Você está na página 1de 4

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE DA INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL DA LUSOFONIA AFRO-


BRASILEIRA
INSTITUTO DE HUMANIDADES
CURSO DE LICENCIATURA EM HISTÓRIA

PLANO DE ENSINO

I – IDENTIFICAÇÃO

Código: CCLH0015 Turma: 01 º Semestre:2020.1 Período:


Componente: Estágio Supervisionado I
Docente: Itacir Luz

Ementa

O estágio pressupõe que no mínimo 75 horas do componente curricular sejam cumpridas em observação e
prática realizadas nos setores de gestão administrativa e pedagógica das escolas básicas: diretoria escolar
e coordenação pedagógica. As 45 horas restantes devem ser de debates e esclarecimentos sobre as
questões observadas e experimentadas no estágio. Nesse estágio deve-se ter como diretriz um olhar
sobre a gestão da educação básica, pensando sua organização, prática e eficiência como suporte ao
desenvolvimento da aprendizagem de crianças e jovens, no ensino infantil, fundamental, médio e no EJA.
Metodologia de ensino

Aulas expositivas e dialogadas, estruturadas a partir da leitura prévia da bibliografia relacionada ao


estágio. Utilização de materiais e linguagens diversas em sala para dar suporte às discussões e reflexões
sobre as temáticas a serem abordadas.
Cronograma (SIGAA)

Aula 1 (06/03) – Apresentação do componente:

Plano de Ensino – Cronograma e Atividades avaliativas.

Aula 2 (13/03) – A importância do estágio supervisionado para a formação de professores de


história: perspectivas e desafios - Texto base:

PIMENTA, Selma Garrido; LIMA, Maria Socorro Lucena. Por que o estágio para quem não exerce o
magistério: o aprender a profissão. In: PIMENTA, Selma Garrido; LIMA, Maria Socorro Lucena. Estágio e
docência. 7ª ed. São Paulo: Cortez, 2012, p. 99-121.

Aula 3 (20/03) – As diferentes concepções de estágio supervisionado e a construção da autonomia


na prática docente - Texto base:

PIMENTA, Selma Garrido; LIMA, Maria Socorro Lucena. Estágio: diferentes concepções. In: PIMENTA,
Selma Garrido; LIMA, Maria Socorro Lucena. Estágio e docência. 7ª ed. São Paulo: Cortez, 2012, p. 31-58.

FREIRE, Paulo. Prática docente: primeira reflexão. In: FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia. Saberes
necessários a prática educativa. 52ª ed. São Paulo: Paz e Terra, 2015, p. 23-27.

Aula 4 (27/03) - A importância do estágio para a construção da identidade docente: papel do


professor como intelectual transformador da sociedade.- Texto base:
PIMENTA, Selma Garrido; LIMA, Maria Socorro Lucena. Estágio e construção da identidade profissional
docente. In: PIMENTA, Selma Garrido; LIMA, Maria Socorro Lucena. Estágio e docência. 7ª ed. São Paulo:
Cortez, 2012, p. 61-68.

GIROUX, Henry. Professores como intelectuais transformadores. In: GIROUX, Henry A. Os professores
como intelectuais: rumo a uma pedagogia crítica da aprendizagem. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997
GIROUX, Henry A. Os professores como intelectuais: rumo a uma pedagogia crítica da aprendizagem.
Porto Alegre: Artes Médicas, 1997, p. 157-164.

Aula 5 (03/04) - Diferentes concepções de organização e gestão escolar - Texto base:

LIBÂNEO, José Carlos; OLIVEIRA, João Ferreira; TOSCHI, Mirza Seabra. O sistema de organização e de
gestão da escola: teoria e prática. In: LIBÂNEO, José Carlos; OLIVEIRA, João Ferreira; TOSCHI, Mirza
Seabra Educação escolar. Políticas, estrutura e organização. 10ª ed. São Paulo: Cortez, 2012, p. 433-478.

Aula 6 (10/04) – Projeto Político Pedagógico, organização e desenvolvimento curricular, práticas


de gestão e coordenação pedagógica - Texto base:

LIBÂNEO, José Carlos; OLIVEIRA, João Ferreira; TOSCHI, Mirza Seabra. As áreas de atuação da
organização e da gestão escolar para melhor aprendizagem dos alunos. In: LIBÂNEO, José Carlos;
OLIVEIRA, João Ferreira; TOSCHI, Mirza Seabra Educação escolar. Políticas, estrutura e organização. 10ª
ed. São Paulo: Cortez, 2012, p. 479-508.

Aula 7 (17/04) - Fundamentos para compartilhamento de experiências democrático-participativas e


autogestionárias na educação básica. – Texto base:

LIBÂNEO, José Carlos; OLIVEIRA, João Ferreira; TOSCHI, Mirza Seabra. Desenvolvendo ações e
competências profissionais para as práticas de gestão participativa e de gestão da participação In:
LIBÂNEO, José Carlos; OLIVEIRA, João Ferreira; TOSCHI, Mirza Seabra Educação escolar. Políticas,
estrutura e organização. 10ª ed. São Paulo: Cortez, 2012, p. 509-538.

Aula 8 (24/04) – Narrativas juvenis e escolarização sem sentido: análise etnográfica sobre gestão e
coordenação escolar, a partir do pensamento subalterno - Texto base:

CARRANO, Paulo. Identidades culturais juvenis e escolas: arenas de conflitos e possibilidades. In:
MOREIRA, Antonio Flávio; CANDAU, Vera Maria. Multiculturalismo: diferenças culturais e práticas
pedagógicas. 5ª ed. Petrópolis: Vozes, 2010, p. 182-2011.

Aula 9 (08/05) – Gestão escolar e ideologia do controle versus Educação na perspectiva das teorias
críticas e pós-críticas - Texto base:

APPLE, Michel W. O modelo sistêmico de gestão e a ideologia do controle. In: APPLE, Michel W. Ideologia
e currículo. 3ª ed. Porto Alegre: Artemed, 2006, p. 151-172.

BURAS, Kristen L. APPLE, Michel W. Introdução. In: BURAS, Kristen L. APPLE, Michel W. (Orgs.).
Currículo, poder e lutas: com a palavra, os subalternos. Porto Alegre: Artemed, 2008, p. 09-37.

Aula 10 (15/05) – Gestão escolar e teorias pós-críticas I: diferença e identidade, questões de gênero,
feminismo, teoria queer e relações étnico-raciais - Texto base:

SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de identidade. Uma introdução às teorias do currículo. 3ª ed. Belo
Horizonte: Autêntica, 2015, p. 85-109.

Aula 11 (22/05) – Gestão escolar e teorias pós-críticas II: pós-colonialismo, estudos culturais, crítica
cultural. - Texto base:

SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de identidade. Uma introdução às teorias do currículo. 3ª ed. Belo
Horizonte: Autêntica, 2015, p. 111-142.

Aula 12 (29/05) - Discussão coletiva e atendimento individual: desenvolvimento e execução do


plano de estágio
Aula 13 (12/06) - Atendimento individual: desenvolvimento e execução do plano de estágio
Aula 14 (19/06) – Entrega dos relatórios de atividades supervisionadas

Aula 15 (26/06) – Avaliação da disciplina e encerramento

Metodologia de avaliação

- Participação em sala: exposição de informações, impressões e questões relativas à bibliografia indicada


no Cronograma e à observação empreendida ao longo do estágio. Entrega dos documentos obrigatórios:
Plano de Estágio e Termo de Compromisso de Estágio Obrigatório.

- Relatório de estágio – elaboração de um relatório da disciplina contendo a análise do processo de estágio


nos seus diversos aspectos considerando as diferentes etapas que compreenderam tal experiência.
Sociaização em sala seguida de debate sobre as questões destacadas.
Carga horária total: 120 horas
Atividades teóricas: 45 horas
Atividades práticas: 75 horas

Desenvolvimento do Estágio:

1. Os estágios devem ser feitos em individualmente.


2. Os estágios devem ser feitos com os profissionais dos campos de estágio conveniados.
3. Cada estagiária/estagiário é a responsável por entrar em contato com o(a) gestor (a)/professor(a)
atuante na(s) rede(s) pública(s) de ensino, o(a) qual será seu(a) supervisor(a) para a realização do estágio.
4. A/O estagiária/estagiário deverá estabelecer-se com um (a) supervisor (a), em um campo de estágio, até
a 3ª aula da disciplina Estágio Supervisionado em História 1, tendo em vista o tempo necessário para o
cumprimento da carga horária mínima do estágio.
5. A/O estagiária/estagiário deverá permanecer nas unidades de ensino apenas durante o horário de
trabalho do(a) seu(a) supervisor(a).
6. A/O estagiária/estagiário deverá solicitar mudança de supervisor (a) ou de campo de estágio até a
realização da 4ª aula da disciplina Estágio Supervisionado em História 1.
7. Não poderá haver mais do que uma mudança de supervisor (a) ou de campo de estágio por período.
8. Desde que comunique previamente ao (a) supervisor (a), a(o) estagiária/estagiário tem o direito de faltar
por até 03 vezes às atividades na escola campo.
9. As faltas não comunicadas previamente ao supervisor serão consideradas “abandono” do estágio.
10. O “abandono” do estágio implicará a reprovação automática da dupla, por nota (zero), na disciplina.
11. A elaboração dos projetos de intervenção depende, obrigatoriamente, da anuência e da orientação
do(a) supervisor(a).
12. Os supervisores deverão assinar os projetos de intervenção juntamente com as duplas.
13. Os relatórios da disciplina (contendo a análise do processo de estágio) deverão ser encadernados e
criteriosamente corrigidos, gramatical e ortograficamente, antes da entrega oficial ao/à
professor/professora da disciplina e ao (a) supervisor (a).
14. A entrega de relatórios não corrigidos pode implicar na reprovação dos mesmos.
16. Cada estagiária/estagiário providenciará a entrega, para o (a) seu (a) supervisor (a), até a 3ª aula da
disciplina, uma cópia da ementa/programa da disciplina e de todos os textos e materiais a serem
trabalhados na mesma; bem como de seus relatórios finais (contendo a análise do estágio e o projeto de
intervenção).
17. É expressamente proibida a realização de estágios com supervisores que não possuam um número de
matrícula relacionado à atividade de regência na Unidade de Ensino.

Bibliografia básica

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia. Saberes necessários a prática educativa. Paz e Terra. 2011.

GIROUX, Henry. Os professores como intelectuais: rumo a uma pedagogia crítica da aprendizagem.
Artes Médicas. 1997.
LIBÂNEO, José Carlos; OLIVEIRA, João Ferreira; TOSCHI, Mirza Seabra. Educação escolar. Políticas,
estrutura e organização. Cortez. 2012.
PIMENTA, Selma Garrido; LIMA, Maria Socorro Lucena. Estágio e docência. Cortez. 2012.
SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de identidade. Uma introdução às teorias do currículo. Autêntica.
2015.

Bibliografia complementar

ALARCÃO, Isabel. Professores Reflexivos em uma escola reflexiva. Cortez. 2001.


APPLE, Michel. Ideologia e currículo. Artemed. 2006.
BURAS, Kristen L. APPLE, Michel W. Currículo, poder e lutas: com a palavra, os subalternos. Artemed.
2008.
GALLO, Silvio. A escola pública numa perspectiva anarquista. Verve, v. 01, SP, 2002, p.124-164.
MOREIRA, Antonio Flávio; CANDAU, Vera Maria. Multiculturalismo: diferenças culturais e práticas
pedagógicas. Vozes. 2010.
TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. Vozes. 2014.

Bibliografia suplementar