Você está na página 1de 29

Instituto Foco

Curso de Contabilidade, Auditoria e Fiscalidade

Trabalho de Culminação do Curso

Tema: Analisar a importância do controlo financeiro na gestão de Micro e pequenas


empresas do Distrito Municipal Kamubukwana

( Caso da empresa )

Autor: Flávio António Mubai


Supervisor: Euclides Salvador Matimele

Maputo, Agosto de 2019


FLÁVIO ANTÓNIO MUBAI

Importância do controlo financeiro na gestão de Micro e pequenas empresas do Distrito


Municipal Kamubukwana

Trabalho de conclusão do curso para obtenção


do grau de técnico médio na Especialidade de
Contabilidade,Fiscalidade e Auditoria submetido
a Instituto Foco.

Supervisor: Euclides Salvador Matimele

Maputo, Agosto de 2019


Índice
1. INTRODUÇÃO.............................................................................................................................9
2. Delimitação do tema....................................................................................................................10
3. Objectivos Geral e Específicos....................................................................................................10
3.1. Objectivo geral....................................................................................................................10
3.2. Objectivos específicos.........................................................................................................10
3.3. Problema..............................................................................................................................10
3.4. Hipóteses.............................................................................................................................11
3.5. Justificativa..........................................................................................................................11
3.6. Metodologia e Técnicas de Investigação..............................................................................11
4. REFERENCIAL TEÓRICO........................................................................................................13
4.1. Controlo e planeamento financeiro......................................................................................13
4.2. Ferramentas utilizadas para o controlo financeiro:...............................................................14
4.3. Fluxo de caixa......................................................................................................................14
4.3.1. Vantagens do fluxo de caixa........................................................................................15
4.4. Controlo Bancário................................................................................................................15
4.5. Controlo de Contas a Receber..............................................................................................16
4.6. Controlo de contas a Pagar..................................................................................................16
4.7. Controlo Mensal de despesas...............................................................................................17
4.8. Mudanças decorrentes da implantação de um controlo nas organizações............................17
5. ESTUDO DE CASO....................................................................................................................19
5.1. Análise e Discussão de Dados.............................................................................................19
6. CONSIDERAÇÕES FINAIS.......................................................................................................24
7. SUGESTÕES E RECOMENDAÇÕES.......................................................................................25
8. BIBLIOGRAFIA.........................................................................................................................26
9. ANEXOS.....................................................................................................................................27
I. DECLARAÇÃO DO AUTOR

Eu, Flávio António Mubai, declaro, por minha honra, que o presente trabalho é da minha
autoria e que nunca foi anteriormente apresentado para avaliação em alguma instituição de
ensino nacional ou estrangeira.

Autor

_______________________________________

(Flávio António Mubai)


II. DECLARAÇÃO DO SUPERVISOR

Eu, Euclides Salvador Matimele, declaro ter sido o supervisor do Trabalho de Conclusão de
Curso do aluno Flávio António Mubai, do curso de Contabilidade, Fiscalidade e Auditoria,
com o tema “importância da informação contabilística para o controlo financeiro da
organização”.E, por ser verdade firmo a presente declaração.

O Supervisor

__________________________________

(Euclides Salvador Matimele)


III. DEDICATÓRIA

Dedico este trabalho primeiramente a Deus, por ser essencial em minha vida, autor do meu
destino, meu guia, socorro presente na hora de angústia, ao meu pai António NaetianeMubai,
as minhas mães Carlota Xavier Macupe e Ludres Xavier Macupe, meus irmãos e aos meus
colegas e professor que me ajudaram na conclusão da monografia.
IV. AGRADECIMENTOS

A Deus, por tudo que sou;

Aos meus pais António NaetianeMubai, Carlota Xavier Macupe e Ludres Xavier Macupe
por terem-me gerado, me incentivado a estudar e por serem minha fonte de espiração;

Aos meus irmãos pelo apoio dado: Rosal António Mubai, Carlos António Mubai,Tânia
António Mubai, Ronaldo António Mubai, Florêncio Xavier Macupe e Kelven António
Mubai.

A Minha Cunhada pelo apoio dado: Antonieta

Aos companheiros do curso, pelo companheirismo e amizade;

Ao Docente Matimele pela exortação, orientação e amizade;

A todos que contribuíram directa ou indirectamente nesta etapa da minha vida.


V. ABREVIATURAS

CF- Controlo financeiro


VI. RESUMO

O tema escolhido visa esclarecer a grande importância da gestão que é o controlo financeiro
de uma empresa, pois é com o controlo financeiro, que o gestor tem a possibilidade de
entrevir e aplicar melhor os seus recursos, com tomadas de decisões mais precisas e
mensurando assim os seus lucros, pois uma administração financeira adequada, a empresa
tem uma visão mais abrangente sobre o seu “negócio” e obtenção de maiores lucros, que é a
ração principal de uma empresa.
Mostrar para o gestor da empresa, a importância do controlo financeiro, pois e fundamental
para o auxilio na tomada de decisões, controlo, planeamento, orçamento e principalmente a
sobrevivência da empresa.
Palavras-Chave: Controlo Financeiro, Planeamento Financeiro e micro empresas.
1. INTRODUÇÃO

Como administrar um empreendimento, conhecer o negócio, saber planear, controlar os


gastos, formação de preços dos produtos, economia, são preocupações constantes no dia-a-dia
que todo o gestor, não importa se é governada apenas por uma pessoa ou mais, o princípio é o
mesmo, ter organização financeira é fundamental. A organização que vai direccionar o
sucesso do empreendimento ou não. É no controlo financeiro que o gestor toma decisões e
visualiza a real situação financeira da sua empresa.
Mas se tratando de micro empresas, por exemplo, o gestor tem noção suficiente sobre os
processos contábeis que regem uma administração. Existe um planeamento, uma preocupação
em saber fazer ou ter pessoas qualificadas em fazer os controlos necessários para o bom
andamento financeiro da empresa?
Este trabalho objectiva verificar se os empresários se preocupam em fazer os devidos
controlos financeiros necessários para se ter um bom equilíbrio de suas contas, ter previsão e
análise, pois concordando com Sá (2009), que diz “o que quebra uma empresa não é a falta
de lucro, mais sim a falta de caixa” e se uma empresa não tiver um caixa equilibrado
certamente quebrará.
O administrador tem que dedicar um tempo para registar suas entradas e saídas de caixa. Não
precisa necessariamente ter um programa específico que poderá onerar e ferir suas finanças,
mas através de procedimentos simples, o indivíduo que queria montar uma empresa, tem que
investir em qualificação necessária para que saiba gerir o seu negócio e lhe dê rentabilidade o
suficiente para ter sucesso no seu empreendimento.
Apresenta-se neste trabalho os principais conceitos e etapas do Controlo Financeiro através
de uma introdução (contextualização), a delimitação do tema, o problema, os objectivos geral
e específicos, uma hipótese, uma justificativa, metodologia e técnicas de Investigação,
referências teóricas, a análise e discussão de dados obtidos no estudo de caso, as
considerações finais, sugestões e por fim a lista das obras usadas no decorrer da pesquisa.
2. Delimitação do tema

Para avaliar a importância do controlo financeiro na gestão de Micro e pequenas empresas do


Distrito Municipal Kamubukwana propõe-se um estudo de caso aplicado a empresa de venda
de Materiais de Construção como forma de delimitar a pesquisa para obter maior
profundidade de estudo.

3. Objectivos Geral e Específicos

3.1. Objectivo geral

Analisar importância do controlo financeiro na gestão de Micro e pequenas empresas do


Distrito Municipal Kamubukwana

3.2. Objectivos específicos

 Descrever a importância controlo financeira no processo de tomada de decisão.


 Diagnosticar o controlo e planeamento financeiro da empresa;
 Falar das mudanças decorrentes na implantação de um controlo nas organizações;
 Sugerir acções a serem aplicadas pela empresa a fim de melhorar o controlo
financeiro da empresa pesquisada.
3.3. Problema

Antes de pensar em constituir uma empresa, um administrador deveria frequentar um curso


técnico ou no mínimo um curso básico para se qualificar e ficar apto para gerir um negócio,
ou seja, ter umanoção administrativo que envolve uma empresa.
Mas esta preocupação infelizmente não ocorre nas empresas ou não se dá importância devida,
principalmente no que se refere aos controlos financeiros.
Comprar e pagar parece se fácil, mas gerar lucro em cima de produtos e saber administrar
estes lucros tem que ter um conhecimento técnico ou delegar controlo financeiro torna-se
importante.
O objectivo maior da empresa e obter lucros. Muito se fala em economia, planeamento,
investimentos, treinamentos, formas de controlo e rentabilidade, mas na verdade, é isso
realmente que ocorre nas empresas principalmente de pequeno porte, É verdadeira esta
preocupação dos empresários. Mas ele está preparado, consciente que se não houver controlo
de suas finanças esta faltando fechar a sua empresa. Considerando os avanços tecnológicos
disponíveis, o administrador tem o seu embalamento teórico para usar de toda esta ferramenta
disponível no mercado.
Pensando neste contexto da responsabilidade e perda de lucros, noções de controlos
financeiros, descontroloda Empresa de venda de Materiais de Construçãopreocupa-se em
saber a real situação financeira que esta a sua empresa, e por este motivo, o questionamento:
A Empresa de venda de Materiais de Construção, consegue visualizar a sua situação
financeira obtendo um equilíbrio em suas contas, através dos controlos utilizados na
empresa?
3.4. Hipóteses

3.5. Justificativa

Através da preocupação da empresa em saber se está no caminho certo, por mais que já esteja
no mercado a mais de 10 anos, a noção de estar e ficar ainda e constante diante dos seus
dirigentes. Este trabalho visa responder a pergunta: “A empresa pratica um controlo
financeiro eficaz, para garantir e mantê-la no mercado por mais de 10 anos”.
O trabalho se justifica pelo facto que nenhuma empresa está cem por cento seguras e
garantidas na forma de administrar as suas finanças, e o empresário que não gerir bem os seus
recursos, não procurar inovações e não avaliar constantemente suas acções acompanhadas em
informações pode enfrentar sérios problemas de sobrevivência e continuidade no mercado.
Este trabalho vem ao encontro de esclarecimentos simples, mas, norteadores a qualquer porte
de empresa, pois esclarece a forma mais coerente de controlar os gastos e os ganhos do dia-a-
dia.
3.6. Metodologia e Técnicas de Investigação

Basicamente, nos trabalhos científicos existem três tipos de pesquisa:


Exploratórias, descritivas e explicativas (Gil, 1999, p.45). As pesquisas exploratórias muitas
das vezes constituem-se em estudos de caso ou bibliográficos. Tais pesquisas, segundo este
autor, proporcionam maior familiaridade com o problema. Seu principal objectivo é
possibilitar o aprimoramento de ideias ou a descoberta de Intuições. Apresentam planeamento
flexível, o qual permite a consideração dos mais variados aspectos relativo ao fato estudado.
Envolvem levantamento e análise bibliográfica extensa e normalmente são aplicados em fatos
novos ou com pouca pesquisa realizada sobre eles. Concordando com Godoy, pg. 25 (1995)
que dá seu depoimento sobre a pesquisa dizendo:
O pesquisador que pretende desenvolver um estudo de caso deverá estar aberto suas
descobertas. Mesmo que inicie o trabalho a partir de algum esquema teórico deverá se manter
alerta aos novos elementos ou dimensões que poderão surgir no decorrer do trabalho.
O enfoque da pesquisa é exploratório e descritivo. Primeiramente foi realizado um estudo
exploratório na organização, visando o levantamento das características gerais da empresa
iniciando com o resgate da História da Empresa.
A seguir, foi elaborado um questionário, onde foi entrevistado o gestor da empresa,
procurando onde procurou-se atingir aos objectivos propostos, que é investigar qual método
adoptado pela empresa para ter um controlo financeiro de suas contas quanto aos meios de
colecta utilizamos à metodologia de um estudo de caso, pois, foi estudado o caso da Empresa
de segmento comercial, visando uma alternativa para obter um relato a partir de um caso
prático procurando abordar directamente perguntas que levem o gestor a responder de forma
objectiva as questões levantadas. Segundo Roesch (1999, pg. 65) o estudo classifica-se em
pesquisa- diagnóstica, pois, procura-se explorar o ambiente da empresa para levantar e definir
os problemas para posterior criação de estratégias de adaptação de novos métodos de controlo
financeiro, procurando ajudar o gestor a ter um controlo mais real da situação da sua
empresa.
Qualitativamente buscou através do empresário gestor, realizar uma entrevista individual
semiestruturada com análise de documentos disponibilizados da empresa para colecta de
dados dos procedimentos financeiros que a empresa de venda de matérias de construção vem
adoptando ao longo destes anos, desde a sua fundação, servindo como amostra para descrever
e compreender os procedimentos adoptados pelos micro empreendedores no interior do
Maputo. A escolha da entrevista se deve ao fato do entrevistado relatar com riqueza de
detalhes, a maneira como trabalha, não se preocupando em colocações definidas, dando vida
e ênfase na fala.
De acordo com Quivy e Campenhoudet, pg. 191 (1998) frisa que:
Os métodos de entrevista distinguem-se pela aplicação dos processos fundamentais de
comunicação e interacção humana. Correctamente valorizados, estes processos permitem ao
investigador retirar das entrevistas informações e elementos de reflexão muito ricos e
matizados.
Ao contrário do inquérito por questionário, os métodos de entrevista caracterizam-se por um
contacto directo entre o investigador e os seus interlocutores e por uma fraca defectividade
por parte daquele.
4. REFERÊNCIA TEÓRICO

Apresenta-se a referência teórica da pesquisa, procurando abordar as ferramentas que


auxiliam o administrador financeiro na condução de um bom controlo rápida e eficaz na
tomada de decisões da sua empresa. Seguindo os passos, muitos deles, formatados pelo
Sebrae de Como elaborar controlos financeiros, certamente a empresa terá sucesso na
organização de seus controlos, onde eles apontarão os resultados positivos (lucro) ou
negativos (prejuízo), diminuindo assim o risco de falência que ocorre em muitas empresas em
Moçambique.
4.1. Controlo e planeamento financeiro

O planeamento financeiro é o método utilizado para planear o futuro, administrar as finanças,


dinheiro envolvido nas transacções entre pessoas seja ela pessoa física ou jurídica. É a mais
importante tarefa de um empresário, pois através dele é possível manter uma organização e
uma logística eficaz da empresa.

Segundo Bateman e Snell (1998, p. 28) o planeamento é uma forma de atingir objectivos
através de estratégias de negócios e corporativas, para isso é necessário saber a actual
situação da empresa e determinar metas a serem alcançadas para que o futuro da organização
seja promissor.

Gitman (2010, p 105) diz que o planeamento de caixa e de lucros são um dos pontos
principais para que ocorra um planeamento eficaz para uma boa gestão financeira. Sendo eles
fluxo de caixa que demonstra as operações de entradas e saídas do caixa da empresa e seu
planeamento serve para prever as necessidades em curto prazo do caixa dando o saldo final
de cada período analisado. O planeamento de lucros serve para fazer uma projecção de custos
e receitas esperadas para que de lucros suficientes para sanar as dificuldades da empresa e
ainda obter uma folga em regime de competência.

Segundo Gitman( 2010) afirma que o controlo financeiro é o conjunto de actividades que são
desenvolvidas e aplicadas de forma a obter resultados positivos nas finança da empresa.
O CF é importante para uma empresa, pois ajuda o empresário na tomada de decisões, ajuda
também a identificar se há ou não dinheiro em caixa, se ele deve ou não adquirir um
equipamento ou pedir um empréstimo ao banco. Realizando planeamento e controlo
financeiro, as micros e pequenas empresas poderão ter diferentes oportunidades de
desenvolvimento, um dos objectivos do financeiro é evitar surpresas e desenvolver planos
alternativos de providências a serem tomadas caso ocorram imprevistos.

Segundo Gitman( 2010, p.250) os planos financeiros e orçamentos oferecem informações


estrutura adequada para atingir os objectivos da empresa e coordenar as diversas actividades
da empresa.

Constata-se que o planeamento financeiro, além de especificar caminhos que levam a


alcançar os objectivos da empresa, tanto a curto como a longo prazo, gera mecanismos de
controlo que envolvem todas as suas actividades operacionais e não operacionais.

4.2. Ferramentas utilizadas para o controlo financeiro:

Além de diversos métodos/ferramentas que podem contribuir para se obter o controlo


financeiro das empresas, o fluxo de caixa é o primeiro, conforme o manual do Sebrae:
4.3. Fluxo de caixa

O fluxo de caixa é um instrumento de gestão financeira, que projecta para períodos futuros
todas as entradas e as saídas de recursos financeiros da empresa, indicando como será o saldo
de caixa para o período projectado. No caso das empresas de pequeno porte, a projecção do
fluxo de caixa para um período de quatro a seis meses é tempo suficiente para a gestão do
capital de giro. Ressaltamos que, quando falamos num período de quatro a seis meses,
significa que, ao final de cada mês, projectam-se novamente os períodos seguintes, de modo
que sempre teremos informações para um horizonte de quatro a seis meses.
Para as empresas que têm os controlos financeiros bem organizados, a preparação do fluxo de
caixa é fácil. Entretanto, se a empresa ainda não tiver controlos de forma organizada, é
bastante provável que, nos três primeiros meses, o fluxo de caixa ainda não seja um
documento confiável, porque algumas projecções ficarão ou super estimadas, ou
subestimadas, alguns custos ou despesas não terão sido previstos. Se isso lhe acontecer, não
fique frustrado: primeiro é preciso organizar-se para ter dados confiáveis.
As seguintes informações ou estimativas para o período de tempo definido (três, quatro ou
seis meses) serão necessárias para a preparação do fluxo de caixa:
 Previsão de vendas e os respectivos prazos de recebimentos;
 Previsão das compras e os respectivos prazos de pagamento aos fornecedores;
 Levantamento dos valores a receber dos clientes, das vendas já realizadas;
 Levantamento dos compromissos a pagar aos fornecedores e pagamento de despesas
operacionais mensais;
 Levantamento das disponibilidades financeiras existentes. Sem dúvida, a importância
do controlo através do fluxo de caixa de uma empresa, permite o planeamento em um
determinado período, para estabilizar suas finanças, possibilitar a visualização de
determinados problemas, possibilitando ao administrador financeiro gerir os
problemas da empresa.
Esta ferramenta objectiva mapear diariamente como esta a movimentação aos recebimentos,
pagamentos, saldos, pois o fluxo corresponde à entrada e saída, e o empresário tem em mãos
o que terá que pagar e receber, possibilitando desta forma se poderá aplicar ou não
determinado valor, buscando sempre a sua sobrevivência, procurando sempre fortalecer sua
administração, com melhorias e ficando sempre atentos aos riscos de mercado.
4.3.1. Vantagens do fluxo de caixa

 Planear pagamentos evitando surpresas ou perda de crédito aos seus credores e perda
de recebimento de seus clientes;
 Previsão de decisões caso ocorrer alguma dificuldade financeira na empresa ou na
economia;
 O fluxo de caixa é importante para qualquer tipo de organização, pois esta ferramenta
servirá para apresentar os índices de crescimento, programar melhor aplicação, e o
mais fundamental de todos estes itens e que a empresa que utiliza desta ferramenta
dificilmente fracassa.
Segundo Gitman (1997, p. 590), “O orçamento de caixa, ou projecção de caixa, é um
demonstrativo dos fluxos das entradas e saídas projectadas de caixa da empresa, usado para
estimar suas necessidades de caixa a curto prazo”.
4.4. Controlo Bancário

Não se concebe hoje em dia uma empresa que não tenha uma conta bancária e para, isto, o
controlo bancário e fundamental. Seguindo o manual do Sebrae que diz que o controlo
bancário é o registo diário de toda a movimentação bancária e do controlo de saldos
existentes, ou seja, os depósitos e créditos na conta da empresa, bem como todos os
pagamentos feitos por meios bancários e demais valores debitados em conta (tarifas
bancárias, juros sobre saldo devedor, contas de energia, água e telefone, entre as principais).
O controlo bancário tem duas finalidades: a primeira consiste em confrontar os registos da
empresa e os lançamentos gerados pelo banco, além de apurar as diferenças nos registos se
isso ocorrer; a segunda é gerar informações sobre os saldos bancários existentes, inclusive
Compromissos do dia. Se são suficientes para pagar os compromissos do dia.
4.5. Controlo de Contas a Receber

Se uma empresa não tem controlo de suas contas, esta caminhado ao fracasso. O controlo de
recebimentos prevêem o que pode ou não pode ser aplicado. E dinheiro da empresa que esta
nas mãos de seus clientes, ou seja, proteger o seu activo. O manual do Sebrae enfatiza que o
controlo de contas a receber tem por finalidade controlar os valores a receber, provenientes
das vendas a prazo, e deve ser organizado para:
 Fornecer informações sobre o total dos valores a receber de clientes;
 Estimar os valores a receber que entrarão no caixa da empresa, por
períodos de vencimento, por exemplo, 3, 5, 7, 15, 30, 45 e 60 dias;
 Conhecer o montante das contas já vencidas e os respectivos períodos de
atraso, bem como tomar providências para a cobrança e o recebimento dos valores
em atrasos;
 Fornecer informações sobre os clientes que pagam em dia;
 Fornecer informações para a elaboração do fluxo de caixa.
4.6. Controlo de contas a Pagar

Ter crédito junto aos seus fornecedores e primordial dentro da organização. Ela depende de
seus fornecedores para viver. Além de honrar com seus compromissos, tem-se a garantia de
não efectuar um pagamento em duplicidade ou sem uma evidência documental. Mais um
tópico apontado pelo manual do Sebrae que descreve o administrador financeiro tem que
organizar os totais a pagar, obedecendo seus períodos de vencimento: dia, semana, quinzena,
30, 45, 60 dias, etc. Mantendo as contas em dia você evita o estresse e ainda adquire uma
série de vantagens:
 Estabelece prioridades de pagamento em caso de dificuldades financeiras;
 Controla o montante dos compromissos já vencidos e não pagos, em casos de
dificuldades financeiras;
 Fornece informações para elaboração de fluxo de caixa.
4.7. Controlo Mensal de despesas

Ter uma previsão do que se tem para pagar durante o mês, faz com que a empresa acompanhe
a sua evolução ou não. Até na contabilização dos produtos final, serve para registar o valor de
cada despesa no qual deverá ser inserida para se obter o lucro desejado da empresa. Certas
empresas necessitam de um controlo mais rigoroso, ou até, a tomada de providências
urgentes, como cortar gastos que podem e devem ser eliminados, na evidência o tópico do
manual do Sebrae.
Neste tópico, verifica-se e constata-se que os controlos são fundamentais num processo
organizacional, pois, e por ele que a empresa decide dar continuidade de vida da sua empresa
ou não. A mão que rege uma empresa tem que ser firme em seus propósitos e munido de bons
controlos, pode acertar mais em suas atitudes diante dos processos e enfretamentos que uma
economia de um país requer.
Possibilitando atingir uma boa administração de sua empresa.

4.8. Mudanças decorrentes na implantação de um controlo nas organizações

Com a implantação do controlo financeiro em uma organização possibilita uma visão geral
de seus investimentos, assim como as oportunidades que venham a surgir durante e depois de
sua implantação, além de comparar os diversos cenários evitando surpresas desagradáveis e
desenvolvendo planos alternativos de providencias a serem tomadas, em casos imprevistos.
Segundo Rosa (2015) uma correcta administração financeira permite que se visualize a actual
situação da empresa. Registos adequados permitem análises e colaboram com o planeamento
para aperfeiçoar os resultados que a empresa almeja.
Para Moreira (2013) A gestão financeira trata da administração dos recursos financeiros da
empresa, voltado para o financeiro, ou seja, integra todo o trabalho ligado à obtenção,
utilização e controlo dos recursos financeiros, como o objectivo da empresa é o retorno sobre
os investimentos deve ter um cuidado especial, principalmente em épocas de crise, caso não
faça terá efeitos e perdas importantes devido à má gestão financeira.
Desta ainda que o controlo interno apresentar dados e relatório que possibilita o
monitoramento das operações e transacções, além de promover acções, critério e
procedimentos que permitam proteger a corporação contra eventuais falhas humanas. Aplicar
acções e critérios e procedimentos que assegurem a responsabilidade administrativa pela
protecção dos activos da entidade, actuando também preventivamente contra a má utilização
dos recursos corporativos.
O CF permite ao empresário, conhecer o surgimento de seus recursos financeiros, analisando
as fontes, os prazos de pagamentos e recebimento, assim como controlar as datas de entrada e
saída, tendo a exacta percepção da capacidade da empresa em assumir seus compromissos.
Portanto é importante obter o conhecimento das contas a pagar, a receber, mantendo um
controlo de fluxo de caixa fazendo suas previsões. Para Seleme (2016) os controlos
financeiros são necessários para viabilizar e manter os recursos da empresa. Destaca ainda
que as informações financeiras são necessárias para tomada de decisão empresariais, e
poderão ser obtidas através do controlo financeiro que tornam úteis, organizadas e confiáveis
para as decisões.
Para Luz (2015) o planeamento financeiro, controlo financeiro e orçamentário são
ferramentas de gestão que contribuem para utilização eficaz dos recursos das empresas.
Destaca ainda que o fato dos recursos serem escassos, sua utilização planeada e racional
normalmente representa a diferença entre o empreendimento que prospera no mercado e
aquele que por não dar a devida atenção aos aspectos da gestão de negócios, sobrevive com
muitas dificuldades ou infelizmente não conseguem permanecer no mercado por
incapacidade financeira.
De acordo com Assaf (2003) a actividade financeira de uma empresa requer
acompanhamento permanente dos resultados no sentido de avaliar seu desempenho. Desta
forma, a captação, aplicação e alocação de recursos de maneira eficiente exigem dos
executivos maior conhecimento financeiro e maior sensibilidade às informações viabilizadas
pela contabilidade. Complementarmente, o conhecimento dos passados contábil e financeiro
de uma empresa torna possível buscar a fonte para orientar decisões no presente, e ao fazê-lo,
torna-se necessário determinar perspectivas futuras tanto dificuldades quanto oportunidades,
iniciando a tempo as correcções e ajustes necessários.
5. ESTUDO DE CASO

Empresa de venda de Materiais de Construção, classificada no segmento comercial, situada


na cidade de Maputo, Bairro: Magoanine “C”. Os procedimentos financeiros realizados pela
empresa, são caracterizados pela informalidade, ou seja, não existe planeamento, sistema ou
outros controlos formais que possibilitam um controlo de entradas e saídas, custos, gastos,
apuramento de resultados com as respectivas margens de contribuição. Por ser uma empresa
familiar, seu gestor tem administrado de forma que não gera um banco de dados.
5.1. Análise e Discussão de Dados

O estudo foi iniciado por meio de pesquisa bibliográfica, na administração financeira, dando
ênfase no processo do controlo financeiro como estratégia de planeamento. Desta forma,
foram realizadas pesquisas em livros, teses, dissertação, monografias, artigos e web sites
especializados.
Quanto aos objectivos, a pesquisa é descritiva, buscando mostrar com clareza os resultados
obtidos através de dados e informados pela entrevista com o gestor da empresa estudada.

O trabalho foi realizado através de um estudo de caso, onde foram formuladas perguntas
fechadas através de entrevista, previamente elaboradas para a análise da situação da gestão da
empresa em relação ao sector financeiro.

As questões foram úteis para avaliar e mostrar a actual situação da empresa, com a finalidade
de ser avaliadas pelo seu gestor, com o objectivo de obter um efectivo entendimento sobre
suas finanças.
Os dados colectados são apresentados por sua análise qualitativa das questões abordadas
junto ao gestor da empresa, os resultados obtidos e os comentários sobre as respostas
iniciando de acordo com o perfil do gestor.

Com relação ao objecto de estudo a empresa utiliza o livro-caixa como ferramenta de


controlo financeiro, onde consta suas entradas. É fundamental ter um controle financeiro
adequado ao seu empreendimento, no caso da empresa estudada a utilização do livro-caixa já
é de grande utilidade, independentemente da não a apontar suas saídas. O fluxo de caixa seria
uma ferramenta ideal para actual situação da empresa. Silva (2010) destaca que o fluxo de
caixa é uma ferramenta que nos permite identificar o processo de circulação do dinheiro na
empresa por meio da variação de livro-caixa. Essa ferramenta auxilia no planeamento de suas
entradas e saídas, sendo possível que o gestor visualize os proventos e o uso do dinheiro,
além de trazer uma exacta compreensão das movimentações financeiras da empresa.

Em relação ao CF da empresa, o gestor destaca que não gera resultados esperados. Álvares,
Antunes e Borges (2011) destacam que a administração financeira adopta o regime de caixa,
ou seja, as receitas são reconhecidas no momento do efectivo recebimento, e as despesas, no
momento do efectivo pagamento (desembolso). Portanto, trabalha com entrada e saídas de
caixa. Destacam ainda que assim o gestor visualizar e acompanhar a entrada e saída de
dinheiro, podendo tomar medidas que garantam que as necessidades de caixa sejam supridas.

O gestor considera o que CF é de grande importância para a gestão da empresa. Seleme


(2012) destaca que o CF é um requisito importantíssimo para a rotina de qualquer indivíduo,
no que diz respeito a sua vida profissional, cujo foco está direccionado para o constante
melhoramento dos resultados da empresa, evitando as perdas e descontroles dos recursos
existentes. Destaca ainda, que os controles financeiros permitem conhecer precisamente a
origem dos recursos financeiros, controla as datas de entradas e saída de seus recursos, além
de obter a exacta noção da capacidade da empresa em assumir compromissos financeiros,
analisando as fontes dos recursos financeiros, assim como analisar os prazos para pagamentos
e recebimentos.

O gestor não sabe informar ou não quis opinar sobre a manutenção de dinheiro no caixa. É de
vital importância para toda empresa obter adequado conhecimento de seus controlos
financeiro, uma vez que é a chave para alavancar o futuro de qualquer empreendimento.

Quanto aos indicadores financeiros mais importantes para a empresa o gestor respondeu que
o controlo e movimentação de caixa são os mais indicados. Entretanto, o controlo de caixa é
fundamental para o sucesso de qualquer empreendimento, além de contribuir para uma gestão
eficiente facilitando a melhor tomada de decisão.

Quanto à importância do CF, a gestor acredita que é fundamental para que a empresa não
entre no vermelho. Portanto, o controlo de caixa é uma ferramenta de suma importância para
a empresa, pois ele fornece informações como conferir os recebimentos, os pagamentos;
controlar e analisar as despesas pagas; e, fornecer informações para elaboração do fluxo de
caixa.
Em relação as estratégias que as empresas utilizam para alcançar suas metas, o gestor
procuram sempre manter as contas em dias, além de fazer anotações diárias em uma agenda e
segui-las sempre. O fluxo de caixa é uma ferramenta de qualidade que conseguirá dar uma
visão mais clara para a empresa, além de ser relevante para que não vivencie problemas
futuros com falta de dinheiro, antecipar suas necessidades, tal como as possibilidades de
financiamento futuros.

Sobre as medidas de prevenção adoptadas pela empresa para não operar no vermelho, o
gestor procura sistematizar cumprindo as suas metas. É muito importante fazer
acompanhamento diário do lucro ou prejuízo da empresa, no entanto permite que a empresa
não saia do vermelho. É importante fica preparado para períodos difíceis, como variações de
mercado, ou até mesmo de uma crise, ou meses em que a fraca movimentação dos serviços
possa prejudicá-lo.

A empresa não possui nenhum tipo de projecto que possa alavancar suas finanças. Com o uso
de uma ferramenta de controlo financeiro ideal, a empresa poderá até mesmo pensar em
projectos futuros.

Em relação à implantação de uma ferramenta de controlo financeiro adequado com suas


necessidades, em vista disso, a gestora destaca que poderia evitar erros, além de economizar
o tempo que seria gasto na sua execução, propiciando o cumprimento de programas que
poderiam melhorar o funcionamento da empresa.

Quanto às estratégias que a empresa utilizaria para alcança suas metas, o gestor destaca que
seria traçar planos objectivos a fim de obter melhores resultados. É importante para qualquer
empreendimento obter um planeamento estratégico, assim à empresa gera resultados
excelentes.
Já na avaliação da actual situação financeira da empresa, o gestor vista como bom. Ao utiliza
uma ferramenta para controlo que simplifique e que possa manter o dia-a-dia da empresa,
sem o emprego dos lançamentos, mas que permita a realização de análises com facilidade. O
gestor não faz a separação das contas pessoais com as das contas da empresa. O coreto seria
que o gestor dispusesse de um pró-labore mensal.
O gestor não realiza cálculo de retorno financeiro. Para entrar no mercado tão competitivo, é
preciso investir em melhorias na empresa, além de modernizar os serviços prestados.
A empresa não recorre a financiamentos de bancos. Para a gestora ainda não existe essa
possibilidade, tratando-se de uma empresa pequena e familiar em que o lucro gerado ainda é
suficiente para mantê-la na activa.
6. CONSIDERAÇÕES FINAIS

Diante de todo o estudo pesquisado e os levantamentos obtidos na empresa, constatou-se


mais uma vez que o sector financeiro é sem dúvida, de extrema importância e de difícil
controlo se não houver disciplina nas atitudes de seus gestores. Os dados sempre deverão ser
analisados e conferidos para se obter uma confiabilidade em tomar certas decisões assertivas
ou não.
Nenhuma empresa sobrevive por muito tempo se não houver um controlo das suas contas e
uma reserva para cobrir os meses em que não há muitas entradas no caixa. Dificuldades
existem principalmente quem não tem muita informação sobre os processos, ou acham que é
complexo. Mas o planeamento financeiro é primordial para dar continuidade às empresas,
pois estabelece uma direcção a ser seguida pela organização.
Concluindo este trabalho no qual foi gratificante e a certeza que o objectivo geral e
específicos traçados no inicio deste trabalho foram cumpridos. Certamente pelo fato da
empresa estar disposta a mudanças, abriu as portas para este estudo e esta firmemente
consciente da necessidade de uma remodelação do seu modelo de gestão, no qual faz sentir
que cumprimento da missão de orientar e apontar possíveis soluções através de inovações e
esclarecimentos, modelos sugeridos de controlo e outros meios, possibilitando a empresa
projectarem um futuro mais concreto, e isto é gratificante.
Toda a empresa pequena ou média tem o sonho de crescer e se destacar seja na sua cidade,
estado ou país. Estar disposta a mudanças já a faz mais competitiva, pois ter visão de futuro
já a diferencia de seus concorrentes, procurando aperfeiçoar, compreender, aceitar uma nova
proposta por mais desafiadora que seja. Certamente a Empresa de venda de Materiais de
Construção alcançará todos os objectivos e seus sonhos de ser referencia no seu ramo de
negócio.
7. SUGESTÕES E RECOMENDAÇÕES

No estudo feito nota-se que a empresa pesquisada não tem feito o controlo financeiro na sua
empresa, por essa razão, sugiro a empresa a ter um controlo financeiro formal das suas contas
de entrados e saídas, custos, gastos, apuramento de resultados com as respectivas margens de
contribuição e planeamento financeiro.

Visto que o controlo financeiro é uma fundamental para que a empresa não entre no
vermelho. Portanto, o controlo de caixa é uma ferramenta de suma importância para a
empresa, pois ele fornece informações como conferir os recebimentos, os pagamentos;
controlar e analisar as despesas pagas; e, fornecer informações para elaboração do fluxo de
caixa.

Ao instituto Foco recomendo que auxiliem aos estudantes na busca de dados para a
efectivação do trabalho de conclusão do curso pois nos é muito difícil que as empresas nos
forneçam dados param a conclusão do mesmo.
8. BIBLIOGRAFIA

BRAGA, R. (1989).Fundamentos e técnicas da administração Financeira. São Paulo: Atlas.


CURADO,RicardoSimões.Sebrae-SP,Artigodisponívelem
www.administradores.com.br/noticias/administracao-e-negocios/falta-de-planejamento-
financeiro-e-um-dos-principais-problemas-do-empreendedor-brasileiro..
CURADO, Ricardo Simões. Sebrae-SP, Artigo disponível em SEBRAE/SC -
ARTIGOS PARA MPE'S. Data Inclusão: 24/11/2005 - Autor: Diário do Comércio &
Indústria - Fonte: DCI.
FRANCO, Hilário, MARRA, Ernesto( 2001). Auditoria contábil. 4ª. ed. São Paulo: Atlas,
GITMAN, Lawrence J(1997). Princípios da administração financeira. São Paulo: Habra,
GIL, A. C.( 1999).Métodos e técnicas de pesquisa. 5ª edição. São Paulo: Atlas.
GODOY, Arilda Schmidt.( Mai./Jun. 1995) Pesquisa qualitativa: tipos fundamentais. Revista
de Administração de Empresas. São Paulo, v. 35, n. 3, pg. 20-29.
PADOVEZE, Clóvis Luiz.( 1988) Sistemas de informações contábeis. São Paulo: Atlas.
ROESCH, Sylvia Maria Azevedo.( 1999) Projetos de estágio e de pesquisa em
Administração: guia para estágios, trabalhos de conclusão, dissertações e
estudos de caso 2ª edição. São Paulo: Atlas.
SÁ, Carlos Alexandre.( 2009).Fluxo de caixa – A visão da Tesouraria e da Controladoria.
3. Ed. São Paulo: Atlas,.
SEBRAE - Serviço de Apoio a Micro e Pequena Empresa - MG. Como elaborar
controles financeiros, disponível em: www.sebraeminas.com.br. Acesso em 20/11/2013 -
Oliveira, Dilson Campos,(2005)Manual Como Elaborar Controlos Financeiros Belo
Horizonte: SEBRAE/MG
SOUZA, Luiz C.de.( 2008) Controladoria aplicada aos pequenos negócios. Curitiba: Juruá.
RUSCHEL, Cláudio Fernando. Custos...estes desconhecidos. Artigo. Disponível em:
www.artigos.com/artigos/sociais/contabilidade/custos...-estes-desconhecidos...-
Acessoem: 01/10/2013.

BATEMAN, Thomas S.; SNELL, Scott A(1998.). A Administração: construindo vantagem


competitiva. São Paulo: Atlas.
9. ANEXOS

QUESTIONÁRIO
Esta pesquisa é académica. Sua resposta é muito importante para a correta análise de sua
empresa. Procure ser objectivo. Este questionário ajudará a alcançar o meu objectivo de
levantar informações para que junto com o referencial teórico, possa realizar o trabalho de
conclusão de curso de Pós-Graduação em Contabilidade, Fiscalidade e Auditoria pelo
Instituto Foco de Maputo

SITUACIONAL:
1. Controla fluxo de caixa diariamente?
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
2. Existe a separação das contas pessoais das contas da empresa?
____________________________________________________________
____________________________________________________________
3. Controla seus custos periodicamente de maneira geral?
____________________________________________________________
____________________________________________________________
4. Faz controlo periodicamente do valor das vendas?
______________________________________________
____________________________________________________________
5. Faz controlo de estoque periodicamente?
______________________________________________________________
______________________________________________________________
6. Realiza o cálculo do retorno financeiro?
______________________________________________________________
______________________________________________________________
7. Você faz um planeamento financeiro?
______________________________________________________________
______________________________________________________________