Você está na página 1de 10

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASÍLIA

Águas Claras-DF, 26 de agosto de 2019.

TRABALHO FINAL – HUMANIDADE, SOCIEDADE E ÉTICA 1


CATÓLICA EAD
DISCIPLINA: HUMANIDADE, SOCIEDADE E ÉTICA
TRABALHO FINAL – 2019 / 03
GRUPO: H
NOMES DOS COMPONENETES DO GRUPO:
CECILIO MOREIRA DE SANTANA
CRISTIANO DE OLIVEIRA AYUB
CRISTINEIDE RIBEIRO DA SILVA
DAVID JOSEPH
FRANCIELLE PÍCOLO
VALDECI RODRIGUES LEITE

Trabalho Final apresentada à Universidade Católica de Brasília, como requisito para


nota final desta matéria.

TRABALHO FINAL – HUMANIDADE, SOCIEDADE E ÉTICA 2


INTRODUÇÃO
Temos por objetivo responder a quatro perguntas concernente ao estudo de Sífilis de
Tuskegee baseado em cima dos princípios de Ética fundamental, Ética da Equidade de
Levinás, Ética da Libertação de Dussel e Bioética. No início do trabalho colocaremos o texto
na íntegra, na sequência as questões com suas respostas e então ao final, faremos uma
conclusão acerca do que foi respondido e mostrar nossas referências bibliográficas.

TRABALHO FINAL – HUMANIDADE, SOCIEDADE E ÉTICA 3


Estudo de Sífilis de Tuskegee
O Estudo da Sífilis Não-Tratada de Tuskegee foi um experimento médico
realizado pelo Serviço Público de Saúde dos Estados Unidos (SPS) em Tuskegee,
Alabama, entre 1932 e 1972. Foram usados 600 homens sifilíticos como cobaias em
um experimento científico: 399 para observar a progressão natural da sífilis sem o
uso de medicamentos e outros 201 indivíduos saudáveis, que serviram como base
de comparação em relação aos infectados.
Os doentes envolvidos não foram informados sobre seu diagnóstico e jamais
deram seu consentimento de modo a participar da experiência. Eles receberam a
informação que eram portadores de "sangue ruim", e que se participassem do
programa receberiam tratamento médico gratuito, transporte para a clínica, refeições
gratuitas e a cobertura das despesas de funeral. Ao final do experimento de
Tuskegee, apenas 74 pacientes ainda estavam vivos; outros 25 tinham morrido
diretamente de sífilis; 100 morreram de complicações relacionadas com a doença.
Adicionalmente, 40 das esposas das cobaias humanas haviam sido infectadas pela
doença, e 19 de suas crianças haviam nascido com sífilis congénita.
O experimento foi denunciado à imprensa por um membro da equipe e isso
levou ao fim do estudo. Com a repercussão deste caso, vários institutos de ética
médica e humana foram criados. Na época do estudo, o início da década de 1950, o
Código de Nuremberg já determinava algumas das primeiras diretrizes éticas
internacionais para a pesquisa com seres humanos. O Código de Nuremberg foi
escrito por norte-americanos e é parte da sentença do Tribunal de Nuremberg (caso
II), uma corte militar composta apenas por juízes estadunidenses. Também a
Associação Médica Americana (AMA) já tinha publicado algumas normas visando
proteger as pessoas envolvidas em pesquisas.
Os resultados parciais do estudo foram aceitos para apresentação em
congressos científicos e não mereceram qualquer restrição por parte da comunidade
científica. Porém a divulgação dos experimentos gerou indenizações para os
descendentes e alguns sobreviventes da experiência, e o governo americano se
comprometeu a criar programas para atender as vítimas da tragédia.
Em 1997 ainda existiam 8 pessoas vivas que participaram do estudo - e o
governo norte-americano decidiu fazer um pedido de desculpas formais a todos os
que foram enganados durante o experimento de Tuskegee.

TRABALHO FINAL – HUMANIDADE, SOCIEDADE E ÉTICA 4


QUESTIONAMENTOS
1. Pensando sobre o caso apresentado acima, quais são os debates
acerca da Ética que mais se relacionam com o tema do artigo aqui
apresentado? Justifique sua resposta.
No que tange essa questão, podemos debater a ética acerca do juízo de
valores no que diz respeito a dizer ou não a verdade, da criação de princípios e
valores e tais valores devem possuir um caráter social.
Partindo do princípio básico que ética é a disciplina que analisa os
comportamentos e crenças humanas, para determinar se elas são aceitáveis ou não,
a parte de dizer a verdade ou não já me diz que faltou e muito ética da parte dos
pesquisadores, pois por mais que seja um experimento, eles faltaram com a verdade
aviltando contra a vida das “cobaias”, portanto não sendo aceitável. Portanto deveria
ter criado princípios para a escolha das pessoas com pleno consentimento delas,
passando todas as instruções inclusive para a sociedade para existência do caráter
social, ou seja, a probabilidade eventual na vida de um ser humano, dependendo do
agir e reagir do indivíduo ou demais envolvidos e o que isso influenciaria na vida de
toda existência humana.

2. De acordo com o tema discutido no caso acima, discuta sobre a


Ética da Equidade (Levinás)
Para discutir sobre o horrendo estudo/pesquisa da Sífilis não tratada de
Tuskegee a luz da ética debatida por Levinás temos que desbravar esse filósofo
pouco conhecido, porém tão significante quando o assunto e ética.
Emmanuel Levinás filósofo judeu, conhecido por participar de forma ativa (e
sobrevivente) aos pensamentos judeus na revolução russa e na segunda guerra
mundial perseguido apenas por ser judeu. Estudioso é curioso da antologia Levinás
por suas vivências e experiências ao longo dos seus 89 anos (nascido 1906 e
falecido em 1995) fixou seu trabalho filosófico na ética da alteridade, respeitando o
OUTRO e elevando-nos a filosofia da responsabilidade com o próximo como
responsabilidade própria.
Para esse estudioso falar de ética é falar diretamente da relação do EU para
com o OUTRO.

TRABALHO FINAL – HUMANIDADE, SOCIEDADE E ÉTICA 5


Para esse estudo/pesquisa que transcorreu de forma leviana, desrespeitosa
e “às escuras” colocando vidas dos pacientes, cônjuges e filhos em risco como
relata o texto numa abordagem filosófica da Ética de Levinás seria inadmissível
tamanha falta de imparia e respeito com o “outro” como o filósofo tanto citou.
Complementando, Ética significa tanto, nesse texto percebemos que a falta
dela e tanto a falta de respeito para com os outros. todos tem o mesmo direito
principalmente a saúde, a concepção de uma ética universal, proclamada pelo
filósofo Emmanuel Levinás, que visa colocar o outro como ponto de partida de toda
e qualquer reflexão, na verdade uma ética revolucionária capaz de enxergar toda a
responsabilidade que o eu tem para com o outro, compreendendo essa alteridade
nua de preconceitos, estereótipos e de outros vícios do senso comum imputado ao
ser humano cotidianamente.

3. Façam uma relação entre os temas discutidos no caso acima e a


Ética da Libertação de Dussel.
A ética da Libertação de Dussel tem o objetivo de refletir sobre a relação
entre “Eu e o Outro”. A partir de sua ética analisa-se criticamente o discurso
eurocêntrico moderno e a possibilidade de superação do irracionalismo moderno,
por meio da razão crítico-libertadora. A reflexão de Dussel sobre o ethos moderno
coloca-nos face a face com o problema da diferença e da exclusão social. O olhar
para o outro sob a lógica da modernidade é de negação, de vitimização, de
discriminação, de marginalização e de exclusão, definindo o eu identitário
eurocêntrico como a demarcação da diferença. No texto os doentes envolvidos não
foram informados sobre seu diagnóstico e jamais deram seu consentimento de modo
a participar da experiência e, além disso, receberam informação errada a respeito do
que estavam fazendo com eles, ou seja, totalmente enganados.
Trata-se de duas vertentes com uma grande semelhança, ou seja, são
temas que versam sobre uma ética material, que tem conteúdo. Ambos em seus
relatos trazem abordagens da vida humana. Na ética de Dussel, procura-se
entender como foi processo de opressão feita pelos europeus sobre os indígenas e
colonizados e como poderiam serem libertos dessa obscuridade, através da ética.
Essa é uma ética, que procura mostrar a realidade as pessoas e que havia muitas
vítimas da opressão, pela falta de conhecimento. Então Dussel queria deixar claro
que através da ética, era possível libertá-las.
TRABALHO FINAL – HUMANIDADE, SOCIEDADE E ÉTICA 6
O texto que trata do estudo da Sífilis Não-Tratada de Tuskegee, informa o
quanto aquelas vítimas sofreram e foram enganadas pelo mesmo desconhecimento
afirmado acima. Ou seja, são vítimas da opressão do discurso eurocêntrico.
Assim como Dussel afirma em sua teoria os pesquisadores não pensaram
no outro e nem desenvolveram sentimento de empatia, além de colocar a vida deles
em risco, que até levou muitos a morte e de acordo com a teoria o texto existe forte
exclusão social com os indivíduos.

4. Discorra sobre o conceito de Bioética e pontue, baseado no exemplo


do caso acima, o que vocês percebem como uma prática científica antiética.

Os avanços alcançados pelo desenvolvimento científico e tecnológico nos


campos da biologia e da saúde, principalmente nos últimos anos, têm colocado a
humanidade frente a situações até pouco tempo inimagináveis. Com técnicas
desconhecidas, a descoberta de medicamentos mais eficazes, o controle de
doenças crônicas, com certeza isso mostra a evolução das pesquisas. Mesmo
sabendo que Bioética tem como objetivo facilitar o enfrentamento de questões
éticas/bioéticas que surgirão na vida profissional. Sem esses conceitos básicos,
dificilmente alguém consegue enfrentar um dilema, um conflito, e se posicionar
diante dele de maneira ética. Assim, esses conceitos (e teorias) devem ficar bem
claros para todos nós. Não se pretende impor regras de comportamento (para isso,
temos as leis), e sim dar subsídios para que as pessoas possam refletir e saber
como se comportar em relação às diversas situações da vida profissional em que
surgem os conflitos éticos.
Para não fugimos do tema, “O Caso Tuskegee”. Este caso foi marcado por
diversos absurdos, mostrado no decorrer do caso, que sim teve falta da ética de
diversas partes, tanto por médicos, Centro de Saúde e os órgãos responsável por
fiscalizar o setor. No longo da leitura, vimos eram pesquisadores que estavam sendo
acompanhado por Instituições Governamentais, que havia respaldo de
conhecimentos éticos e Morais, mesmo assim todos esses absurdos aconteceram e
foram permitidos. É muito importante que a gente entenda que o desenvolvimento
da ciência, ela não pode ser feita a custas de vidas humanas, os direitos humanos
que é algo que a gente discute desde o final da Revolução Francesa, eles têm que

TRABALHO FINAL – HUMANIDADE, SOCIEDADE E ÉTICA 7


ser pautados, eles tem que sempre ser acompanhados dessas pesquisas que
envolvem seres humanos.

TRABALHO FINAL – HUMANIDADE, SOCIEDADE E ÉTICA 8


CONCLUSÃO
Aprendemos com a realização desta atividade, sobre a Ética, seus princípios
fundamentais, sobre a Ética vista do prisma de Lévinas que nos fala sobre ética da
alteridade, Dussel que nos fizeram refletir sobre a relação entre “Eu e o Outro” e
Bioética que facilita o enfrentamento de questões éticas/bioéticas que surgirão na
vida profissional, tudo isso voltado para o tema apresentado neste trabalho que foi
sobre “O Caso Tuskegee”.
Concluímos citada a importância que esse trabalho tem em nossa formação
acadêmica e profissional, haja vista o aprendizado adquirido e o grande volume de
informações alcançado durante esse módulo.

TRABALHO FINAL – HUMANIDADE, SOCIEDADE E ÉTICA 9


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

DUSSEL, Enrique. Método para uma Filosofia da Libertação. São Paulo: Loyola,
1986.
EAD, CATÓLICA . (Site). Unidades I, II, III e IV.
<https://minhasalaead.catolica.edu.br/course/view.php?id=21823>
UOL . (Site). Disponível em:
<https://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-
noticias/redacao/2017/05/16/comotratamento-de-sifilis-foi-negado-a-negros-nos-eua-pela-
ciencia.htm>
UOL, REVISTA CULT. (Site). Disponível em:
<https://revistacult.uol.com.br/home/o-desafio-da-etica-na-sociedade-do-
conhecimento/>
WIKIPEDIA . (Site). Disponível em:
<https://pt.wikipedia.org/wiki/Estudo_da_S%C3%ADfilis_n%C3%A3o_Tratada_d
e_Tuskegee>
<https://pt.wikipedia.org/wiki/Treponema_pallidum>
YOUTUBE . (Site). Disponível em:
<https://www.youtube.com/watch?v=-HLU92ntUiU&list=WL&index=3&t=0s>
<https://www.youtube.com/watch?v=-pAQS5Aqo88&t=557s>
<https://www.youtube.com/watch?v=WkeEGKfpc0g>

TRABALHO FINAL – HUMANIDADE, SOCIEDADE E ÉTICA 10