Você está na página 1de 32

METODOLOGIA DA PESQUISA

Profª. Msc. Marcela Pianchão


O QUE É PESQUISA?

Esta pergunta pode ser


respondida de muitas formas.
Pesquisar significa, de forma bem
simples, procurar respostas para
indagações propostas.
Minayo (1993, p.23), vendo por um
prisma mais filosófico,considera a pesquisa
como: “(...) atividade básica das ciências na
sua indagação e descoberta da realidade. É
uma atitude e uma prática teórica de
constante busca que define um processo
intrinsecamente inacabado e permanente. É
uma atividade de aproximação sucessiva da
realidade que nunca se esgota, fazendo uma
combinação particular entre teoria e dados”.
Investigar,
Projeto de identificar,
Pesquisa conhecer,
analisar...

Projeto de Ensino Desenvolver,


ampliar,
favorecer...
• a) quando a pesquisa tem o objetivo de
conhecer: conhecer, definir, descrever,
identificar, reconhecer, relatar;

• b) quando a pesquisa tem o objetivo de


compreender: compreender, concluir,
deduzir, demonstrar, determinar
diferenciar, discutir, interpretar, localizar,
reafirmar;

• c) quando a pesquisa tem o objetivo de


aplicar: desenvolver, empregar,
estruturar, operar, organizar, praticar,
selecionar, traçar, otimizar, melhorar;
• d) quando a pesquisa tem o objetivo de
analisar: comparar, criticar, debater,
diferenciar, discriminar, examinar, investigar,
provar, ensaiar, medir, testar, monitorar,
experimentar;

• e) quando a pesquisa tem o objetivo de


sintetizar: compor, construir, documentar,
especificar, esquematizar, formular, produzir,
propor, reunir, sintetizar;

• f) quando a pesquisa tem o objetivo de


avaliar: Argumentar, avaliar, contrastar,
decidir, escolher, estimar, julgar, medir,
selecionar.
• Quanto a forma de abordagem (segundo
Gil, 1991):

• Pesquisa Quantitativa: considera que


tudo pode ser quantificável, o que
significa traduzir em números opiniões e
informações para classificá-los e analisá-
los. Requer o uso de recursos e de
técnicas estatísticas (percentagem,
média, moda, mediana, desvio padrão,
coeficiente de correlação, análise de
regressão, etc...)
• Pesquisa Qualitativa: considera que há
uma relação dinâmica entre o mundo real
e o sujeito, isto é, um vínculo indissociável
entre o mundo objetivo e a subjetividade
sujeito que não pode ser traduzido em
números. A interpretação dos fenómenos
e a atribuição de significados são básicos
no processo de pesquisa qualitativa. Não
requer os uso de métodos e técnicas
estatísticas. O ambiente natural é a fonte
direta para coleta de dados e o
pesquisador é o instrumento chave. É
descritiva. O processo e seu significado
são os focos principais de abordagem.
Lócus, Sujeitos e Amostra da pesquisa

• ONDE: Onde será realizada a


pesquisa, qual é o LOCAL?

• QUEM: Quem fará parte da pesquisa,


quem a comporá?

• QUANTOS: Quantos farão parte da


pesquisa, quantos eu avaliarei ou
analisarei ao longo da pesquisa?
QUANTO AO TIPO
• Pesquisa Exploratória: visa
proporcionar maior familiaridade com
o problema com vistas a torná-lo
explícito ou a construir hipóteses.
Envolvem levantamento bibliográfico;
entrevistas com pessoas que tiveram
experiências práticas com o problema
pesquisado; análise de exemplos que
estimulem a compreensão. Assume,
em geral, as formas de Pesquisas
Bibliográficas e Estudos de caso.
• Pesquisa Descritiva: visa
descrever as características de
determinada população ou
fenômeno ou o estabelecimento
de relações entre variáveis.
Envolvem o uso de técnicas
padronizadas de coleta de dados
questionário e observação
sistemática. Assume, em geral, a
forma de Levantamento.
• Pesquisa Explicativa: visa identificar os
fatores que determinam ou contribuem
para a ocorrência dos fenómenos,
aprofunda o conhecimento da realidade
porque explica a razão, o "porquê" das
coisas. Quando realizada nas ciências
naturais requer o uso do método
experimental e nas ciências sociais
requer o uso do método observacional.
Assume, em geral, a formas de Pesquisa
Experimental e Pesquisa Ex-post-facto”
(a partir do fato passado). Ex.: evasão
escolar.
• Pesquisa Ex-Post-Facto: tem
objetivo de investigar as
possíveis relações de causa e
efeito entre um determinado
fato observado pelo
pesquisador, os dados são
coletados apôs o fato de
ocorrido.
A pesquisa ex-post facto é uma
investigação sistemática e empírica na
qual o pesquisador não tem controle
direto sobre as variáveis
independentes, porque já ocorreram
suas manifestações ou porque são
intrinsecamente não manipuláveis.
• Pesquisa Bibliográfica: quando
elaborada a partir de material já
publicado, constituído
principalmente de livros, artigos
de periódicos e atualmente com
material disponibilizado na
Internet.
• Pesquisa Documental:
quando elaborada a partir de
materiais que não
receberam tratamento
analítico. Cartas, relatórios,
jornais, revistas, documentos
oficiais, filmes, pintura,
relatório de empresas, etc.
• Pesquisa Experimental:
quando se determina um
objeto de estudo, seleciona-
se as variáveis que seriam
capazes de influenciá-Io,
define-se as formas de
controle e de observação dos
efeitos que a variável produz
no objeto.
• Levantamento: quando a
pesquisa envolve a
interrogação direta das
pessoas cujo comportamento
se deseja conhecer.
• Estudo de caso: quando
envolve o estudo profundo e
exaustivo de um ou poucos
objetos de maneira que se
permita o seu amplo e
detalhado conhecimento.
• Pesquisa ação: quando
concebida e realizada em
estreita associação com uma
ação ou com a resolução de um
problema coletivo. Os
pesquisadores e participantes
representativos da situação ou
do problema estão envolvidos de
modo cooperativo ou
participativo.
• Pesquisa Participante:
quando se desenvolve a partir
da interação entre
pesquisadores e membros das
situações investigadas.
Segundo Grossi (1981): "Pesquisa participante é um
processo de pesquisa no qual a comunidade participa na
análise de sua própria realidade, com vistas a promover
uma transformação social em benefício dos
participantes que são oprimidos. Portanto, é uma
atividade de pesquisa, educacional orientada para a
ação. Em certa medida, tentativa da Pesquisa
Participante foi vista como uma abordagem que poderia
resolver a tensão contínua entre o processo de geração
de conhecimento e o uso deste conhecimento, entre o
mundo "acadêmico" e o "irreal", entre intelectuais e
trabalhadores, entre ciência e vida."
• Pesquisa de survey (vistoriar,avaliar):
Trata-se de um processo de investigação
orientada por um método, com o objetivo
de levantar explorar e analisar dados para
criação, formalização e/ou renovação de
áreas do conhecimento, o resultado do
problema observado ou dos dados que se
deseja coletar para fins estatísticos. Se
refere a um tipo particular de pesquisa
social. O termo pode incluir censos
demográficos, pesquisas de opinião
pública, pesquisas de mercado sobre
preferências do consumidor, estudos
acadêmicos sobre preconceito, estudos
epidemiológicos etc.
A metodologia de survey é hoje empregada nas mais
diversas áreas do conhecimento – economia, política,
meio ambiente, marketing, ciências sociais, saúde, entre
muitas outras.
Os surveys - pesquisas de opinião pública - envolvem a
coleta de dados através de entrevistas aplicadas a uma
amostra selecionada da população em estudo, em
observância a um protocolo metodológico científico.
Questionários elaborados com conhecimento e rigor
metodológico; um planejamento amostral em consonância
com os princípios da aleatoriedade; rígidos procedimentos
internos de controle da coleta ao processamento dos
dados, são etapas necessárias á execução de pesquisas
com resultados confiáveis, e que se enquadrem dentro da
margem de erro e o nível de confiança definidos pelo
desenho amostral.
• Pesquisa etnográfica: estuda um
determinado grupo de
civilização, usos e costumes,
assim como a construção dos
instrumentos usados por esse
grupo. Neste tipo de pesquisa o
pesquisador não constrói
perguntas e sim e realizada por
meio da observação.
• Pesquisa etnometodológica: Trabalha
com uma perspectiva de pesquisa
compreensiva, em oposição à noção
explicativa. A Etnometodologia
considera que a realidade socialmente
construída está presente na vivência
cotidiana de cada um e que em todos
os momentos podemos compreender
as construções sociais que permeiam
nossa conversa, nossos gestos, nossa
comunicação etc.
• História oral ou de vida: A
história oral é uma metodologia
de pesquisa que consiste em
realizar entrevistas gravadas com
pessoas que podem
testemunhar sobre
acontecimentos, conjunturas
instituições, modos de vida ou
outros aspectos da história
contemporânea.
INSTRUMENTO DE COLETA DE DADOS

• Na realização de uma pesquisa,


segundo Oliveira (2003, p. 66), depois
de definidas as fontes de dados e o
tipo de pesquisa, que pode ser de
campo ou de laboratório, devemos
levantar as técnicas a serem utilizadas
para a coleta de dados, destacando-se:
questionários, entrevistas, observação,
formulários e discussão em grupo.
ANÁLISE DOS DADOS COLETADOS
• Os dados qualitativos foram analisados
a partir das verbalizações dos sujeitos e
das respostas obtidas com a entrevista,
a partir do método de análise do
conteúdo que, para Triviños (1987), é o
conceito que analisa a inferência, ou
seja, o ato de conclusão, que parte das
informações que fornece o conteúdo da
mensagem, geralmente escrita, pois são
mais estáveis e objetivas a qual podem
ser retomadas todas as vezes
necessárias.
TRATAMENTO DOS RESULTADOS

• É esclarecer como os resultados


serão apresentados. Se vem em
forma de: figuras, gráficos,
tabelas entre outros. É também
explicar a maneira, a forma
como eles deverão ser lidos
e/ou interpretados.
"Para pesquisar a verdade é preciso
duvidar, quanto seja possível, de
todas as coisas, uma vez na vida."

René Descartes