Você está na página 1de 43

Práticas Integrativas no SUS

Profª Simone Ariani Felix


Portfólio
Profª Simone Ariani Felix
Biomédica Acupunturista e Esteta
CRBM 31498
Graduação em Biomedicina pela Uniban – 2006
Pós graduada em Acupuntura pela Ebramec – 2012
Pós graduada em Biomedicina Estética pela Nepuga – 2018
Autora do Blog Biomedicina (biomedichina.blogspot.com.br)
Docente no Instituto Adijon desde 2015
Docente da Faculdade Ebramec
Docente do Instituto DermFlor (Araraquara/SP)
Simone Ariani Felix
Biomédica Acupunturista e Esteta
CRBM 31498

 Blog Biomedichina  Email


biomedichina.blogspot.com.br biomedichina@gmail.com

 Facebook  Celular
www.facebook.com.br/Biomedichina (11) 94196-3173

 Instagram
HISTÓRIA DA MEDICINA NO BRASIL E
PRÁTICAS INTEGRATIVAS E
COMPLEMENTARES

PRÁTICA MEDICINA
INTEGRATIVA ALTERNATIVA

Racionalidades médicas diferentes que se integram e


expandido ocupando diversos espaços nos
processos de cura no Ocidente desde a Década de 60
Um pouco de história...

Conflito entre os saberes xamânicos e holísticos de nossos índios e o


“choque microbiano”, passando pelas enfermarias jesuíticas e as instalações
das primeiras instituições hospitalares (Santa Casa de Misericórdia, a partir
de 1543 em Santos, formada por Brás Cubas).

Presença do amplo universo de curadores (especialmente os cirurgiões


barbeiros) até a institucionalização do ensino médico em terras brasileiras.

A institucionalização do ensino da Medicina veio somente no início do séc


XIX (1808) com Escola de Medicina em Salvador e posteriormente no Rio de
Janeiro
A SUCÇÃO - TUPINAMBÁS
ENFERMARIAS JESUÍTICAS
SANTA CASA DE MISERICÓRDIA - 1543
SANTOS
CIRURGIÕES BARBEIROS
CIRURGIÕES BARBEIROS
Faculdade de Medicina da Bahia
18 de Fevereiro de 1808
Ocupação de espaços
Institucionalizaç e legislação para a
ão da Medicina prática da Medicina

Desfragmentação das Na década de 60, a partir


práticas e de um movimento nos
perseguição dos Estados Unidos ganham
profissionais nova uniformidade
Década de 60 e o Movimento de
Contracultura - Hippies
Avanço da disseminação das práticas
terapêuticas alternativas
Holismo
( Louis
Dumont, 1985)

A orientalização
do Ocidente
(Colin Campbell
, 1997)

Crise da
Medicina e da
Saúde (Madel
Luz, 1997)
Quebra de paradigmas
Práticas Integrativas e Complementares
PICS
São tratamentos que utilizam
recursos terapêuticos baseados
em conhecimentos tradicionais,
voltados para prevenir diversas
doenças como depressão e
hipertensão. Em alguns casos,
também podem ser usadas como
tratamentos paliativos em
algumas doenças crônicas.

PORTARIA Nº 971, DE 03 DE MAIO DE 2006


Aprova a Política Nacional de Práticas Integrativas e
Complementares (PNPIC) no Sistema Único de Saúde.
PICS - SUS
Atualmente, o Sistema Único de Saúde (SUS)
oferece, de forma integral e gratuita, 29
procedimentos de Práticas Integrativas e
Complementares (PICS) à população. Os
atendimentos começam na Atenção Básica,
principal porta de entrada para o SUS.

Evidências científicas têm mostrado os


benefícios do tratamento integrado entre
medicina convencional e práticas integrativas e
complementares. Além disso, há crescente
número de profissionais capacitados e
habilitados e maior valorização dos
conhecimentos tradicionais de onde se originam
grande parte dessas práticas.
http://portalms.saude.gov.br/saude-de-a-z/praticas-integrativ
as-e-complementares
Onde tem PICS?
As Práticas Integrativas e Complementares estão presentes em quase 54% dos
municípios brasileiros, distribuídos pelos 27 estados e Distrito Federal e todas
as capitais brasileiras.

Número de municípios que ofertaram atendimentos individuais em PICS: 3.024


(54%), estando presente em 100% das capitais.

Distribuição dos serviços de PICS por nível de complexidade:


   => Atenção Básica 78%.
   => Media 18%.
   => Alta 4%.
2 milhões de atendimentos das PICs nas UBS.
Mais de 1 milhão de atendimentos na Medicina Chinesa, incluindo acupuntura.
85 mil em fitoterapia.
13 mil de homeopatias.
926 mil de outras práticas integrativas que não possuíam código próprio para
registro, que com a publicação da portaria nº145/2017 passam a ter.
Medicina Chinesa

A Medicina Chinesa tem uma história muito antiga e rica, e é a


terceira forma de medicina mais antiga. Apenas a medicina Egípcia e
a Babilônica são anteriores.

O fato da MC existir à milhares de anos e ainda ser usada nos dias de


hoje é uma prova do seu valor como forma de tratamento. Foi pouco
desenvolvida em outras civilizações do mundo, essencialmente
devido ao isolamento da China.

Contudo, com a abertura da China em 1972, começou a espalhar-se


pelo Ocidente. A MC foi sendo moldada com o tempo por muitos
fatores, incluindo a cultura, filosofia, política, religião e ciência.
Medicina Chinesa

Acupuntur
Fitoterapia
a

Artes Dietoterap
Corporais ia Chinesa

Tuiná
Acupuntura

Técnica milenar originada de um conjunto de


conhecimentos teórico- empíricos da Medicina
Chinesa, que aborda de modo integral e dinâmico e
processo saúde-doença no ser humano, podendo ser
usada isoladamente ou de forma integrada com
outros recursos terapêuticos
Acupuntura

No Brasil, a prática da MTC se iniciou com a


vinda dos primeiros imigrantes chineses para o
Rio de Janeiro, em 1810. Em 1908, os
imigrantes japoneses inseriram a acupuntura
japonesa, embora restrita à colônia.
Em 1958, Friedrich Spaeth, fisioterapeuta,
considerado responsável pela difusão da
acupuntura na sociedade brasileira na década
de 1950, começou a ensinar esta prática
milenar no Rio de Janeiro e em São Paulo e,
em 1972, foi fundada a Associação Brasileira
de Acupuntura (ABA)
Acupuntura Sistêmica

A Acupuntura é uma parte importante do


grande tesouro da Medicina Chinesa. Tem
uma história que remonta há mais de dois mil
anos. Durante um tempo longo de prática, os
médicos das diversas dinastias chinesas
desenvolveram e aperfeiçoaram esta
especialidade, que abrange várias teorias
básicas, tais como o Yin e o Yang, os cinco
Movimentos, os Zang-fu (órgãos e vísceras), Qi-
Xue (energia e sangue) assim como vários
métodos de manipulação de agulhas e
experiências clínicas importantes do
tratamento segundo os sintomas e sinais,
fazendo com que a Acupuntura seja uma
terapia muito eficaz na China.
Funções terapêuticas - Acupuntura Sistêmica

As funções terapêuticas da Acupuntura


resultam do estímulo de pontos especiais
(pontos de acupuntura) e canais de energia, os
pontos de acupuntura podem causar certas
reações em outras regiões ou em algum órgão,
de forma a obter resultados medicinais.

Segundo a teoria da Medicina Chinesa, os


pontos podem transmitir a função e as
mudanças dos órgãos do interior do corpo para
a superfície e, ao mesmo tempo, comunicar os
fatores exógenos da superfície até ao interior.
Indicações- Acupuntura Sistêmica
Dores e processos inflamatórios em geral. A acupuntura
tem melhores resultados em dor de origem músculo-
esquelética cuja etiologia pode ser trauma, artrose, exercícios
repetitivos, tensão emocional, erro de postura, lesão de
tecidos moles ou dor orofacial.

- Doenças e patologias psíquicas. Doenças


neurovegetativas, psicossomáticas, insônia, estresse,
depressão e outros transtornos psíquicos.

- Doenças viscerais como asma, bronquite, gastrite, angina


do peito, colite, rinite.

- Doenças e sintomas neurológicos como enxaqueca,


cefaléias tensionais, cefaléias cervicogênicas, enxaquecas
menstruais, fibromialgia, algumas dores neuropáticas.
Agulha de Acupuntura

Aço cirúrgico de
tamanhos variados

Frequentemente
utilizada a de
tamanho 0,25 x 40
mm
Moxabustão

Bastão
Charuto

Carvão
Palito
Incenso
Ventosas

Acrílico

Vidro
Guasha
Microssistemas de Acupuntura

Orelha – Auriculoterapia

Mão – Koryo

Cabeça – Craniopuntura

Abdome – Acupuntura Abdominal

Punho – Região de punho

Tornozelo – Região de tornozelo

Pé – Reflexologia Podal

Língua – Corpo da Língua


Microssistemas da Orelha
Auriculoterapia

Método terapêutico e de analgesia – Estímulo de pontos no pavilhão


auricular.

Visa promover a regulação energética nos meridianos principais e a


homeostase psicossomática.

Pavilhão auricular - órgão isolado que mantém relação com todas as regiões
do corpo.

Auriculoterapia – Baseada na obra de Paul Nogier (Década de 50)


Baseia-se no significado reflexológico e ação neurofisiológica.

“ AURIS” significa orelha, “AURICULA” pequena orelha, “THERAPIA”


tratamento.
Modelo de Paul Nogier
Indicações

• Todas as enfermidades físicas , psíquicas e algias em geral.


• Promove a melhora ou alívio dos sintomas, podendo levar
a CURA.
• Tratamento para doenças agudas ou crônicas.
• Os pontos serão avaliados com alguma alteração ou
desequilíbrio energético:
• - Plenitude ( ponto doloroso).
• - Astenia (ponto com baixa condutibilidade elétrica.)
Inspeção

Inspeção Simétrica – Duas orelhas


Observação visual sem estímulo luminoso

Exame da cor ( Áreas avermelhadas, sinal de


inflamação, áreas esbranquiçadas, disfunção
dos órgãos e vísceras

Exame da configuração (Protuberâncias,


descamações, tomando cuidado com acne e
cravos
Materiais Auriculoterapia
Quiropraxia

A Quiropraxia foi desenvolvida
em Davenport, Iowa em 1895,
por Daniel David Palmer. ...
1897 A Escola Palmer de 
primeira instituição educacional
em Quiropraxia, é fundada.
1913 Minnesota se torna o
primeiro estado dos Estados
Unidos a reconhecer e licenciar
a prática.
Quiropraxia

A quiropraxia é uma ciência e terapia


concebida nos EUA na primeira metade do
século passado, por pesquisadores não
médicos, que por um acaso, descobriram que
certas manobras mecânicas manuais corrigiam
os deslocamentos das articulações para fora de
seus “eixos” normais. Essas são chamadas de
subluxações e provocavam limitação funcional,
dor e até surdez.
As manobras mecânicas manuais padronizadas
recolocam a articulação de volta em seu eixo,
diminuindo a inflamação, a protrusão discal
articular, aliviando o sofrimento e melhorando
os movimentos do corpo.
Histórico
Historicamente os quiropraxistas tem como
objetivo principal a correção da Subluxação
Vertebral, que seriam desvios na coluna que
prejudicam o funcionamento do sistema
nervoso.

Nessa linha de pensamento, considerando o


fato do cérebro gerenciar diversas funções no
corpo humano, um "pequeno desvio" na
coluna poderia atrapalhar esse processo de
gerenciamento. Sendo o papel do quiropraxista
normalizar a comunicação entre o cérebro e o
restante do corpo. Com o passar dos anos,
alguns quiropraxistas abandonaram esse
modelo de prática e se dedicaram
exclusivamente às questões mecânicas e
tratamento para dores. 

Em ambos os casos, a prática costuma ter


bastante ênfase em terapias manuais, como os
famosos "estralos".
A coluna vertebral
Vamos praticar??