Você está na página 1de 9

RENATA DE MESQUITA MAGALHÃES

Gestão participativa na escola pública:


O papel do gestor escolar

Rio Bonito
2018
RENATA DE MESQUITA MAGALHÃES

GESTÃO PARTICIPATIVA NA ESCOLA PÚBLICA:

O papel do gestor escolar

Trabalho de Conclusão de Curso apresentado


ao Curso de Licenciatura em Pedagogia do
Centro de Ciências Humanas da UNIRIO,
como requisito para obtenção do grau de
Pedagogo.

Orientador: Professor Especialista Juscelino da


Silva Mendes

Rio Bonito
2018
RENATA DE MESQUITA MAGALHÃES

GESTÃO PARTICIPATIVA NA ESCOLA PÚBLICA:


O papel do gestor escolar

Avaliado por:

Professor Especialista Juscelino da Silva Mendes

Orientador(a)

__________________________________

Segundo(a) leitor(a)

Data da apresentação ___ / ____ / _____

Rio Bonito
2018
AGRADECIMENTOS

Agradeço a Deus, por minha vida, minha experiência e trajetória até aqui, por ter
me possibilitado o ingresso numa universidade e principalmente a conclusão da
mesma.

Agradeço também a meus familiares, principalmente a meus pais, pois estes são
minha inspiração.

Ao meu futuro esposo, Dênis, por todo o apoio, confiança, paciência e por ter
sido um grande incentivador de minha jornada universitária, que só está
começando.

Agradeço a Secretaria de Educação do Município de Silva Jardim, pela


oportunidade a mim dada, de exercer o papel de gestora escolar.

Agradeço a Secretária de Educação Kátia Passos e à subsecretária Ana Paula de


Santana por todo apoio dado e confiança.
GESTÃO PARTICIPATIVA NA ESCOLA PÚBLICA: O papel do gestor escolar

RENATA DE MESQUITA MAGALHÃES

Orientador (a): NOME DO (A) ORIENTADOR (A)

Resumo:

Palavras-chave: Gestão; Participação; Democracia; Escola.

Introdução

A Gestão Escolar, consiste no papel de um diretor, ou cargo similar cuja função é


tomar decisões visando o bem comum da instituição a qual ele gere. Quando fala- se em
gestão participativa da escola, diz respeito ao gestor escolar democrático. Aquele que
permite a participação da comunidade escolar nas suas tomadas de decisões, como
prevê a LDB na Lei n° 9394/96, artigo 1º, definindo as diretrizes de uma gestão
democrática.

Gestão democrática é um assunto pertinente aos dias atuais, onde todos


devem exercer seus papeis de cidadania, ou seja, toda a comunidade escolar.
Criada com o objetivo de tornar diferente o contexto educacional, a gestão
escolar tem como função facilitar processos diários, aumentar e melhorar a
eficiência do ensino dentro da unidade escolar. Nesse sentido, ela busca
proporcionar organização e articulação de premissas que asseguram o
processo educacional. (AUTOR, ANO, p.)

Portanto, gestão escolar é a forma de administrar a escola como um todo, englobando


todos os seus setores, com o seu maior objetivo que é o avanço educacional dos alunos. Para
um completo desenvolvimento educacional, o profissional responsável pela área deve
observar as necessidades e particularidades de cada setor, promovendo uma melhor relação e
desenvolvimento das atividades.

É necessário, no exercício da gestão escolar, possuir habilidades de gerenciamento em


aspectos que vão do plano pedagógico às questões financeiras, ou seja, dar atenção à
instituição em sua totalidade. Seu objetivo é orientar a busca de resultados e fortalecimento da
liderança, motivando as equipes no alcance dos ideais, além de enfatizar a qualidade do
currículo por competências e promover estímulos à participação dos pais no processo de
busca da excelência do ensino-aprendizagem.
A gestão participativa é a forma como o gestor conduz seus projetos e normas, sendo
de maneira descentralizada, ou seja, com a participação de toda a comunidade
escolar. Como citado acima, a gestão democrática, ou participativa é regida por lei.
Podemos dizer que a gestão participativa traz benefícios à toda a instituição, alunos,
docentes, funcionários e responsáveis de alunos, dando nos o direito do exercício a
cidadania.

Nessa perspectiva, a escolha da temática da presente pesquisa, se deu, tendo em


vista sua importância nas escolas públicas atuais, principalmente por parte dos seus
gestores que devem estar desempenhando seu papel descentralizador e desenvolvendo a
democracia. Os conhecimentos sobre gestão escolar são necessários aos profissionais da
educação e gestores escolares, que em sua maioria desconhecem seu papel legal,
deixando de exercê-lo como se deve.

Escolhi a temática de gestão escolar, pois há mais de um ano estou como gestora
de uma instituição escolar pública e tenho buscado aperfeiçoamentos profissionais
através da aquisição de conhecimentos, com objetivo de aprimorar e tornar cada vez
mais eficiente minha prática de gestora escolar.

A cada dia percebo o quão importante é meu papel como gestora escolar, o que
me motiva muito, pois de acordo com o trabalho que eu vier a desenvolver, os alunos de
minha escola terão melhores desempenhos ou não. Esse é o motivo de minha
preocupação. O fracasso ou avanço escolar não é somente de responsabilidade da
instituição, porém tem um grande papel na vida do aluno, podendo fazer toda a
diferença necessária para a formação do indivíduo. O que tem me motivado são os
resultados favoráveis com relação ao desempenho dos alunos em vários aspectos
escolares, porém busco por aperfeiçoamentos para que consiga trazer mais benefícios
não só aos alunos da unidade escolar em que sou gestora, mas a toda comunidade
escolar, pois um dos pressupostos para o sucesso de uma gestão é o engajamento de
todos em prol de um objetivo.

Formei-me no Ensino Médio, na modalidade Normal, no ano de 2010, no


Instituto de Educação Clélia Nanci, que fica na cidade de São Gonçalo, RJ. No ano
seguinte, iniciei minha vida profissional lecionando numa escola particular em São
Gonçalo para uma turma da Ed. Infantil. Dois anos após, por ter demonstrado boas
habilidades em minha prática profissional, a dona da escola, convidou- me a trabalhar
como professora de uma turma de alfabetização. No mesmo ano, exatamente no mês de
março, de 2013, fui convocada para tomar posse do concurso que havia realizado para
professora, no município de Silva Jardim. Depois de quatro anos lecionando recebi o
convite para estar na gestão de uma escola do município, com 132 alunos, que atendia a
Educação Infantil e turmas do 1° ao 5° ano de escolaridade. No início do presente ano,
recebi outro convite de estar na gestão de uma nova escola, esta maior que a anterior,
com 500 alunos, que atende a dois segmentos da educação básica, sendo ela do 1º ao 9º
ano de escolaridade e com histórico de problemas relacionados a comunidade escolar e
principalmente aos alunos adolescentes. Vandalismo, furtos, e agressões físicas se
faziam constantes na unidade. Hoje posso dizer, que graças a minha experiência
profissional e conhecimentos aprendidos através de minha graduação, tenho uma
realidade escolar muitíssimo diferente em todos os aspectos.

Para minha instituição levei a Teoria da Janela Quebrada, criada por James
Wilson e o psicólogo George Kelling, onde diz que “desordem causa desordem” e
trabalhei firmemente na organização. Organização de espaço, regras, funcionalismo,
rotinas e etc. logo depois vieram os Projetos pedagógicos pensados a solucionar os
presentes problemas da instituição e é neste objetivo que me encontro até os dias atuais.
Venho aprendendo muito em minha formação acadêmica. Meus conhecimentos me
fizeram ter sucesso lecionando e agora contribuem muito na gestão da unidade escolar
em que estou. Gerir uma escola não é ser autoritário, não é somente pais chatos, não é
somente alunos problemáticos, não são apenas funcionários insatisfeitos, a gestão
escolar, engloba todos os setores possíveis dentro da Educação, mas o seu objetivo
apesar de complexo, é único: A formação do aluno.

A presente pesquisa nasce da seguinte inquietação: O gestor faz a diferença no


avanço de uma instituição escolar? Os gestores da atualidade conhecem seu papel e sua
importância? Qual a importância de uma comunidade escolar participativa para a
escola? Quais são as leis que regem uma gestão participativa?

Engana-se quem pensa que gerir uma unidade escolar é basicamente dar ordem
ou ouvir reclamações. Engana-se quem ver o gestor como uma peça sem importância
dentro da instituição. Em alguns casos o gestor demonstra não saber seu papel e se
omite atrás de problemas “ditos” sociais sem assumir inteiramente suas
responsabilidades diante das situações. Há exemplos de fatos, comprovando que quando
um gestor desempenha um bom trabalho, a instituição avança, principalmente quando
para isso, o gestor conta com a colaboração da comunidade, através da participação de
todos. Uma vez que, o papel do gestor escolar vai além do seu desejo pessoal e perpassa
por normas criadas na maioria das vezes para o avanço da Educação, sendo de sua
responsabilidade legal, o conhecimento e cumprimento das legislações educacionais.

Sendo assim, a pesquisa aponta como objetivo geral: compreender sobre o papel
e importância do gestor no contexto da gestão participativa na escola pública. E como
objetivos específicos: refletir sobre o conceito e contexto da gestão escolar; refletir
sobre o conceito de gestão participativa; identificar o papel do gestor no contexto da
escola pública. identificar a importância da participação da comunidade escolar para o
crescimento da instituição.

A presente pesquisa é de grande importância, pois apresentará questões pertinentes ao


trabalho dos gestores em nossa atualidade, onde muitos têm se apresentado desmotivados e
sem estímulos para o exercício de tão importante função. Trago em minha pesquisa,
conhecimentos adquiridos durante a formação acadêmica que me baseio para fundamentar a
prática. Como estudante de graduação em Pedagogia, compreendo a amplitude do trabalho a
ser desenvolvido pelo pedagogo, seja na sala de aula, no planejamento da prática de docentes,
em escolas particulares e públicas, ou como gestor, o curso de Pedagogia é a principal e
essencial ferramenta para todos estes trabalhos e sendo o foco em gestão, ao longo do trabalho
compreenderemos que para esta função, é necessário se aprofundar em todas as demais.
Afinal, o gestor de uma escola pública deve estar voltado apenas a questões burocráticas de
sua unidade escolar, como documentos e resultados finais?
Pretende-se assim, desconstruir a visão de uma sociedade, onde o gestor tem por
obrigação ser autoritário, por medo em alunos e fazer o que lhe é mais conveniente referente a
tomada de decisões. Em meio aos dias atuais, onde jovens estão sendo abominados dentro de
unidades escolares por não serem mais “os mesmos de antigamente”, cabe ao gestor o papel
de atualizar sua instituição de forma que ela acompanhe e compreenda seus alunos de hoje,
sem compara-los ou trata-los como os de anos atrás.
O papel da pesquisa será mostrar ao leitor, toda a complexidade presente na função de
um gestor escolar, bem como sua grande importância para a formação de seus alunos e até os
reflexos na comunidade trazidos por uma boa prática do gestor escolar. Sendo assim, para a
criação deste artigo foram usados estudos de campo, levando em consideração as práticas
vivenciadas em minha experiência educacional. Pesquisas científicas também foram utilizadas
para um embasamento teórico mais preciso.
No âmbito das pesquisas de campo, me utilizei de experiências como gestora, bem
como diálogos entrevistas com outros gestores escolares, em diferentes realidades da minha.
Foram ouvidos, responsáveis de alunos, alunos e funcionários de variadas unidades escolares.
Para esta pesquisa foram necessários também, bases teóricas de autores e legislações
atualizadas que regem a gestão escolar.

A pesquisa em tela encontra-se dividida em três tópicos, a saber: no tópico 1


denominado: Gestão escolar: conceito e contexto, busca refletir sobre o conceito de gestão e o
contexto da gestão escolar atual, no tópico 2: Gestão Participativa: conceito e contexto,
procura contextualizar a gestão participativa no âmbito das escolas públicas e, por fim no
tópico 3: O papel do gestor no contexto da escola pública, procura ampliar o contexto da
escola e do gestor escolar no cenário atual.

Referencial Teórico

1. Gestão Escolar: conceito e contexto

Trabalharemos COM OS TEXTOS QUE ESTÃO NO E-MAIL QUE ESTOU


ENVIANDO:

2. Gestão Participativa: Comunidade escolar participativa

3. O Papel do Gestor Escolar no contexto da Escola Pública

Considerações Finais

Referências