Você está na página 1de 3

Plano de aula. Filme estrelas além do tempo.

Em virtude da semana internacional das mulheres.


O filme “Estrelas Além do Tempo” foi a base para discussões que foram desde o funcionamento dos foguetes e as
órbitas descritas ao entendimento sobre as questões de raça e gênero, uma vez que as protagonistas do filme são
mulheres negras que trabalhavam como computadores humanos na NASA.
Nesta semana, os professores, de Física, Matemática, Sociologia, História, propiciaram aos alunos a experiência de
uma Cine-aula, tratando de forma interdisciplinar o contexto da Corrida Espacial na Guerra Fria e questões de raça e
gênero. E como a matemática e a física são usadas na NASA.
A compreensão interdisciplinar de um fenômeno, seja ele histórico e/ou natural, já é uma tendência nos países que
tem os melhores índices educacionais. Esse tipo de abordagem permite que o aluno tenha uma visão holística do fato,
considerando que este acontece num contexto global, sem fragmentação.
A ação tem como objetivo melhorar a relação interpessoal entre os participantes, diversificando os estudos e
proporcionando uma formação mais ampla aos integrantes. Além disso, busca-se também complementar sua
formação com temas que envolvem a sala de aula, como a vida social e estudos em matemática, favorecendo tanto o
desenvolvimento de conhecimentos teóricos quanto de aprendizados pessoal, social e de enfrentamento de problemas.
Baseado em fatos reais, o filme Estrelas Além do Tempo (Theodore Melfi, 2h07) conta a história de três cientistas
negras que trabalharam na NASA durante a década de 1960 e colaboraram para a conquista espacial: Katherine
Johnson, Dorothy Vaughan e Mary Jackson. Indicado ao Oscar de 2017 nas categorias de melhor filme, melhor atriz
coadjuvante (Octavia Spencer) e melhor roteiro adaptado (Theodoro Melfi), o longa está entre os dez filmes de maior
bilheteria de fevereiro nos cinemas do Brasil e dos Estados Unidos e levanta muitos temas que podem contribuir com
sua aula.
Trazer para as aulas de matemática a linguagem do cinema, em que as tramas e ambiguidades humanas estão
contextualizadas pelo amor à matemática, para trazer resultados concretos, mas também intangíveis e inspiradores.
Despertar a curiosidade, habilitar os estudantes a compreender o universo matemático além do curricular foram
alguns dos objetivos almejados por mim ao trabalhar o filme “Estrelas além do tempo” (“Hidden Figures”) com
alunos do 8º ano do Ensino Fundamental. A experiência fez com que eles percebessem que o estudo da Matemática
está muito além da resolução de problemas dos livros didáticos. É perceber que estamos envolvidos com a
Matemática, olhar ao redor e se dar conta da importância em nosso cotidiano, na geometria, nos conhecimentos
matemáticos, na análise de um gráfico, na escala, nas finanças, na culinária, na medicina, na obtenção de medidas
diversas, na contagem do tempo, nas relações interpessoais compartilhando saberes e em outras inúmeras
circunstâncias.
Já perdi a noção de quantas vezes ouvi meus alunos perguntarem: “Quando vou aplicar esse conteúdo em minha
vida?” ou “Para que eu preciso aprender esse conteúdo?”.
Sabemos, como professores, que muitos conteúdos nos ajudam a desenvolver muitas habilidades e competências para
resolver problemas do dia a dia, problemas esses que não necessariamente envolverão números. É preciso
desenvolver o raciocínio lógico, o cálculo mental, a habilidade de não nos deixarmos enganar como consumidores, de
pensar e agir rapidamente em muitas situações.
O filme, que se passa nos anos 1960, – no contexto da Guerra Fria, da corrida espacial e em um período em que as
leis de segregação racial ainda estavam em vigor nos Estados Unidos – conta a história até então desconhecida de
Katherine Johnson (Taraji P. Henson), Dorothy Vaughn (Octavia Spencer) e Mary Jackson (Janelle Monáe),
brilhantes mulheres afro-americanas que trabalharam na NASA e que serviram de cérebro por trás do lançamento em
órbita do astronauta John Glenn, (Glenn Powell) primeiro norte-americano ao espaço. Atuando como
“computadores”, essas mulheres foram responsáveis pelos complexos cálculos matemáticos envolvidos na missão,
além de enfrentar inúmeros obstáculos raciais e de gênero. A trama retrata diversas situações ocorridas com as três
protagonistas, como nas cenas em que Katherine Johnson precisa correr para usar o banheiro exclusivo para pessoas
“de cor”, é obrigada a usar uma cafeteira diferente da dos colegas de trabalho por conta da cor da sua pele, ou é
impedida de participar das reuniões de trabalho por ser mulher. A personagem representando Dorothy Vaughn, por
sua vez, é retratada em diversas situações de racismo, como na cena em que é impedida de emprestar um livro sobre a
linguagem dos computadores IBM da biblioteca pública, já que o volume se encontrava em uma área destinada
apenas para brancos. Ainda, a trama de Mary Jackson gira em torno da personagem tentando conquistar o direito de
frequentar uma escola para brancos para cursar Engenharia. Embora o filme seja classificado como um drama
biográfico e histórico, ele mobiliza temáticas relacionadas à ciência. Tendo como contexto histórico a Corrida
Espacial, o filme representa imagens do imaginário científico ao se ambientar na NASA, em meio a astronautas,
Engenheiros, cientistas, matemáticos, e ao exibir capsulas espaciais, foguetes, lançamentos em órbita, entre outros
signos relacionados à ciência. Assim, acredita-se que o filme em questão apresente grande potencial para
investigações em relação à ciência, educação e demais questões como gênero e raça, como já apontado anteriormente.
A primeira atividade, realizada antes da exibição do filme, teve como objetivo observar os possíveis estereótipos de
gênero e raça presentes no discurso das/os participantes, de modo a estimular uma reflexão acerca das questões
retratadas na trama, bem como despertar o interesse pelo filme, que foi exibido posteriormente em uma sessão de
cinema Após a exibição do filme, foi realizada uma discussão acerca das atribuições corretas e equivocadas, além da
revelação de que aquela era uma história real, informação até então desconhecida pelas/os adolescentes. A partir da
exibição do filme e com a discussão realizada, foi possível entender algumas informações até então mal interpretadas,
como a afirmação “Não pode usar o mesmo banheiro que os colegas de trabalho”, que havia sido anteriormente
interpretada como um privilégio. Ainda, o fato de a história ser uma biografia foi surpreendente para todos, bem
como as leis de segregação racial da época. O uso de filmes enquanto material de apoio educacional configura um
método bastante eficiente para tratar sobre questões diversas de maneira lúdica. No caso em questão, o filme
“Estrelas Além do Tempo” aborda assuntos fundamentais como desigualdade de gênero e racismo, que muitas vezes,
por serem questões delicadas de se discutirem, são negligenciadas. Assim, por meio das atividades desenvolvidas, foi
possível mobilizar uma série de questões relacionadas à ciência, tecnologia, raça, gênero, direitos, história, entre
outros. Ao contar uma história real, Estrelas Além do Tempo possibilita ao público conhecer e se inspirar em figuras
tão importantes como Katherine Johnson, Dorothy Vaughn e Mary Jackson – até então desconhecidas pelo grande
público. Nesse sentido, destaca-se o conceito de role model, ou “modelo de conduta” a ser seguido. É fundamental
que crianças e adolescentes tenham exemplos positivos de mulheres – sobretudo mulheres negras – na ciência, na
tecnologia, atuando em cargos de poder, tomando decisões, entre tantas outras posições que raramente são retratadas.
Ainda, é de suma importância a reflexão social acerca da ciência e da tecnologia, sobretudo em regiões periféricas e
de vulnerabilidade social, como no espaço de educação não formal em que as atividades descritas foram
desenvolvidas. Assim, ao levar temas sociais e científicos a tais espaços, possibilita-se o diálogo acerca de questões
fundamentais, de modo a promover divulgação científica. Por fim, destaca-se que é a partir de exemplos como esse –
ainda que no cinema, e ainda que utilizando de alguns arquétipos hollywoodianos – que os jovens enxergam
diferentes possibilidades e despertam o interesse em áreas muitas vezes tidas como inapropriadas para determinado
gênero, raça ou classe social. E somente a partir desse contato, da promoção de discussões e de uma educação
problematizadora é possível desafiar o discurso dominante.
O filme é uma grande fonte de motivação e superação, pois, mesmo com o preconceito, as personagens lutaram para
alcançar seu objetivo.

Atividades relacionadas ao filme “Estrelas além do tempo”.


Responda:

1- As três Mulheres: qual foi a luta de cada uma?

a) Mary Jackson

b) Dorothy Vaughan

c) Katherine Johnson

2- Você acha adequado a tradução do filme de Hidden Figures para Estrelas além do tempo?

3- Analise a Frase: "Todas as vezes que temos a chance de avançar, eles mudam a linha de chegada."

Quem falou essa frase? E em qual ocasião?

4- O drama “Estrelas além do tempo”, que estreia nesta quinta-feira (02.02), enfrenta e subverte o clichê. Não é

apenas um filme bom, com três indicações ao Oscar, que roubou de “Rogue One: Uma história Star Wars” a liderança

na bilheteria americana e acaba de levar o prestigioso prêmio principal do Sindicato dos Atores. É um filme

necessário – em termos sociais, políticos, científicos e históricos. O filme trata das:

a) Ativistas feministas afro-americanas que garantiram o sufrágio universal na década de 1920.

b) Primeiras atletas negras a participarem de Olimpíadas pelos Estados Unidos durante a Grande Depressão.

c) Juízas da Suprema Corte norte-americana que consideraram constitucional a união de pessoas do mesmo sexo.

d) Matemáticas afro-americanas que trabalharam em setor especializado da NASA durante a Guerra Fria.

e) Médicas negras que defenderam o uso de anticoncepcionais nos Estados Unidos da década de 1960.

5- A importância da Matemática em nossa vida?

6- Quais são as principais áreas da Matemática?

7- Qual é a importância da Matemática no filme. Para que a utilizaram?

8- O que vocês entendem por segregação racial?

9- O chefe queria alguém que, além de ser excelente em Matemática, “olhasse ao seu redor”. Levantem hipóteses e
expliquem o que essa expressão pode significar dentro desse contexto.

10- Com qual propósito você se levanta todos os dias?

11- Qual seu objetivo e como quer ser lembrado daqui a 100 anos?

12- Como “Estrelas Além do Tempo” destaca desafios ainda em voga para mulheres na ciência e na tecnologia?

Você também pode gostar