Você está na página 1de 8

Redação — AULA 2

Tipos Textuais na
Redação do Vestibular
Prof. Rafael Mota

Estimado cursista,

O processo de escrita de uma redação no vestibular exige de você não só o conhecimento a respeito
do tema, dos aspectos ortográficos ou gramaticais, mas também do tipo de texto que você irá escrever,
o qual depende exclusivamente do objetivo comunicativo que a proposta de redação apresenta. Os tipos
textuais são, assim, uma classificação geral dos textos a partir da natureza linguística de sua composição,
o que comumente nos faz definirmos cinco tipos textuais principais: narração, descrição, dissertação, ex-
posição e injunção. Cada um deles possui uma estrutura linguística própria e objetivos distintos.
Dos vestibulares existentes na nossa região, o único que solicita a escrita de textos de tipologias dife-
renciadas é o da UECE, motivo pelo qual iremos, nesta Aula 2, estudar os três primeiros tipos. O vestibu-
lar da UVA, o ENEM e outros processos seletivos mais regionais costumam, geralmente, solicitar a tipolo-
gia dissertativa e suas possíveis variações.

A Tipologia Narrativa
A narração é um tipo de texto cujo objetivo principal é narrar fatos ou acontecimentos em uma se-
quência. Essa sucessão de acontecimentos pode ser contada por um narrador e geralmente apresenta em
sua estrutura os seguintes elementos: apresentação (tempo, espaço, personagens), conflito, clímax e desfe-
cho. Veja um exemplo de texto narrativo:

O dia que virou um dia

Os primeiros raios de sol, brandos como um leve toque, anunciam um novo dia de uma pre-
guiçosa segunda-feira. Maria acorda, ingere algum pão e café, despede-se da família e se põe
a caminhar em direção ao ponto de ônibus. Não tão longe dela, José executa as mesmas ações,
porém, não se sabe se desperdiçou os mesmos momentos de adeus.
Maria cumpre mais uma jornada de trabalho e, cansada, roga a volta para casa. Entra en-
tão, em um lotação, cujos passageiros a rotina já a fez conhecer. José, bandido inveterado, pas-
sa o mesmo dia a caminhar, tramar e agir. Todavia, finda-se a data para ele também e, não
estando satisfeito com as finanças adquiridas, envolve-se em dantescos pensamentos.
Vem lá o transporte com Maria. O mesmo é avistado pelo marginal, que logo conclui seu
plano iminente de execução. E o faz. O aceno com a mão indica ao motorista que pare o veí-
culo e o deixe entrar. As vistas de Maria mudam imediatamente de direção e cruzam-se com
as de José. Este segue, como quem mede os passos, ao encontro daquela. Fita-lhe mais uma
vez os olhos e estende-lhe os braços. Aquelas magras mãos tocam a moça e, brutalmente, pu-
xam-na para o mais perto de si: tem uma refém.
José anunciou o assalto e obrigou o condutor a parar o carro. Endiabrado, mostra a sua
arma e faz com que Maria a sinta na nuca. O tumulto chama, com brevidade, a atenção do
povo e, consequentemente a da polícia. E nesta hora que começam algumas negociações. Com
prontidão chega a imprensa, que transforma José em “o José”. bem como Maria em “a Maria”.

AULA 2 – Tipos Textuais na Redação do Vestibular 1


Passadas já muitas horas, o bandido põe em prática um novo plano: tentar sair do ônibus
com a sua refém. Ouve-se um tiro, que atinge Maria. Vendo que iria ser baleado, José dispara
mais três tiros de sua arma, que ferem mortalmente as costas da moça. O criminoso é domina-
do e posto na viatura, onde sorrateiramente morre. A defunta vira manchete, heroína. Passa-
-se uma semana e aquela foi apenas mais uma segunda-feira em uma grande metrópole.
Texto de Diógenes D’arce C. de Luna

Estrutura Composicional do Texto Narrativo

A estrutura que compõe os textos de natureza narrativa é bastante conhecida e apresenta, na grande
maioria das vezes, os mesmos elementos. Em geral, um bom texto narrativo precisa apresentar as res-
postas para os seguintes questionamentos, apresentando, igualmente, os elementos correspondentes:

O QUE? Apresenta os fatos que determinam a história.

QUEM? Traz os personagens que participam da história.

COMO? Apresenta o enredo que determina a história.


TEXTO
NARRATIVO
ONDE? Indica o espaço onde a história ocorre.

QUANDO? Indica o tempo em que a história ocorre.

POR QUÊ? Traz as causas dos acontecimentos na história.

Apresentação — Trecho em que ocorre a apresentação para o leitor das informações principais da
história a ser narrada. Fazem parte dessa parte do texto a apresentação dos seguintes elementos:
a) os personagens, que são os participantes da história, os quais podem ser reais ou não, pessoas e/ou
coisas, acrescentados de suas características físicas e psicológicas etc.
b) o tempo, que caracteriza o momento do tempo em que a narração ocorre, podendo o mesmo ser
passado, presente, futuro, ou mesmo uma utilização múltipla de elementos temporais.
c) o espaço, que consiste no lugar físico onde a história ocorre, podendo se tratar de espaços físicos
reais, imaginários, ou mesmo a utilização múltipla de elementos espaciais.

Conflito — Trecho em que se explicita o problema que dará origem às ações dos personagens de for-
ma a resolvê-lo até o fim da narração. O conflito é o acontecimento primeiro que fará com que a his-
tória se desenvolva.

Clímax — Trecho que se constitui como o momento mais esperado da narrativa. É o acontecimento
de maior tensão da história narrada, ou seja, é o momento em que o problema incitado pelo conflito
será resolvido ou não pelos personagens.

Desfecho — Trecho que caracteriza a solução do conflito pelos personagens. O mesmo pode ser a favor
dos personagens, quanto contra. É o momento em que se narra o que aconteceu com os personagens
da narração após o clímax.

Narrador — Caracteriza o ser que narra os acontecimentos ocorridos na história. O narrador pode par-
ticipar como um personagem da história (narrador em 1ª pessoa), como ele também pode não parti-
cipar, mas saber o que ocorre e se passa com os personagens (narrador em 3ª pessoa/onisciente).

2 Cursinho Pré-Vestibular Avante Itapipoca | Prof. Rafael Mota


GÊNEROS TEXTUAIS
CARACTERÍTICAS DO
NARRATIVOS MAIS COMUNS
TEXTO NARRATIVO
NO VESTIBULAR DA UECE
 Baseia-se na ação  Relato pessoal/viagem
 Possui um enredo (história)  Conto maravilhoso
 Realiza-se com o discurso direto ou indireto  Crônica narrativa
 Pode haver presença de narrador  Carta narrativa
 Situa o tempo e o espaço onde ocorrem as ações  Fábula
 Há a presença obrigatória de personagens  Lenda
 Traz uma sequência de fatos  Conto futurista
 Constrói-se a partir de um conflito que caminha para  Crônica futurista
uma resolução (desfecho)  Notícia
 Sequência: apresentação, conflito, clímax, desfecho.  Reportagem

A Tipologia Descritiva
O texto descritivo tem como objetivo principal apresentar aquilo que se observou ou sentiu a partir
da tradução dessa experiência em forma de palavras. Nesse caso, um texto desse tipo pode descrever uma
imagem, uma pessoa, um lugar, um momento vivido etc. Na descrição, não existe ação; o foco está voltado
para as características daquilo que se está descrevendo, sendo abundante o emprego de substantivos e ad-
jetivos. Veja um exemplo de texto descritivo:

Nair
Quando a vi pela primeira vez, em um fim de tarde do mês de junho, ela estava em uma
sala próxima às dependências do departamento de ginástica olímpica de um clube de São
Paulo. Sentada em seu colo havia uma menina loira, de aproximadamente dez anos, que
ela criara no desempenho das suas funções de empregada doméstica daquela família por
quase vinte anos.
De baixa estatura, mais gorda do que magra, aparentava ter trinta e quarenta anos. A
cor negra de sua pele falava-me muito de perto da herança involuntariamente legada pelos
seus antepassados – herança de trabalho árduo na condição servil que lhes foi imposta, atra-
vés das gerações, pelas condições históricas e socioeconômicas.
Os olhos de Nair, negros e arredondados, refletiam amor e preocupação por aquela cri-
ança sentada em seu colo. Os outros traços do rosto configuravam uma fisionomia bastante
simpática. Seus lábios grossos proferiam frases inteligentes, que demonstravam vivacidade
e esperteza, atributos que preconceituosamente não costumam ser associados a alguém de
sua profissão.
Nair vestia roupas simples, assim como eram simples as suas aspirações: continuar cuidan-
do de uma casa que não era sua e de uma filha que também não era sua, mas de quem se
julgava amada. Parecia ser um exemplo claro daqueles que abrem mão do direito de seguir
seu próprio destino para viver em função de outras pessoas, canalizando para elas toda a
sua sensibilidade.
Leal, sincera, de personalidade forte, não sei se, no íntimo, desejava ter seus próprios fi-
lhos, um outro modo de viver. Muito provavelmente, sim.
Redação modelo UECE

AULA 2 – Tipos Textuais na Redação do Vestibular 3


Estrutura Composicional do Texto Descritivo

Dos tipos de texto conhecidos, os de natureza descritiva são os que possuem estrutura menos con-
vencionalizada, o que significa dizer que sua elaboração dependerá mais do gênero textual do que a própria
tipologia. Entretanto, da análise de textos descritivos, podemos citar alguns elementos que se tornam fun-
damentais na sua estrutura, os quais podem ser observados e descritos a seguir:

APRESENTAÇÃO DESCRIÇÃO CONCLUSÃO DA


DO TEMA- DO TEMA- DESCRIÇÃO DO
-NÚCLEO -NÚCLEO TEMA-NÚCLEO

É o momento em que se apre- Trecho em que ocorre a descri- Momento em que se finaliza o
senta para o leitor o elemento ção pormenorizada do tema- processo de descrição do tema-
que será descrito. No texto des- -núcleo, apresentando suas ca- núcleo. Dependendo da abor-
critivo, pode-se se tornar alvo racterísticas objetivas quanto dagem (tipo) de descrição, o ob-
da descrição um objeto, um subjetivas. Podem ser objetos servador pode se valer de algu-
ser animado ou inanimado ou de descrição pessoas, animais, mas estratégias para finalizar
mesmo um processo, o qual se- paisagens, objetos, processos, a descrição do tema-núcleo de
rá apresentado de modo geral estados de ânimo etc. a partir forma diferente, as quais po-
pelo observador. Este, por sua da elaboração de dados pelo dem ser explicadas a seguir:
vez, pode apresentar algumas observador, seguindo os crité- Avaliação do tema-núcleo
características que o impedem rios seguintes: — Neste ponto do texto des-
de designar de forma comple- Critérios físicos — Aqui são critivo, ao usar uma abor-
ta o tema-núcleo. elencados o primeiro crité- dagem subjetiva do proces-
Limitação do conhecimen- rio de classificação dos da- so, o observador pode fina-
to do observador — A des- dos descritivos, os quais são lizar o texto emitindo uma
crição de determinado ele- baseados nos sentidos físi- opinião final/geral sobre o
mento pode ficar compro- cos do observador, como vi- tema-núcleo.
metida dependendo do ní- são, audição, olfato, tato e Redescrição do tema-nú-
vel de conhecimento que o paladar. cleo — Estratégia mais co-
observador possui do tema- Critérios objetivos — Tem- mum de finalizar, a redes-
-núcleo. -se uma descrição objetiva crição consiste em retomar
Limitação da posição do ob- quando há a descrição de al- na conclusão a descrição ge-
servador — Aqui, a depen- go de maneira realista, com ral do tema-núcleo realiza-
der do local físico e das con- elementos concretos, sem da na parte introdutória do
dições de posicionamento emitir opinião ou juízo de texto descritivo. Tal proce-
do observador, a descrição valor, por meio de uma lin- dimento, cumpre apontar,
se torna limitada: são exem- guagem denotativa, clara e reforça o nível de observa-
plos de descrições em que direta. ção realizada pelo observa-
se substitui a descrição vi- Critérios subjetivos — Tem- dor, que enfatiza, no final,
sual pela auditiva etc. -se uma descrição subjetiva as características gerais do
Limitação psicológica do quando se expressa a opi- tema-núcleo.
observador — Descrição na nião do observador que des- Descrição permanente —
qual se projeta o estado de creve o tema-núcleo a par- Ocorre quando o observa-
alma do observador ao des- tir de suas próprias impres- dor continua descrevendo
crever o tema-núcleo. sões, de cunho pessoal. aspectos do tema-núcleo.

4 Cursinho Pré-Vestibular Avante Itapipoca | Prof. Rafael Mota


GÊNEROS TEXTUAIS
CARACTERÍTICAS DO
DESCRITIVOS MAIS COMUNS
TEXTO DESCRITIVO
NO VESTIBULAR DA UECE
 Baseia-se na caracterização  Diário
 Realiza um retrato verbal usando os sentidos  Relato de viagem
 Realiza uma caracterização objetiva ou subjetiva  Folheto
 Transmite para o leitor as impressões de algo  Currículo
 Ausência da relação de anterioridade e posterioridade  Biografia
 Há sempre a figura de um observador  Cardápio
 Presença abundante de substantivos e adjetivos  Anúncio de classificados
 Ênfase no detalhamento do elemento descrito  Nota
 Cria no leitor a imagem do elemento descrito  Perfil

A Tipologia Dissertativa
A principal função dos textos pertencentes à tipologia dissertativa é opinar sobre um fato ou aconte-
cimento. Nesse sentido, o foco central da escrita dissertativa é a opinião, ou seja, é elaborar um determi-
nado ponto de vista acerca de algum tema, atual ou não. Aqui se exige maior esforço intelectual, pois são
esperadas ideias com capacidade crítica, advindas da análise, da reflexão e da observação dos fatos que
acontecem ao redor do sujeito. Vejamos um exemplo desse texto:

A face obscura da internet

Uma das maiores preocupações dos pais, nos últimos anos, é encontrar maneiras para pro-
teger seus filhos contra os perigos da internet, já que a facilidade para acessar este ambiente e
disseminar informações de forma indiscriminada pode trazer consequências muito negativas
à vida de crianças e adolescentes.
Prova disso é a quantidade crescente de jovens que sofrem “bullying” ou que tem sua inti-
midade exposta através da internet, levando muitos deles a caírem em depressão ou até mesmo
a cometerem suicídio, tamanho o impacto que tais ataques têm em suas vidas. Os agressores,
na maioria dos casos, também são jovens e fazem parte do círculo social da vítima, sendo que
muitos não têm plena consciência do mal que estão praticando. O anonimato propiciado pela
internet também facilita a ação de pedófilos que criam perfis falsos nas redes sociais para se
aproximarem de crianças, incitando-as a compartilharem fotos e vídeos para satisfazer seus
desejos pervertidos.
Neste cenário, muitos pais perguntam sobre qual a melhor maneira de defender seus filhos,
já que é difícil impedi-los de acessarem a internet através de computadores e celulares, dada
a ampla disponibilidade de tais aparelhos. Forçá-los a fornecer senhas de redes sociais ou
instalar filtros nos navegadores não é o suficiente, pois muitos dão um jeito de burlar as regras
impostas por seus pais. O melhor caminho, portanto, ainda é dialogar com os filhos sobre a
importância do respeito ao próximo e da preservação da própria intimidade ao usar a internet,
alertando-os sobre as ameaças ocultas no vasto universo cibernético.
Por fim, a sociedade não pode esperar que a tarefa de proteger crianças e jovens contra os
perigos da internet seja feita apenas pelas escolas e pelo poder público. É fundamental que os
pais estreitem os laços de confiança e amizade com seus filhos, pois o diálogo em família ainda
é a melhor arma para diminuir o número de vítimas e agressores no mundo virtual.
Banco de Redações UOL

AULA 2 – Tipos Textuais na Redação do Vestibular 5


Estrutura Composicional do Texto Dissertativo

Das três tipologias estudadas aqui, a estrutura composicional dos textos dissertativos é a mais conhe-
cida, pois é o tipo de texto selecionado para os vestibulares e o ENEM. Embora cada gênero apresente
especificamente a sua estrutura convencional, os textos dissertativos, por se construírem em torno da
opinião do autor do texto, estruturam-se de modo a apresentar, em linhas gerais, os elementos composi-
cionais discriminados a seguir. Na tabela abaixo, apresentaremos a estrutura de uma dissertação de ves-
tibular comum e de uma dissertação no modelo ENEM. Observe:

DISSERTAÇÃO COMUM DISSERTAÇÃO ENEM

Contextualização — Trecho em que Contextualização — Trecho em que


se apresenta um dado, um se apresenta uma situação que faça
acontecimento ou uma situação referência ao assunto que será
específica que faça referência direta discutido pelo texto.
(ou indireta) ao assunto principal que Problematização — Trecho em que
Introdução será discutido pelo texto (tema). Essa se explicita o problema social que o
é a parte em que o autor do texto tema traz. O ENEM trabalha com
possui mais liberdade e criatividade problemas sociais ligados à esfera
de elaboração. Aceita-se qualquer política, social, científica ou cultural.
coisa aqui, desde que relacionado ao Tese — Trecho em que deve se expor
tema. a opinião sobre o tema.

Opinião/Discussão — Trecho em Argumentos — Parte maior do texto


que o autor expõe sua opinião a dissertativo do modelo ENEM, os
respeito do tema. Na dissertação argumentos são as informações que
comum, essa opinião pode ser comprovam a legitimidade da tese,
acompanhada aqui de uma reflexão ou seja, os dados aqui colocados
Desenvolvimento
sobre pontos positivos e negativos do provam que a opinião do autor do
tema, aprofundamento de aspectos texto é digna de credibilidade.
pouco analisados, defesa com Podem ser usados como argumentos
argumentos, análise sob outras dados estatísticos, exemplos,
óticas etc. citações, teorias científicas etc.

Fechamento — Trecho em que o Proposta de intervenção — Trecho


autor do texto retoma a opinião e em que o autor finaliza suas
indica, por exemplo, possíveis discussões propondo uma solução
Conclusão
possibilidades de rediscussão, detalhada (o quê, quem e como) para
consequências ou expectativas que o o problema social abordado pelo
tema suscita. tema.

GÊNEROS TEXTUAIS
CARACTERÍTICAS DO
DESCRITIVOS MAIS COMUNS
TEXTO DISSERTATIVO
NO VESTIBULAR DA UECE
 Baseia-se na opinião  Artigo de Opinião
 Dirige-se a um leitor universal  Editorial
 Predomínio da objetividade  Resenha crítica
 Uso da argumentação  Carta do leitor
 Linguagem essencialmente impessoal  Manifesto
 Desenvolvimento da análise crítica  Crítica
 Apresenta raciocínio coerente  Ensaio
 Relaciona fatos e opiniões de forma consistente  Carta argumentativa
 Apresenta autoria no planejamento textual  Discurso de formatura

6 Cursinho Pré-Vestibular Avante Itapipoca | Prof. Rafael Mota


Exercício
1. Leia os trechos de texto a seguir e, de acordo com as características apontadas em nossa aula sobre os
tipos de textos, classifique os trechos em predominantemente narrativos, descritivos e dissertativos.

“O menino, convencido de que se tratava de uma “Aquela velha caixa não possuía nenhuma pedra
brincadeira, decidiu não obedecer ao comando de preciosa, nenhum objeto valioso. Na verdade, ela
uma estúpida garrafa. Ainda com o objeto na mão, estava vazia. Mas através dela percebi que já havia
caminhou mais um quarteirão e estacou no meio ganhado o meu maior presente: o autocontrole
do caminho. A curiosidade ainda persistia. Escon- de saber aguardar pelo momento certo; a paciên-
deu-se atrás de um muro, olhou para todos os la- cia do saber esperar.”
dos e, quando se convenceu de que estava sozinho,
abriu a garrafa.” “Países do Primeiro Mundo estão agora adotando
leis que tratam a prostituição como se fosse qual-
“A vida na Terra é algo curto demais; nada mais quer outro negócio. Neste mês, o governo da Bél-
justo que alguém tema por perder algo tão mara- gica apresentou um projeto de lei para legalizar
vilhoso e único. A questão está em que esse medo os bordéis, medida que a Nova Zelândia adotou
não deve gerar paralisia, mas, sim, uma atitude no mês passado. Há três anos, os holandeses le-
de afirmação da vida. Por isso é tão importante que galizaram os bordéis, e as prostitutas passaram
ele seja visto como um símbolo de que cada um de- a ter os direitos de qualquer trabalhador: cartei-
ve viver tudo o que puder da forma mais intensa ra assinada, plano de saúde e aposentadoria. Em
e ávida que puder.” contrapartida, vão descontar para a previdência
e pagar imposto de renda, como todo mundo. A
“Era a nova vizinha; e era muito, muito bonita. Vi- Alemanha adotou legislação semelhante no ano
via só e não gastava conversa com ninguém dali. passado.”
Mas, todas as noites, havia um entra-e-sai esqui-
sito de rapazes muito alinhados de seu aparta- “O homem se esforçou muito (e continua a se es-
mento. Minha tia Adelaide, muito puritana e fis- forçar) ao longo dos séculos para desvendar os
cal da vida alheia, resolveu xeretar.” mistérios que envolvem o problema da existência.
Graças a todo esse esforço, a humanidade obteve
“Era noite. A chuva que caía não dava trégua e se resultados animadores no campo da longevidade,
lançava sobre nossa casa torrencialmente. Como que hoje já é uma realidade para muitos. Sob essa
sempre acontece em noites de tempestade, a ener- perspectiva é que a maturidade física deve ser en-
gia acabou. Eu, criança ainda, só poderia estar carada. Assim é que a velhice pode ser vista como
nervoso e muito assustado; e as estranhas formas uma vitória. Portanto, em vez do conhecido temor
tremulantes que o brilho das velas formava nas e da melancolia tão associadas a essa fase, há na
paredes simplesmente pioravam tudo, o que me verdade muito o que se festejar quando se alcan-
levava a perguntar a todo instante: çam idades mais avançadas.”
— Pai, quando a luz vai voltar?”
“Ali, naquelas pedaladas firmes e vigorosas, dei-
“O caminho que leva ao portão de entrada da ins- xava exposta a tônica de sua personalidade: a
tituição técnica já é uma doce recepção da nature- determinação inabalável. Ele era uma locomoti-
za aos futuros sargentos brasileiros. Uma estra- va rompendo os trilhos da vida. Seus sonhos to-
da bem-pavimentada, cercada de plantas de vá- dos estavam concentrados naquela aparentemen-
rios tipos que se alternam com coqueiros e pe- te frágil bicicleta de alumínio, que já se conver-
quenas palmeiras, sentinelas de nossas aspirações. tera numa extensão de todo o seu corpo. E o ver-
Uma belíssima escultura de um avião de caça, im- dadeiro troféu que reluzia em seu coração era
ponentemente montado sobre um pedestal, de- todo feito com o ouro da garra e da vontade de
fende a guarita na qual se encontram os soldados.” vencer.”

AULA 2 – Tipos Textuais na Redação do Vestibular 7


PROPOSTA MODELO UECE
Prezado(a) Candidato(a),

O avanço da ciência e da tecnologia acentuou, dentre outras coisas, a inquietação do homem no decorrer dos
anos não só em prolongar a sua vida, mas permitir viver com qualidade. O fato, porém, é que parece que
vivemos em uma sociedade de pessoas cada vez mais angustiadas e preocupadas, o que nos faz trazer à tona o
tema da aflição. O mundo parece estar mais aflito e isso prejudica não só as relações entre as pessoas, mas,
principalmente, a relação entre o indivíduo consigo mesmo.

Com base nessa problemática, escola UMA das propostas a seguir e redija o seu texto, tendo como base o seu
conhecimento de mundo e sua experiência de vida, bem como os textos motivadores dispostos abaixo:

Proposta 1: Suponha que você está procurando um emprego e, ao surgir uma oportunidade, você se inscreve
para o processo seletivo que constará de duas fases: uma prova escrita e uma entrevista. No dia
da prova escrita, você é informado de que a prova será a produção de um texto dissertativo
sobre o tema “O que aflige o mundo hoje?”, o qual será corrigido pelo psicólogo da empresa.
Escreva esse texto.

Proposta 2: Suponha que você é o presidente da associação de moradores do seu bairro e, diante da notícia
de que um membro da associação tentou cometer suicídio devido a uma grande preocupação,
você se vê na obrigação de falar à sua comunidade. Escreva um texto dissertativo-argumentativo
para ser lido pelos moradores de seu bairro em que você discorra sobre o papel da aflição em
nossas vidas.

8 Cursinho Pré-Vestibular Avante Itapipoca | Prof. Rafael Mota