Você está na página 1de 3

A Profissionalização dos Psicólogos

1- Como a psicologia foi institucionalizada na profissão de psicólogo?

A psicologia foi institucionalizada na profissão de psicologia na virada do século


XIX para o século XX, no qual a modelagem da sociedade pela burocracia, a força de
produção criada pela tecnologia eletromecânica e o término da primeira grande guerra
foi o palco para a formatação e viabilização de profissões, entre elas a psicologia, que
assumiram o conhecimento técnico como instrumento de intervenção dos problemas da
sociedade. Assim, os psicólogos foram requisitados para auxiliar com diversas
avaliações sobre a pessoa e com intervenções para o ajustamento e o desenvolvimento
dos sujeitos frente aos mais diversos contextos sociais.

2- Como o conhecimento sobre o comportamento evoluiu na profissão de


psicólogo?

Ainda no final do século XIX, a Psicologia aparece claramente configurada no


repertório de atividades ocupacionais, já sob o formato de profissão institucionalizada,
embora hoje haja sinais espaços, porém visíveis, de serviços profissionais focados no
comportamento humano. O objetivo do profissional é promover e resgatar o indivíduo
como sujeito, essa identidade é em parte explicada pela origem igualmente múltipla da
Psicologia, como produto da junção dos campos da Filosofia e da Medicina, ou seja,
com o interesse em explicar e estudar o comportamento humano.

3- Quais são os problemas que desafiam o desenvolvimento da profissão de


Psicólogo?

Embora consolidada de forma irreversível, a profissão de psicólogo não esteve


livre de obstáculos externos e de desafios internos que dificultaram (e ainda dificultam)
sua caminhada, ao mesmo tempo que a ajudaram a se enriquecer e se fortalecer. Em
alguns estudos, é evidenciado a dificuldade de delimitação e de compreensão do objeto
da Psicologia. Em diversos textos, e em muitos dos que foram publicados, há evidências
da polivalência e da ambiguidade identitárias da Psicologia que se refletia na
institucionalização da própria identidade do psicólogo. Além da polivalência e de seu
sucesso na sociedade, a Psicologia enfrentou dias difíceis devido ao dinamismo interno
do próprio conhecimento sobre o comportamento humano que diferenciava os
profissionais, alocando-os em caminhos epistemológicos radicalmente distintos, como
aqueles trilhados por Freud e por Watson. Essa diferenciação teórica e epistemológica
foi, ao mesmo tempo, uma fonte de riqueza e de dificuldades para os psicólogos. Essa
diferenciação foi exacerbada em alguns momentos e angustiou muitos psicólogos. A
ambiguidade identitária da Psicologia não se mostra como um obstáculo, mas, antes,
como um testemunho da complexidade da pessoa humana. A amplitude de campo de
aplicação criou problemas, como foi o caso da introdução de categorias de análise da
patologia na seleção de pessoal, da qual resultaram dificuldades sérias, até mesmo de
natureza ética. Ainda outra dificuldade enfrentada pelos psicólogos para “administrar”
sua profissionalização advém do avanço do conhecimento e da crescente complexidade
da sociedade, contingências que dificultam a alocação de fronteiras, de critérios e de
padrões de análise.

Uma das principais dificuldades da Psicologia atualmente é o seu caráter


polivalente e multifacetado, onde pode-se emergir infinitas demandas na qual o
psicólogo tem de estar preparado para lidar com qualquer tipo de situação, onde,
algumas vezes dificulta a delimitação e compreensão do objeto da psicologia, refletindo
diretamente na própria identidade do psicólogo.

4- Porque a psicologia e os psicólogos merecem confiança?

A Psicologia criou um campo fértil de conhecimento sobre a pessoa em seu


contínuo desenvolvimento ao longo dos últimos 150 anos, trazendo grandes
contribuições para o progresso da ciência. A conscientização das pessoas sobre a vida
pessoal e comunitária, sobre a saúde, sobre o bem-estar é fruto das teorias e dos
conceitos sobre os processos psíquicos, e do trabalho dos psicólogos que, oferecendo
explicações sobre o funcionamento psíquico do ser humano, inspirou e fundamentou
projetos e atividades que contribuíram para o desenvolvimento da qualidade de vida.
Hoje, a profissão do psicólogo é um território ocupacional regulamentado,
institucionalizado e integrado à dinâmica da sociedade. Sua consolidação ocorreu muito
rapidamente pela atratividade das questões implicadas na pesquisa do psiquismo
humano, Esses profissionais contribuem para a realização e para o bem-estar de todo o
povo por meio do fortalecimento do indivíduo como solucionar problemas que
dependiam da compreensão do comportamento do sujeito, pela funcionalidade e pela
eficácia de técnicas oriundas do conhecimento dos processos psíquicos e pela confiança
que mereceu das pessoas e das instituições. O dinamismo, as peculiaridades e os
contrastes presentes na sociedade brasileira seriam dificilmente compreendidos sem a
contribuição dos conhecimentos produzidos pela pesquisa no campo do comportamento
e pelos serviços prestados pelos psicólogos. Esses profissionais contribuem para a
realização e para o bem-estar de todo o povo por meio do fortalecimento do indivíduo
como sujeito e da comunidade como espaço de vida. Além disso, o desempenho
profissional ocorre através da aplicação de habilidades complexas que são adquiridas a
partir do aprendizado sistemático de uma ciência, através de longa formação acadêmica,
por esses motivos, a psicologia e os psicólogos merecem total confiança.