ponto A para
aluno precisa tomar cuidado, pois é para sele- o ponto D, visto que estamos mudando de alti-
cionar a alternativa que possui uma informação tude (quanto mais alto, mais frio é), e essa mu-
incorreta. Neste caso, somente a alternativa a; dança será acompanhada por uma diminuição
as demais estão corretas. Isso porque o termo da pressão atmosférica (pouca concentração
clima não é utilizado para denominar estados at- de gases, pouco peso formado); como o ponto
mosféricos de curta duração. Vale lembrar que é C está mais baixo que o ponto D, ou seja, está
o termo tempo que se refere a eventos de curta numa altitude menor, este ponto apresentará
duração, informando o estado atual da atmos- uma temperatura maior do que o D.
fera, por isso, bastante dinâmico. Para saber o
clima de um lugar, precisamos analisar os tipos
de tempo que ocorrem habitualmente num lu-
gar, no mínimo, durante um ano. O autor define D
e apresenta as características específicas de
tempo e clima, evidenciando seus diferenciais. B

2. a) ( x ) menor pressão e menor con- C


centração de oxigênio.

Comentário. A cidade de La Paz, capi- A


tal da Bolívia, localizada a mais de 3.600 m de
altitude, detém o título de capital mais alta do
mundo. Lá ocorre a influência do fator altitu-
de no clima. Estudamos que quanto mais alto, 4. c) ( x ) equatorial.
mais frio é, com uma menor pressão atmosfé-
rica e uma menor concentração de oxigênio. Comentário. Para responder a questão,
Devido ao efeito da gravidade, os gases que é necessário o conhecimento das características
formam a atmosfera estão concentrados nas dos principais tipos de clima presentes no mun-
partes mais baixas dela, próximas à superfície do, último item estudado em nossa aula. Pelas
terrestre. À medida que subimos, a presença características que o texto da questão trouxe,
de gases vai-se rareando, ou seja, ficando com podemos identificar que se trata do clima equa-
pouca concentração, o que causa uma menor torial, aquele presente no norte do Brasil, com
pressão atmosférica e falta de oxigênio. altas temperaturas, mesmo nos meses mais frios
e ausência de estação seca com índices pluvio-
3. d) ( x ) Em D está ocorrendo uma métricos que ultrapassam os 2.000 mm anuais.
chuva orográfica. Na leitura de um climograma, vimos que os índi-
ces de temperatura e a distribuição de chuvas no
Comentário. Ótima questão que pos- decorrer do ano são importantes variáveis na de-
sibilita a aplicação de várias informações finição das condições de umidade do ar e servem
adquiridas durante a aula, como os elemen- de parâmetro para a caracterização do clima.
Geografia 1 - Aula 5 64 Instituto Universal Brasileiro

Você também pode gostar