Você está na página 1de 27

A Reconstrução dos Muros da Cidade de Jerusalém

Sob as Ordens de Neemias

1
Estudo-Vida de Neemias - Witness Lee

MENSAGEM UM UMA PALAVRA INTRODUTÓRIA E A


RECONSTRUÇÃO DOS MUROS DA CIDADE DE JERUSALÉM
SOB AS ORDENS DE NEEMIAS

Leitura Bíblica: Ne 1-7 Com esta mensagem começaremos o


estudo-vida de Neemias.
I. UMA PALAVRA INTRODUTÓRIA A. O Livro de Neemias É
uma História da Reconstrução dos Muros da Cidade de
Jerusalém. O livro de Esdras é uma história do retorno do
cativeiro de Israel e a reconstrução da casa de Deus como o
inicio da restauração de Deus entre os Seus eleitos para o Seu
testemunho na terra de acordo com a Sua economia. O livro de
Neemias é uma história da reconstrução dos muros da cidade de
Jerusalém como a restauração ininterrupta entre os Seus eleitos
para o Seu testemunho para a realização da Sua economia. B. O
Escritor O escritor deste livro foi Neemias cujo nome significa
"conforto de Jeová". Ele era o copeiro do rei (1:11b). Todo o livro
é um registro da confiança de Neemias em Deus para o seu
conforto nas provações e ataques dos seus inimigos. C. O Tempo
O conteúdo deste livro abrange um período de cerca de doze
anos, de 446-434 A.C. D. O Conteúdo O conteúdo deste livro é a
reconstrução dos muros da cidade de Jerusalém que foi destruída
pelos inimigos de Israel e a restau-ração adicional dos serviços
de Israel e adoração a Deus. Nestas mensagens eu usarei a
palavra constituição para incluir os dois assuntos de serviço e
adoração. Os serviços mais adoração iguais à constituição. E. O
Ponto Crucial O ponto crucial do livro de Neemias é que a cidade
de Jerusalém era uma defesa e proteção para a casa de Deus
que estava na cidade. Isto significa que a casa de Deus como

2
Sua habitação e casa na terra precisa do Seu reino para ser
estabelecido como um reino para defender Seu interesse na terra
para Sua administração, e levar a cabo Sua economia. A recons-
trução da casa de Deus tipifica a restauração de Deus da igreja
degradada, e a reconstrução dos muros da cidade de Jerusalém
tipifica a restauração de Deus do Seu reino. A edificação da Sua
casa e do Seu reino caminha junto (Mt. 16:18-19). A casa de
Deus na terra precisa do Seu reino para proteger a casa e levar a
cabo a Sua economia eterna. F. As Seções O livro de Neemias
tem duas seções: a reconstrução dos muros da cidade de
Jerusalém sob as ordens de Neemias (caps. 1-7) e a
reconstituição da nação dos eleitos de Deus (caps. 8-13).
II. A RECONSTRUÇÃO DOS MUROS DA CIDADE DE
JERUSALÉM SOB AS ORDENS DE NEEMIAS A. O Relatório da
Condição de Jerusalém Em 1:1-3 nós temos um relatório da
condição de Jerusalém. De acordo com este relatório o restante
dos que retornaram do cativeiro estavam em grande miséria e
desprezo (v. 3a). Os muros de Jerusalém estavam derribados e
as suas portas queimadas (v. 3b). B. O Jejum e a Oração de
Neemias Em sua oração e jejum (vv. 4-11), Neemias
primeiramente louvou a Deus pelo que Ele é, louvando-O por
guardar a aliança e misericórdia para com aqueles que O amam e
guardam os Seus mandamentos (v. 5). Então ele confessou os
pecados dos filhos de Israel (vv. 6-7) e pediu para Deus que se
lembrasse da Sua palavra a Moisés de que Ele traria Seu povo
do cativeiro ainda que estivessem nas extremidades do céu para
o lugar da Sua habitação (vv. 8-9). Neemias se apoiou na palavra
de Deus e orou de acordo com ela. Assim, Deus ficou limitado
pela Sua própria palavra. Neemias continuou implorando a Deus
para ouvir sua oração e a oração daqueles que se agradavam em
temer o Seu nome e o fazer prosperar e achar mercê diante de
Artaxerxes o rei de Pérsia (vv. 10-11a). C. O Favor do Rei em Dar
Permissão a Neemias Em 2:1-8 vemos o favor do rei dando
permissão a Neemias. D. A Viagem de Neemias para Jerusalém e
Sua Observação Pessoal Os versículos 9 a 16 falam da viagem
de Neemias a Jerusalém e sua observação pessoal da condição
3
dos muros da cidade de Jerusalém. Os líderes dos Moabitas e
Amonitas estavam muito descontentes sobre Neemias buscar o
bem dos filhos de Israel (v. 10). Os Moabitas e as Amonitas,
descendentes dos filhos nascidos de Ló, odiavam e
menosprezavam os filhos de Israel. E. A Reconstrução dos Muros
de Jerusalém Neemias 2:17-20 é uma palavra relacionada à
reconstrução dos muros de Jerusalém. Os líderes dos Moabitas e
Amonitas zombavam e menosprezavam os filhos de Israel e
perguntavam se eles estavam se rebelando contra o rei ao fazer
aquilo (v. 19). Neemias lhes respondeu dizendo, "O Deus dos
céus é quem nos fará prosperar; então nós, seus servos, nos
disporemos e reedifica-remos. Mas vocês não têm parte, nem
direito, nem memorial em Jerusalém" (v. 20). Esta resposta indica
que Neemias era muito agressivo. Ele seguramente não era
covarde. Qualquer um que é covarde não pode ser um servo de
Deus. F. Um Registro da Edificação dos Muros em Seções
Consecutivas O capítulo três é um registro da edificação dos
muros em seções consecutivas por todos os filhos de Israel com
os sacerdotes e Levitas. G. A Frustração do Inimigo O capítulo
quatro descreve a frustração do inimigo. 1. A Indignação dos
Inimigos Os inimigos ficaram bravos e muito enfurecidos, e nova-
mente escarneceram dos Judeus e menosprezaram a edificação
deles (vv. 1-3). 2. Neemias Confiando em Deus Neemias confiou
em Deus orando para que Ele devolvesse o opróbrio a eles.
Assim os Judeus edificaram os muros e todo o muro se fechou
até a metade de sua altura, porque eles tinham ânimo para
trabalhar (vv. 4-6). Hoje, não importa o quanto possamos ser
escarnecidos e menosprezados, devemos ter um coração para
edificar e devemos ser agressivos. 3. Os Inimigos Estavam Irados
Porque a Obra de Edificação Estava Avançando Os inimigos
estavam bravos porque a obra de edificação estava avançando, e
eles conspiravam para vir e lutar contra Jerusalém (vv. 7-8). 4. Os
Judeus Oraram ao Seu Deus e Colocaram Guarda Contra Seu
Inimigo Os Judeus oraram ao seu Deus e sob a direção e
instrução de Neemias colocaram guarda contra o inimigo dia e
noite, prontos a lutar com armas sob o encorajamento de

4
Neemias que os ensinou a lembrar do Senhor grande e temível e
lutai pelas vossas famílias. A metade dos servos de Neemias
trabalhava na obra, e a metade deles segurava armas, prontos
para lutar. Alguns edificavam os muros e os carregadores, cada
um com uma das mãos fazia a obra e com a outra segurava a
arma. Aquele que soaria a trombeta estava ao lado de Neemias,
juntando-os a lutar, confiando que o seu Deus lutaria por eles. Isto
indica que, como comandante supremo, Neemias tomou a
dianteira para vigiar. Assim, eles trabalhavam; a metade
empunhavam lanças desde o amanhecer até que as estrelas
saírem, e Neemias e os seus irmãos, seus servos e os homens
da guarda, nenhum deles tiravam suas roupas. Cada um tinha a
arma à sua direita (vv. 9-23). Por um lado, os filhos de Israel
estavam preparados para lutar; por outro, eles confiavam em
Deus que lutaria por eles. Também nesta questão eles eram
agressivos. Aqueles que são covardes poderiam dizer que, já que
Deus lutará por nós, não há necessidade de fazermos qualquer
coisa. Mas num sentido muito real, Deus ajudará aqueles que se
ajudam. Se você não se ajudar, Deus não o ajudará. De acordo
com a história, Deus não ajuda o covarde. É o agressivo que
recebe ajuda de Deus. H. A Solução do Problema Interior O
capítulo cinco está relacionado à solução do problema interior.
Freqüentemente quando estamos lutando exteriormente, temos
um problema interior. 1. A Reclamação do Povo O povo reclamou
por causa dos interesses dos nobres e magistrados sobre eles
(vv. 1-5). 2. A Repreensão de Neemias e a Solução Os versículos
6 a 13 dizem respeito à repreensão de Neemias e a solução. Ele
convocou uma grande congregação contra os nobres e
magistrados e disse a eles que não andavam no temor do seu
Deus por causa do opróbrio das nações inimigas (vv. 7-9). Eles
deveriam temer a Deus por causa do opróbrio e oposição das
nações. Neemias, seus irmãos e seus servos tinham estabelecido
um exemplo emprestando dinheiro e trigo espontaneamente aos
outros, e encarregou os nobres e magistrados a abandonar tal
prática lucrativa (vv. 10-11). Os nobres e magistrados
responderam, dizendo que fariam o que Neemias tinha dito.

5
Então Neemias chamou os sacerdotes e os fez jurar fazendo um
juramento com advertência solene de que Deus sacudiria fora de
sua casa e de seu trabalho todo homem e das posses dele que
não executassem esta promessa (vv. 12-13a). A congregação
disse, "Amém", louvando a Jeová e agiu de acordo com a
promessa deles (v. 13b). 3. O Bom Exemplo de Neemias Nos
versículos 14 a 19 nós vemos o bom exemplo de Neemias. a.
Não Comendo o Alimento Devido ao Governador Neemias e seus
irmãos não comeram a comida devida ao governador durante
doze anos por causa do temor de Deus (vv. 14-15). b. Se
aplicando a Obra no Muro da Cidade Neemias se aplicou a
trabalhar no muro da cidade. Ele, seus irmãos, e todos os seus
servos que foram reunidos lá para a obra não adquiriram campos.
Isto significa que eles não recebiam qualquer tipo de pagamento.
Pelo contrario, ele alimentava ricamente cento e cinqüenta judeus
e magistrados, além daqueles que vinham a ele das nações ao
redor, não exigindo a comida designada ao governador, pois a
obra de edificação era pesada sobre o povo (vv. 16-18). c.
Pedindo a Deus para Lembrar de Tudo Quanto Ele tinha Feito
para o Seu Bem Neemias pediu a Deus que se lembrasse de
todo bem que ele tinha feito para o povo (v. 19). Ele tinha a
posição para pedir a Deus por isto. Aqui devemos notar que
Neemias, como o governador, na posição de um rei, era um
homem com um coração puro pela a reconstrução dos muros de
Jerusalém para levar a cabo a economia de Deus. Ele não era
egoísta, ele não buscava seus próprios interesses, e ele não era
condescendente com a luxúria sexual como todos os reis,
inclusive Davi. Portanto, ele estava qualificado para desfrutar a
porção superior, a realeza da boa terra prometida por Deus aos
Seus eleitos. Em vez de ser egoísta, ele alimentou os outros com
a finalidade de edificar o muro. Na história humana ele pode ter
sido o único líder de uma nação a se comportar de tal maneira.
Como resultado, ele foi usado por Deus. I. A Frustração Adicional
do Inimigo Neemias 6:1-14 descreve a frustração adicional do
inimigo. Primeiramente, fingiram um acordo como parte de uma
conspira-ção para matar Neemias (vv. 1-4). Eles também

6
caluniaram e ameaçaram debilitar as mãos deles de trabalhar,
mas Neemias orou a Deus, dizendo, "Agora, pois, ó Deus,
fortalece as minhas mãos!" (vv. 5-9). Finalmente, o inimigo agiu
deslealmente junto com os falsos profetas e uma falsa profetisa
para fazer Neemias pecar para que tivessem motivo para fazer
um relatório maligno para reprová-lo. Porém, Neemias orou a
Deus, pedindo a Ele que se lembrasse do que eles estavam
fazendo (vv. 10-14). J. A Conclusão do Edifício Em 6:15-7:4 temos
um registro da conclusão do edifício. O edifício foi concluído no
dia vinte e cinco do mês de elul, em cinqüenta e dois dias (6:15).
Todos os inimigos e todas as nações ao redor tinham medo e
decaíram muito no seu próprio conceito, reconhecendo que esta
obra foi terminada com a ajuda de Deus (v. 16). Os versículos 17-
19 falam da intimidação de Tobias que tinha relações com os
Judeus por causa de seus casamentos entre famílias. Em 7:1-4
Neemias nomeou Hanani seu irmão e o maioral do castelo sobre
Jerusalém. Hananias era "um homem fiel e temente a Deus mais
do que muitos" (v. 2). Por fim, Deus pôs no coração de Neemias
registrar a genealogia dos cativos que retornaram para o aumento
da população de Jerusalém (vv. 5-73; cf. Esdras 2:1-70). Neemias
recebeu ajuda de Deus para levar a cabo um grande sucesso na
obra de reconstrução do muro da cidade de Jerusalém.
Certamente é valioso para nós hoje, especialmente os
responsáveis nas igrejas, considerar seu exemplo.
ESTUDO-VIDA DE NEEMIAS MENSAGEM DOIS A
AGRESSIVIDADE DE NEEMIAS Leitura Bíblica: Ne 1:1-2:8, 17-
20 Consideraremos a agressividade de Neemias e a necessidade
pela própria agressividade na restauração do Deus hoje nesta
mensa-gem.
TRÊS SEÇÕES DA OBRA RELACIONADA À CASA DE DEUS E
O REINO DE DEUS O s livros de Esdras e Neemias descrevem o
retorno dos cativos da Babilônia para Jerusalém para reconstruir
o templo reparar o muro para a casa de Deus e o reino de Deus.
Para que Deus tivesse uma casa e um reino na terra, foram
necessárias três seções de obra. Primeiramente, havia a necessi-

7
dade de alguém voltar do cativeiro da Babilônia para Jerusalém
lançar um fundamento para a formação de uma nação. Isto
requeria um governo forte, uma administração forte. Segundo,
havia a necessidade de ensinamento e educação para trazer o
povo de Deus para uma cultura que era segundo Deus. Tal
cultura não era Egípcia nem Canaanita nem Babilônica, mas era
segundo Deus, uma cultura que expressava Deus. Este tipo de
cultura requeria muita educação. Terceiro, havia a necessidade
de constituir a nação organicamente. Esta seção da obra estava
relacionada à constituição do povo de Deus. A palavra
constituição é ambígua. De acordo com a noção comum, esta
palavra refere a um documento que é a constituição de um país,
por exemplo, a Constituição dos Estados Unidos da América. Esta
compreensão da constituição é muito estreita. Em nosso uso, a
palavra constituição refere a algo orgânico que tem vários
elementos. Se o governo de um país não é somente constituído
organizacionalmente, mas também organicamente, aquele
governo não será sem vida. Pelo contrário, tal governo será algo
que é vivo e orgânico. A Liderança de Zorobabel Ao término dos
setenta anos do cativeiro na Babilônia, o Deus onipotente e
soberano movia-se de maneira oculta para despertar abertamente
o rei Ciro a libertar os Israelitas cativos para voltar para a sua
própria terra para edificar o templo de Deus (Esdras 1:1-4).
Também, o rei Ciro tirou os utensílios da casa de Deus que
Nabucodonosor tinha levado de Jerusalém e posto na casa dos
seus deuses (v. 7). Estes utensílios foram devolvidos então para
Jerusalém (v. 11). Este retorno do cativeiro estava sob a liderança
real de Zorobabel, um descendente da família real de Davi (2:1-
2). Se estudarmos cuidadosamente o registro relacionado a ele
na Bíblia, veremos que ele era um governador forte e era muito
capaz administrando as pessoas. A Liderança de Esdras Depois,
houve um segundo retorno do cativeiro sob a liderança sacerdotal
de Esdras, um descendente da família sacer-dotal. Esdras não
era um funcionário de alta-posição na Pérsia. Ao contrário, ele era
sacerdote e escriba versado na lei de Moisés (7:6). Embora não
tivesse nenhuma posição lá na Pérsia, ele foi corajoso, forte, e

8
agressivo ao fazer uma petição ao rei. O rei concedeu todos os
seus pedidos, fazendo tudo quanto Esdras havia pedido. A
iniciativa desta petição não partiu de Deus - partiu de Esdras.
Como alguém que tomou a iniciativa nesta questão, Esdras era
um homem que confiava em Deus e que era um com Deus. Ele
era versado na Palavra de Deus e conhecia Seu coração, Seu
desejo e Sua economia. Por causa de tudo isso, ele era uma
pessoa de excelente caráter e reputação diante do rei. Se Esdras
não tivesse tido tal posição aos olhos do rei, o rei não teria
autorizado que ele designasse os magistrados e juízes (v. 25). A
Liderança de Neemias Neemias, o filho de Hacalias, não era
conselheiro do rei nem capitão do exército. Ele era apenas um
copeiro, alguém que servia vinho ao rei. Mas ele deve ter
construído um viver e conduta que conquistou o favor do rei.
Neemias nunca tinha estado triste na presença do rei (Ne 2:1).
Um dia o rei lhe disse, "Por que está triste o seu rosto, se não
estás doente? Tem de ser tristeza de coração" (v. 2). Sendo
agressivo, Neemias tirou proveito desta oportunidade e disse,
"viva o rei para sempre! Como não me estaria triste o rosto se a
cidade, onde estão os sepulcros de meus pais, está assolada e
tem as portas consumidas pelo fogo?" (v. 3). O rei perguntou qual
era o seu pedido e Neemias pediu ao rei que o enviasse a Judá
para que pudesse reconstruir a cidade dos seus pais (v. 5).
Neemias pediu que lhe dessem cartas para os governadores de
maneira que eles o deixassem atravessar. Ele também pediu uma
carta a Asafe, guarda das matas, para que lhe desse madeira (vv.
7-8). O rei concedeu a Neemias tudo aquilo que ele tinha pedido.
A AGRESSIVIDADE DE NEEMIAS AO SER ESPONTÂNEO AO
SEU ENCARGO Nós não temos dito que Neemias foi despertado
por Deus. Pelo contrário, de acordo com 1:1-2, ele perguntou a
um dos seus irmãos e alguns outros que vieram de Judá sobre
aqueles que escaparam do cativeiro e sobre Jerusalém. Eles lhe
disseram que as pessoas estavam em um estado de miséria e
desprezo e que o muro de Jerusalém estava derribado e suas
portas tinham sido queimadas a fogo (v. 3). Quando Neemias
ouviu este relatório, ele chorou, lamentou, jejuou e orou (v. 4). Ele
9
não convocou uma reunião de oração e nem pediu para aqueles
que deram o relatório para orar pela situação. Ele mesmo orou
com um verdadeiro encargo. Em princípio, estas três seções -
governo, educação, e constituição, têm estado presentes na
restauração do Senhor através dos séculos. Alguns são
levantados e despertados por Deus e alguns são voluntários.
Alguns estão numa alta posição, outros são pessoas comuns.
Mas todos devem ser agressivos, corajosos e fortes no caráter.
Todos os que foram usados por Deus através da história eram
pessoas agressivas. Por exemplo, Paulo e Martinho Lutero eram
muito agressivos. O irmão Nee também, embora fosse um
cavalheiro, era muito agressivo. Neemias seguramente era uma
pessoa agressiva. De certo modo, ele foi voluntário, não para
Deus, mas para seu encargo. Ele tinha um encargo de reconstruir
a cidade de Jerusalém. Sua agressividade foi muito usada por
Deus. Hoje na restauração do Senhor há muitos santos bons,
mas estamos com falta de agressividade. Se pelo menos cinco
mil entre nós fossem agressivos, o mundo seria virado de cabeça
para baixo. Se houvesse setecentos agressivos em cada
continente, uma grande multidão se levantaria para levar a cabo
economia de Deus. Em nossa leitura do livro de Neemias,
precisamos prestar atenção à agressividade de Neemias. Embora
ele fosse um homem comum, criado do rei, que ele era agressivo
para se oferecer a Deus e ao seu encargo relacionado à
edificação da cidade. Ele também era agressivo ao fazer
conhecidos seus pedidos ao rei. Quando o rei lhe perguntou a
causa de sua face triste, ele falou com o rei de uma maneira
ousada, agressiva sobre seu encargo de para a cidade de
Jerusalém. É importante que vejamos isto na Palavra.
AS VIRTUDES E CAPACIDADES NATURAIS SÃO LEVADAS À
CRUZ PARA SURGIR EM RESSURREIÇÃO Nesta conjuntura
precisamos considerar uma questão que é significante em
tipologia no Antigo Testamento e no cumprimento dos tipos no
Novo Testamento. Em tipologia, muitas pessoas foram usadas
temporariamente por Deus de acordo com suas capacida-des e
virtudes naturais para significar algo espiritual. Um exemplo disto
10
é Neemias e sua agressividade a qual era uma virtude em sua
conduta humana. Considerando que em tipologia coisas naturais
eram usadas por Deus temporariamente, no cumprimento dos
tipos no Novo Testamento, todas as virtudes naturais e
capacidades deveriam ser levadas à cruz. Elas precisam ser
colocadas na cruz e crucificadas. Muitos entre nós pensam que
colocar determinada coisa na cruz significa dar fim a tal coisa. De
certo modo, isto está correto. Entretanto, de acordo com o
verdadeiro significado da cruz de Cristo, a cruz não significa
meramente que algo seja terminado, mas que as coisas naturais
são crucificadas para ressurgir em ressurreição. A cruz de Cristo
leva todas as coisas naturais à morte e sepultamento. Mas de
acordo com a Bíblia, o sepultamento é seguido pela ressurreição.
O sepultamento é então o limiar da ressurreição. Tudo que é
sepultado será ressuscitado. De acordo com João 12:24, um grão
de trigo cai na terra, morre e é enterrado. Mas este não é o fim.
Após enterro, algo surgirá em ressurreição. O Exemplo de Moisés
Vamos considerar o exemplo de Moisés. Eu creio que Moisés
tinha um caráter forte e que na sua constituição natural ele era
até mesmo mais agressivo que Neemias. Com idade de quarenta
anos Moisés agressivamente se voluntariou para salvar Israel das
mãos de Faraó, rei do Egito, mas Deus veio para limitá-lo,
permitindo-o falhar e ficar desapontado. Moisés então foi
enterrado no deserto durante quarenta anos. Eventualmente, o
Deus da ressurreição veio para ressuscitá-lo (Êx 3:2-6). O
Exemplo de Pedro Deus nos fez com certas virtudes e
capacidades em nossa constituição natural. Mateus 25:15 nos diz
que os "talentos" são determinados de acordo com nossa "própria
habilidade", isso é, nossa habilidade natural que é constituída da
criação de Deus e nosso aprendizado. Esta habilidade precisa ser
crucificada e então trazida em ressurreição. Esta foi a experiência
de todos os apóstolos hábeis e capazes, como Paulo e Pedro.
Por exemplo, Pedro esteve no "túmulo" durante três anos e meio.
Sempre que ele rastejava para fora do túmulo, o Senhor Jesus o
mandava de volta. Na noite da traição do Senhor, Pedro foi tão
ousado e agressivo ao dizer ao Senhor, "Ainda que me seja

11
necessário morrer contigo, de nenhum modo te negarei" (Mc
14:31). Pedro foi para dizer a Ele que os outros poderiam
abandoná-Lo, mas ele nunca faria isso. Que ousadia! Que
agressividade! O Senhor disse a Pedro, "Em verdade Eu te digo
que hoje nesta noite, antes de um galo cantar duas vezes, você
Me negará três vezes" (v. 30). Uma vez mais, Pedro foi levado à
cruz e foi enterrado. Entrando na Ressurreição Se nossas
capacidades, habilidades e virtudes naturais não forem
crucificadas, elas causarão grandes problemas e será a fonte de
grandes erros. Mas se permitirmos que nossas capacidades,
habilidades e virtudes naturais sejam levadas à cruz e morrer,
seremos ressuscitados. Então em ressurreição nossas
capacidades, habilidades e virtudes serão muitas vezes maiores
do que eram na vida natural. Estas coisas ainda são nossas, mas
tendo passado através da morte e sepultamento, elas agora
estarão em ressur-reição. Isto significa que nós mesmos, com
nossas capacidades, habilidades e virtudes, entramos na
ressurreição. Nós continuamos existindo, mas com nossa
habilidade natural somos trazidos em ressurreição. A realidade da
ressurreição é o Espírito e o Espírito é o Deus Triúno consumado.
A ressurreição, portanto, é o Deus Triúno consu-mado. Nossa
capacidade natural, habilidade, e virtude precisam ser
transferidas de nossa vida natural para dentro do Deus Triúno
consumado por meio da morte e sepultamento. Em nós mesmos
somos naturais, mas quando somos transferidos de nós mesmos
para dentro de Deus, que é ressurreição, nós entramos em
ressurreição. Um Princípio Importante Este é um princípio muito
importante para interpretar os tipos e o cumprimento deles. Se
nós não aplicarmos este princípio, todas as capacidades naturais,
habilidades e virtudes, não restringidas pela crucificação, será
como "bestas selvagens" entre nós. Esta foi a situação de muitas
pessoas capazes que vieram para a restauração e
permaneceram durante algum tempo. Eles perceberam
eventualmente que na restauração não havia nenhu-ma base
para eles empregarem suas capacidade e habilidades naturais.
Conseqüentemente, eles deixaram a restauração e formaram

12
uma obra para eles. Eles não estavam dispostos a aceitar a
crucificação e o sepultamento para ser trazido em ressurreição.
Eles não puderam tomar a cruz. Esta é a razão de certas pessoas
capazes virem para a restauração e não permanecerem. Deus
precisa das pessoas que são altamente educadas. Por exemplo,
ele precisou de alguém como Moisés que era "educado em toda a
sabedoria dos egípcios" (At 7:22). Se Moisés não tivesse sido
uma pessoa educada, Deus não o teria usado dar a lei. Porém,
não deveríamos confiar em nossa sabedoria natural ou educação.
É arriscado colocar nossa confiança em tais coisas. Precisamos
ser um com Deus. Se formos um com Deus, colocaremos nossa
sabedoria natural e educação na cruz. Quanto mais fizermos isso,
mais estaremos em ressurreição. Nunca será perdido semear a
"semente" de nossa habilidade natural na terra. Quando
semeamos uma semente nós a perdemos temporariamente, mas
eventualmente haverá uma colheita em ressurreição.
NEEMIAS VIVENDO EM RESSURREIÇÃO Neemias era uma
pessoa que não vivia no seu homem natural, mas em
ressurreição. Ele era agressivo, mas sua agressivi-dade era
acompanhada por outras características. Primeiramente, ele
amava Deus. Não há nenhuma dúvida sobre isto. Ele nasceu no
cativeiro e foi designado para ser o copeiro do rei, mas ele amava
Deus. Ele também amava a terra santa (significando Cristo), o
templo santo (significando a igreja), e a cidade santa (significando
o reino de Deus). Ele amava Deus e, em tipologia, ele amava
Cristo, a igreja e o reino. Como alguém que amava a Deus,
Neemias contatava Deus. Temos dito inúmeras vezes que
Neemias orava a Deus (Ne 1:4; 2:4b; 4:4-5, 9). Além disso,
Neemias confiava em Deus e até mesmo se tornou um com
Deus. A agressividade de Neemias em si mesma era natural, mas
em Deus sua agressividade estava em ressurreição. Neemias era
uma pessoa agressiva que amava Deus, a terra santa, o templo
santo, e a cidade santa, que contatava Deus e tinha comunhão
com Ele, que confiava em Deus e que era um com Deus. Como
resultado, ele se tornou o representante de Deus. Nós
precisamos estar claros sobre isto para entender o significado
13
intrínseco do tipo de acordo com o discernimento dado pelo
Espírito.
ESTUDO-VIDA DE NEEMIAS MENSAGEM TRÊS A
RECONSTITUIÇAO DA NAÇÃO DOS ELEITOS DE DEUS (1)
Leitura Bíblica: Ne 8-10
III. A RECONSTITUIÇAO DA NAÇÃO DOS ELEITOS DE DEUS
Nesta mensagem começaremos a considerar a reconstitui-ção da
nação dos eleitos de Deus (caps. 8-13). A. Voltando a Deus por
Voltar à Sua Lei, Sua Palavra P ara ser reconstituído, precisamos
voltar a Deus voltando à Sua lei, isto é, a Sua palavra (cap. 8).
Suponha que uma pessoa caída queira voltar a Deus. Se ele
quiser voltar a Deus, ele tem que voltar à palavra de Deus.
Ninguém pode voltar a Deus sem voltar à Sua palavra. A palavra
de Deus nos reconstitui. Todos nós temos nosso próprio tipo de
disposição e comportamento habitual, mas Deus pode nos
reconstituir por meio de Sua palavra. É por isto que precisamos
ler a Bíblia. A palavra de Deus gradualmente muda nossa mente
e nossa maneira de pensar. A palavra de Deus é um com o
Espírito (Ef 6:17). Quando a palavra de Deus trabalha em nós, o
Espírito, por meio da palavra, dispensa espontaneamente a
natureza de Deus com o elemento de Deus em nosso ser. Nós
podemos nem mesmo estar atentos a tal dispensar que está
ocorrendo dentro de nós. Desta maneira somos reconstituídos. A
maioria dos que tinham voltado para Jerusalém do cativeiro na
Babilônia não tinham nascido em Israel, mas na Babilônia, eles
cresceram na Babilônia. O elemento babilônico tinha sido forjado
e constituído no ser deles. Portanto, após retornarem à terra dos
seus pais para ser os cidadãos da nação de Israel, eles
precisaram de uma reconstituição. Esdras foi muito útil neste
ponto, pois ele era uma pessoa através de quem o povo poderia
ser reconstituído com a palavra de Deus. A constituição de uma
pessoa produz o fundamento para a constituição de uma nação.
Uma nação adequada não é somente uma organização, mas
também uma constituição. Isto é especial-mente verdade com o
exército de uma nação. Por exemplo, o exército dos Estados

14
Unidos é constituído com muitos elementos, e estes elementos
proporcionam aos soldados individuais a maneira para serem
reconstituídos como partes do exército. Assim, o exército é uma
constituição e não meramente uma organização. A intenção de
Deus com Israel era ter na terra um povo divinamente constituído
para ser Seu testemunho. Para que o povo de Deus fosse Seu
testemunho, eles tinham que ser reconstituídos com a palavra de
Deus. Sob as ordens de Esdras e Neemias o povo de Israel que
voltou foi constituído coletivamente por e com Deus pela Sua
palavra para ser uma nação como testemunho de Deus. 1. Todo o
Povo de Israel Reunindo como Um Só Homem e Pedindo a
Esdras para Trazer o Livro da Lei de Moisés e Ler para Eles De
acordo com Neemias 8:1-8 todo o povo de Israel ajuntou-se como
um só homem diante da Porta das Águas e disseram a Esdras
para trazer o livro da lei de Moisés e ler para eles. Esdras fez isto
e bendisse a Jeová o grande Deus, e todo o povo respondeu,
"Amém, Amém", erguendo suas mãos para cima; eles adoraram a
Jeová com seus rostos em terra. Isso indica que o Israel rebelde
tinha sido completamente convencido e completamente
subjugado pela palavra de Deus falada por Moisés. A palavra de
Deus é a base sólida para o Espírito de Deus que é o próprio
Deus dispensar o elemento de Deus em nosso ser para fazer com
que sejamos constituídos com Deus. Esta deveria ser nossa
experiência pessoal dia a dia. Quando nos reunirmos, precisamos
ler ainda mais a Palavra de Deus. Fazer isto é reunir de acordo
com a maneira da constituição divina. Para ser reconstituído,
precisamos ler os sessenta e seis livros da Bíblia muitas e muitas
vezes. Como alguém que tem lido a Palavra por mais de sessenta
e cinco anos, posso testemunhar que fui reconstituído
diariamente pela leitura da Palavra. Diariamente sou reconstituído
um pouco mais. 2. Neemias, Esdras e os Levitas Encarregando
Todo o Povo de Santificar Aquele Dia para Jeová Seu Deus
Neemias o governador, Esdras o sacerdote e escriba, e os
Levitas que ajudaram o povo a compreender encarregou todo o
povo a santificar aquele dia a Jeová seu Deus e não prantear ou
chorar, pois todo o povo chorou quando ouviram as palavras da

15
lei. Neemias os incumbiu de fazer um banquete sem tristeza, mas
um banquete cheio de alegria. Foi difícil para o povo fazer isto,
porque eles tinham sido convencidos e subjugados pela palavra e
perceberam que eram pecadores (vv. 9-10a). Neemias disse a
eles, não "vos entristeçais, pois a alegria de Jeová é a vossa
força" (v. 10b). Então todos "saíram para comer e beber e enviar
porções e regozijar-se grandemente" (v. 12). 3. Os Cabeças das
Casas dos Pais, os Sacerdotes, e os Levitas se Ajuntando a
Esdras para Ganhar Discernimento através das Palavras da Lei E
no segundo dia os cabeças da casa dos pais de todo o povo, os
sacerdotes e os Levitas ajuntaram-se a Esdras, o escriba, para
ganhar discernimento nas palavras da lei (v. 13). Hoje muitos
lêem a Bíblia sem discernimento. Quem tem discernimento
genuíno na palavra da Bíblia? Aqui no versículo 13
"discernimento" refere-se ao significado intrínseco. Todos nós
precisamos ser ajudados a ver o significado intrínseco da palavra
da Bíblia. Os versículos 14 a 18 nos dizem que eles acharam na
lei que Jeová ordenou aos filhos de Israel que habitassem em
barracas durante a festa no sétimo mês (a Festa dos
Tabernáculos) e divulgassem e proclamassem em todas as suas
cidades e em Jerusalém e saíssem ao monte e trouxessem
ramos de oliveira e outros tipos de ramos para fazer barracas.
Toda a congregação fez isto adequadamente durante sete dias
com grande alegria, e dia após dia Esdras leu o livro da lei de
Deus. No oitavo dia houve uma assembléia solene de segundo o
prescrito. Isto indica que eles fizeram tudo de acordo com a lei
completa, com as ordenanças, os estatutos (os suplementos para
os mandamentos), e as ordenações (os julgamentos). Eles
tiveram um reavivamento e se tornaram uma nova nação,
constituídos com e por meio da palavra. B. Fazendo uma
Confissão Clara para Deus do Passado deles e Fazendo uma
Firme Aliança com Deus Nos capítulos nove e dez o povo fez
uma confissão clara a Deus do seu passado e fizeram uma firme
aliança com Deus. 1. Os Descendentes de Israel Separando-se
de Todos os Estrangeiros Os descendentes de Israel se
separaram de todos os estrangeiros e puseram-se em pé,

16
confessando seus pecados e as iniqüidades dos seus pais e
leram o livro da lei de Jeová (9:1-4). 2. Bendizendo a Deus como
o Único Deus Eles bendisseram a Deus como o único Deus que
criou o céu dos céus, a terra e os mares com tudo o que neles há,
e que escolheu a Abrão, e o tiraste de Ur dos Caldeus, e fez uma
aliança para dar a ele e sua descendência a terra de Canaã (vv.
5-8). Eles conheceram Deus desta maneira e O bendisseram
adequada-mente. 3. Enumerando Todo o Bem Que Deus Tinha
Feito aos Seus Antepassados Em seguida, eles enumeraram todo
o bem que Deus tinha feito aos seus antepassados, tirando-os do
Egito através do deserto para a boa terra e dando-lhes a Sua lei
apesar da arrogância deles e da dura cerviz ao recusar ouvir
Seus mandamentos (vv. 9-25). O que pode tratar com nossa
arrogância, nossa cerviz endurecida e nossa recusa em ouvir os
mandamentos de Deus? Somente a palavra de Deus pode tratar
destas coisas repulsivas. A palavra de Deus pode exterminar
nossa arrogância. A palavra de Deus também pode dobrar nossa
dura cerviz e pode nos fazer ouvir os Seus mandamentos. 4.
Fazendo uma Confissão Adicional da Desobediência e Rebelião
Deles Seguindo isto, fizeram uma confissão adicional da desobe-
diência e rebelião deles (vv. 26-37). Eles confessaram que, com
uma dura cerviz e um ombro obstinado, viraram as costas à lei de
Deus e mataram Seus profetas. Assim, eles provocaram a ira de
Deus para dar a boa terra boa deles à opressão das nações e os
deu, o povo de Israel, em cativeiro para terras estrangeiras. Como
resultado, desde os dias dos reis da Assíria até aquele dia, eles
tinham estado em grande angústia. 5. Fazendo uma Firme
Aliança por Escrito Por causa de tudo isso eles fizeram uma firme
aliança por escrito, e sobre o documento lacrado estavam os
nomes dos seus magistrados, seus Levitas e os seus sacerdotes
(9:38-10:27). 6. O Descanso do Povo Levou-os a Desgraça e ao
Perjúrio O descanso do povo, os sacerdotes, os Levitas, os
porteiros, os cantores, os servidores do templo e todos aqueles
que tinham se separado dos povos de outras terras para a lei de
Deus caíram em maldição e perjúrio (vv. 28-39). Cair em maldição
significava que eles amaldiçoariam a si mesmos se não

17
guardassem a aliança. Fazer juramento significava que não
poderiam cancelar a aliança que tinham feito. a. Andar na Lei de
Deus Nos versículos 29 a 31 temos falado que eles caíram em
maldição e perjúrio ao andar na lei de Deus a qual foi dada por
meio d Moisés, e guardar e cumprir todos os mandamentos de
Jeová seu Deus como também Suas ordenanças e estatutos, não
dando suas filhas aos povos da terra nem tomando as filhas deles
para seus filhos, mantendo o Sábado sagrado em não trabalhar e
antecipar as colheitas do sétimo ano. Antecipar significa desistir.
De acordo com a ordenação da lei de Deus, no sétimo ano eles
deveriam deixar de semear e colher para que a terra pudesse ter
descanso. A terra então produziria algo por si mesma para o
pobre e o necessitado. Essa lei com relação ao sétimo ano revela
que Deus, o Legislador, é cheio de amor, afetuoso para com as
viúvas, os órfãos, o necessitado e os estrangeiros. O povo
também concordou em desistir da cobrança de toda dívida. Não
deveriam forçar os outros a pagarem suas dívidas. Portanto, no
sétimo ano não lhes eram permitido usar a terra e nem permitido
extorquir o pagamento para cada dívida. Os ricos tinham que
emprestar aos pobres e então desistir de cobrar a dívida se o
pobre fosse incapaz de pagar. Para aqueles que estavam pouco
dispostos a emprestar aos pobres, Deus tinha muitas maneiras
para equilibrar o bem estar social entre os ricos e pobres. Em Sua
sabedoria e amor Deus equilibra a riqueza do Seu povo. Essa
questão também está relacionada à reconstituição da nação dos
eleitos de Deus. b. Impondo Sobre Si Mesmos Obrigações para
Oferecer Seus Produtos da Terra para Seus Sacrifícios Além
disso, eles impuseram sobre si obrigações para oferecer seus
produtos da terra para seus sacrifícios a Deus e provisão para o
serviço do templo (vv. 32-39). Todas essas questões são itens da
reconstituição do povo Israel. O Israel "selvagem" foi
reconstituído com uma constituição divina para ser um povo
santificado, separado e exclusivo como um testemunho de Deus
na terra.
ESTUDO-VIDA DE NEEMIAS MENSAGEM QUATRO A
RECONSTITUIÇAO DA NAÇÃO DOS ELEITOS DE DEUS (2)
18
Leitura Bíblica: Ne 11-13 III. A RECONSTITUIÇAO DA NAÇÃO
DOS ELEITOS DE DEUS O s livros de Esdras e Neemias possui
um significado forte e intrínseca para a restauração do Senhor
hoje. Nós não deveríamos pensar que o Antigo Testamento não
está relacionado a nós. A Bíblia foi escrita em duas seções - o
Antigo Testamento e o Novo Testamento. A primeira seção
contém figuras, enquanto que a segunda seção contém o
cumprimento do que é exemplificado pelas figuras. Sem uma
compreensão intrínseca dos tipos do Antigo Testamento, não é
fácil de entender o cumprimento da economia de Deus no Novo
Testamento. Nesta mensagem nós continuaremos considerando a
reconstituição da nação do eleito de Deus. C. A Organização do
Lugar de Habitação do Povo e a Designação dos Oficiais do
Serviço Levítico e das Questões Civis A reconstituição da nação
dos eleitos de Deus envolveu muitos aspectos. Em Neemias 11
vemos que envolveu a organização do lugar de habitação do
povo e a designação dos oficiais do Serviço Levítico e das
questões civis. 1. Os Magistrados do Povo Habitando em
Jerusalém Os magistrados do povo habitaram em Jerusalém, a
cidade santa, e ao restante do povo lançaram sortes para trazer
um de cada dez para habitar em Jerusalém. O povo bendisse a
todos os homens que voluntariamente se ofereceram para habitar
em Jerusalém (vv. 1-2). Naquele tempo era um verdadeiro fardo
para qualquer um morar em Jerusalém. Por causa da ameaça
constante de invasão estrangeira, muitos não estavam dispostos
a viver em Jerusalém. Então, houve a necessidade de algum
arranjo lançando sortes. Caso contrário, não teria havido um
número suficiente de pessoas para viver em Jerusalém. Foi
exigido daqueles que foram sorteados para viver em Jerusalém
que se mudassem para lá. Porém, alguns se dispuseram
voluntariamente para morar em Jerusalém, e todo os
abençoaram. Hoje esses que voluntariamente saem em tempo
integral serão abençoados por todos. 2. Um Registro da
Organização e das Designações Nos versículos de 3 a 36 nós
temos um registro detalhado da organização e das designações.
D. Um Registro dos Sacerdotes e Levitas Neemias 12:1-26 é um

19
registro dos sacerdotes e Levitas. As pessoas principais no
serviço de adoração a Deus, o qual é o mais importante no reino
de Deus, não eram os reis. Os reis não eram para adorar a Deus,
mas para reger o povo. As pessoas principais no serviço de
adoração a Deus eram os sacerdotes com os Levitas, aqueles
que eram os servos dos sacerdotes. 1. Aqueles que Subiram com
Zorobabel e Jesua 2. Nos versículos de 1 a 21 nós temos um
registro desses fiéis que subiram da Babilônia para Jerusalém
com Zorobabel e Jesua. 3. Aqueles Que Serviram nos Dias de
Joiaquim o Sacerdote Os versículos 22 a 26 são um registro
daqueles que serviram nos dias de Joiaquim o sacerdote, de
Neemias o governador e de Esdras o sacerdote, o escriba. Todos
eles estavam vivendo em Jerusalém. E. A Dedicação da
Reconstrução dos Muros A reconstituição também incluiu a
dedicação dos muros reconstruída (vv. 27-43). 1. O Povo
Buscando os Levitas de Todos os Seus Lugares O povo buscava
os Levitas de todos os seus lugares, para trazê-los a Jerusalém
para influenciar a dedicação dos muros com regozijo, ação de
graças e cantando com címbalos, harpas e liras (vv. 27-29). O
principal serviço dos Levitas era cantar e louvar a Deus. Para nós
hoje, cantar hinos nas reuniões é uma necessidade fundamental.
Cantar abre os céus e nos leva aos céus. Nós deveríamos gastar
tempo para cantar de varias maneiras diferentes sempre que nos
reunirmos. 2. A Purificação dos Sacerdotes e Levitas Durante a
dedicação os sacerdotes e os Levitas se purificaram, e também
purificaram o povo, as portas e o muro (v. 30). Tudo foi purificado,
porque eles não dedicavam qualquer coisa a Deus que não fosse
pura. 3. Neemias Nomeando Duas Grandes Companhias
Neemias designou duas grandes companhias para dar graças a
Deus, sair em procissão e permanecer na casa de Deus com ele
(vv. 31-42). 4. A Oferta de Grandes Sacrifícios Eles ofereceram
grandes sacrifícios aquele dia e se regozijaram com suas
mulheres e filhos, pois Deus os tinha feito alegra grandemente; e
o júbilo de Jerusalém foi ouvido muito longe (v. 43). Hoje nossos
vizinhos devem saber que nós somos Cristãos que cantam, que
somos os adoradores de Deus. F. A Designação dos Serviços dos

20
Sacerdotes e dos Levitas e a Provisão das Suas Necessidades A
reconstituição também incluiu designação dos serviços dos
sacerdotes e dos Levitas e a provisão das suas necessidades (vv.
44-47). Neemias não apenas levou para o serviço os Levitas e os
sacerdotes na função; ele também proveu suas necessidades
diárias. Antes daquele tempo, ninguém havia se preocupado
adequadamente com essa questão. G. A Limpeza Aplicada Sobre
Israel como o Eleito de Deus Neemias 13:1-30a descreve a
limpeza aplicada sobre Israel como o eleito de Deus. Houve
muitas limpezas. Essa aplicação também faz parte da
reconstituição da nação do eleito de Deus. 1. Separando Toda a
Multidão Mista de Israel Segundo a Lei Primeiramente, toda a
multidão mista foi separada de Israel segundo a lei (vv. 1-3).
Quando as pessoas ouviram a lei com relação aos Amonitas e
Moabitas que jamais entrariam na congre-gação de Deus, eles
separaram a multidão mista de Israel. 2. Purificando as Câmaras
da Casa de Deus Nos versículos de 4 a 9 Neemias purificou as
câmaras da casa de Deus da ocupação maligna de um parente
do sacerdote que tinha feito sido designado para as câmaras da
casa de Deus. Eliasibe o sacerdote preparou para Tobias seu
parente o Amonita (2:10; 4:3; 6:1) uma câmara grande nos átrios
da casa de Deus onde anteriormente eles depositavam as ofertas
de manjares, o incenso e os utensílios (13:5, 7). Quando Neemias
percebeu o mal que Eliasibe tinha feito para Tobias, ele ficou
indignado e não tolerou a situação. Ele lançou fora todos os
utensílios domésticos de Tobias da câmara e ordenou que ela
fosse purificada. Então Neemias voltou à câmara os utensílios da
casa de Deus, as ofertas de manjares e o incenso (vv. 8-9).
Nessa questão houve uma limpeza completa. 3. Tratando a
Negligência e Cuidando da Necessidade dos Levitas De acordo
com os versículos 10 a 13, Neemias tratou com a negligência
cuidando da necessidade dos Levitas. Ele descobriu que as
porções dos Levitas não lhes eram dadas e ele contendeu com
os magistrados a respeito disso. Então todo o Judá trouxe os
dízimos dos cereais, do vinho e do azeite para os depósitos.
Assim Neemias cuidou de todas as necessidades diárias dos

21
Levitas. 4. Libertando o Povo dos Lucros Profanos do Sábado
Sagrado Neemias também libertou o povo de profanar o Sábado
sagrado (vv. 15-22a). Os Tírios tinha estavam trazendo suas
mercadorias para Jerusalém e vendendo-as lá no Sábado
sagrado. Neemias fez com que essa profanação do Sábado
sagrado cessasse. Ele ordenou que os portões de Jerusalém
fossem fechados antes do Sábado sagrado e não abrissem até
depois do Sábado sagrado (v. 19). Então ele ordenou que os
Levitas se purificassem e guardassem os portões para santificar o
dia do Sábado sagrado (v. 22a). 5. Purificando o Povo e
Especialmente os Sacerdotes da Profanação dos Seus
Casamentos com as Nações Nos versículos 23 a 30a o povo e
especialmente os sacerdotes foram purificados da profanação
dos seus casamentos com as nações. Neemias exigiu que
aqueles que haviam se casado com as mulheres Asdoditas,
Amonitas e Moabitas se separassem das de suas esposas
estrangeiras. Nessa questão ele purificou o povo de toda
estrangeirice (v. 30a). H. Determinando os Deveres para os
Sacerdotes e os Levitas: Lenha para as Ofertas e as Primícias
Finalmente, Neemias designou deveres para os sacerdotes e os
Levitas, fornecer lenha para as ofertas nos tempos determinados
e as primícias (vv. 30b-31a). Todos esses arranjos eram uma
reconstituição. Antes do tempo de Neemias a situação era uma
bagunça. Os deveres dos sacerdotes e dos Levitas não estavam
claros, e não havia um arranjo adequado para a lenha para as
ofertas e as primícias dos produtos da terra a cada ano.
Certamente havia a necessidade da reconstituição realizada por
Neemias. Ao fazer todas essas coisas, Neemias pediu a Deus
que se lembrasse dele e o perdoasse segundo a grandeza da
Sua misericórdia (13:14, 22b, 31b).
ESTUDO-VIDA DE NEEMIAS MENSAGEM CINCO A
LIDERANÇA DE NEEMIAS PARA A RECONSTITUIÇÃO DA
NAÇÃO DOS ELEITOS DE DEUS O s líderes do retorno do
cativeiro eram Zorobabel da família real, Esdras da família
sacerdotal e Neemias de uma família comum. Entre todos os
líderes na história de Israel, estes três foram os mais importantes.
22
Neemias era muito comum sem nenhuma posição. Não há
nenhuma indicação de que sua família tinha uma posição elevada
na sociedade, e ele não tinha uma alta profissão. Embora ele
servisse no palácio do rei da Pérsia, ele era apenas um criado
doméstico. Embora Neemias fosse uma pessoa comum sem
qualquer posição, ele foi colocado numa posição muito elevada,
uma posição que envolveu contato íntimo com o rei. Neemias era
um copeiro do rei (Ne 1:11b). Enquanto vinho era servido diante
do rei, Neemias tomava o vinho e o dava a ele (2:1a).
Posteriormente, o rei designou este copeiro para ser o
governador de Judá.
AS CARACTERÍSTICAS PARTICULARES DE NEEMIAS Como
um dos líderes do retorno do cativeiro, Neemias tinha algumas
características particulares e especiais. Sendo uma Pessoa
Agradável com uma Atitude e Comportamento Adequados Como
um copeiro para o rei, Neemias deveria ter sido uma pessoa que
era agradável e doce e que sempre era adequado em suas
atitudes e comportamentos. Ele nunca estava triste na presença
do rei (v. 1b). Se Neemias não fosse uma pessoa agradável que
cumpria as ordens do rei, ele não lhe teria permitido continuar
servindo como um copeiro. Uma Pessoa Que Amava Deus e os
Interesses de Deus na Terra Neemias amava a Deus, e amava
Seu interesse na terra com respeito a Sua economia. Esse
interesse incluiu a boa terra, o templo e a cidade de Jerusalém,
todos os quais Neemias amava. Embora ele fosse uma pessoa
comum sem posição como de um rei ou de capitão no exército,
ele cuidava dos interesses de Deus na terra. Alguém Que Orava
para Contatar Deus em Comunhão Neemias também era uma
pessoa que sempre orava a Deus para contatá-Lo em comunhão.
Quando ele ouviu que o povo em Jerusalém estava sofrendo e
que os muros de Jerusalém tinham sido derribados e que seus
portões tinham sido queimados a fogo, ele chorou, lamentou,
jejuou e orou (1:2-4). No versículo 11 ele orou, dizendo, "Ah!
Senhor, estejam pois, atentos os teus ouvidos à oração do teu
servo e à dos teus servos que se agradam de temer o teu nome;
conceda que seja bem sucedido hoje o teu servo e dá-lhe mercê
23
perante este homem." Aqui Neemias estava orando para que
pudesse achar mercê diante do rei. "Quando o rei lhe perguntou a
respeito do seu pedido, Neemias orou ao Deus dos céus" (2:4).
Uma Pessoa Que Confiava em Deus e Que Era Um com Deus
Além disso, Neemias era uma pessoa que confiava em Deus e
que era um com Deus. Deus colocou encargos sobre seus
ombros, mas para suportar esses encargos ele confiava em
Deus. Neemias sabia que a boa mão de Deus estava sobre ele
(vv. 8, 18), e pediu a Deus que se lembrasse dele (5:19; 13:14,
31). Isso indica que ele confiava em Deus e era um com Deus.
Não foi fácil para Deus ganhar tal pessoa como Neemias. Em
posição e profissão ele era muito baixo, mas ele amava Deus e
Seus interesses, ele orava pelos interesses de Deus, contatando-
O em comunhão, e ele confiou em Deus e tornou-se um com Ele.
Essas são as características particulares de Neemias em sua
rela-ção com Deus. Totalmente Generoso Em sua relação com as
pessoas, Neemias era completa-mente generoso. Com ele, não
havia egoísmo. Embora ele tivesse uma alta posição como
governador de Judá, ele era de fato o rei suplente de Judá,
representando o rei da Pérsia, ele nunca buscou qualquer coisa
para si. Com Neemias não havia egoísmo. Ele sempre estava
disposto a sacrificar o que ele tinha para as pessoas e para a
nação. Ele fosse o governador, mas ele não recebeu nenhuma
compensação durante doze anos, porque ele percebeu que a
edificação dos muros era uma carga pesada sobre o povo (5:14-
18). Ele não quis aumentar a carga deles. Em vez de receber
compensação, ele proveu as necessidades diárias de mais de
cento e cinqüenta homens. Neemias também estava entre
aqueles que estavam prontos para lutar contra o inimigo e ele
tomou parte na vigília da noite (4:17-23). Ele não deixava essas
questões para outros, mas partici-pava delas. Não Tolerando a
Luxúria É totalmente surpreendente que não há nenhuma palavra
com relação ao casamento de Neemias. Eu creio que, em
contraste com os juízes e reis, Neemias tinha uma só esposa. Ele
não era tolerante com a luxúria sexual. Davi e Salomão eram
ambos tolerantes com essa questão. A tolerância com a luxúria

24
sexual foi o fator principal da podridão da família de Davi e o fator
principal mais tarde da perda do reino de Davi e seus
descendentes. Porém, Neemias era completamente diferente. Eu
creio que em todos os seis mil anos da história humana, houve
nunca tal pessoa como Neemias. Não havia nenhuma recla-
mação do povo sobre Neemias. Todos o apreciavam e lhes eram
gratos. Nós podemos dizer que Neemias era um excelente
presbítero, o melhor exemplo de que um presbítero deveria ser.
Eu espero que todos os presbíteros nas igrejas hoje sejam como
Neemias.
NEEMIAS FOI A ESDRAS BUSCAR AJUDA NA
RECONSTITUIÇÃO DA NAÇÃO DOS ELEITOS DE DEUS
Neemias era um cabeça, um governador de uma nação, mas ele
era completamente sem ambição. Isso é indicado pelo fato que
ele reconheceu a necessidade da ajuda de Esdras. Na
reconstituição da nação, Neemias percebeu que não conhecia a
Palavra de Deus. Mas Esdras, que era famoso por seu conheci-
mento da Palavra de Deus, ainda estava vivo, e Neemias estava
disposto a ir a Esdras buscar ajuda. A maioria dos líderes de hoje
não buscariam ajuda de tal maneira. Ao invés disso, sendo
ambiciosos, eles se agarrariam às suas posições e não trariam
um Esdras para ajudá-los. Mas por Neemias não ser ambicioso,
ele trouxe Esdras. Neemias sabia que sem Esdras ele não
poderia reconstituir o povo de Deus.
RE-EDUCAÇÃO PARA A RECONSTITUIÇÃO Para reconstituir o
povo de Deus, há a necessidade de educá-los com a palavra que
sai da boca de Deus, a qual expressa Deus. Isso significa que
reconstituir o povo de Deus é educá-los colocando dentro deles a
palavra de Deus para que eles possam ser saturados com a
Palavra. Os Israelitas permaneceram no Egito durante pelo
menos quatrocentos anos. Durante esses anos eles devem ter
sido constituídos com o conhecimento Egípcio. Então eles foram
levados para a Babilônia durante setenta anos. Zorobabel, Esdras
e Neemias nasceram e cresceram entre os Babilônicos. Depois
que o povo de Israel voltou da Babilônia, eles se misturaram com

25
os Canaanitas. Assim, os Israelitas estavam constituídos com a
cultura Egípcia, Babilônica e Canaanita. Não obstante, eles
retornaram para ser o testemunho de Deus. Mas como pôde um
povo com uma constituição Egípcia, Babilônica e cultura
Canaanita ser o teste-munho de Deus, a expressão do homem-
Deus? Tais pessoas não eram os homens-Deus. Como elas
poderiam expressar Deus? Para ser o testemunho de Deus, Sua
expressão, elas precisavam ser reeducadas na Palavra de Deus.
OS ISRAELITAS QUE RETORNARAM TORNANDO-SE O
TESTEMUNHO DE DEUS Além de ser reeducado, o povo de
Israel precisava crescer em muito da mesma maneira como os
pais criam seus filhos. Os pais não somente educam seus filhos,
mas espontaneamente e inconscientemente se dão a eles, quase
todo o seu ser para dentro de seus filhos. Os pais transfundem o
que eles são e o que eles pensam para dentro de seus filhos.
Conseqüentemente, isso constituirá seus filhos a serem iguais a
eles. Isso é o que os filhos de Israel precisavam. Antes de
Neemias voltar, a nação de Israel estava uma bagunça. Os
deveres dos sacerdotes não estavam corretos, e ninguém estava
cuidando dos Levitas e daqueles que serviam. Os cantores
estavam lá, mas ninguém tinha dado abertura para eles cantarem
e formarem companhias. Neemias, com a ajuda de Esdras,
reconstitui totalmente a nação. Então Israel se tornou uma nação
exclusiva, uma nação santificada e separada para Deus,
expressando Deus. Eles foram transfundidos com os
pensamentos de Deus, com as considerações de Deus e com
tudo o que Deus é, fazendo deles uma reprodução de Deus.
Todos se tornam Deus em vida e natureza por meio desse tipo de
constituição divina. Como resultado, eles se tornaram uma nação
divina na terra que expressa o caráter divino. Eles foram
reconstituídos pessoalmente e corpora-tivamente para ser o
testemunho de Deus. Os cativos que retor-naram se tornaram o
testemunho de Deus por meio da recons-tituição que aconteceu
sob a liderança de Neemias. O ponto central e crucial dos livros
da restauração, o qual termina com Neemias é a questão da
liderança apropriada e adequada. Considerando que o registro da
26
liderança em Juízes, 1 e 2 Samuel, 1 e 2 Reis, e 1 e 2 Crônicas
está escuro, o registro em Esdras e Neemias está claro. Em
Esdras e Neemias são mencio-nados três líderes: Zorobabel,
Esdras e Neemias. Todos eles eram excelentes líderes, mas o
melhor e o mais excelente era Neemias. Neemias foi o líder
perfeito, o melhor líder na história humana. Somente sob a
liderança de tais pessoas como Zorobabel, Esdras e Neemias
que Israel pôde ser reconstituído para ser o testemunho de Deus,
a expressão de Deus na terra, um povo absolutamente diferente
das nações Pagãs. Esse é um modelo do que Deus deseja para a
igreja ser hoje.

27